SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
PROF. ODAIR TUONO
MÉTODOS CRIATIVOS
EXERCITANDO A IMAGINAÇÃO
FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI “ANTOINE SKAF”
LABORATÓRIO DE CRIAÇÃO
ATIVIDADE DE PERCEPÇÃO
“– Psiu! Vou escrever três coisas so-
bre você, receba com carinho este
bilhete.”
Escreva o nome do participante e
três (03) características desta pes-
soa, para cada item utilize apenas
uma (01) palavra que possa resumir
esta informação. Use letra bastão.
Exemplo: Odair Tuono – Cordial,
Curioso, Prolixo.
Descreva qualidades ou característi-
cas que possam ajudar a pessoa se
autoavaliar. Atenção quanto as pala-
vras e formas de expressões.
CRIANDO O DESENHO
1. CASA – LAR DOCE LAR
2. ÁRVORE DA VIDA
3. UMA PESSOA QUERIDA
4. UM VEÍCULO DOS SONHOS
5. UMA ESPAÇONAVE QUE VAI TE LEVAR
7. UM ANIMAL
6. O CÉU QUE TE PROTEGE
8. UM BRINQUEDO DA INFÂNCIA
9. UM MEDO TERRÍVEL
10. UMA PALAVRA
TESTE DO CÉREBRO ESQUERDO OU DIREITO
https://www.arealme.com/left-right-brain/pt/
ATIVIDADE DE PERCEPÇÃO
CÉREBRO
Latim cerebrum, parte do sistema
nervoso central situado na caixa cra-
niana, recebe estímulos dos órgãos
sensoriais, interpretando-os e corre-
lacionando-os com impressões ar-
mazenadas, a fim de acionar impul-
sos que controlam todas as ativida-
des vitais, no ser humano é também
o órgão do pensamento, sentimen-
tos, memória e da imaginação.
O cérebro humano pesa entre 1,3 e
1,6 quilos. O córtex cerebral (a su-
perfície do cérebro) aloja cerca de
22.000 milhões de neurónios.
Fonte: conceito.de/cerebro.
CÉREBRO E SEUS HEMISFÉRIOS
Órgão que trata de regular as fun-
ções homeostáticas, nomeadamen-
te a pressão sanguínea, a tempera-
tura corporal e os batimentos cardí-
acos.
O cérebro está dividido por uma fis-
sura longitudinal que permite distin-
guir dois hemisférios: o direito e o
esquerdo.
Embora ambos os hemisférios se-
jam opostos, não são simétricos do
ponto de vista morfológico, convêm
destacar que apenas o ser humano
parece mostrar diferenças de com-
petências entre os dois hemisfé-
rios.
CÉREBRO – FUNÇÕES DOS HEMISFÉRIOS
I. DW 4 ME
CÉREBRO – LADO MASCULINO / FEMININO
I. Jeffrey Bone, ilustração.
TESTE DE CRIATIVIDADE
1. Você encara desafios e barreiras
como algo que possa trazer oportu-
nidades, em vez de trazer proble-
mas?
2. Ao procurar soluções para deter-
minados problemas, você faz uso de
processos e técnicas criativas de to-
mada de decisão?
3. Você costuma ter ideias criativas
para resolver problemas difíceis?
4. Quando alguém lhe traz uma ideia
criativa para resolver um problema,
você usa frases do tipo “não vai dar
certo” ou “não vale a pena”?
5. Você costuma implantar novas
alternativas e processos que ajudam
agilizar seu trabalho ou sua tomada
de decisão?
S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
TESTE DE CRIATIVIDADE
6. Você já ignorou boas ideias pró-
prias porque não tinha recursos ou
não sabia como implantá-las?
7. Para você tudo deve ser prático,
objetivo e rápido na execução?
8. Quando necessita resolver um
problema ou buscar novas alternati-
vas você se inspira em soluções que
já deram certo?
9. Você se interessa por processos
criativos que utilizam ideias inovado-
ras para serem implantadas no seu
trabalho?
10. Você exercita sua mente regular-
mente em pensar fora da “caixa”,
imaginando as coisas de uma pers-
pectiva fora da visão tradicional?
S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
TESTE DE CRIATIVIDADE
11. Você costuma utilizar métodos
criativos de tomada de decisão ou
de resolução de problemas como o
brainstorming?
12. Você se considera criativo(a)?
13. Você já teve oportunidade de
implantar soluções criativas em seu
trabalho que deram resultado?
14. Para você é uma perda de tempo
procurar soluções inovadoras para
as situações indesejáveis que acon-
tecem em sua vida?
15. Quando o trabalho sai da rotina
habitual levando você a enfrentar
circunstâncias imprevistas, você se
sente inseguro ou desconfortável?
S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
TESTE DE CRIATIVIDADE – AUTOAVALIAÇÃO
SIM - Marque um ponto (01) para as
questões: 1, 2, 3, 5, 8, 9, 10, 11, 12 e
13.
NÃO - Marque um ponto (01) para as
questões: 4, 6 7, 14 e 15.
ÀS VEZES - Marque meio ponto (0,5)
para cada resposta.
S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
Faça a soma da pontuação para ve-
rificar o resultado, ele pode ajudar a
você repensar determinadas situa-
ções e novas possibilidades com re-
lação a criatividade em sua vida.
Fonte: BERG, E.A. Manual de Criati-
vidade Aplicada.
TESTE DE CRIATIVIDADE – RESULTADO
13 a 15 pontos – Ótimo. A criativida-
de e inovação estão entre seus pon-
tos fortes. Para que seus resultados
melhorem ainda mais envolva e esti-
mule seus colegas de trabalho nes-
tes processos, todos se beneficiarão.
10 a 12,5 pontos - Bom. Sua criativi-
dade está em fase de progresso. Tal-
vez você já tenha algum sucesso,
mas pode melhorar se fizer da criati-
vidade e da inovação um processo
constante em suas atividades.
Abaixo de 10 pontos - Regular. Vo-
cê esta inseguro quanto ao seu talen-
to, talvez se julgue pouco criativo.
Procure oportunidades para colocar
em prática formas diferentes de pen-
sar e de fazer as coisas.
CRIATIVIDADE
Criatividade é uma habilidade, e co-
mo tal, pode ser aprendida e desen-
volvida.
Na era da competitividade, os únicos
e grandes diferencias – de empresas
e indivíduos que almejam o sucesso
– são a criatividade e a inovação.
“Criatividade é a configuração do no-
vo e a reorganização do velho.” Mike
Vance, Walt Disney University.
Portanto, criatividade é a ideia. Ino-
vação é colocar em prática a ideia e
obter lucro com ela.
I. William Salice, 1974 (Ferrero, IT.)
CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO
INOVAÇÃO
ALTA
BAIXA
CRIATIVIDADE
ALTA
BAIXA
IMITADORES
VITORIOSOS
CONFORMISTAS
ESQUECIDOS
ESTÍMULOS CRIATIVOS
Nossa percepção pode receber estí-
mulos que ampliam o repertório in-
terno e suas conexões possibilitan-
do novas maneiras de resolução de
problemas.
• Viajar – lugares, culturas.
• Solitude – auto conhecimento.
• Hobbies – pintar, dançar.
• Imaginação – leitura, música.
• Idioma – inglês, francês.
• Dedicação – animais, plantas.
• Bom Humor – bons fluidos.
• Amor – fraterno, ágape.
Defina essa imagem em uma palavra!
ATIVIDADE DE PERCEPÇÃO
BRAINSTORMING
Ao surgir a necessidade de pensar no
futuro ou de abrir novas frentes de ne-
gócio, aparece alguém para sugerir
um brainstorming: uma reunião em
que as ideias devem fluir livremente e
sem compromisso com a inovação.
Atualmente o brainstorming ganhou
uma “dose de racionalidade”, o pro-
fessor Ralph Keeney, da Universida-
de Duke (EUA), propõe um processo
mais eficiente. Portanto, antes da reu-
nião todos devem se preparar.
“É preciso ter clareza sobre o que se-
rá discutido”, afirma Ralph. Sendo ne-
cessário evitar as conclusões precipi-
tadas.
TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
Novas técnicas de brainstorming:
Ambiente favorável
As pessoas devem estar confortáveis
no local em que a atividade será reali-
zada. Considere efetuar o processo
fora do ambiente de trabalho.
Definindo o problema
Toda reunião deve começar com a de-
finição do problema, determinando o
propósito do brainstorming, assim as
pessoas não perderão o foco.
Objetivo: Quem e para quê
Tenha certeza de que a equipe tem
conhecimento profundo sobre as ne-
cessidades dos interessados em em-
contrar uma solução.
Inspire-se
Os participantes devem revisar tudo o
que sabem do problema ou ler um es-
tudo de caso sobre a solução.
Ideação
Antes de iniciar, cada participante de-
ve desenvolver suas próprias propos-
tas para o problema e que sejam ano-
tadas e registradas.
Ideias selvagens
Não realizar julgamentos sobre as
ideias apresentadas pelo grupo. Esta
atitude tende a interromper o fluxo da
criação, deve ser recomendado no iní-
cio do processo.
TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
Abra a torneira de ideias
Quantidade produz qualidade. É preci-
so acumular o máximo de ideias para
que se possa descartar as desneces-
sárias e ficar com as boas.
Discussão coletiva
Evitar que uma ou duas pessoas do-
minem a conversa, nunca deixe uma
pessoa apresentar todas as suas al-
ternativas de uma vez.
Administre conflitos
Nem todo conflito é construtivo. Nos
primeiros estágios de geração de ide-
ias, ele é prejudicial, principalmente
quando faz a ideia ser rejeitada antes
de ser desenvolvida o suficiente para
ser bem avaliada.
TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
Fonte: REY, Beatriz. Como fazer um
brainstorming eficiente. Revista VOCÊ
S/A. Julho, 2013.
Os participantes com o moderador,
devem buscar o consenso sobre a
melhor ideia, sua aplicabilidade e os
possíveis resultados aguardados em
relação ao produto ou serviço.
Atualmente equipes coletivas e multi-
profissionais encontram resultados na
diferença de seus conhecimentos e no
ensejo de evoluir suas ideias para um
plano real e de prosperidade.
I. Revista VOCÊ S/A. Agosto, 2017.
TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
MAPA MENTAL – A ERA DAS DISTRAÇÕES
Fonte: CUNHA, Guilherme. Dicas de Estudo: Como criar um mapa mental?
http://blog.enem.com.br/2016/mapa-mental/
MAPA MENTAL – MIND MAP
Criada pelos ingleses Tony e Barry
Buzan, essa ferramenta surgiu a partir
de pesquisas sobre a fisiologia e o fun-
cionamento do cérebro humano, neuro-
linguística, teorias da informação, per-
cepção e pensamento criativo.
O registro através dos mapas mentais
pode ser adotado para atender a diver-
sos objetivos. No âmbito pessoal, pode
exercitar o autoconhecimento, resolver
problemas e ordenar a agenda de ativi-
dades. Na educação, pode registrar
planos de aula, resumir conteúdos. No
ambiente de trabalho pode ser usado
para roteirizar uma reunião, resumir pa-
lestras, acompanhar projetos e auxiliar
na tomada de decisões.
MAPA MENTAL – CARACTERÍSTICAS
Os mapas mentais apresentam quatro
características básicas: o tema princi-
pal representado por uma imagem
central; as ideias ordenadoras irradi-
am da imagem central de forma rami-
ficada; os ramos do mapa servem de
suporte para uma imagem, símbolo,
desenho ou palavra-chave, associa-
dos ao tema principal.
Quais as vantagens dessa ferramen-
ta em relação a outros recursos?
Promover a redução de tempo no
registro de informações, devendo con-
ter o que é significativo e as ideias es-
senciais. Estimular a memorização,
já que as figuras ficam registradas na
mente de forma mais duradoura do
que os textos.
MAPA MENTAL – ORGANIZAÇÃO
O ambiente organizacional exige proa-
tividade e dedicação, muitas vezes nos
deparamos com uma lista de tarefas
que precisam ser executadas ao longo
da semana, atualmente existem no
mercado alguns softwares que ajudam
a elaborar esses mapas de forma mais
rápida: Freemind, Mindjet, Personal
Brain, entre outros.
Dificuldades de Adaptação
O que pode ocorrer é uma pessoa não
se identificar com esta forma de regis-
tro, enxergando-a como algo fora dos
padrões normais. Como nossa educa-
ção sempre estimulou a forma linear
de registros, pode ser difícil romper
com este padrão.
MAPA MENTAL – ROTEIRO
Esteja tranquilo quando for criar um
mapa mapa mental.
Determine a ideia principal e escreva
uma palavra chave que a represente.
A ideia principal será fonte de inspira-
ção do desenho central.
Subtítulos serão representados nas
ramificações, escreva as palavras em
letras de forma e sobre as linhas.
Use toda a extensão da folha para de-
senhar as ramificações do mapa, orga-
nizando o espaço;
Use cores na imagem central e nas vá-
rias ideias ordenadoras que surgirem
no mapa
MAPA MENTAL – ROTEIRO
Misture imagens, códigos e palavras
de forma harmônica, sempre associa-
das as cores e letras.
Procure fragmentar os temas de acordo
com o grau de importância.
Utilize somente uma palavra-chave por
linha.
Tenha cuidado com excessos. O mapa
mental deve ser compreensível para
você e outas pessoas.
Abuse da criatividade!
GRAMIGNA, M. R. - Líderes Inovado-
res - Ferramentas que fazem a diferen-
ça - Editora Mbooks - SP (2004).
MAPA MENTAL PESSOAL
EU
FAMÍLIA
RELAÇÕESCORPO
MENTE
VALORES PROFISSÃO
HOBBIES ÍCONES
ESTILO LUGARES
REFLEXÃO
“Tudo está na mente. É onde tudo começa. Saber o que você quer é o primeiro passo
na direção de conseguir.” Mae West (1893-1980, atriz norte-americana).
REFERÊNCIAS DE PESQUISA
AYAN, Jordan. AHA! 10 maneiras de libertar seu espírito criativo e encontrar
grandes ideias. São Paulo: Elsevier, 2001.
BERG, E. A. Manual de criatividade aplicada: técnicas eficazes para desenvolver
sua criatividade e inovação na profissão e nos negócios. Curitiba: Juruá, 2014.
BUZAN, T. Mapas Mentais e Sua Elaboração. São Paulo: Cultrix, 2005.
DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 3ª. ed. São Paulo: Martins
Fontes, 2007.
PREDEBON, José. Criatividade hoje: como se pratica, aprende e ensina. São
Paulo: Atlas, 2001.
TORRE, S. de la. Dialogando com a criatividade – Da Identidade à Criatividade
Paradoxal. São Paulo: Madras, 2005.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula01 conceito design
Aula01 conceito designAula01 conceito design
Aula01 conceito designpaulo_batista
 
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoDesign Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoMaristela Meireles
 
Comunicação integrada de marketing
Comunicação integrada de marketingComunicação integrada de marketing
Comunicação integrada de marketingAna Paula Rodrigues
 
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidadeBranding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidadeEndrigo Ramos
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoLeonardo Tostes
 
Design e design gráfico
Design e design gráficoDesign e design gráfico
Design e design gráficoDeisi Motter
 
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...Cristina Vaz de Almeida
 
Semiótica na publicidade e no design de embalagens
Semiótica na publicidade e no design de embalagensSemiótica na publicidade e no design de embalagens
Semiótica na publicidade e no design de embalagensFellipe Camara
 
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430Valdir Soares
 
Planejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi Rocha
Planejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi RochaPlanejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi Rocha
Planejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi RochaDavi Rocha
 

Mais procurados (20)

Aula01 conceito design
Aula01 conceito designAula01 conceito design
Aula01 conceito design
 
Conceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e ExecuçãoConceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e Execução
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
 
Conceitos de Design
Conceitos de DesignConceitos de Design
Conceitos de Design
 
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoDesign Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
 
Comunicação integrada de marketing
Comunicação integrada de marketingComunicação integrada de marketing
Comunicação integrada de marketing
 
Processo Criativo - como criar uma marca
Processo Criativo - como criar uma marcaProcesso Criativo - como criar uma marca
Processo Criativo - como criar uma marca
 
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
Como desenvolver uma estratégia de comunicação para 2023?
 
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidadeBranding: como construir marcas fortes através da identidade
Branding: como construir marcas fortes através da identidade
 
Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
Design e design gráfico
Design e design gráficoDesign e design gráfico
Design e design gráfico
 
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
 
Semiótica na publicidade e no design de embalagens
Semiótica na publicidade e no design de embalagensSemiótica na publicidade e no design de embalagens
Semiótica na publicidade e no design de embalagens
 
Módulo 1 - Design gráfico
Módulo 1 - Design gráficoMódulo 1 - Design gráfico
Módulo 1 - Design gráfico
 
Briefing
BriefingBriefing
Briefing
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
 
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
 
Planejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi Rocha
Planejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi RochaPlanejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi Rocha
Planejamento de Comunicação / Planejamento Publicitário - Davi Rocha
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 

Semelhante a LC 02 Métodos Criativos

10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativasR Gómez
 
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorDesign Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorAriana B
 
2015.10.29 mfn design thinking
2015.10.29 mfn   design thinking2015.10.29 mfn   design thinking
2015.10.29 mfn design thinkingRafaella Cavalca
 
Treinamento Design Thinking - 2016
Treinamento Design Thinking - 2016Treinamento Design Thinking - 2016
Treinamento Design Thinking - 2016.add
 
Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências - SEC
Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências  - SEC Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências  - SEC
Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências - SEC Natalia Lion
 
Gestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstormingGestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstormingEstrela Franquias
 
Design Thinking Workshop
Design Thinking WorkshopDesign Thinking Workshop
Design Thinking WorkshopÂndlei Lisboa
 
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidadeDesign thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidadeBruno Araldi
 
Open ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SPOpen ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SPNatalia Lion
 
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14Gabriel Coelho
 
Design Thinking Process
Design Thinking ProcessDesign Thinking Process
Design Thinking ProcessOlogia
 
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressedGuia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressedAntonio Costa
 
aula.faculdade administrativa UVA 2018pptx
aula.faculdade administrativa UVA 2018pptxaula.faculdade administrativa UVA 2018pptx
aula.faculdade administrativa UVA 2018pptxTatianaDiniz21
 
Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2
Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2
Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2fbideias
 
Prévia e book lab cria
Prévia e book lab criaPrévia e book lab cria
Prévia e book lab criasupimpainovacao
 
BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...
BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...
BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...Laboratorium
 

Semelhante a LC 02 Métodos Criativos (20)

10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas
 
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorDesign Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
 
2015.10.29 mfn design thinking
2015.10.29 mfn   design thinking2015.10.29 mfn   design thinking
2015.10.29 mfn design thinking
 
Treinamento Design Thinking - 2016
Treinamento Design Thinking - 2016Treinamento Design Thinking - 2016
Treinamento Design Thinking - 2016
 
Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências - SEC
Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências  - SEC Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências  - SEC
Treinamento Design Inovação: EEL-USP - Simpósio Ensino de Ciências - SEC
 
Gestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstormingGestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstorming
 
Design Thinking Workshop
Design Thinking WorkshopDesign Thinking Workshop
Design Thinking Workshop
 
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidadeDesign thinking para quem trabalha em agências de publicidade
Design thinking para quem trabalha em agências de publicidade
 
Open ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SPOpen ideo OutPost - SP
Open ideo OutPost - SP
 
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
Design thinking weekend+sua jornada 14.10.14
 
Design Thinking Process
Design Thinking ProcessDesign Thinking Process
Design Thinking Process
 
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressedGuia mentalidade-inovadora-v0 compressed
Guia mentalidade-inovadora-v0 compressed
 
aula.faculdade administrativa UVA 2018pptx
aula.faculdade administrativa UVA 2018pptxaula.faculdade administrativa UVA 2018pptx
aula.faculdade administrativa UVA 2018pptx
 
Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2
Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2
Apresentação Ideation - Sua Ideia Na Prática Fortaleza - Etapa 2
 
Desing thinking
Desing thinkingDesing thinking
Desing thinking
 
Prévia e book lab cria
Prévia e book lab criaPrévia e book lab cria
Prévia e book lab cria
 
Desing thinking
Desing thinkingDesing thinking
Desing thinking
 
e-criar
e-criare-criar
e-criar
 
IdeacaoProducaoIdeias.pdf
IdeacaoProducaoIdeias.pdfIdeacaoProducaoIdeias.pdf
IdeacaoProducaoIdeias.pdf
 
BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...
BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...
BootCamp Design Thinking - Como criar estratégias criativas para criação de ...
 

Mais de Odair Tuono

ARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra VoyageARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra VoyageOdair Tuono
 
EHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable ArtEHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable ArtOdair Tuono
 
EHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaEHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaOdair Tuono
 
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIOOPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIOOdair Tuono
 
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIXPS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIXOdair Tuono
 
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASPS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASOdair Tuono
 
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃPS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃOdair Tuono
 
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOPS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOOdair Tuono
 
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOdair Tuono
 
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVAOPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVAOdair Tuono
 
PS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVAPS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVAOdair Tuono
 
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIOCI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIOOdair Tuono
 
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIACI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIAOdair Tuono
 
LC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoLC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoOdair Tuono
 
CI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem SocialCI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem SocialOdair Tuono
 

Mais de Odair Tuono (20)

ARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra VoyageARQ - Coleção Ultra Voyage
ARQ - Coleção Ultra Voyage
 
EHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable ArtEHA 07 Wearable Art
EHA 07 Wearable Art
 
EHA 06 Freak
EHA 06 FreakEHA 06 Freak
EHA 06 Freak
 
EHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte UrbanaEHA 05 Arte Urbana
EHA 05 Arte Urbana
 
EHA 04 Kitsch
EHA 04 KitschEHA 04 Kitsch
EHA 04 Kitsch
 
EHA 03 Cor
EHA 03 CorEHA 03 Cor
EHA 03 Cor
 
EHA 02 Sagrado
EHA 02 SagradoEHA 02 Sagrado
EHA 02 Sagrado
 
EHA01 Conceitos
EHA01 ConceitosEHA01 Conceitos
EHA01 Conceitos
 
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIOOPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
OPC 03 TEXTURA NO VESTUÁRIO
 
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIXPS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
PS05 A REVOLUÇÃO E O SÉCULO XIX
 
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTASPS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
PS04 A NOVA ERA DAS DESCOBERTAS
 
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃPS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
PS03 GRÉCIA ANTIGA ATÉ A ERA CRISTÃ
 
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOPS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
 
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUALOPC 02 LINGUAGEM VISUAL
OPC 02 LINGUAGEM VISUAL
 
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVAOPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
OPC 01 PERSONALIDADE CRIATIVA
 
PS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVAPS 01 IMAGEM ASSERTIVA
PS 01 IMAGEM ASSERTIVA
 
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIOCI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
CI 05 ELEMENTOS DO VESTUÁRIO
 
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIACI 04 CORPO E TENDÊNCIA
CI 04 CORPO E TENDÊNCIA
 
LC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoLC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento Perceptivo
 
CI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem SocialCI 03 Imagem Social
CI 03 Imagem Social
 

LC 02 Métodos Criativos

  • 1. PROF. ODAIR TUONO MÉTODOS CRIATIVOS EXERCITANDO A IMAGINAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI “ANTOINE SKAF” LABORATÓRIO DE CRIAÇÃO
  • 2. ATIVIDADE DE PERCEPÇÃO “– Psiu! Vou escrever três coisas so- bre você, receba com carinho este bilhete.” Escreva o nome do participante e três (03) características desta pes- soa, para cada item utilize apenas uma (01) palavra que possa resumir esta informação. Use letra bastão. Exemplo: Odair Tuono – Cordial, Curioso, Prolixo. Descreva qualidades ou característi- cas que possam ajudar a pessoa se autoavaliar. Atenção quanto as pala- vras e formas de expressões.
  • 3. CRIANDO O DESENHO 1. CASA – LAR DOCE LAR 2. ÁRVORE DA VIDA 3. UMA PESSOA QUERIDA 4. UM VEÍCULO DOS SONHOS 5. UMA ESPAÇONAVE QUE VAI TE LEVAR 7. UM ANIMAL 6. O CÉU QUE TE PROTEGE 8. UM BRINQUEDO DA INFÂNCIA 9. UM MEDO TERRÍVEL 10. UMA PALAVRA
  • 4. TESTE DO CÉREBRO ESQUERDO OU DIREITO https://www.arealme.com/left-right-brain/pt/ ATIVIDADE DE PERCEPÇÃO
  • 5. CÉREBRO Latim cerebrum, parte do sistema nervoso central situado na caixa cra- niana, recebe estímulos dos órgãos sensoriais, interpretando-os e corre- lacionando-os com impressões ar- mazenadas, a fim de acionar impul- sos que controlam todas as ativida- des vitais, no ser humano é também o órgão do pensamento, sentimen- tos, memória e da imaginação. O cérebro humano pesa entre 1,3 e 1,6 quilos. O córtex cerebral (a su- perfície do cérebro) aloja cerca de 22.000 milhões de neurónios. Fonte: conceito.de/cerebro.
  • 6. CÉREBRO E SEUS HEMISFÉRIOS Órgão que trata de regular as fun- ções homeostáticas, nomeadamen- te a pressão sanguínea, a tempera- tura corporal e os batimentos cardí- acos. O cérebro está dividido por uma fis- sura longitudinal que permite distin- guir dois hemisférios: o direito e o esquerdo. Embora ambos os hemisférios se- jam opostos, não são simétricos do ponto de vista morfológico, convêm destacar que apenas o ser humano parece mostrar diferenças de com- petências entre os dois hemisfé- rios.
  • 7. CÉREBRO – FUNÇÕES DOS HEMISFÉRIOS I. DW 4 ME
  • 8. CÉREBRO – LADO MASCULINO / FEMININO I. Jeffrey Bone, ilustração.
  • 9. TESTE DE CRIATIVIDADE 1. Você encara desafios e barreiras como algo que possa trazer oportu- nidades, em vez de trazer proble- mas? 2. Ao procurar soluções para deter- minados problemas, você faz uso de processos e técnicas criativas de to- mada de decisão? 3. Você costuma ter ideias criativas para resolver problemas difíceis? 4. Quando alguém lhe traz uma ideia criativa para resolver um problema, você usa frases do tipo “não vai dar certo” ou “não vale a pena”? 5. Você costuma implantar novas alternativas e processos que ajudam agilizar seu trabalho ou sua tomada de decisão? S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
  • 10. TESTE DE CRIATIVIDADE 6. Você já ignorou boas ideias pró- prias porque não tinha recursos ou não sabia como implantá-las? 7. Para você tudo deve ser prático, objetivo e rápido na execução? 8. Quando necessita resolver um problema ou buscar novas alternati- vas você se inspira em soluções que já deram certo? 9. Você se interessa por processos criativos que utilizam ideias inovado- ras para serem implantadas no seu trabalho? 10. Você exercita sua mente regular- mente em pensar fora da “caixa”, imaginando as coisas de uma pers- pectiva fora da visão tradicional? S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
  • 11. TESTE DE CRIATIVIDADE 11. Você costuma utilizar métodos criativos de tomada de decisão ou de resolução de problemas como o brainstorming? 12. Você se considera criativo(a)? 13. Você já teve oportunidade de implantar soluções criativas em seu trabalho que deram resultado? 14. Para você é uma perda de tempo procurar soluções inovadoras para as situações indesejáveis que acon- tecem em sua vida? 15. Quando o trabalho sai da rotina habitual levando você a enfrentar circunstâncias imprevistas, você se sente inseguro ou desconfortável? S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES
  • 12. TESTE DE CRIATIVIDADE – AUTOAVALIAÇÃO SIM - Marque um ponto (01) para as questões: 1, 2, 3, 5, 8, 9, 10, 11, 12 e 13. NÃO - Marque um ponto (01) para as questões: 4, 6 7, 14 e 15. ÀS VEZES - Marque meio ponto (0,5) para cada resposta. S = SIM / N = NÃO / AV = ÀS VEZES Faça a soma da pontuação para ve- rificar o resultado, ele pode ajudar a você repensar determinadas situa- ções e novas possibilidades com re- lação a criatividade em sua vida. Fonte: BERG, E.A. Manual de Criati- vidade Aplicada.
  • 13. TESTE DE CRIATIVIDADE – RESULTADO 13 a 15 pontos – Ótimo. A criativida- de e inovação estão entre seus pon- tos fortes. Para que seus resultados melhorem ainda mais envolva e esti- mule seus colegas de trabalho nes- tes processos, todos se beneficiarão. 10 a 12,5 pontos - Bom. Sua criativi- dade está em fase de progresso. Tal- vez você já tenha algum sucesso, mas pode melhorar se fizer da criati- vidade e da inovação um processo constante em suas atividades. Abaixo de 10 pontos - Regular. Vo- cê esta inseguro quanto ao seu talen- to, talvez se julgue pouco criativo. Procure oportunidades para colocar em prática formas diferentes de pen- sar e de fazer as coisas.
  • 14. CRIATIVIDADE Criatividade é uma habilidade, e co- mo tal, pode ser aprendida e desen- volvida. Na era da competitividade, os únicos e grandes diferencias – de empresas e indivíduos que almejam o sucesso – são a criatividade e a inovação. “Criatividade é a configuração do no- vo e a reorganização do velho.” Mike Vance, Walt Disney University. Portanto, criatividade é a ideia. Ino- vação é colocar em prática a ideia e obter lucro com ela. I. William Salice, 1974 (Ferrero, IT.)
  • 16. ESTÍMULOS CRIATIVOS Nossa percepção pode receber estí- mulos que ampliam o repertório in- terno e suas conexões possibilitan- do novas maneiras de resolução de problemas. • Viajar – lugares, culturas. • Solitude – auto conhecimento. • Hobbies – pintar, dançar. • Imaginação – leitura, música. • Idioma – inglês, francês. • Dedicação – animais, plantas. • Bom Humor – bons fluidos. • Amor – fraterno, ágape.
  • 17. Defina essa imagem em uma palavra! ATIVIDADE DE PERCEPÇÃO
  • 18. BRAINSTORMING Ao surgir a necessidade de pensar no futuro ou de abrir novas frentes de ne- gócio, aparece alguém para sugerir um brainstorming: uma reunião em que as ideias devem fluir livremente e sem compromisso com a inovação. Atualmente o brainstorming ganhou uma “dose de racionalidade”, o pro- fessor Ralph Keeney, da Universida- de Duke (EUA), propõe um processo mais eficiente. Portanto, antes da reu- nião todos devem se preparar. “É preciso ter clareza sobre o que se- rá discutido”, afirma Ralph. Sendo ne- cessário evitar as conclusões precipi- tadas.
  • 19. TÉCNICAS DE BRAINSTORMING Novas técnicas de brainstorming: Ambiente favorável As pessoas devem estar confortáveis no local em que a atividade será reali- zada. Considere efetuar o processo fora do ambiente de trabalho. Definindo o problema Toda reunião deve começar com a de- finição do problema, determinando o propósito do brainstorming, assim as pessoas não perderão o foco. Objetivo: Quem e para quê Tenha certeza de que a equipe tem conhecimento profundo sobre as ne- cessidades dos interessados em em- contrar uma solução.
  • 20. Inspire-se Os participantes devem revisar tudo o que sabem do problema ou ler um es- tudo de caso sobre a solução. Ideação Antes de iniciar, cada participante de- ve desenvolver suas próprias propos- tas para o problema e que sejam ano- tadas e registradas. Ideias selvagens Não realizar julgamentos sobre as ideias apresentadas pelo grupo. Esta atitude tende a interromper o fluxo da criação, deve ser recomendado no iní- cio do processo. TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
  • 21. Abra a torneira de ideias Quantidade produz qualidade. É preci- so acumular o máximo de ideias para que se possa descartar as desneces- sárias e ficar com as boas. Discussão coletiva Evitar que uma ou duas pessoas do- minem a conversa, nunca deixe uma pessoa apresentar todas as suas al- ternativas de uma vez. Administre conflitos Nem todo conflito é construtivo. Nos primeiros estágios de geração de ide- ias, ele é prejudicial, principalmente quando faz a ideia ser rejeitada antes de ser desenvolvida o suficiente para ser bem avaliada. TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
  • 22. Fonte: REY, Beatriz. Como fazer um brainstorming eficiente. Revista VOCÊ S/A. Julho, 2013. Os participantes com o moderador, devem buscar o consenso sobre a melhor ideia, sua aplicabilidade e os possíveis resultados aguardados em relação ao produto ou serviço. Atualmente equipes coletivas e multi- profissionais encontram resultados na diferença de seus conhecimentos e no ensejo de evoluir suas ideias para um plano real e de prosperidade. I. Revista VOCÊ S/A. Agosto, 2017. TÉCNICAS DE BRAINSTORMING
  • 23. MAPA MENTAL – A ERA DAS DISTRAÇÕES Fonte: CUNHA, Guilherme. Dicas de Estudo: Como criar um mapa mental? http://blog.enem.com.br/2016/mapa-mental/
  • 24. MAPA MENTAL – MIND MAP Criada pelos ingleses Tony e Barry Buzan, essa ferramenta surgiu a partir de pesquisas sobre a fisiologia e o fun- cionamento do cérebro humano, neuro- linguística, teorias da informação, per- cepção e pensamento criativo. O registro através dos mapas mentais pode ser adotado para atender a diver- sos objetivos. No âmbito pessoal, pode exercitar o autoconhecimento, resolver problemas e ordenar a agenda de ativi- dades. Na educação, pode registrar planos de aula, resumir conteúdos. No ambiente de trabalho pode ser usado para roteirizar uma reunião, resumir pa- lestras, acompanhar projetos e auxiliar na tomada de decisões.
  • 25. MAPA MENTAL – CARACTERÍSTICAS Os mapas mentais apresentam quatro características básicas: o tema princi- pal representado por uma imagem central; as ideias ordenadoras irradi- am da imagem central de forma rami- ficada; os ramos do mapa servem de suporte para uma imagem, símbolo, desenho ou palavra-chave, associa- dos ao tema principal. Quais as vantagens dessa ferramen- ta em relação a outros recursos? Promover a redução de tempo no registro de informações, devendo con- ter o que é significativo e as ideias es- senciais. Estimular a memorização, já que as figuras ficam registradas na mente de forma mais duradoura do que os textos.
  • 26. MAPA MENTAL – ORGANIZAÇÃO O ambiente organizacional exige proa- tividade e dedicação, muitas vezes nos deparamos com uma lista de tarefas que precisam ser executadas ao longo da semana, atualmente existem no mercado alguns softwares que ajudam a elaborar esses mapas de forma mais rápida: Freemind, Mindjet, Personal Brain, entre outros. Dificuldades de Adaptação O que pode ocorrer é uma pessoa não se identificar com esta forma de regis- tro, enxergando-a como algo fora dos padrões normais. Como nossa educa- ção sempre estimulou a forma linear de registros, pode ser difícil romper com este padrão.
  • 27. MAPA MENTAL – ROTEIRO Esteja tranquilo quando for criar um mapa mapa mental. Determine a ideia principal e escreva uma palavra chave que a represente. A ideia principal será fonte de inspira- ção do desenho central. Subtítulos serão representados nas ramificações, escreva as palavras em letras de forma e sobre as linhas. Use toda a extensão da folha para de- senhar as ramificações do mapa, orga- nizando o espaço; Use cores na imagem central e nas vá- rias ideias ordenadoras que surgirem no mapa
  • 28. MAPA MENTAL – ROTEIRO Misture imagens, códigos e palavras de forma harmônica, sempre associa- das as cores e letras. Procure fragmentar os temas de acordo com o grau de importância. Utilize somente uma palavra-chave por linha. Tenha cuidado com excessos. O mapa mental deve ser compreensível para você e outas pessoas. Abuse da criatividade! GRAMIGNA, M. R. - Líderes Inovado- res - Ferramentas que fazem a diferen- ça - Editora Mbooks - SP (2004).
  • 29. MAPA MENTAL PESSOAL EU FAMÍLIA RELAÇÕESCORPO MENTE VALORES PROFISSÃO HOBBIES ÍCONES ESTILO LUGARES
  • 30. REFLEXÃO “Tudo está na mente. É onde tudo começa. Saber o que você quer é o primeiro passo na direção de conseguir.” Mae West (1893-1980, atriz norte-americana).
  • 31. REFERÊNCIAS DE PESQUISA AYAN, Jordan. AHA! 10 maneiras de libertar seu espírito criativo e encontrar grandes ideias. São Paulo: Elsevier, 2001. BERG, E. A. Manual de criatividade aplicada: técnicas eficazes para desenvolver sua criatividade e inovação na profissão e nos negócios. Curitiba: Juruá, 2014. BUZAN, T. Mapas Mentais e Sua Elaboração. São Paulo: Cultrix, 2005. DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 3ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007. PREDEBON, José. Criatividade hoje: como se pratica, aprende e ensina. São Paulo: Atlas, 2001. TORRE, S. de la. Dialogando com a criatividade – Da Identidade à Criatividade Paradoxal. São Paulo: Madras, 2005.