SlideShare uma empresa Scribd logo
O Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista O reinado de D. José I e a modernização do Estado
Introdução No âmbito da disciplina de História, foi-nos proposto, pela professora Carla Teixeira, a realização de um trabalho sobre “O Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista” sendo o nosso subtema o reinado de D. José I e a modernização do Estado. Escolhemos este subtema porque consideremos ser o mais interessante, pois aborda situações políticas, económicas e sociais, sendo assuntos que nos agradam. 		O objectivo deste trabalho é conhecer melhor o reinado de D. José I e consequentemente as medidas de Marquês de Pombal. Procuramos saber o porquê da modernização do Estado e de que forma se concretizou, através das novas políticas adoptadas, como por exemplo o Despotismo Esclarecido.   		Assim sendo, vamos tratar a biografia de D. José I e conhecer melhor o seu reinado, caracterizar o Despotismo Esclarecido e compreender a organização política do Estado e as medidas tomadas em relação à Igreja e aos grupos sociais.
Século XVI ao XVIII 	 Em meados do século XVI a prosperidade do comércio colonial português vinha a decair. Esta situação de crise veio a agravar-se devido às medidas mercantilistas utilizadas nos vários países europeus, de uma conjuntura internacional adversa, a concorrência do estrangeiro no tráfico do açúcar, do tabaco e dos escravos. Isto levou a que a dificuldade de escoamento dos produtos coloniais portugueses aumentasse.
Doc.1. Exportação de vinhos portugueses para Inglaterra (1675-1789)
D. José I 	O rei D. José I nasceu a 6 de Junho de 1714, no Palácio da Ribeira, em Lisboa. D. José I sobe ao trono depois da morte de D. João V em 1750, e foi-lhe atribuído o cognome “O Reformador”, tornando-se no 26º rei de Portugal da dinastia de Bragança. No entanto, o seu reinado foi bastante apagado por ter concedido poderes a um ex-diplomata da nobreza, Sebastião José de Carvalho e Melo, a quem atribuiu o título de Conde de Oeiras, em 1759 e, mais tarde, de Marquês de Pombal, em 1770, ao qual posteriormente elevou à categoria de primeiro-ministro.
Fig.1. D. José I de Portugal
O Despotismo Esclarecido 	O despotismo esclarecido era uma forma de governar característica da Europa Continental da segunda metade do século XVIII, sobretudo do Leste Europeu, em estados como a Áustria, Prússia e Rússia. Isto porque eram estados com a economia em geral atrasada e essencialmente agrícola, em que a burguesia era muito fraca e tinha pouco poder político. Assim, o Estado teve de substituir a iniciativa privada elaborando reformas administrativas e jurídicas, controlando a economia e orientando a educação.
Doc2. O despotismo esclarecido
A organização política do Estado e as medidas tomadas em relação à Igreja e aos grupos sociais
		A política social de Marquês de Pombal procurou abolir as resistências ao poder absoluto, chamando para a corte os mais altos escalões da ordem nobiliárquica, concedendo-lhes cargos e rendas e procurando liga-los à governação. O Marquês adoptou algumas medidas de disciplina e de repressão da autonomia da grande nobreza, e também medidas de disciplina relativamente ao clero. Sociedade
Doc.3 e 4. Submissão dos grupos privilegiados
A Burguesia As medidas do Marquês para desenvolver a economia e para reduzir o poder dos grupos privilegiados favoreceram o desenvolvimento de uma nova sociedade.    		A burguesia foi protegida pelo Marquês de Pombal que a estimulou a participar nas companhias comercias como accionistas, no comércio de vinhos, tabaco, sal e algodão com os países do Norte da Europa.
Economia 	As reformas económicas do Marquês de Pombal favoreceram a ascensão da burguesia mercantil e financeira. O comércio foi considerado uma actividade e profissão nobre, necessária e lucrativa, sendo os comerciantes autorizados a instituir morgadios. Durante o reinado de D. José I, o Marquês de Pombal desenvolveu uma política económica de regresso às ideias mercantilistas, procurando assim recuperar a economia portuguesa.  
Companhias Monopolistas ,[object Object]
Companhia do Grão-Pará e Maranhão ;
Companhia Geral de Pernambuco e Paraíba;
Companhia para o Comércio dos Ajauas e dos Macuas;
Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro;
Companhia Geral das Reais Pescas do Reino do Algarve.,[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
PAFB
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
Carla Freitas
 
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo JoaninoD. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
BarbaraSilveira9
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de Pombal
Zé Mário
 
Marques de Pombal
Marques de Pombal Marques de Pombal
Marques de Pombal
Raquel Rodrigues
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo Regime
Susana Simões
 
O projeto pombalino de inspiração iluminista
O projeto pombalino de inspiração iluministaO projeto pombalino de inspiração iluminista
O projeto pombalino de inspiração iluminista
Stelian Ravas
 
11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
Carla Freitas
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
Maria Gomes
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
Guerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesaGuerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesa
13_ines_silva
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
Carla Freitas
 
A civilização industrial - História 11ºano
A civilização industrial - História 11ºanoA civilização industrial - História 11ºano
A civilização industrial - História 11ºano
RaQuel Oliveira
 
Rev americana 11º d
Rev americana  11º dRev americana  11º d
Rev americana 11º d
Carla Teixeira
 
O Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em PortugalO Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em Portugal
Sílvia Mendonça
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
José Augusto Fiorin
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
Vítor Santos
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
13_ines_silva
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
Carla Teixeira
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
cattonia
 

Mais procurados (20)

Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
 
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo JoaninoD. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
D. João V, o Absolutismo e o Absolutismo Joanino
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de Pombal
 
Marques de Pombal
Marques de Pombal Marques de Pombal
Marques de Pombal
 
A sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo RegimeA sociedade no Antigo Regime
A sociedade no Antigo Regime
 
O projeto pombalino de inspiração iluminista
O projeto pombalino de inspiração iluministaO projeto pombalino de inspiração iluminista
O projeto pombalino de inspiração iluminista
 
11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
Guerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesaGuerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesa
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
 
A civilização industrial - História 11ºano
A civilização industrial - História 11ºanoA civilização industrial - História 11ºano
A civilização industrial - História 11ºano
 
Rev americana 11º d
Rev americana  11º dRev americana  11º d
Rev americana 11º d
 
O Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em PortugalO Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em Portugal
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 

Destaque

Etica deontologia e projectos profissionais
Etica deontologia e projectos profissionaisEtica deontologia e projectos profissionais
Etica deontologia e projectos profissionais
Universidade de Coimbra
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
sylvialuzo
 
Crise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem Fotográfica
Crise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem FotográficaCrise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem Fotográfica
Crise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem Fotográfica
Marinela St. Aubyn
 
Marqês de Pombal e as reformas pombalinas
Marqês de Pombal e as reformas pombalinasMarqês de Pombal e as reformas pombalinas
Marqês de Pombal e as reformas pombalinas
DeaaSouza
 
Reformas pombalinas
Reformas pombalinasReformas pombalinas
Reformas pombalinas
Chromus Master
 
Reformas pombalinas: educação
Reformas pombalinas: educaçãoReformas pombalinas: educação
Reformas pombalinas: educação
Maria Gomes
 

Destaque (6)

Etica deontologia e projectos profissionais
Etica deontologia e projectos profissionaisEtica deontologia e projectos profissionais
Etica deontologia e projectos profissionais
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
 
Crise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem Fotográfica
Crise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem FotográficaCrise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem Fotográfica
Crise Académica de 1969 - Universidade de Coimbra-Reportagem Fotográfica
 
Marqês de Pombal e as reformas pombalinas
Marqês de Pombal e as reformas pombalinasMarqês de Pombal e as reformas pombalinas
Marqês de Pombal e as reformas pombalinas
 
Reformas pombalinas
Reformas pombalinasReformas pombalinas
Reformas pombalinas
 
Reformas pombalinas: educação
Reformas pombalinas: educaçãoReformas pombalinas: educação
Reformas pombalinas: educação
 

Semelhante a O projecto pombalino de inspiração iluminista

Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
Maria Luiza
 
Aula 06 absolutismo mercantilismo
Aula 06   absolutismo mercantilismoAula 06   absolutismo mercantilismo
Aula 06 absolutismo mercantilismo
Jonatas Carlos
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
Thiago Bro
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
Jacqueline Matilde
 
Politica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado modernoPolitica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado moderno
Adriana Gomes Messias
 
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdfSlides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
HyagoCarlos3
 
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
HizqeelMajoka
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
Rui Neto
 
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdfARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
FrancoPereira21
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
Nelia Salles Nantes
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
historiando
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
Nelia Salles Nantes
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Vítor Santos
 
Absolutismo europeu
Absolutismo europeuAbsolutismo europeu
Absolutismo europeu
Valeria Kosicki
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
Isabel Aguiar
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
Carlos Pinheiro
 
Antigo regime ii
Antigo regime iiAntigo regime ii
Antigo regime ii
Teresa Maia
 
Trabalho d.jose
Trabalho d.joseTrabalho d.jose
Trabalho d.jose
Carla Teixeira
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
Rodrigo Vaz Rui
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
Diizinha
 

Semelhante a O projecto pombalino de inspiração iluminista (20)

Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
 
Aula 06 absolutismo mercantilismo
Aula 06   absolutismo mercantilismoAula 06   absolutismo mercantilismo
Aula 06 absolutismo mercantilismo
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
 
Politica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado modernoPolitica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado moderno
 
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdfSlides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
Slides Historia : Os teóricos do absolutismo e Mercantilismo.pdf
 
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
Resumo sobre a a matéria (O iluminismo e as reformas pombalinas) de 8ºano.
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
 
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdfARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
 
O despotismo esclarecido
O despotismo esclarecidoO despotismo esclarecido
O despotismo esclarecido
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
 
Absolutismo europeu
Absolutismo europeuAbsolutismo europeu
Absolutismo europeu
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
 
Antigo regime ii
Antigo regime iiAntigo regime ii
Antigo regime ii
 
Trabalho d.jose
Trabalho d.joseTrabalho d.jose
Trabalho d.jose
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
 
Marques de pombal
Marques de pombalMarques de pombal
Marques de pombal
 

Mais de Carla Teixeira

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.ppt
Carla Teixeira
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt
Carla Teixeira
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppt
Carla Teixeira
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
Carla Teixeira
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
Carla Teixeira
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Carla Teixeira
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
Carla Teixeira
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
Carla Teixeira
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
Carla Teixeira
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
Carla Teixeira
 
Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2
Carla Teixeira
 
Neoclássico parte3
Neoclássico parte3Neoclássico parte3
Neoclássico parte3
Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
Carla Teixeira
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
Carla Teixeira
 

Mais de Carla Teixeira (20)

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.ppt
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppt
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
 
Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2
 
Neoclássico parte3
Neoclássico parte3Neoclássico parte3
Neoclássico parte3
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 

O projecto pombalino de inspiração iluminista

  • 1. O Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista O reinado de D. José I e a modernização do Estado
  • 2. Introdução No âmbito da disciplina de História, foi-nos proposto, pela professora Carla Teixeira, a realização de um trabalho sobre “O Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista” sendo o nosso subtema o reinado de D. José I e a modernização do Estado. Escolhemos este subtema porque consideremos ser o mais interessante, pois aborda situações políticas, económicas e sociais, sendo assuntos que nos agradam. O objectivo deste trabalho é conhecer melhor o reinado de D. José I e consequentemente as medidas de Marquês de Pombal. Procuramos saber o porquê da modernização do Estado e de que forma se concretizou, através das novas políticas adoptadas, como por exemplo o Despotismo Esclarecido. Assim sendo, vamos tratar a biografia de D. José I e conhecer melhor o seu reinado, caracterizar o Despotismo Esclarecido e compreender a organização política do Estado e as medidas tomadas em relação à Igreja e aos grupos sociais.
  • 3. Século XVI ao XVIII Em meados do século XVI a prosperidade do comércio colonial português vinha a decair. Esta situação de crise veio a agravar-se devido às medidas mercantilistas utilizadas nos vários países europeus, de uma conjuntura internacional adversa, a concorrência do estrangeiro no tráfico do açúcar, do tabaco e dos escravos. Isto levou a que a dificuldade de escoamento dos produtos coloniais portugueses aumentasse.
  • 4. Doc.1. Exportação de vinhos portugueses para Inglaterra (1675-1789)
  • 5. D. José I O rei D. José I nasceu a 6 de Junho de 1714, no Palácio da Ribeira, em Lisboa. D. José I sobe ao trono depois da morte de D. João V em 1750, e foi-lhe atribuído o cognome “O Reformador”, tornando-se no 26º rei de Portugal da dinastia de Bragança. No entanto, o seu reinado foi bastante apagado por ter concedido poderes a um ex-diplomata da nobreza, Sebastião José de Carvalho e Melo, a quem atribuiu o título de Conde de Oeiras, em 1759 e, mais tarde, de Marquês de Pombal, em 1770, ao qual posteriormente elevou à categoria de primeiro-ministro.
  • 6. Fig.1. D. José I de Portugal
  • 7. O Despotismo Esclarecido O despotismo esclarecido era uma forma de governar característica da Europa Continental da segunda metade do século XVIII, sobretudo do Leste Europeu, em estados como a Áustria, Prússia e Rússia. Isto porque eram estados com a economia em geral atrasada e essencialmente agrícola, em que a burguesia era muito fraca e tinha pouco poder político. Assim, o Estado teve de substituir a iniciativa privada elaborando reformas administrativas e jurídicas, controlando a economia e orientando a educação.
  • 8. Doc2. O despotismo esclarecido
  • 9. A organização política do Estado e as medidas tomadas em relação à Igreja e aos grupos sociais
  • 10. A política social de Marquês de Pombal procurou abolir as resistências ao poder absoluto, chamando para a corte os mais altos escalões da ordem nobiliárquica, concedendo-lhes cargos e rendas e procurando liga-los à governação. O Marquês adoptou algumas medidas de disciplina e de repressão da autonomia da grande nobreza, e também medidas de disciplina relativamente ao clero. Sociedade
  • 11. Doc.3 e 4. Submissão dos grupos privilegiados
  • 12. A Burguesia As medidas do Marquês para desenvolver a economia e para reduzir o poder dos grupos privilegiados favoreceram o desenvolvimento de uma nova sociedade. A burguesia foi protegida pelo Marquês de Pombal que a estimulou a participar nas companhias comercias como accionistas, no comércio de vinhos, tabaco, sal e algodão com os países do Norte da Europa.
  • 13. Economia As reformas económicas do Marquês de Pombal favoreceram a ascensão da burguesia mercantil e financeira. O comércio foi considerado uma actividade e profissão nobre, necessária e lucrativa, sendo os comerciantes autorizados a instituir morgadios. Durante o reinado de D. José I, o Marquês de Pombal desenvolveu uma política económica de regresso às ideias mercantilistas, procurando assim recuperar a economia portuguesa.  
  • 14.
  • 15. Companhia do Grão-Pará e Maranhão ;
  • 16. Companhia Geral de Pernambuco e Paraíba;
  • 17. Companhia para o Comércio dos Ajauas e dos Macuas;
  • 18. Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro;
  • 19.
  • 20. Doc.5. Manufacturas criadas ou desenvolvidas durante o governo de Marquês de Pombal
  • 21. Durante o reinado de D. José I, Marquês de Pombal iniciou a modernização do Estado com a intenção de centralizar o poder e de procurar uma maior eficácia dos serviços públicos. Formando novos organismos: -a Junta do Comércio; - o Erário Régio; -a Junta de Providência Literária; Modernização do Estado
  • 22. Doc.6. A acção do Marquês de Pombal