SlideShare uma empresa Scribd logo
IDADE MODERNA

          O Antigo Regime (Ancien Régime).
          Chamamos de Antigo Regime a organização social, política e as práticas
econômicas características dos Estados Nacionais europeus que surgiram na
Europa na Idade Moderna.

          Características gerais:

          1. Na política: absolutismo.

          Diferentemente da Idade Média, na Idade Moderna os reis possuíam todos
os poderes políticos (legislativo, judiciário e executivo). Este poder absoluto dos
reis foi justificado por vários pensadores políticos como Maquiavel, Hobbes e
Bousset.

          A unificação dos feudos e a centralização do poder foram de interesse da
nobreza e da burguesia.

          A nobreza estava enfraquecida no final da Idade Média e estava interessada
em conter as revoltas camponesas e garantir a posse de suas terras.

          A burguesia queria a unificação para unificar os impostos, pesos, medidas,
moedas e facilitar o comércio. O rei investia no comércio para receber mais
impostos e fortalecer o Estado.

          2. Na economia: mercantilismo:

          Todas as decisões sobre as práticas e estratégias econômicas passavam
pelo rei, ou seja, o Estado intervinha na economia, decidia quanto seria
produzido, firmava os acordos econômicos, etc.

     •    Na Idade Moderna, a riqueza era medida pela quantidade de metais
          preciosos acumulados.
     •    Isto fortalecia o Estado absolutista e circulava mais moedas no país.
     •    Para isso, era preciso ouro. Também por isso as Grandes Navegações, já
          que ouro poderia ser encontrado em novos territórios (colônias), que se não
          fornecessem ouro, poderiam fornecer algum produto que não houvesse na
          Europa que seria trocado por ouro.
COLÉGIO PORTINARI
Av. Maria Tereza Silveira de Barros Camargo, 698 – Jd. Aquários
Tel. 19 3443.2053 | www.colegioportinari.com.br
Princípios básicos:

        A. Busca por Superávit (Balança comercial favorável).
        B. Metalismo: procura por metais precisos para cunhagem de moedas.
        C. Colonialismo - Pacto Colonial: a colônia só poderia comercializar com
            sua respectiva metrópole (monopólio de produtos tropicais).
        D. Protecionismo alfandegário.
        E. Estado intervencionista.

        Os países que mais enriqueceram primeiramente, foram Portugal e Espanha,
já que eram donos de vastos impérios coloniais. Foram as potências europeias
nos séculos XV, XVI e início do XVII.

        - Espanha ficou com terras em quase toda a América encontrando muito
ouro.

        - Portugal com terras na América, Ásia e África, se tornou grande traficante
de escravos, comercializava as especiarias orientais e obtinha grandes lucros com
a produção de açúcar no Brasil.

        No século XVII, duas potências emergiram: Inglaterra e Holanda. Estes dois
Estados não aceitaram o Tratado de Tordesilhas e praticavam pirataria e corso
sobre os navios espanhóis e portugueses. Investiram em frota naval assumindo o
controle do comércio marítimo. Além disso, invadiram territórios na América
fundando colônias: como as Treze Colônias da América do Norte fundadas pela
Inglaterra que dariam origem aos Estados Unidos.

        Portugal e Espanha não conseguiram investir de forma eficiente toda
riqueza obtida em suas colônias. Já a Inglaterra fez melhor “a lição de casa”. Sua
frota naval se fortaleceu ao derrotar a armada espanhola de Felipe II durante o
reinado de Elizabeth I e assinou os melhores acordos econômicos como o Tratado
de Methuen com Portugal.

        A   crise   do   absolutismo   espanhol   é   conseqüência   de   sua   política
mercantilista deficitária, esgotamento do ouro na América Espanhola, e uma
sequência grande de gastos com guerras e derrotas militares (“Invencível
Armada”, Guerra dos Trinta Anos, etc).

        A Inglaterra foi o primeiro país a derrubar o Antigo Regime, ou seja, a
burguesia subiu ao poder, derrubou a nobreza e assumiu os rumos políticos e
econômicos do país aliado ao crescimento econômico levou a Inglaterra ao
pioneirismo na Revolução Industrial.

          3. Na sociedade:

          A sociedade da Idade Moderna era dividida, de acordo com o nascimento
          em três “estados” ou “ordens”:




                o 1º Estado – clero.                              Recebiam honrarias, títulos, privilégios,
                o 2º Estado – nobreza                             isenção de impostos e benefícios.


                o 3º Estado – 97% da população – burguesia comercial, “burguesia
                     industrial”, banqueiros, trabalhadores urbanos e camponeses.



                Assim, a sociedade medieval baseada no privilégio do nascimento e não
          na riqueza manteve-se na Idade Moderna, apesar de suas diferenças no
          plano econômico e político.

          O fim do Antigo Regime:

          Como já dito, foi a burguesia da Inglaterra a primeira a derrubar o Antigo
Regime e a nobreza. Porém, a revolução burguesa que mais influenciou a queda
do Estado Absolutista foi a Revolução Francesa.

          Na Inglaterra, existia o Parlamento desde a Baixa Idade Média. Porém
Henrique VIII, instituiu o absolutismo da família Tudor na Inglaterra com a
Reforma Anglicana. Após a morte de sua filha, Elizabeth I, que não deixou
herdeiros ao trono, a família Stuart assumiu o trono da Inglaterra.

          Os Stuart eram uma família escocesa católica que foram derrubados ao
tentar restaurar o catolicismo na Inglaterra e dissolver o Parlamento. Neste
momento a burguesia assumiu a política na Inglaterra, através da Revolução
Puritana e da Revolução Gloriosa, ocorridas nos séculos XVII.

          No século XVIII, a França passou por uma forte crise econômica devido:

          1. Conseqüência da expulsão dos huguenotes por Luís XIV.


COLÉGIO PORTINARI
Av. Maria Tereza Silveira de Barros Camargo, 698 – Jd. Aquários
Tel. 19 3443.2053 | www.colegioportinari.com.br
2. Luis XV entrou na Guerra dos Sete Anos contra a Inglaterra e perdeu
  algumas colônias.
3. No governo de Luis XVI, os gastos na ajuda da independência dos EUA,
  os gastos com o luxo da corte, e as más colheitas devido à secas e
  geadas levaram a um crise que levou a população faminta e a burguesia
  a iniciarem a Revolução Francesa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
Vítor Santos
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
cattonia
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
Maria Gomes
 
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo ComercialA Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
Nelson Faustino
 
Política econ. pombalina
Política econ. pombalinaPolítica econ. pombalina
Política econ. pombalina
EconomicSintese
 
Sociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeSociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo Regime
Isabel Ribeiro
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
Maria Gomes
 
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro BrasileiroTratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Ana Barreiros
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
Rui Neto
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
cattonia
 
D. JOÃO V
D. JOÃO VD. JOÃO V
D. JOÃO V
guest10964e
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
Carla Freitas
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 
O país rural e senhorial
O país rural e senhorialO país rural e senhorial
O país rural e senhorial
Susana Simões
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
Vítor Santos
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
Vítor Santos
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
713773
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
JoanaRitaSilva
 

Mais procurados (20)

4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
 
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo ComercialA Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
 
Política econ. pombalina
Política econ. pombalinaPolítica econ. pombalina
Política econ. pombalina
 
Sociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeSociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo Regime
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
 
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro BrasileiroTratado De Methuen E Ouro Brasileiro
Tratado De Methuen E Ouro Brasileiro
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
 
2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político2.1 estratificação social e poder político
2.1 estratificação social e poder político
 
D. JOÃO V
D. JOÃO VD. JOÃO V
D. JOÃO V
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 
O país rural e senhorial
O país rural e senhorialO país rural e senhorial
O país rural e senhorial
 
A identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidentalA identidade civilizacional da europa ocidental
A identidade civilizacional da europa ocidental
 
02 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_202 história a_revisões_módulo_2
02 história a_revisões_módulo_2
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
 

Destaque

Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
Isabella Silva
 
1 O Antigo Regime
1   O Antigo Regime1   O Antigo Regime
1 O Antigo Regime
Hist8
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
Ana Batista
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Vítor Santos
 
Antigo regime 8º
  Antigo regime 8º  Antigo regime 8º
Antigo regime 8º
Rúben Henriques
 
cap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismo
cap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismocap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismo
cap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismo
whybells
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
Carlos Pinheiro
 
O antigo regime
O antigo regimeO antigo regime
O antigo regime
Marcelo Almeida
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
cattonia
 
150330shakeoutjpannai
150330shakeoutjpannai150330shakeoutjpannai
150330shakeoutjpannai
shakeout_01
 
Mercantilismo (aula 21)
Mercantilismo (aula 21)Mercantilismo (aula 21)
Mercantilismo (aula 21)
Rodrigo Vaz Rui
 
Módulo 07 revoluções inglesas
Módulo 07   revoluções inglesasMódulo 07   revoluções inglesas
Módulo 07 revoluções inglesas
Fernando Sergio Leão Castilho
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
luizmourao23
 
Slide do projeto para ultima etapa[1]
Slide do projeto para ultima etapa[1]Slide do projeto para ultima etapa[1]
Slide do projeto para ultima etapa[1]
José Eduardo Mundel
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
Eveline de Melo
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
O Antigo Regime Na Europa
O Antigo Regime Na EuropaO Antigo Regime Na Europa
O Antigo Regime Na Europa
Sílvia Mendonça
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
Rodrigo Vaz Rui
 
Palavras Cruzadas sobre o barroco1
Palavras Cruzadas sobre o barroco1 Palavras Cruzadas sobre o barroco1
Palavras Cruzadas sobre o barroco1
Dilmara Faria
 
Plano de aula 02 - Lorena Sá
Plano de aula 02 -  Lorena SáPlano de aula 02 -  Lorena Sá
Plano de aula 02 - Lorena Sá
Lorenabiologia
 

Destaque (20)

Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
 
1 O Antigo Regime
1   O Antigo Regime1   O Antigo Regime
1 O Antigo Regime
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
 
Antigo regime 8º
  Antigo regime 8º  Antigo regime 8º
Antigo regime 8º
 
cap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismo
cap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismocap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismo
cap14 - reformas religiosas, antigo regime e absolutismo
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
 
O antigo regime
O antigo regimeO antigo regime
O antigo regime
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
150330shakeoutjpannai
150330shakeoutjpannai150330shakeoutjpannai
150330shakeoutjpannai
 
Mercantilismo (aula 21)
Mercantilismo (aula 21)Mercantilismo (aula 21)
Mercantilismo (aula 21)
 
Módulo 07 revoluções inglesas
Módulo 07   revoluções inglesasMódulo 07   revoluções inglesas
Módulo 07 revoluções inglesas
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Slide do projeto para ultima etapa[1]
Slide do projeto para ultima etapa[1]Slide do projeto para ultima etapa[1]
Slide do projeto para ultima etapa[1]
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
 
O Antigo Regime Na Europa
O Antigo Regime Na EuropaO Antigo Regime Na Europa
O Antigo Regime Na Europa
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
Palavras Cruzadas sobre o barroco1
Palavras Cruzadas sobre o barroco1 Palavras Cruzadas sobre o barroco1
Palavras Cruzadas sobre o barroco1
 
Plano de aula 02 - Lorena Sá
Plano de aula 02 -  Lorena SáPlano de aula 02 -  Lorena Sá
Plano de aula 02 - Lorena Sá
 

Semelhante a Antigo Regime

Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
Maria Luiza
 
Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf
Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdfSlide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf
Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf
HyagoCarlos3
 
Absolutismo e rev. burguesa
Absolutismo e rev. burguesaAbsolutismo e rev. burguesa
Absolutismo e rev. burguesa
Dirair
 
Slide historia
Slide historiaSlide historia
Slide historia
Celiamariag3
 
Slide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime francesSlide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime frances
Celiamariag3
 
Slide historia
Slide historiaSlide historia
Slide historia
Celiamariag3
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
dmflores21
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
dmflores21
 
Politica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado modernoPolitica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado moderno
Adriana Gomes Messias
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Wesley Germano Otávio
 
Fortalecimento poder reis
Fortalecimento poder reisFortalecimento poder reis
Fortalecimento poder reis
Murilo Lima Nogueira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
REVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução Gloriosa
REVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução GloriosaREVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução Gloriosa
REVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução Gloriosa
profektananuska
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
Jacqueline Matilde
 
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10   1º ano 2013 - política e economia na idade modernaCap10   1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Gustavo Cuin
 
Revolução..
Revolução..Revolução..
Revolução..
Isabella Silva
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
Thiago Bro
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
13_ines_silva
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
13_ines_silva
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
Carolina Medeiros
 

Semelhante a Antigo Regime (20)

Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
 
Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf
Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdfSlide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf
Slide Historia: Estado Moderno e o Absolutismo.pdf
 
Absolutismo e rev. burguesa
Absolutismo e rev. burguesaAbsolutismo e rev. burguesa
Absolutismo e rev. burguesa
 
Slide historia
Slide historiaSlide historia
Slide historia
 
Slide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime francesSlide historia-antigo regime frances
Slide historia-antigo regime frances
 
Slide historia
Slide historiaSlide historia
Slide historia
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
 
Politica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado modernoPolitica e economia no estado moderno
Politica e economia no estado moderno
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Fortalecimento poder reis
Fortalecimento poder reisFortalecimento poder reis
Fortalecimento poder reis
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
REVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução Gloriosa
REVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução GloriosaREVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução Gloriosa
REVOLUÇÕES INGLESAS_Revolução puritana; Revolução Gloriosa
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
 
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10   1º ano 2013 - política e economia na idade modernaCap10   1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
 
Revolução..
Revolução..Revolução..
Revolução..
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
 
A hegemonia económica britânica
A hegemonia económica  britânicaA hegemonia económica  britânica
A hegemonia económica britânica
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 

Antigo Regime

  • 1. IDADE MODERNA O Antigo Regime (Ancien Régime). Chamamos de Antigo Regime a organização social, política e as práticas econômicas características dos Estados Nacionais europeus que surgiram na Europa na Idade Moderna. Características gerais: 1. Na política: absolutismo. Diferentemente da Idade Média, na Idade Moderna os reis possuíam todos os poderes políticos (legislativo, judiciário e executivo). Este poder absoluto dos reis foi justificado por vários pensadores políticos como Maquiavel, Hobbes e Bousset. A unificação dos feudos e a centralização do poder foram de interesse da nobreza e da burguesia. A nobreza estava enfraquecida no final da Idade Média e estava interessada em conter as revoltas camponesas e garantir a posse de suas terras. A burguesia queria a unificação para unificar os impostos, pesos, medidas, moedas e facilitar o comércio. O rei investia no comércio para receber mais impostos e fortalecer o Estado. 2. Na economia: mercantilismo: Todas as decisões sobre as práticas e estratégias econômicas passavam pelo rei, ou seja, o Estado intervinha na economia, decidia quanto seria produzido, firmava os acordos econômicos, etc. • Na Idade Moderna, a riqueza era medida pela quantidade de metais preciosos acumulados. • Isto fortalecia o Estado absolutista e circulava mais moedas no país. • Para isso, era preciso ouro. Também por isso as Grandes Navegações, já que ouro poderia ser encontrado em novos territórios (colônias), que se não fornecessem ouro, poderiam fornecer algum produto que não houvesse na Europa que seria trocado por ouro. COLÉGIO PORTINARI Av. Maria Tereza Silveira de Barros Camargo, 698 – Jd. Aquários Tel. 19 3443.2053 | www.colegioportinari.com.br
  • 2. Princípios básicos: A. Busca por Superávit (Balança comercial favorável). B. Metalismo: procura por metais precisos para cunhagem de moedas. C. Colonialismo - Pacto Colonial: a colônia só poderia comercializar com sua respectiva metrópole (monopólio de produtos tropicais). D. Protecionismo alfandegário. E. Estado intervencionista. Os países que mais enriqueceram primeiramente, foram Portugal e Espanha, já que eram donos de vastos impérios coloniais. Foram as potências europeias nos séculos XV, XVI e início do XVII. - Espanha ficou com terras em quase toda a América encontrando muito ouro. - Portugal com terras na América, Ásia e África, se tornou grande traficante de escravos, comercializava as especiarias orientais e obtinha grandes lucros com a produção de açúcar no Brasil. No século XVII, duas potências emergiram: Inglaterra e Holanda. Estes dois Estados não aceitaram o Tratado de Tordesilhas e praticavam pirataria e corso sobre os navios espanhóis e portugueses. Investiram em frota naval assumindo o controle do comércio marítimo. Além disso, invadiram territórios na América fundando colônias: como as Treze Colônias da América do Norte fundadas pela Inglaterra que dariam origem aos Estados Unidos. Portugal e Espanha não conseguiram investir de forma eficiente toda riqueza obtida em suas colônias. Já a Inglaterra fez melhor “a lição de casa”. Sua frota naval se fortaleceu ao derrotar a armada espanhola de Felipe II durante o reinado de Elizabeth I e assinou os melhores acordos econômicos como o Tratado de Methuen com Portugal. A crise do absolutismo espanhol é conseqüência de sua política mercantilista deficitária, esgotamento do ouro na América Espanhola, e uma sequência grande de gastos com guerras e derrotas militares (“Invencível Armada”, Guerra dos Trinta Anos, etc). A Inglaterra foi o primeiro país a derrubar o Antigo Regime, ou seja, a burguesia subiu ao poder, derrubou a nobreza e assumiu os rumos políticos e
  • 3. econômicos do país aliado ao crescimento econômico levou a Inglaterra ao pioneirismo na Revolução Industrial. 3. Na sociedade: A sociedade da Idade Moderna era dividida, de acordo com o nascimento em três “estados” ou “ordens”: o 1º Estado – clero. Recebiam honrarias, títulos, privilégios, o 2º Estado – nobreza isenção de impostos e benefícios. o 3º Estado – 97% da população – burguesia comercial, “burguesia industrial”, banqueiros, trabalhadores urbanos e camponeses. Assim, a sociedade medieval baseada no privilégio do nascimento e não na riqueza manteve-se na Idade Moderna, apesar de suas diferenças no plano econômico e político. O fim do Antigo Regime: Como já dito, foi a burguesia da Inglaterra a primeira a derrubar o Antigo Regime e a nobreza. Porém, a revolução burguesa que mais influenciou a queda do Estado Absolutista foi a Revolução Francesa. Na Inglaterra, existia o Parlamento desde a Baixa Idade Média. Porém Henrique VIII, instituiu o absolutismo da família Tudor na Inglaterra com a Reforma Anglicana. Após a morte de sua filha, Elizabeth I, que não deixou herdeiros ao trono, a família Stuart assumiu o trono da Inglaterra. Os Stuart eram uma família escocesa católica que foram derrubados ao tentar restaurar o catolicismo na Inglaterra e dissolver o Parlamento. Neste momento a burguesia assumiu a política na Inglaterra, através da Revolução Puritana e da Revolução Gloriosa, ocorridas nos séculos XVII. No século XVIII, a França passou por uma forte crise econômica devido: 1. Conseqüência da expulsão dos huguenotes por Luís XIV. COLÉGIO PORTINARI Av. Maria Tereza Silveira de Barros Camargo, 698 – Jd. Aquários Tel. 19 3443.2053 | www.colegioportinari.com.br
  • 4. 2. Luis XV entrou na Guerra dos Sete Anos contra a Inglaterra e perdeu algumas colônias. 3. No governo de Luis XVI, os gastos na ajuda da independência dos EUA, os gastos com o luxo da corte, e as más colheitas devido à secas e geadas levaram a um crise que levou a população faminta e a burguesia a iniciarem a Revolução Francesa.