SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
 Durante a segunda metade do século XVIII, a Coroa
 Portuguesa sofreu a influência dos princípios
 iluministas com a chegada de Sebastião José de
 Carvalho aos quadros ministeriais do governo de
 Dom José I. Mais conhecido como Marquês de
 Pombal, este “super-ministro” teve como grande
 preocupação modernizar a administração pública de
 seu país e ampliar ao máximo os lucros
 provenientes da exploração colonial,
 principalmente em relação à colônia brasileira.
A  chegada do esclarecido Marquês de Pombal
  pode ser compreendida como uma
  conseqüência dos problemas econômicos
  vividos por Portugal na época. Nessa época,
  os portugueses sofriam com a dependência
  econômica em relação à Inglaterra, a perda
  de áreas coloniais e a queda da exploração
  aurífera no Brasil.
 Buscando ampliar os lucros retirados da
  exploração colonial em terras brasileiras,
  Pombal resolveu instituir a cobrança anual de
  1500 quilos de ouro. Além disso, ele resolveu
  tirar algumas atribuições do Conselho
  Ultramarino e acabou com as capitanias
  hereditárias que seriam, a partir de então,
  diretamente pelo governo português.
 Outra importante medida foi a criação de várias
 companhias de comércio incumbidas de dar maior
 fluxo às transações comerciais entre a colônia e a
 metrópole.

 No plano interno, Marquês de Pombal instituiu uma
 reforma que desagradou muitos daqueles que
 viviam das regalias oferecidas pela Coroa
 Portuguesa. O chamado Erário Régio tinha como
 papel controlar os gastos do corpo de funcionários
 reais e, principalmente, reduzir os seus gastos.
 Outra importante medida foi incentivar o
 desenvolvimento de uma indústria nacional com
 pretensões de diminuir a dependência econômica
 do país.
 Outra importante medida trazida com a
 administração de Pombal foi a expulsão dos
 jesuítas do Brasil. Essa medida foi tomada com o
 objetivo de dar fim às contendas envolvendo os
 colonos e os jesuítas. O conflito se desenvolveu em
 torno da questão da exploração da mão-de-obra
 indígena. A falta de escravos negros fazia com que
 muitos colonos quisessem apresar e escravizar as
 populações indígenas. Os jesuítas se opunham a tal
 prática, muitas vezes apoiando os índios contra os
 colonos.
 Vendo os prejuízos trazidos com essa
 situação, Pombal expulsou os jesuítas e instituiu o
 fim da escravidão indígena. As terras que foram
 tomadas dos integrantes da Ordem de Jesus foram
 utilizadas como zonas de exploração econômica
 através da venda em leilão ou da doação das
 mesmas para outros colonos. Com relação aos
 índios, Pombal pretendia utilizá-los como força de
 trabalho na colonização de outras terras do
 território.
 Mesmo  pretendendo trazer diversas melhorias para
 a Coroa, Pombal não conseguiu manter-se no
 cargo após a morte de Dom José I, em 1777. Seus
 opositores o acusaram de autoritarismo e de trair
 os interesses do governo português. Com a saída
 de Pombal do governo, as transformações
 sugeridas pelo ministro esclarecido encerraram um
 período de mudanças que poderiam amenizar o
 atraso econômico dos portugueses.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
PAFB
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
Paulo Alexandre
 

Mais procurados (20)

Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
 
F2 portugal na europa do antigo regime
F2 portugal na europa do antigo regimeF2 portugal na europa do antigo regime
F2 portugal na europa do antigo regime
 
Brasil colônia completo
Brasil colônia   completoBrasil colônia   completo
Brasil colônia completo
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
Guerra dos cem anos
Guerra dos cem anosGuerra dos cem anos
Guerra dos cem anos
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
 
O Brasil holandês
O Brasil holandêsO Brasil holandês
O Brasil holandês
 
Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Expansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesaExpansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesa
 
O império napoleônico
O império napoleônicoO império napoleônico
O império napoleônico
 
Revolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesaRevolução industrial inglesa
Revolução industrial inglesa
 
A mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonialA mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonial
 
Invasão Holandesa
Invasão HolandesaInvasão Holandesa
Invasão Holandesa
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
 
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
 

Destaque

Reformas Pombalinas no Ensino
Reformas Pombalinas no EnsinoReformas Pombalinas no Ensino
Reformas Pombalinas no Ensino
RaQuel Oliveira
 
Período Pombalino (1750 - 1777)
Período Pombalino (1750 - 1777)Período Pombalino (1750 - 1777)
Período Pombalino (1750 - 1777)
Universidade Federal do Pampa
 
Reformas no ensino
Reformas no ensinoReformas no ensino
Reformas no ensino
mmarijose
 

Destaque (7)

Estrangeirados
EstrangeiradosEstrangeirados
Estrangeirados
 
Reformas Pombalinas no Ensino
Reformas Pombalinas no EnsinoReformas Pombalinas no Ensino
Reformas Pombalinas no Ensino
 
Período Pombalino (1750 - 1777)
Período Pombalino (1750 - 1777)Período Pombalino (1750 - 1777)
Período Pombalino (1750 - 1777)
 
Reformas no ensino
Reformas no ensinoReformas no ensino
Reformas no ensino
 
Reformas Pombalinas
Reformas PombalinasReformas Pombalinas
Reformas Pombalinas
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
 
Slide história da educação - pdf
Slide   história da educação - pdfSlide   história da educação - pdf
Slide história da educação - pdf
 

Semelhante a Reformas pombalinas

História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdfARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
FrancoPereira21
 
Crise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptx
Crise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptxCrise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptx
Crise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptx
Alex Fonte
 
A administração do brasil colônia
A administração do brasil colôniaA administração do brasil colônia
A administração do brasil colônia
Nelia Salles Nantes
 
A américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesaA américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesa
Patrícia Sanches
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
eebcjn
 
paeponte da colonoziçao
paeponte da colonoziçaopaeponte da colonoziçao
paeponte da colonoziçao
Flávio Márcio
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Isabel Aguiar
 
Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
cursinhoembu
 

Semelhante a Reformas pombalinas (20)

Conjuração mineira
Conjuração mineiraConjuração mineira
Conjuração mineira
 
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
 
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdfARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
ARTIGO MARQUES DE POMBAL E A REFORMA EDUCACIONAL BRASILEIRA TEXTO 2 MARLIA.pdf
 
Brasil Colonial XVI - XVII
Brasil Colonial   XVI - XVIIBrasil Colonial   XVI - XVII
Brasil Colonial XVI - XVII
 
Crise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptx
Crise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptxCrise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptx
Crise do Antigo Regime Colonial Revoltas Nativistas e Período Pombalino.pptx
 
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
Periodopombalinoecrisecolonial 170308154359
 
Capitanias hereditárias governo geral
Capitanias hereditárias governo geralCapitanias hereditárias governo geral
Capitanias hereditárias governo geral
 
Brasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmpBrasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmp
 
A administração do brasil colônia
A administração do brasil colôniaA administração do brasil colônia
A administração do brasil colônia
 
Colonizacao do brasil
Colonizacao do brasilColonizacao do brasil
Colonizacao do brasil
 
Primeiro Reinado - Taiane e Eloisa
Primeiro Reinado - Taiane e EloisaPrimeiro Reinado - Taiane e Eloisa
Primeiro Reinado - Taiane e Eloisa
 
A américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesaA américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesa
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
paeponte da colonoziçao
paeponte da colonoziçaopaeponte da colonoziçao
paeponte da colonoziçao
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Aulas de Cultura e Identidade Brasileira - Colonização do Brasil
Aulas de Cultura e Identidade Brasileira - Colonização do BrasilAulas de Cultura e Identidade Brasileira - Colonização do Brasil
Aulas de Cultura e Identidade Brasileira - Colonização do Brasil
 
Colonização Portuguesa no Brasil.pptx
Colonização Portuguesa no Brasil.pptxColonização Portuguesa no Brasil.pptx
Colonização Portuguesa no Brasil.pptx
 
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE IBRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
 
Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
 

Mais de Chromus Master

Mais de Chromus Master (20)

Webservice
WebserviceWebservice
Webservice
 
Windows 7
Windows 7Windows 7
Windows 7
 
Usb remoção
Usb remoçãoUsb remoção
Usb remoção
 
Disco rígido
Disco rígidoDisco rígido
Disco rígido
 
Windows x Linux
Windows x LinuxWindows x Linux
Windows x Linux
 
Licenças de software
Licenças de softwareLicenças de software
Licenças de software
 
Arquiteturas PC X MAC
Arquiteturas PC X MACArquiteturas PC X MAC
Arquiteturas PC X MAC
 
Álgebra de Boole
Álgebra de BooleÁlgebra de Boole
Álgebra de Boole
 
Relações
RelaçõesRelações
Relações
 
Análise Combinatória
Análise CombinatóriaAnálise Combinatória
Análise Combinatória
 
Princípios de Contagem
Princípios de ContagemPrincípios de Contagem
Princípios de Contagem
 
Teoria dos Conjuntos
Teoria dos ConjuntosTeoria dos Conjuntos
Teoria dos Conjuntos
 
Recorrência
RecorrênciaRecorrência
Recorrência
 
Demonstrações
DemonstraçõesDemonstrações
Demonstrações
 
Lógica Formal
Lógica FormalLógica Formal
Lógica Formal
 
Introdução a Teoria dos Grafos
Introdução a Teoria dos GrafosIntrodução a Teoria dos Grafos
Introdução a Teoria dos Grafos
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Guerra mascates
Guerra mascatesGuerra mascates
Guerra mascates
 
Economia colonial
Economia colonialEconomia colonial
Economia colonial
 

Último

Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
LeandroLima265595
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 

Reformas pombalinas

  • 1.
  • 2.  Durante a segunda metade do século XVIII, a Coroa Portuguesa sofreu a influência dos princípios iluministas com a chegada de Sebastião José de Carvalho aos quadros ministeriais do governo de Dom José I. Mais conhecido como Marquês de Pombal, este “super-ministro” teve como grande preocupação modernizar a administração pública de seu país e ampliar ao máximo os lucros provenientes da exploração colonial, principalmente em relação à colônia brasileira.
  • 3. A chegada do esclarecido Marquês de Pombal pode ser compreendida como uma conseqüência dos problemas econômicos vividos por Portugal na época. Nessa época, os portugueses sofriam com a dependência econômica em relação à Inglaterra, a perda de áreas coloniais e a queda da exploração aurífera no Brasil.  Buscando ampliar os lucros retirados da exploração colonial em terras brasileiras, Pombal resolveu instituir a cobrança anual de 1500 quilos de ouro. Além disso, ele resolveu tirar algumas atribuições do Conselho Ultramarino e acabou com as capitanias hereditárias que seriam, a partir de então, diretamente pelo governo português.
  • 4.  Outra importante medida foi a criação de várias companhias de comércio incumbidas de dar maior fluxo às transações comerciais entre a colônia e a metrópole. No plano interno, Marquês de Pombal instituiu uma reforma que desagradou muitos daqueles que viviam das regalias oferecidas pela Coroa Portuguesa. O chamado Erário Régio tinha como papel controlar os gastos do corpo de funcionários reais e, principalmente, reduzir os seus gastos. Outra importante medida foi incentivar o desenvolvimento de uma indústria nacional com pretensões de diminuir a dependência econômica do país.
  • 5.  Outra importante medida trazida com a administração de Pombal foi a expulsão dos jesuítas do Brasil. Essa medida foi tomada com o objetivo de dar fim às contendas envolvendo os colonos e os jesuítas. O conflito se desenvolveu em torno da questão da exploração da mão-de-obra indígena. A falta de escravos negros fazia com que muitos colonos quisessem apresar e escravizar as populações indígenas. Os jesuítas se opunham a tal prática, muitas vezes apoiando os índios contra os colonos.
  • 6.  Vendo os prejuízos trazidos com essa situação, Pombal expulsou os jesuítas e instituiu o fim da escravidão indígena. As terras que foram tomadas dos integrantes da Ordem de Jesus foram utilizadas como zonas de exploração econômica através da venda em leilão ou da doação das mesmas para outros colonos. Com relação aos índios, Pombal pretendia utilizá-los como força de trabalho na colonização de outras terras do território.
  • 7.  Mesmo pretendendo trazer diversas melhorias para a Coroa, Pombal não conseguiu manter-se no cargo após a morte de Dom José I, em 1777. Seus opositores o acusaram de autoritarismo e de trair os interesses do governo português. Com a saída de Pombal do governo, as transformações sugeridas pelo ministro esclarecido encerraram um período de mudanças que poderiam amenizar o atraso econômico dos portugueses.