SlideShare uma empresa Scribd logo
NIETZSCHE E ANIETZSCHE E A
TRANSMUTAÇÃO DETRANSMUTAÇÃO DE
VALORESVALORES
Professora KésiaProfessora Késia
Email: kesiapassos@gmail.comEmail: kesiapassos@gmail.com
1 – VIDA E IMPORTÂNCIA
- Friedrich Wilhelm Nietzsche nasceu em 1844, na
Prússia;
- Foi muito estudioso e zeloso nos estudos. Ainda muito
cedo, criou uma espécie de clube de poesia, onde
escreveu suas primeiras linhas;
- Estudou na escola de Pforta;
- Na escola, gradativamente, Nietzsche começou a se
afastar do cristianismo;
- Dominava vários idiomas e percorria entre os
clássicos da filosofia ocidental com destreza.
Algumas obras:Algumas obras:
- O Nascimento da Tragédia
(1872);
- Humano, demasiado humano
(1879);
- Assim falou Zaratrusta (1884);
- Para além do Bem e do Mal
(1886), etc..
Nietzsche inicia seu itinerárioNietzsche inicia seu itinerário
filosófico...filosófico...
- Não se constitui em um sistema;
- Tem influências da arte e da literatura do
ocidente grego.
Para ele, o pensamento ocidental havia se
desenvolvido a partir da tensão entre dois
elementos distintos:
Apolíneo:Apolíneo: que representa a forma, a harmonia e a
racionalidade.
Dionísio:Dionísio: que representa a quebradas regras, a
alegria, a embriaguez e a exuberância.
Costuma-se dizer que...
O estilo desconexo, fragmentário e,
às vezes, poético do pensador
prussiano deve-se a maneira como o
pensador concebe o mundo e a
própria filosofia.
Nietzsche elabora uma das mais
ferrenhas críticas à cultura e aos
valores ocidentais!
* racionalidade;
* visão autocomplacente da
burguesia e do cristianismo.
“O Cristianismo tornou
pecado tudo o que é valor e
prazer na terra. Ele tomou
partido de tudo o que é
fraco, objeto e arruinado;
fez um ideal da contradição
contra os instintos da
conservação da vida forte”.
Para Nietzsche
o cristianismo é
sinônimo de
compaixão. E a
pessoa perde a
força quando
a tem.
Para Nietzsche, o Ocidente está
impregnado de negação à vida e a sua
exuberância. Sufocados pelas amarras de
Apolo acabamos por desprezar e por vezes
matar Dionísio.
A tarefa da Filosofia:
É restaurar o império de Dionísio, libertando oÉ restaurar o império de Dionísio, libertando o
homem dessa tradição. Faz-se necessário ohomem dessa tradição. Faz-se necessário o
abandono de todos os empecilhos morais queabandono de todos os empecilhos morais que
entraram na história do Ocidente com Sócratesentraram na história do Ocidente com Sócrates
e se perpetuaram com o cristianismo.e se perpetuaram com o cristianismo.
Deve-se resgatarDeve-se resgatar
o caráter trágicoo caráter trágico
da vida eda vida e
exterminar osexterminar os
padrões de umapadrões de uma
moralidade toscamoralidade tosca
cujo o objetivo écujo o objetivo é
esconder aesconder a
covardia dos quecovardia dos que
temem a vida.temem a vida.
Quem consegue
essa libertação, ou
seja, o indivíduo
capaz de se
libertar das
cadeias da cultura
e da moralidade
opressoras,
Nietzsche chama
de:
SUPER-HOMEM!SUPER-HOMEM!
O super-homem é aquele que tem coragem de assumir
a dimensão dionisíaca da vida, trasmutando seus
valores, ou seja, abandonando os valores oriundos de
uma visão covarde da vida e abraçando os valores da
Terra.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofias no Helenismo
Filosofias no HelenismoFilosofias no Helenismo
Filosofias no Helenismo
Bruno Carrasco
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Janimara
 
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia ContemporâneaAula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Rafael Oliveira
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Tiago Machado
 
éTica na história
éTica na históriaéTica na história
éTica na história
Marcela Marangon Ribeiro
 
Filosofia - helenistica
Filosofia - helenistica Filosofia - helenistica
Filosofia - helenistica
Samuel Araújo
 
Santo Agostinho
Santo AgostinhoSanto Agostinho
Santo Agostinho
Elisama Lopes
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
Edirlene Fraga
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
Leonardo Leitão
 
O racionalismo
O racionalismoO racionalismo
O racionalismo
Alison Nunes
 
O empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeO empirismo de John Locke
O empirismo de John Locke
João Marcelo
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Leandro Nazareth Souto
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
Douglas Barraqui
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
Rafael Reis
 
Filosofia 04 - Filosofia Medieval
Filosofia 04 - Filosofia MedievalFilosofia 04 - Filosofia Medieval
Filosofia 04 - Filosofia Medieval
Diego Bian Filo Moreira
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
Erica Frau
 
Introdução à fenomenologia
Introdução à fenomenologiaIntrodução à fenomenologia
Introdução à fenomenologia
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Platão
PlatãoPlatão
Os Sofistas
Os SofistasOs Sofistas
Os Sofistas
daysefaro
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
Professor Marcelo
 

Mais procurados (20)

Filosofias no Helenismo
Filosofias no HelenismoFilosofias no Helenismo
Filosofias no Helenismo
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia ContemporâneaAula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
éTica na história
éTica na históriaéTica na história
éTica na história
 
Filosofia - helenistica
Filosofia - helenistica Filosofia - helenistica
Filosofia - helenistica
 
Santo Agostinho
Santo AgostinhoSanto Agostinho
Santo Agostinho
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
O racionalismo
O racionalismoO racionalismo
O racionalismo
 
O empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeO empirismo de John Locke
O empirismo de John Locke
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
Filosofia 04 - Filosofia Medieval
Filosofia 04 - Filosofia MedievalFilosofia 04 - Filosofia Medieval
Filosofia 04 - Filosofia Medieval
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Introdução à fenomenologia
Introdução à fenomenologiaIntrodução à fenomenologia
Introdução à fenomenologia
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Os Sofistas
Os SofistasOs Sofistas
Os Sofistas
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 

Destaque

Nietzsche filosofia final
Nietzsche filosofia  finalNietzsche filosofia  final
Nietzsche filosofia final
Hugo Lima
 
Nietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Nietzsche e sua filosofia a golpes de marteloNietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Nietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Paloma Meneses
 
Nietzsche - Genealogia da Moral
Nietzsche - Genealogia da MoralNietzsche - Genealogia da Moral
Nietzsche - Genealogia da Moral
José Augusto Fiorin
 
Genealogia da moral nietzsche
Genealogia da moral  nietzscheGenealogia da moral  nietzsche
Genealogia da moral nietzsche
masalas
 
Friedrich nietzsche
Friedrich nietzscheFriedrich nietzsche
Friedrich nietzsche
Kelly Maria
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
minervagigia
 
A crítica ao cristianismo em nietzsche
A crítica ao cristianismo em nietzscheA crítica ao cristianismo em nietzsche
A crítica ao cristianismo em nietzsche
Robério Santiago
 
Friedrich nietzsche 35 tp
Friedrich nietzsche 35 tpFriedrich nietzsche 35 tp
Friedrich nietzsche 35 tp
Alexandre Misturini
 
Apresentação Nietzsche
Apresentação NietzscheApresentação Nietzsche
Apresentação Nietzsche
Carlos Faria
 
Nietzsche e a história
Nietzsche e a históriaNietzsche e a história
Nietzsche e a história
Faustino dos Santos
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
rocio1991
 
Nietzsche e Foucault
Nietzsche e FoucaultNietzsche e Foucault
Nietzsche e Foucault
Paulo Alexandre
 
6 nietzsche e a virada linguistica
6   nietzsche e a virada linguistica6   nietzsche e a virada linguistica
6 nietzsche e a virada linguistica
Octavio Silvério de Souza Vieira Neto
 
Nietzsche.ppt
Nietzsche.pptNietzsche.ppt
Nietzsche.ppt
Nombre Apellidos
 
Patristica e escolastica
Patristica e escolasticaPatristica e escolastica
Patristica e escolastica
Over Lane
 
Trabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismo
Trabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismoTrabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismo
Trabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismo
Felipe Serra
 
Schopenhauer e Nietzsche
Schopenhauer e Nietzsche Schopenhauer e Nietzsche
Schopenhauer e Nietzsche
Marcos Ramon
 
Bioetica
BioeticaBioetica
Bioetica
Matheus Felipe
 
Seminário sobre Nietzsche
Seminário sobre NietzscheSeminário sobre Nietzsche
Seminário sobre Nietzsche
Julia Marconi
 
A transvaloração da educação
A transvaloração da educaçãoA transvaloração da educação
A transvaloração da educação
Moficushinth Terapia Hari
 

Destaque (20)

Nietzsche filosofia final
Nietzsche filosofia  finalNietzsche filosofia  final
Nietzsche filosofia final
 
Nietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Nietzsche e sua filosofia a golpes de marteloNietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Nietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
 
Nietzsche - Genealogia da Moral
Nietzsche - Genealogia da MoralNietzsche - Genealogia da Moral
Nietzsche - Genealogia da Moral
 
Genealogia da moral nietzsche
Genealogia da moral  nietzscheGenealogia da moral  nietzsche
Genealogia da moral nietzsche
 
Friedrich nietzsche
Friedrich nietzscheFriedrich nietzsche
Friedrich nietzsche
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
A crítica ao cristianismo em nietzsche
A crítica ao cristianismo em nietzscheA crítica ao cristianismo em nietzsche
A crítica ao cristianismo em nietzsche
 
Friedrich nietzsche 35 tp
Friedrich nietzsche 35 tpFriedrich nietzsche 35 tp
Friedrich nietzsche 35 tp
 
Apresentação Nietzsche
Apresentação NietzscheApresentação Nietzsche
Apresentação Nietzsche
 
Nietzsche e a história
Nietzsche e a históriaNietzsche e a história
Nietzsche e a história
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
Nietzsche e Foucault
Nietzsche e FoucaultNietzsche e Foucault
Nietzsche e Foucault
 
6 nietzsche e a virada linguistica
6   nietzsche e a virada linguistica6   nietzsche e a virada linguistica
6 nietzsche e a virada linguistica
 
Nietzsche.ppt
Nietzsche.pptNietzsche.ppt
Nietzsche.ppt
 
Patristica e escolastica
Patristica e escolasticaPatristica e escolastica
Patristica e escolastica
 
Trabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismo
Trabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismoTrabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismo
Trabalho de filosofia nietzsche-critica ao cristianismo
 
Schopenhauer e Nietzsche
Schopenhauer e Nietzsche Schopenhauer e Nietzsche
Schopenhauer e Nietzsche
 
Bioetica
BioeticaBioetica
Bioetica
 
Seminário sobre Nietzsche
Seminário sobre NietzscheSeminário sobre Nietzsche
Seminário sobre Nietzsche
 
A transvaloração da educação
A transvaloração da educaçãoA transvaloração da educação
A transvaloração da educação
 

Semelhante a Nietzsche e a transmutacao de valores

Nietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismoNietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismo
Bruno Carrasco
 
Nietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitosNietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitos
Bruno Carrasco
 
trabalho de filosofia
trabalho de filosofiatrabalho de filosofia
trabalho de filosofia
joseapascoal
 
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdfSlides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Natan Baptista
 
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdfExistencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
firminomaissociologiafilosofia2019
 
Pesquisa antropologia
Pesquisa antropologiaPesquisa antropologia
Pesquisa antropologia
Claudia
 
Nietzsche - aula 3.pptx
Nietzsche - aula 3.pptxNietzsche - aula 3.pptx
Nietzsche - aula 3.pptx
JooPedroBellas
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
Andressa Joao Bidoia
 
Nietzsche - tragédia e existência
Nietzsche - tragédia e existênciaNietzsche - tragédia e existência
Nietzsche - tragédia e existência
Colégio Nova Geração COC
 
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, SartreExistencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Bruno Carrasco
 
Nietzsche, vida e principais ideias
Nietzsche, vida e principais ideiasNietzsche, vida e principais ideias
Nietzsche, vida e principais ideias
GabrielFarias387861
 
Filosofia 10ºano1
Filosofia 10ºano1Filosofia 10ºano1
Filosofia 10ºano1
escola sec./3 Latino Coelho
 
Dossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdf
Dossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdfDossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdf
Dossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdf
VIEIRA RESENDE
 
Colégio estadual visconde de bom retiro 21mp
Colégio  estadual visconde de bom retiro 21mpColégio  estadual visconde de bom retiro 21mp
Colégio estadual visconde de bom retiro 21mp
Alexandre Misturini
 
Niilismo de nietzsche
Niilismo de nietzscheNiilismo de nietzsche
Niilismo de nietzsche
Alexandre Misturini
 
O livro-do-filosofo
O livro-do-filosofoO livro-do-filosofo
O livro-do-filosofo
Eugenio Christi
 
RENASCIMENTO
RENASCIMENTO RENASCIMENTO
RENASCIMENTO
Ramiro Reis
 
Simbolismo/Decadentismo
Simbolismo/DecadentismoSimbolismo/Decadentismo
Simbolismo/Decadentismo
Daniele dos Santos Souza Onodera
 
Religião e morte para entender os egipcios
Religião e morte para entender os egipciosReligião e morte para entender os egipcios
Religião e morte para entender os egipcios
Fabio Santos
 
Realismo/Naturalismo
Realismo/NaturalismoRealismo/Naturalismo
Realismo/Naturalismo
Colégio Santa Luzia
 

Semelhante a Nietzsche e a transmutacao de valores (20)

Nietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismoNietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismo
 
Nietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitosNietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitos
 
trabalho de filosofia
trabalho de filosofiatrabalho de filosofia
trabalho de filosofia
 
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdfSlides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
Slides - Aula 01 - O surgimento da Antropologia e as suas escolas.pdf
 
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdfExistencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger   pdf
Existencialismo schopenhauer kierkegaard nietsche husserl heidegger pdf
 
Pesquisa antropologia
Pesquisa antropologiaPesquisa antropologia
Pesquisa antropologia
 
Nietzsche - aula 3.pptx
Nietzsche - aula 3.pptxNietzsche - aula 3.pptx
Nietzsche - aula 3.pptx
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
 
Nietzsche - tragédia e existência
Nietzsche - tragédia e existênciaNietzsche - tragédia e existência
Nietzsche - tragédia e existência
 
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, SartreExistencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
Existencialismo: Kierkegaard, Nietzsche, Sartre
 
Nietzsche, vida e principais ideias
Nietzsche, vida e principais ideiasNietzsche, vida e principais ideias
Nietzsche, vida e principais ideias
 
Filosofia 10ºano1
Filosofia 10ºano1Filosofia 10ºano1
Filosofia 10ºano1
 
Dossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdf
Dossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdfDossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdf
Dossie Nietzsche - Daniel Aurelio.pdf
 
Colégio estadual visconde de bom retiro 21mp
Colégio  estadual visconde de bom retiro 21mpColégio  estadual visconde de bom retiro 21mp
Colégio estadual visconde de bom retiro 21mp
 
Niilismo de nietzsche
Niilismo de nietzscheNiilismo de nietzsche
Niilismo de nietzsche
 
O livro-do-filosofo
O livro-do-filosofoO livro-do-filosofo
O livro-do-filosofo
 
RENASCIMENTO
RENASCIMENTO RENASCIMENTO
RENASCIMENTO
 
Simbolismo/Decadentismo
Simbolismo/DecadentismoSimbolismo/Decadentismo
Simbolismo/Decadentismo
 
Religião e morte para entender os egipcios
Religião e morte para entender os egipciosReligião e morte para entender os egipcios
Religião e morte para entender os egipcios
 
Realismo/Naturalismo
Realismo/NaturalismoRealismo/Naturalismo
Realismo/Naturalismo
 

Mais de Matheus Felipe

Eutanasia
EutanasiaEutanasia
Eutanasia
Matheus Felipe
 
Poriferos
Poriferos Poriferos
Poriferos
Matheus Felipe
 
John lockeEstado Liberal
John lockeEstado LiberalJohn lockeEstado Liberal
John lockeEstado Liberal
Matheus Felipe
 
Montesquieu
Montesquieu  Montesquieu
Montesquieu
Matheus Felipe
 
Jean jacques rousseau
Jean jacques rousseauJean jacques rousseau
Jean jacques rousseau
Matheus Felipe
 
Botanica
Botanica Botanica
Botanica
Matheus Felipe
 
A filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel KantA filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel Kant
Matheus Felipe
 
Aquino e Agostinho
Aquino e Agostinho Aquino e Agostinho
Aquino e Agostinho
Matheus Felipe
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
Matheus Felipe
 

Mais de Matheus Felipe (9)

Eutanasia
EutanasiaEutanasia
Eutanasia
 
Poriferos
Poriferos Poriferos
Poriferos
 
John lockeEstado Liberal
John lockeEstado LiberalJohn lockeEstado Liberal
John lockeEstado Liberal
 
Montesquieu
Montesquieu  Montesquieu
Montesquieu
 
Jean jacques rousseau
Jean jacques rousseauJean jacques rousseau
Jean jacques rousseau
 
Botanica
Botanica Botanica
Botanica
 
A filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel KantA filosofia moral de Immanuel Kant
A filosofia moral de Immanuel Kant
 
Aquino e Agostinho
Aquino e Agostinho Aquino e Agostinho
Aquino e Agostinho
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Nietzsche e a transmutacao de valores

  • 1. NIETZSCHE E ANIETZSCHE E A TRANSMUTAÇÃO DETRANSMUTAÇÃO DE VALORESVALORES Professora KésiaProfessora Késia Email: kesiapassos@gmail.comEmail: kesiapassos@gmail.com
  • 2. 1 – VIDA E IMPORTÂNCIA - Friedrich Wilhelm Nietzsche nasceu em 1844, na Prússia; - Foi muito estudioso e zeloso nos estudos. Ainda muito cedo, criou uma espécie de clube de poesia, onde escreveu suas primeiras linhas; - Estudou na escola de Pforta; - Na escola, gradativamente, Nietzsche começou a se afastar do cristianismo; - Dominava vários idiomas e percorria entre os clássicos da filosofia ocidental com destreza.
  • 3. Algumas obras:Algumas obras: - O Nascimento da Tragédia (1872); - Humano, demasiado humano (1879); - Assim falou Zaratrusta (1884); - Para além do Bem e do Mal (1886), etc..
  • 4. Nietzsche inicia seu itinerárioNietzsche inicia seu itinerário filosófico...filosófico... - Não se constitui em um sistema; - Tem influências da arte e da literatura do ocidente grego. Para ele, o pensamento ocidental havia se desenvolvido a partir da tensão entre dois elementos distintos:
  • 5. Apolíneo:Apolíneo: que representa a forma, a harmonia e a racionalidade. Dionísio:Dionísio: que representa a quebradas regras, a alegria, a embriaguez e a exuberância.
  • 6. Costuma-se dizer que... O estilo desconexo, fragmentário e, às vezes, poético do pensador prussiano deve-se a maneira como o pensador concebe o mundo e a própria filosofia.
  • 7. Nietzsche elabora uma das mais ferrenhas críticas à cultura e aos valores ocidentais! * racionalidade; * visão autocomplacente da burguesia e do cristianismo.
  • 8. “O Cristianismo tornou pecado tudo o que é valor e prazer na terra. Ele tomou partido de tudo o que é fraco, objeto e arruinado; fez um ideal da contradição contra os instintos da conservação da vida forte”. Para Nietzsche o cristianismo é sinônimo de compaixão. E a pessoa perde a força quando a tem.
  • 9. Para Nietzsche, o Ocidente está impregnado de negação à vida e a sua exuberância. Sufocados pelas amarras de Apolo acabamos por desprezar e por vezes matar Dionísio.
  • 10. A tarefa da Filosofia: É restaurar o império de Dionísio, libertando oÉ restaurar o império de Dionísio, libertando o homem dessa tradição. Faz-se necessário ohomem dessa tradição. Faz-se necessário o abandono de todos os empecilhos morais queabandono de todos os empecilhos morais que entraram na história do Ocidente com Sócratesentraram na história do Ocidente com Sócrates e se perpetuaram com o cristianismo.e se perpetuaram com o cristianismo.
  • 11. Deve-se resgatarDeve-se resgatar o caráter trágicoo caráter trágico da vida eda vida e exterminar osexterminar os padrões de umapadrões de uma moralidade toscamoralidade tosca cujo o objetivo écujo o objetivo é esconder aesconder a covardia dos quecovardia dos que temem a vida.temem a vida. Quem consegue essa libertação, ou seja, o indivíduo capaz de se libertar das cadeias da cultura e da moralidade opressoras, Nietzsche chama de:
  • 12. SUPER-HOMEM!SUPER-HOMEM! O super-homem é aquele que tem coragem de assumir a dimensão dionisíaca da vida, trasmutando seus valores, ou seja, abandonando os valores oriundos de uma visão covarde da vida e abraçando os valores da Terra.