SlideShare uma empresa Scribd logo
OS PRÉ-
SOCRÁTICOS
Os primeiros filósofos
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS
 A mitologia formava o conjunto de
crenças que o povo grego usava para
explicar os fenômenos e fatos de sua vida
comunitária ou pessoal.
 Mas, dos séculos VIII a VI a.C., alguns
fatos modificaram a visão do povo
grego. São eles:
O surgimento da Polis, cidade-
estado grega
O surgimento da escrita e as leis
Invenção da moeda
Do mito ao logos
 O homem grego começava a viajar e
receber visitantes estrangeiros.
 As cidades gregas caminham para um
auge econômico e cultural e isso requer
explicações mais elaboradas, além da:
 Arte de debater;
 Discussão acerca das virtudes, etc.
Do mito ao logos
 A filosofia surgiu
como herdeira da
mitologia, mas, com
uma missão clara:
apresentar aos
homens explicações
que fossem além
dos mitos.
PRIMEIROS FILÓSOFOS – OS
PRÉ-SOCRÁTICOS
 Os 1ºs filósofos surgiram na Jônia,
conjunto de colônias gregas, e, mais
tarde, ao sul da Itália, na Magna Grécia.
Acatavam parcialmente os mitos, mas
acreditavam que havia uma explicação
racional para os fenômenos.
Maior preocupação: encontrar a ARCHÉ
(princípio fundamental) do Universo.
Principal pergunta:
qual o elemento que
deu origem, compõe
e sustenta o cosmos?
 Eles eram cosmológicos
(cosmos=universo, logia= lógica,
explicação) e físicos: queriam explicação
para o mundo físico – a natureza.
 São chamados pré-socráticos pois é com
Sócrates que se tem início o período
clássico da filosofia e o surgimento dos
grandes sistemas.
TALES DE MILETO
O “pai” da filosofia.
Foi o 1º a formular um
princípio filosófico.
Princípio do universo: a água.
A água se apresenta em vários estados, é
imprescindível à vida, está em todos os lugares.
Logo, deve ter sido dela que surgiu o Universo.
Ora, a água deve ter alguma faculdade
especial que lhe permita transformar-se
ilimitadamente.
A água está em todos os lugares onde a
vida floresce, onde ela não está não há
vida.
Ex: Quando observava o ciclo das águas do
Nilo, Tales observou que a terra, até então,
árida e infértil, depois do contato com a
água, revelava-se próspera e cheia de
vida.
 Explicar logicamente aquilo que se diz é
o que difere, basicamente, a filosofia da
mitologia.
HERÁCLITO
DE ÉFESO
Primeiro princípio: o fogo, ou o vir-a-ser.
PANTA REI (tudo flui)
Esse constante movimento que faz as coisas
surgirem e desaparecerem continuamente,
sem nunca ser.
PARMÊNIDES DE ELÉIA
Não há movimento.
Tudo o que vemos de movimento não
passa de ilusão causada por nossos
sentidos. O princípio do universo é o SER,
que é eterno, imóvel e origem de todas as
coisas.
PITÁGORAS
DE SAMOS
Primeiro princípio: o número.
Ao observarmos o universo, percebemos a
presença do número em todas as relações.
PITÁGORAS DE SAMOS
O universo, em toda a sua complexidade,
harmonia e extensão (desde a música até
os fenômenos climáticos e astronômicos),
pode ser traduzido, exprimido,
compreendido e mensurado pelo número.
ANAXÍMENES
Primeiro princípio:
o AR.
Partiu de um princípio material encontrado na
natureza que justificasse a composição,
sustentação e determinação de todo o
universo.
O ar pode transforma-se por condensação em
água e terra e, por rarefação, em fogo.
EMPÉDOCLES
DE AGRIGENTO
Primeiro princípio:
agregação ou desagregação dos quatro
elementos (fogo, terra, água e o ar).
EMPÉDOCLES DE AGRIGENTO
Por ser cada elemento
eterno e incorruptível,
eles permanecem os
mesmos – herança dos
eleatas –, mas, com
sua contínua agregação
e desagregação, dão
origem à multiplicidade
do mundo e ao devir.
As forças agregadoras e
desagregadoras são
respectivamente o
amor e o ódio.
DEMÓCRITO
DE ADBERA
Primeiro princípio:
ÁTOMO, do qual tudo deriva.
1ª teoria atômica: um espaço vazio separa
os átomos, permitindo-lhes que se movam
livremente.
DEMÓCRITO
E LEUCIPO
Como os átomos se movem, podem colidir um
com outro para formar novas disposições de
átomos, de modo que os objetos no mundo
parecem mudar.
Os 2 pensadores consideravam que há um
número infinito desses átomos eternos, mas que
o número de diferentes combinações aos quais
eles podem se ajustar é finito.
ANAXIMANDRO
Primeiro princípio: apeíron,
o ilimitado, indeterminado e infinito.
Todas as coisas que existem são diversas tanto
em qualidade quanto em quantidade.
1º a utilizar o termo técnico arché para designar
o princípio fundamental de tudo.
ANAXÁGORAS
Primeiro princípio: NOUS.
A mente, a inteligência.
As estrelas, a Lua e o Sol são rochas, não
deuses.
PERÍODO CLÁSSICO
Período mitológico= preocupação cosmogônica
(cosmos= universo + gonos= origem)
PERÍODO CLÁSSICO
Período pré-socrático= preocupação
cosmológica (lógica do cosmos)
PERÍODO CLÁSSICO
Período clássico= preocupação antropológica
(antropos=homem + logia= explicação)
A filosofia se volta para o homem interior e exterior.
PERÍODO CLÁSSICO
Séc. V a.C, na Grécia, Atenas se firma como grande
capital, ao organizar a resistência das cidades
gregas contra a Pérsia, de Dario (Guerras Médicas).
PERÍODO CLÁSSICO
3 grandes figuras= Sócrates, Platão e Aristóteles,
além dos sofistas, professores itinerantes que
cobravam por seus ensinamentos.
PERÍODO CLÁSSICO
Nesse tempo a filosofia amadurece, tomando
conta do pensar grego, dando-lhe:
racionalidade, lógica, rigor argumentativo e
preocupação com a educação.
PERÍODO CLÁSSICO
Este último, que era muito importante, agora
torna-se vital para a formação do cidadão
que almeja influir nos rumos da cidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
Juliana Corvino de Araújo
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
rafaforte
 
ORIGEM DA FILOSOFIA
ORIGEM DA FILOSOFIA ORIGEM DA FILOSOFIA
ORIGEM DA FILOSOFIA
Silmara Vedoveli
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
William Ananias
 
Para que serve a filosofia
Para que serve a filosofiaPara que serve a filosofia
Para que serve a filosofia
superego
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
Leonardo Leitão
 
Filosofia e Mito
Filosofia e MitoFilosofia e Mito
Filosofia e Mito
BandeiradeMello
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Juliana Corvino de Araújo
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
José Aristides Silva Gamito
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
PriscillaTomazi2015
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
José Ferreira Júnior
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
Péricles Penuel
 
Mito e Filosofia
Mito e FilosofiaMito e Filosofia
Mito e Filosofia
Jailson Lima
 
Sócrates
SócratesSócrates
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Janimara
 
História da filosofia antiga
História da filosofia antigaHistória da filosofia antiga
História da filosofia antiga
rafaforte
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
Over Lane
 
O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!
Lu Rebordosa
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
Italo Colares
 

Mais procurados (20)

Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
ORIGEM DA FILOSOFIA
ORIGEM DA FILOSOFIA ORIGEM DA FILOSOFIA
ORIGEM DA FILOSOFIA
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
 
Para que serve a filosofia
Para que serve a filosofiaPara que serve a filosofia
Para que serve a filosofia
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
Filosofia e Mito
Filosofia e MitoFilosofia e Mito
Filosofia e Mito
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Mito e Filosofia
Mito e FilosofiaMito e Filosofia
Mito e Filosofia
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
História da filosofia antiga
História da filosofia antigaHistória da filosofia antiga
História da filosofia antiga
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
 
O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!O Que é Filosofia? 1º Ano!
O Que é Filosofia? 1º Ano!
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 

Destaque

Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesIntrodução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Diego Sampaio
 
Os pré socráticos
Os pré socráticosOs pré socráticos
Os pré socráticos
Marina Leite
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
Gustavo Cuin
 
2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles
2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles
2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles
Tiago Kestering Pereira
 
Pré socráticos slides
Pré socráticos slidesPré socráticos slides
Pré socráticos slides
Colégio Tiradentes III
 
Sofistas
SofistasSofistas
Sofistas
mluisavalente
 
Sofistas e socrates
Sofistas e socratesSofistas e socrates
Sofistas e socrates
UNESC
 
Os Sofistas
Os SofistasOs Sofistas
Os Sofistas
daysefaro
 

Destaque (8)

Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesIntrodução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
 
Os pré socráticos
Os pré socráticosOs pré socráticos
Os pré socráticos
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles
2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles
2. sócrates, sofistas, platão e aristóteles
 
Pré socráticos slides
Pré socráticos slidesPré socráticos slides
Pré socráticos slides
 
Sofistas
SofistasSofistas
Sofistas
 
Sofistas e socrates
Sofistas e socratesSofistas e socrates
Sofistas e socrates
 
Os Sofistas
Os SofistasOs Sofistas
Os Sofistas
 

Semelhante a Os pré-socráticos

pre usar.pptx
pre usar.pptxpre usar.pptx
pre usar.pptx
Luziane Santos
 
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdfPASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
MARCELACARNEIROGOMES
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
José Ferreira Júnior
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
19121992
 
Aula filosofia
Aula filosofiaAula filosofia
Aula filosofia
Jerry Adriano
 
Professora Vanúcia Moreira - Os pré socráticos
Professora Vanúcia Moreira - Os pré socráticosProfessora Vanúcia Moreira - Os pré socráticos
Professora Vanúcia Moreira - Os pré socráticos
Vanúcia Moreira
 
Pré-socraticos.pptx
Pré-socraticos.pptxPré-socraticos.pptx
Pré-socraticos.pptx
Luziane Santos
 
Origem e divisão da filosofia
Origem e divisão da filosofiaOrigem e divisão da filosofia
Origem e divisão da filosofia
Colégio Tiradentes III
 
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Pedro Freitas
 
O princípio de todas as coisas
O princípio de todas as coisasO princípio de todas as coisas
O princípio de todas as coisas
Fernanda Carvalho
 
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOSOS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
Isabel Aguiar
 
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOSOS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
Isabel Aguiar
 
Evolução Histórica da Reflexão sobre a Condição Humana
Evolução Histórica da Reflexão sobre a Condição HumanaEvolução Histórica da Reflexão sobre a Condição Humana
Evolução Histórica da Reflexão sobre a Condição Humana
Iuri Guedes
 
Periodos da filosofia
Periodos da filosofiaPeriodos da filosofia
Periodos da filosofia
Raquel Carvalheiro
 
Filosofia antiga
Filosofia antigaFilosofia antiga
Filosofia antiga
Aldenei Barros
 
Principais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofiaPrincipais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofia
Aldenei Barros
 
VisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da FilosofiaVisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da Filosofia
ProfMario De Mori
 
Periodo Naturalista ou Pre-socratica
Periodo Naturalista ou Pre-socraticaPeriodo Naturalista ou Pre-socratica
Periodo Naturalista ou Pre-socratica
Bruno Miguel
 
Filosofia i
Filosofia iFilosofia i
Filosofia i
Felipe Hiago
 

Semelhante a Os pré-socráticos (20)

pre usar.pptx
pre usar.pptxpre usar.pptx
pre usar.pptx
 
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdfPASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
 
Aula filosofia
Aula filosofiaAula filosofia
Aula filosofia
 
Professora Vanúcia Moreira - Os pré socráticos
Professora Vanúcia Moreira - Os pré socráticosProfessora Vanúcia Moreira - Os pré socráticos
Professora Vanúcia Moreira - Os pré socráticos
 
Pré-socraticos.pptx
Pré-socraticos.pptxPré-socraticos.pptx
Pré-socraticos.pptx
 
Origem e divisão da filosofia
Origem e divisão da filosofiaOrigem e divisão da filosofia
Origem e divisão da filosofia
 
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
 
O princípio de todas as coisas
O princípio de todas as coisasO princípio de todas as coisas
O princípio de todas as coisas
 
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOSOS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
 
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOSOS PRIMEIROS FILÓSOFOS
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
 
Evolução Histórica da Reflexão sobre a Condição Humana
Evolução Histórica da Reflexão sobre a Condição HumanaEvolução Histórica da Reflexão sobre a Condição Humana
Evolução Histórica da Reflexão sobre a Condição Humana
 
Periodos da filosofia
Periodos da filosofiaPeriodos da filosofia
Periodos da filosofia
 
Filosofia antiga
Filosofia antigaFilosofia antiga
Filosofia antiga
 
Principais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofiaPrincipais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofia
 
VisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da FilosofiaVisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da Filosofia
 
Periodo Naturalista ou Pre-socratica
Periodo Naturalista ou Pre-socraticaPeriodo Naturalista ou Pre-socratica
Periodo Naturalista ou Pre-socratica
 
Filosofia i
Filosofia iFilosofia i
Filosofia i
 

Mais de João Paulo Rodrigues

Teoria do conhecimento kant
Teoria do conhecimento   kantTeoria do conhecimento   kant
Teoria do conhecimento kant
João Paulo Rodrigues
 
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
João Paulo Rodrigues
 
Introduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglêsIntroduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglês
João Paulo Rodrigues
 
Liberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de EspinosaLiberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de Espinosa
João Paulo Rodrigues
 
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadoraOlimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
João Paulo Rodrigues
 
Ética Aristóteles
Ética AristótelesÉtica Aristóteles
Ética Aristóteles
João Paulo Rodrigues
 
Heráclito e Parmênides
Heráclito e ParmênidesHeráclito e Parmênides
Heráclito e Parmênides
João Paulo Rodrigues
 
Métodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind labMétodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind lab
João Paulo Rodrigues
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
João Paulo Rodrigues
 
ética e moral introdução
ética e moral introdução ética e moral introdução
ética e moral introdução
João Paulo Rodrigues
 
Epistemologia introdução
Epistemologia   introduçãoEpistemologia   introdução
Epistemologia introdução
João Paulo Rodrigues
 
Do mito ao logos
Do mito ao logosDo mito ao logos
Do mito ao logos
João Paulo Rodrigues
 
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e EstoicismoAs escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
João Paulo Rodrigues
 

Mais de João Paulo Rodrigues (13)

Teoria do conhecimento kant
Teoria do conhecimento   kantTeoria do conhecimento   kant
Teoria do conhecimento kant
 
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
 
Introduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglêsIntroduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglês
 
Liberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de EspinosaLiberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de Espinosa
 
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadoraOlimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
 
Ética Aristóteles
Ética AristótelesÉtica Aristóteles
Ética Aristóteles
 
Heráclito e Parmênides
Heráclito e ParmênidesHeráclito e Parmênides
Heráclito e Parmênides
 
Métodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind labMétodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind lab
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
 
ética e moral introdução
ética e moral introdução ética e moral introdução
ética e moral introdução
 
Epistemologia introdução
Epistemologia   introduçãoEpistemologia   introdução
Epistemologia introdução
 
Do mito ao logos
Do mito ao logosDo mito ao logos
Do mito ao logos
 
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e EstoicismoAs escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
 

Último

Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 

Os pré-socráticos

  • 2. PASSAGEM DO MITO AO LOGOS  A mitologia formava o conjunto de crenças que o povo grego usava para explicar os fenômenos e fatos de sua vida comunitária ou pessoal.  Mas, dos séculos VIII a VI a.C., alguns fatos modificaram a visão do povo grego. São eles:
  • 3. O surgimento da Polis, cidade- estado grega
  • 4. O surgimento da escrita e as leis
  • 6. Do mito ao logos  O homem grego começava a viajar e receber visitantes estrangeiros.  As cidades gregas caminham para um auge econômico e cultural e isso requer explicações mais elaboradas, além da:  Arte de debater;  Discussão acerca das virtudes, etc.
  • 7. Do mito ao logos  A filosofia surgiu como herdeira da mitologia, mas, com uma missão clara: apresentar aos homens explicações que fossem além dos mitos.
  • 8. PRIMEIROS FILÓSOFOS – OS PRÉ-SOCRÁTICOS  Os 1ºs filósofos surgiram na Jônia, conjunto de colônias gregas, e, mais tarde, ao sul da Itália, na Magna Grécia.
  • 9. Acatavam parcialmente os mitos, mas acreditavam que havia uma explicação racional para os fenômenos. Maior preocupação: encontrar a ARCHÉ (princípio fundamental) do Universo. Principal pergunta: qual o elemento que deu origem, compõe e sustenta o cosmos?
  • 10.  Eles eram cosmológicos (cosmos=universo, logia= lógica, explicação) e físicos: queriam explicação para o mundo físico – a natureza.
  • 11.  São chamados pré-socráticos pois é com Sócrates que se tem início o período clássico da filosofia e o surgimento dos grandes sistemas.
  • 12. TALES DE MILETO O “pai” da filosofia. Foi o 1º a formular um princípio filosófico. Princípio do universo: a água. A água se apresenta em vários estados, é imprescindível à vida, está em todos os lugares. Logo, deve ter sido dela que surgiu o Universo.
  • 13. Ora, a água deve ter alguma faculdade especial que lhe permita transformar-se ilimitadamente. A água está em todos os lugares onde a vida floresce, onde ela não está não há vida. Ex: Quando observava o ciclo das águas do Nilo, Tales observou que a terra, até então, árida e infértil, depois do contato com a água, revelava-se próspera e cheia de vida.
  • 14.  Explicar logicamente aquilo que se diz é o que difere, basicamente, a filosofia da mitologia.
  • 15. HERÁCLITO DE ÉFESO Primeiro princípio: o fogo, ou o vir-a-ser. PANTA REI (tudo flui) Esse constante movimento que faz as coisas surgirem e desaparecerem continuamente, sem nunca ser.
  • 16. PARMÊNIDES DE ELÉIA Não há movimento. Tudo o que vemos de movimento não passa de ilusão causada por nossos sentidos. O princípio do universo é o SER, que é eterno, imóvel e origem de todas as coisas.
  • 17. PITÁGORAS DE SAMOS Primeiro princípio: o número. Ao observarmos o universo, percebemos a presença do número em todas as relações.
  • 18. PITÁGORAS DE SAMOS O universo, em toda a sua complexidade, harmonia e extensão (desde a música até os fenômenos climáticos e astronômicos), pode ser traduzido, exprimido, compreendido e mensurado pelo número.
  • 19. ANAXÍMENES Primeiro princípio: o AR. Partiu de um princípio material encontrado na natureza que justificasse a composição, sustentação e determinação de todo o universo. O ar pode transforma-se por condensação em água e terra e, por rarefação, em fogo.
  • 20. EMPÉDOCLES DE AGRIGENTO Primeiro princípio: agregação ou desagregação dos quatro elementos (fogo, terra, água e o ar).
  • 21. EMPÉDOCLES DE AGRIGENTO Por ser cada elemento eterno e incorruptível, eles permanecem os mesmos – herança dos eleatas –, mas, com sua contínua agregação e desagregação, dão origem à multiplicidade do mundo e ao devir. As forças agregadoras e desagregadoras são respectivamente o amor e o ódio.
  • 22. DEMÓCRITO DE ADBERA Primeiro princípio: ÁTOMO, do qual tudo deriva. 1ª teoria atômica: um espaço vazio separa os átomos, permitindo-lhes que se movam livremente.
  • 23. DEMÓCRITO E LEUCIPO Como os átomos se movem, podem colidir um com outro para formar novas disposições de átomos, de modo que os objetos no mundo parecem mudar. Os 2 pensadores consideravam que há um número infinito desses átomos eternos, mas que o número de diferentes combinações aos quais eles podem se ajustar é finito.
  • 24. ANAXIMANDRO Primeiro princípio: apeíron, o ilimitado, indeterminado e infinito. Todas as coisas que existem são diversas tanto em qualidade quanto em quantidade. 1º a utilizar o termo técnico arché para designar o princípio fundamental de tudo.
  • 25. ANAXÁGORAS Primeiro princípio: NOUS. A mente, a inteligência. As estrelas, a Lua e o Sol são rochas, não deuses.
  • 26. PERÍODO CLÁSSICO Período mitológico= preocupação cosmogônica (cosmos= universo + gonos= origem)
  • 27. PERÍODO CLÁSSICO Período pré-socrático= preocupação cosmológica (lógica do cosmos)
  • 28. PERÍODO CLÁSSICO Período clássico= preocupação antropológica (antropos=homem + logia= explicação) A filosofia se volta para o homem interior e exterior.
  • 29. PERÍODO CLÁSSICO Séc. V a.C, na Grécia, Atenas se firma como grande capital, ao organizar a resistência das cidades gregas contra a Pérsia, de Dario (Guerras Médicas).
  • 30. PERÍODO CLÁSSICO 3 grandes figuras= Sócrates, Platão e Aristóteles, além dos sofistas, professores itinerantes que cobravam por seus ensinamentos.
  • 31. PERÍODO CLÁSSICO Nesse tempo a filosofia amadurece, tomando conta do pensar grego, dando-lhe: racionalidade, lógica, rigor argumentativo e preocupação com a educação.
  • 32. PERÍODO CLÁSSICO Este último, que era muito importante, agora torna-se vital para a formação do cidadão que almeja influir nos rumos da cidade.