SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Baixar para ler offline
Prof. Ju Corvino
Podemos dizer que a filosofia surge quando os seres humanos começam a exigir provas e justificações racionais que validasse ou invalidasse as crenças cotidianas. 
A primeira atitude filosófica é negativa, isto é, dizer não aos preconceitos. A segunda é positiva, ou seja, é uma interrogação sobre o porquê das coisas.
Atribui-se ao filósofo Pitágoras a invenção da palavra filosofia. 
Philo dizer “aquele que tem sentimento amigável”. Sophia quer dizer “sabedoria”. 
Nasceu na Grécia, no fim do séc. VII a. C. 
Cosmologia: a filosofia nasce como conhecimento racional da ordem do mundo. 
O Mito e a filosofia.
RUPTURA 
Para Friedrich Hegel (1770-1831) há uma diferença entre filosofia e mitologia: 
Na filosofia oriental, dizia-se que a verdade é um absoluto indeterminável. -> A verdade não pode ser conhecida. 
A filosofia ocidental, que nasce na Grécia, diz que não há uma coisa indefinida, todas as coisas são reais. 
Assim, para Hegel é impossível dissociar a filosofia de fatos históricos, como a criação da democracia.
John Brunet (1863-1928) dizia que a filosofia tinha sua fundamentação na lógica e na razão. Para ele, a mitologia não fazia questão de esconder suas contradições desprovidas de lógica. 
Se utilizava de fatos passados para explicar o presente. 
A atitude da filosofia não se assemelha com a da mitologia: ela busca o conhecimento independentemente do tempo e espera encontrar respostas por causas e não por crenças.
CONTINUIDADE 
Para Werner Jaeger (1888-1961), a filosofia nasce do mito. Diz que os textos afirmavam que os deuses tinham forma humana e que este era o primeiro sinal de que o grego quer transformar o divino em algo familiar. 
No mesmo rumo, Conford (1874-1943) dizia que a filosofia somente tirou o fantástico da mitologia, colocando frases e pensamentos mais racionais e menos metafóricos.
Corrente que diz que a filosofia toma emprestado alguns temas da mitologia para transformá-lo em algo novo. 
Então, o que é mitologia? É uma história, que por meio de alegorias, metáforas, tenta compreender o universo. 
Para fazer sentido, é necessário que se aceite o mito, que acredite nele como algo certo. É uma doutrina. 
Por outro lado... A linguagem filosófica tenta adquirir um conhecimento de caráter mais lógico.
Logos: pensamento, inteligência, razão, faculdade de raciocinar, princípio, motivo... A filosofia antiga(grega) buscava encontrar o logos do universo, a causa racional de tudo. 
Physis: quer dizer natureza. Responsável pelo nascimento e morte de todos os seres. 
Arkhé: aquilo que está à frente; o princípio de todas as coisas.
Caráter Crítico: diferente do senso comum. 
Racionalidade: busca comprovar empiricamente. 
Conclusão: a razão nunca deve ser imposta, mas explicada. 
Respeito: respeitar a opinião alheia mesmo que não concorde. 
Sem preconceitos: nada pode ser colocado como verdade antes que se faça uma investigação racional. 
Generalização: busca por uma verdade geral, que sirva para o todo.
Viagens marítimas 
Invenção do calendário 
Invenção da moeda 
Invenção da escrita 
Invenção da política 
Surgimento das Pólis
São quatro: 
1) Período Pré Socrático ou Cosmológico 
2) Período Socrático ou Antropológico 
3) Período Sistemático 
4) Período Helenístico
Principais filósofos: Tales de Mileto e Pitágoras. 
Principais ideias: busca explicação racional e sistemática sobre a origem, ordem e transformação da natureza; 
Não admite a criação a partir do nada: acredita na transformação. “Nada se cria, tudo se transforma”;.
A Physis (natureza) não pode ser conhecida pelo sensorial, mas sim pelo pensamento; 
A physis é imortal, mas os seres são mortais 
A physis está em constante kinésis, que acontece de forma regrada, concreta.
Tales de Mileto “Tudo é água” 
Foi o primeiro a querer tentar entender o Universo e seus 
fenômenos. 
ÁGUA = UNIVERSO 
Apesar de mudar de aparência, permanece a mesma em sua essência. 
A água é associada também à vida: um cadáver é seco. 
Permite o processo de mudança de todas as coisas -> DEVIR. 
A multiplicidade do universo tem uma causa comum.
Criou um dos primeiros mapa mundi que temos conhecimento, dizendo que a Terra não era sustentada por nada. 
Para este autor é impossível determinar o princípio gerador da physis, pois acredita ser a união de todos os elementos. 
A essência da physis é indeterminada (ápeiron). Portanto, o princípio, a realidade, só pode ser infinita (eterna). 
Judaísmo, Cristianismo, Islamismo.
Pitágoras acreditava que a tudo na physis estava relacionado com os números. 
Portanto, as fenômenos naturais poderiam ser traduzidos por equações matemáticas. 
Não consideram os números como coisas abstratas. 
Atomistas 
Já os atomistas diziam que não havia um elemento único formador do universo, mas que este era composto pela ligação de vários átomos.
O universo está em constante mudança, e tudo se transforma em seu contrário. 
“Nos mesmos rios entramos e não entramos. Somos e não somos.” 
Os nossos sentidos nos enganam porque enxergamos as coisas imóveis. 
O mundo faz sentido em seus pares contrários, e é nessa multiplicidade que temos a formação da unidade que permite o conhecimento.
A guerra entre os opostos gera harmonia, fazendo com que todas as coisas entrem em ordem. 
Os contrários geram uma unidade fundamental para o bem estar da sociedade, ou seja, a concepção de doença é que torna importante a noção de saúde. 
Os opostos não vivem uns sem os outros. TUDO É UM. 
Necessidade do logos para compreender essa guerra entre os opostos.
Filósofo do Ser e do Não Ser. 
Considerava que as transformações do universo não revelavam a verdade. 
O que é verdadeiro nunca muda. 
ONTOLOGIA 
“Estudo do ser”. A palavra é formada através dos termos gregos “ontos” (ser) e “logos” (estudo, discurso). 
Parte da filosofia que estuda a natureza do ser, a existência e a realidade, procurando determinar as categorias fundamentais e as relações do “ser enquanto ser”.
Conta sua visão de mundo através de um poema filosófico de nome “Sobre a natureza”. 
Personagem: Deusa -> é ela que revela a verdade. 
Partes: Via da Verdade; Via da opinião ou Via do Erro.
Com os nossos sentidos, podemos viver no mundo das coisas, do cotidiano, onde todas as coisas nascem, crescem e morrem. 
Por meio dos nossos sentidos podemos perceber que nada permanece igual, isto é, tudo muda. 
A esse universo que muda o tempo todo ele deu o nome de não-ser, isto é, uma ilusão.
Além dos sentidos há o intelecto ( o logos). 
Por meio do pensamento podemos enxergar outro mundo, e conhecemos um ser perfeito, que nunca muda por já estar completo. 
Pra ele o universo não nasce, pois sempre existiu! O universo só tem presente porque passado e futuro são impossíveis. 
A esse universo pleno ele deu o nome de Ser. 
Discordava das ideias de Heráclito. Nós não devemos confiar em nossos sentidos, mas devemos usar a razão para compreender o mundo de verdade.
“ O Ser é e não pode não ser; o Não Ser não é e não pode ser de modo algum.”
O que se vê no mundo é uma sucessão de acontecimentos que não devem ser confundidos com o verdadeiro Ser. 
1) O ser é todo inteiro - se o ser tivesse partes, algo nele seria separado, não fazendo parte do ser, mas isso seria não-ser. Consequentemente, o ser, sendo uno e indivisível, não pode ter partes. 
2) O ser é imutável - o ser não pode ter surgido do não-ser ou tornar-se não-ser, já que o ser só pode ser idêntico a si mesmo - e não pode ser e não-ser ao mesmo tempo. Acreditar que o ser foi gerado significa dizer que houve um tempo em que o ser era não-ser, o que é contraditório. Logo, o ser é eterno, sem começo nem fim.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
 
ORIGEM DA FILOSOFIA
ORIGEM DA FILOSOFIA ORIGEM DA FILOSOFIA
ORIGEM DA FILOSOFIA
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
Aulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platãoAulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platão
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesAula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
O surgimento da filosofia
O surgimento da filosofiaO surgimento da filosofia
O surgimento da filosofia
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
 
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
 
Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
Aula 01   filosofia mito, natureza e razãoAula 01   filosofia mito, natureza e razão
Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
 
Aula 1 filosofia no ENEM
Aula 1 filosofia no ENEMAula 1 filosofia no ENEM
Aula 1 filosofia no ENEM
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Filosofia - helenistica
Filosofia - helenistica Filosofia - helenistica
Filosofia - helenistica
 
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia ContemporâneaAula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
 
O nascimento da filosofia
O nascimento da filosofiaO nascimento da filosofia
O nascimento da filosofia
 

Destaque

Os pré socráticos
Os pré socráticosOs pré socráticos
Os pré socráticosMarina Leite
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosJecyane
 
Filosofia paola 13m p
Filosofia paola 13m pFilosofia paola 13m p
Filosofia paola 13m palemisturini
 
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.Altair Moisés Aguilar
 
Filosofia da natureza
Filosofia da naturezaFilosofia da natureza
Filosofia da naturezaErandi Lima
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postarJosé Ferreira Júnior
 
Apresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticos
Apresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticosApresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticos
Apresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticosEuza Raquel
 
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesIntrodução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesDiego Sampaio
 
Dos pré socráticos ao medievais
Dos pré socráticos ao medievaisDos pré socráticos ao medievais
Dos pré socráticos ao medievaisAlan
 
Filosofia em movimento2
Filosofia em movimento2Filosofia em movimento2
Filosofia em movimento2Erica Frau
 
Curso online disciplinas para concursos fundamentos filosoficos da educacao
Curso online disciplinas para concursos   fundamentos filosoficos da educacaoCurso online disciplinas para concursos   fundamentos filosoficos da educacao
Curso online disciplinas para concursos fundamentos filosoficos da educacaoUnichristus Centro Universitário
 
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumoCarla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumoCarla Geanfrancisco Falasca
 

Destaque (20)

Pré socráticos slides
Pré socráticos slidesPré socráticos slides
Pré socráticos slides
 
Os pré socráticos
Os pré socráticosOs pré socráticos
Os pré socráticos
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-Socráticos
 
Filósofos Pré Socráticos
Filósofos Pré SocráticosFilósofos Pré Socráticos
Filósofos Pré Socráticos
 
Filosofia paola 13m p
Filosofia paola 13m pFilosofia paola 13m p
Filosofia paola 13m p
 
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
Os Filósofos Pré-Socráticos - Prof. Altair Aguilar.
 
Filosofia da natureza
Filosofia da naturezaFilosofia da natureza
Filosofia da natureza
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
 
Apresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticos
Apresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticosApresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticos
Apresentação de Mito e Filosofia/ Pré-socráticos
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
Tales de mileto
Tales de miletoTales de mileto
Tales de mileto
 
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e SócratesIntrodução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
Introdução à Filosofia - Os Pré-socráticos, Os Sofistas e Sócrates
 
Período Socrático
Período SocráticoPeríodo Socrático
Período Socrático
 
Dos pré socráticos ao medievais
Dos pré socráticos ao medievaisDos pré socráticos ao medievais
Dos pré socráticos ao medievais
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 
Filosofia em movimento2
Filosofia em movimento2Filosofia em movimento2
Filosofia em movimento2
 
Parfor calendário-2011
Parfor calendário-2011Parfor calendário-2011
Parfor calendário-2011
 
Curso online disciplinas para concursos fundamentos filosoficos da educacao
Curso online disciplinas para concursos   fundamentos filosoficos da educacaoCurso online disciplinas para concursos   fundamentos filosoficos da educacao
Curso online disciplinas para concursos fundamentos filosoficos da educacao
 
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumoCarla geanfrancisco   filosofia para iniciantes - resumo
Carla geanfrancisco filosofia para iniciantes - resumo
 
Curso online fundamentos filosoficos da educacao
Curso online fundamentos filosoficos da educacaoCurso online fundamentos filosoficos da educacao
Curso online fundamentos filosoficos da educacao
 

Semelhante a Filósofos Pré socráticos

Aula 01 - Origens da Filosofia
Aula 01 - Origens da FilosofiaAula 01 - Origens da Filosofia
Aula 01 - Origens da FilosofiaWilliam Ananias
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana19121992
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofiaGutt1848
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpAlexandre Misturini
 
A filosofia na Hélade
A filosofia na HéladeA filosofia na Hélade
A filosofia na Héladejfmerces
 
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)Pedro Freitas
 
37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf
37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf
37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdfAndersonVinicius16
 
A metafísica na época clássica
A metafísica na época clássicaA metafísica na época clássica
A metafísica na época clássicamaria bertoldi
 
Aula 01 mitologia e filosofia
Aula 01   mitologia e filosofiaAula 01   mitologia e filosofia
Aula 01 mitologia e filosofiaJocélio Lima
 
2º Aula em busca da verdade.pptx
2º Aula em busca da verdade.pptx2º Aula em busca da verdade.pptx
2º Aula em busca da verdade.pptxFlavioCandido8
 
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia   dos Pré Socráticos ao HelenismoHistória da Filosofia   dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao HelenismoLucio Oliveira
 
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís Turma Olímpica
 
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoPassagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoRafael Oliveira
 
Mundo de Sofia Resumo
Mundo de Sofia ResumoMundo de Sofia Resumo
Mundo de Sofia ResumoLuci Bonini
 

Semelhante a Filósofos Pré socráticos (20)

Aula 01 - Origens da Filosofia
Aula 01 - Origens da FilosofiaAula 01 - Origens da Filosofia
Aula 01 - Origens da Filosofia
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
 
A filosofia na Hélade
A filosofia na HéladeA filosofia na Hélade
A filosofia na Hélade
 
A origem da filosofia
A origem da filosofia A origem da filosofia
A origem da filosofia
 
Logica
LogicaLogica
Logica
 
Periodos da filosofia
Periodos da filosofiaPeriodos da filosofia
Periodos da filosofia
 
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)Trabalho de Filosofia (2° Ano)
Trabalho de Filosofia (2° Ano)
 
37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf
37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf
37869_872da47bdc6d22172a3eaa3a59548276.pdf
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 
A metafísica na época clássica
A metafísica na época clássicaA metafísica na época clássica
A metafísica na época clássica
 
Filosofias helenisticas
Filosofias helenisticasFilosofias helenisticas
Filosofias helenisticas
 
Aula 01 mitologia e filosofia
Aula 01   mitologia e filosofiaAula 01   mitologia e filosofia
Aula 01 mitologia e filosofia
 
Filosofia suple
Filosofia supleFilosofia suple
Filosofia suple
 
2º Aula em busca da verdade.pptx
2º Aula em busca da verdade.pptx2º Aula em busca da verdade.pptx
2º Aula em busca da verdade.pptx
 
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia   dos Pré Socráticos ao HelenismoHistória da Filosofia   dos Pré Socráticos ao Helenismo
História da Filosofia dos Pré Socráticos ao Helenismo
 
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
Os Primeiros Filósofos e o Conhecimento - João Luís
 
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosóficoPassagem do pensamento mítico ao filosófico
Passagem do pensamento mítico ao filosófico
 
Mundo de Sofia Resumo
Mundo de Sofia ResumoMundo de Sofia Resumo
Mundo de Sofia Resumo
 

Mais de Juliana Corvino de Araújo (15)

Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Período Sistemático - novo
Período Sistemático - novoPeríodo Sistemático - novo
Período Sistemático - novo
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul SartreFilosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Kant
KantKant
Kant
 
Francis bacon
Francis baconFrancis bacon
Francis bacon
 
Descartes
DescartesDescartes
Descartes
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
 
Filosofia Medieval
Filosofia MedievalFilosofia Medieval
Filosofia Medieval
 
Modernidade
ModernidadeModernidade
Modernidade
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
Período Sistemático
Período Sistemático Período Sistemático
Período Sistemático
 
Filosofia Socrática
Filosofia SocráticaFilosofia Socrática
Filosofia Socrática
 

Último

Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 

Último (20)

Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 

Filósofos Pré socráticos

  • 2. Podemos dizer que a filosofia surge quando os seres humanos começam a exigir provas e justificações racionais que validasse ou invalidasse as crenças cotidianas. A primeira atitude filosófica é negativa, isto é, dizer não aos preconceitos. A segunda é positiva, ou seja, é uma interrogação sobre o porquê das coisas.
  • 3.
  • 4. Atribui-se ao filósofo Pitágoras a invenção da palavra filosofia. Philo dizer “aquele que tem sentimento amigável”. Sophia quer dizer “sabedoria”. Nasceu na Grécia, no fim do séc. VII a. C. Cosmologia: a filosofia nasce como conhecimento racional da ordem do mundo. O Mito e a filosofia.
  • 5. RUPTURA Para Friedrich Hegel (1770-1831) há uma diferença entre filosofia e mitologia: Na filosofia oriental, dizia-se que a verdade é um absoluto indeterminável. -> A verdade não pode ser conhecida. A filosofia ocidental, que nasce na Grécia, diz que não há uma coisa indefinida, todas as coisas são reais. Assim, para Hegel é impossível dissociar a filosofia de fatos históricos, como a criação da democracia.
  • 6. John Brunet (1863-1928) dizia que a filosofia tinha sua fundamentação na lógica e na razão. Para ele, a mitologia não fazia questão de esconder suas contradições desprovidas de lógica. Se utilizava de fatos passados para explicar o presente. A atitude da filosofia não se assemelha com a da mitologia: ela busca o conhecimento independentemente do tempo e espera encontrar respostas por causas e não por crenças.
  • 7. CONTINUIDADE Para Werner Jaeger (1888-1961), a filosofia nasce do mito. Diz que os textos afirmavam que os deuses tinham forma humana e que este era o primeiro sinal de que o grego quer transformar o divino em algo familiar. No mesmo rumo, Conford (1874-1943) dizia que a filosofia somente tirou o fantástico da mitologia, colocando frases e pensamentos mais racionais e menos metafóricos.
  • 8.
  • 9. Corrente que diz que a filosofia toma emprestado alguns temas da mitologia para transformá-lo em algo novo. Então, o que é mitologia? É uma história, que por meio de alegorias, metáforas, tenta compreender o universo. Para fazer sentido, é necessário que se aceite o mito, que acredite nele como algo certo. É uma doutrina. Por outro lado... A linguagem filosófica tenta adquirir um conhecimento de caráter mais lógico.
  • 10.
  • 11. Logos: pensamento, inteligência, razão, faculdade de raciocinar, princípio, motivo... A filosofia antiga(grega) buscava encontrar o logos do universo, a causa racional de tudo. Physis: quer dizer natureza. Responsável pelo nascimento e morte de todos os seres. Arkhé: aquilo que está à frente; o princípio de todas as coisas.
  • 12. Caráter Crítico: diferente do senso comum. Racionalidade: busca comprovar empiricamente. Conclusão: a razão nunca deve ser imposta, mas explicada. Respeito: respeitar a opinião alheia mesmo que não concorde. Sem preconceitos: nada pode ser colocado como verdade antes que se faça uma investigação racional. Generalização: busca por uma verdade geral, que sirva para o todo.
  • 13. Viagens marítimas Invenção do calendário Invenção da moeda Invenção da escrita Invenção da política Surgimento das Pólis
  • 14. São quatro: 1) Período Pré Socrático ou Cosmológico 2) Período Socrático ou Antropológico 3) Período Sistemático 4) Período Helenístico
  • 15. Principais filósofos: Tales de Mileto e Pitágoras. Principais ideias: busca explicação racional e sistemática sobre a origem, ordem e transformação da natureza; Não admite a criação a partir do nada: acredita na transformação. “Nada se cria, tudo se transforma”;.
  • 16. A Physis (natureza) não pode ser conhecida pelo sensorial, mas sim pelo pensamento; A physis é imortal, mas os seres são mortais A physis está em constante kinésis, que acontece de forma regrada, concreta.
  • 17. Tales de Mileto “Tudo é água” Foi o primeiro a querer tentar entender o Universo e seus fenômenos. ÁGUA = UNIVERSO Apesar de mudar de aparência, permanece a mesma em sua essência. A água é associada também à vida: um cadáver é seco. Permite o processo de mudança de todas as coisas -> DEVIR. A multiplicidade do universo tem uma causa comum.
  • 18. Criou um dos primeiros mapa mundi que temos conhecimento, dizendo que a Terra não era sustentada por nada. Para este autor é impossível determinar o princípio gerador da physis, pois acredita ser a união de todos os elementos. A essência da physis é indeterminada (ápeiron). Portanto, o princípio, a realidade, só pode ser infinita (eterna). Judaísmo, Cristianismo, Islamismo.
  • 19. Pitágoras acreditava que a tudo na physis estava relacionado com os números. Portanto, as fenômenos naturais poderiam ser traduzidos por equações matemáticas. Não consideram os números como coisas abstratas. Atomistas Já os atomistas diziam que não havia um elemento único formador do universo, mas que este era composto pela ligação de vários átomos.
  • 20. O universo está em constante mudança, e tudo se transforma em seu contrário. “Nos mesmos rios entramos e não entramos. Somos e não somos.” Os nossos sentidos nos enganam porque enxergamos as coisas imóveis. O mundo faz sentido em seus pares contrários, e é nessa multiplicidade que temos a formação da unidade que permite o conhecimento.
  • 21. A guerra entre os opostos gera harmonia, fazendo com que todas as coisas entrem em ordem. Os contrários geram uma unidade fundamental para o bem estar da sociedade, ou seja, a concepção de doença é que torna importante a noção de saúde. Os opostos não vivem uns sem os outros. TUDO É UM. Necessidade do logos para compreender essa guerra entre os opostos.
  • 22. Filósofo do Ser e do Não Ser. Considerava que as transformações do universo não revelavam a verdade. O que é verdadeiro nunca muda. ONTOLOGIA “Estudo do ser”. A palavra é formada através dos termos gregos “ontos” (ser) e “logos” (estudo, discurso). Parte da filosofia que estuda a natureza do ser, a existência e a realidade, procurando determinar as categorias fundamentais e as relações do “ser enquanto ser”.
  • 23. Conta sua visão de mundo através de um poema filosófico de nome “Sobre a natureza”. Personagem: Deusa -> é ela que revela a verdade. Partes: Via da Verdade; Via da opinião ou Via do Erro.
  • 24. Com os nossos sentidos, podemos viver no mundo das coisas, do cotidiano, onde todas as coisas nascem, crescem e morrem. Por meio dos nossos sentidos podemos perceber que nada permanece igual, isto é, tudo muda. A esse universo que muda o tempo todo ele deu o nome de não-ser, isto é, uma ilusão.
  • 25. Além dos sentidos há o intelecto ( o logos). Por meio do pensamento podemos enxergar outro mundo, e conhecemos um ser perfeito, que nunca muda por já estar completo. Pra ele o universo não nasce, pois sempre existiu! O universo só tem presente porque passado e futuro são impossíveis. A esse universo pleno ele deu o nome de Ser. Discordava das ideias de Heráclito. Nós não devemos confiar em nossos sentidos, mas devemos usar a razão para compreender o mundo de verdade.
  • 26. “ O Ser é e não pode não ser; o Não Ser não é e não pode ser de modo algum.”
  • 27. O que se vê no mundo é uma sucessão de acontecimentos que não devem ser confundidos com o verdadeiro Ser. 1) O ser é todo inteiro - se o ser tivesse partes, algo nele seria separado, não fazendo parte do ser, mas isso seria não-ser. Consequentemente, o ser, sendo uno e indivisível, não pode ter partes. 2) O ser é imutável - o ser não pode ter surgido do não-ser ou tornar-se não-ser, já que o ser só pode ser idêntico a si mesmo - e não pode ser e não-ser ao mesmo tempo. Acreditar que o ser foi gerado significa dizer que houve um tempo em que o ser era não-ser, o que é contraditório. Logo, o ser é eterno, sem começo nem fim.