SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
Aprender e ensinar com foco na educação híbrida
Lilian Bacich; José Moran
Revista Pátio, nº 25, junho, 2015, p. 45-47. Disponível em: http://www.grupoa.com.br/revista-
patio/artigo/11551/aprender-e-ensinar-com-foco-na-educacao-hibrida.aspx
A integração cada vez maior entre sala de aula e ambientes virtuais é fundamental para abrir a
escola para o mundo e trazer o mundo para dentro da escola.
Híbrido significa misturado, mesclado, blended. A educação sempre foi misturada, híbrida,
sempre combinou vários espaços, tempos, atividades, metodologias, públicos. Agora esse
processo, com a mobilidade e a conectividade, é muito mais perceptível, amplo e profundo:
trata-se de um ecossistema mais aberto e criativo. O ensino também é híbrido, porque não se
reduz ao que planejamos institucionalmente, intencionalmente. Aprendemos através de
processos organizados, junto com processos abertos, informais. Aprendemos quando estamos
com um professor e aprendemos sozinhos, com colegas, com desconhecidos. Aprendemos
intencionalmente e aprendemos espontaneamente.
Falar em educação híbrida significa partir do pressuposto de que não há uma única forma de
aprender e, por consequência, não há uma única forma de ensinar. Existem diferentes
maneiras de aprender e ensinar. O trabalho colaborativo pode estar aliado ao uso das
tecnologias digitais e propiciar momentos de aprendizagem e troca que ultrapassam as
barreiras da sala de aula. Aprender com os pares torna-se ainda mais significativo quando há
um objetivo comum a ser alcançado pelo grupo.
Colaboração e uso de tecnologia não são ações antagônicas. As críticas sobre o isolamento que
as tecnologias digitais ocasionam não podem ser consideradas em uma ação escolar realmente
integrada, na qual as tecnologias como um fim em si mesmas não se sobreponham à discussão
nem à articulação de ideias que podem ser proporcionadas em um trabalho colaborativo.
Nesse sentido, um simples jogo ou atividade realizada no formato digital pode servir como
inspiração para uma ação integradora, e não individual.
As estratégias de condução da aula devem ser repensadas. Os modelos de rotação, propostos
pelo Instituto Clayton Christensen (Christensen, 2012), podem ser utilizados com tal propósito.
Nessa abordagem, os estudantes são organizados em grupos e revezam as atividades
realizadas de acordo com um horário fixo ou com a orientação do professor. As formas de
organização das salas para os modelos de rotação são descritas a seguir.
1. Rotação por estações: os estudantes são organizados em grupos, e cada um desses grupos
realiza uma tarefa de acordo com os objetivos do professor para a aula. Um dos grupos estará
envolvido com propostas on-line que, de certa forma, independem do acompanhamento
direto do professor. É importante notar a valorização de momentos em que os alunos possam
trabalhar colaborativamente e momentos em que trabalhem individualmente. Após
determinado tempo, previamente combinado com os estudantes, eles trocam de grupo, e esse
revezamento continua até que todos tenham passado por todos os grupos. As atividades
planejadas não seguem uma ordem de realização, sendo de certo modo independentes,
embora funcionem de maneira integrada para que, ao final da aula, todos tenham tido a
oportunidade de ter acesso aos mesmos conteúdos.
2. Laboratório rotacional: os estudantes usam o espaço da sala de aula e o laboratório de
informática ou outro espaço com tablets ou computadores, pois o trabalho acontecerá de
forma on-line. Assim, os alunos que forem direcionados ao laboratório trabalharão nos
computadores individualmente, de maneira autônoma, para cumprir os objetivos fixados pelo
professor, que estará, com outra parte da turma, realizando sua aula da maneira que
considerar mais adequada.
A proposta é semelhante ao modelo de rotação por estações, em que os alunos fazem essa
rotação em sala de aula; porém, no laboratório rotacional, eles devem dirigir-se aos
laboratórios, onde trabalharão individualmente nos computadores, sendo acompanhados por
um professor tutor. Esse modelo é sugerido para potencializar o uso dos computadores em
escolas que contam com laboratórios de informática.
3. Sala de aula invertida: a teoria é estudada em casa, no formato on-line, por meio de leituras
e vídeos, enquanto o espaço da sala de aula é utilizado para discussões, resolução de
atividades, entre outras propostas. No entanto, podemos considerar algumas maneiras de
aprimorar esse modelo, envolvendo a descoberta, a experimentação, como proposta inicial
para os estudantes, ou seja, oferecer possibilidades de interação com o fenômeno antes do
estudo da teoria. Diversos estudos têm demonstrado que os estudantes constroem sua visão
sobre o mundo ativando conhecimentos prévios e integrando as novas informações com as
estruturas cognitivas já existentes para que possam, então, pensar criticamente sobre os
conteúdos ensinados. Essas pesquisas também indicam que os alunos desenvolvem
habilidades de pensamento crítico e têm uma melhor compreensão conceitual sobre uma ideia
quando exploram um domínio primeiro e, a partir disso, têm contato com uma forma clássica
de instrução, como uma palestra, um vídeo ou a leitura de um texto.
4. Rotação individual: cada aluno tem uma lista das propostas que deve completar durante
uma aula. Aspectos como avaliar para personalizar devem estar muito presentes nessa
proposta, visto que a elaboração de um plano de rotação individual só faz sentido se tiver
como foco o caminho a ser percorrido pelo estudante de acordo com suas dificuldades ou
facilidades, identificadas em alguma avaliação inicial ou prévia. A diferença desse modelo para
outros modelos de rotação é que os estudantes não rotacionam, necessariamente, por todas
as modalidades ou estações propostas. Sua agenda diária é individual, customizada conforme
as suas necessidades. Em algumas situações, o tempo de rotação é livre, variando de acordo
com as necessidades dos estudantes. Em outras situações, pode não ocorrer rotação e, ainda,
pode ser necessária a determinação de um tempo para o uso dos computadores disponíveis. O
modo de condução dependerá das características do aluno e das opções feitas pelo professor
para encaminhar a atividade.
Conclusão
A integração cada vez maior entre sala de aula e ambientes virtuais é fundamental para abrir a
escola para o mundo e trazer o mundo para dentro da escola. Outra integração necessária é a
de prever processos de comunicação mais planejados, organizados e formais com outros mais
abertos, como os que acontecem nas redes sociais, em que há uma linguagem mais familiar,
uma espontaneidade maior, uma fluência constante de imagens, ideias e vídeos.
Os jogos e as aulas roteirizadas com a linguagem de jogos estão cada vez mais presentes no
cotidiano escolar. A combinação de aprendizagem por desafios, problemas reais e jogos com a
aula invertida é muito importante para que os alunos aprendam fazendo, aprendam juntos e
aprendam no próprio ritmo. São muitas questões que impactam a questão da educação
híbrida, que não se reduz a metodologias ativas, ao mix de presencial e on-line, de sala de aula
e outros espaços. Essa prática mostra que, de um lado, ensinar e aprender nunca foi tão
fascinante graças às inúmeras oportunidades oferecidas; de outro, pode ser frustrante devido
às dificuldades em conseguir que todos desenvolvam seu potencial e realmente se mobilizem
para evoluir sempre mais.
A educação híbrida precisa ser pensada no âmbito de modelos curriculares que propõem
mudanças, privilegiando a aprendizagem ativa dos alunos — individualmente e em grupo,
escolhendo-se fundamentalmente dois caminhos: um mais suave, de mudanças progressivas, e
outro mais amplo, de mudanças profundas. No caminho mais suave, elas mantêm o modelo
curricular predominante (disciplinar), mas priorizam o envolvimento maior do aluno, com
metodologias ativas, como o ensino híbrido, para a realização de projetos, jogos de cunho mais
interdisciplinar e, em especial, a aula invertida para iniciar com a primeira aproximação a um
tema ou atividade no ambiente virtual e realizar o aprofundamento com a mediação do
professor no ambiente presencial.
As instituições mais inovadoras propõem modelos educacionais mais integrados, sem
disciplinas. Organizam o projeto pedagógico a partir de valores, competências amplas,
problemas e projetos, equilibrando a aprendizagem individualizada com a colaborativa;
redesenham os espaços físicos, combinando-os aos virtuais com o apoio de tecnologias
digitais. As atividades podem ser muito mais diversificadas, com metodologias mais ativas, que
combinem o melhor do percurso individual e grupal.
As tecnologias móveis e em rede permitem não só conectar todos os espaços, mas também
elaborar políticas diferenciadas de organização de processos de ensino-aprendizagem
adaptados a cada situação, ou seja, aos que são mais proativos e aos mais passivos; aos muito
rápidos e aos mais lentos; aos que precisam de muita tutoria e acompanhamento e aos que
sabem aprender sozinhos. Conviveremos nos próximos anos com modelos ativos não
disciplinares e disciplinares com graus diferentes de “misturas”, de flexibilização, de
hibridização.
 Lilian Bacich é psicóloga, pedagoga e mestre em Educação. lilian.bacich@usp.br
 José Moran é doutor em Comunicação e professor aposentado da
USP. moran10@gmail.com
http://www.grupoa.com.br/revista-patio/artigo/11551/aprender-e-ensinar-com-foco-na-
educacao-hibrida.aspx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticasEnsino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticasLuciano Sathler
 
Planejamento com metodologias ativas no ensino hibrido
Planejamento com metodologias ativas no ensino hibridoPlanejamento com metodologias ativas no ensino hibrido
Planejamento com metodologias ativas no ensino hibridoCleide Muñoz
 
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...Juliana Aguiar
 
Aprendizagem híbrida no ensino superior
Aprendizagem híbrida no ensino superiorAprendizagem híbrida no ensino superior
Aprendizagem híbrida no ensino superiorCíntia Rabello
 
Aprendizagem híbrida
Aprendizagem híbridaAprendizagem híbrida
Aprendizagem híbridajeaneclarice
 
Didática e Ensino Remoto: planejamento
Didática e Ensino Remoto: planejamento Didática e Ensino Remoto: planejamento
Didática e Ensino Remoto: planejamento Leonardo Severo
 
Transformando a sala de aula
Transformando a sala de aulaTransformando a sala de aula
Transformando a sala de aulaMupi
 
Perguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
Perguntas e Respostas sobre Ensino HíbridoPerguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
Perguntas e Respostas sobre Ensino Híbridorosemaralopes
 
Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas
Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas
Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas Desafios da Educação
 
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoMediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoUFPE
 
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-LearningConceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-LearningPaula Peres
 
Curso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de ProjetosCurso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de Projetosanilzabrasil
 
Educação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinar
Educação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinarEducação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinar
Educação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinarKiver Teixeira
 

Mais procurados (20)

Educação inovadora
Educação inovadoraEducação inovadora
Educação inovadora
 
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticasEnsino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
Ensino Híbrido: Fundamentos e melhores práticas
 
Planejamento com metodologias ativas no ensino hibrido
Planejamento com metodologias ativas no ensino hibridoPlanejamento com metodologias ativas no ensino hibrido
Planejamento com metodologias ativas no ensino hibrido
 
Práticas Inovadoras 2017
Práticas Inovadoras 2017Práticas Inovadoras 2017
Práticas Inovadoras 2017
 
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
Uso do ensino híbrido como proposta de ensino aprendizagem na disciplina a di...
 
Aprendizagem híbrida no ensino superior
Aprendizagem híbrida no ensino superiorAprendizagem híbrida no ensino superior
Aprendizagem híbrida no ensino superior
 
Aprendizagem híbrida
Aprendizagem híbridaAprendizagem híbrida
Aprendizagem híbrida
 
Didática e Ensino Remoto: planejamento
Didática e Ensino Remoto: planejamento Didática e Ensino Remoto: planejamento
Didática e Ensino Remoto: planejamento
 
Transformando a sala de aula
Transformando a sala de aulaTransformando a sala de aula
Transformando a sala de aula
 
Perguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
Perguntas e Respostas sobre Ensino HíbridoPerguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
Perguntas e Respostas sobre Ensino Híbrido
 
Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas
Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas
Metodologias ativas & Ensino híbrido:relatos de práticas
 
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoMediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
 
Tecnologia aliada a educação
Tecnologia aliada a educaçãoTecnologia aliada a educação
Tecnologia aliada a educação
 
sala de aula invertida
sala de aula invertidasala de aula invertida
sala de aula invertida
 
4 an zamklbv08iiefmzcpaucuz6p8wconk8ncneme
4 an zamklbv08iiefmzcpaucuz6p8wconk8ncneme4 an zamklbv08iiefmzcpaucuz6p8wconk8ncneme
4 an zamklbv08iiefmzcpaucuz6p8wconk8ncneme
 
Slides!!
Slides!!Slides!!
Slides!!
 
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-LearningConceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
Conceitos de Aprendizagem, b-Learning, e-Learning
 
Educação 3.0
Educação 3.0Educação 3.0
Educação 3.0
 
Curso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de ProjetosCurso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de Projetos
 
Educação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinar
Educação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinarEducação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinar
Educação 3.0 - Uma forma eficaz de ensinar
 

Destaque

Srovnání programových nabídek iPTV
Srovnání programových nabídek iPTVSrovnání programových nabídek iPTV
Srovnání programových nabídek iPTVJan Brychta
 
Making an outline of a short article
Making an outline of a short articleMaking an outline of a short article
Making an outline of a short articleMichael Paroginog
 
DCMS AKCP Product Presentation
DCMS AKCP Product PresentationDCMS AKCP Product Presentation
DCMS AKCP Product PresentationFanky Christian
 
Caderno do gestor vol 2 2008
Caderno do gestor vol 2 2008Caderno do gestor vol 2 2008
Caderno do gestor vol 2 2008Jeca Tatu
 
Análisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en Internet
Análisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en InternetAnálisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en Internet
Análisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en InternetNéstor Romero
 
Analysis of scavolini's competitors
Analysis of scavolini's competitorsAnalysis of scavolini's competitors
Analysis of scavolini's competitorsKübra Bayram
 
Gjeografia 6 " Hartat"
Gjeografia 6 " Hartat"Gjeografia 6 " Hartat"
Gjeografia 6 " Hartat"Aldo Musaj
 
Organizacao da sala de aula (1)
Organizacao da sala de aula (1)Organizacao da sala de aula (1)
Organizacao da sala de aula (1)Gelson Rocha
 
Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...
Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...
Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...Jean-Christophe Bray
 
Apresentação Total Health
Apresentação Total HealthApresentação Total Health
Apresentação Total HealthMurilo Boarini
 

Destaque (12)

Srovnání programových nabídek iPTV
Srovnání programových nabídek iPTVSrovnání programových nabídek iPTV
Srovnání programových nabídek iPTV
 
Making an outline of a short article
Making an outline of a short articleMaking an outline of a short article
Making an outline of a short article
 
4.pathology apoptosis2016
4.pathology  apoptosis20164.pathology  apoptosis2016
4.pathology apoptosis2016
 
DCMS AKCP Product Presentation
DCMS AKCP Product PresentationDCMS AKCP Product Presentation
DCMS AKCP Product Presentation
 
Caderno do gestor vol 2 2008
Caderno do gestor vol 2 2008Caderno do gestor vol 2 2008
Caderno do gestor vol 2 2008
 
Análisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en Internet
Análisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en InternetAnálisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en Internet
Análisis de los nuevos modelos de negocio innovadores en Internet
 
Pronouns antecedents
Pronouns antecedentsPronouns antecedents
Pronouns antecedents
 
Analysis of scavolini's competitors
Analysis of scavolini's competitorsAnalysis of scavolini's competitors
Analysis of scavolini's competitors
 
Gjeografia 6 " Hartat"
Gjeografia 6 " Hartat"Gjeografia 6 " Hartat"
Gjeografia 6 " Hartat"
 
Organizacao da sala de aula (1)
Organizacao da sala de aula (1)Organizacao da sala de aula (1)
Organizacao da sala de aula (1)
 
Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...
Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...
Final legal tracker transform legal department six months wp (s024326 us) 6 1...
 
Apresentação Total Health
Apresentação Total HealthApresentação Total Health
Apresentação Total Health
 

Semelhante a Educação híbrida: aprender e ensinar com foco na integração sala de aula e ambientes virtuais

“ENSINO HÍBRIDO”.pptx
“ENSINO HÍBRIDO”.pptx“ENSINO HÍBRIDO”.pptx
“ENSINO HÍBRIDO”.pptxReginaCruz59
 
Blended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesBlended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesInge Suhr
 
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...Inge Suhr
 
Sala de aula invertida - PowerPoint
Sala de aula invertida - PowerPointSala de aula invertida - PowerPoint
Sala de aula invertida - PowerPointEmeiliberata
 
O e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestãoO e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestãoJosina Calazans
 
O e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestãoO e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestãoJosina Calazans
 
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?ProjectoFenix
 
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaEstrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaAgrupamento de Escolas da Guia-Pombal
 
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaEstrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaAgrupamento de Escolas da Guia-Pombal
 
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaEstrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaSónia Abrantes
 

Semelhante a Educação híbrida: aprender e ensinar com foco na integração sala de aula e ambientes virtuais (20)

Aprendizagem ativa
Aprendizagem ativaAprendizagem ativa
Aprendizagem ativa
 
Eh sem tecnologia
Eh sem tecnologiaEh sem tecnologia
Eh sem tecnologia
 
“ENSINO HÍBRIDO”.pptx
“ENSINO HÍBRIDO”.pptx“ENSINO HÍBRIDO”.pptx
“ENSINO HÍBRIDO”.pptx
 
Blended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesBlended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as ies
 
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
 
Sala de aula invertida - PowerPoint
Sala de aula invertida - PowerPointSala de aula invertida - PowerPoint
Sala de aula invertida - PowerPoint
 
Personalizando o ensino
Personalizando o ensinoPersonalizando o ensino
Personalizando o ensino
 
Apresenta..r
Apresenta..rApresenta..r
Apresenta..r
 
Salete pae2
Salete pae2Salete pae2
Salete pae2
 
Salete pae2
Salete pae2Salete pae2
Salete pae2
 
WEB 2.0
WEB 2.0WEB 2.0
WEB 2.0
 
Ativ01
Ativ01Ativ01
Ativ01
 
Sala de aula invertida
Sala de aula invertidaSala de aula invertida
Sala de aula invertida
 
O e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestãoO e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestão
 
O e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestãoO e learning e o sistema de gestão
O e learning e o sistema de gestão
 
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
Porquê blogar - Um Blogue no 1º ciclo, porquê e para quê?
 
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaEstrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
 
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaEstrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
 
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisaEstrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
Estrategias pedagogicas especificas_dos_modelos_de_educacao_online_larisa
 
Educação e sociedade da informação
Educação e sociedade da informaçãoEducação e sociedade da informação
Educação e sociedade da informação
 

Mais de Gelson Rocha

Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)Gelson Rocha
 
Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)Gelson Rocha
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoGelson Rocha
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoGelson Rocha
 
Metodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a ejaMetodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a ejaGelson Rocha
 
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Gelson Rocha
 
Comunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiroComunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiroGelson Rocha
 
Os Indígenas Hoje
Os Indígenas HojeOs Indígenas Hoje
Os Indígenas HojeGelson Rocha
 
Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)Gelson Rocha
 
Primeiros dias letivos cgeb (1)
Primeiros dias letivos   cgeb (1)Primeiros dias letivos   cgeb (1)
Primeiros dias letivos cgeb (1)Gelson Rocha
 
Primeiros dias letivos cgeb
Primeiros dias letivos   cgebPrimeiros dias letivos   cgeb
Primeiros dias letivos cgebGelson Rocha
 
PPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas QuilombolasPPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas QuilombolasGelson Rocha
 
Agendamento set e out
Agendamento set e outAgendamento set e out
Agendamento set e outGelson Rocha
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAGelson Rocha
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAGelson Rocha
 

Mais de Gelson Rocha (20)

Acolhimento eja
Acolhimento ejaAcolhimento eja
Acolhimento eja
 
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
Boletim dsg 01_maio_2020_ (2)
 
Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)Boletim dsg 02.2020 julho (2)
Boletim dsg 02.2020 julho (2)
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
 
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismoPauta roteiro de estudo e o protagonismo
Pauta roteiro de estudo e o protagonismo
 
Metodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a ejaMetodologias ativas significativas para a eja
Metodologias ativas significativas para a eja
 
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
 
COMUNICADO 24 JAN
COMUNICADO 24 JANCOMUNICADO 24 JAN
COMUNICADO 24 JAN
 
Comunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiroComunicado COPED 21 janeiro
Comunicado COPED 21 janeiro
 
Os Indígenas Hoje
Os Indígenas HojeOs Indígenas Hoje
Os Indígenas Hoje
 
Edital proeja
Edital proejaEdital proeja
Edital proeja
 
Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)Edital --cultura-africana (2)
Edital --cultura-africana (2)
 
Primeiros dias letivos cgeb (1)
Primeiros dias letivos   cgeb (1)Primeiros dias letivos   cgeb (1)
Primeiros dias letivos cgeb (1)
 
Primeiros dias letivos cgeb
Primeiros dias letivos   cgebPrimeiros dias letivos   cgeb
Primeiros dias letivos cgeb
 
PPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas QuilombolasPPT Narrativas Quilombolas
PPT Narrativas Quilombolas
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Agendamento set e out
Agendamento set e outAgendamento set e out
Agendamento set e out
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJA
 
Reunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJAReunião de Trabalho EJA
Reunião de Trabalho EJA
 
Movimento Negro
Movimento Negro Movimento Negro
Movimento Negro
 

Último

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 

Último (20)

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 

Educação híbrida: aprender e ensinar com foco na integração sala de aula e ambientes virtuais

  • 1. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida Lilian Bacich; José Moran Revista Pátio, nº 25, junho, 2015, p. 45-47. Disponível em: http://www.grupoa.com.br/revista- patio/artigo/11551/aprender-e-ensinar-com-foco-na-educacao-hibrida.aspx A integração cada vez maior entre sala de aula e ambientes virtuais é fundamental para abrir a escola para o mundo e trazer o mundo para dentro da escola. Híbrido significa misturado, mesclado, blended. A educação sempre foi misturada, híbrida, sempre combinou vários espaços, tempos, atividades, metodologias, públicos. Agora esse processo, com a mobilidade e a conectividade, é muito mais perceptível, amplo e profundo: trata-se de um ecossistema mais aberto e criativo. O ensino também é híbrido, porque não se reduz ao que planejamos institucionalmente, intencionalmente. Aprendemos através de processos organizados, junto com processos abertos, informais. Aprendemos quando estamos com um professor e aprendemos sozinhos, com colegas, com desconhecidos. Aprendemos intencionalmente e aprendemos espontaneamente. Falar em educação híbrida significa partir do pressuposto de que não há uma única forma de aprender e, por consequência, não há uma única forma de ensinar. Existem diferentes maneiras de aprender e ensinar. O trabalho colaborativo pode estar aliado ao uso das tecnologias digitais e propiciar momentos de aprendizagem e troca que ultrapassam as barreiras da sala de aula. Aprender com os pares torna-se ainda mais significativo quando há um objetivo comum a ser alcançado pelo grupo. Colaboração e uso de tecnologia não são ações antagônicas. As críticas sobre o isolamento que as tecnologias digitais ocasionam não podem ser consideradas em uma ação escolar realmente integrada, na qual as tecnologias como um fim em si mesmas não se sobreponham à discussão nem à articulação de ideias que podem ser proporcionadas em um trabalho colaborativo. Nesse sentido, um simples jogo ou atividade realizada no formato digital pode servir como inspiração para uma ação integradora, e não individual. As estratégias de condução da aula devem ser repensadas. Os modelos de rotação, propostos pelo Instituto Clayton Christensen (Christensen, 2012), podem ser utilizados com tal propósito. Nessa abordagem, os estudantes são organizados em grupos e revezam as atividades realizadas de acordo com um horário fixo ou com a orientação do professor. As formas de organização das salas para os modelos de rotação são descritas a seguir. 1. Rotação por estações: os estudantes são organizados em grupos, e cada um desses grupos realiza uma tarefa de acordo com os objetivos do professor para a aula. Um dos grupos estará envolvido com propostas on-line que, de certa forma, independem do acompanhamento direto do professor. É importante notar a valorização de momentos em que os alunos possam trabalhar colaborativamente e momentos em que trabalhem individualmente. Após determinado tempo, previamente combinado com os estudantes, eles trocam de grupo, e esse revezamento continua até que todos tenham passado por todos os grupos. As atividades
  • 2. planejadas não seguem uma ordem de realização, sendo de certo modo independentes, embora funcionem de maneira integrada para que, ao final da aula, todos tenham tido a oportunidade de ter acesso aos mesmos conteúdos. 2. Laboratório rotacional: os estudantes usam o espaço da sala de aula e o laboratório de informática ou outro espaço com tablets ou computadores, pois o trabalho acontecerá de forma on-line. Assim, os alunos que forem direcionados ao laboratório trabalharão nos computadores individualmente, de maneira autônoma, para cumprir os objetivos fixados pelo professor, que estará, com outra parte da turma, realizando sua aula da maneira que considerar mais adequada. A proposta é semelhante ao modelo de rotação por estações, em que os alunos fazem essa rotação em sala de aula; porém, no laboratório rotacional, eles devem dirigir-se aos laboratórios, onde trabalharão individualmente nos computadores, sendo acompanhados por um professor tutor. Esse modelo é sugerido para potencializar o uso dos computadores em escolas que contam com laboratórios de informática. 3. Sala de aula invertida: a teoria é estudada em casa, no formato on-line, por meio de leituras e vídeos, enquanto o espaço da sala de aula é utilizado para discussões, resolução de atividades, entre outras propostas. No entanto, podemos considerar algumas maneiras de aprimorar esse modelo, envolvendo a descoberta, a experimentação, como proposta inicial para os estudantes, ou seja, oferecer possibilidades de interação com o fenômeno antes do estudo da teoria. Diversos estudos têm demonstrado que os estudantes constroem sua visão sobre o mundo ativando conhecimentos prévios e integrando as novas informações com as estruturas cognitivas já existentes para que possam, então, pensar criticamente sobre os conteúdos ensinados. Essas pesquisas também indicam que os alunos desenvolvem habilidades de pensamento crítico e têm uma melhor compreensão conceitual sobre uma ideia quando exploram um domínio primeiro e, a partir disso, têm contato com uma forma clássica de instrução, como uma palestra, um vídeo ou a leitura de um texto. 4. Rotação individual: cada aluno tem uma lista das propostas que deve completar durante uma aula. Aspectos como avaliar para personalizar devem estar muito presentes nessa proposta, visto que a elaboração de um plano de rotação individual só faz sentido se tiver como foco o caminho a ser percorrido pelo estudante de acordo com suas dificuldades ou facilidades, identificadas em alguma avaliação inicial ou prévia. A diferença desse modelo para outros modelos de rotação é que os estudantes não rotacionam, necessariamente, por todas as modalidades ou estações propostas. Sua agenda diária é individual, customizada conforme as suas necessidades. Em algumas situações, o tempo de rotação é livre, variando de acordo com as necessidades dos estudantes. Em outras situações, pode não ocorrer rotação e, ainda, pode ser necessária a determinação de um tempo para o uso dos computadores disponíveis. O modo de condução dependerá das características do aluno e das opções feitas pelo professor para encaminhar a atividade. Conclusão A integração cada vez maior entre sala de aula e ambientes virtuais é fundamental para abrir a escola para o mundo e trazer o mundo para dentro da escola. Outra integração necessária é a de prever processos de comunicação mais planejados, organizados e formais com outros mais abertos, como os que acontecem nas redes sociais, em que há uma linguagem mais familiar,
  • 3. uma espontaneidade maior, uma fluência constante de imagens, ideias e vídeos. Os jogos e as aulas roteirizadas com a linguagem de jogos estão cada vez mais presentes no cotidiano escolar. A combinação de aprendizagem por desafios, problemas reais e jogos com a aula invertida é muito importante para que os alunos aprendam fazendo, aprendam juntos e aprendam no próprio ritmo. São muitas questões que impactam a questão da educação híbrida, que não se reduz a metodologias ativas, ao mix de presencial e on-line, de sala de aula e outros espaços. Essa prática mostra que, de um lado, ensinar e aprender nunca foi tão fascinante graças às inúmeras oportunidades oferecidas; de outro, pode ser frustrante devido às dificuldades em conseguir que todos desenvolvam seu potencial e realmente se mobilizem para evoluir sempre mais. A educação híbrida precisa ser pensada no âmbito de modelos curriculares que propõem mudanças, privilegiando a aprendizagem ativa dos alunos — individualmente e em grupo, escolhendo-se fundamentalmente dois caminhos: um mais suave, de mudanças progressivas, e outro mais amplo, de mudanças profundas. No caminho mais suave, elas mantêm o modelo curricular predominante (disciplinar), mas priorizam o envolvimento maior do aluno, com metodologias ativas, como o ensino híbrido, para a realização de projetos, jogos de cunho mais interdisciplinar e, em especial, a aula invertida para iniciar com a primeira aproximação a um tema ou atividade no ambiente virtual e realizar o aprofundamento com a mediação do professor no ambiente presencial. As instituições mais inovadoras propõem modelos educacionais mais integrados, sem disciplinas. Organizam o projeto pedagógico a partir de valores, competências amplas, problemas e projetos, equilibrando a aprendizagem individualizada com a colaborativa; redesenham os espaços físicos, combinando-os aos virtuais com o apoio de tecnologias digitais. As atividades podem ser muito mais diversificadas, com metodologias mais ativas, que combinem o melhor do percurso individual e grupal. As tecnologias móveis e em rede permitem não só conectar todos os espaços, mas também elaborar políticas diferenciadas de organização de processos de ensino-aprendizagem adaptados a cada situação, ou seja, aos que são mais proativos e aos mais passivos; aos muito rápidos e aos mais lentos; aos que precisam de muita tutoria e acompanhamento e aos que sabem aprender sozinhos. Conviveremos nos próximos anos com modelos ativos não disciplinares e disciplinares com graus diferentes de “misturas”, de flexibilização, de hibridização.  Lilian Bacich é psicóloga, pedagoga e mestre em Educação. lilian.bacich@usp.br  José Moran é doutor em Comunicação e professor aposentado da USP. moran10@gmail.com http://www.grupoa.com.br/revista-patio/artigo/11551/aprender-e-ensinar-com-foco-na- educacao-hibrida.aspx