SlideShare uma empresa Scribd logo
1. Leia o texto:
           As reações de combustão são aquelas em que substâncias combustíveis
   reagem com um comburente, liberando luz e calor. Ela pode ser completa ou
   incompleta, dependendo da quantidade de combustível e/ou comburente que
   reage. Existem diversos tipos de combustíveis: gasolina (principalmente, C8H18),
   etanol (C2H6O), parafina (C27H56), butano (C4H10), propano (C3H8), metano (CH4) e
   muitos outros. Estas reações, também conhecidas como queima, estão presentes
   em nosso cotidiano o tempo todo: ascender o fogão, queimar uma vela, fazer um
   churrasco, queimar um palito de fósforo.

   Considerando que o álcool etílico é um combustível muito produzido no Brasil e
   por isso muito consumido, responda ao que se pede.




2. Na molécula do metanol (CH4O), três hidrogênios estão ligados a um átomo de
   carbono e um hidrogênio, a um átomo de oxigênio. O oxigênio está ligado ao
   átomo de carbono.
   Elabore um modelo, com legenda, para a combustão completa do metanol
   (sistema             final),
   considerando:
       os      produtos      e
       reagentes da reação;
       o    sistema     inicial
       formado      por      2
       moléculas de metanol
       e 3 moléculas de gás
       oxigênio;
       a    disposição     dos
       átomos na molécula
       de metanol;
3. As equações representadas indicam várias transformações:

   I. C6H12O6 + 6 O2               6 CO2      +    6 H2O

   II. H2 + ½ O2                  H2O

   III. 2 C4H10   +       9O2       8 CO      +    10H2O

   IV. C2H6O + 3O2                         2 CO2     +       3H2O

   Considerando-se os as transformações e outros conhecimentos, é INCORRETO
   afirmar que

   a)   I, II, III e IV representam reações exotérmicas.
   b)   III e IV representam reações de combustão
   c)   II representa uma eletrólise.
   d)   I representa, de modo simplificado, a respiração.

4. (UFSCar 2000 – mod.) Durante uma aula de laboratório, um estudante queimou
   ao ar diferentes massas iniciais (mi) de esponja de ferro. Ao final de cada
   experimento, determinou também a massa final resultante (mf). Os resultados
   obtidos estão reunidos na tabela a seguir.

            Experimento No.          mi (g)                mf (g)   mf / mi
                      1              0,980                 1,18     1,204
                      2              0,830                 1,00     1,205
                      3               1,05                 1,26     1,200
                      4               1,11                 1,34     1,207

   Admitindo que em todos os experimentos a queima foi completa, o estudante fez
   as três afirmações seguintes.

   I-   A Lei da Conservação da Massa não foi obedecida, pois a massa final
        encontrada para o sistema em cada experimento é sempre maior que sua
        massa inicial.
   II- O aumento de massa ocorrido em cada experimento se deve à transformação
        de energia em massa, tendo se verificado a conservação da soma (massa +
        energia) do sistema.
   III- A relação constante obtida entre a massa final e a massa inicial do sistema
        (mf/mi), em cada experimento realizado, permite afirmar que, dentro do erro
        experimental, os dados obtidos estão de acordo com a Lei das Proporções
        Definidas.

   Dentre as afirmações apresentadas, o estudante acertou apenas:

   A) I.
   B) II.
   C) III.
   D) I e III.
5. Dois frascos, A e B, contendo diferentes
   reagentes,     estão      hermeticamente
   fechados e são colocados nos pratos de
   uma balança, que fica equilibrada como
   mostra o diagrama abaixo.

   Os frascos são agitados para que os
   reagentes entrem em contato. As
   seguintes reações ocorrem:

   Frasco A: Na2SO4 + Ba(NO3)2 → 2
   NaNO3 + BaSO4 (precipitado branco)
   Frasco B: Zn (s) + H2SO4 → ZnSO4 + H2 (g)

   Podemos afirmar que:
   I. Com o andamento das reações o braço da balança pende para o lado do frasco
        A.
   II. Com o andamento das reações o braço da balança pende para o lado do frasco
        B.
   III. Com o andamento das reações os braços da balança permanecem na mesma
        posição.
   IV. As reações satisfazem a lei de Lavoisier.

   É (são) verdadeira(s), apenas, a(s) afirmação(ões):

   a) I.
   b) II e IV.
   c) III.
   d) I e II.
   e) III e IV.

6. Em um laboratório de química, foi feito um experimento cuja montagem está
   mostrada na figura 1. O procedimento realizado foi:
   •   Colocar dentro de um balão de fundo chato, 100 g de casca de ovo, cujo
       principal componente é o carbonato de cálcio (CaCO3).
   •   Colocar dentro de um erlenmeyer, 100 mL de água de cal - solução de
       Ca(OH)2.
   •   Colocar dentro de
       um      funil    de
       decantação 200
       mL de vinagre –
       solução          de
       C2H4O2.
   •   Abrir a torneira do
       funil,    deixando
       toda a solução
       escoar         para
       dentro do balão.




                             Figura 1. Aparelhagem experimental
A) Escreva um parágrafo padrão, DESCREVENDO tudo que acontece dentro do
       balão. Considere na sua descrição o que acontece com a casca de ovo e com
       o vinagre quando se juntam, indicando mudanças nas propriedades dos
       materiais e formação de novas substâncias. NÃO EXPLIQUE, DESCREVA.

   DESCRIÇÃO:       Percebemos,    dentro   do    balão,    uma
efervescência, com formação de muitas bolhas. A quantidade de
sólido (casca de ovo) diminui. O gás sobe e sai pelo tubo
conectado ao erlenmeyer. O vinagre é consumido, diminuindo o
seu cheiro.
   EXPLICAÇÃO: Isto acontece porque o carbonato de cálcio,
presente na casca de ovo, reage com o ácido acético, presente no
vinagre, produzindo gás carbônico.
7. B) EXPLIQUE a formação do precipitado branco. Considere em sua explicação, as
    substâncias envolvidas utilizando as suas FÓRMULAS.
   O gás carbônico (CO2), produzido no balão, reage com o
hidróxido de cálcio - Ca(OH)2, presente na água de cal do
erlenmeyer, e forma um sólido branco insolúvel, constituído de
carbonato de cálcio - CaCO3, que é o precipitado.
    C) Considerando-se todos os materiais envolvidos no experimento, antes e depois de abrir
    a torneira do funil, cite:

    C.1) A fórmula de um óxido:                    C.2) A fórmula de um ácido:


          CO2 ou H2O                                        C2H4O2
    LEIA O TEXTO PARA RESPONDER AS QUESTÕES 7, 8 e 9


                                   FOSFOGÊNIO

    O fosgênio (COCl2) ou cloreto de carbonila ou cloreto de clorformila é um
gás incolor, não combustível, irritante, altamente tóxico e facilmente liquefeito.
Em baixas concentrações seu cheiro é descrito como semelhante ao do milho
verde. Em altas concentrações, tem um cheiro descrito como sufocante, forte
e pungente. Sua estrutura está representada na figura 1.

                                                                      Figura 1. Molécula de fosfogênio


    Segundo a Occupational Safety and Health Administration (OSHA – EUA), o limite de
                                                                                        -5
exposição máximo permissível (média para 8 horas de trabalho) é de 0,1 ppm (1 x 10 g de
fosfogênio/ 100 g de ar) e a concentração imediatamente perigosa à vida e à saúde (IDLH) é
de 2 ppm (2 x 10-4 g de fosfogênio / 100 g de ar). O odor não é advertência suficientemente
segura para identificar concentrações de risco, posto que seu limite de detecção é de 0,4 a 1,5
ppm, ou seja, várias vezes o valor do limite de exposição máximo permissível.

   O fosgênio pode ser produzido pela reação do monóxido de carbono e do gás cloro
(molécula diatômica de cloro). Quando inalado, reage com a água nos pulmões produzindo
solução aquosa de ácido clorídrico (HCl) e dióxido de carbono, causando graves danos
pulmonares, levando, finalmente, à morte.

    O gás foi utilizado como gás de guerra, devido ao seu potencial tóxico. É usualmente
encontrado na forma de gás liquefeito comprimido. Ele é mais pesado que o ar e tem baixa
solubilidade em água.

    Pode ainda ser produzido durante a soldagem de superfícies metálicas que tenham sido
limpas com hidrocarbonetos clorados. Ele reage com a água, o álcool e vários outros produtos
químicos. É utilizado como intermediário na manufatura de inúmeros produtos industriais, tais
como os isocianatos e seus derivados, inseticidas, herbicidas, medicamentos e outros.

   Na tabela 1 encontramos as principais propriedades do fosfogênio.
                                                                3          3
               DENSIDADE A 15°   C                    4,248g/dm (0,0042g/cm )
                                                                          3
               DENSIDADE A 0°C                                1,432g/cm
               TEMPERATURA DE FUSÃO                             ̶ 118°C
               TEMPERATURA DE EBULIÇÃO                           8,3°C
               SOLUBILIDADE                               Solúvel em benzeno
               APARÊNCIA                                Incolor e cheiro irritante
   7. Considere as informações do texto e outros conhecimentos para
   responder o que se pede.

   A) ESCREVA a equação balanceada para a produção do fosfogênio. Indique os
      estados físicos das substâncias envolvidas.
                              CO (g)       + Cl2 → COCl2 (g)
   B) ESCREVA a equação balanceada para a reação que ocorre dentro dos
      pulmões. Indique os estados físicos das substâncias envolvidas.
       COCl2 (g) + H2O (l) → 2 HCl (aq) +CO2 (g)
   C) REPRESENTE o esboço do gráfico de temperatura em função do tempo, para
      a transformação do gás fosfogênio para a forma em que ele é usualmente
      encontrado. Escreva no gráfico:
      • a (s) temperatura (s) envolvida (s)
      • o (s) nome (s) da (s) transformação (ões)
D) CITE a fórmula de todos os óxidos que aparecem no texto.


                          CO, CO2 e H2O
8. REPRESENTE um modelo em termos microscópico para o fosfogênio liquefeito.
   Atenção: o seu modelo deve
   • Ter, no total, entre 6 a 10 moléculas desenhadas
   • Considerar a disposição das moléculas em cada
      fase e a sua constituição
   • Ter uma legenda com o nome do elemento e
      símbolo.




                                                        Legenda em termos atômicos
                                                          Oxigênio (O)

                                                            Carbono (C)

                                                              Cloro (Cl)


9. Considerando-se as informações do texto e outros conhecimentos o fosfogênio

   A) tem sua densidade diminuída quando ocorre abaixamento da temperatura.
   B) forma uma solução diluída com o ar atmosférico na concentração IDLH.
   C) tem baixa toxicidade, já que sua concentração máxima permitida é pequena.
   D) encontra-se no estado líquido à temperatura ambiente.


10. A mais nova sensação em balas, principalmente entre as crianças, é a “Refribala”.
    São mini pastilhas armazenadas em embalagens plásticas que lembram uma lata
    de refrigerante em miniatura, como representada na figura:
As pastilhas possuem diversos sabores, assim como os refrigerantes – uva,
  limão, cola. Essas pastilhas, ao serem colocadas na boca, produzem uma
  pequena efervescência. São constituídas, entre outras substâncias, de ácido
  cítrico, bicarbonato de sódio, corantes, e glicose.


  Considerando-se as informações do texto e outros conhecimentos, responda:

A) POR QUE ocorre efervescência? Explicite, em sua explicação, informações
   sobre a constituição, transformação e propriedades das substâncias que estão
   presentes nas pastilhas, relacionando-as ao fenômeno de efervescência.
    A bala possui, em sua constituição, ácido cítrico e
 bicarbonato de sódio. Em contato com a água presente na
 saliva são dissolvidos e reagem entre si, produzido gás
 carbônico, responsável pela efervescência.
B) DESCREVA um teste para identificar o gás produzido ao colocar as pastilhas
   na boca. INDIQUE o gás produzido, as substâncias e/ou misturas necessárias
   a sua identificação e o resultado do teste.
    O gás produzido durante a efervescência é o gás carbônico.
 Para identificá-lo devemos borbulhá-lo em uma solução de
 água de cal. Após a mistura eles reagem produzindo um
 precipitado branco de carbonato de cálcio (ocorre turvação).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)
Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)
Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)
Joaquim Melro
 
Cap 14 brasil, mostra a tua cara!
Cap 14  brasil, mostra a tua cara!Cap 14  brasil, mostra a tua cara!
Cap 14 brasil, mostra a tua cara!
Dante Galvao
 
BIOGRAFIA RENÉ DESCARTES
BIOGRAFIA RENÉ DESCARTESBIOGRAFIA RENÉ DESCARTES
BIOGRAFIA RENÉ DESCARTES
Nayara Lopes
 
Simbolismo/Decadentismo
Simbolismo/DecadentismoSimbolismo/Decadentismo
Simbolismo/Decadentismo
Daniele dos Santos Souza Onodera
 
John Rawls
John RawlsJohn Rawls
Esopo o pai das fábulas
Esopo o pai das fábulasEsopo o pai das fábulas
Esopo o pai das fábulas
Aline Viana Beguito
 
Redação: Versificação
Redação: VersificaçãoRedação: Versificação
Redação: Versificação
7 de Setembro
 
Método científico indutivo
Método científico   indutivoMétodo científico   indutivo
Método científico indutivo
Augusto Magalhães
 
Os miseráveis
Os miseráveisOs miseráveis
Os miseráveis
acheiotexto
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Lerisson Freitas
 
Ácidos
ÁcidosÁcidos
Justiça e equidade teoria de john rawls
Justiça e equidade teoria de john rawlsJustiça e equidade teoria de john rawls
Justiça e equidade teoria de john rawls
Raquel Lopes da Costa
 
Indicadores ácido base naturais
Indicadores ácido base naturaisIndicadores ácido base naturais
Indicadores ácido base naturais
Weber Bragante
 
O Racismo
O RacismoO Racismo
O Racismo
marleneves
 
A falácia da derrapagem
A falácia da derrapagemA falácia da derrapagem
A falácia da derrapagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e TeleológicoMódulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Bernardo Motta
 
Hip hop
Hip hopHip hop
Resolução e formulação de problemas
Resolução e formulação de problemasResolução e formulação de problemas
Resolução e formulação de problemas
Aprender com prazer
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
António Daniel
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo

Mais procurados (20)

Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)
Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)
Argumentação e Filosofia: O exemplo da pena de Morte (avelar)
 
Cap 14 brasil, mostra a tua cara!
Cap 14  brasil, mostra a tua cara!Cap 14  brasil, mostra a tua cara!
Cap 14 brasil, mostra a tua cara!
 
BIOGRAFIA RENÉ DESCARTES
BIOGRAFIA RENÉ DESCARTESBIOGRAFIA RENÉ DESCARTES
BIOGRAFIA RENÉ DESCARTES
 
Simbolismo/Decadentismo
Simbolismo/DecadentismoSimbolismo/Decadentismo
Simbolismo/Decadentismo
 
John Rawls
John RawlsJohn Rawls
John Rawls
 
Esopo o pai das fábulas
Esopo o pai das fábulasEsopo o pai das fábulas
Esopo o pai das fábulas
 
Redação: Versificação
Redação: VersificaçãoRedação: Versificação
Redação: Versificação
 
Método científico indutivo
Método científico   indutivoMétodo científico   indutivo
Método científico indutivo
 
Os miseráveis
Os miseráveisOs miseráveis
Os miseráveis
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Ácidos
ÁcidosÁcidos
Ácidos
 
Justiça e equidade teoria de john rawls
Justiça e equidade teoria de john rawlsJustiça e equidade teoria de john rawls
Justiça e equidade teoria de john rawls
 
Indicadores ácido base naturais
Indicadores ácido base naturaisIndicadores ácido base naturais
Indicadores ácido base naturais
 
O Racismo
O RacismoO Racismo
O Racismo
 
A falácia da derrapagem
A falácia da derrapagemA falácia da derrapagem
A falácia da derrapagem
 
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e TeleológicoMódulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
Módulo IX - Os Argumentos Cosmológico e Teleológico
 
Hip hop
Hip hopHip hop
Hip hop
 
Resolução e formulação de problemas
Resolução e formulação de problemasResolução e formulação de problemas
Resolução e formulação de problemas
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 

Semelhante a Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136

Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130
Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130
Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Marcy Gomes
 
Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)
Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)
Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)
professoraludmila
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
fabioquimico
 
2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios
Adriana Ignácio
 
Pucmg2007
Pucmg2007Pucmg2007
Pucmg2007
Junior Dou
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
Vinny Silva
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
Fábio Oisiovici
 
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométricoLista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
semestraltardetotem
 
Gases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabaritoGases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabarito
Rodrigo Sampaio
 
Ufpe fase2
Ufpe fase2Ufpe fase2
Ufpe fase2
Junior Dou
 
Apostila de quimica
Apostila de quimicaApostila de quimica
Apostila de quimica
Lino Nascimento
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
Escola Pública/Particular
 
Simulado b iii
Simulado b iiiSimulado b iii
Simulado b iii
quipibid
 
Simulado01ufba gabarito
Simulado01ufba gabaritoSimulado01ufba gabarito
Simulado01ufba gabarito
Fábio Oisiovici
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
V
 
Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2
Claudia Cinara Braga
 
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituiçãoExercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Lista de exercícios 02 2014
Lista de exercícios 02   2014Lista de exercícios 02   2014
Lista de exercícios 02 2014
professoraludmila
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Rodrigo Sampaio
 

Semelhante a Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136 (20)

Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130
Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130
Unidade4 2012 csa_gabarit_op115,128,130
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
 
Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)
Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)
Luciana avaliação 06.05.14 - versão final (3)
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
 
2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios2°em química rec final_exercícios
2°em química rec final_exercícios
 
Pucmg2007
Pucmg2007Pucmg2007
Pucmg2007
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
 
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométricoLista de exercícios - cálculo estequiométrico
Lista de exercícios - cálculo estequiométrico
 
Gases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabaritoGases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabarito
 
Ufpe fase2
Ufpe fase2Ufpe fase2
Ufpe fase2
 
Apostila de quimica
Apostila de quimicaApostila de quimica
Apostila de quimica
 
Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
 
Simulado b iii
Simulado b iiiSimulado b iii
Simulado b iii
 
Simulado01ufba gabarito
Simulado01ufba gabaritoSimulado01ufba gabarito
Simulado01ufba gabarito
 
Exercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª sérieExercícios de R1 - 2ª série
Exercícios de R1 - 2ª série
 
Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2
 
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituiçãoExercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
 
Lista de exercícios 02 2014
Lista de exercícios 02   2014Lista de exercícios 02   2014
Lista de exercícios 02 2014
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 

Mais de ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES

Unidade1 pag 4 a 10
Unidade1  pag 4 a 10Unidade1  pag 4 a 10
Aula polímeros 2014
Aula polímeros 2014Aula polímeros 2014
Aula polímeros 2014
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Gabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalicaGabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalica
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Gabarito propriedades periódicas
Gabarito propriedades periódicasGabarito propriedades periódicas
Gabarito propriedades periódicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Simulado de prop periodicas
Simulado de prop periodicasSimulado de prop periodicas
Simulado de prop periodicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Simulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicasSimulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Titulação 2014
Titulação 2014Titulação 2014
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
ExercciosderevisoparaavaliaosuplementarExercciosderevisoparaavaliaosuplementar
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Aula lig metalica_2014
Aula lig metalica_2014Aula lig metalica_2014
Aula lig metalica_2014
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Ligaçãox propriedades v2_2014
Ligaçãox propriedades v2_2014Ligaçãox propriedades v2_2014
Ligaçãox propriedades v2_2014
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Correção de exercícios sobre tabela periódica e distribuição
Correção de exercícios sobre tabela periódica e distribuiçãoCorreção de exercícios sobre tabela periódica e distribuição
Correção de exercícios sobre tabela periódica e distribuição
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Leis ponderais 2014 v2
Leis ponderais 2014 v2Leis ponderais 2014 v2
Leis ponderais 2014 v2
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Tabela 2014 csa
Tabela 2014 csaTabela 2014 csa
Luminescência 2014 sintético
Luminescência 2014 sintéticoLuminescência 2014 sintético
Luminescência 2014 sintético
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 

Mais de ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES (20)

Unidade1 pag 4 a 10
Unidade1  pag 4 a 10Unidade1  pag 4 a 10
Unidade1 pag 4 a 10
 
Aula polímeros 2014
Aula polímeros 2014Aula polímeros 2014
Aula polímeros 2014
 
A5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicasA5 i funcoes_inorganicas
A5 i funcoes_inorganicas
 
Gabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalicaGabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalica
 
Gabarito propriedades periódicas
Gabarito propriedades periódicasGabarito propriedades periódicas
Gabarito propriedades periódicas
 
Simulado de prop periodicas
Simulado de prop periodicasSimulado de prop periodicas
Simulado de prop periodicas
 
Simulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicasSimulado de ligações químicas
Simulado de ligações químicas
 
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
 
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Titulação 2014
Titulação 2014Titulação 2014
Titulação 2014
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
ExercciosderevisoparaavaliaosuplementarExercciosderevisoparaavaliaosuplementar
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
 
Aula lig metalica_2014
Aula lig metalica_2014Aula lig metalica_2014
Aula lig metalica_2014
 
Ligaçãox propriedades v2_2014
Ligaçãox propriedades v2_2014Ligaçãox propriedades v2_2014
Ligaçãox propriedades v2_2014
 
Correção de exercícios sobre tabela periódica e distribuição
Correção de exercícios sobre tabela periódica e distribuiçãoCorreção de exercícios sobre tabela periódica e distribuição
Correção de exercícios sobre tabela periódica e distribuição
 
Leis ponderais 2014 v2
Leis ponderais 2014 v2Leis ponderais 2014 v2
Leis ponderais 2014 v2
 
Tabela 2014 csa
Tabela 2014 csaTabela 2014 csa
Tabela 2014 csa
 
Luminescência 2014 sintético
Luminescência 2014 sintéticoLuminescência 2014 sintético
Luminescência 2014 sintético
 

Unidade4 2012 csa_gabarit_op129a136

  • 1. 1. Leia o texto: As reações de combustão são aquelas em que substâncias combustíveis reagem com um comburente, liberando luz e calor. Ela pode ser completa ou incompleta, dependendo da quantidade de combustível e/ou comburente que reage. Existem diversos tipos de combustíveis: gasolina (principalmente, C8H18), etanol (C2H6O), parafina (C27H56), butano (C4H10), propano (C3H8), metano (CH4) e muitos outros. Estas reações, também conhecidas como queima, estão presentes em nosso cotidiano o tempo todo: ascender o fogão, queimar uma vela, fazer um churrasco, queimar um palito de fósforo. Considerando que o álcool etílico é um combustível muito produzido no Brasil e por isso muito consumido, responda ao que se pede. 2. Na molécula do metanol (CH4O), três hidrogênios estão ligados a um átomo de carbono e um hidrogênio, a um átomo de oxigênio. O oxigênio está ligado ao átomo de carbono. Elabore um modelo, com legenda, para a combustão completa do metanol (sistema final), considerando: os produtos e reagentes da reação; o sistema inicial formado por 2 moléculas de metanol e 3 moléculas de gás oxigênio; a disposição dos átomos na molécula de metanol;
  • 2. 3. As equações representadas indicam várias transformações: I. C6H12O6 + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O II. H2 + ½ O2 H2O III. 2 C4H10 + 9O2 8 CO + 10H2O IV. C2H6O + 3O2 2 CO2 + 3H2O Considerando-se os as transformações e outros conhecimentos, é INCORRETO afirmar que a) I, II, III e IV representam reações exotérmicas. b) III e IV representam reações de combustão c) II representa uma eletrólise. d) I representa, de modo simplificado, a respiração. 4. (UFSCar 2000 – mod.) Durante uma aula de laboratório, um estudante queimou ao ar diferentes massas iniciais (mi) de esponja de ferro. Ao final de cada experimento, determinou também a massa final resultante (mf). Os resultados obtidos estão reunidos na tabela a seguir. Experimento No. mi (g) mf (g) mf / mi 1 0,980 1,18 1,204 2 0,830 1,00 1,205 3 1,05 1,26 1,200 4 1,11 1,34 1,207 Admitindo que em todos os experimentos a queima foi completa, o estudante fez as três afirmações seguintes. I- A Lei da Conservação da Massa não foi obedecida, pois a massa final encontrada para o sistema em cada experimento é sempre maior que sua massa inicial. II- O aumento de massa ocorrido em cada experimento se deve à transformação de energia em massa, tendo se verificado a conservação da soma (massa + energia) do sistema. III- A relação constante obtida entre a massa final e a massa inicial do sistema (mf/mi), em cada experimento realizado, permite afirmar que, dentro do erro experimental, os dados obtidos estão de acordo com a Lei das Proporções Definidas. Dentre as afirmações apresentadas, o estudante acertou apenas: A) I. B) II. C) III. D) I e III.
  • 3. 5. Dois frascos, A e B, contendo diferentes reagentes, estão hermeticamente fechados e são colocados nos pratos de uma balança, que fica equilibrada como mostra o diagrama abaixo. Os frascos são agitados para que os reagentes entrem em contato. As seguintes reações ocorrem: Frasco A: Na2SO4 + Ba(NO3)2 → 2 NaNO3 + BaSO4 (precipitado branco) Frasco B: Zn (s) + H2SO4 → ZnSO4 + H2 (g) Podemos afirmar que: I. Com o andamento das reações o braço da balança pende para o lado do frasco A. II. Com o andamento das reações o braço da balança pende para o lado do frasco B. III. Com o andamento das reações os braços da balança permanecem na mesma posição. IV. As reações satisfazem a lei de Lavoisier. É (são) verdadeira(s), apenas, a(s) afirmação(ões): a) I. b) II e IV. c) III. d) I e II. e) III e IV. 6. Em um laboratório de química, foi feito um experimento cuja montagem está mostrada na figura 1. O procedimento realizado foi: • Colocar dentro de um balão de fundo chato, 100 g de casca de ovo, cujo principal componente é o carbonato de cálcio (CaCO3). • Colocar dentro de um erlenmeyer, 100 mL de água de cal - solução de Ca(OH)2. • Colocar dentro de um funil de decantação 200 mL de vinagre – solução de C2H4O2. • Abrir a torneira do funil, deixando toda a solução escoar para dentro do balão. Figura 1. Aparelhagem experimental
  • 4. A) Escreva um parágrafo padrão, DESCREVENDO tudo que acontece dentro do balão. Considere na sua descrição o que acontece com a casca de ovo e com o vinagre quando se juntam, indicando mudanças nas propriedades dos materiais e formação de novas substâncias. NÃO EXPLIQUE, DESCREVA. DESCRIÇÃO: Percebemos, dentro do balão, uma efervescência, com formação de muitas bolhas. A quantidade de sólido (casca de ovo) diminui. O gás sobe e sai pelo tubo conectado ao erlenmeyer. O vinagre é consumido, diminuindo o seu cheiro. EXPLICAÇÃO: Isto acontece porque o carbonato de cálcio, presente na casca de ovo, reage com o ácido acético, presente no vinagre, produzindo gás carbônico. 7. B) EXPLIQUE a formação do precipitado branco. Considere em sua explicação, as substâncias envolvidas utilizando as suas FÓRMULAS. O gás carbônico (CO2), produzido no balão, reage com o hidróxido de cálcio - Ca(OH)2, presente na água de cal do erlenmeyer, e forma um sólido branco insolúvel, constituído de carbonato de cálcio - CaCO3, que é o precipitado. C) Considerando-se todos os materiais envolvidos no experimento, antes e depois de abrir a torneira do funil, cite: C.1) A fórmula de um óxido: C.2) A fórmula de um ácido: CO2 ou H2O C2H4O2 LEIA O TEXTO PARA RESPONDER AS QUESTÕES 7, 8 e 9 FOSFOGÊNIO O fosgênio (COCl2) ou cloreto de carbonila ou cloreto de clorformila é um gás incolor, não combustível, irritante, altamente tóxico e facilmente liquefeito. Em baixas concentrações seu cheiro é descrito como semelhante ao do milho verde. Em altas concentrações, tem um cheiro descrito como sufocante, forte e pungente. Sua estrutura está representada na figura 1. Figura 1. Molécula de fosfogênio Segundo a Occupational Safety and Health Administration (OSHA – EUA), o limite de -5 exposição máximo permissível (média para 8 horas de trabalho) é de 0,1 ppm (1 x 10 g de fosfogênio/ 100 g de ar) e a concentração imediatamente perigosa à vida e à saúde (IDLH) é de 2 ppm (2 x 10-4 g de fosfogênio / 100 g de ar). O odor não é advertência suficientemente segura para identificar concentrações de risco, posto que seu limite de detecção é de 0,4 a 1,5 ppm, ou seja, várias vezes o valor do limite de exposição máximo permissível. O fosgênio pode ser produzido pela reação do monóxido de carbono e do gás cloro (molécula diatômica de cloro). Quando inalado, reage com a água nos pulmões produzindo
  • 5. solução aquosa de ácido clorídrico (HCl) e dióxido de carbono, causando graves danos pulmonares, levando, finalmente, à morte. O gás foi utilizado como gás de guerra, devido ao seu potencial tóxico. É usualmente encontrado na forma de gás liquefeito comprimido. Ele é mais pesado que o ar e tem baixa solubilidade em água. Pode ainda ser produzido durante a soldagem de superfícies metálicas que tenham sido limpas com hidrocarbonetos clorados. Ele reage com a água, o álcool e vários outros produtos químicos. É utilizado como intermediário na manufatura de inúmeros produtos industriais, tais como os isocianatos e seus derivados, inseticidas, herbicidas, medicamentos e outros. Na tabela 1 encontramos as principais propriedades do fosfogênio. 3 3 DENSIDADE A 15° C 4,248g/dm (0,0042g/cm ) 3 DENSIDADE A 0°C 1,432g/cm TEMPERATURA DE FUSÃO ̶ 118°C TEMPERATURA DE EBULIÇÃO 8,3°C SOLUBILIDADE Solúvel em benzeno APARÊNCIA Incolor e cheiro irritante 7. Considere as informações do texto e outros conhecimentos para responder o que se pede. A) ESCREVA a equação balanceada para a produção do fosfogênio. Indique os estados físicos das substâncias envolvidas. CO (g) + Cl2 → COCl2 (g) B) ESCREVA a equação balanceada para a reação que ocorre dentro dos pulmões. Indique os estados físicos das substâncias envolvidas. COCl2 (g) + H2O (l) → 2 HCl (aq) +CO2 (g) C) REPRESENTE o esboço do gráfico de temperatura em função do tempo, para a transformação do gás fosfogênio para a forma em que ele é usualmente encontrado. Escreva no gráfico: • a (s) temperatura (s) envolvida (s) • o (s) nome (s) da (s) transformação (ões)
  • 6. D) CITE a fórmula de todos os óxidos que aparecem no texto. CO, CO2 e H2O 8. REPRESENTE um modelo em termos microscópico para o fosfogênio liquefeito. Atenção: o seu modelo deve • Ter, no total, entre 6 a 10 moléculas desenhadas • Considerar a disposição das moléculas em cada fase e a sua constituição • Ter uma legenda com o nome do elemento e símbolo. Legenda em termos atômicos Oxigênio (O) Carbono (C) Cloro (Cl) 9. Considerando-se as informações do texto e outros conhecimentos o fosfogênio A) tem sua densidade diminuída quando ocorre abaixamento da temperatura. B) forma uma solução diluída com o ar atmosférico na concentração IDLH. C) tem baixa toxicidade, já que sua concentração máxima permitida é pequena. D) encontra-se no estado líquido à temperatura ambiente. 10. A mais nova sensação em balas, principalmente entre as crianças, é a “Refribala”. São mini pastilhas armazenadas em embalagens plásticas que lembram uma lata de refrigerante em miniatura, como representada na figura:
  • 7. As pastilhas possuem diversos sabores, assim como os refrigerantes – uva, limão, cola. Essas pastilhas, ao serem colocadas na boca, produzem uma pequena efervescência. São constituídas, entre outras substâncias, de ácido cítrico, bicarbonato de sódio, corantes, e glicose. Considerando-se as informações do texto e outros conhecimentos, responda: A) POR QUE ocorre efervescência? Explicite, em sua explicação, informações sobre a constituição, transformação e propriedades das substâncias que estão presentes nas pastilhas, relacionando-as ao fenômeno de efervescência. A bala possui, em sua constituição, ácido cítrico e bicarbonato de sódio. Em contato com a água presente na saliva são dissolvidos e reagem entre si, produzido gás carbônico, responsável pela efervescência. B) DESCREVA um teste para identificar o gás produzido ao colocar as pastilhas na boca. INDIQUE o gás produzido, as substâncias e/ou misturas necessárias a sua identificação e o resultado do teste. O gás produzido durante a efervescência é o gás carbônico. Para identificá-lo devemos borbulhá-lo em uma solução de água de cal. Após a mistura eles reagem produzindo um precipitado branco de carbonato de cálcio (ocorre turvação).