SlideShare uma empresa Scribd logo
Gestão de riscos
A realização da Copa do Mundo nos dois meses passados deixou, dentre outros
“legados”, uma importante lição sobre riscos em projetos e a necessidade de lidar
adequadamente com eles – afinal, como foi tratado o risco da perda de jogadores
fundamentais como Neymar ainda antes do final do torneio? Houve algum tipo de
planejamento das autoridades para enfrentar o risco das aglomerações de pessoas
no bairro de Vila Madalena durante a Copa?
Os riscos envolvem condições que criam possibilidades de consequências – adversas
ou não. Suas principais dimensões são a probabilidade de ocorrência e o grau de
impacto caso a ocorrência se verifique. Isto significa que o risco está intimamente
associado à incerteza e as incertezas são inimigas dos negócios.
Gerenciar riscos, portanto, significa reduzir incertezas e mitigar fatores que levam a
perdas e prejuízos. Esta apresentação resume algumas técnicas que podem ser
aplicadas para melhor administrar riscos e, com isso, maximizar resultados próprios
e de clientes.
João Telles Corrêa Filho
Julho de 2014
Conceituação e qualificação dos riscos
Alguns conceitos que às vezes nos confundem:
1. Ignorância: eventos futuros que, no momento da análise, não poderão
sequer ser identificados, muito menos quantificados.
2. Incerteza: evento futuro identificado, ao qual não é possível associar
uma probabilidade de ocorrência
3. Risco: evento futuro identificado, ao qual é possível associar uma
probabilidade de ocorrência
Conceituação e qualificação dos riscos
Portanto,
Eventos com 100% de probabilidade de ocorrência não são riscos, são
PROBLEMAS conhecidos para os quais deve haver um plano de ação
específico.
Eventos com 0% de probabilidade de ocorrência também não são riscos,
são HIPÓTESES a descartar, simplificando a análise
Conceituação e qualificação dos riscos
E mais,
Gestão de riscos é a técnica de identificar, avaliar, responder e controlar
os riscos de um projeto de modo sistemático e durante toda a sua vida. *
* Ricardo Leonardo Rovai – Modelo estruturado para gestão de riscos em projetos
Conceituação e qualificação dos riscos
E mais,
Gestão de riscos é a técnica de identificar, avaliar, responder e controlar
os riscos de um projeto de modo sistemático e durante toda a sua vida. *
A gestão de riscos objetiva minimizar as possibilidades de ocorrência dos
eventos e seus impactos nos projetos.
* Ricardo Leonardo Rovai – Modelo estruturado para gestão de riscos em projetos
Conceituação e qualificação dos riscos
E mais,
Gestão de riscos é a técnica de identificar, avaliar, responder e controlar
os riscos de um projeto de modo sistemático e durante toda a sua vida. *
A gestão de riscos objetiva minimizar as possibilidades de ocorrência dos
eventos e seus impactos nos projetos.
A gestão de riscos se aplica a projetos próprios da organização (tais como
implantação de sistemas ou abertura de novas áreas de atuação) e a
projetos de clientes / parceiros (tais como processos judiciais de clientes
de escritórios de advocacia).
* Ricardo Leonardo Rovai – Modelo estruturado para gestão de riscos em projetos
Origens dos riscos
PMBOK, Project Management Institute
RISCOS
DOS
PROJETOS
GESTÃO DO
PROJETO
RECURSOS
HUMANOS
QUALIDADE
CUSTOS
INFORMAÇÕESESCOPO
SUPRIMENTOSPRAZOS
Grupos de riscos *
1. Riscos corporativos
• Cultura organizacional
• Estabilidade da organização
• Metodologia e processos de trabalho
• Apoio técnico e administrativo
• Comunicação interna
• Método de determinação de escopo dos projetos (internos ou de
clientes)
• Gerenciamento dos projetos
• Integração entre processos
• Financeiro
* Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
Grupos de riscos *
2. Riscos de clientes ou stakeholders
• Experiência e cultura anteriores
• Interação com clientes / usuários
• Contratos
• Exatidão de definição e estabilidade dos requisitos
• Metodologia e processo
• Recursos Humanos
• Comunicação
• Estabelecimento de escopo e estimativas
• Gerenciamento dos clientes
* Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
Grupos de riscos *
3. Riscos externos
• Riscos naturais
• Ambiente físico
• Serviços locais (públicos e privados)
• População
• Informação e logística
• Riscos culturais e do país
• Políticos
• Legais / regulatórios
• Grupos de interesse
* Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
Grupos de riscos *
3. Riscos externos (continuação)
• Riscos econômicos
• Mercado de trabalho
• Mercado financeiro
• Condições de trabalho
• Informação e logística
* Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
Grupos de riscos *
4. Outros riscos relevantes
• Riscos de cronogramas “impossíveis”
• Cultura organizacional muito resistente a mudanças
• Complexidade dos projetos
* Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
Estrutura do processo de gestão de riscos *
* Ricardo Leonardo Rovai
Planejamento da
gestão de riscos
Stakeholders
EAP (estrutura
analítica do projeto)
Estrutura do projeto Ambiente
• Cliente
• Gerente de projeto
• Financiador
• Sociedade
• Cronograma
• Tecnologia
• Finanças
• Recursos
• Objetivos
• Processos
• Sugestões
• Restrições
• Mercado
• Cultura
• Organização
• Riscos globais
Estrutura do processo de gestão de riscos *
* PMBOK
Gestão de
riscos
Planejar
gestão
Identificar
riscos
Análise
qualitativa
Análise
quantitativa
Reposta ao
risco
Monitorar e
controlar
Estrutura do processo de gestão de riscos *
* PMBOK
Gestão de
riscos
Planejar
gestão
Identificar
riscos
Análise
qualitativa
Análise
quantitativa
Reposta ao
risco
Monitorar e
controlar
AVALIAÇÃO DO RISCO
Estrutura do processo de gestão de riscos *
* PMBOK
Gestão de
riscos
Planejar
gestão
Identificar
riscos
Análise
qualitativa
Análise
quantitativa
Reposta ao
risco
Monitorar e
controlar
AVALIAÇÃO DO RISCO GERÊNCIA DO RISCO
Estrutura do processo de gestão de riscos *
* PMBOK
Gestão de
riscos
Planejar
gestão
Identificar
riscos
Análise
qualitativa
Análise
quantitativa
Reposta ao
risco
Monitorar e
controlar
AVALIAÇÃO DO RISCO GERÊNCIA DO RISCO
ANÁLISE DO RISCO
A gestão de risco é um processo interativo aplicado durante toda a vida do projeto.
Estrutura do processo de gestão de riscos *
* PMBOK
Gestão de
riscos
Planejar
gestão
Identificar
riscos
Análise
qualitativa
Análise
quantitativa
Reposta ao
risco
Monitorar e
controlar
AVALIAÇÃO DO RISCO GERÊNCIA DO RISCO
ANÁLISE DO RISCO
A gestão de risco é um processo interativo aplicado durante toda a vida do projeto.
Estrutura do processo de gestão de riscos *
Informações requeridas para a boa gestão de risco:
 Plano do projeto (ou business plan);
 Experiências anteriores em gestão de risco (se houver);
 Definição de responsabilidades;
 Estrutura Analítica do Projeto (EAP);
 Tolerância ao risco dos envolvidos;
 Disponibilidade de informações;
 Formulário para planejamento da gestão de risco.
* PMBOK
O plano de gestão de riscos inclui
1. Metodologia
Métodos, ferramentas e fontes de dados que, inclusive, podem
mudar ou tornarem-se de difícil acesso durante o transcurso do
projeto.
2. Papéis e responsabilidades
Definem a liderança, o apoio e a composição da equipe para cada
tipo de ação no plano de gestão de risco do projeto.
O plano de gestão de riscos inclui
3. Orçamento
Define o orçamento para o plano de gestão de risco do projeto.
4. Frequência
Define quantas vezes o plano de gestão será realizado no
trancorrer do projeto.
O plano de gestão de riscos inclui
5. Severidade e interpretação
Método de avaliação da severidade e interpretação adequado ao
contexto em que ocorre a avaliação e quantificação dos riscos; os
métodos e pesos devem ser previamente definidos para garantia
de coerência.
6. Limiares
O limiar aceitável forma a meta contra a qual a equipe do projeto
vai medir a eficácia da execução do plano de resposta a riscos.
O plano de gestão de riscos inclui
7. Formato de relatórios
Define a forma e o conteúdo do plano de resposta ao risco.
8. Rastreamento
Define como as ações do plano de gestão de riscos serão
catalogadas e indexadas para aproveitamento futuro e para busca
das origens dos eventos.
Processo de identificação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Saídas do planejamento
do projeto
3. Categorias de risco
4. Informações históricas
Fontes de informação
* PMBOK
Processo de identificação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Saídas do planejamento
do projeto
3. Categorias de risco
4. Informações históricas
Fontes de informação
1. Revisão da
documentação
2. Técnicas de coleta de
informações
• Brainstorming
• Delphi
• Entrevistas
• Análise SWOT
3. Listas de verificação
4. Análise das premissas
5. Diagramas
Ferramentas e técnicas
* PMBOK
Processo de identificação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Saídas do planejamento
do projeto
3. Categorias de risco
4. Informações históricas
Fontes de informação
1. Revisão da
documentação
2. Técnicas de coleta de
informações
• Brainstorming
• Delphi
• Entrevistas
• Análise SWOT
3. Listas de verificação
4. Análise das premissas
5. Diagramas
Ferramentas e técnicas
1. Lista de riscos
identificados
2. Gatilhos (eventos
precursores)
3. Entradas para outros
processos
Informação resultante
* PMBOK
Identificação dos riscos
Sete são as principais técnicas de identificação de riscos:
1. Revisão de documentação de projetos anteriores
2. Brainstorming
3. Técnica Delphi
4. Entrevistas
5. Análise SWOT do projeto
6. Análise das premissas do projeto
7. Diagramas de causa-efeito (Ishikawa)
Identificação dos riscos
E quatro são as informações resultantes da identificação de
riscos:
1. Lista de riscos ordenada por prioridade.
2. Identificação dos “gatilhos” – sintomas ou sinais de alerta de que um
risco está prestes a ocorrer ou já ocorreu.
3. Entradas para outros processos / projetos: necessidades de ações
em outros processos ou projetos.
4. Avaliação da severidade dos riscos para estabelecimento de
prioridades.
Processo de avaliação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Riscos identificados
3. Estágio do projeto
4. Tipo de projeto
5. Precisão e confiabilidade
dos dados
6. Escala de possibilidades
de impacto
7. Premissas
Fontes de informação
* PMBOK
Processo de avaliação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Riscos identificados
3. Estágio do projeto
4. Tipo de projeto
5. Precisão e confiabilidade
dos dados
6. Escala de possibilidades
de impacto
7. Premissas
Fontes de informação
1. Impacto do risco
2. Possibilidade do risco
3. Matriz de avaliação
4. Teste das premissas do
projeto
5. Classificação da precisão
dos dados
Ferramentas e técnicas
* PMBOK
Metodologia FMEA
Processo de avaliação dos riscos
Metodologia FMEA
RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO
Probabilidade de ocorrência
Catastrófico
(5)
Alto
(4)
Moderado
(3)
Baixo
(2)
Insignificante
(1)
Remota
(1)
Improvável
(2)
Possível
(3)
Provável
(4)
Quase certa
(5)
Processo de avaliação dos riscos
Metodologia FMEA
RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO
Probabilidade de ocorrência
Catastrófico
(5)
5 10 15 20 25
Alto
(4)
4 8 12 16 20
Moderado
(3)
3 6 9 12 15
Baixo
(2)
2 4 6 8 10
Insignificante
(1)
1 2 3 4 5
Remota
(1)
Improvável
(2)
Possível
(3)
Provável
(4)
Quase certa
(5)
Processo de avaliação dos riscos
Metodologia FMEA
RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO
Probabilidade de ocorrência
Catastrófico
(5)
5 10 15 20 25
Alto
(4)
4 8 12 16 20
Moderado
(3)
3 6 9 12 15
Baixo
(2)
2 4 6 8 10
Insignificante
(1)
1 2 3 4 5
Remota
(1)
Improvável
(2)
Possível
(3)
Provável
(4)
Quase certa
(5)
Processo de avaliação dos riscos
Metodologia FMEA
RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO
Probabilidade de ocorrência
Catastrófico
(5)
5 10 15 20 25
Alto
(4)
4 8 12 16 20
Moderado
(3)
3 6 9 12 15
Baixo
(2)
2 4 6 8 10
Insignificante
(1)
1 2 3 4 5
Remota
(1)
Improvável
(2)
Possível
(3)
Provável
(4)
Quase certa
(5)INACEITÁVEL
ATENÇÃO
ACEITÁVEL
Processo de avaliação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Riscos identificados
3. Estágio do projeto
4. Tipo de projeto
5. Precisão e confiabilidade
dos dados
6. Escala de possibilidades
de impacto
7. Premissas
Fontes de informação
1. Impacto do risco
2. Possibilidade do risco
3. Matriz de avaliação
4. Teste das premissas do
projeto
5. Classificação da precisão
dos dados
Ferramentas e técnicas
1. Nota geral de risco do
projeto
2. Lista priorizada dos
riscos
3. Lista dos riscos para
análise adicional e
gestão
4. Tendências nos
resultados das avaliações
Informação resultante
* PMBOK
Metodologia FMEA
Processo de quantificação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista priorizada dos
riscos
3. Informações históricas
4. Opinião de experts
5. Outras saídas do
planejamento
Fontes de informação
* PMBOK
Processo de quantificação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista priorizada dos
riscos
3. Informações históricas
4. Opinião de experts
5. Outras saídas do
planejamento
Fontes de informação
1. Entrevistas
2. Análises de sensibilidade
3. Cenários
4. Métodos analíticos
5. Árvore de decisão
6. Simulações
Ferramentas e técnicas
* PMBOK
Processo de quantificação dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista priorizada dos
riscos
3. Informações históricas
4. Opinião de experts
5. Outras saídas do
planejamento
Fontes de informação
1. Entrevistas
2. Análises de sensibilidade
3. Cenários
4. Métodos analíticos
5. Árvore de decisão
6. Simulações
Ferramentas e técnicas
1. Lista priorizada de riscos
quantificados
2. Análise probabilística dos
projetos
3. Probabilidade de atingir
os objetivos de custo e
prazo (probabilidade de
SUCESSO)
Informação resultante
* PMBOK
Estratégias de resposta aos riscos
Riscos podem ser:
• Aceitos;
• Transferidos;
• Evitados;
• Mitigados – estratégia mais comumente utilizada.
Ações de resposta aos riscos
Há dois tipos de ações de resposta a riscos identificados:
• Ações preventivas – visam reduzir a severidade do risco e
constituem o Plano de resposta aos riscos;
• Ações corretivas – executados após a ocorrência do risco (que
tornou-se um problema) e constituem o Plano de contingências.
Ações de resposta aos riscos
Há dois tipos de ações de resposta a riscos identificados:
• Ações preventivas – visam reduzir a severidade do risco e
constituem o Plano de resposta aos riscos;
• Ações corretivas – executados após a ocorrência do risco (que
tornou-se um problema) e constituem o Plano de contingências.
Nesta fase tratamos de diminuir a severidade dos riscos, ou
seja, tentamos trazê-los para a
faixa verde do gráfico de
classificação de riscos.
Catastrófico
(5)
5 10 15 20 25
Alto
(4)
4 8 12 16 20
Moderado
(3)
3 6 9 12 15
Baixo
(2)
2 4 6 8 10
Insignificante
(1)
1 2 3 4 5
Remota
(1)
Improvável
(2)
Possível
(3)
Provável
(4)
Quase certa
(5)
Planejamento das ações *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista de prioridades dos
riscos
3. Lista de respostas
potenciais
4. Limiares dos riscos
5. “Donos” dos riscos
6. Respostas comuns a
vários dos riscos
7. Tendências nos
resultados das avaliações
Fontes de informação
* PMBOK
Planejamento das ações *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista de prioridades dos
riscos
3. Lista de respostas
potenciais
4. Limiares dos riscos
5. “Donos” dos riscos
6. Respostas comuns a
vários dos riscos
7. Tendências nos
resultados das avaliações
Fontes de informação
1. Evitação
2. Transferência
3. Mitigação
4. Aceitação
Ferramentas e técnicas
* PMBOK
Planejamento das ações *
• Evitação significa modificar o plano do projeto para eliminar um
risco ou proteger os objetivos de seu impacto.
• Transferência significa transferir a responsabilidade da gerência
dos riscos para terceiros.
• Mitigação significa a diminuição da severidade do risco para abaixo
de um limiar aceitável.
• Aceitação significa que a equipe do projeto decidiu não tomar
nenhuma providência a respeito de um determinado risco.
* PMBOK
Planejamento das ações *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista de prioridades dos
riscos
3. Lista de respostas
potenciais
4. Limiares dos riscos
5. “Donos” dos riscos
6. Respostas comuns a
vários dos riscos
7. Tendências nos
resultados das avaliações
Fontes de informação
1. Evitação
2. Transferência
3. Mitigação
4. Aceitação
Ferramentas e técnicas
1. Plano de respostas aos
riscos e cronograma
2. Lista de riscos residuais
3. Plano de contingências
4. Reservas necessárias
para contingências
5. Informação para outros
processos
6. Informação para revisão
do plano de projeto
Informação resultante
* PMBOK
Planejamento das ações *
O Plano de resposta aos riscos inclui:
• Detalhes dos riscos identificados;
• “Donos” dos riscos e suas responsabilidades;
• Avaliação e quantificação dos riscos;
• Respostas para cada risco;
• Severidade dos riscos residuais;
• Respostas específicas para implementação das estratégias aprovadas;
• Orçamentos e cronogramas para as respostas.
* PMBOK
Planejamento das ações *
Plano de contingência
Medidas e providências para o caso de ocorrência de riscos
residuais:
• Reservas ou fundos de contingência;
• Responsáveis: gerente de projeto, gerente de riscos e alta
administração.
* PMBOK
Monitoração dos riscos *
A monitoração destina-se a determinar se:
• As respostas foram implementadas conforme planejado;
• As ações têm a eficácia prevista;
• As premissas do projeto permanecem válidas;
• A exposição ao risco mudou;
• Ocorreu um gatilho de risco;
• Estão sendo seguidas políticas e procedimento adequados;
• Apareceram novos riscos.
* PMBOK
Monitoração dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista de resposta aos
riscos
3. Plano de contingências
4. Comunicações do
projeto
5. Identificação e análise de
riscos adicionais
6. Mudanças no escopo
Fontes de informação
* PMBOK
Monitoração dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista de resposta aos
riscos
3. Plano de contingências
4. Comunicações do
projeto
5. Identificação e análise de
riscos adicionais
6. Mudanças no escopo
Fontes de informação
1. Auditoria de resposta ao
risco
2. Revisões periódicas
3. Análise do valor obtido
4. Medidas do
desempenho técnico
5. Planejamento adicional
da resposta ao risco
Ferramentas e técnicas
* PMBOK
Monitoração dos riscos *
1. Plano de gestão de riscos
2. Lista de resposta aos
riscos
3. Plano de contingências
4. Comunicações do
projeto
5. Identificação e análise de
riscos adicionais
6. Mudanças no escopo
Fontes de informação
1. Auditoria de resposta ao
risco
2. Revisões periódicas
3. Análise do valor obtido
4. Medidas do
desempenho técnico
5. Planejamento adicional
da resposta ao risco
Ferramentas e técnicas
1. “Quebra galhos”
2. Ações corretivas
3. Pedidos de mudanças no
projeto
4. Atualizações do plano de
resposta ao risco
5. Base de dados sobre
riscos
6. Atualização das listas de
identificação de riscos
Informação resultante
* PMBOK
Níveis de maturidade
As organizações apresentam diferentes níveis de
maturidade na gestão de riscos:
• Nível 1 – ignora a necessidade de gerenciamento de riscos. Perda e
tempo e desperdício de recursos investidos.
• Nível 2 – pratica gerenciamento de riscos em um pequeno grupo de
projeto / pessoas. Fase de aprendizado e implantação.
• Nível 3 – utiliza gerenciamento de riscos na maioria dos projetos /
processos.
• Nível 4 – cultura de consciência do risco. Benefícios e ganhos
espalhados por toda a estrutura.
No Brasil a cultura da gestão de riscos ainda é restrita a grandes empresas e
projetos. No entanto, feitas as devidas adaptações, esta é uma prática que
deve ser adotada por qualquer organização, com benefícios diretos sobre
seus resultados e sobre o sucesso de projetos de clientes destas
organizações, tais como:
• Projetos de reestruturação societária, M&A ou cisões assessorados
por advogados e auditores;
• Processos judiciais (contencioso judicial) patrocinados por escritórios
de advocacia, etc.
Seja qual for a natureza do projeto, a correta gestão de seus riscos contribui
imensamente para evitar perdas e alcançar os objetivos inicialmente
estabelecidos.
Considerações finais
www.tellescorrea.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 - Gerenciamento de riscos
Aula 3 - Gerenciamento de riscosAula 3 - Gerenciamento de riscos
Aula 3 - Gerenciamento de riscos
Matheus de Lara Calache
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
Marcos Abreu
 
Aula 2 - Gestão de Riscos
Aula 2 - Gestão de RiscosAula 2 - Gestão de Riscos
Aula 2 - Gestão de Riscos
Carlos Henrique Martins da Silva
 
Gestão de Projetos
Gestão de ProjetosGestão de Projetos
Gestão de Projetos
HealthMinds Academy
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
AyslanAnholon
 
Aula 1 planejamento estratégico
Aula 1   planejamento estratégicoAula 1   planejamento estratégico
Aula 1 planejamento estratégico
Kesia Rozzett Oliveira
 
Tomada de decisão
Tomada de decisãoTomada de decisão
Tomada de decisão
Leila Oliva
 
Matriz gut
Matriz gutMatriz gut
Matriz gut
Carci
 
Aula 7 gestão de riscos
Aula 7   gestão de riscosAula 7   gestão de riscos
Aula 7 gestão de riscos
Daniel Moura
 
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscosApresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
Caio Petrônios
 
Gerenciamento Riscos Senai 2
Gerenciamento Riscos Senai 2Gerenciamento Riscos Senai 2
Gerenciamento Riscos Senai 2
robsonnasc
 
Aula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de ProjetosAula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de Projetos
Fernando Dantas
 
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICOPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
Paulo David
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Professora Patricia Lima
 
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPMMapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Rogério Araújo
 
Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...
Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...
Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...
Wladmir Araujo
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
Gerisval Pessoa
 
Manual de Gestão de Riscos
Manual de Gestão de RiscosManual de Gestão de Riscos
Manual de Gestão de Riscos
fabiocdaraujo
 
AULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOTAULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOT
André Sandiêgo Falcão
 
Administração da produção slack 3ªed parte 1
Administração da produção   slack 3ªed parte 1Administração da produção   slack 3ªed parte 1
Administração da produção slack 3ªed parte 1
Stéphani Ferreira
 

Mais procurados (20)

Aula 3 - Gerenciamento de riscos
Aula 3 - Gerenciamento de riscosAula 3 - Gerenciamento de riscos
Aula 3 - Gerenciamento de riscos
 
Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos
 
Aula 2 - Gestão de Riscos
Aula 2 - Gestão de RiscosAula 2 - Gestão de Riscos
Aula 2 - Gestão de Riscos
 
Gestão de Projetos
Gestão de ProjetosGestão de Projetos
Gestão de Projetos
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
 
Aula 1 planejamento estratégico
Aula 1   planejamento estratégicoAula 1   planejamento estratégico
Aula 1 planejamento estratégico
 
Tomada de decisão
Tomada de decisãoTomada de decisão
Tomada de decisão
 
Matriz gut
Matriz gutMatriz gut
Matriz gut
 
Aula 7 gestão de riscos
Aula 7   gestão de riscosAula 7   gestão de riscos
Aula 7 gestão de riscos
 
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscosApresentação sobre gerenciamento de riscos
Apresentação sobre gerenciamento de riscos
 
Gerenciamento Riscos Senai 2
Gerenciamento Riscos Senai 2Gerenciamento Riscos Senai 2
Gerenciamento Riscos Senai 2
 
Aula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de ProjetosAula 1 - Gestão de Projetos
Aula 1 - Gestão de Projetos
 
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICOPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
 
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPMMapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócios com BPM
 
Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...
Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...
Gerenciamento de Projetos conforme Guia PMBOK 5 edição e FEL (IPA) - Case de ...
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
 
Manual de Gestão de Riscos
Manual de Gestão de RiscosManual de Gestão de Riscos
Manual de Gestão de Riscos
 
AULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOTAULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOT
 
Administração da produção slack 3ªed parte 1
Administração da produção   slack 3ªed parte 1Administração da produção   slack 3ªed parte 1
Administração da produção slack 3ªed parte 1
 

Destaque

Análise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou Quantitativa
Análise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou QuantitativaAnálise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou Quantitativa
Análise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou Quantitativa
elliando dias
 
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscosGerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos
Iben Engenharia
 
Aula Apresentação de Gestão de Riscos
Aula Apresentação de Gestão de RiscosAula Apresentação de Gestão de Riscos
Aula Apresentação de Gestão de Riscos
Rogerio P C do Nascimento
 
Gerenciamento de Riscos: uma abordagem prática
Gerenciamento de Riscos: uma abordagem práticaGerenciamento de Riscos: uma abordagem prática
Gerenciamento de Riscos: uma abordagem prática
elliando dias
 
Técnicas de analise de risco
Técnicas de analise de risco Técnicas de analise de risco
Técnicas de analise de risco
Victor Akuma
 
Bsb 2012 avaliação e comunicação de riscos
Bsb 2012 avaliação e comunicação de riscosBsb 2012 avaliação e comunicação de riscos
Bsb 2012 avaliação e comunicação de riscos
Agropec Consultoria
 
Transformando Riscos em Oportunidades de Negócio
Transformando Riscos em Oportunidades de NegócioTransformando Riscos em Oportunidades de Negócio
Transformando Riscos em Oportunidades de Negócio
Cristiano Santos, MBA, PMP, ITILv3
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13
Ethel Capuano
 
Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto
Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto
Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto
Paulo André de Andrade (PMP, M
 
PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)
PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)
PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)
Flavio D. Souza
 
ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...
ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...
ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...
Fernando S. S. Barbosa
 
Metodologias Avançadas em Gestão de Riscos
Metodologias Avançadas em Gestão de RiscosMetodologias Avançadas em Gestão de Riscos
Metodologias Avançadas em Gestão de Riscos
IETEC - Instituto de Educação Tecnológica
 
Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...
Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...
Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...
Fernando S. S. Barbosa
 
09 risco pitagoras
09 risco    pitagoras09 risco    pitagoras
09 risco pitagoras
fernandao777
 
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscosGerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos
Paulo Junior
 
Aula riscoocupacional
Aula riscoocupacionalAula riscoocupacional
Aula riscoocupacional
Montacon
 
Gestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria InternaGestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria Interna
InformaGroup
 
Identificação de riscos em projetos - Check-list
Identificação de riscos em projetos - Check-listIdentificação de riscos em projetos - Check-list
Identificação de riscos em projetos - Check-list
Maria João Gehl Baptista da Costa, PMP, PMD, CSM
 
Tecnicas Basicas de Identificacao de Riscos
Tecnicas Basicas de Identificacao de RiscosTecnicas Basicas de Identificacao de Riscos
Tecnicas Basicas de Identificacao de Riscos
Ricardo Viana Vargas
 

Destaque (19)

Análise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou Quantitativa
Análise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou QuantitativaAnálise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou Quantitativa
Análise de Riscos em Projetos : Uma Abordagem Qualitativa ou Quantitativa
 
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscosGerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos
 
Aula Apresentação de Gestão de Riscos
Aula Apresentação de Gestão de RiscosAula Apresentação de Gestão de Riscos
Aula Apresentação de Gestão de Riscos
 
Gerenciamento de Riscos: uma abordagem prática
Gerenciamento de Riscos: uma abordagem práticaGerenciamento de Riscos: uma abordagem prática
Gerenciamento de Riscos: uma abordagem prática
 
Técnicas de analise de risco
Técnicas de analise de risco Técnicas de analise de risco
Técnicas de analise de risco
 
Bsb 2012 avaliação e comunicação de riscos
Bsb 2012 avaliação e comunicação de riscosBsb 2012 avaliação e comunicação de riscos
Bsb 2012 avaliação e comunicação de riscos
 
Transformando Riscos em Oportunidades de Negócio
Transformando Riscos em Oportunidades de NegócioTransformando Riscos em Oportunidades de Negócio
Transformando Riscos em Oportunidades de Negócio
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 13
 
Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto
Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto
Ensino da Análise Quantitativa de Riscos em Projeto
 
PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)
PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)
PGRisCo (software para gerenciamento de riscos corporativos)
 
ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...
ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...
ANÁLISE QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS BRINQUEDOS PEDAGÓGICOS DE ESCOLAS DE E...
 
Metodologias Avançadas em Gestão de Riscos
Metodologias Avançadas em Gestão de RiscosMetodologias Avançadas em Gestão de Riscos
Metodologias Avançadas em Gestão de Riscos
 
Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...
Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...
Análise Qualitativa e Quantitativa dos Brinquedos Pedagógicos de Escolas de E...
 
09 risco pitagoras
09 risco    pitagoras09 risco    pitagoras
09 risco pitagoras
 
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscosGerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos
 
Aula riscoocupacional
Aula riscoocupacionalAula riscoocupacional
Aula riscoocupacional
 
Gestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria InternaGestão de Auditoria Interna
Gestão de Auditoria Interna
 
Identificação de riscos em projetos - Check-list
Identificação de riscos em projetos - Check-listIdentificação de riscos em projetos - Check-list
Identificação de riscos em projetos - Check-list
 
Tecnicas Basicas de Identificacao de Riscos
Tecnicas Basicas de Identificacao de RiscosTecnicas Basicas de Identificacao de Riscos
Tecnicas Basicas de Identificacao de Riscos
 

Semelhante a Gestão de riscos

KPMG_IARCS_GestaoRiscodocx
KPMG_IARCS_GestaoRiscodocxKPMG_IARCS_GestaoRiscodocx
KPMG_IARCS_GestaoRiscodocx
Rui Carapeto
 
Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...
Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...
Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...
Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ)
 
ARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOS
ARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOSARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOS
ARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOS
Carolina Rivoir
 
Ris02
Ris02Ris02
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap11 risco
Gerenciamento de Projetos PMBOK  cap11 riscoGerenciamento de Projetos PMBOK  cap11 risco
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap11 risco
Fernando Palma
 
Gerenciamento de projetos aula 13 (riscos)
Gerenciamento de projetos   aula 13 (riscos)Gerenciamento de projetos   aula 13 (riscos)
Gerenciamento de projetos aula 13 (riscos)
Paulo Junior
 
Planejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de Riscos
Planejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de Riscos
Planejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de Riscos
DaniloDMathos
 
Gestaode Riscos - Lacertae Sw
Gestaode Riscos - Lacertae SwGestaode Riscos - Lacertae Sw
Gestaode Riscos - Lacertae Sw
Anderson Freire .'.
 
Gestão de Riscos by Lacertae SW
Gestão de Riscos by Lacertae SWGestão de Riscos by Lacertae SW
Gestão de Riscos by Lacertae SW
Rogerio P C do Nascimento
 
Gerenciamento de Riscos
Gerenciamento de RiscosGerenciamento de Riscos
Gerenciamento de Riscos
Iris Nunes, PMP®, PSM I
 
Lecture 3 :: Análise e Gestão de Risco
Lecture 3 :: Análise e Gestão de RiscoLecture 3 :: Análise e Gestão de Risco
Lecture 3 :: Análise e Gestão de Risco
Rogerio P C do Nascimento
 
Gestão riscos estratégicos
Gestão riscos estratégicosGestão riscos estratégicos
Gestão riscos estratégicos
Symnetics Business Transformation
 
Analise de projetos
Analise de projetosAnalise de projetos
Analise de projetos
Conduril Sucursal Angola
 
Gerenciamento de Riscos em Projetos - Sao Paulo
Gerenciamento de Riscos em Projetos - Sao PauloGerenciamento de Riscos em Projetos - Sao Paulo
Gerenciamento de Riscos em Projetos - Sao Paulo
Grupo Treinar
 
Gerenciamento de Riscos
Gerenciamento de  RiscosGerenciamento de  Riscos
Gerenciamento de Riscos
Leandro Sperotto SPEROTTO
 
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em SegurosWebinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Escola Nacional de Seguros
 
ISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINAL
ISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINALISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINAL
ISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINAL
israelhlm
 
WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...
WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...
WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...
Workshop on Distributed Software Development, Software Ecosystems and Systems-of-Systems
 
Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)
Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)
Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)
Alessandro Almeida
 
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés BagagiGestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Moises Bagagi
 

Semelhante a Gestão de riscos (20)

KPMG_IARCS_GestaoRiscodocx
KPMG_IARCS_GestaoRiscodocxKPMG_IARCS_GestaoRiscodocx
KPMG_IARCS_GestaoRiscodocx
 
Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...
Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...
Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvimento Distribuído...
 
ARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOS
ARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOSARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOS
ARTIGO - UNG - RIVOIR - RISCOS
 
Ris02
Ris02Ris02
Ris02
 
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap11 risco
Gerenciamento de Projetos PMBOK  cap11 riscoGerenciamento de Projetos PMBOK  cap11 risco
Gerenciamento de Projetos PMBOK cap11 risco
 
Gerenciamento de projetos aula 13 (riscos)
Gerenciamento de projetos   aula 13 (riscos)Gerenciamento de projetos   aula 13 (riscos)
Gerenciamento de projetos aula 13 (riscos)
 
Planejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de Riscos
Planejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de Riscos
Planejar o Gerenciamento de RiscosPlanejar o Gerenciamento de Riscos
 
Gestaode Riscos - Lacertae Sw
Gestaode Riscos - Lacertae SwGestaode Riscos - Lacertae Sw
Gestaode Riscos - Lacertae Sw
 
Gestão de Riscos by Lacertae SW
Gestão de Riscos by Lacertae SWGestão de Riscos by Lacertae SW
Gestão de Riscos by Lacertae SW
 
Gerenciamento de Riscos
Gerenciamento de RiscosGerenciamento de Riscos
Gerenciamento de Riscos
 
Lecture 3 :: Análise e Gestão de Risco
Lecture 3 :: Análise e Gestão de RiscoLecture 3 :: Análise e Gestão de Risco
Lecture 3 :: Análise e Gestão de Risco
 
Gestão riscos estratégicos
Gestão riscos estratégicosGestão riscos estratégicos
Gestão riscos estratégicos
 
Analise de projetos
Analise de projetosAnalise de projetos
Analise de projetos
 
Gerenciamento de Riscos em Projetos - Sao Paulo
Gerenciamento de Riscos em Projetos - Sao PauloGerenciamento de Riscos em Projetos - Sao Paulo
Gerenciamento de Riscos em Projetos - Sao Paulo
 
Gerenciamento de Riscos
Gerenciamento de  RiscosGerenciamento de  Riscos
Gerenciamento de Riscos
 
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em SegurosWebinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
Webinar Processo de Subscrição de Riscos em Seguros
 
ISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINAL
ISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINALISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINAL
ISRAEL MARTINS TCC VERSÃO FINAL
 
WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...
WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...
WDES 2014 paper: Um Framework para Gestão de Riscos em Projetos de Desenvolvi...
 
Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)
Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)
Planejamento, Execução e Controle de Projetos (05/05/2015)
 
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés BagagiGestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
Gestão e Análise de Projetos Alfacastelo Moisés Bagagi
 

Mais de Joao Telles Corrêa Filho

Repensando o planejamento
Repensando o planejamentoRepensando o planejamento
Repensando o planejamento
Joao Telles Corrêa Filho
 
Conflito qualidade vs produtividade
Conflito qualidade vs produtividadeConflito qualidade vs produtividade
Conflito qualidade vs produtividade
Joao Telles Corrêa Filho
 
Qualidade e produtividade
Qualidade e produtividadeQualidade e produtividade
Qualidade e produtividade
Joao Telles Corrêa Filho
 
Avaliação de empresas
Avaliação de empresasAvaliação de empresas
Avaliação de empresas
Joao Telles Corrêa Filho
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
Joao Telles Corrêa Filho
 
KPI\'s
KPI\'sKPI\'s
ImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias
ImplantaçãO De Sistema De Custos Para AdvocaciasImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias
ImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias
Joao Telles Corrêa Filho
 
Mkt em serviços jurídicos
Mkt em serviços jurídicosMkt em serviços jurídicos
Mkt em serviços jurídicos
Joao Telles Corrêa Filho
 
Implantação de Sistema de gestão
Implantação de Sistema de gestãoImplantação de Sistema de gestão
Implantação de Sistema de gestão
Joao Telles Corrêa Filho
 
Seis Sigma em servicos
Seis Sigma em servicosSeis Sigma em servicos
Seis Sigma em servicos
Joao Telles Corrêa Filho
 
Remuneração cariáVel
Remuneração cariáVelRemuneração cariáVel
Remuneração cariáVel
Joao Telles Corrêa Filho
 
Reposicionamento estrategico para advocacias
Reposicionamento estrategico para advocaciasReposicionamento estrategico para advocacias
Reposicionamento estrategico para advocacias
Joao Telles Corrêa Filho
 
Inovação participativa
Inovação participativaInovação participativa
Inovação participativa
Joao Telles Corrêa Filho
 
Empresa viva
Empresa vivaEmpresa viva
C.E.O. em escritórios de advocacia
C.E.O. em escritórios de advocaciaC.E.O. em escritórios de advocacia
C.E.O. em escritórios de advocacia
Joao Telles Corrêa Filho
 
Dimensionamento de quadro de pessoal
Dimensionamento de quadro de pessoalDimensionamento de quadro de pessoal
Dimensionamento de quadro de pessoal
Joao Telles Corrêa Filho
 
Business Plan
Business PlanBusiness Plan
Aspectos de controladoria
Aspectos de controladoriaAspectos de controladoria
Aspectos de controladoria
Joao Telles Corrêa Filho
 

Mais de Joao Telles Corrêa Filho (18)

Repensando o planejamento
Repensando o planejamentoRepensando o planejamento
Repensando o planejamento
 
Conflito qualidade vs produtividade
Conflito qualidade vs produtividadeConflito qualidade vs produtividade
Conflito qualidade vs produtividade
 
Qualidade e produtividade
Qualidade e produtividadeQualidade e produtividade
Qualidade e produtividade
 
Avaliação de empresas
Avaliação de empresasAvaliação de empresas
Avaliação de empresas
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
 
KPI\'s
KPI\'sKPI\'s
KPI\'s
 
ImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias
ImplantaçãO De Sistema De Custos Para AdvocaciasImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias
ImplantaçãO De Sistema De Custos Para Advocacias
 
Mkt em serviços jurídicos
Mkt em serviços jurídicosMkt em serviços jurídicos
Mkt em serviços jurídicos
 
Implantação de Sistema de gestão
Implantação de Sistema de gestãoImplantação de Sistema de gestão
Implantação de Sistema de gestão
 
Seis Sigma em servicos
Seis Sigma em servicosSeis Sigma em servicos
Seis Sigma em servicos
 
Remuneração cariáVel
Remuneração cariáVelRemuneração cariáVel
Remuneração cariáVel
 
Reposicionamento estrategico para advocacias
Reposicionamento estrategico para advocaciasReposicionamento estrategico para advocacias
Reposicionamento estrategico para advocacias
 
Inovação participativa
Inovação participativaInovação participativa
Inovação participativa
 
Empresa viva
Empresa vivaEmpresa viva
Empresa viva
 
C.E.O. em escritórios de advocacia
C.E.O. em escritórios de advocaciaC.E.O. em escritórios de advocacia
C.E.O. em escritórios de advocacia
 
Dimensionamento de quadro de pessoal
Dimensionamento de quadro de pessoalDimensionamento de quadro de pessoal
Dimensionamento de quadro de pessoal
 
Business Plan
Business PlanBusiness Plan
Business Plan
 
Aspectos de controladoria
Aspectos de controladoriaAspectos de controladoria
Aspectos de controladoria
 

Último

7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applicationsIntroduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
João de Paula Ribeiro Neto
 
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFoi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 

Último (6)

7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applicationsIntroduction to EFFECTUATION concepts and applications
Introduction to EFFECTUATION concepts and applications
 
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxFoi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Foi por amor.pptx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 

Gestão de riscos

  • 2. A realização da Copa do Mundo nos dois meses passados deixou, dentre outros “legados”, uma importante lição sobre riscos em projetos e a necessidade de lidar adequadamente com eles – afinal, como foi tratado o risco da perda de jogadores fundamentais como Neymar ainda antes do final do torneio? Houve algum tipo de planejamento das autoridades para enfrentar o risco das aglomerações de pessoas no bairro de Vila Madalena durante a Copa? Os riscos envolvem condições que criam possibilidades de consequências – adversas ou não. Suas principais dimensões são a probabilidade de ocorrência e o grau de impacto caso a ocorrência se verifique. Isto significa que o risco está intimamente associado à incerteza e as incertezas são inimigas dos negócios. Gerenciar riscos, portanto, significa reduzir incertezas e mitigar fatores que levam a perdas e prejuízos. Esta apresentação resume algumas técnicas que podem ser aplicadas para melhor administrar riscos e, com isso, maximizar resultados próprios e de clientes. João Telles Corrêa Filho Julho de 2014
  • 3. Conceituação e qualificação dos riscos Alguns conceitos que às vezes nos confundem: 1. Ignorância: eventos futuros que, no momento da análise, não poderão sequer ser identificados, muito menos quantificados. 2. Incerteza: evento futuro identificado, ao qual não é possível associar uma probabilidade de ocorrência 3. Risco: evento futuro identificado, ao qual é possível associar uma probabilidade de ocorrência
  • 4. Conceituação e qualificação dos riscos Portanto, Eventos com 100% de probabilidade de ocorrência não são riscos, são PROBLEMAS conhecidos para os quais deve haver um plano de ação específico. Eventos com 0% de probabilidade de ocorrência também não são riscos, são HIPÓTESES a descartar, simplificando a análise
  • 5. Conceituação e qualificação dos riscos E mais, Gestão de riscos é a técnica de identificar, avaliar, responder e controlar os riscos de um projeto de modo sistemático e durante toda a sua vida. * * Ricardo Leonardo Rovai – Modelo estruturado para gestão de riscos em projetos
  • 6. Conceituação e qualificação dos riscos E mais, Gestão de riscos é a técnica de identificar, avaliar, responder e controlar os riscos de um projeto de modo sistemático e durante toda a sua vida. * A gestão de riscos objetiva minimizar as possibilidades de ocorrência dos eventos e seus impactos nos projetos. * Ricardo Leonardo Rovai – Modelo estruturado para gestão de riscos em projetos
  • 7. Conceituação e qualificação dos riscos E mais, Gestão de riscos é a técnica de identificar, avaliar, responder e controlar os riscos de um projeto de modo sistemático e durante toda a sua vida. * A gestão de riscos objetiva minimizar as possibilidades de ocorrência dos eventos e seus impactos nos projetos. A gestão de riscos se aplica a projetos próprios da organização (tais como implantação de sistemas ou abertura de novas áreas de atuação) e a projetos de clientes / parceiros (tais como processos judiciais de clientes de escritórios de advocacia). * Ricardo Leonardo Rovai – Modelo estruturado para gestão de riscos em projetos
  • 8. Origens dos riscos PMBOK, Project Management Institute RISCOS DOS PROJETOS GESTÃO DO PROJETO RECURSOS HUMANOS QUALIDADE CUSTOS INFORMAÇÕESESCOPO SUPRIMENTOSPRAZOS
  • 9. Grupos de riscos * 1. Riscos corporativos • Cultura organizacional • Estabilidade da organização • Metodologia e processos de trabalho • Apoio técnico e administrativo • Comunicação interna • Método de determinação de escopo dos projetos (internos ou de clientes) • Gerenciamento dos projetos • Integração entre processos • Financeiro * Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
  • 10. Grupos de riscos * 2. Riscos de clientes ou stakeholders • Experiência e cultura anteriores • Interação com clientes / usuários • Contratos • Exatidão de definição e estabilidade dos requisitos • Metodologia e processo • Recursos Humanos • Comunicação • Estabelecimento de escopo e estimativas • Gerenciamento dos clientes * Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
  • 11. Grupos de riscos * 3. Riscos externos • Riscos naturais • Ambiente físico • Serviços locais (públicos e privados) • População • Informação e logística • Riscos culturais e do país • Políticos • Legais / regulatórios • Grupos de interesse * Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
  • 12. Grupos de riscos * 3. Riscos externos (continuação) • Riscos econômicos • Mercado de trabalho • Mercado financeiro • Condições de trabalho • Informação e logística * Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
  • 13. Grupos de riscos * 4. Outros riscos relevantes • Riscos de cronogramas “impossíveis” • Cultura organizacional muito resistente a mudanças • Complexidade dos projetos * Relatório Final Sobre Riscos Universais em Projetos – RISKSIG PMI, Hall e Hulet (2002)
  • 14. Estrutura do processo de gestão de riscos * * Ricardo Leonardo Rovai Planejamento da gestão de riscos Stakeholders EAP (estrutura analítica do projeto) Estrutura do projeto Ambiente • Cliente • Gerente de projeto • Financiador • Sociedade • Cronograma • Tecnologia • Finanças • Recursos • Objetivos • Processos • Sugestões • Restrições • Mercado • Cultura • Organização • Riscos globais
  • 15. Estrutura do processo de gestão de riscos * * PMBOK Gestão de riscos Planejar gestão Identificar riscos Análise qualitativa Análise quantitativa Reposta ao risco Monitorar e controlar
  • 16. Estrutura do processo de gestão de riscos * * PMBOK Gestão de riscos Planejar gestão Identificar riscos Análise qualitativa Análise quantitativa Reposta ao risco Monitorar e controlar AVALIAÇÃO DO RISCO
  • 17. Estrutura do processo de gestão de riscos * * PMBOK Gestão de riscos Planejar gestão Identificar riscos Análise qualitativa Análise quantitativa Reposta ao risco Monitorar e controlar AVALIAÇÃO DO RISCO GERÊNCIA DO RISCO
  • 18. Estrutura do processo de gestão de riscos * * PMBOK Gestão de riscos Planejar gestão Identificar riscos Análise qualitativa Análise quantitativa Reposta ao risco Monitorar e controlar AVALIAÇÃO DO RISCO GERÊNCIA DO RISCO ANÁLISE DO RISCO A gestão de risco é um processo interativo aplicado durante toda a vida do projeto.
  • 19. Estrutura do processo de gestão de riscos * * PMBOK Gestão de riscos Planejar gestão Identificar riscos Análise qualitativa Análise quantitativa Reposta ao risco Monitorar e controlar AVALIAÇÃO DO RISCO GERÊNCIA DO RISCO ANÁLISE DO RISCO A gestão de risco é um processo interativo aplicado durante toda a vida do projeto.
  • 20. Estrutura do processo de gestão de riscos * Informações requeridas para a boa gestão de risco:  Plano do projeto (ou business plan);  Experiências anteriores em gestão de risco (se houver);  Definição de responsabilidades;  Estrutura Analítica do Projeto (EAP);  Tolerância ao risco dos envolvidos;  Disponibilidade de informações;  Formulário para planejamento da gestão de risco. * PMBOK
  • 21. O plano de gestão de riscos inclui 1. Metodologia Métodos, ferramentas e fontes de dados que, inclusive, podem mudar ou tornarem-se de difícil acesso durante o transcurso do projeto. 2. Papéis e responsabilidades Definem a liderança, o apoio e a composição da equipe para cada tipo de ação no plano de gestão de risco do projeto.
  • 22. O plano de gestão de riscos inclui 3. Orçamento Define o orçamento para o plano de gestão de risco do projeto. 4. Frequência Define quantas vezes o plano de gestão será realizado no trancorrer do projeto.
  • 23. O plano de gestão de riscos inclui 5. Severidade e interpretação Método de avaliação da severidade e interpretação adequado ao contexto em que ocorre a avaliação e quantificação dos riscos; os métodos e pesos devem ser previamente definidos para garantia de coerência. 6. Limiares O limiar aceitável forma a meta contra a qual a equipe do projeto vai medir a eficácia da execução do plano de resposta a riscos.
  • 24. O plano de gestão de riscos inclui 7. Formato de relatórios Define a forma e o conteúdo do plano de resposta ao risco. 8. Rastreamento Define como as ações do plano de gestão de riscos serão catalogadas e indexadas para aproveitamento futuro e para busca das origens dos eventos.
  • 25. Processo de identificação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Saídas do planejamento do projeto 3. Categorias de risco 4. Informações históricas Fontes de informação * PMBOK
  • 26. Processo de identificação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Saídas do planejamento do projeto 3. Categorias de risco 4. Informações históricas Fontes de informação 1. Revisão da documentação 2. Técnicas de coleta de informações • Brainstorming • Delphi • Entrevistas • Análise SWOT 3. Listas de verificação 4. Análise das premissas 5. Diagramas Ferramentas e técnicas * PMBOK
  • 27. Processo de identificação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Saídas do planejamento do projeto 3. Categorias de risco 4. Informações históricas Fontes de informação 1. Revisão da documentação 2. Técnicas de coleta de informações • Brainstorming • Delphi • Entrevistas • Análise SWOT 3. Listas de verificação 4. Análise das premissas 5. Diagramas Ferramentas e técnicas 1. Lista de riscos identificados 2. Gatilhos (eventos precursores) 3. Entradas para outros processos Informação resultante * PMBOK
  • 28. Identificação dos riscos Sete são as principais técnicas de identificação de riscos: 1. Revisão de documentação de projetos anteriores 2. Brainstorming 3. Técnica Delphi 4. Entrevistas 5. Análise SWOT do projeto 6. Análise das premissas do projeto 7. Diagramas de causa-efeito (Ishikawa)
  • 29. Identificação dos riscos E quatro são as informações resultantes da identificação de riscos: 1. Lista de riscos ordenada por prioridade. 2. Identificação dos “gatilhos” – sintomas ou sinais de alerta de que um risco está prestes a ocorrer ou já ocorreu. 3. Entradas para outros processos / projetos: necessidades de ações em outros processos ou projetos. 4. Avaliação da severidade dos riscos para estabelecimento de prioridades.
  • 30. Processo de avaliação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Riscos identificados 3. Estágio do projeto 4. Tipo de projeto 5. Precisão e confiabilidade dos dados 6. Escala de possibilidades de impacto 7. Premissas Fontes de informação * PMBOK
  • 31. Processo de avaliação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Riscos identificados 3. Estágio do projeto 4. Tipo de projeto 5. Precisão e confiabilidade dos dados 6. Escala de possibilidades de impacto 7. Premissas Fontes de informação 1. Impacto do risco 2. Possibilidade do risco 3. Matriz de avaliação 4. Teste das premissas do projeto 5. Classificação da precisão dos dados Ferramentas e técnicas * PMBOK Metodologia FMEA
  • 32. Processo de avaliação dos riscos Metodologia FMEA RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO Probabilidade de ocorrência Catastrófico (5) Alto (4) Moderado (3) Baixo (2) Insignificante (1) Remota (1) Improvável (2) Possível (3) Provável (4) Quase certa (5)
  • 33. Processo de avaliação dos riscos Metodologia FMEA RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO Probabilidade de ocorrência Catastrófico (5) 5 10 15 20 25 Alto (4) 4 8 12 16 20 Moderado (3) 3 6 9 12 15 Baixo (2) 2 4 6 8 10 Insignificante (1) 1 2 3 4 5 Remota (1) Improvável (2) Possível (3) Provável (4) Quase certa (5)
  • 34. Processo de avaliação dos riscos Metodologia FMEA RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO Probabilidade de ocorrência Catastrófico (5) 5 10 15 20 25 Alto (4) 4 8 12 16 20 Moderado (3) 3 6 9 12 15 Baixo (2) 2 4 6 8 10 Insignificante (1) 1 2 3 4 5 Remota (1) Improvável (2) Possível (3) Provável (4) Quase certa (5)
  • 35. Processo de avaliação dos riscos Metodologia FMEA RISCO = PROBABILIDADE DE OCORRÊNCIA X IMPACTO NO PROJETO Probabilidade de ocorrência Catastrófico (5) 5 10 15 20 25 Alto (4) 4 8 12 16 20 Moderado (3) 3 6 9 12 15 Baixo (2) 2 4 6 8 10 Insignificante (1) 1 2 3 4 5 Remota (1) Improvável (2) Possível (3) Provável (4) Quase certa (5)INACEITÁVEL ATENÇÃO ACEITÁVEL
  • 36. Processo de avaliação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Riscos identificados 3. Estágio do projeto 4. Tipo de projeto 5. Precisão e confiabilidade dos dados 6. Escala de possibilidades de impacto 7. Premissas Fontes de informação 1. Impacto do risco 2. Possibilidade do risco 3. Matriz de avaliação 4. Teste das premissas do projeto 5. Classificação da precisão dos dados Ferramentas e técnicas 1. Nota geral de risco do projeto 2. Lista priorizada dos riscos 3. Lista dos riscos para análise adicional e gestão 4. Tendências nos resultados das avaliações Informação resultante * PMBOK Metodologia FMEA
  • 37. Processo de quantificação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista priorizada dos riscos 3. Informações históricas 4. Opinião de experts 5. Outras saídas do planejamento Fontes de informação * PMBOK
  • 38. Processo de quantificação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista priorizada dos riscos 3. Informações históricas 4. Opinião de experts 5. Outras saídas do planejamento Fontes de informação 1. Entrevistas 2. Análises de sensibilidade 3. Cenários 4. Métodos analíticos 5. Árvore de decisão 6. Simulações Ferramentas e técnicas * PMBOK
  • 39. Processo de quantificação dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista priorizada dos riscos 3. Informações históricas 4. Opinião de experts 5. Outras saídas do planejamento Fontes de informação 1. Entrevistas 2. Análises de sensibilidade 3. Cenários 4. Métodos analíticos 5. Árvore de decisão 6. Simulações Ferramentas e técnicas 1. Lista priorizada de riscos quantificados 2. Análise probabilística dos projetos 3. Probabilidade de atingir os objetivos de custo e prazo (probabilidade de SUCESSO) Informação resultante * PMBOK
  • 40. Estratégias de resposta aos riscos Riscos podem ser: • Aceitos; • Transferidos; • Evitados; • Mitigados – estratégia mais comumente utilizada.
  • 41. Ações de resposta aos riscos Há dois tipos de ações de resposta a riscos identificados: • Ações preventivas – visam reduzir a severidade do risco e constituem o Plano de resposta aos riscos; • Ações corretivas – executados após a ocorrência do risco (que tornou-se um problema) e constituem o Plano de contingências.
  • 42. Ações de resposta aos riscos Há dois tipos de ações de resposta a riscos identificados: • Ações preventivas – visam reduzir a severidade do risco e constituem o Plano de resposta aos riscos; • Ações corretivas – executados após a ocorrência do risco (que tornou-se um problema) e constituem o Plano de contingências. Nesta fase tratamos de diminuir a severidade dos riscos, ou seja, tentamos trazê-los para a faixa verde do gráfico de classificação de riscos. Catastrófico (5) 5 10 15 20 25 Alto (4) 4 8 12 16 20 Moderado (3) 3 6 9 12 15 Baixo (2) 2 4 6 8 10 Insignificante (1) 1 2 3 4 5 Remota (1) Improvável (2) Possível (3) Provável (4) Quase certa (5)
  • 43. Planejamento das ações * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista de prioridades dos riscos 3. Lista de respostas potenciais 4. Limiares dos riscos 5. “Donos” dos riscos 6. Respostas comuns a vários dos riscos 7. Tendências nos resultados das avaliações Fontes de informação * PMBOK
  • 44. Planejamento das ações * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista de prioridades dos riscos 3. Lista de respostas potenciais 4. Limiares dos riscos 5. “Donos” dos riscos 6. Respostas comuns a vários dos riscos 7. Tendências nos resultados das avaliações Fontes de informação 1. Evitação 2. Transferência 3. Mitigação 4. Aceitação Ferramentas e técnicas * PMBOK
  • 45. Planejamento das ações * • Evitação significa modificar o plano do projeto para eliminar um risco ou proteger os objetivos de seu impacto. • Transferência significa transferir a responsabilidade da gerência dos riscos para terceiros. • Mitigação significa a diminuição da severidade do risco para abaixo de um limiar aceitável. • Aceitação significa que a equipe do projeto decidiu não tomar nenhuma providência a respeito de um determinado risco. * PMBOK
  • 46. Planejamento das ações * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista de prioridades dos riscos 3. Lista de respostas potenciais 4. Limiares dos riscos 5. “Donos” dos riscos 6. Respostas comuns a vários dos riscos 7. Tendências nos resultados das avaliações Fontes de informação 1. Evitação 2. Transferência 3. Mitigação 4. Aceitação Ferramentas e técnicas 1. Plano de respostas aos riscos e cronograma 2. Lista de riscos residuais 3. Plano de contingências 4. Reservas necessárias para contingências 5. Informação para outros processos 6. Informação para revisão do plano de projeto Informação resultante * PMBOK
  • 47. Planejamento das ações * O Plano de resposta aos riscos inclui: • Detalhes dos riscos identificados; • “Donos” dos riscos e suas responsabilidades; • Avaliação e quantificação dos riscos; • Respostas para cada risco; • Severidade dos riscos residuais; • Respostas específicas para implementação das estratégias aprovadas; • Orçamentos e cronogramas para as respostas. * PMBOK
  • 48. Planejamento das ações * Plano de contingência Medidas e providências para o caso de ocorrência de riscos residuais: • Reservas ou fundos de contingência; • Responsáveis: gerente de projeto, gerente de riscos e alta administração. * PMBOK
  • 49. Monitoração dos riscos * A monitoração destina-se a determinar se: • As respostas foram implementadas conforme planejado; • As ações têm a eficácia prevista; • As premissas do projeto permanecem válidas; • A exposição ao risco mudou; • Ocorreu um gatilho de risco; • Estão sendo seguidas políticas e procedimento adequados; • Apareceram novos riscos. * PMBOK
  • 50. Monitoração dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista de resposta aos riscos 3. Plano de contingências 4. Comunicações do projeto 5. Identificação e análise de riscos adicionais 6. Mudanças no escopo Fontes de informação * PMBOK
  • 51. Monitoração dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista de resposta aos riscos 3. Plano de contingências 4. Comunicações do projeto 5. Identificação e análise de riscos adicionais 6. Mudanças no escopo Fontes de informação 1. Auditoria de resposta ao risco 2. Revisões periódicas 3. Análise do valor obtido 4. Medidas do desempenho técnico 5. Planejamento adicional da resposta ao risco Ferramentas e técnicas * PMBOK
  • 52. Monitoração dos riscos * 1. Plano de gestão de riscos 2. Lista de resposta aos riscos 3. Plano de contingências 4. Comunicações do projeto 5. Identificação e análise de riscos adicionais 6. Mudanças no escopo Fontes de informação 1. Auditoria de resposta ao risco 2. Revisões periódicas 3. Análise do valor obtido 4. Medidas do desempenho técnico 5. Planejamento adicional da resposta ao risco Ferramentas e técnicas 1. “Quebra galhos” 2. Ações corretivas 3. Pedidos de mudanças no projeto 4. Atualizações do plano de resposta ao risco 5. Base de dados sobre riscos 6. Atualização das listas de identificação de riscos Informação resultante * PMBOK
  • 53. Níveis de maturidade As organizações apresentam diferentes níveis de maturidade na gestão de riscos: • Nível 1 – ignora a necessidade de gerenciamento de riscos. Perda e tempo e desperdício de recursos investidos. • Nível 2 – pratica gerenciamento de riscos em um pequeno grupo de projeto / pessoas. Fase de aprendizado e implantação. • Nível 3 – utiliza gerenciamento de riscos na maioria dos projetos / processos. • Nível 4 – cultura de consciência do risco. Benefícios e ganhos espalhados por toda a estrutura.
  • 54. No Brasil a cultura da gestão de riscos ainda é restrita a grandes empresas e projetos. No entanto, feitas as devidas adaptações, esta é uma prática que deve ser adotada por qualquer organização, com benefícios diretos sobre seus resultados e sobre o sucesso de projetos de clientes destas organizações, tais como: • Projetos de reestruturação societária, M&A ou cisões assessorados por advogados e auditores; • Processos judiciais (contencioso judicial) patrocinados por escritórios de advocacia, etc. Seja qual for a natureza do projeto, a correta gestão de seus riscos contribui imensamente para evitar perdas e alcançar os objetivos inicialmente estabelecidos. Considerações finais