SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
TEORIA
FUNCIONALISTA DA
  COMUNICAÇÃO
CONDENAÇÕES:

1 – Rebaixar as preferências culturais do público.

2 – Agravar as taxas de delinqüência.

3 – Contribuir para a deterioração moral em geral.

4 – Entorpecer as massas para chegarem à
superficialidade política.

5 – Suprimir a criatividade.
Expondo a corrupção

2 – Agindo como guardiões da liberdade de expressão.

3 – Levando um mínimo de cultura a milhões.

4 – Oferecendo divertimento diário inócuo para as massas
cansadas da força de trabalho.

5 – Informando-nos a cerca dos acontecimentos do
mundo.

6 – Melhorando nosso padrão de vida por sua insistência
para comprarmos e consumirmos produtos a fim de
estimular a economia.
1948 – Nasce a revista The Public Opinion
Quarterly
Universidade de Princeton

Lasswel, Katz, Lazarsfeld, Merton e
Wilbur Schramm
• A TEORIA FUNCIONALISTA DA
  COMUNICAÇÃO É UMA ABORDAGEM
  GLOBAL DOS MEIOS DE
  COMUNICAÇÃO DE MASSA NO SEU
  CONJUNTO.
• NÃO ESTÁ PREOCUPADA COM A
  DISTINÇÃO ENTRE GÊNEROS,
  FORMATOS, MEIOS.
•Manipulação
•Persuasão
•Influência
•Funções
• Abandona a ideia de um efeito
  intencional para averiguar
  CONSEQUÊNCIAS
  OBJETIVAMENTE
  AVERIGUÁVEIS da ação dos
  meios da sobre a sociedade no seu
  conjunto ou sobre os seus
  subsistemas.
• O interesse é a dinâmica do
  sistema social e do papel que
  nela desempenham as
  comunicações de massa.
• A teoria hipodérmica estava ligada ao
  objetivismo behaviorista e descrevia a
  ação comunicativa como uma mera
  relação automática entre estímulo e
  resposta.
• Reduzia a ação comunicativa a um
  processo subjetivo, via o indivíduo
  como manipulável e reduzia a ação
  humana a uma causalidade linear.
• A teoria sociológica do estrutural-
  funcionalismo salienta a ação social (e
  não o comportamento) na sua adesão
  aos valores interiorizados e
  institucionalizados.
• O sistema social na sua globalidade é
  entendido como um organismo cujas
  diferentes partes desempenham
  funções de integração e de manutenção
  do sistema.
• A SOCIEDADE DEIXA DE SER MEIO
  PARA SE PROCURAR ATINGIR OS
  FINS DOS INDIVÍDUOS.
• SÃO OS INDIVÍDUOS, NA MEDIDA EM
  QUE EXERCEM UMA FUNÇÃO, QUE
  SE TORNAM MEIO PARA SE
  PROCURAR ATINGIR OS FINS DA
  SOCIEDADE E, EM PRIMEIRO LUGAR,
  DA SUA SOBREVIVÊNCIA AUTO-
  REGULADA.
• Talcot Parsons: os seres
  humanos aparecem como
  drogados culturais impelidos
  a agir segundo o estímulo de
  valores culturais
  interiorizados que comandam
  suas atividades.
• Manutenção do modelo e controle
  das tensões (cada sistema social
  possui mecanismos de socialização
  que ativam o processo através do
  qual os modelos culturais vêm a
  ser interiorizados na personalidade
  dos indivíduos)
• Adaptação ao ambiente: para
  sobreviver cada sistema social
  deve se adaptar ao seu meio
  ambiente social.
• Perseguição do objetivo: cada sistema
  social tem vários objetivos a alcançar
  mediante esforços de caráter cooperativo.
• Integração: as partes que compõem o
  sistema devem estar interligadas. Deve
  existir fidelidade entre os elementos de um
  sistema.
• Para contrariar as tendências
  desagregadoras é necessário que haja
  mecanismos que sustentam a estrutura
  fundamental do sistema.
• A MÍDIA É FUNCIONAL NA MEDIDA
  EM QUE DESEMPENHA
  PARCIALMENTE A TAREFA DE
  REALÇAR E REFORÇAR OS MODELOS
  DE COMPORTAMENTO EXISTENTES
  NO SISTEMA SOCIAL.
• Uma estrutura parcial ou subsistema pode
  ser igualmente disfuncional, na medida em
  que constitui um obstáculo à satisfação de
  uma das necessidades essenciais.
• O objetivo é articular, nomeadamente:
• 1. as funções e
• as disfunções
2. Latentes e
3. manifestas
• das transmissões
4. jornalísticas
5. informativas
6. culturais
7. de entretenimento
• respeitantes
8. à sociedade
9. aos grupos
10.ao indivíduo
11.ao sistema cultural.
• O inventário das funções relaciona-se com
  quatro tipos de fenômenos comunicativos
  diferentes:
• A existência do sistema global da mídia na
  sociedade
• Os tipos de modelos específicos de
  comunicaação
• A ordem institucional e organizativa
• As conseqüências do fato da mídia
  centralizar as principais atividades de
  comunicação
• A difusão da informação desempenha duas
  funções:
• Alertar os cidadãos para perigos
  imprevistos.
• Prestar serviços para o exercício de práticas
  cotidianas.
• Com relação aos indivíduos:
• Atribuição de prestígio (credibilidade)
• Reforço do prestígio daqueles que se
  identificam com a necessidade e o valor
  socialmente difundido de serem cidadãos
  bem informados.
• Reforço das normas sociais.
• Disfunções:
•
• Os fluxos informativos, que circulam
  livremente, podem ameaçar a estrutura
  fundamental da própria sociedade.
• A difusão de notícias alarmantes pode
  causar pânicos.
• O excesso de informação pode levar o
  cidadão à inércia.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Funcionalismo

Fundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosFundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosEdivânia Monteiro
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Estudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalísticaEstudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalísticaAna Beatriz Cozza
 
Homem cultura sociedade u1
Homem cultura sociedade u1Homem cultura sociedade u1
Homem cultura sociedade u1ingrid stefanny
 
Aula 06 Cultura: concepções e derivações
Aula 06   Cultura: concepções e derivaçõesAula 06   Cultura: concepções e derivações
Aula 06 Cultura: concepções e derivaçõesElizeu Nascimento Silva
 
Sociologia etimologia conceito nascimento (1)
Sociologia  etimologia conceito nascimento (1)Sociologia  etimologia conceito nascimento (1)
Sociologia etimologia conceito nascimento (1)Marcos Lima
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...Jordano Santos Cerqueira
 
Estudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicaçãoEstudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicaçãoLaércio Góes
 
Sociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair Aguilar
Sociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair AguilarSociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair Aguilar
Sociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Divisão Social do Trabalho
Divisão Social do TrabalhoDivisão Social do Trabalho
Divisão Social do Trabalhoalessanrita
 
Trajetória da Assistência Social sistematizada
Trajetória da Assistência Social sistematizadaTrajetória da Assistência Social sistematizada
Trajetória da Assistência Social sistematizadaAnna Trina
 

Semelhante a Funcionalismo (20)

Exclusão social tsp
Exclusão social tspExclusão social tsp
Exclusão social tsp
 
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosFundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Estudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalísticaEstudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalística
 
Homem cultura sociedade u1
Homem cultura sociedade u1Homem cultura sociedade u1
Homem cultura sociedade u1
 
Livro unico
Livro unicoLivro unico
Livro unico
 
Aula 06 Cultura: concepções e derivações
Aula 06   Cultura: concepções e derivaçõesAula 06   Cultura: concepções e derivações
Aula 06 Cultura: concepções e derivações
 
Sociologia etimologia conceito nascimento (1)
Sociologia  etimologia conceito nascimento (1)Sociologia  etimologia conceito nascimento (1)
Sociologia etimologia conceito nascimento (1)
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 04 - Co...
 
Aula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria FuncionalistaAula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria Funcionalista
 
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIARevisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
Estudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicaçãoEstudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicação
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Sociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair Aguilar
Sociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair AguilarSociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair Aguilar
Sociologia - interacões e grupos sociais- Prof.Altair Aguilar
 
Divisão Social do Trabalho
Divisão Social do TrabalhoDivisão Social do Trabalho
Divisão Social do Trabalho
 
Émile durkheim
Émile durkheimÉmile durkheim
Émile durkheim
 
emiledurkheim-.ppt
emiledurkheim-.pptemiledurkheim-.ppt
emiledurkheim-.ppt
 
Kelly roberta ativ5
Kelly roberta ativ5Kelly roberta ativ5
Kelly roberta ativ5
 
Trajetória da Assistência Social sistematizada
Trajetória da Assistência Social sistematizadaTrajetória da Assistência Social sistematizada
Trajetória da Assistência Social sistematizada
 

Mais de Ronaldo Henn

Etapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humana
Etapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humanaEtapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humana
Etapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humanaRonaldo Henn
 
Ronaldo sbpjor 2011
Ronaldo sbpjor 2011Ronaldo sbpjor 2011
Ronaldo sbpjor 2011Ronaldo Henn
 
Convergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídiasConvergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídiasRonaldo Henn
 
Linguagens e convergências
Linguagens e convergênciasLinguagens e convergências
Linguagens e convergênciasRonaldo Henn
 
Biblioteca 1892 (1)
Biblioteca 1892 (1)Biblioteca 1892 (1)
Biblioteca 1892 (1)Ronaldo Henn
 
Mc luhan visao som e furia
Mc luhan visao som e furiaMc luhan visao som e furia
Mc luhan visao som e furiaRonaldo Henn
 
Santaella, lucia matrizes da linguagem e pensamento
Santaella, lucia   matrizes da linguagem e pensamentoSantaella, lucia   matrizes da linguagem e pensamento
Santaella, lucia matrizes da linguagem e pensamentoRonaldo Henn
 
Convergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídiasConvergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídiasRonaldo Henn
 
Pontos para a prova de gb
Pontos para a prova de gbPontos para a prova de gb
Pontos para a prova de gbRonaldo Henn
 
Mídias harry pross
Mídias harry prossMídias harry pross
Mídias harry prossRonaldo Henn
 

Mais de Ronaldo Henn (20)

Etapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humana
Etapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humanaEtapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humana
Etapas da-evolu c-ao-da-comunicacao-humana
 
Ti review
Ti reviewTi review
Ti review
 
Seminário sonia
Seminário soniaSeminário sonia
Seminário sonia
 
Seminário sonia
Seminário soniaSeminário sonia
Seminário sonia
 
Aaula sonia
Aaula soniaAaula sonia
Aaula sonia
 
Ronaldo sbpjor 2011
Ronaldo sbpjor 2011Ronaldo sbpjor 2011
Ronaldo sbpjor 2011
 
Convergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídiasConvergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídias
 
Linguagens e convergências
Linguagens e convergênciasLinguagens e convergências
Linguagens e convergências
 
394 1976-1-pb
394 1976-1-pb394 1976-1-pb
394 1976-1-pb
 
Shannon1948
Shannon1948Shannon1948
Shannon1948
 
Shannon1948
Shannon1948Shannon1948
Shannon1948
 
Biblioteca 1892 (1)
Biblioteca 1892 (1)Biblioteca 1892 (1)
Biblioteca 1892 (1)
 
Mc luhan visao som e furia
Mc luhan visao som e furiaMc luhan visao som e furia
Mc luhan visao som e furia
 
Convergencia
ConvergenciaConvergencia
Convergencia
 
394 1976-1-pb
394 1976-1-pb394 1976-1-pb
394 1976-1-pb
 
Santaella, lucia matrizes da linguagem e pensamento
Santaella, lucia   matrizes da linguagem e pensamentoSantaella, lucia   matrizes da linguagem e pensamento
Santaella, lucia matrizes da linguagem e pensamento
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Convergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídiasConvergência entre e inter mídias
Convergência entre e inter mídias
 
Pontos para a prova de gb
Pontos para a prova de gbPontos para a prova de gb
Pontos para a prova de gb
 
Mídias harry pross
Mídias harry prossMídias harry pross
Mídias harry pross
 

Funcionalismo

  • 1. TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO
  • 2. CONDENAÇÕES: 1 – Rebaixar as preferências culturais do público. 2 – Agravar as taxas de delinqüência. 3 – Contribuir para a deterioração moral em geral. 4 – Entorpecer as massas para chegarem à superficialidade política. 5 – Suprimir a criatividade.
  • 3. Expondo a corrupção 2 – Agindo como guardiões da liberdade de expressão. 3 – Levando um mínimo de cultura a milhões. 4 – Oferecendo divertimento diário inócuo para as massas cansadas da força de trabalho. 5 – Informando-nos a cerca dos acontecimentos do mundo. 6 – Melhorando nosso padrão de vida por sua insistência para comprarmos e consumirmos produtos a fim de estimular a economia.
  • 4. 1948 – Nasce a revista The Public Opinion Quarterly Universidade de Princeton Lasswel, Katz, Lazarsfeld, Merton e Wilbur Schramm
  • 5.
  • 6.
  • 7. • A TEORIA FUNCIONALISTA DA COMUNICAÇÃO É UMA ABORDAGEM GLOBAL DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA NO SEU CONJUNTO. • NÃO ESTÁ PREOCUPADA COM A DISTINÇÃO ENTRE GÊNEROS, FORMATOS, MEIOS.
  • 9. • Abandona a ideia de um efeito intencional para averiguar CONSEQUÊNCIAS OBJETIVAMENTE AVERIGUÁVEIS da ação dos meios da sobre a sociedade no seu conjunto ou sobre os seus subsistemas.
  • 10. • O interesse é a dinâmica do sistema social e do papel que nela desempenham as comunicações de massa.
  • 11. • A teoria hipodérmica estava ligada ao objetivismo behaviorista e descrevia a ação comunicativa como uma mera relação automática entre estímulo e resposta. • Reduzia a ação comunicativa a um processo subjetivo, via o indivíduo como manipulável e reduzia a ação humana a uma causalidade linear.
  • 12. • A teoria sociológica do estrutural- funcionalismo salienta a ação social (e não o comportamento) na sua adesão aos valores interiorizados e institucionalizados. • O sistema social na sua globalidade é entendido como um organismo cujas diferentes partes desempenham funções de integração e de manutenção do sistema.
  • 13. • A SOCIEDADE DEIXA DE SER MEIO PARA SE PROCURAR ATINGIR OS FINS DOS INDIVÍDUOS. • SÃO OS INDIVÍDUOS, NA MEDIDA EM QUE EXERCEM UMA FUNÇÃO, QUE SE TORNAM MEIO PARA SE PROCURAR ATINGIR OS FINS DA SOCIEDADE E, EM PRIMEIRO LUGAR, DA SUA SOBREVIVÊNCIA AUTO- REGULADA.
  • 14. • Talcot Parsons: os seres humanos aparecem como drogados culturais impelidos a agir segundo o estímulo de valores culturais interiorizados que comandam suas atividades.
  • 15. • Manutenção do modelo e controle das tensões (cada sistema social possui mecanismos de socialização que ativam o processo através do qual os modelos culturais vêm a ser interiorizados na personalidade dos indivíduos)
  • 16. • Adaptação ao ambiente: para sobreviver cada sistema social deve se adaptar ao seu meio ambiente social.
  • 17. • Perseguição do objetivo: cada sistema social tem vários objetivos a alcançar mediante esforços de caráter cooperativo. • Integração: as partes que compõem o sistema devem estar interligadas. Deve existir fidelidade entre os elementos de um sistema. • Para contrariar as tendências desagregadoras é necessário que haja mecanismos que sustentam a estrutura fundamental do sistema.
  • 18. • A MÍDIA É FUNCIONAL NA MEDIDA EM QUE DESEMPENHA PARCIALMENTE A TAREFA DE REALÇAR E REFORÇAR OS MODELOS DE COMPORTAMENTO EXISTENTES NO SISTEMA SOCIAL. • Uma estrutura parcial ou subsistema pode ser igualmente disfuncional, na medida em que constitui um obstáculo à satisfação de uma das necessidades essenciais.
  • 19. • O objetivo é articular, nomeadamente: • 1. as funções e • as disfunções 2. Latentes e 3. manifestas • das transmissões 4. jornalísticas 5. informativas 6. culturais 7. de entretenimento • respeitantes 8. à sociedade 9. aos grupos 10.ao indivíduo 11.ao sistema cultural.
  • 20. • O inventário das funções relaciona-se com quatro tipos de fenômenos comunicativos diferentes: • A existência do sistema global da mídia na sociedade • Os tipos de modelos específicos de comunicaação • A ordem institucional e organizativa • As conseqüências do fato da mídia centralizar as principais atividades de comunicação
  • 21. • A difusão da informação desempenha duas funções: • Alertar os cidadãos para perigos imprevistos. • Prestar serviços para o exercício de práticas cotidianas.
  • 22. • Com relação aos indivíduos: • Atribuição de prestígio (credibilidade) • Reforço do prestígio daqueles que se identificam com a necessidade e o valor socialmente difundido de serem cidadãos bem informados. • Reforço das normas sociais.
  • 23. • Disfunções: • • Os fluxos informativos, que circulam livremente, podem ameaçar a estrutura fundamental da própria sociedade. • A difusão de notícias alarmantes pode causar pânicos. • O excesso de informação pode levar o cidadão à inércia.