SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Prof. Hamilton F. Nobrega
Fisiologia da Mama
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Fisiologia da Mama
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Mamas são glândulas sudoríparas modificadas
da pele cuja função é produzir leite, fonte de
alimento para a prole.
São formadas por tecido glandular
(parênquima), conjuntivo e adiposo.
O desenvolvimento da mama inicia-se na 5ª
semana da vida intrauterina, a partir da
ectoderma, que posteriormente se projeta para
a mesoderma.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
O Parênquima mamário possui 18 a 20 lobos.
Cada lobo é formado por um conjunto de alvéolos,
canalículos, ductos lactóforos e ampolas
lactóforas.
Os alvéolos são formados por conjunto de células
(lactóforas e mioepiteliais) responsáveis pela
síntese do leite.
Um conjunto de 10 a 100 alvéolos denominam-se
lóbulos.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
A mama adulta situa-se entre a 2ª e 6ª costela
no eixo vertical entre o bordo externo do
esterno e a linha médio-axilar no eixo
horizontal.
É constituída por:
 Pele
 Tecido subcutâneo
 Tecido mamário (parênquima e estroma)
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
A mama é envolvida por tecido fascial,
superficial e profundo.
Ligamento Suspensor de Cooper - banda
fibrosa que representa o suporte natural da
mama.
Dão sustentação às mamas, conectando-as à
pele.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Na mulher adulta é
caracterizada como uma
proeminência arredondada
ou cônica.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Possui aréola com tecido
pigmentado mais espesso que o
resto da pele mamária devido a
presença de numerosas glândulas
sebáceas.
A papila mamária é uma saliência
cilíndrica ou cônica localizada na
topografia do 4º espaço intercostal,
com superfície irregular com
numerosos orifícios (canais
lactíferos)
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Deriva principalmente dos ramos perfurantes da
artéria mamária interna (60%) e da artéria
torácica lateral (30%) e de ramos da
toracoacromial, intercostais, subescapular e
toracodorsal (10%).
As principais veias que drenam a parede
torácica e a mama são derivadas da veia
torácica
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
A mama é um órgão dinâmico susceptível a
flutuações hormonais cíclicas.
A telarca precede a menarca e a partir da
estimulação hormonal, os botões mamários
aumentam, os ductos crescem para ttrás e o
desenvolvimento lobular começa.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
O hipotálamo libera o hormônio gonadotropina
(GnRH) que atua promovendo a síntese de
hormônios hipofisários na região anterior da
hipófise. São eles:
 Hormônio folículo estimulante (FSH)
 Hormônio luteinizante (LH)
Estes agem no ovário como resposta à
secreção de estrogênio e progesterona
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Galactopoiese é a etapa na qual se mantém a
produção láctea.
Descreve-se a prolactina como hormônio
galactopoiético mais importante.
Cortisol, insulina e GH também são citados na
manutenção láctea.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
A ocitocina é outro hormônio (hipotálamo) que
age nas células mioepoteliais que circundam as
paredes externas dos alvéolos, fazendo com
que essas se contraiam ejetando o leite dos
alvéolos para os ductos.
O estímulo primário é a sucção do complexo
papilo-areolar.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Período
(dia)
Alteração
3º ao 7º
Fase
Proliferativa
Há predominância do FSH (crescimento folicular ovariano)
Aumento na taxa de mitose nas células acinares
(proliferação celular)
8º ao 14º
Fase
Folicular
Pico de LH, ocorre ovulação.
Redução na atividade mitótica das células acinares.
15º ao 20º
Fase Lútea
Ovários secretam grandes quantidades de progesterona e
estrogênio.
Surgem secreções os ductos. Tecidos mamários tornam-se
edemaciados pela congestão venosa (desconforto)
28º
Fase
Menstrual
Não havendo fecundação, há involução do corpo lúteo
(menstruação).
Na mama, cessa a secreção ativa.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
• Menstruação
• Gravidez
• Lactação
• Menopausa
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
É importante lembrar que a
maioria dos cânceres (aprox.
70%) desenvolvem-se no
parênquima, imediatamente
abaixo da gordura
subcutânea ou anterior a
gordura retromamária, onde
encontra-se a maior parte do
tecido glandular.
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB
FACULDADE MONTENEGRO – FAM
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoFisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoKaren Kaline
 
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoGabriel Resende
 
Seminario de fisiologia reflexo da micção
Seminario de fisiologia reflexo da micçãoSeminario de fisiologia reflexo da micção
Seminario de fisiologia reflexo da micçãoPatrícia Oliver
 
Estatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetaisEstatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetaisRaquelamanna
 
Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.
Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.
Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.Harriane Rangel
 
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.Fernanda Marinho
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroOncoguia
 
Aula 05 sistema muscular esquelético
Aula 05   sistema muscular esqueléticoAula 05   sistema muscular esquelético
Aula 05 sistema muscular esqueléticoHamilton Nobrega
 
Síndrome Aspiração meconial
Síndrome Aspiração meconialSíndrome Aspiração meconial
Síndrome Aspiração meconialSamuel Benjamin
 
Semiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoSemiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoLaped Ufrn
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestaçãoAlinebrauna Brauna
 

Mais procurados (20)

Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoFisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
 
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
 
Exame ginecológico
Exame ginecológicoExame ginecológico
Exame ginecológico
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
 
Cardiotocografia
CardiotocografiaCardiotocografia
Cardiotocografia
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Seminario de fisiologia reflexo da micção
Seminario de fisiologia reflexo da micçãoSeminario de fisiologia reflexo da micção
Seminario de fisiologia reflexo da micção
 
Estatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetaisEstatica fetal e relações útero fetais
Estatica fetal e relações útero fetais
 
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervirDiagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
 
Apresentação endometriose
Apresentação endometrioseApresentação endometriose
Apresentação endometriose
 
Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.
Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.
Câncer de mama, aspectos anatômicos e fisiológicos.
 
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
 
Complicações na gestação
Complicações na gestaçãoComplicações na gestação
Complicações na gestação
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
 
Aula 05 sistema muscular esquelético
Aula 05   sistema muscular esqueléticoAula 05   sistema muscular esquelético
Aula 05 sistema muscular esquelético
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Síndrome Aspiração meconial
Síndrome Aspiração meconialSíndrome Aspiração meconial
Síndrome Aspiração meconial
 
Semiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascidoSemiologia do recém nascido
Semiologia do recém nascido
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 

Destaque

Embriologia e anatomia da mama
Embriologia e anatomia da mamaEmbriologia e anatomia da mama
Embriologia e anatomia da mamaJuanSeSAn
 
Câncer de mama - Patologia
Câncer de mama - PatologiaCâncer de mama - Patologia
Câncer de mama - PatologiaDanilo Alves
 
Apostila mamografia final
Apostila mamografia finalApostila mamografia final
Apostila mamografia finalGerciane Neves
 
Mamografia aula
Mamografia aulaMamografia aula
Mamografia aularadiomed
 
Anatomia glandula mamaria
Anatomia  glandula mamariaAnatomia  glandula mamaria
Anatomia glandula mamariaJorge Morán
 
Anatomia de la mama
Anatomia de la mama Anatomia de la mama
Anatomia de la mama Andres Ossa
 
Saúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de MamaSaúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de MamaBruna Oliveira
 
Seminário câncer de mama
Seminário câncer de mamaSeminário câncer de mama
Seminário câncer de mamaThiessa Vieira
 
Histología de la glándula mamaria
Histología de la glándula mamariaHistología de la glándula mamaria
Histología de la glándula mamariaRudy Fasanando V
 
Anatomia Y Fisiologia De La Glandula Mamaria
Anatomia Y Fisiologia De La Glandula MamariaAnatomia Y Fisiologia De La Glandula Mamaria
Anatomia Y Fisiologia De La Glandula MamariaDANTX
 
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012Graciela Luongo
 
Câncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de ÚteroCâncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de ÚteroRobeísa Danya
 
Anatomia y fisiologia de la mama
Anatomia y fisiologia de la mamaAnatomia y fisiologia de la mama
Anatomia y fisiologia de la mamaDrWagner2010
 

Destaque (20)

Embriologia e anatomia da mama
Embriologia e anatomia da mamaEmbriologia e anatomia da mama
Embriologia e anatomia da mama
 
Câncer de mama - Patologia
Câncer de mama - PatologiaCâncer de mama - Patologia
Câncer de mama - Patologia
 
Mama
MamaMama
Mama
 
Apostila mamografia final
Apostila mamografia finalApostila mamografia final
Apostila mamografia final
 
Mamografia aula
Mamografia aulaMamografia aula
Mamografia aula
 
HISTÓRIA DA MAMOGRAFIA
HISTÓRIA DA MAMOGRAFIAHISTÓRIA DA MAMOGRAFIA
HISTÓRIA DA MAMOGRAFIA
 
Anatomia glandula mamaria
Anatomia  glandula mamariaAnatomia  glandula mamaria
Anatomia glandula mamaria
 
Anatomia de la mama
Anatomia de la mama Anatomia de la mama
Anatomia de la mama
 
Saúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de MamaSaúde da Mulher em Câncer de Mama
Saúde da Mulher em Câncer de Mama
 
Seminário câncer de mama
Seminário câncer de mamaSeminário câncer de mama
Seminário câncer de mama
 
Mamografia
MamografiaMamografia
Mamografia
 
Glandula Mamaria
Glandula MamariaGlandula Mamaria
Glandula Mamaria
 
Histología de la glándula mamaria
Histología de la glándula mamariaHistología de la glándula mamaria
Histología de la glándula mamaria
 
Anatomia Y Fisiologia De La Glandula Mamaria
Anatomia Y Fisiologia De La Glandula MamariaAnatomia Y Fisiologia De La Glandula Mamaria
Anatomia Y Fisiologia De La Glandula Mamaria
 
cancer de mama
cancer de mamacancer de mama
cancer de mama
 
Noçoes de mamografia
Noçoes de mamografiaNoçoes de mamografia
Noçoes de mamografia
 
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012
 
Câncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de ÚteroCâncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de Útero
 
Anatomia y fisiologia de la mama
Anatomia y fisiologia de la mamaAnatomia y fisiologia de la mama
Anatomia y fisiologia de la mama
 
Anatomia y fisiologia de la mama
Anatomia y fisiologia de la mamaAnatomia y fisiologia de la mama
Anatomia y fisiologia de la mama
 

Semelhante a Fisiologia da Mama em

Amamentacao 5c2ba-semestre
Amamentacao 5c2ba-semestreAmamentacao 5c2ba-semestre
Amamentacao 5c2ba-semestreVitor D Angelis
 
Anexosembrionario
AnexosembrionarioAnexosembrionario
Anexosembrionarioarturvalgas
 
Anexosembrionario
AnexosembrionarioAnexosembrionario
Anexosembrionarioarturvalgas
 
Aula 01 introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celular
Aula 01   introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celularAula 01   introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celular
Aula 01 introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celularHamilton Nobrega
 
1 anatomia sist reprodutor.pdf
1 anatomia sist reprodutor.pdf1 anatomia sist reprodutor.pdf
1 anatomia sist reprodutor.pdfEdileideJesus1
 
Fissura lábio palatina
Fissura lábio palatina Fissura lábio palatina
Fissura lábio palatina Adhonias Moura
 
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxFranciscoFlorencio6
 
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptxANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptxWeslleyMaia3
 
02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx
02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx
02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptxDavidSilvadeCarvalho
 
APARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdf
APARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdfAPARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdf
APARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdfMarineideAmorim1
 
Morfo I - Desenvolvimento Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento  EmbrionárioMorfo I - Desenvolvimento  Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento EmbrionárioPaulo Tsai - Unime
 
01 gestação, amamentação e o recém nascido
01 gestação, amamentação e o recém nascido01 gestação, amamentação e o recém nascido
01 gestação, amamentação e o recém nascidoPraxis Educativa
 
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Hamilton Nobrega
 
Apostilaobstetricia 2003 completa
Apostilaobstetricia 2003 completaApostilaobstetricia 2003 completa
Apostilaobstetricia 2003 completaRayanna Thais
 
Aula 08 fisiologia da nutrição - sistema muscular
Aula 08   fisiologia da nutrição - sistema muscularAula 08   fisiologia da nutrição - sistema muscular
Aula 08 fisiologia da nutrição - sistema muscularHamilton Nobrega
 

Semelhante a Fisiologia da Mama em (20)

Amamentacao 5c2ba-semestre
Amamentacao 5c2ba-semestreAmamentacao 5c2ba-semestre
Amamentacao 5c2ba-semestre
 
Anexosembrionario
AnexosembrionarioAnexosembrionario
Anexosembrionario
 
Anexosembrionario
AnexosembrionarioAnexosembrionario
Anexosembrionario
 
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
Manual ALEITAMENTO MATERNO da FEBRASGO 2015
 
Amamentaç[1]..
Amamentaç[1]..Amamentaç[1]..
Amamentaç[1]..
 
Aula 01 introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celular
Aula 01   introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celularAula 01   introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celular
Aula 01 introdução a fisiologia da nutrição - princípios da homeostase celular
 
76
7676
76
 
1 anatomia sist reprodutor.pdf
1 anatomia sist reprodutor.pdf1 anatomia sist reprodutor.pdf
1 anatomia sist reprodutor.pdf
 
Fissura lábio palatina
Fissura lábio palatina Fissura lábio palatina
Fissura lábio palatina
 
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
 
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptxANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.pptx
 
02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx
02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx
02 aula sISTEMA REPRODUTOR FEMONINO.pptx
 
APARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdf
APARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdfAPARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdf
APARELHO REPRODUTOR FEMININO .pdf
 
Morfo I - Desenvolvimento Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento  EmbrionárioMorfo I - Desenvolvimento  Embrionário
Morfo I - Desenvolvimento Embrionário
 
ReproduçãO Humana
ReproduçãO HumanaReproduçãO Humana
ReproduçãO Humana
 
01 gestação, amamentação e o recém nascido
01 gestação, amamentação e o recém nascido01 gestação, amamentação e o recém nascido
01 gestação, amamentação e o recém nascido
 
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
 
Placenta
PlacentaPlacenta
Placenta
 
Apostilaobstetricia 2003 completa
Apostilaobstetricia 2003 completaApostilaobstetricia 2003 completa
Apostilaobstetricia 2003 completa
 
Aula 08 fisiologia da nutrição - sistema muscular
Aula 08   fisiologia da nutrição - sistema muscularAula 08   fisiologia da nutrição - sistema muscular
Aula 08 fisiologia da nutrição - sistema muscular
 

Mais de Hamilton Nobrega

Órgãos internos sistema respiratório
Órgãos internos   sistema respiratórioÓrgãos internos   sistema respiratório
Órgãos internos sistema respiratórioHamilton Nobrega
 
Órgãos internos sistema circulatório
Órgãos internos   sistema circulatórioÓrgãos internos   sistema circulatório
Órgãos internos sistema circulatórioHamilton Nobrega
 
ÓRgãos internos sistema digestório
ÓRgãos internos   sistema digestórioÓRgãos internos   sistema digestório
ÓRgãos internos sistema digestórioHamilton Nobrega
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeHamilton Nobrega
 
Nefrologia Principais Patologias Causadoras de IRA e IRC
Nefrologia   Principais Patologias Causadoras de IRA e IRCNefrologia   Principais Patologias Causadoras de IRA e IRC
Nefrologia Principais Patologias Causadoras de IRA e IRCHamilton Nobrega
 
Nefrologia: Anatomia e Fisiologia dos Rins
Nefrologia: Anatomia e Fisiologia dos RinsNefrologia: Anatomia e Fisiologia dos Rins
Nefrologia: Anatomia e Fisiologia dos RinsHamilton Nobrega
 
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaNoções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaHamilton Nobrega
 
Aula 07 núcleo e cromossomos
Aula 07   núcleo e cromossomosAula 07   núcleo e cromossomos
Aula 07 núcleo e cromossomosHamilton Nobrega
 
Aula 05 membrana plasmática e transportes
Aula 05   membrana plasmática e transportesAula 05   membrana plasmática e transportes
Aula 05 membrana plasmática e transportesHamilton Nobrega
 
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Aula 04   Bases Moleculares da VidaAula 04   Bases Moleculares da Vida
Aula 04 Bases Moleculares da VidaHamilton Nobrega
 
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da VidaAula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da VidaHamilton Nobrega
 
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e ColoraçãoAula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e ColoraçãoHamilton Nobrega
 
Aula 01 Origem da Biologia Celular
Aula 01   Origem da Biologia CelularAula 01   Origem da Biologia Celular
Aula 01 Origem da Biologia CelularHamilton Nobrega
 
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizadoAula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizadoHamilton Nobrega
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologiaHamilton Nobrega
 
Aula 11 sistema respiratório
Aula 11   sistema respiratórioAula 11   sistema respiratório
Aula 11 sistema respiratórioHamilton Nobrega
 
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11   Sistema urinário/excretor - anatomiaAula 11   Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomiaHamilton Nobrega
 
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaAula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaHamilton Nobrega
 

Mais de Hamilton Nobrega (20)

Órgãos internos sistema respiratório
Órgãos internos   sistema respiratórioÓrgãos internos   sistema respiratório
Órgãos internos sistema respiratório
 
Órgãos internos sistema circulatório
Órgãos internos   sistema circulatórioÓrgãos internos   sistema circulatório
Órgãos internos sistema circulatório
 
ÓRgãos internos sistema digestório
ÓRgãos internos   sistema digestórioÓRgãos internos   sistema digestório
ÓRgãos internos sistema digestório
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
 
Didática Ensino Superior
Didática Ensino SuperiorDidática Ensino Superior
Didática Ensino Superior
 
Nefrologia Principais Patologias Causadoras de IRA e IRC
Nefrologia   Principais Patologias Causadoras de IRA e IRCNefrologia   Principais Patologias Causadoras de IRA e IRC
Nefrologia Principais Patologias Causadoras de IRA e IRC
 
Nefrologia: Anatomia e Fisiologia dos Rins
Nefrologia: Anatomia e Fisiologia dos RinsNefrologia: Anatomia e Fisiologia dos Rins
Nefrologia: Anatomia e Fisiologia dos Rins
 
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaNoções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
 
Aula 07 núcleo e cromossomos
Aula 07   núcleo e cromossomosAula 07   núcleo e cromossomos
Aula 07 núcleo e cromossomos
 
Aula 06 citoplasma
Aula 06   citoplasmaAula 06   citoplasma
Aula 06 citoplasma
 
Aula 05 membrana plasmática e transportes
Aula 05   membrana plasmática e transportesAula 05   membrana plasmática e transportes
Aula 05 membrana plasmática e transportes
 
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Aula 04   Bases Moleculares da VidaAula 04   Bases Moleculares da Vida
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
 
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da VidaAula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
 
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e ColoraçãoAula 02   Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
Aula 02 Microscopio de Luz e Técnicas de Observação e Coloração
 
Aula 01 Origem da Biologia Celular
Aula 01   Origem da Biologia CelularAula 01   Origem da Biologia Celular
Aula 01 Origem da Biologia Celular
 
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizadoAula 06   fisiologia do sistema endócrino - atualizado
Aula 06 fisiologia do sistema endócrino - atualizado
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
 
Aula 11 sistema respiratório
Aula 11   sistema respiratórioAula 11   sistema respiratório
Aula 11 sistema respiratório
 
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11   Sistema urinário/excretor - anatomiaAula 11   Sistema urinário/excretor - anatomia
Aula 11 Sistema urinário/excretor - anatomia
 
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologiaAula 12   sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
Aula 12 sistema reprodutor masculino e feminino - anatomia e fisiologia
 

Último

Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 

Fisiologia da Mama em

  • 1. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Hamilton F. Nobrega Fisiologia da Mama
  • 2. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Fisiologia da Mama
  • 3. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 4. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Mamas são glândulas sudoríparas modificadas da pele cuja função é produzir leite, fonte de alimento para a prole. São formadas por tecido glandular (parênquima), conjuntivo e adiposo. O desenvolvimento da mama inicia-se na 5ª semana da vida intrauterina, a partir da ectoderma, que posteriormente se projeta para a mesoderma.
  • 5. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O Parênquima mamário possui 18 a 20 lobos. Cada lobo é formado por um conjunto de alvéolos, canalículos, ductos lactóforos e ampolas lactóforas. Os alvéolos são formados por conjunto de células (lactóforas e mioepiteliais) responsáveis pela síntese do leite. Um conjunto de 10 a 100 alvéolos denominam-se lóbulos.
  • 6. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A mama adulta situa-se entre a 2ª e 6ª costela no eixo vertical entre o bordo externo do esterno e a linha médio-axilar no eixo horizontal. É constituída por:  Pele  Tecido subcutâneo  Tecido mamário (parênquima e estroma)
  • 7. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A mama é envolvida por tecido fascial, superficial e profundo. Ligamento Suspensor de Cooper - banda fibrosa que representa o suporte natural da mama. Dão sustentação às mamas, conectando-as à pele.
  • 8. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 9. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Na mulher adulta é caracterizada como uma proeminência arredondada ou cônica.
  • 10. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Possui aréola com tecido pigmentado mais espesso que o resto da pele mamária devido a presença de numerosas glândulas sebáceas. A papila mamária é uma saliência cilíndrica ou cônica localizada na topografia do 4º espaço intercostal, com superfície irregular com numerosos orifícios (canais lactíferos)
  • 11. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 12. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 13. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 14. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 15. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Deriva principalmente dos ramos perfurantes da artéria mamária interna (60%) e da artéria torácica lateral (30%) e de ramos da toracoacromial, intercostais, subescapular e toracodorsal (10%). As principais veias que drenam a parede torácica e a mama são derivadas da veia torácica
  • 16. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 17. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 18. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 19. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 20. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A mama é um órgão dinâmico susceptível a flutuações hormonais cíclicas. A telarca precede a menarca e a partir da estimulação hormonal, os botões mamários aumentam, os ductos crescem para ttrás e o desenvolvimento lobular começa.
  • 21. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O hipotálamo libera o hormônio gonadotropina (GnRH) que atua promovendo a síntese de hormônios hipofisários na região anterior da hipófise. São eles:  Hormônio folículo estimulante (FSH)  Hormônio luteinizante (LH) Estes agem no ovário como resposta à secreção de estrogênio e progesterona
  • 22. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Galactopoiese é a etapa na qual se mantém a produção láctea. Descreve-se a prolactina como hormônio galactopoiético mais importante. Cortisol, insulina e GH também são citados na manutenção láctea.
  • 23. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA A ocitocina é outro hormônio (hipotálamo) que age nas células mioepoteliais que circundam as paredes externas dos alvéolos, fazendo com que essas se contraiam ejetando o leite dos alvéolos para os ductos. O estímulo primário é a sucção do complexo papilo-areolar.
  • 24. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 25. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Período (dia) Alteração 3º ao 7º Fase Proliferativa Há predominância do FSH (crescimento folicular ovariano) Aumento na taxa de mitose nas células acinares (proliferação celular) 8º ao 14º Fase Folicular Pico de LH, ocorre ovulação. Redução na atividade mitótica das células acinares. 15º ao 20º Fase Lútea Ovários secretam grandes quantidades de progesterona e estrogênio. Surgem secreções os ductos. Tecidos mamários tornam-se edemaciados pela congestão venosa (desconforto) 28º Fase Menstrual Não havendo fecundação, há involução do corpo lúteo (menstruação). Na mama, cessa a secreção ativa.
  • 26. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA • Menstruação • Gravidez • Lactação • Menopausa
  • 27. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
  • 28. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA É importante lembrar que a maioria dos cânceres (aprox. 70%) desenvolvem-se no parênquima, imediatamente abaixo da gordura subcutânea ou anterior a gordura retromamária, onde encontra-se a maior parte do tecido glandular.
  • 29. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO BRASIL – IESB FACULDADE MONTENEGRO – FAM CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA