SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Medidas para
estímulo ao parto
normal na saúde
suplementar
janeiro/2015
A importância do estímulo ao parto normal
Parto é uma questão de saúde e a escolha do
modelo deve ser pelo método mais adequado para
cada caso e o mais seguro para a mãe e o bebê.
Cesariana amplia em 120 VEZES A PROBABILIDADE
de o bebê ter síndrome de angústia respiratória e
TRIPLICA O RISCO de mortalidade materna.
Cerca de 25% dos óbitos* neonatais e 16% dos
óbitos infantis são causados
por prematuridade
As mães também ficam sujeitas a complicações como:
perda de maior volume de sangue, infecções puerperais
e acidentes anestésicos.
Fonte: MARTINS-COSTA S H (org.).
Projeto diretrizes. Federação Brasileira
das Sociedades de Ginecologia e
Obstetrícia (2002)
*Dados do Sistema de Informação sobre
Mortalidade (SIM)
Cesarianas no Brasil
Fonte: MS/SVS/DASIS - Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos – SINASC e SIP/ANS
Nº de nascidos
vivos
% de partos
cesarianos
BRASIL 2.905.789 55,60%
Taxas de cesarianas
Nº de parto
realizados
% de partos
cesarianos
Saúde
Suplementar
502.812 84,60%
Nº de partos
realizados
% de partos
cesarianos
SUS 1.877.505 40%
Participação da sociedade
Consulta pública realizada no período de 24/10 a 24/11
pelo portal da ANS
Direito de informação das beneficiárias
O que a ANS propôs
Informação sobre percentuais cesarianas
por médico e estabelecimento de saúde
Cartão da Gestante e Carta de Informação
Partograma
Medidas para
estimular o
parto normal
na saúde
suplementar
Resultados da Consulta Pública
Sobre direito de acesso à informação pela gestante
•455 contribuições
Percentual por perfil
Fonte: GGRAS/DIPRO/ANS
Resultados da Consulta Pública
Sobre Cartão da Gestante e uso do Partograma
•456 contribuições
Percentual por contribuinte
Fonte: GGRAS/DIPRO/ANS
Principais alterações oriundas da consulta pública
• Maior clareza no método de cálculo
dos percentuais de cesáreas
• Inclusão da obrigatoriedade de
divulgação dos percentuais de
cesarianas por operadora
(informação já está disponível
no portal da ANS)
• Maior detalhamento da forma de divulgação das informações pela
operadora: linguagem clara e adequada, por escrito,
presencialmente, por correspondência ou por meio eletrônico,
conforme preferência da beneficiária ou seu representante legal
Principais alterações oriundas da consulta pública
• Esclarecimento de que ausência do Cartão
da Gestante não é impeditivo para qualquer
tipo de atendimento
• Detalhamento sobre modelo de partograma,
que deve conter ao menos os dados indicados
pela Organização Mundial de Saúde
• Redução de 30 para 15 dias o prazo para
operadora informar os percentuais de cesáreas
aos consumidores
• Inclusão de contatos da Central de Relacionamento da ANS e
dos normativos sobre os direitos ao acompanhante na Carta de
Informação à Gestante
Outras ações previstas para 2015
• Participação em Grupo de Trabalho coordenado
pelo Ministério da Saúde para elaboração
da Diretriz Clínica para o Parto
• Promoção de seminário sobre Boas Práticas
na Atenção ao Parto e Nascimento
• Estímulo à habilitação de hospitais privados
à iniciativa Hospital Amigo da Criança e da Mulher
• Desenvolvimento do Plano de Cuidado Nascer Saudável
• Continuação do projeto-piloto de atenção ao parto e nascimento
iniciado em out/2014 em parceria com o Hospital Israelita Albert
Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI)
Hospital Amigo da Criança – benefícios para a mulher
 Oferecer, no momento do parto, métodos
alternativos para o alívio da dor (massagens,
banheira e bola de pilates)
 Evitar situações como episiotomias (corte
do períneo), indução do parto e parto
cesariano
 Garantir o acesso dos pais ao bebê recém-
nascido, durante as 24 horas, estando a
criança na unidade de tratamento intensivo
(UTI) neonatal ou não
 Incentivar a mulher para que escolha a
posição para dar à luz
 Permitir o acompanhamento
da doula durante o parto
12
Obrigada!
www.ans.gov.br | Disque ANS: 0800 701 9656
ans.reguladora @ans_reguladora ansreguladora

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto
tvf
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
Alinebrauna Brauna
 

Mais procurados (20)

Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
 
Aula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguroAula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguro
 
Saúde da mulher slides
Saúde da mulher  slidesSaúde da mulher  slides
Saúde da mulher slides
 
Pré parto
Pré parto Pré parto
Pré parto
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
Parto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizadoParto e nascimento humanizado
Parto e nascimento humanizado
 
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
 
Complicações na gestação
Complicações na gestaçãoComplicações na gestação
Complicações na gestação
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
 
Gestação de Risco: Cuidados Básicos e Imprescindíveis
Gestação de Risco: Cuidados Básicos e ImprescindíveisGestação de Risco: Cuidados Básicos e Imprescindíveis
Gestação de Risco: Cuidados Básicos e Imprescindíveis
 
Cuidados ao recém nascido
Cuidados ao recém nascidoCuidados ao recém nascido
Cuidados ao recém nascido
 
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
 
Enfermagem Obstétrica - Diretrizes Assistenciais
Enfermagem Obstétrica - Diretrizes AssistenciaisEnfermagem Obstétrica - Diretrizes Assistenciais
Enfermagem Obstétrica - Diretrizes Assistenciais
 
preparação parto
preparação partopreparação parto
preparação parto
 
A Dor no Parto: significados e manejo
A Dor no Parto: significados e manejoA Dor no Parto: significados e manejo
A Dor no Parto: significados e manejo
 
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da MulherDescolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
 

Semelhante a Parto Normal

Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Tania Fonseca
 
APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...
APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...
APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Taxa de parto cesáreo
Taxa de parto cesáreoTaxa de parto cesáreo
Taxa de parto cesáreo
adrianomedico
 
Texto planejamento familiar
Texto planejamento familiarTexto planejamento familiar
Texto planejamento familiar
Viviane Moreiras
 
Modelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes países
Modelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes paísesModelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes países
Modelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes países
adrianomedico
 

Semelhante a Parto Normal (20)

materno-infantil.pptx
materno-infantil.pptxmaterno-infantil.pptx
materno-infantil.pptx
 
Promoção do Parto Normal na Saúde Suplementar
Promoção do Parto Normal na Saúde SuplementarPromoção do Parto Normal na Saúde Suplementar
Promoção do Parto Normal na Saúde Suplementar
 
Uma Epidemia de cesáreas na América do Sul
Uma Epidemia de cesáreas na América do Sul Uma Epidemia de cesáreas na América do Sul
Uma Epidemia de cesáreas na América do Sul
 
Novos e Velhos Desafios para implementação da Rede Cegonha
Novos e Velhos Desafios para implementação da Rede CegonhaNovos e Velhos Desafios para implementação da Rede Cegonha
Novos e Velhos Desafios para implementação da Rede Cegonha
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
 
APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...
APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...
APICE On - Aprimoramento e Inovação no Cuidado/Ensino em Obstetrícia e Neonat...
 
Taxa de parto cesáreo
Taxa de parto cesáreoTaxa de parto cesáreo
Taxa de parto cesáreo
 
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
 
Mortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e InfantilMortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e Infantil
 
Pre natal de alto e baixo risco na atenção básica
Pre natal de alto e baixo risco na atenção básicaPre natal de alto e baixo risco na atenção básica
Pre natal de alto e baixo risco na atenção básica
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
 
Revista ApiceON
Revista ApiceONRevista ApiceON
Revista ApiceON
 
CICERO ALEITAMENTO MATERNO NO SERTÃO PERNAMBUCANO CONGRESSO INTERNACIONAO 201...
CICERO ALEITAMENTO MATERNO NO SERTÃO PERNAMBUCANO CONGRESSO INTERNACIONAO 201...CICERO ALEITAMENTO MATERNO NO SERTÃO PERNAMBUCANO CONGRESSO INTERNACIONAO 201...
CICERO ALEITAMENTO MATERNO NO SERTÃO PERNAMBUCANO CONGRESSO INTERNACIONAO 201...
 
O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal
O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e PerinatalO Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal
O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal
 
Prevenção da Mortalidade Materna no Período Puerperal
Prevenção da Mortalidade Materna no Período PuerperalPrevenção da Mortalidade Materna no Período Puerperal
Prevenção da Mortalidade Materna no Período Puerperal
 
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à práticaSegurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
 
Instituto Se Toque
Instituto Se ToqueInstituto Se Toque
Instituto Se Toque
 
Texto planejamento familiar
Texto planejamento familiarTexto planejamento familiar
Texto planejamento familiar
 
A redução do parto cesáreo
A redução do parto cesáreoA redução do parto cesáreo
A redução do parto cesáreo
 
Modelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes países
Modelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes paísesModelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes países
Modelos de assistência ao parto e taxa de cesárea em diferentes países
 

Mais de Ministério da Saúde

Brasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América Latina
Brasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América LatinaBrasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América Latina
Brasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América Latina
Ministério da Saúde
 
Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015
Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015
Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015
Ministério da Saúde
 

Mais de Ministério da Saúde (20)

Microcefalia - Perguntas e Respostas
Microcefalia - Perguntas e RespostasMicrocefalia - Perguntas e Respostas
Microcefalia - Perguntas e Respostas
 
Novo tratamento para hepatite C
Novo tratamento para hepatite CNovo tratamento para hepatite C
Novo tratamento para hepatite C
 
Carta Aberta à População - Vacina HPV
Carta Aberta à População - Vacina HPVCarta Aberta à População - Vacina HPV
Carta Aberta à População - Vacina HPV
 
Política de Segurança da Participação dos Internautas
Política de Segurança da Participação dos InternautasPolítica de Segurança da Participação dos Internautas
Política de Segurança da Participação dos Internautas
 
Campanha para população em situação de rua
Campanha para população em situação de rua Campanha para população em situação de rua
Campanha para população em situação de rua
 
Campanha de Vacinação contra Paralisia Infantil 2015
Campanha de Vacinação contra Paralisia Infantil 2015Campanha de Vacinação contra Paralisia Infantil 2015
Campanha de Vacinação contra Paralisia Infantil 2015
 
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsitoGoverno Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
Governo Federal apresenta plano para redução da violência de trânsito
 
Hepatites Virais - Campanha 2015 e Novo Protocolo Clínico
Hepatites Virais - Campanha 2015 e Novo Protocolo ClínicoHepatites Virais - Campanha 2015 e Novo Protocolo Clínico
Hepatites Virais - Campanha 2015 e Novo Protocolo Clínico
 
Brasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América Latina
Brasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América LatinaBrasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América Latina
Brasil terá primeira fábrica de equipamentos para radioterapia da América Latina
 
Coletiva órteses e próteses 07/07/15
Coletiva órteses e próteses 07/07/15Coletiva órteses e próteses 07/07/15
Coletiva órteses e próteses 07/07/15
 
Coletiva Aids - Campanha para festas populares
Coletiva Aids - Campanha para festas popularesColetiva Aids - Campanha para festas populares
Coletiva Aids - Campanha para festas populares
 
Campanha de Doação de Leite Materno 2015
Campanha de Doação de Leite Materno 2015Campanha de Doação de Leite Materno 2015
Campanha de Doação de Leite Materno 2015
 
Mais Médicos atende 100% da meta de expansão em 2015
Mais Médicos atende 100% da meta de expansão em 2015 Mais Médicos atende 100% da meta de expansão em 2015
Mais Médicos atende 100% da meta de expansão em 2015
 
Coletiva Redução do Sódio em Alimentos Processados
Coletiva Redução do Sódio em Alimentos ProcessadosColetiva Redução do Sódio em Alimentos Processados
Coletiva Redução do Sódio em Alimentos Processados
 
Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015
Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015
Confira o balanço de inscrições ao Programa Mais Médicos 2015
 
Campanha de prevenção às DST e aids para o carnaval
Campanha de prevenção às DST e aids para o carnavalCampanha de prevenção às DST e aids para o carnaval
Campanha de prevenção às DST e aids para o carnaval
 
Campanha Nacional de Hanseníase 2015
Campanha Nacional de Hanseníase 2015Campanha Nacional de Hanseníase 2015
Campanha Nacional de Hanseníase 2015
 
Novas regras Programas Mais Médicos 2015
Novas regras Programas Mais Médicos 2015Novas regras Programas Mais Médicos 2015
Novas regras Programas Mais Médicos 2015
 
Lista de Oficinas Ortopédicas habilitadas
Lista de Oficinas Ortopédicas habilitadasLista de Oficinas Ortopédicas habilitadas
Lista de Oficinas Ortopédicas habilitadas
 
Lista de Centros Especializados em Reabilitação
Lista de Centros Especializados em ReabilitaçãoLista de Centros Especializados em Reabilitação
Lista de Centros Especializados em Reabilitação
 

Último

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
DanieldaSade
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
DanieldaSade
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (11)

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 

Parto Normal

  • 1. Medidas para estímulo ao parto normal na saúde suplementar janeiro/2015
  • 2. A importância do estímulo ao parto normal Parto é uma questão de saúde e a escolha do modelo deve ser pelo método mais adequado para cada caso e o mais seguro para a mãe e o bebê. Cesariana amplia em 120 VEZES A PROBABILIDADE de o bebê ter síndrome de angústia respiratória e TRIPLICA O RISCO de mortalidade materna. Cerca de 25% dos óbitos* neonatais e 16% dos óbitos infantis são causados por prematuridade As mães também ficam sujeitas a complicações como: perda de maior volume de sangue, infecções puerperais e acidentes anestésicos. Fonte: MARTINS-COSTA S H (org.). Projeto diretrizes. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (2002) *Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM)
  • 3. Cesarianas no Brasil Fonte: MS/SVS/DASIS - Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos – SINASC e SIP/ANS Nº de nascidos vivos % de partos cesarianos BRASIL 2.905.789 55,60% Taxas de cesarianas Nº de parto realizados % de partos cesarianos Saúde Suplementar 502.812 84,60% Nº de partos realizados % de partos cesarianos SUS 1.877.505 40%
  • 4. Participação da sociedade Consulta pública realizada no período de 24/10 a 24/11 pelo portal da ANS
  • 5. Direito de informação das beneficiárias O que a ANS propôs Informação sobre percentuais cesarianas por médico e estabelecimento de saúde Cartão da Gestante e Carta de Informação Partograma Medidas para estimular o parto normal na saúde suplementar
  • 6. Resultados da Consulta Pública Sobre direito de acesso à informação pela gestante •455 contribuições Percentual por perfil Fonte: GGRAS/DIPRO/ANS
  • 7. Resultados da Consulta Pública Sobre Cartão da Gestante e uso do Partograma •456 contribuições Percentual por contribuinte Fonte: GGRAS/DIPRO/ANS
  • 8. Principais alterações oriundas da consulta pública • Maior clareza no método de cálculo dos percentuais de cesáreas • Inclusão da obrigatoriedade de divulgação dos percentuais de cesarianas por operadora (informação já está disponível no portal da ANS) • Maior detalhamento da forma de divulgação das informações pela operadora: linguagem clara e adequada, por escrito, presencialmente, por correspondência ou por meio eletrônico, conforme preferência da beneficiária ou seu representante legal
  • 9. Principais alterações oriundas da consulta pública • Esclarecimento de que ausência do Cartão da Gestante não é impeditivo para qualquer tipo de atendimento • Detalhamento sobre modelo de partograma, que deve conter ao menos os dados indicados pela Organização Mundial de Saúde • Redução de 30 para 15 dias o prazo para operadora informar os percentuais de cesáreas aos consumidores • Inclusão de contatos da Central de Relacionamento da ANS e dos normativos sobre os direitos ao acompanhante na Carta de Informação à Gestante
  • 10. Outras ações previstas para 2015 • Participação em Grupo de Trabalho coordenado pelo Ministério da Saúde para elaboração da Diretriz Clínica para o Parto • Promoção de seminário sobre Boas Práticas na Atenção ao Parto e Nascimento • Estímulo à habilitação de hospitais privados à iniciativa Hospital Amigo da Criança e da Mulher • Desenvolvimento do Plano de Cuidado Nascer Saudável • Continuação do projeto-piloto de atenção ao parto e nascimento iniciado em out/2014 em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI)
  • 11. Hospital Amigo da Criança – benefícios para a mulher  Oferecer, no momento do parto, métodos alternativos para o alívio da dor (massagens, banheira e bola de pilates)  Evitar situações como episiotomias (corte do períneo), indução do parto e parto cesariano  Garantir o acesso dos pais ao bebê recém- nascido, durante as 24 horas, estando a criança na unidade de tratamento intensivo (UTI) neonatal ou não  Incentivar a mulher para que escolha a posição para dar à luz  Permitir o acompanhamento da doula durante o parto
  • 12. 12 Obrigada! www.ans.gov.br | Disque ANS: 0800 701 9656 ans.reguladora @ans_reguladora ansreguladora