Noçoes de mamografia

16.129 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
21 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
629
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
566
Comentários
0
Gostaram
21
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Noçoes de mamografia

  1. 1. PROFª RENATA CRISTINA
  2. 2.  Tecnólogo em Radiologia – Em curso Técnica em Enfermagem Técnica em Radiologia Médica Especialização em Mamografia Especialização em Tomografia Computadorizada Técnica em Imobilização Ortopédica UPA ENGENHO NOVO – Técnica de Radiologia CLINICA ALBERT SABIN – Téc. Mamografia ESCOLA TÉCNICA DESTAKE – Instrutora de Ensino
  3. 3. É uma radiografia das mamas que, por meio da compressão mamária,espalha as estruturas, deixando uma espessura uniforme para detecção de estruturas de ate 2mm.
  4. 4. 4
  5. 5. 6
  6. 6. PRIMEIRO MAMÓGRAFOPROTÓTIPO DE 1965, DE GROS PARA SENÓGRAFO,APROPRIADAMENTE CHAMADO DE TREPIED("TRÊS PÉS") 7
  7. 7. 8
  8. 8. 9
  9. 9. RastreamentoDiagnostica
  10. 10.  Exame de mamografia feito em pacientes assintomáticas. Mulheres acima de 35 anos – grupo de risco Mulheres acima de 40 anos Antes de iniciar terapia de reposição hormonal (TRH), No pré-operatório de cirurgia plástica, para rastrear qualquer alteração das mamas. Após mastectómica, para estudo da mama contralateral e após cirurgia conservadora.
  11. 11.  Mamografia diagnóstica é aquela realizada em mulheres com sinais ou sintomas de câncer de mama. Os sintomas mais frequentes de câncer de mama são:-Nódulo-Espessamento-Descarga papilar-Controle Radiológico-Mama masculina
  12. 12. Existem três tipos de tecido mamário:1. Glandular-Densidade semelhante, maior, (+ claro)2. Fibroso ou conjuntivo3. Adiposo - Menor densidade (mais escuro )
  13. 13. 1. Mama FibroglandularFaixa etária comum - 15 a 30 anos (e mulheres nulíparas acima dos 30 anos de idade) - Gestantes ou lactantes, Radiograficamente denso, Muito pouca gordura2.Mama FibrogordurosaFaixa etária comum - 30 a 50 anos, Mulheres jovens com três ou mais gestações . Densidade média, radiograficamente ,50% gordura e 50% fibroglandular 3. Mama GordurosaFaixa etária comum - 50 anos ou mais . Pós-menopausaDensidade mínima, radiograficamente . Mamas de crianças e homens.
  14. 14.  Mamas densas - nenhum tipo de substituição adiposa . 15 a 30 anos
  15. 15.  Mamas predominantemente densas - a substituição adiposa é menor do que 50% da área da mama . 30 a 50 anos
  16. 16.  Mamas predominantemente adiposas - a substituição é maior do que 50% da área da mama. Antes dos 50 ANOS
  17. 17.  Mamas adiposas - a substituição adiposa é total. Após os 50 anos.
  18. 18. a) Cabeçote do equipamentob) Filtraçãoc) Colimaçãod) Compressore) Grade antidifusoraf) Porta-chassisg) Controle automático de exposição
  19. 19. Os mamógrafos atuais permitem realizar examescom três modos de operação:• Automático• Semi-automático• Manual
  20. 20. A mamografia é um exame que utiliza baixo kV ealto mAs, para gerar alto contraste, necessário naidentificação das estruturas que compõem amama, todas com densidade semelhante. kV muito baixo (25 a 28) mAs muito alta (75 a 85)
  21. 21.  Identificação do local Nome completo/idade Menarca/Menopausa História familiar Uso de hormônio Cirurgias prévias de mama Radioterapia recente
  22. 22. A paciente deve ser orientada para agendar a mamografia uma semana após o período menstrual, quando suas mamas estarão menos doloridas. Não se deve usar talco, loção nem desodorante antes da mamografia, pois estes produtos químicos podem minimizar microcalcificações, produzir artefatos e interferir no resultado final Retirar Adornos Vestimenta adequada Acessórios de proteção
  23. 23.  MODELO DE NUMERADOR Nome da Instituição Data Numero da paciente Incidencia ( CC / MLO) CC MLO
  24. 24.  Eficiente: de 13 a 15kg, até a pele ficar tensa. Importância:• Reduz a dose de radiação• Aumenta o contraste da imagem• Aumenta a resolução da imagem,• Diminui distorções• "Separa" as estruturas da mama
  25. 25. É usado para aumentar áreas de interesse específicas como pequenas lesões ou microcalcificações
  26. 26.  Crânio-caudal Médio-lateral oblíqua
  27. 27. Alinhamentomamário31
  28. 28.  Tubo vertical, feixe perpendicular à mama. Paciente de frente para o receptor, com a cabeça virada para o lado oposto ao exame; do lado examinado, mão na cintura e ombro para trás. Elevar o sulco infra-mamário, para permitir melhor exposição da porção superior da mama, próxima ao tórax. Centralizar a mama no porta chassi, mamilo paralelo ao filme. Filme mais próximo dosquadrantes inferiores . 32
  29. 29. Posicionamentoe compressão 33
  30. 30. • Parte lateral e partemedial da mamaincluídas na radiografia.• Visibilização domúsculo grande peitoral,que pode ocorrer em 30-40% das imagens,notadamente comadequada elevação dosulco infra-mamário.• Visibilização da gorduraretro-mamária. 34
  31. 31. 35
  32. 32. Rodar o tubo até que o bucky esteja paralelo ao músculo grandepeitoral, variando a angulação entre 30 e 60ºFeixe perpendicular ao músculo grande peitoral.Paciente de frente para o bucky com o braço do lado examinadofazendo 90º com o tórax;encaixar a axila e o grande peitoral no ângulo superior do bucky;puxar o peitoral e a mama para o buckyrodar o paciente (lado oposto ao examepara fora) e comprimir.Centralizar a mama, mamilo paraleloao filme. 36
  33. 33. Localização do quadrante aser posicionado no ânguloexterno do bucky. 37
  34. 34. Centralização38
  35. 35. Posicionamento e compressão39
  36. 36. Devem constar na imagem a seguinte distribuição geométrica e estruturas anatômicas. Músculo grande peitoral até o plano do mamilo, com borda anterior convexa; Visualização do sulco infra-mamário; Visualização da gordura retro-mamária. Prolongamento axilar. 40
  37. 37. 41
  38. 38.  Nódulos  Microcalcificação
  39. 39. QSE Quadrante superior externoQSI Quadrante superior internoQIE Quadrante inferior externoQII Quadrante inferior interno 50
  40. 40. ULTRASONOGRAFIA: Não substitui a mamografia Método de complementação Diferencia nódulo cístico/sólido Importante em pacientes jovens Visualiza lesões em “zonas cegas” à mamografia
  41. 41.  Proteção do filme Écran simples Cristais de fósforos Limpeza semanalmente
  42. 42.  Revelação, fixação, lavagem e secagem Troca de químico Limpeza mensalmente
  43. 43.  Crescimento desordenado e incontrolável das células da mama Pode ser invasivo e não-invasivo
  44. 44.  Alterações genéticas História familiar Alterações na mama Menarca precoce e menopausa tardia Nuliparidade e primiparidade após 35 anos Fatores alimentares e obesidade Tabagismo e alcoolismo Faixa etária de 40 à 55anos Sedentarismo
  45. 45.  Geralmente é indolor Nódulos palpáveis Espessamento Retrações pele e/ou mamilo Secreções do mamilo
  46. 46.  Há vagas? Sim Jornada: 24 hs / semana 2ª a 6ª : 7:00 – 12:00 ou 12:00 – 17:00 hs 2 dias de 7:00 as 19:00
  47. 47. Colégio e Curso GHF O seu sucesso é o nosso negócio Investimento: R$ 200,00 Conteúdo Programático: Estágio • Princípios Físicos • Equipamento de Mamografia Garantido • Acessórios Mamográficos • Radioproteção em mamografia • Anatomia da mama • Técnicas Mamográficas de rotina • Complementares. • Controle de qualidade • Câncer de mama e outras Patologias mamarias • Leões detectadas na mamografia • Interpretação de imagem com ênfase em patologias mamarias • Categorias BI-RADS • Esterotaxia Prorª Renata Cristina Publico Alvo: Coordenador: Douglas LeonardTecnólogos, Técnicos em Informações e Inscrições Radiologia ou Rua Hercília nº 1299Profissionais interessados Vila Emil, Mesquita, RJ na área 3164-3004 / 3589-5288
  48. 48.  renatacvm@gmail.com  renatacristina9.9@hotmail.com radiologiacienciaearte.blogspot.com.br  Tel:7889-0659  Id: 113*51545

×