SlideShare uma empresa Scribd logo
Atendimento Eficaz ao Cliente

1
AULA 1

Apresentação da turma e do Curso

2
Unidades do Curso
1.
2.
3.
4.
5.
6.

Relacionamento Interpessoal
A Empresa
O Cliente
Atendimento Eficaz ao Cliente
Resolução de Conflitos
A Fidelização do Cliente

3
UNIDADE 1
Relacionamento Interpessoal

6
AULA 2

Relacionamento interpessoal

7
Aquele que conhece os outros é inteligente,
Aquele que conhece a si mesmo é sábio.
(Lao-Tsé, filósofo chinês, séc. IV a. C.)

8
Necessidades humanas básicas

Todo ser humano possui uma
série infindável de
necessidades que procura
satisfazer, priorizando umas
em relação às outras, ao
longo da sua vida.

10
Pirâmide das necessidades humanas
Abraham Maslow

12
A Teoria de Abraham Harold Maslow
 Conhecida como uma das mais importantes teorias de
motivação.
 As necessidades dos seres humanos obedecem a uma
hierarquia, a uma escala de valores a serem transpostos.
 No momento em que o indivíduo realiza uma necessidade,
surge outra no seu lugar, exigindo sempre que as pessoas
busquem meios para satisfazê-la.
 Ninguém procurará reconhecimento pessoal e status se as
suas necessidades básicas não estiverem satisfeitas.

13
Ética
 Ethos, ética em grego: morada humana.
 Não é algo pronto e construído de uma só
vez.
 Ético é tudo aquilo que ajuda a tornar
melhor o ambiente para que seja uma
moradia saudável.
 Em todos os grupos sociais há
comportamentos que não são aceitos.
Outros são obrigatórios.

14
A ética no contexto das relações
interpessoais

15
Competência Interpessoal
 Capacidade de lidar eficaz e eticamente com outras
pessoas, de modo adequado às suas necessidades
e considerando a realidade da situação.
 A competência interpessoal não é inata: o seu
aprendizado e aperfeiçoamento são contínuos.

16
Percepção
 Perceber é adquirir informação, por meio dos
sentidos, do que está acontecendo e do que as
outras pessoas estão fazendo, mesmo sem se
comunicar diretamente com elas.
 A percepção é inerente ao ser humano e torna-se
fundamental para a comunicação, coordenação e
cooperação de qualquer grupo.

17
Empatia
 Processo de identificação em que nós nos colocamos no lugar do outro, tentando compreender como
o outro sente, pensa e age.
 É compreender o ponto de vista do outro.
 É a capacidade de percebermos como o outro
apreende os fatos.
 É uma forte percepção das necessidades do grupo
em que estamos inseridos.

19
O copo está meio cheio ou meio vazio?

Para o otimista o copo está meio cheio.
Para o pessimista, está meio vazio.
22
O que você vê?

Você vê o bebê?
23
O que você vê?

Um cão ou uma toalha?
24
O que você vê?

Um casal namorando,
ou um homem secando o rosto?
25
AULA 3

Comunicação Interpessoal

26
Comunicação
 Comunicação é o processo pelo qual
compartilhamos significados por meio da
transmissão de mensagens simbólicas. É todo
o processo de transmissão, recepção e troca de
mensagens e informações.

27
Comunicação Interpessoal






É por meio da interação social que as pessoas
se relacionam, transmitindo e recebendo
sentimentos, idéias, impressões e imagens.
Ocorre por meio de formas de relacionamento,
mesmo que momentâneas e situacionais.
Sinalizamos algo com um olhar, um gesto, uma
palavra.
Toda relação interpessoal é realizada por algum
tipo de comunicação.

28
Mensagens verbais e não-verbais
Orais

Escritas

Pictóricas

Gestuais

29
Elementos da Comunicação

31
Canal

Bom
dia!
Emissor

Mensagem

Ruídos
ou Barreira

Código

33

Receptor
Barreiras da mensagem
Mensagem

Emissor

Barreira

35

Receptor
Barreiras psicológicas
 As nossas emoções podem
influenciar no modo como
compreendemos e/ou transmitimos a mensagem.
 Em geral, pessoas com
conhecimentos e experiências distintas costumam perceber o mesmo fenômeno
de modo diferente.

38
A fidelidade na comunicação
Todos desejam que a comunicação seja a mais fiel
possível.
O ruído e a fidelidade são duas faces da mesma
moeda. Se houver ruído reduz-se a fidelidade e caso
se reduza o ruído aumenta-se a fidelidade.

40
Relacionamento Interpessoal
X Comunicação Não-Verbal
A comunicação não-verbal ocorre por meio dos sinais
transmitidos pelo nosso corpo.





Apresentação pessoal.
Fisionomia.
Atitude.
Postura.

41
Elementos da comunicação não-verbal

 Olhar.
 Movimentos faciais: sorrisos,
caretas...
 Movimentos corporais.
 Sinais.

42
Dicas para a boa comunicação verbal

 Boa articulação das palavras =
boa dicção.
 Uso da norma padrão.
 Fluência verbal.
 Expressar-se lógica e racionalmente.

44
Escutar
Ouvir e escutar são duas coisas diferentes.
Ouvimos o que é dito no campo do significado
estrito das palavras. Escutar é bem diferente: requer
treino, autoconhecimento e conhecimento do outro.
Escutamos sem precisar ouvir. Escuta-se o nãoverbal, as entrelinhas, o olhar, o gesto, a pessoa
com quem interagimos.

47
Saber ouvir
Saber escutar
 Saber escutar é tão importante
quanto saber falar!
 É essencial testar a nossa compreensão sobre o assunto que
está sendo tratado.

48
UNIDADE 2
A Empresa

53
AULA 5

A Empresa

54
O que é uma empresa?
É uma organização
particular, ou governamental, ou de economia mista, destinada à
produção
e/ou
à
comercialização
de
bens e serviços, tendo
como
objetivo
a
satisfação dos seus
clientes.
55
Diga SIM à flexibilidade!
A inflexibilidade é o maior empecilho ao sucesso
do profissional e ao da empresa. Quaisquer
idéias, regras ou comportamentos rígidos e
imutáveis podem prejudicar os negócios. Por isso,
precisamos sempre reavaliar nossa posição e nos
atualizar.

A atualização é a chave da renovação!

64
A empresa e os clientes internos
Colegas de trabalho,
que se apresentam em níveis de hierarquia inferior,
igual ou superior.
 A moça da limpeza.
 A balconista.
 O entregador.
Todos os clientes internos de uma empresa
precisam sentir-se bem, especialmente você!
66
Fatores que influenciam a comunicação nas
empresas







Canais formais de comunicação.
Estrutura de autoridade.
Especialização do trabalho.
Propriedade da informação.
Redes de comunicação nas empresas.
Comunicação vertical.

68
UNIDADE 3
O Cliente

69
AULA 6

O Cliente

70
O que é um cliente?
Cada um dos indivíduos que fazem parte da
clientela (conjunto de clientes) de uma empresa:
 Um comprador eventual.
 Um comprador assíduo.
 Qualquer pessoa que entre em contato com a
empresa para adquirir um serviço, ou simplesmente
solicitar uma informação.

71
Tipos de Clientes








Clientes da concorrência.
Clientes prováveis.
Clientes potenciais.
Clientes experimentadores.
Clientes fiéis.
Clientes repetidores.
Clientes advogados da empresa.

72
Como identificar o estilo do cliente?

Cada pessoa é única.
Porém, é possível
identificar perfis, ou
estilos de percepção
e de comunicação
semelhantes.

74
Como identificar as expectativas e
necessidades do cliente










Observação e contato direto com o cliente.
Formulário de avaliação de atendimento, avaliação de
satisfação e registro de reclamações.
Caixa de sugestões.
Pesquisas de mercado tradicionais.
Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC), por
carta, telefone, fax, correio eletrônico etc.
Internet (listas de discussão, comunidades virtuais,
pesquisas eletrônicas etc.).
Consultas a bancos de dados de perfil de clientes.
79
Satisfação do cliente
Satisfação do cliente
é o sentimento
de que a sua necessidade,
(ou o seu objetivo) foi
integralmente atendida
pela empresa.
Ou seja, o cliente
obteve o que procurava.
80
UNIDADE 4
O Atendimento Eficaz ao Cliente

81
AULA 7

Atendimento eficaz ao Cliente

82
83
Atendimento
 As empresas alcançam a excelência em

vendas quando concedem aos clientes mais
do que eles esperam.
 O atendimento realizado com excelência
ajuda a fixar uma boa imagem da empresa
junto à comunidade, agregando valor aos
seus produtos e serviços, o que gera
aumento no volume das vendas.

84
Pecados no atendimento ao cliente








Apatia
Má vontade
Frieza
Desdém
Robotismo
Demasiado apego às normas
Jogo de responsabilidades

86
Qualidade no atendimento ao Cliente

 Satisfazer as necessidades
dos clientes.
 Fazer certo logo na primeira
vez.
 Responsabilidade de todos
na empresa.
 Um aprendizado diário.

87
Fatores externos que interferem no
atendimento

 Apresentação pessoal.
 Ambiente de atendimento.

90
Fatores internos que interferem no
atendimento






91

Aptidões
Personalidade
Motivação
Dedicação
Conhecimento
Recebendo o cliente





Satisfazer o cliente é o objetivo.
O cliente gosta de ser reconhecido.
As pessoas são diferentes: educação, valores, comportamentos,
status e reação emocional. Trateas individualmente.

93
Atendendo o cliente






Rapidez, objetividade e precisão.
Prestar sempre informação correta.
Se não soubermos informar, temos de encaminhar
o cliente a quem possa fazê-lo ou sugerir-lhe que
retorne mais tarde.
Aprimorar continuamente a fala e os gestos.
Temos de dizer sempre a verdade, com isenção e
sem preconceitos. Não podemos omitir problemas
ou informações.

94
Informando o cliente






Evitar termos técnicos.
Não falar ao mesmo tempo, tampouco
interromper.
Se houve um engano, temos de admiti-lo e
buscar corrigi-lo.
Servir o cliente e jamais ter uma postura
autoritária.

95
Atendimento Telefônico
 O telefone é um elo da empresa com
o exterior.
 Quando você atende ao telefone, a
empresa é Você!
 O cliente mal-atendido só telefona
uma vez.
 O atendimento telefônico deve
transmitir uma imagem profissional
de eficácia e organização.

96
Atendimento Eletrônico
 Deve ser quase imediato.
 Criar rotina para a verificação
de mensagens e respondêlas ao menos três vezes por
dia.
 Não usar o correio eletrônico
do trabalho para contatos
pessoais.

97
UNIDADE 5
Técnicas de Solução de Conflitos

98
AULA 8

Gerenciamento de conflitos

99
O que é conflito?
 É quando alguém percebe que outro afeta os
seus interesses e valores, as suas aspirações, a
sua imagem e/ou posição. Nem todos sabem
tirar proveito dos efeitos positivos do conflito.

100
Um tipo de conflito
Descrença

Traição

Aumento do stress
Perda da segurança
Perda do auto-controle
Perda da identidade
101
Efeitos negativos e positivos








Negativos:
Destroem a unidade grupal e aumentam a tensão;
Desviam a atenção para assuntos menores;
Apresentam alto custo emocional e são difíceis de
cessar e podem causar marcas profundas.
Positivos:
Definem questões ou resolvem situações em
espera;
Aumentam a união do grupo e proporcionam a
análise de questões adormecidas.
103
Gerenciamento junto a clientes
Reclamações dos clientes
 Os clientes são a razão da existência da
prestação de serviços.
 Esforços devem ser redobrados para sanar a
sua insatisfação.

Opinião dos clientes
 A opinião do cliente é relevante para qualquer
serviço prestado.
 Precisamos aproveitar as insatisfações como
oportunidade de melhorar os serviços.
105
O quer o cliente irritado?

 Quer ser levado a sério e tratado
com respeito.
 Diante de uma reclamação, o
importante é resolver o problema
na visão do cliente e do melhor
modo possível.

106
O que fazer para a satisfação do cliente
 Deixe o cliente falar.
 Ouça-o com atenção.
 Diga-lhe que lamenta o ocorrido.
 Procure colocar-se no lugar do
cliente.
 Não discuta!

107
O que fazer para a satisfação do cliente
 Explique ao cliente o que pode
ou não pode ser feito.
 Faça um resumo e verifique se o
cliente entendeu.
 Considere todo os clientes do
mesmo modo: sem preconceito.
 Procure resolver o problema ou
encaminhe-o para o setor
responsável e monitore a resolução.
108
UNIDADE 6
A Fidelização do Cliente

109
AULA 9

A fidelização do cliente

110
O que é fidelizar?
 É tornar o cliente fiel à
empresa.
 É satisfazer o cliente
para que ele prefira o
seu atendimento e os
produtos e serviços da
sua empresa.

111
A fidelização do cliente
 Tem como objetivo reter os clientes, evitando
perdê-los para a concorrência. Com isso, há um
maior volume de vendas.
 É gerada, mais especialmente, pelo relacionamento
do cliente com o profissional de atendimento, que é
quem representa a empresa.
 “Foco no cliente” é a palavra de ordem.

112
Superando expectativas
No mundo dos negócios, a expectativa tem dois
sentidos diferentes:
 Previsões: aquilo que os clientes acreditam que
ocorrerá quando se defrontam com um serviço;
 Desejos: aquilo que eles esperam que aconteça.

113
O cliente fidelizado
 Uma vez o cliente conquistado, fidelizado, cria-se
um círculo.
 Depois da primeira compra, precisamos manter o
cliente satisfeito, mesmo em momentos em que
ele não está gerando lucro direto para a empresa.
 Essa atitude gerará um sentimento de valorização
que o levará a novas compras, a cada vez
maiores e, finalmente, à recomendação da
empresa.

116

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atendimento de alta qualidade
Atendimento de alta qualidadeAtendimento de alta qualidade
Atendimento de alta qualidade
Nível 10 Consultoria Empresarial
 
Treinamento Atendimento à Clientes
Treinamento Atendimento à ClientesTreinamento Atendimento à Clientes
Treinamento Atendimento à Clientes
aavbatista
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao cliente   Atendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
Kátia Rumbelsperger
 
Atendimento
AtendimentoAtendimento
Atendimento
Helena Fonseca
 
Treinamento em Atendimento ao Cliente.
Treinamento em Atendimento ao Cliente.Treinamento em Atendimento ao Cliente.
Treinamento em Atendimento ao Cliente.
Rose Oliveira
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao clienteAtendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
Darlana Dias
 
Excelência no atendimento a clientes
Excelência no atendimento a clientesExcelência no atendimento a clientes
Excelência no atendimento a clientes
Alessandro Lunardon
 
Aula 5 - Recepção e Atendimento 1
Aula 5  -  Recepção e Atendimento 1Aula 5  -  Recepção e Atendimento 1
Aula 5 - Recepção e Atendimento 1
Charles Lima
 
Atendimento Campeão
Atendimento CampeãoAtendimento Campeão
Atendimento Campeão
André Faria Gomes
 
Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...
Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...
Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...
Pamella Machado
 
ATENDIMENTO AO CLIENTE
ATENDIMENTO AO CLIENTEATENDIMENTO AO CLIENTE
ATENDIMENTO AO CLIENTE
Fidel Torquato
 
Treinamento de atendimento
Treinamento de atendimentoTreinamento de atendimento
Treinamento de atendimento
Marco Jorge da Silva
 
Atendimento ao publico
Atendimento ao publicoAtendimento ao publico
Atendimento ao publico
Empreendedora
 
Técnicas de Atendimento
Técnicas de AtendimentoTécnicas de Atendimento
Técnicas de Atendimento
DiogoHFrancisco
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
Francielle Hilbert
 
Tecnicas de atendimento a cliente 1
Tecnicas de atendimento a cliente 1Tecnicas de atendimento a cliente 1
Tecnicas de atendimento a cliente 1
Eloisa Mendes Helena
 
Aula auxiliar administrativo linguagem
Aula auxiliar administrativo   linguagemAula auxiliar administrativo   linguagem
Aula auxiliar administrativo linguagem
Maximus Maylson
 
Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14
Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14
Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14
Prof. Randes Enes
 
Atendimento ao cliente - Módulo II
Atendimento ao cliente  - Módulo IIAtendimento ao cliente  - Módulo II
Atendimento ao cliente - Módulo II
Rosanete Grassiani dos Santos
 
Atendimento de excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...
Atendimento de  excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...Atendimento de  excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...
Atendimento de excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...
Anselmo Lino Bispo
 

Mais procurados (20)

Atendimento de alta qualidade
Atendimento de alta qualidadeAtendimento de alta qualidade
Atendimento de alta qualidade
 
Treinamento Atendimento à Clientes
Treinamento Atendimento à ClientesTreinamento Atendimento à Clientes
Treinamento Atendimento à Clientes
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao cliente   Atendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
 
Atendimento
AtendimentoAtendimento
Atendimento
 
Treinamento em Atendimento ao Cliente.
Treinamento em Atendimento ao Cliente.Treinamento em Atendimento ao Cliente.
Treinamento em Atendimento ao Cliente.
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao clienteAtendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
 
Excelência no atendimento a clientes
Excelência no atendimento a clientesExcelência no atendimento a clientes
Excelência no atendimento a clientes
 
Aula 5 - Recepção e Atendimento 1
Aula 5  -  Recepção e Atendimento 1Aula 5  -  Recepção e Atendimento 1
Aula 5 - Recepção e Atendimento 1
 
Atendimento Campeão
Atendimento CampeãoAtendimento Campeão
Atendimento Campeão
 
Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...
Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...
Atendimento ao cliente: Noções sobre comportamento, técnicas de atendimento e...
 
ATENDIMENTO AO CLIENTE
ATENDIMENTO AO CLIENTEATENDIMENTO AO CLIENTE
ATENDIMENTO AO CLIENTE
 
Treinamento de atendimento
Treinamento de atendimentoTreinamento de atendimento
Treinamento de atendimento
 
Atendimento ao publico
Atendimento ao publicoAtendimento ao publico
Atendimento ao publico
 
Técnicas de Atendimento
Técnicas de AtendimentoTécnicas de Atendimento
Técnicas de Atendimento
 
Comunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no TrabalhoComunicação e Ética no Trabalho
Comunicação e Ética no Trabalho
 
Tecnicas de atendimento a cliente 1
Tecnicas de atendimento a cliente 1Tecnicas de atendimento a cliente 1
Tecnicas de atendimento a cliente 1
 
Aula auxiliar administrativo linguagem
Aula auxiliar administrativo   linguagemAula auxiliar administrativo   linguagem
Aula auxiliar administrativo linguagem
 
Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14
Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14
Ppt aula fgv_excelência_no_atendimento_ao_cliente_prof. randes_12.02.14
 
Atendimento ao cliente - Módulo II
Atendimento ao cliente  - Módulo IIAtendimento ao cliente  - Módulo II
Atendimento ao cliente - Módulo II
 
Atendimento de excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...
Atendimento de  excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...Atendimento de  excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...
Atendimento de excelência, o caminho da conquista e fidelização de clientes ...
 

Destaque

Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)
Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)
Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)
Geyvison Ludugerio
 
eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente
eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente	eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente
eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente
Eder Cachoeira
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao clienteAtendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
washington carlos vieira
 
Treinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonicoTreinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonico
Bull Marketing
 
Apresentacao atendimento ao_cliente
Apresentacao atendimento ao_clienteApresentacao atendimento ao_cliente
Apresentacao atendimento ao_cliente
milabinho
 
208347536 rm agilis
208347536 rm agilis208347536 rm agilis
208347536 rm agilis
Nathalie Vichr Éboli
 
Piramide de maslow
Piramide de maslowPiramide de maslow
Piramide de maslow
Juan Calderon
 
Atendimento ao cliente como diferencial de competitividade
Atendimento ao cliente como diferencial de competitividadeAtendimento ao cliente como diferencial de competitividade
Atendimento ao cliente como diferencial de competitividade
Edmilton
 
Atendimento nota 10
Atendimento nota 10Atendimento nota 10
Atendimento nota 10
Sebastião Barroso Felix
 
Código de Trânsito Brasileiro
Código de Trânsito BrasileiroCódigo de Trânsito Brasileiro
Código de Trânsito Brasileiro
crisdupret
 
Aula 7 Sistemas De Gestão De Relacionamento Com Clientes
Aula 7    Sistemas De  Gestão De  Relacionamento Com  ClientesAula 7    Sistemas De  Gestão De  Relacionamento Com  Clientes
Aula 7 Sistemas De Gestão De Relacionamento Com Clientes
melissa
 
Direção defensiva rosa
Direção defensiva rosaDireção defensiva rosa
Direção defensiva rosa
Priscila Fernandes Rosa de Souza
 
Atendimento ao cliente 2013
Atendimento ao cliente 2013Atendimento ao cliente 2013
Atendimento ao cliente 2013
Andreza Oliveira
 
Atendimento Presencial
Atendimento PresencialAtendimento Presencial
Atendimento Presencial
Tatianadizz99
 
Atendimento ao Cliente
Atendimento ao ClienteAtendimento ao Cliente
Atendimento ao Cliente
Dalker Roberto Walter
 
Pirâmide de Maslow
Pirâmide de MaslowPirâmide de Maslow
Pirâmide de Maslow
Guilherme Ramalho Castanho
 
DireçãO Defensiva Compacto Ppt
DireçãO Defensiva Compacto PptDireçãO Defensiva Compacto Ppt
DireçãO Defensiva Compacto Ppt
Lauro Volaco
 
Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12
Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12
Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12
Kátia Rumbelsperger
 
Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness
Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness
Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness
Thiago Villaça
 
7 regras de Atendimento Disney
7 regras de Atendimento Disney7 regras de Atendimento Disney
7 regras de Atendimento Disney
Talita Aquino
 

Destaque (20)

Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)
Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)
Excelência em Atendimento ao Cliente (Educação)
 
eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente
eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente	eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente
eBook Guia definitivo rumo a excelência no atendimento ao cliente
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao clienteAtendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
 
Treinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonicoTreinamento de atendimento telefonico
Treinamento de atendimento telefonico
 
Apresentacao atendimento ao_cliente
Apresentacao atendimento ao_clienteApresentacao atendimento ao_cliente
Apresentacao atendimento ao_cliente
 
208347536 rm agilis
208347536 rm agilis208347536 rm agilis
208347536 rm agilis
 
Piramide de maslow
Piramide de maslowPiramide de maslow
Piramide de maslow
 
Atendimento ao cliente como diferencial de competitividade
Atendimento ao cliente como diferencial de competitividadeAtendimento ao cliente como diferencial de competitividade
Atendimento ao cliente como diferencial de competitividade
 
Atendimento nota 10
Atendimento nota 10Atendimento nota 10
Atendimento nota 10
 
Código de Trânsito Brasileiro
Código de Trânsito BrasileiroCódigo de Trânsito Brasileiro
Código de Trânsito Brasileiro
 
Aula 7 Sistemas De Gestão De Relacionamento Com Clientes
Aula 7    Sistemas De  Gestão De  Relacionamento Com  ClientesAula 7    Sistemas De  Gestão De  Relacionamento Com  Clientes
Aula 7 Sistemas De Gestão De Relacionamento Com Clientes
 
Direção defensiva rosa
Direção defensiva rosaDireção defensiva rosa
Direção defensiva rosa
 
Atendimento ao cliente 2013
Atendimento ao cliente 2013Atendimento ao cliente 2013
Atendimento ao cliente 2013
 
Atendimento Presencial
Atendimento PresencialAtendimento Presencial
Atendimento Presencial
 
Atendimento ao Cliente
Atendimento ao ClienteAtendimento ao Cliente
Atendimento ao Cliente
 
Pirâmide de Maslow
Pirâmide de MaslowPirâmide de Maslow
Pirâmide de Maslow
 
DireçãO Defensiva Compacto Ppt
DireçãO Defensiva Compacto PptDireçãO Defensiva Compacto Ppt
DireçãO Defensiva Compacto Ppt
 
Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12
Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12
Excelência no atendimento ao cliente e vendas power point katia 12
 
Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness
Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness
Atendimento ao Cliente e Vendas em Empresas Fitness
 
7 regras de Atendimento Disney
7 regras de Atendimento Disney7 regras de Atendimento Disney
7 regras de Atendimento Disney
 

Semelhante a Atendimento cliente 15 03-2013 (sest Senat)

Mbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimentoMbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimento
ajspires79
 
Cultura organizacional
Cultura organizacionalCultura organizacional
Cultura organizacional
Magri Senai
 
Coop Jovem
Coop JovemCoop Jovem
Coop Jovem
Beriel
 
Coop jovem
Coop jovemCoop jovem
Coop jovem
Beriel
 
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
WM Treinamentos Cursos e Palestras Ltda
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
Telma Moura
 
Lideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alemLideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alem
conage2013
 
gestão de comunicação
gestão de comunicaçãogestão de comunicação
gestão de comunicação
Sergio Padua
 
2º Encontro - Comunicação Eficaz no Atendimento - 16 hs
2º Encontro - Comunicação  Eficaz no Atendimento - 16 hs2º Encontro - Comunicação  Eficaz no Atendimento - 16 hs
2º Encontro - Comunicação Eficaz no Atendimento - 16 hs
Falarte
 
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕESETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
RobertoRodrigues545984
 
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
profleticiamouraesco
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Karime Kamel
 
A eficácia da comunicação
A eficácia da comunicaçãoA eficácia da comunicação
A eficácia da comunicação
Fátima Bordalo Caiado
 
O papel dos líderes na comunicação interna
O papel dos líderes na comunicação internaO papel dos líderes na comunicação interna
O papel dos líderes na comunicação interna
Denise Varela
 
Apostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar AdministrativoApostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar Administrativo
kaveyinf
 
Empatia em ação idort-22012013
Empatia em ação idort-22012013Empatia em ação idort-22012013
Empatia em ação idort-22012013
Denis Pincinato
 
Atendimento e Comunicação
Atendimento e ComunicaçãoAtendimento e Comunicação
Atendimento e Comunicação
viloper
 
éTica no trabalho
éTica no trabalhoéTica no trabalho
éTica no trabalho
Christiane Fust
 
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestraAtendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Liene Campos
 
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestraAtendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Liene Campos
 

Semelhante a Atendimento cliente 15 03-2013 (sest Senat) (20)

Mbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimentoMbm qualidade no-atendimento
Mbm qualidade no-atendimento
 
Cultura organizacional
Cultura organizacionalCultura organizacional
Cultura organizacional
 
Coop Jovem
Coop JovemCoop Jovem
Coop Jovem
 
Coop jovem
Coop jovemCoop jovem
Coop jovem
 
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
 
Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Lideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alemLideranca pe.jose alem
Lideranca pe.jose alem
 
gestão de comunicação
gestão de comunicaçãogestão de comunicação
gestão de comunicação
 
2º Encontro - Comunicação Eficaz no Atendimento - 16 hs
2º Encontro - Comunicação  Eficaz no Atendimento - 16 hs2º Encontro - Comunicação  Eficaz no Atendimento - 16 hs
2º Encontro - Comunicação Eficaz no Atendimento - 16 hs
 
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕESETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
ETICA NO TRABALHO COMO LIDAR COM CERTAS SITUAÇÕES
 
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
5-Izildinha-CAPACITACAO-PONTA-PORA (1).pdf
 
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
Comunicação Assertiva  - Karime KamelComunicação Assertiva  - Karime Kamel
Comunicação Assertiva - Karime Kamel
 
A eficácia da comunicação
A eficácia da comunicaçãoA eficácia da comunicação
A eficácia da comunicação
 
O papel dos líderes na comunicação interna
O papel dos líderes na comunicação internaO papel dos líderes na comunicação interna
O papel dos líderes na comunicação interna
 
Apostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar AdministrativoApostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar Administrativo
 
Empatia em ação idort-22012013
Empatia em ação idort-22012013Empatia em ação idort-22012013
Empatia em ação idort-22012013
 
Atendimento e Comunicação
Atendimento e ComunicaçãoAtendimento e Comunicação
Atendimento e Comunicação
 
éTica no trabalho
éTica no trabalhoéTica no trabalho
éTica no trabalho
 
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestraAtendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
 
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestraAtendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
 

Atendimento cliente 15 03-2013 (sest Senat)

  • 2. AULA 1 Apresentação da turma e do Curso 2
  • 3. Unidades do Curso 1. 2. 3. 4. 5. 6. Relacionamento Interpessoal A Empresa O Cliente Atendimento Eficaz ao Cliente Resolução de Conflitos A Fidelização do Cliente 3
  • 6. Aquele que conhece os outros é inteligente, Aquele que conhece a si mesmo é sábio. (Lao-Tsé, filósofo chinês, séc. IV a. C.) 8
  • 7. Necessidades humanas básicas Todo ser humano possui uma série infindável de necessidades que procura satisfazer, priorizando umas em relação às outras, ao longo da sua vida. 10
  • 8. Pirâmide das necessidades humanas Abraham Maslow 12
  • 9. A Teoria de Abraham Harold Maslow  Conhecida como uma das mais importantes teorias de motivação.  As necessidades dos seres humanos obedecem a uma hierarquia, a uma escala de valores a serem transpostos.  No momento em que o indivíduo realiza uma necessidade, surge outra no seu lugar, exigindo sempre que as pessoas busquem meios para satisfazê-la.  Ninguém procurará reconhecimento pessoal e status se as suas necessidades básicas não estiverem satisfeitas. 13
  • 10. Ética  Ethos, ética em grego: morada humana.  Não é algo pronto e construído de uma só vez.  Ético é tudo aquilo que ajuda a tornar melhor o ambiente para que seja uma moradia saudável.  Em todos os grupos sociais há comportamentos que não são aceitos. Outros são obrigatórios. 14
  • 11. A ética no contexto das relações interpessoais 15
  • 12. Competência Interpessoal  Capacidade de lidar eficaz e eticamente com outras pessoas, de modo adequado às suas necessidades e considerando a realidade da situação.  A competência interpessoal não é inata: o seu aprendizado e aperfeiçoamento são contínuos. 16
  • 13. Percepção  Perceber é adquirir informação, por meio dos sentidos, do que está acontecendo e do que as outras pessoas estão fazendo, mesmo sem se comunicar diretamente com elas.  A percepção é inerente ao ser humano e torna-se fundamental para a comunicação, coordenação e cooperação de qualquer grupo. 17
  • 14. Empatia  Processo de identificação em que nós nos colocamos no lugar do outro, tentando compreender como o outro sente, pensa e age.  É compreender o ponto de vista do outro.  É a capacidade de percebermos como o outro apreende os fatos.  É uma forte percepção das necessidades do grupo em que estamos inseridos. 19
  • 15. O copo está meio cheio ou meio vazio? Para o otimista o copo está meio cheio. Para o pessimista, está meio vazio. 22
  • 16. O que você vê? Você vê o bebê? 23
  • 17. O que você vê? Um cão ou uma toalha? 24
  • 18. O que você vê? Um casal namorando, ou um homem secando o rosto? 25
  • 20. Comunicação  Comunicação é o processo pelo qual compartilhamos significados por meio da transmissão de mensagens simbólicas. É todo o processo de transmissão, recepção e troca de mensagens e informações. 27
  • 21. Comunicação Interpessoal     É por meio da interação social que as pessoas se relacionam, transmitindo e recebendo sentimentos, idéias, impressões e imagens. Ocorre por meio de formas de relacionamento, mesmo que momentâneas e situacionais. Sinalizamos algo com um olhar, um gesto, uma palavra. Toda relação interpessoal é realizada por algum tipo de comunicação. 28
  • 22. Mensagens verbais e não-verbais Orais Escritas Pictóricas Gestuais 29
  • 26. Barreiras psicológicas  As nossas emoções podem influenciar no modo como compreendemos e/ou transmitimos a mensagem.  Em geral, pessoas com conhecimentos e experiências distintas costumam perceber o mesmo fenômeno de modo diferente. 38
  • 27. A fidelidade na comunicação Todos desejam que a comunicação seja a mais fiel possível. O ruído e a fidelidade são duas faces da mesma moeda. Se houver ruído reduz-se a fidelidade e caso se reduza o ruído aumenta-se a fidelidade. 40
  • 28. Relacionamento Interpessoal X Comunicação Não-Verbal A comunicação não-verbal ocorre por meio dos sinais transmitidos pelo nosso corpo.     Apresentação pessoal. Fisionomia. Atitude. Postura. 41
  • 29. Elementos da comunicação não-verbal  Olhar.  Movimentos faciais: sorrisos, caretas...  Movimentos corporais.  Sinais. 42
  • 30. Dicas para a boa comunicação verbal  Boa articulação das palavras = boa dicção.  Uso da norma padrão.  Fluência verbal.  Expressar-se lógica e racionalmente. 44
  • 31. Escutar Ouvir e escutar são duas coisas diferentes. Ouvimos o que é dito no campo do significado estrito das palavras. Escutar é bem diferente: requer treino, autoconhecimento e conhecimento do outro. Escutamos sem precisar ouvir. Escuta-se o nãoverbal, as entrelinhas, o olhar, o gesto, a pessoa com quem interagimos. 47
  • 32. Saber ouvir Saber escutar  Saber escutar é tão importante quanto saber falar!  É essencial testar a nossa compreensão sobre o assunto que está sendo tratado. 48
  • 35. O que é uma empresa? É uma organização particular, ou governamental, ou de economia mista, destinada à produção e/ou à comercialização de bens e serviços, tendo como objetivo a satisfação dos seus clientes. 55
  • 36. Diga SIM à flexibilidade! A inflexibilidade é o maior empecilho ao sucesso do profissional e ao da empresa. Quaisquer idéias, regras ou comportamentos rígidos e imutáveis podem prejudicar os negócios. Por isso, precisamos sempre reavaliar nossa posição e nos atualizar. A atualização é a chave da renovação! 64
  • 37. A empresa e os clientes internos Colegas de trabalho, que se apresentam em níveis de hierarquia inferior, igual ou superior.  A moça da limpeza.  A balconista.  O entregador. Todos os clientes internos de uma empresa precisam sentir-se bem, especialmente você! 66
  • 38. Fatores que influenciam a comunicação nas empresas       Canais formais de comunicação. Estrutura de autoridade. Especialização do trabalho. Propriedade da informação. Redes de comunicação nas empresas. Comunicação vertical. 68
  • 41. O que é um cliente? Cada um dos indivíduos que fazem parte da clientela (conjunto de clientes) de uma empresa:  Um comprador eventual.  Um comprador assíduo.  Qualquer pessoa que entre em contato com a empresa para adquirir um serviço, ou simplesmente solicitar uma informação. 71
  • 42. Tipos de Clientes        Clientes da concorrência. Clientes prováveis. Clientes potenciais. Clientes experimentadores. Clientes fiéis. Clientes repetidores. Clientes advogados da empresa. 72
  • 43. Como identificar o estilo do cliente? Cada pessoa é única. Porém, é possível identificar perfis, ou estilos de percepção e de comunicação semelhantes. 74
  • 44. Como identificar as expectativas e necessidades do cliente        Observação e contato direto com o cliente. Formulário de avaliação de atendimento, avaliação de satisfação e registro de reclamações. Caixa de sugestões. Pesquisas de mercado tradicionais. Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC), por carta, telefone, fax, correio eletrônico etc. Internet (listas de discussão, comunidades virtuais, pesquisas eletrônicas etc.). Consultas a bancos de dados de perfil de clientes. 79
  • 45. Satisfação do cliente Satisfação do cliente é o sentimento de que a sua necessidade, (ou o seu objetivo) foi integralmente atendida pela empresa. Ou seja, o cliente obteve o que procurava. 80
  • 46. UNIDADE 4 O Atendimento Eficaz ao Cliente 81
  • 47. AULA 7 Atendimento eficaz ao Cliente 82
  • 48. 83
  • 49. Atendimento  As empresas alcançam a excelência em vendas quando concedem aos clientes mais do que eles esperam.  O atendimento realizado com excelência ajuda a fixar uma boa imagem da empresa junto à comunidade, agregando valor aos seus produtos e serviços, o que gera aumento no volume das vendas. 84
  • 50. Pecados no atendimento ao cliente        Apatia Má vontade Frieza Desdém Robotismo Demasiado apego às normas Jogo de responsabilidades 86
  • 51. Qualidade no atendimento ao Cliente  Satisfazer as necessidades dos clientes.  Fazer certo logo na primeira vez.  Responsabilidade de todos na empresa.  Um aprendizado diário. 87
  • 52. Fatores externos que interferem no atendimento  Apresentação pessoal.  Ambiente de atendimento. 90
  • 53. Fatores internos que interferem no atendimento      91 Aptidões Personalidade Motivação Dedicação Conhecimento
  • 54. Recebendo o cliente    Satisfazer o cliente é o objetivo. O cliente gosta de ser reconhecido. As pessoas são diferentes: educação, valores, comportamentos, status e reação emocional. Trateas individualmente. 93
  • 55. Atendendo o cliente      Rapidez, objetividade e precisão. Prestar sempre informação correta. Se não soubermos informar, temos de encaminhar o cliente a quem possa fazê-lo ou sugerir-lhe que retorne mais tarde. Aprimorar continuamente a fala e os gestos. Temos de dizer sempre a verdade, com isenção e sem preconceitos. Não podemos omitir problemas ou informações. 94
  • 56. Informando o cliente     Evitar termos técnicos. Não falar ao mesmo tempo, tampouco interromper. Se houve um engano, temos de admiti-lo e buscar corrigi-lo. Servir o cliente e jamais ter uma postura autoritária. 95
  • 57. Atendimento Telefônico  O telefone é um elo da empresa com o exterior.  Quando você atende ao telefone, a empresa é Você!  O cliente mal-atendido só telefona uma vez.  O atendimento telefônico deve transmitir uma imagem profissional de eficácia e organização. 96
  • 58. Atendimento Eletrônico  Deve ser quase imediato.  Criar rotina para a verificação de mensagens e respondêlas ao menos três vezes por dia.  Não usar o correio eletrônico do trabalho para contatos pessoais. 97
  • 59. UNIDADE 5 Técnicas de Solução de Conflitos 98
  • 60. AULA 8 Gerenciamento de conflitos 99
  • 61. O que é conflito?  É quando alguém percebe que outro afeta os seus interesses e valores, as suas aspirações, a sua imagem e/ou posição. Nem todos sabem tirar proveito dos efeitos positivos do conflito. 100
  • 62. Um tipo de conflito Descrença Traição Aumento do stress Perda da segurança Perda do auto-controle Perda da identidade 101
  • 63. Efeitos negativos e positivos      Negativos: Destroem a unidade grupal e aumentam a tensão; Desviam a atenção para assuntos menores; Apresentam alto custo emocional e são difíceis de cessar e podem causar marcas profundas. Positivos: Definem questões ou resolvem situações em espera; Aumentam a união do grupo e proporcionam a análise de questões adormecidas. 103
  • 64. Gerenciamento junto a clientes Reclamações dos clientes  Os clientes são a razão da existência da prestação de serviços.  Esforços devem ser redobrados para sanar a sua insatisfação. Opinião dos clientes  A opinião do cliente é relevante para qualquer serviço prestado.  Precisamos aproveitar as insatisfações como oportunidade de melhorar os serviços. 105
  • 65. O quer o cliente irritado?  Quer ser levado a sério e tratado com respeito.  Diante de uma reclamação, o importante é resolver o problema na visão do cliente e do melhor modo possível. 106
  • 66. O que fazer para a satisfação do cliente  Deixe o cliente falar.  Ouça-o com atenção.  Diga-lhe que lamenta o ocorrido.  Procure colocar-se no lugar do cliente.  Não discuta! 107
  • 67. O que fazer para a satisfação do cliente  Explique ao cliente o que pode ou não pode ser feito.  Faça um resumo e verifique se o cliente entendeu.  Considere todo os clientes do mesmo modo: sem preconceito.  Procure resolver o problema ou encaminhe-o para o setor responsável e monitore a resolução. 108
  • 68. UNIDADE 6 A Fidelização do Cliente 109
  • 69. AULA 9 A fidelização do cliente 110
  • 70. O que é fidelizar?  É tornar o cliente fiel à empresa.  É satisfazer o cliente para que ele prefira o seu atendimento e os produtos e serviços da sua empresa. 111
  • 71. A fidelização do cliente  Tem como objetivo reter os clientes, evitando perdê-los para a concorrência. Com isso, há um maior volume de vendas.  É gerada, mais especialmente, pelo relacionamento do cliente com o profissional de atendimento, que é quem representa a empresa.  “Foco no cliente” é a palavra de ordem. 112
  • 72. Superando expectativas No mundo dos negócios, a expectativa tem dois sentidos diferentes:  Previsões: aquilo que os clientes acreditam que ocorrerá quando se defrontam com um serviço;  Desejos: aquilo que eles esperam que aconteça. 113
  • 73. O cliente fidelizado  Uma vez o cliente conquistado, fidelizado, cria-se um círculo.  Depois da primeira compra, precisamos manter o cliente satisfeito, mesmo em momentos em que ele não está gerando lucro direto para a empresa.  Essa atitude gerará um sentimento de valorização que o levará a novas compras, a cada vez maiores e, finalmente, à recomendação da empresa. 116