SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Aprendizagem
• Embora haja muitos outros elementos
que se unem para constituir o
complexo processo que é a educação.
• como, por exemplo, conhecimento,
compreensão, valores
• uma coisa é certa: educação implica
aprendizagem.
• Sem aprendizagem não há
educação
Aprendizagem
• O ser humano nasce potencialmente inclinado
a aprender,
• necessitando de estímulos externos e internos
(motivação, necessidade) para a aprendizagem.
• Há aprendizagens que podem ser considerados
inatos,
• como o acto de aprender a falar, a andar,
necessitando que ele passe pelo processo de
maturação física, psicológica e social
Aprendizagem
• Na maioria dos casos a
aprendizagem se dá
– no meio social e
– temporal em que o indivíduo convive;
• sua conduta muda, passando
normalmente, por esses factores,
e por predisposições genéticas.
Aprendizagem
• Tradicionalmente, todo o processo de
formação académica, independentemente
donde ele ocorra,
• pressupõe a existência de formador/professor
e formandos/alunos,
• cuja actividade comum é normalmente
designada pela combinação
“Ensino/Aprendizagem”.
• Tal como acontece com muitos outros
conceitos, para este par
“Ensino/Aprendizagem”, também existem
problemas na sua definição e percepção.
Aprendizagem
• Enquanto a concepção extremista
behaviorista entende a aprendizagem:
• como uma mudança de comportamento que
ocorre com a ajuda de estímulos, reacções
e reforços (o processo de aprendizagem se
dá pelo condicionamento,
• baseado na relação estímulo-resposta),
• a psicologia cognitivista define
aprendizagem como o “pensar e entender”.
Aprendizagem
• As novas teorias do conhecimento, como as do
construtivismo por exemplo, por sua vez,
• entendem a aprendizagem como uma
construção subjectiva e intersubjectiva do
conhecimento,
• quer dizer, um processo activo, “em que o
homem constrói o seu novo conhecimento,
estabelecendo relações entre os seus
subsunçores com novas situações complexas
da vida real”,
• isto é, uma nova aprendizagem só se concretiza
quando o material novo se incorpora, se
relaciona, com os conhecimentos e saberes que
se possui.
Definição de Aprendizagem
• As definições que se seguem pretendem ilustrar
um pouco as diferentes concepções que se tem
do conceito aprendizagem:
• Aprendizagem é uma mudança relativamente
durável do comportamento, de uma forma mais ou
menos sistemática, ou não,adquirida pela
experiência, pela observação e pela prática
motivada (...)
• Aprendizagem é um processo de mudança de
comportamento obtido através da experiência
construída por factores emocionais, neurológicos,
relacionais e ambientais (...)
• Aprender é o resultado da interacção entre
estruturas mentais e o meio ambiente.(...)
Definição de Aprendizagem
• O processo de aprendizagem pode ser
definido de forma sintética como o modo
como os seres adquirem novos
conhecimentos, desenvolvem competências
e mudam o comportamento (...)
• A aprendizagem é um processo integrado
que provoca uma transformação qualitativa
na estrutura mental daquele que aprende
(...)
• Essa transformação se dá através da
alteração de conduta do indivíduo, seja por
Condicionamento operante, experiência ou
ambos, de uma forma razoavelmente
permanente (...)
Conclusão
• Nestas concepções todas sobre o conceito aprendizagem, há
um elemento que é sempre evidenciado como o indicador
básico da aprendizagem,
• trata-se de “comportamento” que por sua vez lhe são
associaodos dois outros conceitos que se tornaram chave:
Mudança e Vivências.
• Guiando-nos da concepção construtivista queremos definir a
aprendizagem como um processo construtivo e generativo,
• através do qual o formando/aluno duma forma estratégica,
organiza os recursos cognitivos disponíveis para incorporar
novos conhecimentos,
• extraíndo novas informações do respectivo ambiente e
estabelecendo relações com os conhecimentos prévios.
• Quer dizer, a Aprendizagem, só poderá ocorrer, lá onde o já
aprendido e apreendido entra em contacto com o ainda por
aprender!
Conclusão
• O processo de aprendizagem é
extremamente complexo e pode
acontecer em função de inúmeros
factores, dos quais o ensino formal e
deliberado é apenas um deles - e nem de
longe o mais importante.
• Sob a premissa de que a aprendizagem
integra novos conhecimentos nos já
existentes, então esta integração é
afinal um momento ímpar da
aprendizagem
Conclusão
• É que não se trata de um simples processo
aditivo de novos conhecimentos, mas trata-se
sim de uma articulação e mudança da já
existente estrutura de conhecimentos do
indivíduo.
• Por isso, para tornar a aprendizagem mais
efectiva, parece importante apoiar esse
momento singular da transformação da
estrutura cognitiva do aprendente,
• disponibilizando um ambiente propício e
óptimo para elevar, estimular e motivar a
criatividade do aprendente e reduzir no
máximo os factores externos que podem
distrair a sua concentração.
Conclusão
• Segundo esta concepção, o sucesso da
aprendizagem como um processo construtivo
de conhecimentos e habilidades depende de
dois factores equilibrados:
• A predisposição do aprendente para a
aprendizagem (pré-comhecimentos,
subsunçores, habilidades, estilo de
aprendizagem, rítmo, atitudes, motivação, etc)
assim como de condições externas
• Jenkins (citado em SINGO, Diss., 2001) resumiu
esta relação entre as prédisposições de
aprendizagem e as condições externas através
de um modelo, o chamado “tetraheder modell”
onde quatro factores constituem os vértices:
Tetraheder-Modell
Predisposição dos
Aprendentes
Critérios e
resultados da
aprendizagem
Actividades de
aprendizagem
Materiais
instrucionais
Fig: Tetraheder-Modell de Jenkins, Fonte: Singo, Diss., TUD 2001
Comment to this Elements
• Os aprendentes com as suas habilidades individuais e
intelectuais, motivações, interesses, atitudes e
objectivos.
• Os materiais instrucionais e exercícios de aprendizagem
que podem variar na sua modalidade de apresentação da
informação, na sua estrutura física e psicodidáctica, no
seu sequenciamento e na sua escalabilidade e
complexidade.
• Os critérios de aprendizagem que podem ser
diferenciados, segundo se se trata de memorização,
resolução de problemas, etc, o que também varia segundo
os objectivos da aprendizagem.
• As actividades de aprendizagem que passam pela
repetição até à elaboração cognitiva dos conteúdos da
aprendizagem.
Coment
• A aprendizagem pode ser categorizada sob
diferentes pontos de vista.
• No contexto da didáctica Profissional ou de
especialidade interessa também distinguir entre:
• Aprendizagem Formal e Informal
• A formal que por sua vez pode ser orientada ou
individual
• A orientada que pode ser directa (por um
professor/mestre) ou indirecta (através de um
sistema computacional)
• Aprendizagem autêntica (baseada no objecto real)
ou virtual (baseada em modelos de simulação ou
animação).
Tipos d Aprendizagens
Aprendizagem Formal
(ex. Na sala de aulas)
Aprendizagem
Informal
(ex. No local de
trabalho)
Aprendizagem
orientada
(ex. Aprendizagem
institucionalizada)
Aprendizagem
individual
(ex. autodidáctico)
Aprendizagem
directa (ex..
professor)
Aprendizagem
indirecta
(ex. Através dum
sistema)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemSabrina Mariana
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemecleiamb
 
Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015
Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015 Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015
Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015 Claudia Mascarenhas
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointMárcio Emílio
 
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?Thiago de Almeida
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEAclecio Dantas
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemCassia Dias
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosUlisses Vakirtzis
 
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo Jean Piaget
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo  Jean PiagetOs estádios do desenvolvimento cognitivo segundo  Jean Piaget
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo Jean PiagetTatati Semedo
 
Biografia de Piaget
Biografia de PiagetBiografia de Piaget
Biografia de Piagetericaevan
 
Epistemologia genética – jean piaget
Epistemologia genética – jean piagetEpistemologia genética – jean piaget
Epistemologia genética – jean piagetRoxana Alhadas
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemna educação
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoruibraz
 

Mais procurados (20)

Teorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de AprendizagemTeorias Pedagógica de Aprendizagem
Teorias Pedagógica de Aprendizagem
 
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015
Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015 Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015
Teorias da aprendizagem Claudia Mascarenhas PUCRS pós graduação 2015
 
Jean piaget
Jean piagetJean piaget
Jean piaget
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
 
Abordagens de ensino
Abordagens de ensinoAbordagens de ensino
Abordagens de ensino
 
Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
 
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
Fracasso escolar: o que é e como combatê-lo?
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
 
Desenvolvimento piaget
Desenvolvimento   piagetDesenvolvimento   piaget
Desenvolvimento piaget
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADE
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da Aprendizagem
 
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianosGestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
Gestão Escolar: enfrentando os desafios cotidianos
 
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo Jean Piaget
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo  Jean PiagetOs estádios do desenvolvimento cognitivo segundo  Jean Piaget
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo Jean Piaget
 
Biografia de Piaget
Biografia de PiagetBiografia de Piaget
Biografia de Piaget
 
Epistemologia genética – jean piaget
Epistemologia genética – jean piagetEpistemologia genética – jean piaget
Epistemologia genética – jean piaget
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 

Semelhante a Aprendizagem (aula 1)

Estudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaEstudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaJosenilza Paiva
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemSilvia Marina Anaruma
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemSilvia Marina Anaruma
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PACesar Eduardo
 
A didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superiorA didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superiortati mariano
 
Zabala, antonio a pratica educativa, como ensinar
Zabala, antonio   a pratica educativa, como ensinarZabala, antonio   a pratica educativa, como ensinar
Zabala, antonio a pratica educativa, como ensinarmarcaocampos
 
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdfDIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdfDenise De Ramos
 
A formação do professor de educação física reflexivo
A formação do professor de educação física reflexivo A formação do professor de educação física reflexivo
A formação do professor de educação física reflexivo Alan Ciriaco
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemnormaquilino
 
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educaçãoAprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educaçãoKelly Lima
 
Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]UNICEP
 
Miguel fernández pérez pedagogia com projecto
Miguel fernández pérez pedagogia com projectoMiguel fernández pérez pedagogia com projecto
Miguel fernández pérez pedagogia com projectojosematiasalves
 

Semelhante a Aprendizagem (aula 1) (20)

Estudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaEstudo dirigido didatica
Estudo dirigido didatica
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
 
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagemApontamentos sobre o conceito de aprendizagem
Apontamentos sobre o conceito de aprendizagem
 
U4
U4U4
U4
 
Didatica i u4
Didatica i u4Didatica i u4
Didatica i u4
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
 
A didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superiorA didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superior
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Zabala, antonio a pratica educativa, como ensinar
Zabala, antonio   a pratica educativa, como ensinarZabala, antonio   a pratica educativa, como ensinar
Zabala, antonio a pratica educativa, como ensinar
 
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdfDIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
DIDATICA _ objeto estudo _texto.pdf
 
A formação do professor de educação física reflexivo
A formação do professor de educação física reflexivo A formação do professor de educação física reflexivo
A formação do professor de educação física reflexivo
 
12 ensino e aprendizagem
12 ensino e aprendizagem12 ensino e aprendizagem
12 ensino e aprendizagem
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educaçãoAprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
 
Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]
 
Miguel fernández pérez pedagogia com projecto
Miguel fernández pérez pedagogia com projectoMiguel fernández pérez pedagogia com projecto
Miguel fernández pérez pedagogia com projecto
 
Fatores facilitadores da_aprendizagem
Fatores facilitadores da_aprendizagemFatores facilitadores da_aprendizagem
Fatores facilitadores da_aprendizagem
 
Trabalho da dona elena
Trabalho da dona elenaTrabalho da dona elena
Trabalho da dona elena
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Epistemologia da docência
Epistemologia da docênciaEpistemologia da docência
Epistemologia da docência
 

Mais de Ivaristo Americo (20)

Gmzr aula 7
Gmzr   aula 7Gmzr   aula 7
Gmzr aula 7
 
Gmzr aula 6
Gmzr   aula 6Gmzr   aula 6
Gmzr aula 6
 
Gmzr aula 5
Gmzr   aula 5Gmzr   aula 5
Gmzr aula 5
 
Gmzr aula 3
Gmzr   aula 3Gmzr   aula 3
Gmzr aula 3
 
Gmr aula 1
Gmr  aula 1Gmr  aula 1
Gmr aula 1
 
Gmzr aula 4
Gmzr   aula 4Gmzr   aula 4
Gmzr aula 4
 
Slaide vaca louca
Slaide vaca loucaSlaide vaca louca
Slaide vaca louca
 
Nossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologiaNossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologia
 
Iv doencas das aves
Iv doencas das avesIv doencas das aves
Iv doencas das aves
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
 
Febre aftose
Febre aftoseFebre aftose
Febre aftose
 
Coccidiose aviaria
Coccidiose aviariaCoccidiose aviaria
Coccidiose aviaria
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
 
Aula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologiaAula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologia
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
 
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Aula 2  brucelose doencas em bovinosAula 2  brucelose doencas em bovinos
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
 
Meios didacticos iv
Meios didacticos   ivMeios didacticos   iv
Meios didacticos iv
 
Formadores
FormadoresFormadores
Formadores
 
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
 

Último

UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 

Último (20)

UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 

Aprendizagem (aula 1)

  • 1. Aprendizagem • Embora haja muitos outros elementos que se unem para constituir o complexo processo que é a educação. • como, por exemplo, conhecimento, compreensão, valores • uma coisa é certa: educação implica aprendizagem. • Sem aprendizagem não há educação
  • 2. Aprendizagem • O ser humano nasce potencialmente inclinado a aprender, • necessitando de estímulos externos e internos (motivação, necessidade) para a aprendizagem. • Há aprendizagens que podem ser considerados inatos, • como o acto de aprender a falar, a andar, necessitando que ele passe pelo processo de maturação física, psicológica e social
  • 3. Aprendizagem • Na maioria dos casos a aprendizagem se dá – no meio social e – temporal em que o indivíduo convive; • sua conduta muda, passando normalmente, por esses factores, e por predisposições genéticas.
  • 4. Aprendizagem • Tradicionalmente, todo o processo de formação académica, independentemente donde ele ocorra, • pressupõe a existência de formador/professor e formandos/alunos, • cuja actividade comum é normalmente designada pela combinação “Ensino/Aprendizagem”. • Tal como acontece com muitos outros conceitos, para este par “Ensino/Aprendizagem”, também existem problemas na sua definição e percepção.
  • 5. Aprendizagem • Enquanto a concepção extremista behaviorista entende a aprendizagem: • como uma mudança de comportamento que ocorre com a ajuda de estímulos, reacções e reforços (o processo de aprendizagem se dá pelo condicionamento, • baseado na relação estímulo-resposta), • a psicologia cognitivista define aprendizagem como o “pensar e entender”.
  • 6. Aprendizagem • As novas teorias do conhecimento, como as do construtivismo por exemplo, por sua vez, • entendem a aprendizagem como uma construção subjectiva e intersubjectiva do conhecimento, • quer dizer, um processo activo, “em que o homem constrói o seu novo conhecimento, estabelecendo relações entre os seus subsunçores com novas situações complexas da vida real”, • isto é, uma nova aprendizagem só se concretiza quando o material novo se incorpora, se relaciona, com os conhecimentos e saberes que se possui.
  • 7. Definição de Aprendizagem • As definições que se seguem pretendem ilustrar um pouco as diferentes concepções que se tem do conceito aprendizagem: • Aprendizagem é uma mudança relativamente durável do comportamento, de uma forma mais ou menos sistemática, ou não,adquirida pela experiência, pela observação e pela prática motivada (...) • Aprendizagem é um processo de mudança de comportamento obtido através da experiência construída por factores emocionais, neurológicos, relacionais e ambientais (...) • Aprender é o resultado da interacção entre estruturas mentais e o meio ambiente.(...)
  • 8. Definição de Aprendizagem • O processo de aprendizagem pode ser definido de forma sintética como o modo como os seres adquirem novos conhecimentos, desenvolvem competências e mudam o comportamento (...) • A aprendizagem é um processo integrado que provoca uma transformação qualitativa na estrutura mental daquele que aprende (...) • Essa transformação se dá através da alteração de conduta do indivíduo, seja por Condicionamento operante, experiência ou ambos, de uma forma razoavelmente permanente (...)
  • 9. Conclusão • Nestas concepções todas sobre o conceito aprendizagem, há um elemento que é sempre evidenciado como o indicador básico da aprendizagem, • trata-se de “comportamento” que por sua vez lhe são associaodos dois outros conceitos que se tornaram chave: Mudança e Vivências. • Guiando-nos da concepção construtivista queremos definir a aprendizagem como um processo construtivo e generativo, • através do qual o formando/aluno duma forma estratégica, organiza os recursos cognitivos disponíveis para incorporar novos conhecimentos, • extraíndo novas informações do respectivo ambiente e estabelecendo relações com os conhecimentos prévios. • Quer dizer, a Aprendizagem, só poderá ocorrer, lá onde o já aprendido e apreendido entra em contacto com o ainda por aprender!
  • 10. Conclusão • O processo de aprendizagem é extremamente complexo e pode acontecer em função de inúmeros factores, dos quais o ensino formal e deliberado é apenas um deles - e nem de longe o mais importante. • Sob a premissa de que a aprendizagem integra novos conhecimentos nos já existentes, então esta integração é afinal um momento ímpar da aprendizagem
  • 11. Conclusão • É que não se trata de um simples processo aditivo de novos conhecimentos, mas trata-se sim de uma articulação e mudança da já existente estrutura de conhecimentos do indivíduo. • Por isso, para tornar a aprendizagem mais efectiva, parece importante apoiar esse momento singular da transformação da estrutura cognitiva do aprendente, • disponibilizando um ambiente propício e óptimo para elevar, estimular e motivar a criatividade do aprendente e reduzir no máximo os factores externos que podem distrair a sua concentração.
  • 12. Conclusão • Segundo esta concepção, o sucesso da aprendizagem como um processo construtivo de conhecimentos e habilidades depende de dois factores equilibrados: • A predisposição do aprendente para a aprendizagem (pré-comhecimentos, subsunçores, habilidades, estilo de aprendizagem, rítmo, atitudes, motivação, etc) assim como de condições externas • Jenkins (citado em SINGO, Diss., 2001) resumiu esta relação entre as prédisposições de aprendizagem e as condições externas através de um modelo, o chamado “tetraheder modell” onde quatro factores constituem os vértices:
  • 13. Tetraheder-Modell Predisposição dos Aprendentes Critérios e resultados da aprendizagem Actividades de aprendizagem Materiais instrucionais Fig: Tetraheder-Modell de Jenkins, Fonte: Singo, Diss., TUD 2001
  • 14. Comment to this Elements • Os aprendentes com as suas habilidades individuais e intelectuais, motivações, interesses, atitudes e objectivos. • Os materiais instrucionais e exercícios de aprendizagem que podem variar na sua modalidade de apresentação da informação, na sua estrutura física e psicodidáctica, no seu sequenciamento e na sua escalabilidade e complexidade. • Os critérios de aprendizagem que podem ser diferenciados, segundo se se trata de memorização, resolução de problemas, etc, o que também varia segundo os objectivos da aprendizagem. • As actividades de aprendizagem que passam pela repetição até à elaboração cognitiva dos conteúdos da aprendizagem.
  • 15. Coment • A aprendizagem pode ser categorizada sob diferentes pontos de vista. • No contexto da didáctica Profissional ou de especialidade interessa também distinguir entre: • Aprendizagem Formal e Informal • A formal que por sua vez pode ser orientada ou individual • A orientada que pode ser directa (por um professor/mestre) ou indirecta (através de um sistema computacional) • Aprendizagem autêntica (baseada no objecto real) ou virtual (baseada em modelos de simulação ou animação).
  • 16. Tipos d Aprendizagens Aprendizagem Formal (ex. Na sala de aulas) Aprendizagem Informal (ex. No local de trabalho) Aprendizagem orientada (ex. Aprendizagem institucionalizada) Aprendizagem individual (ex. autodidáctico) Aprendizagem directa (ex.. professor) Aprendizagem indirecta (ex. Através dum sistema)