SlideShare uma empresa Scribd logo
Docente:
Hermenegildo Novela
DELEGAÇÃO DE GAZA
Disciplina de Gestão de Mudanças
nas Zonas Rurais
CURSO DE AGRO-PECUÁRIA
Créditos 6 = 150 horas (48contacto+ 102
de estudo)
PESO DAS AVALIAÇÕES
§  Horas de contacto: 64%;
§  Horas de estudo independente: 34%.
AVALIAÇÃO
§  Testes escritos;
§  Trabalhos em grupo;
§  Trabalhos individuais de aprofundamento;
§  Exame. 2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   2	
  
§  As políticas económicas, quando predominantes na região
dificultam a introdução de medidas ambientais já que impõem um
limite ao gasto social em serviços básicos e de saneamento.
§  As áreas rurais não causam somente impactos ambientais locais
como também causam nas pegadas ecológicas, enquanto as
cidades causam uma variedade de impactos como: conversão das
áreas agrícolas ou florestais para infraestrutura ou uso urbano,
aterro de áreas húmidas.
INTRODUÇÃO
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   3	
  
§  A utilização de biomassa como combustível também causa
poluição atmosférica em ambientes fechados e abertos, outros
efeitos como poluição de cursos de água, lagos e águas
costeiras causada por efluentes não tratados entre outros
factores, interferindo na saúde e vida da comunidade,
necessitando de uma gestão adequada.
INTRODUÇÃO CONT.
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   4	
  
§ Conhece as causas da desistabilidade;
§ Descreve os mecanismos de gestão;
§ Relaciona o meio ambiente com a pobreza
rural.
COMPETÊNCIAS
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   5	
  
§  Desenvolver modelos que auxiliam na redução
da pobreza;
§ Identificar os tipos de pobreza;
§ Relacionar o crescimento da produção com o
meio ambiente.
OBJECTIVOS	
  
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   6	
  
Introdução à gestão
de mudanças
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   7	
  
§ Um dos grandes marcos do mundo contemporâneo
é o fenómeno da mudança, que resulta das
contínuas transformações que se dão nos campos
político, económico, tecnológico e filosófico.
§ Mudar passa a ser palavra de ordem para a
sobrevivência das organizações...
Introdução	
  
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   8	
  
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   9	
  
§ É uma abordagem estruturada para fazer com que
indivíduos, equipes, e organizações mudem de um
estado actual para um estado desejado futuro.
§ São processos, ferramentas e técnicas para gerir
vários aspectos envolvidos em um processo de
mudança a fim de que os recursos previstos sejam
atingidos e da forma mais eficaz possível.
GESTÃO DE MUDANÇAS
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   10	
  
*  A mudança pode ser vista como 3 estados distintos.
As organizações e os indivíduos não mudam, e a mudança
colectiva cria o estado futuro.
ACTUAL TRANSIÇÃO	
  	
   FUTU
RO	
  
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   11	
  
§  Mudar é um processo que envolve pessoas,
organizações e sistemas sociais;
§  Mudar requer que se conheça a razão de mudar e as
forças desestabilizadoras do actual;
§  Mudar exige conhecer o que se quer mudar;
O PROCESSO DE MUDANÇA
IMPLICA ENTENDER
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   12	
  
§ Mudar significa que se conheça de onde se está
partindo e aonde se quer chegar;
§ Mudar exige organizar e gerir o processo de
mudança;
§ Mudar exige de quem tem autoridade a decisão
de mudar.
O PROCESSO DE MUDANÇA IMPLICA
ENTENDER CONT.
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   13	
  
§ O objectivo essencial da gestão de mudanças é
ter uma abordagem equilibrada dos aspectos
técnicos e organizacionais, visando minimizar as
possíveis resistências e obter uma transformação
mais eficaz, completa e em menor tempo.
OBJECTIVO DA GESTÃO DE
MUDANÇAS
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   14	
  
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   15	
  
Obrigado pela
atenção!
2/16/16	
  HERMENEGILDO	
  NOVELA	
   16	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Preservação ambiental e compromisso social
Preservação ambiental e compromisso socialPreservação ambiental e compromisso social
Preservação ambiental e compromisso social
Renally Arruda
 
Ecocidadania
EcocidadaniaEcocidadania
Ecocidadania
Douglas Ramos
 
Trabalho vitória ramos
Trabalho vitória ramosTrabalho vitória ramos
Trabalho vitória ramos
Barra Sustentável
 
2ª serie reda cem - 20.18
2ª serie   reda cem -  20.182ª serie   reda cem -  20.18
2ª serie reda cem - 20.18
MatheusMesquitaMelo
 
Pegada ecológica
Pegada ecológicaPegada ecológica
Pegada ecológica
Neli Oliveira
 
7 desenvolvimento sustentável
7 desenvolvimento sustentável7 desenvolvimento sustentável
7 desenvolvimento sustentável
ap3bmachado
 

Mais procurados (6)

Preservação ambiental e compromisso social
Preservação ambiental e compromisso socialPreservação ambiental e compromisso social
Preservação ambiental e compromisso social
 
Ecocidadania
EcocidadaniaEcocidadania
Ecocidadania
 
Trabalho vitória ramos
Trabalho vitória ramosTrabalho vitória ramos
Trabalho vitória ramos
 
2ª serie reda cem - 20.18
2ª serie   reda cem -  20.182ª serie   reda cem -  20.18
2ª serie reda cem - 20.18
 
Pegada ecológica
Pegada ecológicaPegada ecológica
Pegada ecológica
 
7 desenvolvimento sustentável
7 desenvolvimento sustentável7 desenvolvimento sustentável
7 desenvolvimento sustentável
 

Semelhante a Gmr aula 1

Microeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidadeMicroeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidade
Daiane Lins
 
Ufba ecologica
Ufba ecologicaUfba ecologica
Ufba ecologica
luisotaviodantas
 
O trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordeste
O trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordesteO trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordeste
O trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordeste
Sandra Bara
 
Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...
Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...
Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...
fcmatosbh
 
Técnicas mudanças organizacionais
Técnicas mudanças organizacionaisTécnicas mudanças organizacionais
Técnicas mudanças organizacionais
Rafael Olivera
 
6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente
6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente
6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente
Victor Afonso
 
3 6 engevista11
3 6 engevista113 6 engevista11
3 6 engevista11
Juliana Ardel
 
Diálogos sobre transição justa : o caso do Rio Grande do Norte
Diálogos sobre transição justa :  o caso do Rio Grande do NorteDiálogos sobre transição justa :  o caso do Rio Grande do Norte
Diálogos sobre transição justa : o caso do Rio Grande do Norte
TRAMPO Comunicação e Eventos Soares
 
AULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdfAULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdf
ClaudiaSiano
 
Tcc
TccTcc
Materialdeapoio
MaterialdeapoioMaterialdeapoio
Materialdeapoio
Nafitalino Santos Everton
 
Sistema de captação e reutilização da água das chuvas
Sistema de captação e reutilização da água das chuvasSistema de captação e reutilização da água das chuvas
Sistema de captação e reutilização da água das chuvas
Wagner Costa Botelho
 
Projeto santander 1
Projeto santander 1Projeto santander 1
Projeto santander 1
andreza05
 
Gestao de-residuos solidos
 Gestao de-residuos solidos Gestao de-residuos solidos
Gestao de-residuos solidos
Orlando Junior Binda
 
E2009 t00481 pcn81956
E2009 t00481 pcn81956E2009 t00481 pcn81956
E2009 t00481 pcn81956
leonardo2710
 

Semelhante a Gmr aula 1 (15)

Microeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidadeMicroeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidade
 
Ufba ecologica
Ufba ecologicaUfba ecologica
Ufba ecologica
 
O trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordeste
O trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordesteO trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordeste
O trabalho flexível na fruticultura irrigada do nordeste
 
Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...
Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...
Governança da água e a gestão dos recursos hídricos - a formacao de comites d...
 
Técnicas mudanças organizacionais
Técnicas mudanças organizacionaisTécnicas mudanças organizacionais
Técnicas mudanças organizacionais
 
6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente
6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente
6 característica de um projeto habitacional ecoeficiente
 
3 6 engevista11
3 6 engevista113 6 engevista11
3 6 engevista11
 
Diálogos sobre transição justa : o caso do Rio Grande do Norte
Diálogos sobre transição justa :  o caso do Rio Grande do NorteDiálogos sobre transição justa :  o caso do Rio Grande do Norte
Diálogos sobre transição justa : o caso do Rio Grande do Norte
 
AULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdfAULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdf
 
Tcc
TccTcc
Tcc
 
Materialdeapoio
MaterialdeapoioMaterialdeapoio
Materialdeapoio
 
Sistema de captação e reutilização da água das chuvas
Sistema de captação e reutilização da água das chuvasSistema de captação e reutilização da água das chuvas
Sistema de captação e reutilização da água das chuvas
 
Projeto santander 1
Projeto santander 1Projeto santander 1
Projeto santander 1
 
Gestao de-residuos solidos
 Gestao de-residuos solidos Gestao de-residuos solidos
Gestao de-residuos solidos
 
E2009 t00481 pcn81956
E2009 t00481 pcn81956E2009 t00481 pcn81956
E2009 t00481 pcn81956
 

Mais de Ivaristo Americo

Gmzr aula 7
Gmzr   aula 7Gmzr   aula 7
Gmzr aula 7
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 6
Gmzr   aula 6Gmzr   aula 6
Gmzr aula 6
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 5
Gmzr   aula 5Gmzr   aula 5
Gmzr aula 5
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 3
Gmzr   aula 3Gmzr   aula 3
Gmzr aula 3
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 4
Gmzr   aula 4Gmzr   aula 4
Gmzr aula 4
Ivaristo Americo
 
Slaide vaca louca
Slaide vaca loucaSlaide vaca louca
Slaide vaca louca
Ivaristo Americo
 
Nossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologiaNossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Iv doencas das aves
Iv doencas das avesIv doencas das aves
Iv doencas das aves
Ivaristo Americo
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
Ivaristo Americo
 
Febre aftose
Febre aftoseFebre aftose
Febre aftose
Ivaristo Americo
 
Coccidiose aviaria
Coccidiose aviariaCoccidiose aviaria
Coccidiose aviaria
Ivaristo Americo
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
Ivaristo Americo
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
Ivaristo Americo
 
Aula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologiaAula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Aula 2  brucelose doencas em bovinosAula 2  brucelose doencas em bovinos
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Ivaristo Americo
 
Meios didacticos iv
Meios didacticos   ivMeios didacticos   iv
Meios didacticos iv
Ivaristo Americo
 
Formadores
FormadoresFormadores
Formadores
Ivaristo Americo
 
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
Ivaristo Americo
 
Dpp1
Dpp1Dpp1

Mais de Ivaristo Americo (20)

Gmzr aula 7
Gmzr   aula 7Gmzr   aula 7
Gmzr aula 7
 
Gmzr aula 6
Gmzr   aula 6Gmzr   aula 6
Gmzr aula 6
 
Gmzr aula 5
Gmzr   aula 5Gmzr   aula 5
Gmzr aula 5
 
Gmzr aula 3
Gmzr   aula 3Gmzr   aula 3
Gmzr aula 3
 
Gmzr aula 4
Gmzr   aula 4Gmzr   aula 4
Gmzr aula 4
 
Slaide vaca louca
Slaide vaca loucaSlaide vaca louca
Slaide vaca louca
 
Nossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologiaNossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologia
 
Iv doencas das aves
Iv doencas das avesIv doencas das aves
Iv doencas das aves
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
 
Febre aftose
Febre aftoseFebre aftose
Febre aftose
 
Coccidiose aviaria
Coccidiose aviariaCoccidiose aviaria
Coccidiose aviaria
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
 
Aula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologiaAula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologia
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
 
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Aula 2  brucelose doencas em bovinosAula 2  brucelose doencas em bovinos
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
 
Meios didacticos iv
Meios didacticos   ivMeios didacticos   iv
Meios didacticos iv
 
Formadores
FormadoresFormadores
Formadores
 
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
 
Dpp1
Dpp1Dpp1
Dpp1
 

Último

Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SSTSegurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
ClaudioArez
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdfÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
RoemirPeres
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
MaxwellBentodeOlivei1
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
bentosst
 
Incêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptxIncêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptx
RafaelDantas32562
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
GabrielGarcia356832
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Sandro Marques Solidario
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
pereiramarcossantos0
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
Consultoria Acadêmica
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
RodrigoQuintilianode1
 

Último (11)

Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SSTSegurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdfÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
 
Incêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptxIncêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptx
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
 

Gmr aula 1

  • 1. Docente: Hermenegildo Novela DELEGAÇÃO DE GAZA Disciplina de Gestão de Mudanças nas Zonas Rurais CURSO DE AGRO-PECUÁRIA
  • 2. Créditos 6 = 150 horas (48contacto+ 102 de estudo) PESO DAS AVALIAÇÕES §  Horas de contacto: 64%; §  Horas de estudo independente: 34%. AVALIAÇÃO §  Testes escritos; §  Trabalhos em grupo; §  Trabalhos individuais de aprofundamento; §  Exame. 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   2  
  • 3. §  As políticas económicas, quando predominantes na região dificultam a introdução de medidas ambientais já que impõem um limite ao gasto social em serviços básicos e de saneamento. §  As áreas rurais não causam somente impactos ambientais locais como também causam nas pegadas ecológicas, enquanto as cidades causam uma variedade de impactos como: conversão das áreas agrícolas ou florestais para infraestrutura ou uso urbano, aterro de áreas húmidas. INTRODUÇÃO 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   3  
  • 4. §  A utilização de biomassa como combustível também causa poluição atmosférica em ambientes fechados e abertos, outros efeitos como poluição de cursos de água, lagos e águas costeiras causada por efluentes não tratados entre outros factores, interferindo na saúde e vida da comunidade, necessitando de uma gestão adequada. INTRODUÇÃO CONT. 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   4  
  • 5. § Conhece as causas da desistabilidade; § Descreve os mecanismos de gestão; § Relaciona o meio ambiente com a pobreza rural. COMPETÊNCIAS 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   5  
  • 6. §  Desenvolver modelos que auxiliam na redução da pobreza; § Identificar os tipos de pobreza; § Relacionar o crescimento da produção com o meio ambiente. OBJECTIVOS   2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   6  
  • 7. Introdução à gestão de mudanças 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   7  
  • 8. § Um dos grandes marcos do mundo contemporâneo é o fenómeno da mudança, que resulta das contínuas transformações que se dão nos campos político, económico, tecnológico e filosófico. § Mudar passa a ser palavra de ordem para a sobrevivência das organizações... Introdução   2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   8  
  • 10. § É uma abordagem estruturada para fazer com que indivíduos, equipes, e organizações mudem de um estado actual para um estado desejado futuro. § São processos, ferramentas e técnicas para gerir vários aspectos envolvidos em um processo de mudança a fim de que os recursos previstos sejam atingidos e da forma mais eficaz possível. GESTÃO DE MUDANÇAS 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   10  
  • 11. *  A mudança pode ser vista como 3 estados distintos. As organizações e os indivíduos não mudam, e a mudança colectiva cria o estado futuro. ACTUAL TRANSIÇÃO     FUTU RO   2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   11  
  • 12. §  Mudar é um processo que envolve pessoas, organizações e sistemas sociais; §  Mudar requer que se conheça a razão de mudar e as forças desestabilizadoras do actual; §  Mudar exige conhecer o que se quer mudar; O PROCESSO DE MUDANÇA IMPLICA ENTENDER 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   12  
  • 13. § Mudar significa que se conheça de onde se está partindo e aonde se quer chegar; § Mudar exige organizar e gerir o processo de mudança; § Mudar exige de quem tem autoridade a decisão de mudar. O PROCESSO DE MUDANÇA IMPLICA ENTENDER CONT. 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   13  
  • 14. § O objectivo essencial da gestão de mudanças é ter uma abordagem equilibrada dos aspectos técnicos e organizacionais, visando minimizar as possíveis resistências e obter uma transformação mais eficaz, completa e em menor tempo. OBJECTIVO DA GESTÃO DE MUDANÇAS 2/16/16  HERMENEGILDO  NOVELA   14