SlideShare uma empresa Scribd logo
Teorias da Aprendizagem
Ecléia Mota Baltazar
Especialização em Docência no Ensino Superior – EAD – PUC/RS
Disciplina: Teorias da aprendizagem: diferentes abordagens
Professora: Dra. Elaine Turk Faria
Teorias Comportamentalistas
Teorias Comportamentalistas
 Teoria baseada em estímulo – resposta;
 Comportamento Humano previsível.
Teorias Comportamentalistas
Ivan Pavlov (1849 – 1936)
 Fenômeno de reflexo condicionado, que podia ser adquirido por experiência;
 Eliciar: provocar uma resposta automática;
 Pareamento: associação ao estimulo;
 Estímulo incondicionado: evento que elicia uma certa resposta reflexa;
 Estímulo neutro: evento que não provoca nenhuma espécie de resposta reflexa;
 Estímulo condicionado: repetição do estimulo neutro, provocando uma resposta automática,
assim gerando um estímulo condicionado;
 Pavlov, postulou que o reflexo condicionado teria um papel importante no comportamento
humano e consequentemente na educação.
Teorias Comportamentalistas
John Watson (1878 – 1958)
 Fundador do comportamentalismo, enfatizou sua preocupação com os aspectos observáveis do
comportamento;
 Focalizou seus estudos muito mais nos estímulos do que nas consequências e, assim, encarou
a aprendizagem na forma do condicionamento clássico: o estímulo condicionado, depois de ser
emparelhado um número suficiente de vezes com o estímulo incondicionado, passa a eliciar a
mesma resposta e pode substituí-lo;
 Nessa perspectiva, cabe o professor promover o maior número de vezes possível a associação
de uma resposta (desejada) a um estímulo para que o aprendiz adquira conhecimento;
Teorias Comportamentalistas
Edward Thorndike (1874 – 1949)
 Ao contrário de Watson, Thorndike foi um teórico do reforço, e sua principal contribuição ao
comportamentalismo, provavelmente foi a Lei do Efeito. Esta lei traz consigo uma concepção de
aprendizagem na qual uma conexão é fortalecida quando seguida de uma consequência
satisfatória (é mais provável que a mesma resposta seja dada outra vez ao mesmo estímulo) e,
inversamente, se a conexão é seguida de um “estado irritante” ela é enfraquecida (é provável
que a resposta não seja repetida);
 O professor, nesta concepção, deverá proporcionar ao aprendiz um reforço positivo (por
exemplo um elogio), caso o aluno tenha dado uma resposta desejada, ou um reforço negativo
(por exemplo, uma punição) quando o aprendiz apresenta uma resposta indesejável;
Teorias Comportamentalistas
Burrhus Frederic Skinner (1904 – 1990)
 Skinner foi o teórico comportamentalista que mais influenciou o entendimento
do processo ensino-aprendizagem e a prática escolar, No Brasil, a influência
da pedagogia tecnicista remota à segunda metade dos anos 50, mas foi
introduzida mais efetivamente no final dos anos 60 com o objetivo de inserir a
escola nos modelos de racionalização do sistema de produção capitalista;
 O objetivo do comportamentalismo Skinneriano é o estudo científico do
comportamento: descobrir as leis naturais que regem as reações do organismo
que aprende, a fim de aumentar o controle das variáveis que o afetam,
segundo Skinner, o comportamento aprendido é uma resposta a estímulos
externos, controlados por meio de reforços que ocorrem com a resposta ou
após a mesma;
Teorias Comportamentalistas
Burrhus Frederic Skinner (1904 – 1990)
 Os métodos de ensino consistem nos procedimentos e técnicas necessários ao arranjo e
controle das condições ambientais que asseguram a transmissão/recepção de informações;
 O professor deve, primeiramente, modelar respostas apropriadas, aos objetivos instrucionais e,
acima de tudo, conseguir o comportamento adequado pelo controle do ensino (através da
tecnologia educacional);
 As etapas básicas de um processo de ensino-aprendizagem na perspectiva Skinneriana são:
 Estabelecimentos de comportamentos terminais, através de objetivos instrucionais;
 Análise da tarefa de aprendizagem, afim de ordenar sequencialmente os passos da
instrução;
 Executar o programa, reforçando gradualmente as respostas corretas correspondentes aos
objetivos.
Teorias Cognitivistas
Teorias Cognitivistas
 A corrente cognitivista enfatiza o processo de cognição, através do qual a pessoa atribui
significado à realidade em que se encontra;
 Preocupa-se com o processo de compreensão, transformação, armazenamento e uso da
informação envolvido na cognição e procura regularidades nesse processo mental.
Teorias Cognitivistas
David Ausubel (1918 – 2008)
 O conceito da teoria de Ausubel é o aprendizado significativo, um processo através do qual uma
nova informação se relaciona de maneira não arbitrária e substantiva a um aspecto relevante da
estrutura cognitiva do indivíduo;
 Segundo Ausubel, este tipo de aprendizagem é, por excelência, o mecanismo humano para
adquirir e reter a vasta quantidade de informações de um corpo de conhecimentos;
 Ausubel destaca o processo de aprendizagem significativa como o mais importante na
aprendizagem escolar, o armazenamento de informações na mente humana como sendo
altamente organizado, formando uma espécie de hierarquia conceitual na qual elementos mais
específicos do conhecimento são ligados a conceitos, idéias, proposições mais gerais e
inclusivos;
 Em contraposição à aprendizagem significativa, Ausubel define aprendizagem mecânica na qual
a nova informação é armazenada de maneira arbitrária e literal, não interagindo com aquela já
existente na estrutura cognitiva e pouco ou nada contribuindo para sua elaboração e
diferenciação;
Teorias Cognitivistas
David Ausubel (1918 – 2008)
 Aprendizado onde há um processo que envolve interação da nova informação com a estrutura
de conhecimento do aluno;
 O professor é mediador, facilitador entre estímulo e resposta.
Teorias Construtivistas
Teorias Construtivistas
Jean Piaget (1896 – 1980)
 A teoria de Piaget não é propriamente uma teoria de aprendizagem mas uma teoria de
desenvolvimento mental. Ele distingue quatro períodos gerais de desenvolvimento cognitivo:
sensório-motor, pré-operacional, operacional-concreto e operacional formal;
 Segundo Piaget, o crescimento cognitivo da criança se dá através de assimilação e
acomodação. O indivíduo constrói esquemas de assimilação mentais para abordar a realidade;
 Todo esquema de assimilação é construído e toda abordagem à realidade supõe um esquema
de assimilação;
 Quando a mente assimila, ela incorpora a realidade a seus esquemas de ação, impondo-se ao
meio. Muitas vezes, os esquemas de ação da pessoa não conseguem assimilar determinada
situação. Neste caso, a mente desiste ou se modifica;
Teorias Sócio - Culturais
Teorias Sócio - Culturais
Lev Semenovitch Vygotsky (1896 – 1934)
 O conceito central da teoria de Vygotsky é o de atividade, que é a unidade de construção da
arquitetura funcional da consciência, um sistema de transformação do meio (externo e interno
da consciência) com ajuda de instrumentos (orientados externamente, devem necessariamente
levar a mudanças nos objetos) e signos (orientados internamente, dirigidos para o controle do
próprio indivíduo. Uma atividade entendida como mediação onde o emprego de instrumentos e
signos representa a unidade essencial de construção da consciência humana, entendida como
contato social consigo mesmo e, por isso, constituído de uma estrutura semiótica (estrutura de
signos) com origem na cultura;
 A arquitetura funcional proposta por Vygotsky é muito diferente do modelo piagentiano. Trata-se
de um modelo de arquitetura variável, na ontogênese, mas cuja forma está definida
precisamente pela interação e pela cultura;
Teorias Sócio - Culturais
Lev Semenovitch Vygotsky (1896 – 1934)
 Nesse modelo, a sociedade e a cultura não têm simplesmente um papel ativante de estrutura
endógena da razão – como propõe Piaget – mas uma função efetivamente formante;
 O conceito de zona de desenvolvimento proximal é talvez o conceito mais original e de maior
repercussão, em termos educacionais, da teoria de Vygotsky. Trata-se de uma espécie de
desnível intelectual avançando dentro do qual uma criança, com o auxilio direto ou indireto de
um adulto, pode desempenhar tarefas que ela, sozinha não faria, por estarem acima do seu
nível de desenvolvimento;
 A implicação pedagógica mais relevante deste conceito reside na forma como é vista a relação
entre o aprendizado e o desenvolvimento. Ao contrário de outras teorias pedagógicas, como a
piagetiana, que sugere a necessidade de o ensino ajustar-se a estruturas mentais já
estabelecidas, para Vygotsky, o aprendizado orientado para níveis de desenvolvimento que já
foram atingidos é ineficaz do ponto de vista do desenvolvimento global da criança;
Teorias Sócio - Culturais
Lev Semenovitch Vygotsky (1896 – 1934)
 Ele não se dirige para um novo estágio do processo de desenvolvimento, mas, ao invés disso,
vai a reboque desse processo. Assim, a noção de desenvolvimento proximal capacita-nos a
propor uma nova fórmula, a de que o “bom aprendizado” é somente aquele que se adianta ao
desenvolvimento;
 É destacado portanto, a importância da figura do professor como identificação/modelo e como
elemento chave nas interações sociais do estudante. Os sistemas de signos, a linguagem, os
diagramas que o professor utiliza têm um papel relevante na psicologia vygotskyana, pois a
aprendizagem depende da riqueza do sistema de signos transmitido e como são utilizados os
instrumentos. O objetivo geral da educação,na perspectiva vygotskyana, seria o
desenvolvimento da consciência construída culturalmente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comportamentalismo ou Behaviorismo
Comportamentalismo ou BehaviorismoComportamentalismo ou Behaviorismo
Comportamentalismo ou Behaviorismo
Erica Nascimento
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
Greicy Kely
 
Jerome Bruner
Jerome BrunerJerome Bruner
Jerome Bruner
Paula Prata
 
As teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humanoAs teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humano
Bruno Gurué
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
Alba Mate Mate
 
55586200 teorias-da-aprendizagem-aula
55586200 teorias-da-aprendizagem-aula55586200 teorias-da-aprendizagem-aula
55586200 teorias-da-aprendizagem-aula
Patricia Mendes
 
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalVygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Cícero Quarto
 
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistóricaVygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Thiago de Almeida
 
1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
Claudinéia da Silva de Oliveira
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
pibidsociais
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Quelen Fogaça
 
Teoria inatista
Teoria inatistaTeoria inatista
Teoria inatista
AndrSoares140
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
Carlos Caldas
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem
ritadecassiaprof
 
Principais teorias da aprendizagem
Principais teorias da aprendizagemPrincipais teorias da aprendizagem
Principais teorias da aprendizagem
cristina-ricardo
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Librol
 
Teorias contemporâneas da aprendizagem
Teorias contemporâneas da aprendizagemTeorias contemporâneas da aprendizagem
Teorias contemporâneas da aprendizagem
Carlos Caldas
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Silvia Marina Anaruma
 

Mais procurados (20)

Comportamentalismo ou Behaviorismo
Comportamentalismo ou BehaviorismoComportamentalismo ou Behaviorismo
Comportamentalismo ou Behaviorismo
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Jerome Bruner
Jerome BrunerJerome Bruner
Jerome Bruner
 
As teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humanoAs teorias do desenvolvimento humano
As teorias do desenvolvimento humano
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
 
55586200 teorias-da-aprendizagem-aula
55586200 teorias-da-aprendizagem-aula55586200 teorias-da-aprendizagem-aula
55586200 teorias-da-aprendizagem-aula
 
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalVygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
 
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistóricaVygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistórica
 
1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teoria inatista
Teoria inatistaTeoria inatista
Teoria inatista
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 
Psicologia da Educação
Psicologia da EducaçãoPsicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem Slide sobre aprendizagem
Slide sobre aprendizagem
 
Principais teorias da aprendizagem
Principais teorias da aprendizagemPrincipais teorias da aprendizagem
Principais teorias da aprendizagem
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias contemporâneas da aprendizagem
Teorias contemporâneas da aprendizagemTeorias contemporâneas da aprendizagem
Teorias contemporâneas da aprendizagem
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
 

Semelhante a Teorias da aprendizagem

Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
SUZILEY
 
Teorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalhoTeorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalho
Roseli2012
 
Teorias pedagógicas de ensino aprendizagem
Teorias pedagógicas de ensino aprendizagemTeorias pedagógicas de ensino aprendizagem
Teorias pedagógicas de ensino aprendizagem
CDIM Daniel
 
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
neliane frança
 
Jean piaget 1
Jean piaget  1Jean piaget  1
Jean piaget 1
Felipe Mago
 
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveiraTeorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
CamilaAbreuFontes
 
CORRENTES TEORICAS.docx
CORRENTES TEORICAS.docxCORRENTES TEORICAS.docx
CORRENTES TEORICAS.docx
EscolaGraas
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Márcio Emílio
 
Behavorismo
BehavorismoBehavorismo
Behavorismo
Patricia Fernandes
 
Psicologia
Psicologia Psicologia
Psicologia
Alelis Gomes
 
As teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamAs teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focam
Juliana Rodrigues
 
As teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamAs teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focam
Juliana Rodrigues
 
Didática - Trabalho-1.pptx
Didática - Trabalho-1.pptxDidática - Trabalho-1.pptx
Didática - Trabalho-1.pptx
Fabianopereira594982
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
O Blog do Pedagogo
 
Referencial -teorico_-_piaget
Referencial  -teorico_-_piagetReferencial  -teorico_-_piaget
Referencial -teorico_-_piaget
angelafreire
 
Referencial -teorico_-_piaget
Referencial  -teorico_-_piagetReferencial  -teorico_-_piaget
Referencial -teorico_-_piaget
angelafreire
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
marcaocampos
 
Behavorismo
BehavorismoBehavorismo
Behavorismo
Patricia Fernandes
 
Epistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean PiagetEpistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean Piaget
Lucila Pesce
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Márcio Emílio
 

Semelhante a Teorias da aprendizagem (20)

Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalhoTeorias de aprendizagem trabalho
Teorias de aprendizagem trabalho
 
Teorias pedagógicas de ensino aprendizagem
Teorias pedagógicas de ensino aprendizagemTeorias pedagógicas de ensino aprendizagem
Teorias pedagógicas de ensino aprendizagem
 
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
 
Jean piaget 1
Jean piaget  1Jean piaget  1
Jean piaget 1
 
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveiraTeorias da aprendizagem   camila de abreu fontes de oliveira
Teorias da aprendizagem camila de abreu fontes de oliveira
 
CORRENTES TEORICAS.docx
CORRENTES TEORICAS.docxCORRENTES TEORICAS.docx
CORRENTES TEORICAS.docx
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
 
Behavorismo
BehavorismoBehavorismo
Behavorismo
 
Psicologia
Psicologia Psicologia
Psicologia
 
As teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamAs teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focam
 
As teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focamAs teorias comportamentalistas focam
As teorias comportamentalistas focam
 
Didática - Trabalho-1.pptx
Didática - Trabalho-1.pptxDidática - Trabalho-1.pptx
Didática - Trabalho-1.pptx
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
Referencial -teorico_-_piaget
Referencial  -teorico_-_piagetReferencial  -teorico_-_piaget
Referencial -teorico_-_piaget
 
Referencial -teorico_-_piaget
Referencial  -teorico_-_piagetReferencial  -teorico_-_piaget
Referencial -teorico_-_piaget
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
 
Behavorismo
BehavorismoBehavorismo
Behavorismo
 
Epistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean PiagetEpistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean Piaget
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 

Teorias da aprendizagem

  • 1. Teorias da Aprendizagem Ecléia Mota Baltazar Especialização em Docência no Ensino Superior – EAD – PUC/RS Disciplina: Teorias da aprendizagem: diferentes abordagens Professora: Dra. Elaine Turk Faria
  • 3. Teorias Comportamentalistas  Teoria baseada em estímulo – resposta;  Comportamento Humano previsível.
  • 4. Teorias Comportamentalistas Ivan Pavlov (1849 – 1936)  Fenômeno de reflexo condicionado, que podia ser adquirido por experiência;  Eliciar: provocar uma resposta automática;  Pareamento: associação ao estimulo;  Estímulo incondicionado: evento que elicia uma certa resposta reflexa;  Estímulo neutro: evento que não provoca nenhuma espécie de resposta reflexa;  Estímulo condicionado: repetição do estimulo neutro, provocando uma resposta automática, assim gerando um estímulo condicionado;  Pavlov, postulou que o reflexo condicionado teria um papel importante no comportamento humano e consequentemente na educação.
  • 5. Teorias Comportamentalistas John Watson (1878 – 1958)  Fundador do comportamentalismo, enfatizou sua preocupação com os aspectos observáveis do comportamento;  Focalizou seus estudos muito mais nos estímulos do que nas consequências e, assim, encarou a aprendizagem na forma do condicionamento clássico: o estímulo condicionado, depois de ser emparelhado um número suficiente de vezes com o estímulo incondicionado, passa a eliciar a mesma resposta e pode substituí-lo;  Nessa perspectiva, cabe o professor promover o maior número de vezes possível a associação de uma resposta (desejada) a um estímulo para que o aprendiz adquira conhecimento;
  • 6. Teorias Comportamentalistas Edward Thorndike (1874 – 1949)  Ao contrário de Watson, Thorndike foi um teórico do reforço, e sua principal contribuição ao comportamentalismo, provavelmente foi a Lei do Efeito. Esta lei traz consigo uma concepção de aprendizagem na qual uma conexão é fortalecida quando seguida de uma consequência satisfatória (é mais provável que a mesma resposta seja dada outra vez ao mesmo estímulo) e, inversamente, se a conexão é seguida de um “estado irritante” ela é enfraquecida (é provável que a resposta não seja repetida);  O professor, nesta concepção, deverá proporcionar ao aprendiz um reforço positivo (por exemplo um elogio), caso o aluno tenha dado uma resposta desejada, ou um reforço negativo (por exemplo, uma punição) quando o aprendiz apresenta uma resposta indesejável;
  • 7. Teorias Comportamentalistas Burrhus Frederic Skinner (1904 – 1990)  Skinner foi o teórico comportamentalista que mais influenciou o entendimento do processo ensino-aprendizagem e a prática escolar, No Brasil, a influência da pedagogia tecnicista remota à segunda metade dos anos 50, mas foi introduzida mais efetivamente no final dos anos 60 com o objetivo de inserir a escola nos modelos de racionalização do sistema de produção capitalista;  O objetivo do comportamentalismo Skinneriano é o estudo científico do comportamento: descobrir as leis naturais que regem as reações do organismo que aprende, a fim de aumentar o controle das variáveis que o afetam, segundo Skinner, o comportamento aprendido é uma resposta a estímulos externos, controlados por meio de reforços que ocorrem com a resposta ou após a mesma;
  • 8. Teorias Comportamentalistas Burrhus Frederic Skinner (1904 – 1990)  Os métodos de ensino consistem nos procedimentos e técnicas necessários ao arranjo e controle das condições ambientais que asseguram a transmissão/recepção de informações;  O professor deve, primeiramente, modelar respostas apropriadas, aos objetivos instrucionais e, acima de tudo, conseguir o comportamento adequado pelo controle do ensino (através da tecnologia educacional);  As etapas básicas de um processo de ensino-aprendizagem na perspectiva Skinneriana são:  Estabelecimentos de comportamentos terminais, através de objetivos instrucionais;  Análise da tarefa de aprendizagem, afim de ordenar sequencialmente os passos da instrução;  Executar o programa, reforçando gradualmente as respostas corretas correspondentes aos objetivos.
  • 10. Teorias Cognitivistas  A corrente cognitivista enfatiza o processo de cognição, através do qual a pessoa atribui significado à realidade em que se encontra;  Preocupa-se com o processo de compreensão, transformação, armazenamento e uso da informação envolvido na cognição e procura regularidades nesse processo mental.
  • 11. Teorias Cognitivistas David Ausubel (1918 – 2008)  O conceito da teoria de Ausubel é o aprendizado significativo, um processo através do qual uma nova informação se relaciona de maneira não arbitrária e substantiva a um aspecto relevante da estrutura cognitiva do indivíduo;  Segundo Ausubel, este tipo de aprendizagem é, por excelência, o mecanismo humano para adquirir e reter a vasta quantidade de informações de um corpo de conhecimentos;  Ausubel destaca o processo de aprendizagem significativa como o mais importante na aprendizagem escolar, o armazenamento de informações na mente humana como sendo altamente organizado, formando uma espécie de hierarquia conceitual na qual elementos mais específicos do conhecimento são ligados a conceitos, idéias, proposições mais gerais e inclusivos;  Em contraposição à aprendizagem significativa, Ausubel define aprendizagem mecânica na qual a nova informação é armazenada de maneira arbitrária e literal, não interagindo com aquela já existente na estrutura cognitiva e pouco ou nada contribuindo para sua elaboração e diferenciação;
  • 12. Teorias Cognitivistas David Ausubel (1918 – 2008)  Aprendizado onde há um processo que envolve interação da nova informação com a estrutura de conhecimento do aluno;  O professor é mediador, facilitador entre estímulo e resposta.
  • 14. Teorias Construtivistas Jean Piaget (1896 – 1980)  A teoria de Piaget não é propriamente uma teoria de aprendizagem mas uma teoria de desenvolvimento mental. Ele distingue quatro períodos gerais de desenvolvimento cognitivo: sensório-motor, pré-operacional, operacional-concreto e operacional formal;  Segundo Piaget, o crescimento cognitivo da criança se dá através de assimilação e acomodação. O indivíduo constrói esquemas de assimilação mentais para abordar a realidade;  Todo esquema de assimilação é construído e toda abordagem à realidade supõe um esquema de assimilação;  Quando a mente assimila, ela incorpora a realidade a seus esquemas de ação, impondo-se ao meio. Muitas vezes, os esquemas de ação da pessoa não conseguem assimilar determinada situação. Neste caso, a mente desiste ou se modifica;
  • 15. Teorias Sócio - Culturais
  • 16. Teorias Sócio - Culturais Lev Semenovitch Vygotsky (1896 – 1934)  O conceito central da teoria de Vygotsky é o de atividade, que é a unidade de construção da arquitetura funcional da consciência, um sistema de transformação do meio (externo e interno da consciência) com ajuda de instrumentos (orientados externamente, devem necessariamente levar a mudanças nos objetos) e signos (orientados internamente, dirigidos para o controle do próprio indivíduo. Uma atividade entendida como mediação onde o emprego de instrumentos e signos representa a unidade essencial de construção da consciência humana, entendida como contato social consigo mesmo e, por isso, constituído de uma estrutura semiótica (estrutura de signos) com origem na cultura;  A arquitetura funcional proposta por Vygotsky é muito diferente do modelo piagentiano. Trata-se de um modelo de arquitetura variável, na ontogênese, mas cuja forma está definida precisamente pela interação e pela cultura;
  • 17. Teorias Sócio - Culturais Lev Semenovitch Vygotsky (1896 – 1934)  Nesse modelo, a sociedade e a cultura não têm simplesmente um papel ativante de estrutura endógena da razão – como propõe Piaget – mas uma função efetivamente formante;  O conceito de zona de desenvolvimento proximal é talvez o conceito mais original e de maior repercussão, em termos educacionais, da teoria de Vygotsky. Trata-se de uma espécie de desnível intelectual avançando dentro do qual uma criança, com o auxilio direto ou indireto de um adulto, pode desempenhar tarefas que ela, sozinha não faria, por estarem acima do seu nível de desenvolvimento;  A implicação pedagógica mais relevante deste conceito reside na forma como é vista a relação entre o aprendizado e o desenvolvimento. Ao contrário de outras teorias pedagógicas, como a piagetiana, que sugere a necessidade de o ensino ajustar-se a estruturas mentais já estabelecidas, para Vygotsky, o aprendizado orientado para níveis de desenvolvimento que já foram atingidos é ineficaz do ponto de vista do desenvolvimento global da criança;
  • 18. Teorias Sócio - Culturais Lev Semenovitch Vygotsky (1896 – 1934)  Ele não se dirige para um novo estágio do processo de desenvolvimento, mas, ao invés disso, vai a reboque desse processo. Assim, a noção de desenvolvimento proximal capacita-nos a propor uma nova fórmula, a de que o “bom aprendizado” é somente aquele que se adianta ao desenvolvimento;  É destacado portanto, a importância da figura do professor como identificação/modelo e como elemento chave nas interações sociais do estudante. Os sistemas de signos, a linguagem, os diagramas que o professor utiliza têm um papel relevante na psicologia vygotskyana, pois a aprendizagem depende da riqueza do sistema de signos transmitido e como são utilizados os instrumentos. O objetivo geral da educação,na perspectiva vygotskyana, seria o desenvolvimento da consciência construída culturalmente.