SlideShare uma empresa Scribd logo
Propedêutica de abdome II
DISCIPLINA DE CLÍNICA
MÉDICA I
2015
Alambert, PA
Exame Físico de
Fígado,Vesícula Biliar e Baço
PROPEDEUTICA DE ABDOME II
Propedêutica Física do Fígado
• INSPEÇÃO
• PALPAÇÃO
• PERCUSSÃO
• AUSCULTA
INSPEÇÃO
• Abaulamento em toda a área de projeção hepática:
hepatomegalias
• Imobilidade respiratória nas grandes hepatomegalias
Hepatomegalia
Palpação
• 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu
• 2-Palpação hepática “bimanual” ou Processo de
Lemos Torres
• Objetivo:descrever as características do limite
inferior:borda fina? granulosa? “em saco de batatas?
Cortante?romba? dura? mole? dolorosa? indolor?
Processo de Mathieu
• As mãos paralelas,no abdome,dispostas com os
dedos “em garra”,pesquisando,desde a fossa ilíaca
direita,a borda inferior do fígado durante as
inspirações.
Processo de Mathieu
Processo de Mathieu
Processo de Lemos Torres
• A mão esquerda do examinador é utilizada na tração
anterior enquanto a direita palpa buscando a borda
hepática.
Processo de Lemos Torres
Percussão do Fígado
 1-Delimita o limite superior do fígado (5º EICD)
 2-A macicez absoluta marca o contato direto do fígado com
a parede torácica.
 3-Timpanismo 1:Sinal de Jobertperfuração gastro-
intestinal ou da vesícula biliar.
 4-Timpanismo 2:Inter-posição de uma porção do colo
transverso entre o fígado e o gradeado costal.
 5-Dor à percussão:hepatomegalias ou abscesso hepático
(Sinal de Torres-Homem)
Percussão do Fígado
Ausculta do Fígado
• AtritoInflamação fibrinosa da cápsula de Glisson e
do peritônio correspondente nos processos
inflamatórios ou neoplásicos do parênquima
hepático,ou fazendo parte da peritonite genealizada.
Propedêutica Física da VesículaPropedêutica Física da Vesícula
BiliarBiliar
• INSPEÇÃO
• PALPAÇÃO
INSPEÇÃO DA VESÍCULA
BILIAR
 Normalmente, a vesícula biliar não é visível à
inspeção da parede anterior do abdome.
 A vesícula em condições patológicas é raramente
visível, somente na distensão pronunciada em casos
de empiema,colecistite aguda.Aparece como tumor
móvel com os movimentos respiratórios,ocupando
a situação da sua projeção anatõmica.
Palpação da Vesícula Biliar
• 1-A vesícula normal é impalpável e somente se torna
palpável quando obstruída e distendida pela bile
• 2-Sinal de Murphy
• 3-Lei de Courvoisier-Terrier
Sinal de Murphy
Após expiração, o examinador aprofunda a mão ou o polegar na junção do
Rebordo costal com o reto abdominal e , na inspiração, observa-se se ocorrerá
a parada na inspiração.
Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier
 Ocorre quando em um paciente ictérico,ao
palparmos o hipocôndrio direito encontramos uma
massa ovalada ,que é a vesícula biliar distendida que
se torna palpável por efeito de massa de neoplasia
de vias biliares extra-hepáticas- tumores
periampulares (principalmente câncer de cabeça de
pancreas).
 Portanto,a presença de icterícia associada a vesícula
palpável constitui a regra de Courvoisier-Terrier.
Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier
Propedêutica Física do Baço
• INSPEÇÃO
• PALPAÇÃO
• PERCUSSÃO
• AUSCULTA
INSPEÇÃO DO BAÇO
• 1-Em condições normais não há abaulamento na área
esplênica
• 2-Nas esplenomegalias o abaulamento no
hipocondrio esquerdo pode extender-se para
epigástrio,flanco esquerdo,região umbilical e até a
fossa ilíaca esquerda.
INSPEÇÃO DO BAÇO
PALPAÇÃO DO BAÇO
• 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu-
Cardarelli
• 2-Processo bimanual
• 3-Posição de Schuster
ObjetivoVerificar se o baço é palpável,borda dura?
lisa?mole? Cortante ou romba?dolorosa?
Processo de Mathieu-Cardarelli
O examinador fica à esquerda do paciente;com as mãos “em garra”,, a cada
Inspiração,e a borda do baço será percebida pelas polpas digitais,quando o
Baço estiver aumentado de volume.
Processo bimanual
Posição de Schuster
Percussão do Baço
• O baço não é percutível
• Todo baço que se mostra percutível está aumentado
de volume, o que nem sempre se identifica pela
palpação.
• Portanto,nem todo baço percutível é palpável,porém
todo baço palpável é percutível
Percussão do Baço
AUSCULTA DO BAÇO
• Atrito nas peri-esplenites
Obrigado pela
Atenção!!!
Propedêutica física renal
• PALPAÇÃO RENAL: Normalmente não são
palpáveis, mas podem ser em condições patológicas
como a hidronefrose, rim policístico (geralmente
aumento bilateral) tumores.
Método de Guyon
 Com o paciente em decúbito dorsal, para se
examinar o rim direito põe-se a mão esquerda na
região dorsal tracionando para frente enquanto a
mão direita entra abaixo do rebordo costal durante a
inspiração ao encontro da mão esquerda, tentando
“pegar” o rim entre as duas mãos. Para o rim
esquerdo deve-se passar para o lado esquerdo e
realizar a mesma manobra.
Método de Guyon
Manobra de Israel
• Paciente em decúbito lateral e membros superiores
por a cabeça e rim tentando ser palpado
anteroposteriormente com as duas mãos em pinça
Manobra de Israel
Método de Goelet
• Com o paciente em ortostase, flete-se o joelho do
lado que deseja-lhe palpar, apoiando-se sobre uma
cadeira. A seguir, faz-se uma tração anterior com uma
das mãos enquanto a outra é usada na tentativa de
palpar o polo inferior do rim
Método de Goelet
Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal
 Pesquisado através da punho percussão (manobra
de percussão de Murphy) ou da percussão com a
borda ulnar da mão (manobra de
Giordano),realizada na junção do rebordo costal
com a musculatura paravertebral.Neste ponto, põe-
se uma mão espalmada e com a outra se percute em
cima, em um movimento único,firme,sem chicotear
(punho percussão) ou através da percussão direta da
borda ulnar da mão aberta neste ângulo
costovertebral.
Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal
PALPAÇÃO DA AORTAPALPAÇÃO DA AORTA
ABDOMINALABDOMINAL
A direção da pulsação
indica se ela é
oriunda diretamente
da aorta (acima) ou
se transmitida por
massa localizada
sobre os tecidos
(abaixo)
Terminou!!!Terminou!!!
Obrigado pela atençãoObrigado pela atenção

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Propedeutica abdominal
Propedeutica abdominalPropedeutica abdominal
Propedeutica abdominal
Paulo Rodrigo Pinto
 
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Paulo Alambert
 
Semiologia cardiaca
Semiologia cardiacaSemiologia cardiaca
Semiologia cardiaca
pauloalambert
 
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.AlambertPROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
pauloalambert
 
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
Davyson Sampaio
 
Exame físico do tórax
Exame físico do tórax Exame físico do tórax
Exame físico do tórax
Paulo Alambert
 
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG
 
Exame físico do abdome l
Exame físico do abdome lExame físico do abdome l
Exame físico do abdome l
pauloalambert
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascular
resenfe2013
 
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
Juan Zambon
 
Semiologia Cardiovascular
Semiologia CardiovascularSemiologia Cardiovascular
Semiologia Cardiovascular
Anderson Armstrong
 
Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)
Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)
Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)
Davyson Sampaio
 
Exame neurológico
Exame neurológicoExame neurológico
Exame neurológico
pauloalambert
 
Abdome agudo
Abdome agudoAbdome agudo
Abdome agudo
pauloalambert
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
resenfe2013
 
Fígado margarida
Fígado margaridaFígado margarida
Fígado margarida
Margarida Fernandes
 
Apendicite aguda
Apendicite agudaApendicite aguda
Apendicite aguda
Fernando de Oliveira Dutra
 
Exame físico abdome I
Exame físico abdome IExame físico abdome I
Exame físico abdome I
pauloalambert
 
Aparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físicoAparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físico
Alinny Cunha
 
Figado e Vias Biliares
Figado e Vias BiliaresFigado e Vias Biliares
Figado e Vias Biliares
Samuel Cevidanes
 

Mais procurados (20)

Propedeutica abdominal
Propedeutica abdominalPropedeutica abdominal
Propedeutica abdominal
 
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário Sintomas e exame físico do aparelho urinário
Sintomas e exame físico do aparelho urinário
 
Semiologia cardiaca
Semiologia cardiacaSemiologia cardiaca
Semiologia cardiaca
 
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.AlambertPROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
PROPEDÊUTICA DE ABDOME 2-Prof.Alambert
 
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
 
Exame físico do tórax
Exame físico do tórax Exame físico do tórax
Exame físico do tórax
 
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
Aula - "Vias de Acesso à Cavidade Abdominal: laparotomia e videolaparoscopia".
 
Exame físico do abdome l
Exame físico do abdome lExame físico do abdome l
Exame físico do abdome l
 
Avaliação Cardiovascular
Avaliação CardiovascularAvaliação Cardiovascular
Avaliação Cardiovascular
 
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma7. espaços anatômicos do abdome  rx do trauma
7. espaços anatômicos do abdome rx do trauma
 
Semiologia Cardiovascular
Semiologia CardiovascularSemiologia Cardiovascular
Semiologia Cardiovascular
 
Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)
Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)
Exame fsico do abdome (Davyson Sampaio Braga)
 
Exame neurológico
Exame neurológicoExame neurológico
Exame neurológico
 
Abdome agudo
Abdome agudoAbdome agudo
Abdome agudo
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Fígado margarida
Fígado margaridaFígado margarida
Fígado margarida
 
Apendicite aguda
Apendicite agudaApendicite aguda
Apendicite aguda
 
Exame físico abdome I
Exame físico abdome IExame físico abdome I
Exame físico abdome I
 
Aparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físicoAparelho geniturinário e exame físico
Aparelho geniturinário e exame físico
 
Figado e Vias Biliares
Figado e Vias BiliaresFigado e Vias Biliares
Figado e Vias Biliares
 

Semelhante a Abdome ll

Abdome II
Abdome IIAbdome II
Abdome II
pauloalambert
 
Abdome ii 2018
Abdome ii 2018Abdome ii 2018
Abdome ii 2018
pauloalambert
 
Hepatoesplenomegalia
HepatoesplenomegaliaHepatoesplenomegalia
Hepatoesplenomegalia
pauloalambert
 
Abdome l 2019
Abdome l 2019Abdome l 2019
Abdome l 2019
pauloalambert
 
Abdome l 2018
Abdome l 2018Abdome l 2018
Abdome l 2018
pauloalambert
 
Exame físico abdome i
Exame físico abdome iExame físico abdome i
Exame físico abdome i
pauloalambert
 
Hepatoesplenomegalia
Hepatoesplenomegalia Hepatoesplenomegalia
Hepatoesplenomegalia
pauloalambert
 
ABDOMEN PRATICA.pdf
ABDOMEN PRATICA.pdfABDOMEN PRATICA.pdf
ABDOMEN PRATICA.pdf
DouglasVincius11
 
simiologia do abdomem.pptx
simiologia do abdomem.pptxsimiologia do abdomem.pptx
simiologia do abdomem.pptx
NiraLumbo
 
Aula contrastado enema opaco
Aula contrastado enema opacoAula contrastado enema opaco
Aula contrastado enema opaco
lucianooliveira306
 
semio-abdominal.pdf
semio-abdominal.pdfsemio-abdominal.pdf
semio-abdominal.pdf
DamarisTavante
 
Semiologia 11 urologia - semiologia urológica pdf
Semiologia 11   urologia - semiologia urológica pdfSemiologia 11   urologia - semiologia urológica pdf
Semiologia 11 urologia - semiologia urológica pdf
Jucie Vasconcelos
 
Aula de enema opaco
Aula de enema opacoAula de enema opaco
Aula de enema opaco
Douglas Henrique
 
Slaid semiologia (2)
Slaid semiologia (2)Slaid semiologia (2)
Slaid semiologia (2)
Vanessacalim
 
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho DigestivoAula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Gastromed Garanhuns
 
Nauseas e vomitos
Nauseas e vomitosNauseas e vomitos
Nauseas e vomitos
Fernando de Oliveira Dutra
 
Semiologia do Abdomen.pptx
Semiologia do Abdomen.pptxSemiologia do Abdomen.pptx
Semiologia do Abdomen.pptx
lvaroCosta22
 
Exames contrastados
Exames contrastadosExames contrastados
Exames contrastados
Arlei Lima
 
08 abdome.pptx
08 abdome.pptx08 abdome.pptx
08 abdome.pptx
ssuser51d27c1
 
Exame físico abdominal.pdf
Exame físico abdominal.pdfExame físico abdominal.pdf
Exame físico abdominal.pdf
EdjailsonOliveira
 

Semelhante a Abdome ll (20)

Abdome II
Abdome IIAbdome II
Abdome II
 
Abdome ii 2018
Abdome ii 2018Abdome ii 2018
Abdome ii 2018
 
Hepatoesplenomegalia
HepatoesplenomegaliaHepatoesplenomegalia
Hepatoesplenomegalia
 
Abdome l 2019
Abdome l 2019Abdome l 2019
Abdome l 2019
 
Abdome l 2018
Abdome l 2018Abdome l 2018
Abdome l 2018
 
Exame físico abdome i
Exame físico abdome iExame físico abdome i
Exame físico abdome i
 
Hepatoesplenomegalia
Hepatoesplenomegalia Hepatoesplenomegalia
Hepatoesplenomegalia
 
ABDOMEN PRATICA.pdf
ABDOMEN PRATICA.pdfABDOMEN PRATICA.pdf
ABDOMEN PRATICA.pdf
 
simiologia do abdomem.pptx
simiologia do abdomem.pptxsimiologia do abdomem.pptx
simiologia do abdomem.pptx
 
Aula contrastado enema opaco
Aula contrastado enema opacoAula contrastado enema opaco
Aula contrastado enema opaco
 
semio-abdominal.pdf
semio-abdominal.pdfsemio-abdominal.pdf
semio-abdominal.pdf
 
Semiologia 11 urologia - semiologia urológica pdf
Semiologia 11   urologia - semiologia urológica pdfSemiologia 11   urologia - semiologia urológica pdf
Semiologia 11 urologia - semiologia urológica pdf
 
Aula de enema opaco
Aula de enema opacoAula de enema opaco
Aula de enema opaco
 
Slaid semiologia (2)
Slaid semiologia (2)Slaid semiologia (2)
Slaid semiologia (2)
 
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho DigestivoAula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
 
Nauseas e vomitos
Nauseas e vomitosNauseas e vomitos
Nauseas e vomitos
 
Semiologia do Abdomen.pptx
Semiologia do Abdomen.pptxSemiologia do Abdomen.pptx
Semiologia do Abdomen.pptx
 
Exames contrastados
Exames contrastadosExames contrastados
Exames contrastados
 
08 abdome.pptx
08 abdome.pptx08 abdome.pptx
08 abdome.pptx
 
Exame físico abdominal.pdf
Exame físico abdominal.pdfExame físico abdominal.pdf
Exame físico abdominal.pdf
 

Mais de pauloalambert

Dtp 16 21 sp
Dtp 16 21 spDtp 16 21 sp
Dtp 16 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 15 21 sp
Dtp 15 21 spDtp 15 21 sp
Dtp 15 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 14 21 sp
Dtp 14 21 spDtp 14 21 sp
Dtp 14 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 13 21 sp
Dtp 13 21 spDtp 13 21 sp
Dtp 13 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 12 21 sp
Dtp 12 21 spDtp 12 21 sp
Dtp 12 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 11 21 sp
Dtp 11 21 spDtp 11 21 sp
Dtp 11 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 10 21 sp
Dtp 10 21 spDtp 10 21 sp
Dtp 10 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 09 21 sp
Dtp 09 21 spDtp 09 21 sp
Dtp 09 21 sp
pauloalambert
 
DTP 08 21 SP
DTP 08 21 SPDTP 08 21 SP
DTP 08 21 SP
pauloalambert
 
DTP 07 21
DTP 07 21DTP 07 21
DTP 07 21
pauloalambert
 
DTP 06 21 SP
DTP 06 21 SPDTP 06 21 SP
DTP 06 21 SP
pauloalambert
 
DTP 05 21 sp
DTP 05 21 spDTP 05 21 sp
DTP 05 21 sp
pauloalambert
 
DTP 0421
DTP 0421DTP 0421
DTP 0421
pauloalambert
 
DTP0321 SP
DTP0321 SPDTP0321 SP
DTP0321 SP
pauloalambert
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
pauloalambert
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
pauloalambert
 
DTP 0121 SP
DTP 0121 SPDTP 0121 SP
DTP 0121 SP
pauloalambert
 
Folha Cornell
Folha CornellFolha Cornell
Folha Cornell
pauloalambert
 
Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20
pauloalambert
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
pauloalambert
 

Mais de pauloalambert (20)

Dtp 16 21 sp
Dtp 16 21 spDtp 16 21 sp
Dtp 16 21 sp
 
Dtp 15 21 sp
Dtp 15 21 spDtp 15 21 sp
Dtp 15 21 sp
 
Dtp 14 21 sp
Dtp 14 21 spDtp 14 21 sp
Dtp 14 21 sp
 
Dtp 13 21 sp
Dtp 13 21 spDtp 13 21 sp
Dtp 13 21 sp
 
Dtp 12 21 sp
Dtp 12 21 spDtp 12 21 sp
Dtp 12 21 sp
 
Dtp 11 21 sp
Dtp 11 21 spDtp 11 21 sp
Dtp 11 21 sp
 
Dtp 10 21 sp
Dtp 10 21 spDtp 10 21 sp
Dtp 10 21 sp
 
Dtp 09 21 sp
Dtp 09 21 spDtp 09 21 sp
Dtp 09 21 sp
 
DTP 08 21 SP
DTP 08 21 SPDTP 08 21 SP
DTP 08 21 SP
 
DTP 07 21
DTP 07 21DTP 07 21
DTP 07 21
 
DTP 06 21 SP
DTP 06 21 SPDTP 06 21 SP
DTP 06 21 SP
 
DTP 05 21 sp
DTP 05 21 spDTP 05 21 sp
DTP 05 21 sp
 
DTP 0421
DTP 0421DTP 0421
DTP 0421
 
DTP0321 SP
DTP0321 SPDTP0321 SP
DTP0321 SP
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
 
DTP 0121 SP
DTP 0121 SPDTP 0121 SP
DTP 0121 SP
 
Folha Cornell
Folha CornellFolha Cornell
Folha Cornell
 
Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
 

Abdome ll

  • 1. Propedêutica de abdome II DISCIPLINA DE CLÍNICA MÉDICA I 2015 Alambert, PA
  • 2. Exame Físico de Fígado,Vesícula Biliar e Baço PROPEDEUTICA DE ABDOME II
  • 3. Propedêutica Física do Fígado • INSPEÇÃO • PALPAÇÃO • PERCUSSÃO • AUSCULTA
  • 4. INSPEÇÃO • Abaulamento em toda a área de projeção hepática: hepatomegalias • Imobilidade respiratória nas grandes hepatomegalias
  • 6. Palpação • 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu • 2-Palpação hepática “bimanual” ou Processo de Lemos Torres • Objetivo:descrever as características do limite inferior:borda fina? granulosa? “em saco de batatas? Cortante?romba? dura? mole? dolorosa? indolor?
  • 7. Processo de Mathieu • As mãos paralelas,no abdome,dispostas com os dedos “em garra”,pesquisando,desde a fossa ilíaca direita,a borda inferior do fígado durante as inspirações.
  • 10. Processo de Lemos Torres • A mão esquerda do examinador é utilizada na tração anterior enquanto a direita palpa buscando a borda hepática.
  • 12. Percussão do Fígado  1-Delimita o limite superior do fígado (5º EICD)  2-A macicez absoluta marca o contato direto do fígado com a parede torácica.  3-Timpanismo 1:Sinal de Jobertperfuração gastro- intestinal ou da vesícula biliar.  4-Timpanismo 2:Inter-posição de uma porção do colo transverso entre o fígado e o gradeado costal.  5-Dor à percussão:hepatomegalias ou abscesso hepático (Sinal de Torres-Homem)
  • 14. Ausculta do Fígado • AtritoInflamação fibrinosa da cápsula de Glisson e do peritônio correspondente nos processos inflamatórios ou neoplásicos do parênquima hepático,ou fazendo parte da peritonite genealizada.
  • 15. Propedêutica Física da VesículaPropedêutica Física da Vesícula BiliarBiliar • INSPEÇÃO • PALPAÇÃO
  • 16. INSPEÇÃO DA VESÍCULA BILIAR  Normalmente, a vesícula biliar não é visível à inspeção da parede anterior do abdome.  A vesícula em condições patológicas é raramente visível, somente na distensão pronunciada em casos de empiema,colecistite aguda.Aparece como tumor móvel com os movimentos respiratórios,ocupando a situação da sua projeção anatõmica.
  • 17. Palpação da Vesícula Biliar • 1-A vesícula normal é impalpável e somente se torna palpável quando obstruída e distendida pela bile • 2-Sinal de Murphy • 3-Lei de Courvoisier-Terrier
  • 18. Sinal de Murphy Após expiração, o examinador aprofunda a mão ou o polegar na junção do Rebordo costal com o reto abdominal e , na inspiração, observa-se se ocorrerá a parada na inspiração.
  • 19. Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier  Ocorre quando em um paciente ictérico,ao palparmos o hipocôndrio direito encontramos uma massa ovalada ,que é a vesícula biliar distendida que se torna palpável por efeito de massa de neoplasia de vias biliares extra-hepáticas- tumores periampulares (principalmente câncer de cabeça de pancreas).  Portanto,a presença de icterícia associada a vesícula palpável constitui a regra de Courvoisier-Terrier.
  • 20. Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier
  • 21. Propedêutica Física do Baço • INSPEÇÃO • PALPAÇÃO • PERCUSSÃO • AUSCULTA
  • 22. INSPEÇÃO DO BAÇO • 1-Em condições normais não há abaulamento na área esplênica • 2-Nas esplenomegalias o abaulamento no hipocondrio esquerdo pode extender-se para epigástrio,flanco esquerdo,região umbilical e até a fossa ilíaca esquerda.
  • 24. PALPAÇÃO DO BAÇO • 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu- Cardarelli • 2-Processo bimanual • 3-Posição de Schuster ObjetivoVerificar se o baço é palpável,borda dura? lisa?mole? Cortante ou romba?dolorosa?
  • 25. Processo de Mathieu-Cardarelli O examinador fica à esquerda do paciente;com as mãos “em garra”,, a cada Inspiração,e a borda do baço será percebida pelas polpas digitais,quando o Baço estiver aumentado de volume.
  • 28. Percussão do Baço • O baço não é percutível • Todo baço que se mostra percutível está aumentado de volume, o que nem sempre se identifica pela palpação. • Portanto,nem todo baço percutível é palpável,porém todo baço palpável é percutível
  • 30. AUSCULTA DO BAÇO • Atrito nas peri-esplenites
  • 32. Propedêutica física renal • PALPAÇÃO RENAL: Normalmente não são palpáveis, mas podem ser em condições patológicas como a hidronefrose, rim policístico (geralmente aumento bilateral) tumores.
  • 33. Método de Guyon  Com o paciente em decúbito dorsal, para se examinar o rim direito põe-se a mão esquerda na região dorsal tracionando para frente enquanto a mão direita entra abaixo do rebordo costal durante a inspiração ao encontro da mão esquerda, tentando “pegar” o rim entre as duas mãos. Para o rim esquerdo deve-se passar para o lado esquerdo e realizar a mesma manobra.
  • 35. Manobra de Israel • Paciente em decúbito lateral e membros superiores por a cabeça e rim tentando ser palpado anteroposteriormente com as duas mãos em pinça
  • 37. Método de Goelet • Com o paciente em ortostase, flete-se o joelho do lado que deseja-lhe palpar, apoiando-se sobre uma cadeira. A seguir, faz-se uma tração anterior com uma das mãos enquanto a outra é usada na tentativa de palpar o polo inferior do rim
  • 39. Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal  Pesquisado através da punho percussão (manobra de percussão de Murphy) ou da percussão com a borda ulnar da mão (manobra de Giordano),realizada na junção do rebordo costal com a musculatura paravertebral.Neste ponto, põe- se uma mão espalmada e com a outra se percute em cima, em um movimento único,firme,sem chicotear (punho percussão) ou através da percussão direta da borda ulnar da mão aberta neste ângulo costovertebral.
  • 40. Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal
  • 41. PALPAÇÃO DA AORTAPALPAÇÃO DA AORTA ABDOMINALABDOMINAL A direção da pulsação indica se ela é oriunda diretamente da aorta (acima) ou se transmitida por massa localizada sobre os tecidos (abaixo)