SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTAGIAMENTO PUBERAL:
CRITÉRIOS DE TANNER
Início da puberdade: entre 8 a 13 anos,
com o aparecimento do broto mamário (telarca).
Início da puberdade: entre 9 a 14 anos,
com o aumento do volume dos testículos.
Atenção!
* Broto mamário unilateral → Observar a adolescente,
tranquilizá-la e reavaliar após 6 meses;
* Puberdade iniciada com o aparecimento de pelos pubianos e
não com o broto mamário → INVESTIGAR!
* Retardo puberal →Em meninas, ausência de qualquer
característica sexual secundária a partir dos 13 anos.
Projeto de Intervenção dos doutorandos em Medicina da UFRN: Délia Regis Paiva Diniz, Emanuel Augusto Alves,
Francisco Junior Cabral, Mirella Cristina Silveira Gomes, Mirella Katarina de Medeiros, sob orientação de Dra
Iluska Martins.
Atenção!
* O crescimento peniano começa, em geral, um ano após o
crescimento dos testículos.
* Início da puberdade antes dos 9 anos → Puberdade precoce??
→ INVESTIGAR
* Retardo puberal →Em meninos, ausência de qualquer
característica sexual secundária a partir dos 14 anos de idade.
GENITAIS (sexo masculino)
G1: pênis, testículos e escroto em
tamanho e proporções infantis.
G2: aumento maior que 04ml do
volume testicular, com pele escrotal
mudando de textura e assumindo
coloração avermelhada. Aumento
peniano mínimo ou ausente.
G3: crescimento peniano,
principalmente em comprimento.
Crescimento maior de testículos e
escroto.
G4: crescimento peniano, agora
principalmente em diâmetro, e
desenvolvimento da glande. Surge o
suco balonoprepucial. Testículos e
escroto continuam crescendo, com
pele escrotal se tornando mais
pigmentada.
G5: genitália adulta, com
desenvolvimento e crescimento
(tamanho e forma) completos.
MAMAS (sexo feminino):
M1: mama infantil, somente
papila elevada.
M2: broto mamário: aumento
da glândula mamária, com
elevação de aréola e papila,
formando leve saliência. A
aréola aumenta de diâmetro e
muda sua textura.
M3: aumento maior de mama
que ultrapassa a aréola, sem
separação de contornos.
M4: crescimento de mama e
aréola, sendo que esta última
forma uma segunda saliência
acima do contorno da mama
(duplo contorno).
M5: contorno areolar
novamente incorporado ao
contorno da mama. Mama de
aspecto adulto.
PELOS PUBIANOS:
P1: ausência de pelos. Pode haver
leve penugem semelhante à do
abdome.
P2: surgem pelos longos e finos,
levemente pigmentados, lisos ou
pouco encaracolados,
principalmente em base de pênis e
ao longo de grandes lábios.
P3: maior quantidade de pelos, que
são mais grossos, escuros e
encaracolados, que se espalham
difusamente por sínfise púbica
(formando um U invertido)
P4: pelos ‘do tipo adulto’ cobrindo
mais densamente a região púbica,
mas sem atingir face interna das
coxas (forma um triangulo)
P5: pilosidade do adulto em
quantidade e distribuição, atingindo
face interna de coxas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
Brenda Lahlou
 
Ultrassom do rim
Ultrassom do rimUltrassom do rim
Ultrassom do rim
Fernanda Hiebra Gonçalves
 
Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP
Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP
Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Tipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicosTipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicos
Arquivo-FClinico
 
Diagnóstico clínico
Diagnóstico clínicoDiagnóstico clínico
Diagnóstico clínico
Eduardo Santana Cordeiro
 
Exame Físico do RN
Exame Físico do RNExame Físico do RN
Exame Físico do RN
Herbert Souza
 
Parto vaginal assistido - Fórceps e Vácuo
Parto vaginal assistido - Fórceps e VácuoParto vaginal assistido - Fórceps e Vácuo
Parto vaginal assistido - Fórceps e Vácuo
Caroline Reis Gonçalves
 
Cópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tóraxCópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tórax
Jucie Vasconcelos
 
O que é PICO e Pico?
O que é PICO e Pico?O que é PICO e Pico?
O que é PICO e Pico?
Universidade de São Paulo
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Cardiotocografia
CardiotocografiaCardiotocografia
Cardiotocografia
Flavia Garcez
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 
Informe Técnico 03 Notificações de Receita B e B2
Informe Técnico 03  Notificações de Receita B e B2Informe Técnico 03  Notificações de Receita B e B2
Informe Técnico 03 Notificações de Receita B e B2
Farmacêutico Digital
 
Semiologia: Anamnese em Pediatria
Semiologia: Anamnese em PediatriaSemiologia: Anamnese em Pediatria
Semiologia: Anamnese em Pediatria
Laped Ufrn
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
blogped1
 
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Alexandre Naime Barbosa
 
Mecanismo do parto
Mecanismo do partoMecanismo do parto
Mecanismo do parto
Lucrécia De Matos Silva
 
Derrames Pleurais
Derrames PleuraisDerrames Pleurais
Derrames Pleurais
Flávia Salame
 
Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011
Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011
Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011
Alexandre Naime Barbosa
 

Mais procurados (20)

SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
SINAIS EM RADIOLOGIA TORÁCICA 2.0
 
Ultrassom do rim
Ultrassom do rimUltrassom do rim
Ultrassom do rim
 
Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP
Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP
Desenvolvimento infantil: Caderneta do Ministério da Saúde - SBP
 
Tipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicosTipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicos
 
Diagnóstico clínico
Diagnóstico clínicoDiagnóstico clínico
Diagnóstico clínico
 
Exame Físico do RN
Exame Físico do RNExame Físico do RN
Exame Físico do RN
 
Parto vaginal assistido - Fórceps e Vácuo
Parto vaginal assistido - Fórceps e VácuoParto vaginal assistido - Fórceps e Vácuo
Parto vaginal assistido - Fórceps e Vácuo
 
Cópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tóraxCópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tórax
 
O que é PICO e Pico?
O que é PICO e Pico?O que é PICO e Pico?
O que é PICO e Pico?
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
 
Cardiotocografia
CardiotocografiaCardiotocografia
Cardiotocografia
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Informe Técnico 03 Notificações de Receita B e B2
Informe Técnico 03  Notificações de Receita B e B2Informe Técnico 03  Notificações de Receita B e B2
Informe Técnico 03 Notificações de Receita B e B2
 
Evolução pós parto
Evolução pós partoEvolução pós parto
Evolução pós parto
 
Semiologia: Anamnese em Pediatria
Semiologia: Anamnese em PediatriaSemiologia: Anamnese em Pediatria
Semiologia: Anamnese em Pediatria
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
Pneumonias Conceito Classificações Fisiopatologia Manifestações Clínicas Diag...
 
Mecanismo do parto
Mecanismo do partoMecanismo do parto
Mecanismo do parto
 
Derrames Pleurais
Derrames PleuraisDerrames Pleurais
Derrames Pleurais
 
Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011
Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011
Profilaxia Raiva Ministerio Saude Brasil 2011
 

Destaque

Roteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de PuericulturaRoteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de Puericultura
blogped1
 
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica DiscenteInternato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
blogped1
 
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infânciaDiagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
blogped1
 
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de VidaABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
blogped1
 
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
blogped1
 
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - NascidoManual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
blogped1
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
blogped1
 
Modelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de HiperdiaModelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de Hiperdia
Iranildo Ribeiro
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
adrianavilla01
 
Puericultura y Pediatria
Puericultura y PediatriaPuericultura y Pediatria
Puericultura y Pediatria
Francisco Mujica
 
Puericultura- Roteiro Prático
Puericultura-  Roteiro PráticoPuericultura-  Roteiro Prático
Puericultura- Roteiro Prático
blogped1
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
Luis Fernando
 

Destaque (12)

Roteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de PuericulturaRoteiro de Consulta de Puericultura
Roteiro de Consulta de Puericultura
 
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica DiscenteInternato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
Internato em Pediatria I - 2015 - Sob a ótica Discente
 
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infânciaDiagnóstico diferencial de bócio na infância
Diagnóstico diferencial de bócio na infância
 
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de VidaABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
ABCDE do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) no Primeiro Ano de Vida
 
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
Internato em Pediatria I da UFRN - Relatório 2016
 
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - NascidoManual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
Manual de Alterações Fisiológicas do Recém - Nascido
 
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
PÚRPURA DE HENOCH- SCHONLEIN
 
Modelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de HiperdiaModelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de Hiperdia
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
 
Puericultura y Pediatria
Puericultura y PediatriaPuericultura y Pediatria
Puericultura y Pediatria
 
Puericultura- Roteiro Prático
Puericultura-  Roteiro PráticoPuericultura-  Roteiro Prático
Puericultura- Roteiro Prático
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
 

Semelhante a Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner

Adolescência
Adolescência Adolescência
Adolescência
Espaço Emrc
 
Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.
Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.
Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.
Hugo Silva
 
Sexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescenciaSexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescencia
Sergio Cintra
 
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_
Thamires Morais
 
Gravides de ciencias lara
Gravides de ciencias laraGravides de ciencias lara
Gravides de ciencias lara
Carla Gomes
 
Apres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens SexualidadeApres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens Sexualidade
Albano Novaes
 
Sexualidade para jovens
Sexualidade para jovensSexualidade para jovens
Sexualidade para jovens
DarkWolf
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
isabelalexandrapinto
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
Luis
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
guest9d8c5a
 
Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3
Pelo Siro
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Lord Phoenix
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Prof.Cristina
 
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Ana Beatriz Cargnin
 
Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor
ladyacp
 
Trabalho Grupo 1
Trabalho Grupo 1Trabalho Grupo 1
Trabalho Grupo 1
Pratica Matemática
 
Trabalho de c n ruben grupo 1
Trabalho de c n ruben  grupo 1Trabalho de c n ruben  grupo 1
Trabalho de c n ruben grupo 1
Pratica Matemática
 
Trabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinos
Trabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinosTrabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinos
Trabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinos
Pratica Matemática
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
5feugeniocastro
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
António Morais
 

Semelhante a Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner (20)

Adolescência
Adolescência Adolescência
Adolescência
 
Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.
Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.
Introdução a sexualidade e as mudanças na puberdade.
 
Sexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescenciaSexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescencia
 
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_
 
Gravides de ciencias lara
Gravides de ciencias laraGravides de ciencias lara
Gravides de ciencias lara
 
Apres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens SexualidadeApres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens Sexualidade
 
Sexualidade para jovens
Sexualidade para jovensSexualidade para jovens
Sexualidade para jovens
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
 
Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3Sexualidade 1232490160916248-3
Sexualidade 1232490160916248-3
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
 
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre SexualidadeEsclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
Esclarecendo Dúvidas Sobre Sexualidade
 
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
 
Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor
 
Trabalho Grupo 1
Trabalho Grupo 1Trabalho Grupo 1
Trabalho Grupo 1
 
Trabalho de c n ruben grupo 1
Trabalho de c n ruben  grupo 1Trabalho de c n ruben  grupo 1
Trabalho de c n ruben grupo 1
 
Trabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinos
Trabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinosTrabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinos
Trabalho Grupo 1 - Carateres sexuais femininos e masculinos
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 

Mais de blogped1

Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
blogped1
 
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
blogped1
 
Psoríase na infância
Psoríase na infânciaPsoríase na infância
Psoríase na infância
blogped1
 
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilitiesRevised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
blogped1
 
Sinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana AgudaSinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana Aguda
blogped1
 
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites MediaOtite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
blogped1
 
Paralisia Facial
Paralisia FacialParalisia Facial
Paralisia Facial
blogped1
 
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
blogped1
 
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranulomaGiant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
blogped1
 
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
blogped1
 
Hipoglicemia Neonatal
Hipoglicemia  Neonatal Hipoglicemia  Neonatal
Hipoglicemia Neonatal
blogped1
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
blogped1
 
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
blogped1
 
Icterícia neonatal
 Icterícia neonatal  Icterícia neonatal
Icterícia neonatal
blogped1
 
Picnodisostose
PicnodisostosePicnodisostose
Picnodisostose
blogped1
 
Management of Kawasaki disease
Management of  Kawasaki diseaseManagement of  Kawasaki disease
Management of Kawasaki disease
blogped1
 
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
blogped1
 
Puberdade Precoce
Puberdade PrecocePuberdade Precoce
Puberdade Precoce
blogped1
 
"Rx" do Internato em Pediatria I
"Rx" do Internato em Pediatria I"Rx" do Internato em Pediatria I
"Rx" do Internato em Pediatria I
blogped1
 
Cuidados com a pele da criança
Cuidados com a pele da criançaCuidados com a pele da criança
Cuidados com a pele da criança
blogped1
 

Mais de blogped1 (20)

Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
 
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
Dermatoses neonatais de importância clínica: notificação no prontuário do rec...
 
Psoríase na infância
Psoríase na infânciaPsoríase na infância
Psoríase na infância
 
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilitiesRevised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
Revised WHO classification and treatment of childhoold pneumonia at facilities
 
Sinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana AgudaSinusite Bacteriana Aguda
Sinusite Bacteriana Aguda
 
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites MediaOtite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
Otite Média Aguda (OMA) / Acutes Otites Media
 
Paralisia Facial
Paralisia FacialParalisia Facial
Paralisia Facial
 
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
Nota informativa 149 - Mudanças no Calendário Nacional de Vacinação - 2016
 
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranulomaGiant congenital juvenile xanthogranuloma
Giant congenital juvenile xanthogranuloma
 
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
Tonsillitis in children: unnecessary laboratpry studies and antibiotic use.
 
Hipoglicemia Neonatal
Hipoglicemia  Neonatal Hipoglicemia  Neonatal
Hipoglicemia Neonatal
 
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura ConceitualSíndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
Síndromes Neurocutâneas : Revisão e Leitura Conceitual
 
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
Malformações extra-cardíacas em pacientes com cardiopatias congênitas atendid...
 
Icterícia neonatal
 Icterícia neonatal  Icterícia neonatal
Icterícia neonatal
 
Picnodisostose
PicnodisostosePicnodisostose
Picnodisostose
 
Management of Kawasaki disease
Management of  Kawasaki diseaseManagement of  Kawasaki disease
Management of Kawasaki disease
 
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
What’s Hot in Pediatric Dermatology – Summer Academy Meeting –American Academ...
 
Puberdade Precoce
Puberdade PrecocePuberdade Precoce
Puberdade Precoce
 
"Rx" do Internato em Pediatria I
"Rx" do Internato em Pediatria I"Rx" do Internato em Pediatria I
"Rx" do Internato em Pediatria I
 
Cuidados com a pele da criança
Cuidados com a pele da criançaCuidados com a pele da criança
Cuidados com a pele da criança
 

Estadiamento Puberal : Critérios de Tanner

  • 1. ESTAGIAMENTO PUBERAL: CRITÉRIOS DE TANNER Início da puberdade: entre 8 a 13 anos, com o aparecimento do broto mamário (telarca). Início da puberdade: entre 9 a 14 anos, com o aumento do volume dos testículos. Atenção! * Broto mamário unilateral → Observar a adolescente, tranquilizá-la e reavaliar após 6 meses; * Puberdade iniciada com o aparecimento de pelos pubianos e não com o broto mamário → INVESTIGAR! * Retardo puberal →Em meninas, ausência de qualquer característica sexual secundária a partir dos 13 anos. Projeto de Intervenção dos doutorandos em Medicina da UFRN: Délia Regis Paiva Diniz, Emanuel Augusto Alves, Francisco Junior Cabral, Mirella Cristina Silveira Gomes, Mirella Katarina de Medeiros, sob orientação de Dra Iluska Martins. Atenção! * O crescimento peniano começa, em geral, um ano após o crescimento dos testículos. * Início da puberdade antes dos 9 anos → Puberdade precoce?? → INVESTIGAR * Retardo puberal →Em meninos, ausência de qualquer característica sexual secundária a partir dos 14 anos de idade. GENITAIS (sexo masculino) G1: pênis, testículos e escroto em tamanho e proporções infantis. G2: aumento maior que 04ml do volume testicular, com pele escrotal mudando de textura e assumindo coloração avermelhada. Aumento peniano mínimo ou ausente. G3: crescimento peniano, principalmente em comprimento. Crescimento maior de testículos e escroto. G4: crescimento peniano, agora principalmente em diâmetro, e desenvolvimento da glande. Surge o suco balonoprepucial. Testículos e escroto continuam crescendo, com pele escrotal se tornando mais pigmentada. G5: genitália adulta, com desenvolvimento e crescimento (tamanho e forma) completos. MAMAS (sexo feminino): M1: mama infantil, somente papila elevada. M2: broto mamário: aumento da glândula mamária, com elevação de aréola e papila, formando leve saliência. A aréola aumenta de diâmetro e muda sua textura. M3: aumento maior de mama que ultrapassa a aréola, sem separação de contornos. M4: crescimento de mama e aréola, sendo que esta última forma uma segunda saliência acima do contorno da mama (duplo contorno). M5: contorno areolar novamente incorporado ao contorno da mama. Mama de aspecto adulto. PELOS PUBIANOS: P1: ausência de pelos. Pode haver leve penugem semelhante à do abdome. P2: surgem pelos longos e finos, levemente pigmentados, lisos ou pouco encaracolados, principalmente em base de pênis e ao longo de grandes lábios. P3: maior quantidade de pelos, que são mais grossos, escuros e encaracolados, que se espalham difusamente por sínfise púbica (formando um U invertido) P4: pelos ‘do tipo adulto’ cobrindo mais densamente a região púbica, mas sem atingir face interna das coxas (forma um triangulo) P5: pilosidade do adulto em quantidade e distribuição, atingindo face interna de coxas.