SlideShare uma empresa Scribd logo
A EDUCAÇÃO COMO PROCESSO PARA EMANCIPAR OS CIDADÃOS


                                                                          Autoras:Carmen Prigol Cimi
                                                                                        Dejanira Nevis
                                                                                Gabryela Kuffel Zarth
                                                                                   Isaura Kuffel Zarth
                                                                                       Margani Zarth




RESUMO:

Falar sobre educação é discorrer sobre a única alternativa política e social para que este país
encontre a dimensão de sua grandeza e que o povo encontre a dignidade almejada. A tarefa de
todo educador é a de formar seres humanos felizes e equilibrados. A família é a base do
cidadão e tem o papel fundamental de formar o caráter, de educar para os desafios da vida.
Essa formação será complementada pela escola cuja responsabilidade é proporcionar um
ensino de qualidade que desenvolva as competências e habilidades do indivíduo. Cada vez
mais a educação vem sendo tratada como assunto prioritário de governos, organismos
internacionais e organizações da sociedade civil, por um numero crescente de países em todo
o mundo. E não é pra menos que haja essa preocupação, pois da educação depende a
qualidade de vida de toda a sociedade. Nesse sentido é que o estudo em questão se torna
interessante.

Palavras – chave: alternativa política, dignidade, educação.




1. INTRODUÇÃO

        A importância da educação para a formação da cidadania e para o desenvolvimento
nacional, vem ganhando crescente reconhecimento nas duas ultimas décadas no Brasil. Esse
reconhecimento        acompanha uma tendência mundial de defender a universalização da
educação básica como direito como direito humano fundamental, marcada pela Conferência
Mundial de Educação para Todos (JONTIEN, 1990).
        É preciso, no entanto, ressaltar a distância que há entre reconhecer a educação como
prioridade e praticar a educação como tal, é necessário que o educador exerça uma postura
crítica mas que contribua significativamente na tarefa de educar. Quando se fala em educador
não se refere apenas ao professor, mas a todos que fazem parte da vida do educando. A
educação ocorre em todos os ambientes.

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
A lei 9394, 20 de dezembro de 1996 – a LDB – tem enorme importância para a
concretização da educação. Vários artigos demonstram essa preocupação com a educação
mais abrangente que desenvolva a autonomia do aluno, o conceito do “aprender a aprender”,
referente a uma aprendizagem continuada. (Piaget)
        O ser humano vive em sociedade e não tem como evitar as influências das mais
variadas o que certamente interfere de forma positiva ou negativa na educação de todos.
Nesse sentido formar cidadãos autônomos, passa a ser uma das tarefas mais difíceis, porém
mais útil e compensatória uma vez que se pode ver o resultado do empenho e dedicação
quando o educador reconhece aquele cidadão que passou por suas mãos sendo um
empreendedor emancipado e feliz.
        Conforme Rubem Alves: “Não existe nada mais fatal para o pensamento que o ensino
das respostas certas. As escolas existem para ensinar as perguntas. As respostas permitem
andar sobre a terra firme. Mas somente as perguntas nos permitem entrar pelo mar
desconhecido”.       O objetivo maior é que as crianças adquiram o gosto pelo saber, que elas
procurem o conhecimento para desvendar os mistérios da vida. Que suas mentes estejam
sempre despertas e ativas para fazerem perguntas, questionarem e encontrarem as respostas
como fruto de suas observações, reflexões e análises.
        Nesse perspectiva a educação deve ser vista como o ponto de partida possibilitando
todas as formas de trabalho multidisciplinar relacionados com o contexto em que se insere o
aluno sabendo que existe uma (inter-relação) interação dos acontecimentos do mundo. O
educando necessita essa compreensão para que seu estudo tenha significado e em
conseqüência estimule o gosto pelo saber.
        “Na medida em que o homem integrado em seu contexto, reflete sobre este contexto e
se compromete, constrói a si mesmo e chega a ser sujeito”. É assim que Paulo Freire se
manifesta em seus estudos sobre a importância da linguagem, do ler e do escrever.
        Por meio da compreensão e da interpretação do que lê, vê, sente, observa o homem é
capaz de mudar a si mesmo, dar maior extensão a sua consciência, discernir e reconhecer que
não existe um mundo pronto acabado, mas que, ao seu redor está um outro mundo
continuamente criado e recriado por ele. É pela ação e na ação que o homem constrói a si
mesmo, através da comunicação, o dialogo, a verdadeira interação com os outros homens, o
ambiente, o espaço, os materiais, o escrito e o mundo ao seu redor. Isso possibilita ao homem
refletir sobre a realidade exercendo algum controle sobre o futuro de forma a direcionar com
qualidade a vida na medida das possibilidades oferecidas através do conhecimento.

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
É interessante pensar sobre todos os aspectos referentes a educação. O ato de educar
está exclusivamente relacionado ao ato de viver, pois sem educação a vida pode tornar-se
sem sentido, uma vez que a educação é parte integrante e fundamental do nosso cotidiano.
         Para Piaget o desenvolvimento do individuo está subordinado a hereditariedade e
adaptação biológicas. O autor buscou, em suas investigações, determinar o papel da interação
social sobre o desenvolvimento da inteligência do individuo. O que caracteriza o ser social é a
qualidade das trocas intelectuais que os indivíduos estabelecem entre si.
         O desenvolvimento é uma passagem contínua de um estado de equilíbrio menor para
um equilíbrio superior. É, portanto a evolução do ser.
         A busca do conhecimento ocorre a partir de necessidades decorrentes da vida social,
pois pressupõe a coordenação as operações de dois ou mais sujeitos, a discussão, a troca de
pontos de vista, o controle mutuo dos argumentos.
         A maioria das formas de comportamento é adquirida por transmissão exterior de
geração em geração, isto é, através da educação, e só se desenvolve em função de interações
sociais múltiplas e diferenciadas.
         A tarefa da educação consiste em formar o raciocínio. A educação é portanto,
condição formadora necessária ao próprio desenvolvimento natural.
         Afirmar o direito da pessoa humana a educação é assumir uma responsabilidade que
vai além do ensino da escrita, da leitura, do cálculo: significa garantir o pleno
desenvolvimento das funções mentais e a aquisição dos conhecimentos, bem como dos
valores morais que correspondem ao exercício dessas funções, até a adaptação da vida social
atual.
         Conforme o Artigo 1º da LDB – A educação abrange os processos formativos que se
desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino
e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações
culturais.
         O trabalho é um espaço de realização pessoal e profissional, porém o processo de
aprendizagem não para no mundo do trabalho, a atividade prática auxilia a aprendizagem
significativa. “Só se aprende a fazer fazendo”. Aprende-se trabalhando e na aprendizagem se
trabalha. A educação escolar não pode estar separada do mundo de trabalho e nem da prática
social. É preciso que o professor aborde temas atuais e significativos para que o aluno sinta
que a escola é um organismo vivo, oferecendo oportunidades de conhecimento para a
autonomia idealizada.

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
2. METODOLOGIA

        O assunto em questão foi fundamentado em alguns referenciais teóricos
complementados com idéias complementados com idéias pessoais, bem como em estudos
realizados no decorrer da formação acadêmica e também nas Leis de Diretrizes e Bases
Educacionais para uma melhor compreensão da temática educação como processo de
emancipar os cidadãos.
        Relacionou-se também os conhecimentos teóricos adquiridos no curso de pedagogia
comparando-os com a prática durante as observações e aplicações dos estágios curriculares.
        Após a busca de material bibliográfico, a seleção criteriosa, estudos, pesquisas,
diálogos formais e informais com colegas educadores, abordou-se o assunto com ênfase a
educação emancipatória, no sentido de que o caminho se faz ao caminhar. E é nessa
perspectiva que o educador deve buscar sua formação.




3. DESENVOLVIMENTO


        Conforme o minidicionário de língua portuguesa Aurélio Educação é o processo de
desenvolvimento da capacidade física, intelectual, e moral do ser humano. Assim sendo o ato
de educar deve ser considerado o mais importante de todos, pois desenvolvendo capacidades
físicas, intelectuais e morais no ser humano, outras capacidades virão em conseqüência dessas
e assim o ser torna-se capaz de agir com consciência desde que seja educado de forma
adequada segundo as normas que regem uma sociedade, com o intuito de promover o bem de
todos visando com isso uma melhor qualidade de vida.
        Muitas as preocupações a respeito da educação e centenas de milhares de pessoas já
redigiram sobre. Entretanto os problemas relacionados a educação surgem em nível cada vez
mais complexos e de difícil solução, pois pais e professores estão perdidos frente a tarefa de
educar, transformações estão ocorrendo cada vez mais depressa e não se consegue
acompanhar por mais que haja esforço, existe na maioria das vezes uma barreira que quando
pensa que chegou lá, novamente vem outros avanços (mudanças) o que proporciona um
desafio e ao mesmo tempo faz com que se considere o ser humano impotente.
        Vale lembrar que muitas experiências desenvolvidas e aplicadas nas escolas não
deram certo, é preciso encontrar o foco, trabalhar questões emocionais, sociais, preparar o
educando para que ele tenha capacidade de trabalhar em grupo, como líder ou colaborador,
*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
sabendo atuar na família e na comunidade. Refletir sobre o ser humano, esquecer um pouco
das máquinas tão utilizadas hoje, onde sobra pouco espaço para trabalhar valores que sempre
acompanharam o ser humano através da história, mas que com a correria do cotidiano estão se
perdendo e com isso dificultando o ato de educar. Os pais precisam tirar tempo para
acompanhar a vida escolar de seus filhos. A família é a instituição mais importante nessa
tarefa. As drogas, a violência, a agressividade estão presentes na sociedade e se existe a
falência da instituição familiar, o não acompanhamento dos pais, a carência afetiva somando-
se aos maus exemplos é muito provável que o ser humano se lance nesse mundo desconhecido
ou melhor nessa viagem quase sempre sem volta, que são as drogas acompanhadas da
violência, agressividade, furto, assassinatos, entre outros horrores que se vê diariamente nos
noticiários.
        Na família moderna, em muitos casos, falta o amor, peça fundamental para obter dos
seres vivos a preservação da vida. Ninguém vive sem amor. Conforme Rousseau: “O homem
nasce bom, a sociedade o corrompe”. Para ele o homem bom é aquele que se encontra no
estágio primitivo, que não foi “contaminado pela civilização”. Mas não se pode voltar ao
estágio primitivo, é preciso melhorar a sociedade e não permitir que o ser humano que nasce
livre acaba por encontrar-se em toda parte acorrentado.
        Existe uma busca desenfreada para ter os melhores objetos que os outros (carros, casa,
roupa, etc.). É a sociedade dos competitivos que faz com que o ser humano nunca se contente
com aquilo que possui, querendo sempre mais, não se importando a quem irá prejudicar, é
cada um para si. Como se a felicidade se compra e sendo o melhor em tudo, será feliz. Que
bobagem a felicidade existe nas coisas simples da vida, no saber que é possível buscar e ter
almejado sem prejudicar ninguém. Isso é ser educado.
        A preparação para a vida, a formação de pessoas, a construção do ser são
responsabilidades da família. É essa a célula mãe da sociedade, em que os conflitos
necessários não destroem um ambiente saudável. Nem a indiferença, nem o amor exagerado,
opressor; a grande conquista é o equilíbrio, a serenidade, o bom senso, o respeito entre todos.
A vida em grupo poderá ser de estrema riqueza para o crescimento e o amadurecimento de
cada um. A família é o porto seguro, é nela que encontraremos o ruma da vida.
        Diversidade hoje é uma palavra muito usada em situação escolar. Especialmente na
escola pública, existe alunos de diferentes credos religiosos, cor, raça, pluralidade cultural. A
tolerância e o respeito pelo diferente são fundamentais e vivenciadas a todo o momento, todos
somos diferentes, cada um com seu jeito de ser e suas especialidades, porém todos são
importantes e acima de tudo seres humanos que tem sentimentos e precisam respeitar e serem
*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
respeitados na mesma medida para não colocar em risco o caráter e a dignidade da pessoa,
uma vez que por mais arredio que aparenta ser um individuo, ele necessita de afeto e
compreensão para que possa viver com dignidade de cidadão.
        A educação enfrenta hoje, no Brasil, um momento difícil. Falar em qualidade na
educação passou a ser uma expressão vazia de sentido.
        Os obstáculos encontrados para a alfabetização do direito de todos a educação é o
abismo existente entre as palavras, o discurso, os fatos e as atitudes. Se um sistema
educacional pretende garantir esse direito, o primeiro passo deve ser sempre praticá-lo. É
preciso um compromisso social de torná-lo realidade, seu cumprimento se da no dia a dia, em
nossas maneiras de agir e de conquistar espaços democráticos, em que a vida pessoal e
coletiva se expressa plenamente na liberdade, na solidariedade e na participação cidadã.
                                          A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o
                                          bastante para assumir a responsabilidade por ele e, com tal gesto,
                                          salvá-lo da ruína que seria inevitável, não fosse a renovação dos
                                          pequenos e dos jovens.
                                          A educação é, também, onde decidimos se amamos nossas crianças o
                                          bastante para não expulsá-las do nosso mundo e abandoná-las a seus
                                          próprios recursos, tampouco arrancar de suas mãos a oportunidade de
                                          aprender em algo novo e imprevisto para nós, preparando-as, em vez
                                          disso, com antecedência para a tarefa de renovar um mundo comum.
                                          (HANNAH ARENDT)
                                              .
         As ações educacionais interagem com uma infinidade de situações que determinam e
movimentam-se na composição de uma dada realidade. Existe no momento um mundo
completamente diferente daquele que conhecemos na nossa infância, onde a boa educação se
fazia mais presente. O tempo dedicado a essa tarefa também era maior e sem tantas
interferências que existem hoje e que deixa pais e ao mesmo tempo professores perdidos,
tentando achar uma saída para melhorar a função de educadores para dar conta de interpretar e
compreender os motivos da falta de educação de algumas pessoas para poder interferir de
maneira positiva, influenciando e melhorando a qualidade de vida. Amar a vida é acima de
tudo uma conseqüência de uma educação de qualidade. Só se ama aquilo que se conhece e
dedicando afeto também podemos melhorar a educação.
         A educação especial traz a realidade da inclusão escolar que inclui o aluno com
necessidades educacionais especiais em escolas comuns. A experiência da diferença precisa
ser vivida nas escolas, para que se exercite o equilíbrio entre os processos educativos e se
possa vencer os desafios da escola inclusiva de fato que respeitem todas as diferenças
existentes. Sendo essas uma forma de enriquecimento do conhecimento e respeito a dignidade
do ser humano em todas as suas especificidades, contribuindo na vida de todo cidadão.

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
Quando existe o respeito e o reconhecimento de que todos tem sua potencialidade basta que se
proporcione as competências necessárias para exercer a cidadania.
         As propostas educacionais inclusivas exigem uma atenção constante dos professores
para que não seja ferido o direito humano e indisponível de todos os alunos ao ensino escolar
comum. Um direito que envolve uma reorganização pedagógica nas escolas. Esse é um
desafio a todos os educadores. Buscar conhecimento necessário para dar atendimento de
qualidade a esses educandos, de forma a possibilitar o acesso e a permanência dos portadores
de deficiência nas escolas comuns.
         Uma ação que deve marcar as políticas públicas de educação é a formação dos
profissionais de educação para trabalhar com o atendimento do aluno com necessidades
educacionais especiais no sistema regular de ensino. Conforme a LDB/96. Nessa perspectiva
a formação continuada do professor também deve ser um compromisso dos sistemas de
ensino comprometidos com a qualidade do ensino.
                                          A inclusão é uma inovação que implica um esforço de modernização e
                                          de reestruturação das condições atuais da maioria de nossas escolas,
                                          ao assumirem que as (diferenças) dificuldades dos alunos não são
                                          apenas deles, mas resultam, em grande parte, do mundo como o
                                          ensino é ministrado e de como a aprendizagem é concebida e
                                          avaliada. (MONTOAN, 2003, pg 57).

        O objetivo da escola não é levar todos os alunos a um nível de desenvolvimento
padrão. Os alunos não podem sofrer as conseqüências da reprovação. Por mais que se tenha
sido imposta a idéia de homogeneização das turmas, o que as move é a heterogeneidade, a
multiplicidade e a complexidade. Considerar as diferenças intelectuais é trabalhar a favor da
emancipação dos alunos. É preciso que se organize o currículo levando em consideração a
criação, a multidimencionalidade da condição humana, considerando o saber local e o
desempenho de cada um dentro de suas limitações.
                                          Temos o direito a sermos iguais quando a diferença nos inferioriza,
                                          temos o direito a sermos diferentes quando a igualdade nos
                                          descaracteriza. (SANTOS, 1995).

        Ver na inclusão uma inovação na educação e buscar caminhar para tornar possível o
acesso e permanência de alunos inclusos, é sentir que a possibilidade de contribuir com todos
de maneira significativa faz a diferença em todos os sentidos, inclusive o de superar as
práticas pedagógicas que discriminam, segregam e excluem por práticas educativas de
transformação social, solidariedade e cidadania. É preciso ter competência para responder
com qualidade as necessidades educacionais especiais.



*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
O ato de educar não pode ser visto apenas como depositar informações nem transmitir
conhecimento. Esse ato só se concretiza com carinho e amor. O respeito a história de cada
um, a troca de experiências, a motivação entre querer ensinar e se permitir                         aprender.
Complicado se torna o educador que já não acredita na capacidade de educar, que não
considera as diferenças de cada um. Aquele que não acredita na sua intervenção para a a
melhoria da humanidade, é dominado pelo pessimismo. É valido ressaltar que todos tem a
capacidade de educar com qualidade, basta querer e buscar sempre o melhor caminho e não
esmorecer nunca diante dos fracassos. Lembrando cada vez que se erra e se reconhece ou
retoma a caminhada, se conhece melhor a jornada e há como evitar alguns obstáculos,
tornando-a mais pratica e aumentando a possibilidade de acertos.
        Dizia o escritor francês Vitor Hugo (1802 -1885) que “Deus abençoa não aquele que
acha, mas aquele que procura”. E procurar significa ter boas intenções. Procurar sempre a
melhor forma de conduzir a educação. Não esquecendo de muitos pensadores que buscaram
entender as razões de acontecimentos, fatos e comportamento de seres vivos, bem como de
muito mais e até mesmo a própria existência. Esses não desistiram nunca, e suas idéias e
exemplos continuam fortalecendo nossa própria existência e também motivando a todos que
tem interesse a buscar o conhecimento para poder somar as suas idéias e contribuir com
competência no mundo em que vive.
                                          Garra, paixão, entusiasmo. Eis as marcas da juventude. Fazer bem
                                          feito e sem medo. Colocar toda a força a serviço de grandes e
                                          pequenas causas. Construir um mundo mais solidário, mais fraterno.
                                          A garra que se espera do atleta ou do sambista, ou do músico, espera-
                                          se também do estudante, aquele que lê, que escreve, que produz. A
                                          beleza está em viver intensamente cada momento como se fosse
                                          único. (CHALITA, Educação a solução está no afeto, pag. 38 e 39).

        Atualmente as preocupações com as questões ambientais, vem sendo pauta de vários
estudos, eventos e assuntos diários nas classes escolares. O mundo está vivendo um momento
muito especial no que diz respeito ao meio ambiente. As atenções estão voltadas para os
transgênicos, o desmatamento, os incêndios florestais, a biodiversidade, relacionadas aos
acontecimentos climáticos trágicos que vem acontecendo.
        Constatando-se que o meio ambiente se modifica para melhor ou para pior,
dependendo do tipo de intervenção que o homem realiza sobre ele, a educação ambiental deve
ser vista como estratégia a fim de garantir ações eficazes na relação homem/natureza. Essa
educação vai alem dos limites da escola formal. Ela deve sensibilizar a todos sem restrições
havendo parcerias entre escola e comunidade. Proporcionar aos educandos experiências com a
natureza, para que possam relacionar os acontecimentos ruins com a utilização inadequada

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
que o homem faz do uso dos recursos naturais. Isso só é possível quando desenvolve-se
sentimento de amor e preocupação com a vida na terra.
        Como dizia a escritora norte-americana Hellen Keller, deficiente física e auditiva
desde os 19 meses de idade:
                                         “Sendo cega permito-me dar um conselho aqueles que podem ver.
                                         Procurem olhar para todas as coisas como se fossem ficar cegos
                                         amanhã. O mesmo para os cinco sentidos. Ouçam a melodia das vozes,
                                         o canto dos pássaros, os sons poderosos de uma orquestra, como se
                                         fossem ficar surdos. Apalpem os objetos, como se o sentido do tato
                                         lhes fosse faltar. Respirem o perfume das flores, e apreciem o sabor
                                         dos alimentos, como se amanhã fosse perder para sempre o paladar e o
                                         olfato”.

        Essa citação é forma de refletir sobre a necessidade da valorização das “pequenas”,
porém fundamentais coisas existentes e que não se da conta do quanto existe o desperdício e a
valorização de ter em detrimento do ser.isso esta cada vez mais deteriorando o meio ambiente
e em conseqüência toda geração sofre. Nesse sentido o conhecimento e a educação se fazem
primordial para uma convivência harmoniosa entre home/natureza e homens entre si, devido a
preocupação com o ter que torna o individuo submisso e ganancioso esquecendo na maioria
das vezes de valorizar as pequenas coisas da vida que se fazem grandes diante da utilidade
que tem e que não é reconhecida.
        A educação vem no sentido de formar cidadãos emancipados, críticos e capazes de
intervir para uma melhor qualidade de vida. Nessa perspectiva somam-se os valores e o
conhecimento como bases estratégicas que conduzem o caminho direcionando para a solução
de muitos problemas ao mesmo tempo prevenindo problemas futuros que poderão acontecer se
não houver a sensibilização começada na base ou no berço como queira que seja. É dessa base
que depende toda a existência humana. O futuro da humanidade esta em jogo e é preciso que
se jogue com competência e consciência para que todos saiam ganhando. Esse todo se refere a
nós e exclusivamente ao meio ambiente do qual fazemos parte.
                                         “Os problemas pelos quais passam os sistemas de ensino no país são
                                         grandes, mas há muitas possibilidades de se quebrarem paradigmas e
                                         de se construir um outro conceito de educação, de forma a assegurar,
                                         por meio de ações simples, resultados concretos e positivos. São
                                         pequenos gestos que provocam as mudanças, e a intervenção de cada
                                         um de nós, mesmo que numa tímida esfera de atuação, produz
                                         resultados alentadores”. (CHALITA, 2008)

        No decorrer da formação pedagógica o acadêmico vivenciou várias experiências
práticas no momento da aplicação das teorias estudadas através dos estágios curriculares.
Comparou a teoria com a prática e teve a oportunidade de ampliar o conhecimento
relacionando-o com as observações e a aplicabilidade, vivenciou a profissão escolhida,

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
analisando os pontos positivos e negativos, buscando estratégias para melhorar sempre. Como
disse Chalita: “ações simples podem fazer a diferença”.
        O estágio curricular tem o objetivo de assegurar aos futuros profissionais da educação
a aquisição de experiências em ambientes escolares que ampliem e fortaleçam atitudes éticas,
conhecimentos e competências em várias modalidades que vai desde a educação infantil,
ensino fundamental, EJA, até a participação em planejamentos, avaliações e reuniões de
cunho pedagógico. Para que assim possa refletir sua atuação quando estiver executando a
profissão. Lembrando que é preciso que se faça a diferença, e todos podem dar sua parcela de
contribuição, para um mundo mais justo e digno que é de merecimento daquele que se
empenha na realização profissional, pessoal e visando que o fazer pedagógico é um trabalho
carregado de sentido em termos gerais e principalmente educacional.
        Os atos implicam em ação prática e teórica. Nesse sentido que o educador deve sempre
refletir suas ações, pois para muitos educandos ele é visto como modelo. Então é necessário
que o pedagogo proporcione bons exemplos através de sua prática diária. Levar a sério a
liberdade de planejar e a responsabilidade de agir buscando a coerência entre o plano
pedagógico e a prática das vivências. A educação oferece elementos de libertação assimilados
com o passar dos anos. O autor da ULBRA, OTÁVIO JOSÉ WEBER comenta no livro
( Ética, educação e trabalho pag. 71).
                                        O bem e o mal precisam ser pensados e analisados. Fazem parte da
                                        vida. Na educação é importante que os professores tenham um
                                        entendimento do bem e do mal, não como algo negativo, mas como
                                        uma potencialidade da aprendizagem. A educação é um momento e
                                        ético para desenvolver a potencialidade do bem, do certo e da verdade.
                                        Elabore um agir com sabedoria. O bem se expressa na verdade.

        Aprender a conviver com as pessoas, a educação e a ética devem estar presentes em
todos os momentos e ambientes da vida, o professor também é um produto da educação que
recebeu de outros. Através das falhas que vivenciou de seus educadores, ele também pode
aprender com a experiência e procurar não repetir as mesmas falhas do passado na geração
presente, lembrando que o amor é essencial no ato de educar. Como diz Paulo Freire:
                                          Mas é preciso, que, permanecendo e amorosamente cumprindo o seu
                                          dever, não deixe de lutar politicamente, por seus direitos e pelo
                                          respeito a dignidade de sua tarefa, assim como pelo zelo devido ao
                                          espaço pedagógico em que atua com seus alunos. (FREIRE,
                                          Pedagogia da autonomia, pag. 142)

         Cidadão emancipado é aquele que através da educação que possui, compreende e
pratica seus deveres e conhecendo seus direitos sabe lutar por eles de forma consciente.
Através de argumentos consistentes não se deixa dominar por idéias submissas que tornam o

*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
ser passivo. Torna-se crítico construtivo, capaz de transformar situações de injustiça que
ocorrem na humanidade em soluções que contribuem para uma melhor qualidade de vida,
abominando todo o tipo de exploração do ser humano.
          A educação acontece quando é possível transmitir ensinamentos e valores, englobando
os processos de ensinar e aprender. O essencial é a perspectiva, o modo e a relação do que faz
com a forma de prosseguir com critério na nobre arte de educar, não esquecer que a moral e a
ética devem estar presentes em todas as situações e especialmente nas relações interpessoais
vivenciadas em todos os ambientes.
          A prioridade da política educacional deve ser a melhoria na qualidade de ensino, pois
a educação é o fator maia importante para avançar no crescimento econômico. E a melhoria
nessa qualidade deve vir acompanhada de valorização do profissional da educação redução do
numero de alunos em sala de aula, boa preparação profissional, melhorar a infra-estrutura
escolar, essas entre outras variáveis se observa a necessidade no cotidiano das instituições de
ensino.
           É difícil a tarefa do professor de formar seres autônomos e críticos capazes de lutar
pelos seus direitos, quando de fato o próprio educador não está sabendo exigir seus direitos, e
percebe outros profissionais que ele contribuiu na formação ganhando até dez vezes mais que
o educador. É necessário que haja coerência entre a teoria e a prática para acontecer a
verdadeira evolução educacional.
          É preciso também criar ambientes favoráveis ás manifestações diante das
necessidades de buscar uma melhor qualidade no que se refere às práticas educativas,
oportunizando (a todos) os educandos o desenvolvimento de habilidades e competências
fundamentais no processo de transformação da realidade. Formar seres críticos,
argumentativos, enfim cidadãos competentes e criativos em prol de um mundo melhor.
          O ensino superior oferece oportunidades para os profissionais estudarem, refletirem
comparando a teoria com a prática. Através dos estudos o educador passa a ser mais crítico e
argumentativo em busca de soluções para situações que ele considera de injustiça. Portanto o
conhecimento ainda é o melhor caminho para encontrar a educação através dela adquirir
estratégias para melhorias em todos os sentidos, seja na vida particular, profissional, nos
momentos de lazer, na saúde, entre outros, sendo que todos estão relacionados, e obtêm-se
bom resultado de um em conseqüência do outro e assim sucessivamente.
          Para inovar a educação é necessário também que o educador saiba fazer uso das
tecnologias que estão a seu dispor. Uma vez que as informações e transformações acontecem
de forma tão rápida, dificultando o processo de acompanhamento. Por isso tem que haver
*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
mais tempo disponível para o professor se preparar para a utilização desses meios de
comunicação. Esse tempo disponível citado, deve também ser remunerado para que realmente
o professor se dedique a essa aprendizagem e possa repassar o que aprendeu.
         No livro Tecnologias da informação e da comunicação na educação traz essa
abordagem:
                                          “O professor deve estar atualizado e, conscientemente, optar por quais
                                          tecnologias utilizar nos projetos educativos, compreendendo o
                                          conhecimento cada vez mais como um processo continuo de
                                          colaboração construtiva, do qual ele é orientador. Com alunos
                                          motivados e ativos, os resultados da aprendizagem tendem a ser mais
                                          duradouros”. (ULBRA pag. 35)
             O ser humano alcança dignidade quando consegue através de seu conhecimento
aplicado melhorar a qualidade de vida, executando seus deveres e exigindo os direitos que é
do seu merecimento.


         Os parâmetros curriculares nacionais tem tido grande repercussão nas idéias e nas
práticas dos professores pelo país a fora, criando espaços de reflexão sobre as próprias
praticas. Mas as mudanças são lentas quando assumidas pelos educadores e pelas instituições
como um todo.


         Paulo Freire diz:
                                         È preciso uma metodologia que tenha dialogo com sua essência, e que
                                         peça ao educador uma postura crítica de problematização constante,
                                         de distanciamento, de estar na ação; uma metodologia de trabalho que
                                         aponte na direção da participação, na discussão do coletivo e que, por
                                         isso exija uma certa disponibilidade de cada individuo. (S. Paulo,
                                         SME. Tema Gerador e a construção do Programa, 1991: 8)

         Muitas ferramentas hoje estão disponíveis para mudar o modo como se trabalha e
consequentemente como se vive, pois é preciso gostar daquilo que se faz e fazer com amor.
Porém como já foi citado é preciso tempo e persistência para se preparar na tarefa de utilizar
com competência esses meios. Essa competência é adquirida através do erro e do acerto e do
equilíbrio entre conhecimento, educação e dignidade, os quais devem andar juntos, quando se
trata de alternativas políticas sociais e educacionais.
         A qualidade do processo educativo é conquistada por vários meios e propostas com
inúmeros exemplos dependendo das condições físicas, psicológicas, ambientais e sociais em
que se insere o sujeito.
         O processo educativo é parte principal na emancipação do cidadão. Através da sua
qualidade proporciona ao individuo a possibilidade de se libertar das dominações que o torna
escravo. Como defendia Paulo Freire: “A instrumentalização da educação para resolver a
*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
problemática da libertação das pessoas concretamente em suas vidas desumanizadas pela
opressão, e dominação social”.
         Na busca pela emancipação é preciso desenvolver o potencial criativo, pensar idéias
consistentes, propor soluções inovadoras, enfim conquistar seu lugar no mundo para poder
transformá-lo.
         As leis da educação estão voltadas para a transformação social. O próprio Projeto
político Pedagógico da escola tem essa proposta, bem como o currículo é de acordo com as
práticas inovadoras, deixando inclusive espaço para que o professor através de sua autonomia
elabore a prática de acordo com sua concepção. Lembrando ainda a filosofia da escola que é
formar cidadãos críticos, conscientes capazes de intervir na sociedade visando transformação.
         A proposta metodológica do projeto de trabalho aborda exatamente a questão de
possibilitar ao educando ser crítico e construtivo que saiba buscar seus conhecimentos como
forma de poder intervir nas transformações sociais.
         As políticas públicas demonstram a preocupação com a temática. Os cursos superiores
para a formação de profissionais da educação oferecem oportunidades de conhecimento para
que através desse, o educador cumpra seus deveres e saiba lutar pelos seus direitos. Porém é
necessário muito empenho, dedicação e responsabilidade no ato de conhecer, sendo assim a
formação fará com que seja competente o suficiente para adaptar a teoria na prática.
Lembrando que deve sempre estar aprendendo, pois nunca se sabe tudo a ponto de se
acomodar. As mudanças estão sempre ocorrendo e quem não se atualizar perde o foco e
consequentemente torna seu trabalho sem significado.
         O trabalho através de projeto faz com que o professor seja um orientador da
aprendizagem, ao mesmo tempo em que também amplia o nível do seu conhecimento. Ao
aluno, compete ir em busca e participar de todas as etapas do processo, desde o planejamento
até a avaliação, permitindo ao aluno demonstrar suas potencialidades. Esse método instiga e
motiva, tanto o educador quanto o educando ambos se envolvem ativamente na elaboração e
demonstração dos resultados. É nesse sentido que acredita-se na educação como forma de
emancipar cidadãos, esse talvez seja o caminho que lentamente vai tornando o sonho possível
de ser concretizado.



4. CONCLUSÃO

        Realizar esse trabalho foi difícil, mas de extremo significado, pois relatar sobre esse
tema tão complexo e ao mesmo tempo útil e necessário, presente na vida de todos.
*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
Assunto este prioritário de governos, organismos internacionais e organizações da
sociedade, por ser a educação a única alternativa política e social que possibilita ao país
encontrar o sentido de sua grandeza, proporcionando ao povo trabalhador a dignidade
merecida.
        O estudo dos referenciais teóricos para a realização deste trabalho, aprofundou em
muito o conhecimento, bem como mudou a idéia que persistia sobre educação, visto que ela
faz parte de toda a humanidade e não é adquirida apenas nos bancos escolares como a maioria
pensa. É nesse sentido que se vê a importância do ato de educar na base, onde está a família
que contribuiu no desenvolvimento de comportamentos da criança.
        Portanto a educação é tida como ponto de partida e como muita a trilhada em direção a
um mundo mais justo e fraterno. Através da educação se encontra o verdadeiro sentido de
estar neste mundo. Preservar o meio ambiente também é condição necessária quando existe
preocupação com as futuras gerações as quais dependem muito da nossa educação ambiental
sendo que os atos inadequados que contribuem para a degradação ambiental,
consequentemente quem vai sentir em maior profundidade serão as gerações futuras.
        O referido artigo abordou a responsabilidade que educadores (pais, professores, etc)
tem frente ao seu papel no sentido de proporcionar aqueles que fazem parte do cotidiano, uma
educação de qualidade, como forma de emancipação do cidadão, tornando-o capaz de
interagir com autonomia e responsabilidade visando o bem de toda a sociedade e por que não
o país ou o mundo, depende da dimensão de sua capacidade. No sentido de que todos tem
potencialidades, basta que a educação lhes mostre o caminho.



5. REFERÊNCIAS

ALVES, Rubem. Navegando. Campinas: Papirus, 2000.


CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. São Paulo – Editora Gente, 2002.


FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia – Saberes necessários à prática Educativa – Editora
Paz e Terra – Coleção leitura.


HERNANDEZ, Fernando. Transgressão e mudanças na Educação. Porto Alegre: Artes
Médicas, 1998.



*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
MONTOAN, Maria Tereza Eglér e Prieto, Rosangela Gavioli. Inclusão escolar – Summus
editorial – FNDE – MEC.


MACHADO, Rosangela. Educação Especial na Escola Inclusiva. Políticas, Paradigmas e
Práticas. Editora Cortez.




*Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da
Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Ivanderson da Silva
 
Slide pedagogia nova
Slide pedagogia novaSlide pedagogia nova
Slide pedagogia nova
Kátia Lorrany
 
Teorias de Ensino
Teorias de EnsinoTeorias de Ensino
Teorias de Ensino
Adriana Clementino
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
Greicy Kely
 
Quatro pilares
Quatro pilaresQuatro pilares
Quatro pilares
Andréa Forgiarni Cechin
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
junioragogo
 
Aprendizagem ao longo da vida
Aprendizagem ao longo da vidaAprendizagem ao longo da vida
Aprendizagem ao longo da vida
Ana Taveira
 
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
Poliana Tavares
 
Palestra:O Professor Educador
Palestra:O Professor EducadorPalestra:O Professor Educador
Palestra:O Professor Educador
Julio Machado
 
Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?
Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?
Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?
Ranlig
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
Fernanda Câmara
 
Planejamento Escolar
Planejamento EscolarPlanejamento Escolar
Planejamento Escolar
folilim
 
Metodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e InovadorasMetodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e Inovadoras
Universidade Federal de Pernambuco
 
Avaliação na educação
Avaliação na educaçãoAvaliação na educação
Avaliação na educação
Labted UEL
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
Thales Rocha
 
9 evolucionismo
9  evolucionismo9  evolucionismo
9 evolucionismo
margaridabt
 
Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Pedagogia do Oprimido - Paulo FreirePedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Cleberson Moura
 
Neo humanismo
Neo humanismoNeo humanismo
Neo humanismo
Luis Miguel Dantas
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Adriana Pereira
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas

Mais procurados (20)

Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Slide pedagogia nova
Slide pedagogia novaSlide pedagogia nova
Slide pedagogia nova
 
Teorias de Ensino
Teorias de EnsinoTeorias de Ensino
Teorias de Ensino
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Quatro pilares
Quatro pilaresQuatro pilares
Quatro pilares
 
A Teoria de Erikson
A Teoria de EriksonA Teoria de Erikson
A Teoria de Erikson
 
Aprendizagem ao longo da vida
Aprendizagem ao longo da vidaAprendizagem ao longo da vida
Aprendizagem ao longo da vida
 
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
 
Palestra:O Professor Educador
Palestra:O Professor EducadorPalestra:O Professor Educador
Palestra:O Professor Educador
 
Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?
Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?
Multi, Inter ou Transdisciplinaridade?
 
Didática geral aula 1
Didática geral aula 1Didática geral aula 1
Didática geral aula 1
 
Planejamento Escolar
Planejamento EscolarPlanejamento Escolar
Planejamento Escolar
 
Metodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e InovadorasMetodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e Inovadoras
 
Avaliação na educação
Avaliação na educaçãoAvaliação na educação
Avaliação na educação
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
 
9 evolucionismo
9  evolucionismo9  evolucionismo
9 evolucionismo
 
Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Pedagogia do Oprimido - Paulo FreirePedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Neo humanismo
Neo humanismoNeo humanismo
Neo humanismo
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas
Metodologias ativas
 

Destaque

Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.
Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.
Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.
Wil Félix
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
Claudia Dutra
 
A relação família-escola
A relação família-escolaA relação família-escola
A relação família-escola
Thiago de Almeida
 
A importância da família para o processo da aprendizagem escolar por flávia...
A importância da família para o processo da aprendizagem escolar   por flávia...A importância da família para o processo da aprendizagem escolar   por flávia...
A importância da família para o processo da aprendizagem escolar por flávia...
Psicanalista Santos
 
Como Transformar Seu Filho em um Delinquente
Como Transformar Seu Filho em um DelinquenteComo Transformar Seu Filho em um Delinquente
Como Transformar Seu Filho em um Delinquente
Adilson P Motta Motta
 
Aula Mídia-educação
Aula   Mídia-educaçãoAula   Mídia-educação
Aula Mídia-educação
Laércio Góes
 
Costumes em Comum - Thompson - Resenha
Costumes em Comum - Thompson - ResenhaCostumes em Comum - Thompson - Resenha
Costumes em Comum - Thompson - Resenha
UFMT Universidade Federal de Mato Grosso
 
A família e a escola na formação integral
A família e a escola na formação integralA família e a escola na formação integral
A família e a escola na formação integral
Dianaricardo28
 
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
Claudinei Gonçalves de Lima
 
Interação escola e familia
Interação escola e familiaInteração escola e familia
Interação escola e familia
EDILENE CABRAL
 
Livro cidadania no brasil josé murilo de carvalho
Livro cidadania no brasil josé murilo de carvalhoLivro cidadania no brasil josé murilo de carvalho
Livro cidadania no brasil josé murilo de carvalho
sesouff2014
 
A familia e a escola
A familia e a escolaA familia e a escola
A familia e a escola
Tania Alexandra Martins
 
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Biblioteca Campus VII
 
Escola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra normaEscola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra norma
veraelaine
 
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTEDOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
Gildelanio Da Silva
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
Paulo Henrique
 
A importância da família
A importância da famíliaA importância da família
A importância da família
Alessandro Emiliano de Araujo
 
A importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhos
A importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhosA importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhos
A importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhos
Michelle Rios
 
Os Quatro Pilares da Educação - Jacques Delors
Os Quatro Pilares da Educação - Jacques DelorsOs Quatro Pilares da Educação - Jacques Delors
Os Quatro Pilares da Educação - Jacques Delors
crisdefensor
 
Mudança e Transformação Social no Brasil
Mudança e Transformação Social no BrasilMudança e Transformação Social no Brasil
Mudança e Transformação Social no Brasil
Ilza Brito
 

Destaque (20)

Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.
Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.
Educação Transformadora: Paulo Freire e a educação libertadora.
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
 
A relação família-escola
A relação família-escolaA relação família-escola
A relação família-escola
 
A importância da família para o processo da aprendizagem escolar por flávia...
A importância da família para o processo da aprendizagem escolar   por flávia...A importância da família para o processo da aprendizagem escolar   por flávia...
A importância da família para o processo da aprendizagem escolar por flávia...
 
Como Transformar Seu Filho em um Delinquente
Como Transformar Seu Filho em um DelinquenteComo Transformar Seu Filho em um Delinquente
Como Transformar Seu Filho em um Delinquente
 
Aula Mídia-educação
Aula   Mídia-educaçãoAula   Mídia-educação
Aula Mídia-educação
 
Costumes em Comum - Thompson - Resenha
Costumes em Comum - Thompson - ResenhaCostumes em Comum - Thompson - Resenha
Costumes em Comum - Thompson - Resenha
 
A família e a escola na formação integral
A família e a escola na formação integralA família e a escola na formação integral
A família e a escola na formação integral
 
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
 
Interação escola e familia
Interação escola e familiaInteração escola e familia
Interação escola e familia
 
Livro cidadania no brasil josé murilo de carvalho
Livro cidadania no brasil josé murilo de carvalhoLivro cidadania no brasil josé murilo de carvalho
Livro cidadania no brasil josé murilo de carvalho
 
A familia e a escola
A familia e a escolaA familia e a escola
A familia e a escola
 
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
 
Escola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra normaEscola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra norma
 
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTEDOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
 
A importância da família
A importância da famíliaA importância da família
A importância da família
 
A importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhos
A importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhosA importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhos
A importancia-da-familia-na-educacao-dos-filhos
 
Os Quatro Pilares da Educação - Jacques Delors
Os Quatro Pilares da Educação - Jacques DelorsOs Quatro Pilares da Educação - Jacques Delors
Os Quatro Pilares da Educação - Jacques Delors
 
Mudança e Transformação Social no Brasil
Mudança e Transformação Social no BrasilMudança e Transformação Social no Brasil
Mudança e Transformação Social no Brasil
 

Semelhante a A educação como processo para emancipar os cidadãos

Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1
Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1
Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1
Lohayne Aparecida Couzi Salvati Bodevan
 
Alfabetizacao prof Rosane A.Ribeiro
Alfabetizacao prof Rosane A.RibeiroAlfabetizacao prof Rosane A.Ribeiro
Alfabetizacao prof Rosane A.Ribeiro
rosane11061965
 
Grupo I
Grupo IGrupo I
Conceito de educação
Conceito de educaçãoConceito de educação
Conceito de educação
Kelma Pamplona
 
Conceitos de educação ad1 didática - slide
Conceitos de educação ad1  didática - slideConceitos de educação ad1  didática - slide
Conceitos de educação ad1 didática - slide
Patrícia Neves
 
Caderno ii
Caderno   iiCaderno   ii
Caderno ii
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelenteQuadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Adriana Bueno
 
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelenteQuadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
E.E. Mario Martins Pereira
 
Ciências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiCiências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja ii
Ivo Fonseca
 
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXIA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
Luana Couto
 
Avaliacao de didatica
Avaliacao de didaticaAvaliacao de didatica
Avaliacao de didatica
JanyellyFarinazzo
 
Paulo freire e os 4 pilares da educacao
Paulo freire e os 4 pilares da educacaoPaulo freire e os 4 pilares da educacao
Paulo freire e os 4 pilares da educacao
lucasegramphonte
 
Educação- AD1 DIDÁTICA
Educação- AD1 DIDÁTICAEducação- AD1 DIDÁTICA
Educação- AD1 DIDÁTICA
Bruna Machareth
 
didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2
jairdeoliveirajunior
 
O que é educação
O que é educaçãoO que é educação
O que é educação
gueste4d053
 
Keila01 projeto
Keila01 projetoKeila01 projeto
Keila01 projeto
Juçara Keylla
 
8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso
8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso
8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso
Andrea Cortelazzi
 
aprendizagem emocional nas redes sociais
aprendizagem emocional nas redes sociaisaprendizagem emocional nas redes sociais
aprendizagem emocional nas redes sociais
Luis Fernando Guggenberger
 
Disciplina
DisciplinaDisciplina
Disciplina
Luana Couto
 
AD 1 - Didática CEDERJ
AD 1 - Didática CEDERJAD 1 - Didática CEDERJ
AD 1 - Didática CEDERJ
Caroline Pessanha
 

Semelhante a A educação como processo para emancipar os cidadãos (20)

Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1
Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1
Ad1 didatica -lydiane francisca avelino1
 
Alfabetizacao prof Rosane A.Ribeiro
Alfabetizacao prof Rosane A.RibeiroAlfabetizacao prof Rosane A.Ribeiro
Alfabetizacao prof Rosane A.Ribeiro
 
Grupo I
Grupo IGrupo I
Grupo I
 
Conceito de educação
Conceito de educaçãoConceito de educação
Conceito de educação
 
Conceitos de educação ad1 didática - slide
Conceitos de educação ad1  didática - slideConceitos de educação ad1  didática - slide
Conceitos de educação ad1 didática - slide
 
Caderno ii
Caderno   iiCaderno   ii
Caderno ii
 
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelenteQuadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
 
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelenteQuadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
Quadro resumo conhecimentos pedagógicos excelente
 
Ciências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiCiências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja ii
 
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXIA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
 
Avaliacao de didatica
Avaliacao de didaticaAvaliacao de didatica
Avaliacao de didatica
 
Paulo freire e os 4 pilares da educacao
Paulo freire e os 4 pilares da educacaoPaulo freire e os 4 pilares da educacao
Paulo freire e os 4 pilares da educacao
 
Educação- AD1 DIDÁTICA
Educação- AD1 DIDÁTICAEducação- AD1 DIDÁTICA
Educação- AD1 DIDÁTICA
 
didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2
 
O que é educação
O que é educaçãoO que é educação
O que é educação
 
Keila01 projeto
Keila01 projetoKeila01 projeto
Keila01 projeto
 
8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso
8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso
8. Piaget. Para Onde Vai A EducaçãO. Paulo Deloroso
 
aprendizagem emocional nas redes sociais
aprendizagem emocional nas redes sociaisaprendizagem emocional nas redes sociais
aprendizagem emocional nas redes sociais
 
Disciplina
DisciplinaDisciplina
Disciplina
 
AD 1 - Didática CEDERJ
AD 1 - Didática CEDERJAD 1 - Didática CEDERJ
AD 1 - Didática CEDERJ
 

Mais de cefaprodematupa

Artigo 2f
Artigo 2fArtigo 2f
Artigo 2f
cefaprodematupa
 
Artigo 1
Artigo 1Artigo 1
Artigo 1
cefaprodematupa
 
A IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOS
A IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOSA IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOS
A IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOS
cefaprodematupa
 
4
44
3
33
1
11
2
22
Palavrasmagicas
PalavrasmagicasPalavrasmagicas
Palavrasmagicas
cefaprodematupa
 
Prontp
ProntpProntp
Jornal (1)
Jornal (1)Jornal (1)
Jornal (1)
cefaprodematupa
 
La vem leitura
La vem leituraLa vem leitura
La vem leitura
cefaprodematupa
 
Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017
Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017
Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017
cefaprodematupa
 
O alfabeto em movimento
O alfabeto em movimentoO alfabeto em movimento
O alfabeto em movimento
cefaprodematupa
 
Adaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidadeAdaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidade
cefaprodematupa
 
Reciclar, reutilizar e reduzir
Reciclar, reutilizar e reduzirReciclar, reutilizar e reduzir
Reciclar, reutilizar e reduzir
cefaprodematupa
 
Ensinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escolaEnsinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escola
cefaprodematupa
 
Contagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilContagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantil
cefaprodematupa
 
A avaliação docente
A avaliação docenteA avaliação docente
A avaliação docente
cefaprodematupa
 
4 mortalidade das micro
4   mortalidade das micro4   mortalidade das micro
4 mortalidade das micro
cefaprodematupa
 
1 administrador
1   administrador1   administrador
1 administrador
cefaprodematupa
 

Mais de cefaprodematupa (20)

Artigo 2f
Artigo 2fArtigo 2f
Artigo 2f
 
Artigo 1
Artigo 1Artigo 1
Artigo 1
 
A IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOS
A IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOSA IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOS
A IMPORTÂNCIA DA EA NAS ESCOLAS E OS SEUS OBJETIVOS
 
4
44
4
 
3
33
3
 
1
11
1
 
2
22
2
 
Palavrasmagicas
PalavrasmagicasPalavrasmagicas
Palavrasmagicas
 
Prontp
ProntpProntp
Prontp
 
Jornal (1)
Jornal (1)Jornal (1)
Jornal (1)
 
La vem leitura
La vem leituraLa vem leitura
La vem leitura
 
Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017
Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017
Trabalhando com fábulas e historias infantis artigo neli 2017
 
O alfabeto em movimento
O alfabeto em movimentoO alfabeto em movimento
O alfabeto em movimento
 
Adaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidadeAdaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidade
 
Reciclar, reutilizar e reduzir
Reciclar, reutilizar e reduzirReciclar, reutilizar e reduzir
Reciclar, reutilizar e reduzir
 
Ensinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escolaEnsinar e aprender na escola
Ensinar e aprender na escola
 
Contagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilContagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantil
 
A avaliação docente
A avaliação docenteA avaliação docente
A avaliação docente
 
4 mortalidade das micro
4   mortalidade das micro4   mortalidade das micro
4 mortalidade das micro
 
1 administrador
1   administrador1   administrador
1 administrador
 

Último

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

A educação como processo para emancipar os cidadãos

  • 1. A EDUCAÇÃO COMO PROCESSO PARA EMANCIPAR OS CIDADÃOS Autoras:Carmen Prigol Cimi Dejanira Nevis Gabryela Kuffel Zarth Isaura Kuffel Zarth Margani Zarth RESUMO: Falar sobre educação é discorrer sobre a única alternativa política e social para que este país encontre a dimensão de sua grandeza e que o povo encontre a dignidade almejada. A tarefa de todo educador é a de formar seres humanos felizes e equilibrados. A família é a base do cidadão e tem o papel fundamental de formar o caráter, de educar para os desafios da vida. Essa formação será complementada pela escola cuja responsabilidade é proporcionar um ensino de qualidade que desenvolva as competências e habilidades do indivíduo. Cada vez mais a educação vem sendo tratada como assunto prioritário de governos, organismos internacionais e organizações da sociedade civil, por um numero crescente de países em todo o mundo. E não é pra menos que haja essa preocupação, pois da educação depende a qualidade de vida de toda a sociedade. Nesse sentido é que o estudo em questão se torna interessante. Palavras – chave: alternativa política, dignidade, educação. 1. INTRODUÇÃO A importância da educação para a formação da cidadania e para o desenvolvimento nacional, vem ganhando crescente reconhecimento nas duas ultimas décadas no Brasil. Esse reconhecimento acompanha uma tendência mundial de defender a universalização da educação básica como direito como direito humano fundamental, marcada pela Conferência Mundial de Educação para Todos (JONTIEN, 1990). É preciso, no entanto, ressaltar a distância que há entre reconhecer a educação como prioridade e praticar a educação como tal, é necessário que o educador exerça uma postura crítica mas que contribua significativamente na tarefa de educar. Quando se fala em educador não se refere apenas ao professor, mas a todos que fazem parte da vida do educando. A educação ocorre em todos os ambientes. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 2. A lei 9394, 20 de dezembro de 1996 – a LDB – tem enorme importância para a concretização da educação. Vários artigos demonstram essa preocupação com a educação mais abrangente que desenvolva a autonomia do aluno, o conceito do “aprender a aprender”, referente a uma aprendizagem continuada. (Piaget) O ser humano vive em sociedade e não tem como evitar as influências das mais variadas o que certamente interfere de forma positiva ou negativa na educação de todos. Nesse sentido formar cidadãos autônomos, passa a ser uma das tarefas mais difíceis, porém mais útil e compensatória uma vez que se pode ver o resultado do empenho e dedicação quando o educador reconhece aquele cidadão que passou por suas mãos sendo um empreendedor emancipado e feliz. Conforme Rubem Alves: “Não existe nada mais fatal para o pensamento que o ensino das respostas certas. As escolas existem para ensinar as perguntas. As respostas permitem andar sobre a terra firme. Mas somente as perguntas nos permitem entrar pelo mar desconhecido”. O objetivo maior é que as crianças adquiram o gosto pelo saber, que elas procurem o conhecimento para desvendar os mistérios da vida. Que suas mentes estejam sempre despertas e ativas para fazerem perguntas, questionarem e encontrarem as respostas como fruto de suas observações, reflexões e análises. Nesse perspectiva a educação deve ser vista como o ponto de partida possibilitando todas as formas de trabalho multidisciplinar relacionados com o contexto em que se insere o aluno sabendo que existe uma (inter-relação) interação dos acontecimentos do mundo. O educando necessita essa compreensão para que seu estudo tenha significado e em conseqüência estimule o gosto pelo saber. “Na medida em que o homem integrado em seu contexto, reflete sobre este contexto e se compromete, constrói a si mesmo e chega a ser sujeito”. É assim que Paulo Freire se manifesta em seus estudos sobre a importância da linguagem, do ler e do escrever. Por meio da compreensão e da interpretação do que lê, vê, sente, observa o homem é capaz de mudar a si mesmo, dar maior extensão a sua consciência, discernir e reconhecer que não existe um mundo pronto acabado, mas que, ao seu redor está um outro mundo continuamente criado e recriado por ele. É pela ação e na ação que o homem constrói a si mesmo, através da comunicação, o dialogo, a verdadeira interação com os outros homens, o ambiente, o espaço, os materiais, o escrito e o mundo ao seu redor. Isso possibilita ao homem refletir sobre a realidade exercendo algum controle sobre o futuro de forma a direcionar com qualidade a vida na medida das possibilidades oferecidas através do conhecimento. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 3. É interessante pensar sobre todos os aspectos referentes a educação. O ato de educar está exclusivamente relacionado ao ato de viver, pois sem educação a vida pode tornar-se sem sentido, uma vez que a educação é parte integrante e fundamental do nosso cotidiano. Para Piaget o desenvolvimento do individuo está subordinado a hereditariedade e adaptação biológicas. O autor buscou, em suas investigações, determinar o papel da interação social sobre o desenvolvimento da inteligência do individuo. O que caracteriza o ser social é a qualidade das trocas intelectuais que os indivíduos estabelecem entre si. O desenvolvimento é uma passagem contínua de um estado de equilíbrio menor para um equilíbrio superior. É, portanto a evolução do ser. A busca do conhecimento ocorre a partir de necessidades decorrentes da vida social, pois pressupõe a coordenação as operações de dois ou mais sujeitos, a discussão, a troca de pontos de vista, o controle mutuo dos argumentos. A maioria das formas de comportamento é adquirida por transmissão exterior de geração em geração, isto é, através da educação, e só se desenvolve em função de interações sociais múltiplas e diferenciadas. A tarefa da educação consiste em formar o raciocínio. A educação é portanto, condição formadora necessária ao próprio desenvolvimento natural. Afirmar o direito da pessoa humana a educação é assumir uma responsabilidade que vai além do ensino da escrita, da leitura, do cálculo: significa garantir o pleno desenvolvimento das funções mentais e a aquisição dos conhecimentos, bem como dos valores morais que correspondem ao exercício dessas funções, até a adaptação da vida social atual. Conforme o Artigo 1º da LDB – A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais. O trabalho é um espaço de realização pessoal e profissional, porém o processo de aprendizagem não para no mundo do trabalho, a atividade prática auxilia a aprendizagem significativa. “Só se aprende a fazer fazendo”. Aprende-se trabalhando e na aprendizagem se trabalha. A educação escolar não pode estar separada do mundo de trabalho e nem da prática social. É preciso que o professor aborde temas atuais e significativos para que o aluno sinta que a escola é um organismo vivo, oferecendo oportunidades de conhecimento para a autonomia idealizada. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 4. 2. METODOLOGIA O assunto em questão foi fundamentado em alguns referenciais teóricos complementados com idéias complementados com idéias pessoais, bem como em estudos realizados no decorrer da formação acadêmica e também nas Leis de Diretrizes e Bases Educacionais para uma melhor compreensão da temática educação como processo de emancipar os cidadãos. Relacionou-se também os conhecimentos teóricos adquiridos no curso de pedagogia comparando-os com a prática durante as observações e aplicações dos estágios curriculares. Após a busca de material bibliográfico, a seleção criteriosa, estudos, pesquisas, diálogos formais e informais com colegas educadores, abordou-se o assunto com ênfase a educação emancipatória, no sentido de que o caminho se faz ao caminhar. E é nessa perspectiva que o educador deve buscar sua formação. 3. DESENVOLVIMENTO Conforme o minidicionário de língua portuguesa Aurélio Educação é o processo de desenvolvimento da capacidade física, intelectual, e moral do ser humano. Assim sendo o ato de educar deve ser considerado o mais importante de todos, pois desenvolvendo capacidades físicas, intelectuais e morais no ser humano, outras capacidades virão em conseqüência dessas e assim o ser torna-se capaz de agir com consciência desde que seja educado de forma adequada segundo as normas que regem uma sociedade, com o intuito de promover o bem de todos visando com isso uma melhor qualidade de vida. Muitas as preocupações a respeito da educação e centenas de milhares de pessoas já redigiram sobre. Entretanto os problemas relacionados a educação surgem em nível cada vez mais complexos e de difícil solução, pois pais e professores estão perdidos frente a tarefa de educar, transformações estão ocorrendo cada vez mais depressa e não se consegue acompanhar por mais que haja esforço, existe na maioria das vezes uma barreira que quando pensa que chegou lá, novamente vem outros avanços (mudanças) o que proporciona um desafio e ao mesmo tempo faz com que se considere o ser humano impotente. Vale lembrar que muitas experiências desenvolvidas e aplicadas nas escolas não deram certo, é preciso encontrar o foco, trabalhar questões emocionais, sociais, preparar o educando para que ele tenha capacidade de trabalhar em grupo, como líder ou colaborador, *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 5. sabendo atuar na família e na comunidade. Refletir sobre o ser humano, esquecer um pouco das máquinas tão utilizadas hoje, onde sobra pouco espaço para trabalhar valores que sempre acompanharam o ser humano através da história, mas que com a correria do cotidiano estão se perdendo e com isso dificultando o ato de educar. Os pais precisam tirar tempo para acompanhar a vida escolar de seus filhos. A família é a instituição mais importante nessa tarefa. As drogas, a violência, a agressividade estão presentes na sociedade e se existe a falência da instituição familiar, o não acompanhamento dos pais, a carência afetiva somando- se aos maus exemplos é muito provável que o ser humano se lance nesse mundo desconhecido ou melhor nessa viagem quase sempre sem volta, que são as drogas acompanhadas da violência, agressividade, furto, assassinatos, entre outros horrores que se vê diariamente nos noticiários. Na família moderna, em muitos casos, falta o amor, peça fundamental para obter dos seres vivos a preservação da vida. Ninguém vive sem amor. Conforme Rousseau: “O homem nasce bom, a sociedade o corrompe”. Para ele o homem bom é aquele que se encontra no estágio primitivo, que não foi “contaminado pela civilização”. Mas não se pode voltar ao estágio primitivo, é preciso melhorar a sociedade e não permitir que o ser humano que nasce livre acaba por encontrar-se em toda parte acorrentado. Existe uma busca desenfreada para ter os melhores objetos que os outros (carros, casa, roupa, etc.). É a sociedade dos competitivos que faz com que o ser humano nunca se contente com aquilo que possui, querendo sempre mais, não se importando a quem irá prejudicar, é cada um para si. Como se a felicidade se compra e sendo o melhor em tudo, será feliz. Que bobagem a felicidade existe nas coisas simples da vida, no saber que é possível buscar e ter almejado sem prejudicar ninguém. Isso é ser educado. A preparação para a vida, a formação de pessoas, a construção do ser são responsabilidades da família. É essa a célula mãe da sociedade, em que os conflitos necessários não destroem um ambiente saudável. Nem a indiferença, nem o amor exagerado, opressor; a grande conquista é o equilíbrio, a serenidade, o bom senso, o respeito entre todos. A vida em grupo poderá ser de estrema riqueza para o crescimento e o amadurecimento de cada um. A família é o porto seguro, é nela que encontraremos o ruma da vida. Diversidade hoje é uma palavra muito usada em situação escolar. Especialmente na escola pública, existe alunos de diferentes credos religiosos, cor, raça, pluralidade cultural. A tolerância e o respeito pelo diferente são fundamentais e vivenciadas a todo o momento, todos somos diferentes, cada um com seu jeito de ser e suas especialidades, porém todos são importantes e acima de tudo seres humanos que tem sentimentos e precisam respeitar e serem *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 6. respeitados na mesma medida para não colocar em risco o caráter e a dignidade da pessoa, uma vez que por mais arredio que aparenta ser um individuo, ele necessita de afeto e compreensão para que possa viver com dignidade de cidadão. A educação enfrenta hoje, no Brasil, um momento difícil. Falar em qualidade na educação passou a ser uma expressão vazia de sentido. Os obstáculos encontrados para a alfabetização do direito de todos a educação é o abismo existente entre as palavras, o discurso, os fatos e as atitudes. Se um sistema educacional pretende garantir esse direito, o primeiro passo deve ser sempre praticá-lo. É preciso um compromisso social de torná-lo realidade, seu cumprimento se da no dia a dia, em nossas maneiras de agir e de conquistar espaços democráticos, em que a vida pessoal e coletiva se expressa plenamente na liberdade, na solidariedade e na participação cidadã. A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumir a responsabilidade por ele e, com tal gesto, salvá-lo da ruína que seria inevitável, não fosse a renovação dos pequenos e dos jovens. A educação é, também, onde decidimos se amamos nossas crianças o bastante para não expulsá-las do nosso mundo e abandoná-las a seus próprios recursos, tampouco arrancar de suas mãos a oportunidade de aprender em algo novo e imprevisto para nós, preparando-as, em vez disso, com antecedência para a tarefa de renovar um mundo comum. (HANNAH ARENDT) . As ações educacionais interagem com uma infinidade de situações que determinam e movimentam-se na composição de uma dada realidade. Existe no momento um mundo completamente diferente daquele que conhecemos na nossa infância, onde a boa educação se fazia mais presente. O tempo dedicado a essa tarefa também era maior e sem tantas interferências que existem hoje e que deixa pais e ao mesmo tempo professores perdidos, tentando achar uma saída para melhorar a função de educadores para dar conta de interpretar e compreender os motivos da falta de educação de algumas pessoas para poder interferir de maneira positiva, influenciando e melhorando a qualidade de vida. Amar a vida é acima de tudo uma conseqüência de uma educação de qualidade. Só se ama aquilo que se conhece e dedicando afeto também podemos melhorar a educação. A educação especial traz a realidade da inclusão escolar que inclui o aluno com necessidades educacionais especiais em escolas comuns. A experiência da diferença precisa ser vivida nas escolas, para que se exercite o equilíbrio entre os processos educativos e se possa vencer os desafios da escola inclusiva de fato que respeitem todas as diferenças existentes. Sendo essas uma forma de enriquecimento do conhecimento e respeito a dignidade do ser humano em todas as suas especificidades, contribuindo na vida de todo cidadão. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 7. Quando existe o respeito e o reconhecimento de que todos tem sua potencialidade basta que se proporcione as competências necessárias para exercer a cidadania. As propostas educacionais inclusivas exigem uma atenção constante dos professores para que não seja ferido o direito humano e indisponível de todos os alunos ao ensino escolar comum. Um direito que envolve uma reorganização pedagógica nas escolas. Esse é um desafio a todos os educadores. Buscar conhecimento necessário para dar atendimento de qualidade a esses educandos, de forma a possibilitar o acesso e a permanência dos portadores de deficiência nas escolas comuns. Uma ação que deve marcar as políticas públicas de educação é a formação dos profissionais de educação para trabalhar com o atendimento do aluno com necessidades educacionais especiais no sistema regular de ensino. Conforme a LDB/96. Nessa perspectiva a formação continuada do professor também deve ser um compromisso dos sistemas de ensino comprometidos com a qualidade do ensino. A inclusão é uma inovação que implica um esforço de modernização e de reestruturação das condições atuais da maioria de nossas escolas, ao assumirem que as (diferenças) dificuldades dos alunos não são apenas deles, mas resultam, em grande parte, do mundo como o ensino é ministrado e de como a aprendizagem é concebida e avaliada. (MONTOAN, 2003, pg 57). O objetivo da escola não é levar todos os alunos a um nível de desenvolvimento padrão. Os alunos não podem sofrer as conseqüências da reprovação. Por mais que se tenha sido imposta a idéia de homogeneização das turmas, o que as move é a heterogeneidade, a multiplicidade e a complexidade. Considerar as diferenças intelectuais é trabalhar a favor da emancipação dos alunos. É preciso que se organize o currículo levando em consideração a criação, a multidimencionalidade da condição humana, considerando o saber local e o desempenho de cada um dentro de suas limitações. Temos o direito a sermos iguais quando a diferença nos inferioriza, temos o direito a sermos diferentes quando a igualdade nos descaracteriza. (SANTOS, 1995). Ver na inclusão uma inovação na educação e buscar caminhar para tornar possível o acesso e permanência de alunos inclusos, é sentir que a possibilidade de contribuir com todos de maneira significativa faz a diferença em todos os sentidos, inclusive o de superar as práticas pedagógicas que discriminam, segregam e excluem por práticas educativas de transformação social, solidariedade e cidadania. É preciso ter competência para responder com qualidade as necessidades educacionais especiais. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 8. O ato de educar não pode ser visto apenas como depositar informações nem transmitir conhecimento. Esse ato só se concretiza com carinho e amor. O respeito a história de cada um, a troca de experiências, a motivação entre querer ensinar e se permitir aprender. Complicado se torna o educador que já não acredita na capacidade de educar, que não considera as diferenças de cada um. Aquele que não acredita na sua intervenção para a a melhoria da humanidade, é dominado pelo pessimismo. É valido ressaltar que todos tem a capacidade de educar com qualidade, basta querer e buscar sempre o melhor caminho e não esmorecer nunca diante dos fracassos. Lembrando cada vez que se erra e se reconhece ou retoma a caminhada, se conhece melhor a jornada e há como evitar alguns obstáculos, tornando-a mais pratica e aumentando a possibilidade de acertos. Dizia o escritor francês Vitor Hugo (1802 -1885) que “Deus abençoa não aquele que acha, mas aquele que procura”. E procurar significa ter boas intenções. Procurar sempre a melhor forma de conduzir a educação. Não esquecendo de muitos pensadores que buscaram entender as razões de acontecimentos, fatos e comportamento de seres vivos, bem como de muito mais e até mesmo a própria existência. Esses não desistiram nunca, e suas idéias e exemplos continuam fortalecendo nossa própria existência e também motivando a todos que tem interesse a buscar o conhecimento para poder somar as suas idéias e contribuir com competência no mundo em que vive. Garra, paixão, entusiasmo. Eis as marcas da juventude. Fazer bem feito e sem medo. Colocar toda a força a serviço de grandes e pequenas causas. Construir um mundo mais solidário, mais fraterno. A garra que se espera do atleta ou do sambista, ou do músico, espera- se também do estudante, aquele que lê, que escreve, que produz. A beleza está em viver intensamente cada momento como se fosse único. (CHALITA, Educação a solução está no afeto, pag. 38 e 39). Atualmente as preocupações com as questões ambientais, vem sendo pauta de vários estudos, eventos e assuntos diários nas classes escolares. O mundo está vivendo um momento muito especial no que diz respeito ao meio ambiente. As atenções estão voltadas para os transgênicos, o desmatamento, os incêndios florestais, a biodiversidade, relacionadas aos acontecimentos climáticos trágicos que vem acontecendo. Constatando-se que o meio ambiente se modifica para melhor ou para pior, dependendo do tipo de intervenção que o homem realiza sobre ele, a educação ambiental deve ser vista como estratégia a fim de garantir ações eficazes na relação homem/natureza. Essa educação vai alem dos limites da escola formal. Ela deve sensibilizar a todos sem restrições havendo parcerias entre escola e comunidade. Proporcionar aos educandos experiências com a natureza, para que possam relacionar os acontecimentos ruins com a utilização inadequada *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 9. que o homem faz do uso dos recursos naturais. Isso só é possível quando desenvolve-se sentimento de amor e preocupação com a vida na terra. Como dizia a escritora norte-americana Hellen Keller, deficiente física e auditiva desde os 19 meses de idade: “Sendo cega permito-me dar um conselho aqueles que podem ver. Procurem olhar para todas as coisas como se fossem ficar cegos amanhã. O mesmo para os cinco sentidos. Ouçam a melodia das vozes, o canto dos pássaros, os sons poderosos de uma orquestra, como se fossem ficar surdos. Apalpem os objetos, como se o sentido do tato lhes fosse faltar. Respirem o perfume das flores, e apreciem o sabor dos alimentos, como se amanhã fosse perder para sempre o paladar e o olfato”. Essa citação é forma de refletir sobre a necessidade da valorização das “pequenas”, porém fundamentais coisas existentes e que não se da conta do quanto existe o desperdício e a valorização de ter em detrimento do ser.isso esta cada vez mais deteriorando o meio ambiente e em conseqüência toda geração sofre. Nesse sentido o conhecimento e a educação se fazem primordial para uma convivência harmoniosa entre home/natureza e homens entre si, devido a preocupação com o ter que torna o individuo submisso e ganancioso esquecendo na maioria das vezes de valorizar as pequenas coisas da vida que se fazem grandes diante da utilidade que tem e que não é reconhecida. A educação vem no sentido de formar cidadãos emancipados, críticos e capazes de intervir para uma melhor qualidade de vida. Nessa perspectiva somam-se os valores e o conhecimento como bases estratégicas que conduzem o caminho direcionando para a solução de muitos problemas ao mesmo tempo prevenindo problemas futuros que poderão acontecer se não houver a sensibilização começada na base ou no berço como queira que seja. É dessa base que depende toda a existência humana. O futuro da humanidade esta em jogo e é preciso que se jogue com competência e consciência para que todos saiam ganhando. Esse todo se refere a nós e exclusivamente ao meio ambiente do qual fazemos parte. “Os problemas pelos quais passam os sistemas de ensino no país são grandes, mas há muitas possibilidades de se quebrarem paradigmas e de se construir um outro conceito de educação, de forma a assegurar, por meio de ações simples, resultados concretos e positivos. São pequenos gestos que provocam as mudanças, e a intervenção de cada um de nós, mesmo que numa tímida esfera de atuação, produz resultados alentadores”. (CHALITA, 2008) No decorrer da formação pedagógica o acadêmico vivenciou várias experiências práticas no momento da aplicação das teorias estudadas através dos estágios curriculares. Comparou a teoria com a prática e teve a oportunidade de ampliar o conhecimento relacionando-o com as observações e a aplicabilidade, vivenciou a profissão escolhida, *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 10. analisando os pontos positivos e negativos, buscando estratégias para melhorar sempre. Como disse Chalita: “ações simples podem fazer a diferença”. O estágio curricular tem o objetivo de assegurar aos futuros profissionais da educação a aquisição de experiências em ambientes escolares que ampliem e fortaleçam atitudes éticas, conhecimentos e competências em várias modalidades que vai desde a educação infantil, ensino fundamental, EJA, até a participação em planejamentos, avaliações e reuniões de cunho pedagógico. Para que assim possa refletir sua atuação quando estiver executando a profissão. Lembrando que é preciso que se faça a diferença, e todos podem dar sua parcela de contribuição, para um mundo mais justo e digno que é de merecimento daquele que se empenha na realização profissional, pessoal e visando que o fazer pedagógico é um trabalho carregado de sentido em termos gerais e principalmente educacional. Os atos implicam em ação prática e teórica. Nesse sentido que o educador deve sempre refletir suas ações, pois para muitos educandos ele é visto como modelo. Então é necessário que o pedagogo proporcione bons exemplos através de sua prática diária. Levar a sério a liberdade de planejar e a responsabilidade de agir buscando a coerência entre o plano pedagógico e a prática das vivências. A educação oferece elementos de libertação assimilados com o passar dos anos. O autor da ULBRA, OTÁVIO JOSÉ WEBER comenta no livro ( Ética, educação e trabalho pag. 71). O bem e o mal precisam ser pensados e analisados. Fazem parte da vida. Na educação é importante que os professores tenham um entendimento do bem e do mal, não como algo negativo, mas como uma potencialidade da aprendizagem. A educação é um momento e ético para desenvolver a potencialidade do bem, do certo e da verdade. Elabore um agir com sabedoria. O bem se expressa na verdade. Aprender a conviver com as pessoas, a educação e a ética devem estar presentes em todos os momentos e ambientes da vida, o professor também é um produto da educação que recebeu de outros. Através das falhas que vivenciou de seus educadores, ele também pode aprender com a experiência e procurar não repetir as mesmas falhas do passado na geração presente, lembrando que o amor é essencial no ato de educar. Como diz Paulo Freire: Mas é preciso, que, permanecendo e amorosamente cumprindo o seu dever, não deixe de lutar politicamente, por seus direitos e pelo respeito a dignidade de sua tarefa, assim como pelo zelo devido ao espaço pedagógico em que atua com seus alunos. (FREIRE, Pedagogia da autonomia, pag. 142) Cidadão emancipado é aquele que através da educação que possui, compreende e pratica seus deveres e conhecendo seus direitos sabe lutar por eles de forma consciente. Através de argumentos consistentes não se deixa dominar por idéias submissas que tornam o *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 11. ser passivo. Torna-se crítico construtivo, capaz de transformar situações de injustiça que ocorrem na humanidade em soluções que contribuem para uma melhor qualidade de vida, abominando todo o tipo de exploração do ser humano. A educação acontece quando é possível transmitir ensinamentos e valores, englobando os processos de ensinar e aprender. O essencial é a perspectiva, o modo e a relação do que faz com a forma de prosseguir com critério na nobre arte de educar, não esquecer que a moral e a ética devem estar presentes em todas as situações e especialmente nas relações interpessoais vivenciadas em todos os ambientes. A prioridade da política educacional deve ser a melhoria na qualidade de ensino, pois a educação é o fator maia importante para avançar no crescimento econômico. E a melhoria nessa qualidade deve vir acompanhada de valorização do profissional da educação redução do numero de alunos em sala de aula, boa preparação profissional, melhorar a infra-estrutura escolar, essas entre outras variáveis se observa a necessidade no cotidiano das instituições de ensino. É difícil a tarefa do professor de formar seres autônomos e críticos capazes de lutar pelos seus direitos, quando de fato o próprio educador não está sabendo exigir seus direitos, e percebe outros profissionais que ele contribuiu na formação ganhando até dez vezes mais que o educador. É necessário que haja coerência entre a teoria e a prática para acontecer a verdadeira evolução educacional. É preciso também criar ambientes favoráveis ás manifestações diante das necessidades de buscar uma melhor qualidade no que se refere às práticas educativas, oportunizando (a todos) os educandos o desenvolvimento de habilidades e competências fundamentais no processo de transformação da realidade. Formar seres críticos, argumentativos, enfim cidadãos competentes e criativos em prol de um mundo melhor. O ensino superior oferece oportunidades para os profissionais estudarem, refletirem comparando a teoria com a prática. Através dos estudos o educador passa a ser mais crítico e argumentativo em busca de soluções para situações que ele considera de injustiça. Portanto o conhecimento ainda é o melhor caminho para encontrar a educação através dela adquirir estratégias para melhorias em todos os sentidos, seja na vida particular, profissional, nos momentos de lazer, na saúde, entre outros, sendo que todos estão relacionados, e obtêm-se bom resultado de um em conseqüência do outro e assim sucessivamente. Para inovar a educação é necessário também que o educador saiba fazer uso das tecnologias que estão a seu dispor. Uma vez que as informações e transformações acontecem de forma tão rápida, dificultando o processo de acompanhamento. Por isso tem que haver *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 12. mais tempo disponível para o professor se preparar para a utilização desses meios de comunicação. Esse tempo disponível citado, deve também ser remunerado para que realmente o professor se dedique a essa aprendizagem e possa repassar o que aprendeu. No livro Tecnologias da informação e da comunicação na educação traz essa abordagem: “O professor deve estar atualizado e, conscientemente, optar por quais tecnologias utilizar nos projetos educativos, compreendendo o conhecimento cada vez mais como um processo continuo de colaboração construtiva, do qual ele é orientador. Com alunos motivados e ativos, os resultados da aprendizagem tendem a ser mais duradouros”. (ULBRA pag. 35) O ser humano alcança dignidade quando consegue através de seu conhecimento aplicado melhorar a qualidade de vida, executando seus deveres e exigindo os direitos que é do seu merecimento. Os parâmetros curriculares nacionais tem tido grande repercussão nas idéias e nas práticas dos professores pelo país a fora, criando espaços de reflexão sobre as próprias praticas. Mas as mudanças são lentas quando assumidas pelos educadores e pelas instituições como um todo. Paulo Freire diz: È preciso uma metodologia que tenha dialogo com sua essência, e que peça ao educador uma postura crítica de problematização constante, de distanciamento, de estar na ação; uma metodologia de trabalho que aponte na direção da participação, na discussão do coletivo e que, por isso exija uma certa disponibilidade de cada individuo. (S. Paulo, SME. Tema Gerador e a construção do Programa, 1991: 8) Muitas ferramentas hoje estão disponíveis para mudar o modo como se trabalha e consequentemente como se vive, pois é preciso gostar daquilo que se faz e fazer com amor. Porém como já foi citado é preciso tempo e persistência para se preparar na tarefa de utilizar com competência esses meios. Essa competência é adquirida através do erro e do acerto e do equilíbrio entre conhecimento, educação e dignidade, os quais devem andar juntos, quando se trata de alternativas políticas sociais e educacionais. A qualidade do processo educativo é conquistada por vários meios e propostas com inúmeros exemplos dependendo das condições físicas, psicológicas, ambientais e sociais em que se insere o sujeito. O processo educativo é parte principal na emancipação do cidadão. Através da sua qualidade proporciona ao individuo a possibilidade de se libertar das dominações que o torna escravo. Como defendia Paulo Freire: “A instrumentalização da educação para resolver a *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 13. problemática da libertação das pessoas concretamente em suas vidas desumanizadas pela opressão, e dominação social”. Na busca pela emancipação é preciso desenvolver o potencial criativo, pensar idéias consistentes, propor soluções inovadoras, enfim conquistar seu lugar no mundo para poder transformá-lo. As leis da educação estão voltadas para a transformação social. O próprio Projeto político Pedagógico da escola tem essa proposta, bem como o currículo é de acordo com as práticas inovadoras, deixando inclusive espaço para que o professor através de sua autonomia elabore a prática de acordo com sua concepção. Lembrando ainda a filosofia da escola que é formar cidadãos críticos, conscientes capazes de intervir na sociedade visando transformação. A proposta metodológica do projeto de trabalho aborda exatamente a questão de possibilitar ao educando ser crítico e construtivo que saiba buscar seus conhecimentos como forma de poder intervir nas transformações sociais. As políticas públicas demonstram a preocupação com a temática. Os cursos superiores para a formação de profissionais da educação oferecem oportunidades de conhecimento para que através desse, o educador cumpra seus deveres e saiba lutar pelos seus direitos. Porém é necessário muito empenho, dedicação e responsabilidade no ato de conhecer, sendo assim a formação fará com que seja competente o suficiente para adaptar a teoria na prática. Lembrando que deve sempre estar aprendendo, pois nunca se sabe tudo a ponto de se acomodar. As mudanças estão sempre ocorrendo e quem não se atualizar perde o foco e consequentemente torna seu trabalho sem significado. O trabalho através de projeto faz com que o professor seja um orientador da aprendizagem, ao mesmo tempo em que também amplia o nível do seu conhecimento. Ao aluno, compete ir em busca e participar de todas as etapas do processo, desde o planejamento até a avaliação, permitindo ao aluno demonstrar suas potencialidades. Esse método instiga e motiva, tanto o educador quanto o educando ambos se envolvem ativamente na elaboração e demonstração dos resultados. É nesse sentido que acredita-se na educação como forma de emancipar cidadãos, esse talvez seja o caminho que lentamente vai tornando o sonho possível de ser concretizado. 4. CONCLUSÃO Realizar esse trabalho foi difícil, mas de extremo significado, pois relatar sobre esse tema tão complexo e ao mesmo tempo útil e necessário, presente na vida de todos. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 14. Assunto este prioritário de governos, organismos internacionais e organizações da sociedade, por ser a educação a única alternativa política e social que possibilita ao país encontrar o sentido de sua grandeza, proporcionando ao povo trabalhador a dignidade merecida. O estudo dos referenciais teóricos para a realização deste trabalho, aprofundou em muito o conhecimento, bem como mudou a idéia que persistia sobre educação, visto que ela faz parte de toda a humanidade e não é adquirida apenas nos bancos escolares como a maioria pensa. É nesse sentido que se vê a importância do ato de educar na base, onde está a família que contribuiu no desenvolvimento de comportamentos da criança. Portanto a educação é tida como ponto de partida e como muita a trilhada em direção a um mundo mais justo e fraterno. Através da educação se encontra o verdadeiro sentido de estar neste mundo. Preservar o meio ambiente também é condição necessária quando existe preocupação com as futuras gerações as quais dependem muito da nossa educação ambiental sendo que os atos inadequados que contribuem para a degradação ambiental, consequentemente quem vai sentir em maior profundidade serão as gerações futuras. O referido artigo abordou a responsabilidade que educadores (pais, professores, etc) tem frente ao seu papel no sentido de proporcionar aqueles que fazem parte do cotidiano, uma educação de qualidade, como forma de emancipação do cidadão, tornando-o capaz de interagir com autonomia e responsabilidade visando o bem de toda a sociedade e por que não o país ou o mundo, depende da dimensão de sua capacidade. No sentido de que todos tem potencialidades, basta que a educação lhes mostre o caminho. 5. REFERÊNCIAS ALVES, Rubem. Navegando. Campinas: Papirus, 2000. CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. São Paulo – Editora Gente, 2002. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia – Saberes necessários à prática Educativa – Editora Paz e Terra – Coleção leitura. HERNANDEZ, Fernando. Transgressão e mudanças na Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.
  • 15. MONTOAN, Maria Tereza Eglér e Prieto, Rosangela Gavioli. Inclusão escolar – Summus editorial – FNDE – MEC. MACHADO, Rosangela. Educação Especial na Escola Inclusiva. Políticas, Paradigmas e Práticas. Editora Cortez. *Artigo apresentado na Disciplina de Estágio Curricular IV ao Curso de Graduação em Pedagogia – EAD da Universidade Luterana do Brasil, como requisito parcial para conclusão de Curso.