SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB Credenciada pelo Decreto Estadual n° 7.344 de 27.05.1998  CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO  – CONSEPE JUSSARA  KEILA NASCIMENTO DE SOUZA LIMA LINHA DE PESQUISA: EDUCAÇÃO E ÉTICA. TEMA: CULTURA DE PAZ. TÍTULO:DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM. PETROLÂNDIA 2010
OBJETIVOS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O ornograma representado pela figura 1 compreende as etapas do planejamento, correspondendo a pesquisa cientifica em questão.  METODOLOGIA “ A classe dominante elaborou representações do real que, dissimulando e mascarando as contradições de base existentes no processo das relações sociais de produção, tornem o sistema social um todo harmônico e único. Assim as  ideias da classe dominante são as ideias dominantes em cada época...”  (Carlos R. Jamil Cury) Como desenvolver as atividades das Escolas na área em que impera o desemprego e a marginalização social? Objeto das ciências factuais (aplicadas)função social
Este trabalho é inerente ao interesse da seqüência de um trabalho composto a uma formação coletiva de buscar subsídios para um bom desenvolvimento do campo educacional, visando condições de diagnosticar e solucionar problemas relacionados a essas dificuldades. Nesse sentido é atribuído a questões especificamente metodológicas. O presente estudo  explicita mecanismo de reprovação existente na prática pedagógica do professor revisando a literatura de Vera Barreto sobre a educação como um ato de conhecimento e de Frei Betto sobre a educação como um ato político. A afirmação é baseada numa pesquisa acompanhando o cotidiano das Escolas, tendo como técnica de investigação as contribuições de entrevistas, participantes e as teorias de alguns pesquisadores, enfocando a sala de aula e seus sujeitos como parte de uma totalidade a ser transformada, oportunizando assim, o acesso ao conhecimento, revigorando a esperança na possibilidade de cooperar com os interesses na produção dos trabalhadores na educação. Através de levantamento, criando e recriando hipóteses, base nas categorias de análise para o estudo, para análise das informações que foram obtidas através de um estudo de campo. Para este estudo, constitui-se como campo de pesquisa as Escolas, compreendendo sua gestora, educadores, educandos, bem como seus pais. Este por sua vez, foi evidenciado no 2° bimestre de 2010.
Da sociedade para o siste- ma escolar 1. Objetivos 2. Conteúdo Cultural 3. Recursos humanos 4. Recursos financeiros 5. Recursos de materiais 6. Alunos Sistema Escolar 1. Elementos não materiais 2. Entidades Mantedoras 3. Administração do sistema  Do sistema escolar para a  sociedade 1. Melhoria do nível cultural da  população 2. Aperfeiçoamento dos indivíduos 3. Formação de recursos humanos 4. Resultados de pesquisas Rede de Escolas 1. Dimensão Vertical (graus de ensino) 2. Dimensão horizontal (modalidades de ensino ) Figura 2.   Modelo de Sistema Escolar  JUSTIFICATIVA SOCIAL, BIBLIOGRÁFICA E PESSOAL
JUSTIFICATIVA  SOCIAL No campo social,as escolas determinam repercussões futuras e imprevisíveis de longo alcance. Estamos ainda longe de compreender a eficácia potencial da educação como fator de melhoria social. De compreender que ela representa não só o desenvolvimento das crianças e adolescentes de hoje, mas também o aperfeiçoamento da futura sociedade que será por eles construída.  A educação pode tornar-se um instrumento eficaz para a realização das mais belas esperanças da humanidade. Na sua própria natureza a  obra  educativa é  de  responsabilidade  tanto perante o individuo educando  como perante  a sociedade,  seus efeitos  positivos  ou negativos, são  no individuo profundos e duradouros. Durante toda vida em qualquer profissão de responsabilidade social exercer um cuidadoso preparo no ramo especializado da cultura referente a esse campo profissional.   A sociedade em defesa de seus mais altos interesses, não permite que exerçam profissão de professor indivíduos desprovidos da necessária habilitação embora represente o mínimo é a garantia que se pode exigir em que se propõe assumir tais responsabilidades no meio social sobre o qual vai atuar. A  educação e a instrução das novas  gerações é um trabalho  complexo  e  sutil da engenharia humana, trata-se nada menos do que desenvolver e formar o caráter, a inteligência e a personalidade das novas gerações de modo a integração na conjuntura da vida social como fatores positivos de bem estar, de melhoria e progresso humano.
JUSTIFICATIVA  BIBLIOGRÁFICA  E PESSOAL Paulo Freire mostra que não ensinamos ninguém, ajudamos alguém a aprender. E, quando estamos ensinando, estamos também aprendendo. O processo pedagógico é um processo dialógico, de diálogo, como ele frisava.   Foi sob forte impressão desta responsabilidade do educador, do individuo e da sociedade, que o grande Platão escrevia:” Mais importante que a ciência de governar um povo, é a ciência de educar a juventude”.   Ao analisar os mecanismos de preservação do poder nas sociedades capitalistas, teóricas da educação, tendo entre seus principais representantes, os nomes de Pierre Bourdieu, Jean Claude Passeron e Louis Althusser, chegaram a conclusão básica de que o sistema educacional cumpre a função de reproduzir a ideologia cultural das classes dominantes. O papel da escola na atualidade requer diversas habilidades no sentido de observar o perfil e a desenvoltura do corpo docente, no que diz respeito a ação pedagógica. O papel do professor por sua vez vem causando alguns questionamentos no sentido do cumprimento de suas obrigações, no que vem diretamente na sua prática e na reação dos alunos que permanecem alienados na sala de aula, sem desenvolvimento pela falta de interesse, falta de compromisso por parte dos pais e falta de estímulo do docente.
ANÁLISE DOS DADOS Pesquisa Cientifica na estrutura e funcionamento da educação básica: -Do que serve a tecnologia se a metodologia é a mesma? “ Não há saber maior ou saber menor. Há saberes diferentes”. (Paulo Freire) Figura 3. Responsabilidade social dos funcionários das Escolas 66% Não implementaram mudanças  34% Conscientizados e mobilizados ...“mais do que a escola,a família é a principal responsável pela transmissão social de um sentido de valores que induza os mais jovens a desenvolver suas capacidades morais e cognitivas... Nada substitui a presença dos pais que cooperem ativamente na criação dos filhos e valorizem o empenho escolar... A família é a primeira, a menor e a mais importante escola”. Gianetti ( apud Levisky, 1997 p.25)
Diante das Concepções Pedagógicas e das Mudanças Necessárias, entendemos que o ser humano vem de uma série de conceitos, que vem com uma cultura para dentro da escola e a escola vai dialogar com essa cultura para a construção de novos conhecimentos. Esta concepção implica numa mudança total da Escola, no  sentido da  ruptura  com a padronização, com o autoritarismo, com a uniformidade de tratamento e também modifica o método pedagógico por entender que o ser humano aprende na relação com os  conhecimentos sistematizados nas diferentes áreas do conhecimento. CONSIDERAÇÕES  FINAIS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUAL
O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUALO PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUAL
O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUAL
Ricardo Alves
 
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTOALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
Julhinha Camara
 
A função Social da Escola
A função Social da EscolaA função Social da Escola
A função Social da Escola
nadjelena
 
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLAFUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
Maria Isaltina Santana
 
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
marcaocampos
 
A autoridade do professor e a função da escola (2)
A autoridade do professor e a função da escola (2)A autoridade do professor e a função da escola (2)
A autoridade do professor e a função da escola (2)
Suellen87
 
Função social da escola
Função social da escolaFunção social da escola
Função social da escola
Johnny Ribeiro
 
AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...
AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...
AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...
UMINHO
 
A Função Social da Escola
A Função Social da EscolaA Função Social da Escola
A Função Social da Escola
leokos
 
EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.
EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.
EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.
Alle Steffen
 
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
jose marcelo silva
 
Artigo assistente scial na escola
Artigo assistente scial na escolaArtigo assistente scial na escola
Artigo assistente scial na escola
Silvio Santos de Sousa
 
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
bbetocosta77
 
didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2
jairdeoliveirajunior
 
Educação
EducaçãoEducação
Resumo inclusão escolar pontos e contrapontos Mantoan
Resumo inclusão escolar  pontos e contrapontos   MantoanResumo inclusão escolar  pontos e contrapontos   Mantoan
Resumo inclusão escolar pontos e contrapontos Mantoan
♥Marcinhatinelli♥
 
Função social da escola e educação ferreira
Função social da escola e educação ferreiraFunção social da escola e educação ferreira
Função social da escola e educação ferreira
Marco Antonio Tavares
 
Docencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavallet
Docencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavalletDocencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavallet
Docencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavallet
PROIDDBahiana
 
A funcao social da escola - síntese
A funcao social da escola - sínteseA funcao social da escola - síntese
A funcao social da escola - síntese
Johnny Ribeiro
 
Função Social da Escola - Condensado
 Função Social da Escola - Condensado Função Social da Escola - Condensado
Função Social da Escola - Condensado
Maria Isaltina Santana
 

Mais procurados (20)

O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUAL
O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUALO PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUAL
O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO JOVEM APRENDIZ NO CONTEXTO ATUAL
 
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTOALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
ALUNO: SUJEITO DO CONHECIMENTO
 
A função Social da Escola
A função Social da EscolaA função Social da Escola
A função Social da Escola
 
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLAFUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
 
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
 
A autoridade do professor e a função da escola (2)
A autoridade do professor e a função da escola (2)A autoridade do professor e a função da escola (2)
A autoridade do professor e a função da escola (2)
 
Função social da escola
Função social da escolaFunção social da escola
Função social da escola
 
AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...
AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...
AMBIÊNCIA ESCOLAR: Aspectos físico, sócio-econômico, cultural e de gestão esc...
 
A Função Social da Escola
A Função Social da EscolaA Função Social da Escola
A Função Social da Escola
 
EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.
EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.
EDUCAÇAO, POBREZA E DESIGUALDEADE SOCIAL.
 
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
 
Artigo assistente scial na escola
Artigo assistente scial na escolaArtigo assistente scial na escola
Artigo assistente scial na escola
 
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
 
didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2didatica ensino superior 2
didatica ensino superior 2
 
Educação
EducaçãoEducação
Educação
 
Resumo inclusão escolar pontos e contrapontos Mantoan
Resumo inclusão escolar  pontos e contrapontos   MantoanResumo inclusão escolar  pontos e contrapontos   Mantoan
Resumo inclusão escolar pontos e contrapontos Mantoan
 
Função social da escola e educação ferreira
Função social da escola e educação ferreiraFunção social da escola e educação ferreira
Função social da escola e educação ferreira
 
Docencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavallet
Docencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavalletDocencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavallet
Docencia no-ensino-superior-pimenta-anastasiou-cavallet
 
A funcao social da escola - síntese
A funcao social da escola - sínteseA funcao social da escola - síntese
A funcao social da escola - síntese
 
Função Social da Escola - Condensado
 Função Social da Escola - Condensado Função Social da Escola - Condensado
Função Social da Escola - Condensado
 

Destaque

Brookfield Home Design Pinheiros
Brookfield Home Design PinheirosBrookfield Home Design Pinheiros
Brookfield Home Design Pinheiros
Sergio Pripas
 
Marcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttori
Marcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttoriMarcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttori
Marcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttori
CertiMaC
 
El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales
El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales
El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales
valeria frattini
 
CV_JUAN GALVAN
CV_JUAN GALVANCV_JUAN GALVAN
CV_JUAN GALVAN
Juan F. Galván Montero
 
Design Interessantes em produtos
Design Interessantes em produtosDesign Interessantes em produtos
Design Interessantes em produtos
Rita Oliveira
 
Doc apoyo-2-desafios-a-la
Doc apoyo-2-desafios-a-laDoc apoyo-2-desafios-a-la
Doc apoyo-2-desafios-a-la
LEONARDO DE JESUS CARRILLO ARIZA
 
Unlimited Ocean Front
Unlimited Ocean FrontUnlimited Ocean Front
Unlimited Ocean Front
Sergio Pripas
 
Jose lp
Jose lpJose lp
Jose lp
Johan Curiel
 
El pei como herramienta de transformacion
El pei como herramienta de transformacionEl pei como herramienta de transformacion
El pei como herramienta de transformacion
LEONARDO DE JESUS CARRILLO ARIZA
 
MidTown pacaembu
MidTown pacaembuMidTown pacaembu
MidTown pacaembu
Sergio Pripas
 
Caso Eycos Parte 1
Caso Eycos Parte 1Caso Eycos Parte 1
Caso Eycos Parte 1
blessingluisa
 
Coletivo zine2 online
Coletivo zine2 onlineColetivo zine2 online
Coletivo zine2 online
Wagner Voorhees
 
Diagramas
DiagramasDiagramas
Indi Vila Olimpia
Indi Vila OlimpiaIndi Vila Olimpia
Indi Vila Olimpia
Sergio Pripas
 
Nosotros
NosotrosNosotros
Nosotros
eynardmartin
 
Org
OrgOrg
Rodriguez checo teerminado2
Rodriguez checo teerminado2Rodriguez checo teerminado2
Rodriguez checo teerminado2
Sergio Esteban
 
Pretest
PretestPretest
Pretest
chagoberto
 
NewWay Centro Sao Paulo
NewWay Centro Sao PauloNewWay Centro Sao Paulo
NewWay Centro Sao Paulo
Sergio Pripas
 
Festa do dia das mães
Festa do dia das mãesFesta do dia das mães
Festa do dia das mães
Geisy Rocha
 

Destaque (20)

Brookfield Home Design Pinheiros
Brookfield Home Design PinheirosBrookfield Home Design Pinheiros
Brookfield Home Design Pinheiros
 
Marcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttori
Marcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttoriMarcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttori
Marcatura ce blocchi da solaio in laterizio vademecum produttori
 
El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales
El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales
El rol de los tutores de enseñanza en entornos virtuales
 
CV_JUAN GALVAN
CV_JUAN GALVANCV_JUAN GALVAN
CV_JUAN GALVAN
 
Design Interessantes em produtos
Design Interessantes em produtosDesign Interessantes em produtos
Design Interessantes em produtos
 
Doc apoyo-2-desafios-a-la
Doc apoyo-2-desafios-a-laDoc apoyo-2-desafios-a-la
Doc apoyo-2-desafios-a-la
 
Unlimited Ocean Front
Unlimited Ocean FrontUnlimited Ocean Front
Unlimited Ocean Front
 
Jose lp
Jose lpJose lp
Jose lp
 
El pei como herramienta de transformacion
El pei como herramienta de transformacionEl pei como herramienta de transformacion
El pei como herramienta de transformacion
 
MidTown pacaembu
MidTown pacaembuMidTown pacaembu
MidTown pacaembu
 
Caso Eycos Parte 1
Caso Eycos Parte 1Caso Eycos Parte 1
Caso Eycos Parte 1
 
Coletivo zine2 online
Coletivo zine2 onlineColetivo zine2 online
Coletivo zine2 online
 
Diagramas
DiagramasDiagramas
Diagramas
 
Indi Vila Olimpia
Indi Vila OlimpiaIndi Vila Olimpia
Indi Vila Olimpia
 
Nosotros
NosotrosNosotros
Nosotros
 
Org
OrgOrg
Org
 
Rodriguez checo teerminado2
Rodriguez checo teerminado2Rodriguez checo teerminado2
Rodriguez checo teerminado2
 
Pretest
PretestPretest
Pretest
 
NewWay Centro Sao Paulo
NewWay Centro Sao PauloNewWay Centro Sao Paulo
NewWay Centro Sao Paulo
 
Festa do dia das mães
Festa do dia das mãesFesta do dia das mães
Festa do dia das mães
 

Semelhante a Keila01 projeto

Ensino pesquisextensão
Ensino pesquisextensãoEnsino pesquisextensão
ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.
ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.
ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.
Tissiane Gomes
 
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênioSão vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
Tania Braga
 
A escola e seu entorno social
A escola e seu entorno socialA escola e seu entorno social
A escola e seu entorno social
Catarina Louro
 
O uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaO uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aula
Edison Paulo
 
Educacao como processo_de_desenvolvimento
Educacao como processo_de_desenvolvimentoEducacao como processo_de_desenvolvimento
Educacao como processo_de_desenvolvimento
http://blogdomarcosmoraes.blogspot.com.br/
 
Eixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículoEixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículo
Eunice Portela
 
Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...
Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...
Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...
Aline Tonin Manso
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Patricia Fcm
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Patricia Fcm
 
Marlene monica
Marlene monicaMarlene monica
Marlene monica
Fernando Pissuto
 
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXIA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
Luana Couto
 
Dicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosDicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicos
Ana Magistério
 
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdfAula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
jonathanmartins084
 
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...
Luciana Torturello
 
O papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociaisO papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociais
Loureni Reis
 
ARQUIVO Claudete menegatt
ARQUIVO Claudete menegattARQUIVO Claudete menegatt
ARQUIVO Claudete menegatt
claudete menegatt
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
christianceapcursos
 
Ciências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiCiências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja ii
Ivo Fonseca
 
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoPPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
Ana Paula Silva
 

Semelhante a Keila01 projeto (20)

Ensino pesquisextensão
Ensino pesquisextensãoEnsino pesquisextensão
Ensino pesquisextensão
 
ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.
ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.
ARTIGO – PIBID E PROFESSOR: INTERSECÇÕES NA FORMAÇÃO DE UM NOVO PROFISSIONAL.
 
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênioSão vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
 
A escola e seu entorno social
A escola e seu entorno socialA escola e seu entorno social
A escola e seu entorno social
 
O uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaO uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aula
 
Educacao como processo_de_desenvolvimento
Educacao como processo_de_desenvolvimentoEducacao como processo_de_desenvolvimento
Educacao como processo_de_desenvolvimento
 
Eixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículoEixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículo
 
Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...
Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...
Zuppo abed-a.-o-desenvolvimento-das-habilidades-socioemocioais-como-caminho-p...
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
 
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
Diretrizes curriculares versao_preliminar_parte_1
 
Marlene monica
Marlene monicaMarlene monica
Marlene monica
 
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXIA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
A EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI
 
Dicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosDicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicos
 
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdfAula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
Aula 2 4a FEUSP A instituição escolar.pdf
 
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DO DIÁLOGO NO DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ESCO...
 
O papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociaisO papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociais
 
ARQUIVO Claudete menegatt
ARQUIVO Claudete menegattARQUIVO Claudete menegatt
ARQUIVO Claudete menegatt
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
 
Ciências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja iiCiências peja i e peja ii
Ciências peja i e peja ii
 
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoPPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
 

Keila01 projeto

  • 1. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB Credenciada pelo Decreto Estadual n° 7.344 de 27.05.1998 CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – CONSEPE JUSSARA KEILA NASCIMENTO DE SOUZA LIMA LINHA DE PESQUISA: EDUCAÇÃO E ÉTICA. TEMA: CULTURA DE PAZ. TÍTULO:DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM. PETROLÂNDIA 2010
  • 2.
  • 3. O ornograma representado pela figura 1 compreende as etapas do planejamento, correspondendo a pesquisa cientifica em questão. METODOLOGIA “ A classe dominante elaborou representações do real que, dissimulando e mascarando as contradições de base existentes no processo das relações sociais de produção, tornem o sistema social um todo harmônico e único. Assim as ideias da classe dominante são as ideias dominantes em cada época...” (Carlos R. Jamil Cury) Como desenvolver as atividades das Escolas na área em que impera o desemprego e a marginalização social? Objeto das ciências factuais (aplicadas)função social
  • 4. Este trabalho é inerente ao interesse da seqüência de um trabalho composto a uma formação coletiva de buscar subsídios para um bom desenvolvimento do campo educacional, visando condições de diagnosticar e solucionar problemas relacionados a essas dificuldades. Nesse sentido é atribuído a questões especificamente metodológicas. O presente estudo explicita mecanismo de reprovação existente na prática pedagógica do professor revisando a literatura de Vera Barreto sobre a educação como um ato de conhecimento e de Frei Betto sobre a educação como um ato político. A afirmação é baseada numa pesquisa acompanhando o cotidiano das Escolas, tendo como técnica de investigação as contribuições de entrevistas, participantes e as teorias de alguns pesquisadores, enfocando a sala de aula e seus sujeitos como parte de uma totalidade a ser transformada, oportunizando assim, o acesso ao conhecimento, revigorando a esperança na possibilidade de cooperar com os interesses na produção dos trabalhadores na educação. Através de levantamento, criando e recriando hipóteses, base nas categorias de análise para o estudo, para análise das informações que foram obtidas através de um estudo de campo. Para este estudo, constitui-se como campo de pesquisa as Escolas, compreendendo sua gestora, educadores, educandos, bem como seus pais. Este por sua vez, foi evidenciado no 2° bimestre de 2010.
  • 5. Da sociedade para o siste- ma escolar 1. Objetivos 2. Conteúdo Cultural 3. Recursos humanos 4. Recursos financeiros 5. Recursos de materiais 6. Alunos Sistema Escolar 1. Elementos não materiais 2. Entidades Mantedoras 3. Administração do sistema Do sistema escolar para a sociedade 1. Melhoria do nível cultural da população 2. Aperfeiçoamento dos indivíduos 3. Formação de recursos humanos 4. Resultados de pesquisas Rede de Escolas 1. Dimensão Vertical (graus de ensino) 2. Dimensão horizontal (modalidades de ensino ) Figura 2. Modelo de Sistema Escolar JUSTIFICATIVA SOCIAL, BIBLIOGRÁFICA E PESSOAL
  • 6. JUSTIFICATIVA SOCIAL No campo social,as escolas determinam repercussões futuras e imprevisíveis de longo alcance. Estamos ainda longe de compreender a eficácia potencial da educação como fator de melhoria social. De compreender que ela representa não só o desenvolvimento das crianças e adolescentes de hoje, mas também o aperfeiçoamento da futura sociedade que será por eles construída. A educação pode tornar-se um instrumento eficaz para a realização das mais belas esperanças da humanidade. Na sua própria natureza a obra educativa é de responsabilidade tanto perante o individuo educando como perante a sociedade, seus efeitos positivos ou negativos, são no individuo profundos e duradouros. Durante toda vida em qualquer profissão de responsabilidade social exercer um cuidadoso preparo no ramo especializado da cultura referente a esse campo profissional. A sociedade em defesa de seus mais altos interesses, não permite que exerçam profissão de professor indivíduos desprovidos da necessária habilitação embora represente o mínimo é a garantia que se pode exigir em que se propõe assumir tais responsabilidades no meio social sobre o qual vai atuar. A educação e a instrução das novas gerações é um trabalho complexo e sutil da engenharia humana, trata-se nada menos do que desenvolver e formar o caráter, a inteligência e a personalidade das novas gerações de modo a integração na conjuntura da vida social como fatores positivos de bem estar, de melhoria e progresso humano.
  • 7. JUSTIFICATIVA BIBLIOGRÁFICA E PESSOAL Paulo Freire mostra que não ensinamos ninguém, ajudamos alguém a aprender. E, quando estamos ensinando, estamos também aprendendo. O processo pedagógico é um processo dialógico, de diálogo, como ele frisava. Foi sob forte impressão desta responsabilidade do educador, do individuo e da sociedade, que o grande Platão escrevia:” Mais importante que a ciência de governar um povo, é a ciência de educar a juventude”. Ao analisar os mecanismos de preservação do poder nas sociedades capitalistas, teóricas da educação, tendo entre seus principais representantes, os nomes de Pierre Bourdieu, Jean Claude Passeron e Louis Althusser, chegaram a conclusão básica de que o sistema educacional cumpre a função de reproduzir a ideologia cultural das classes dominantes. O papel da escola na atualidade requer diversas habilidades no sentido de observar o perfil e a desenvoltura do corpo docente, no que diz respeito a ação pedagógica. O papel do professor por sua vez vem causando alguns questionamentos no sentido do cumprimento de suas obrigações, no que vem diretamente na sua prática e na reação dos alunos que permanecem alienados na sala de aula, sem desenvolvimento pela falta de interesse, falta de compromisso por parte dos pais e falta de estímulo do docente.
  • 8. ANÁLISE DOS DADOS Pesquisa Cientifica na estrutura e funcionamento da educação básica: -Do que serve a tecnologia se a metodologia é a mesma? “ Não há saber maior ou saber menor. Há saberes diferentes”. (Paulo Freire) Figura 3. Responsabilidade social dos funcionários das Escolas 66% Não implementaram mudanças 34% Conscientizados e mobilizados ...“mais do que a escola,a família é a principal responsável pela transmissão social de um sentido de valores que induza os mais jovens a desenvolver suas capacidades morais e cognitivas... Nada substitui a presença dos pais que cooperem ativamente na criação dos filhos e valorizem o empenho escolar... A família é a primeira, a menor e a mais importante escola”. Gianetti ( apud Levisky, 1997 p.25)
  • 9. Diante das Concepções Pedagógicas e das Mudanças Necessárias, entendemos que o ser humano vem de uma série de conceitos, que vem com uma cultura para dentro da escola e a escola vai dialogar com essa cultura para a construção de novos conhecimentos. Esta concepção implica numa mudança total da Escola, no sentido da ruptura com a padronização, com o autoritarismo, com a uniformidade de tratamento e também modifica o método pedagógico por entender que o ser humano aprende na relação com os conhecimentos sistematizados nas diferentes áreas do conhecimento. CONSIDERAÇÕES FINAIS