SlideShare uma empresa Scribd logo
A APRENDIZAGEM
SIGNIFICATIVA E O
DAS

ENSINO

CIÊNCIAS NATURAIS

Alunas:
Caroline Martins
Evelyn Fernandes
INTRODUÇÃO
Ensino médio (Física, Química e Biologia).
 Não há utilização de estratégias para o ensino.
 Faz-se necessário repensar a educação nesse nível.
 A aprendizagem significativa tem como precursor David
P. Ausubel.
 É uma aprendizagem auto-regulada, que privilegia
estratégias cognitivas.
 Metagonização e Motivação

Aprendizagem Significativa
Construção de um novo saber, saber fazer não só para aprender,
mas para aprender a aprender.
 É explicado pela teoria de assimilação de David P. Ausubel
(1989).
 A aprendizagem significativa pode ser por recepção e também
por descoberta.
 A teoria de Ausubel não nega a aprendizagem mecânica, mas
reconhece que esse tipo de aprendizagem diferencia-se de sua
proposta.



As principais diferenças entre os tipos de aprendizagens
comparadas

Aprendizagem
Significativa

Aprendizagem
por recepção
mecânica

A assimilação na aprendizagem significativa
decorre
de
relações
estabelecidas
intencionalmente entre o material novo
potencialmente significativo e as ideias já
existentes na estrutura cognitiva do aluno.

A assimilação na aprendizagem mecânica
decorre da acumulação de informações de
forma
arbitrária,
O
aluno
recebe
o
conhecimento e não relaciona com sua
estrutura cognitiva.
Tipos de conceitos
 A aprendizagem significativa refere-se á aprendizagem de
conceitos;
 Quando se fala em conceitos é preciso saber qual o tipo
referido.
 2 tipos:
 O primeiro tipo de conceito reflete o conjunto de propriedades
necessárias e suficientes, que permitem generalizar uma classe
de objetos.
O segundo tipo toma como base os aspectos comuns
compartilhados entre o protótipo e os exemplares
analisados.
 O diagnóstico do que sabe o aluno é a base para criar
situações de aprendizagem.

Tipos de Aprendizagens
>Segundo Ausubel, os seres humanos são capazes de aprender de forma significativa, relacionando
conceitos, ideias e proposições a idéias claras e disponíveis na estrutura cognitiva.
> Estabelecer relações entre os conceitos que o(a) alunos(a) dispõe na sua estrutura cognitiva e as
novas Informações;
>Disposição psicológica para relacionar as informações novas aos conhecimentos prévios;
>Três condições básicas:

1-Conhecimento novo
deve ser
potencialmente
significativo

2-A estrutura cognitiva
prévia deve comportar
a existência de
inclusores prévios

3-Predisposição, uma
atitude ativa a respeito
do conteúdo de
aprendizagem

Encontrar na estrutura
cognitiva possibilidade
de inclusão para
estabelecer uma relação
lógica.

Aumentam a capacidade
cognitiva, porque
incorporam a nova
informação e ampliam
as ideias já existentes

O(a) aluno(a) deve
apresentar um
disposição para
estabelecer relações e
não memorizações
mecânicas
Tipos de Aprendizagens - São três tipos de aprendizagem significativa
1º Aprendizagem de representações - Associação simbólica em nível primário
Exemplo: Depois de observar várias vezes a relação entre a palavra “copo” e
o conteúdo cognitivo (imagem visual do objeto), a apresen-tação apenas da
palavra será capaz de provocar na criança a imagem visual do copo. Isto
permitirá que ela desenhe o objeto, ou que escreva a palavra que o designa.
2º Aprendizagem de conceitos - Extensão da representação, nível mais abrangente e
abstrato
Exemplo: Realizada a aprendizagem representacional de copo, a criança vai
aprender que este objeto pode ser feito de materiais diversos; que uns são
mais resistentes do que outros; que há variações de valor/preço, de acordo
com os diferentes materiais.
3º Aprendizagem de proposições – É o inverso da Representacional. Necessita é claro
do conhecimento prévio dos conceitos e símbolos mas seu objetivo e promover uma
compreensão sobre uma proposição através da soma de conceitos mais ou menos
abstratos.
Exemplo o entendimento sobre algum aspecto social
Mecanismos de aprendizagem significativa- São duas sendo:
1º Diferenciação Progressiva
Conceitos mais específicos que progressivamente vão sendo incluidos como extensão
do conhecimento mais geral.
Os conceitos inclusores(já assimilado por quem aprende), são ampliados num
processo hierarquizado
2º Reconciliação Integrativa
Neste caso, a partir da definição de ser o triângulo uma figura com três lados, pode-se
definir aquele que tem os três lados iguais (equilátero).
Daí, apresenta-se um que tem apenas um lado diferente e que, portanto, não é
equilátero, mas é um triângulo, o isósceles. Por fim, apresenta-se o triângulo que não
tem nenhum lado igual ao outro, e que, portanto, apesar de ser um triângulo, não é o
isósceles nem o equilátero, mas o escaleno.
Esquematicamente, tem-se:
"Se eu tivesse de reduzir toda a
psicologia educacional a um único
princípio, diria isto: o fator singular
mais importante que influencia a
aprendizagem é aquilo que o
aprendiz já conhece. Descubra o
que ele sabe e baseie nisso os seus
ensinamentos". (AUSUBEL, 1980)

Obrigada!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Ana Mara Oliveira de Sousa
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
franpani
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis
 
Tendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciênciasTendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciências
Binatto
 
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Thomaz Edson Veloso da Silva
 
Filosofia e Educação
Filosofia e EducaçãoFilosofia e Educação
Filosofia e Educação
Prof. Saulo Bezerra
 
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TICEnsino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Angelo Branco
 
Ead Educação a Distância Power Point
Ead Educação a Distância Power PointEad Educação a Distância Power Point
Ead Educação a Distância Power Point
pattyduarte
 
Aula 19 seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubel
Aula 19   seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubelAula 19   seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubel
Aula 19 seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubel
Helio Maia
 
Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
Peedagogia
 
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
profamiriamnavarro
 
Aula 04 metodologia de um tcc
Aula 04   metodologia de um tccAula 04   metodologia de um tcc
Aula 04 metodologia de um tcc
Hidematuda
 
Teorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em MedicinaTeorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em Medicina
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
zearalenona
 
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio. Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Fran Maciel
 
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecb
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecbImportância do uso de metodologias alternativas para o ecb
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecb
AlissonBarbosaBio
 
Apresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de MestradoApresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de Mestrado
giselle_trajano
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
denisecgomes
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
Carlos Caldas
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
rivanialeao
 

Mais procurados (20)

Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Tendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciênciasTendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciências
 
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
 
Filosofia e Educação
Filosofia e EducaçãoFilosofia e Educação
Filosofia e Educação
 
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TICEnsino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
 
Ead Educação a Distância Power Point
Ead Educação a Distância Power PointEad Educação a Distância Power Point
Ead Educação a Distância Power Point
 
Aula 19 seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubel
Aula 19   seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubelAula 19   seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubel
Aula 19 seminário - teoria da aprendizagem significativa de ausubel
 
Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
 
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
 
Aula 04 metodologia de um tcc
Aula 04   metodologia de um tccAula 04   metodologia de um tcc
Aula 04 metodologia de um tcc
 
Teorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em MedicinaTeorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em Medicina
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio. Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
Observação, Questionário e Entrevista. Autor: Profa Anna Buy - PUC Rio.
 
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecb
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecbImportância do uso de metodologias alternativas para o ecb
Importância do uso de metodologias alternativas para o ecb
 
Apresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de MestradoApresentação da Dissertação de Mestrado
Apresentação da Dissertação de Mestrado
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
 

Destaque

A.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.PpointA.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.Ppoint
Albano Novaes
 
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciênciasConsiderações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Mirtes Campos
 
Conteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências NaturaisConteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências Naturais
pibidbio
 
Formação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de cienciasFormação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de ciencias
Arminda Almeida da Rosa
 
Ciências naturais no terceiro ciclo
Ciências naturais no terceiro cicloCiências naturais no terceiro ciclo
Ciências naturais no terceiro ciclo
pibidbio
 
PCN de Ciencias Naturais e Biologia
PCN de Ciencias Naturais e BiologiaPCN de Ciencias Naturais e Biologia
PCN de Ciencias Naturais e Biologia
Mario Amorim
 
04. ciências naturais
04. ciências naturais04. ciências naturais
04. ciências naturais
celikennedy
 
Alfabetização científica
Alfabetização científicaAlfabetização científica
Alfabetização científica
vieiraemoraes
 
Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...
Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...
Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...
Universidade Federal de Pernambuco
 
Pcn
PcnPcn
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturaisA alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
Luciana Corrêa
 
PCN e Ensino de Ciências
PCN e Ensino de CiênciasPCN e Ensino de Ciências
PCN e Ensino de Ciências
fimepecim
 
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de BiologiaProfessor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
hyguer
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
Roshelly Milanez
 
I uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciências
I uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciênciasI uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciências
I uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciências
Gilvandenys Leite Sales
 
A função do educador infantil no ensino de ciencias
A função do educador infantil no ensino de cienciasA função do educador infantil no ensino de ciencias
A função do educador infantil no ensino de ciencias
Nyara Marques
 
Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)
Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)
Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)
marcusNOGUEIRA
 
O ensino de Ciências Naturais e a construção da cultura
O ensino de Ciências Naturais e a construção da culturaO ensino de Ciências Naturais e a construção da cultura
O ensino de Ciências Naturais e a construção da cultura
Editora Moderna
 
Alfabetização cientifica slide2
Alfabetização cientifica slide2Alfabetização cientifica slide2
Alfabetização cientifica slide2
Andreus Cruz
 
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações queA aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
pibidbio
 

Destaque (20)

A.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.PpointA.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.Ppoint
 
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciênciasConsiderações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
 
Conteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências NaturaisConteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências Naturais
 
Formação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de cienciasFormação de professor e o ensino de ciencias
Formação de professor e o ensino de ciencias
 
Ciências naturais no terceiro ciclo
Ciências naturais no terceiro cicloCiências naturais no terceiro ciclo
Ciências naturais no terceiro ciclo
 
PCN de Ciencias Naturais e Biologia
PCN de Ciencias Naturais e BiologiaPCN de Ciencias Naturais e Biologia
PCN de Ciencias Naturais e Biologia
 
04. ciências naturais
04. ciências naturais04. ciências naturais
04. ciências naturais
 
Alfabetização científica
Alfabetização científicaAlfabetização científica
Alfabetização científica
 
Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...
Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...
Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com ...
 
Pcn
PcnPcn
Pcn
 
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturaisA alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
A alfabetização científica da teoria a prática no ensino de ciências naturais
 
PCN e Ensino de Ciências
PCN e Ensino de CiênciasPCN e Ensino de Ciências
PCN e Ensino de Ciências
 
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de BiologiaProfessor Investigador versus Ensino de Biologia
Professor Investigador versus Ensino de Biologia
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
I uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciências
I uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciênciasI uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciências
I uabce abordagen didático pedagógica para o ensino de ciências
 
A função do educador infantil no ensino de ciencias
A função do educador infantil no ensino de cienciasA função do educador infantil no ensino de ciencias
A função do educador infantil no ensino de ciencias
 
Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)
Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)
Análise do filme "A Língua das Mariposas" (1999)
 
O ensino de Ciências Naturais e a construção da cultura
O ensino de Ciências Naturais e a construção da culturaO ensino de Ciências Naturais e a construção da cultura
O ensino de Ciências Naturais e a construção da cultura
 
Alfabetização cientifica slide2
Alfabetização cientifica slide2Alfabetização cientifica slide2
Alfabetização cientifica slide2
 
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações queA aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
 

Semelhante a A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje

PELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdf
PELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdfPELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdf
PELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdf
AdrianaCirino
 
Teoria da Aprendizagem Significativa
Teoria da Aprendizagem SignificativaTeoria da Aprendizagem Significativa
Teoria da Aprendizagem Significativa
Fernando S. S. Barbosa
 
Mtc 01 ausubel
Mtc   01 ausubelMtc   01 ausubel
Mtc 01 ausubel
Allan Ulisses
 
Teoria da aprendizagem_ausubel
Teoria da aprendizagem_ausubelTeoria da aprendizagem_ausubel
Teoria da aprendizagem_ausubel
Mary Carneiro Rezende
 
ausubel.ppt
ausubel.pptausubel.ppt
David asubel
David asubelDavid asubel
David asubel
Tony Oliveira
 
94362140-AUSUBEL.ppt
94362140-AUSUBEL.ppt94362140-AUSUBEL.ppt
94362140-AUSUBEL.ppt
MrciaFernandesdeFari
 
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistasOrientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
familiaestagio
 
Teoria Da Aprendizagem Ausubel
Teoria Da Aprendizagem AusubelTeoria Da Aprendizagem Ausubel
Teoria Da Aprendizagem Ausubel
Mary Carneiro
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
O Blog do Pedagogo
 
Aprendizagem significativa unidade 1curso 2
Aprendizagem significativa   unidade 1curso 2Aprendizagem significativa   unidade 1curso 2
Aprendizagem significativa unidade 1curso 2
adriana cavalcanti
 
Atividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubelAtividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubel
Raquel Alves
 
Atividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubelAtividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubel
Raquel Alves
 
As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.
As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.
As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.
Pedrofeier
 
aprendizagem significatica, teórico David Ausubel
aprendizagem significatica, teórico David Ausubelaprendizagem significatica, teórico David Ausubel
aprendizagem significatica, teórico David Ausubel
adrianaguedesbatista
 
SLIDE EDITAD.pptx
SLIDE EDITAD.pptxSLIDE EDITAD.pptx
SLIDE EDITAD.pptx
Universidade Politecnica
 
Mtc 02 aprendizagem significativa
Mtc   02 aprendizagem significativaMtc   02 aprendizagem significativa
Mtc 02 aprendizagem significativa
Allan Ulisses
 
Aprendizagem significativa da visão clássica a visão crítica
Aprendizagem significativa  da visão clássica a visão críticaAprendizagem significativa  da visão clássica a visão crítica
Aprendizagem significativa da visão clássica a visão crítica
Mary Carneiro Rezende
 
Apresentação de slides
Apresentação de slidesApresentação de slides
Apresentação de slides
thayselm
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografia
Rafael Machado
 

Semelhante a A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje (20)

PELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdf
PELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdfPELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdf
PELIZZARI et al-Teoria da aprendizagem significativa.pdf
 
Teoria da Aprendizagem Significativa
Teoria da Aprendizagem SignificativaTeoria da Aprendizagem Significativa
Teoria da Aprendizagem Significativa
 
Mtc 01 ausubel
Mtc   01 ausubelMtc   01 ausubel
Mtc 01 ausubel
 
Teoria da aprendizagem_ausubel
Teoria da aprendizagem_ausubelTeoria da aprendizagem_ausubel
Teoria da aprendizagem_ausubel
 
ausubel.ppt
ausubel.pptausubel.ppt
ausubel.ppt
 
David asubel
David asubelDavid asubel
David asubel
 
94362140-AUSUBEL.ppt
94362140-AUSUBEL.ppt94362140-AUSUBEL.ppt
94362140-AUSUBEL.ppt
 
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistasOrientações behavioristas e orientações construtivistas
Orientações behavioristas e orientações construtivistas
 
Teoria Da Aprendizagem Ausubel
Teoria Da Aprendizagem AusubelTeoria Da Aprendizagem Ausubel
Teoria Da Aprendizagem Ausubel
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
Aprendizagem significativa unidade 1curso 2
Aprendizagem significativa   unidade 1curso 2Aprendizagem significativa   unidade 1curso 2
Aprendizagem significativa unidade 1curso 2
 
Atividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubelAtividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubel
 
Atividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubelAtividade teoria ausubel
Atividade teoria ausubel
 
As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.
As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.
As teorias de Robert Gagné, Jerome Bruner, David Ausubel e Paulo Freire.
 
aprendizagem significatica, teórico David Ausubel
aprendizagem significatica, teórico David Ausubelaprendizagem significatica, teórico David Ausubel
aprendizagem significatica, teórico David Ausubel
 
SLIDE EDITAD.pptx
SLIDE EDITAD.pptxSLIDE EDITAD.pptx
SLIDE EDITAD.pptx
 
Mtc 02 aprendizagem significativa
Mtc   02 aprendizagem significativaMtc   02 aprendizagem significativa
Mtc 02 aprendizagem significativa
 
Aprendizagem significativa da visão clássica a visão crítica
Aprendizagem significativa  da visão clássica a visão críticaAprendizagem significativa  da visão clássica a visão crítica
Aprendizagem significativa da visão clássica a visão crítica
 
Apresentação de slides
Apresentação de slidesApresentação de slides
Apresentação de slides
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografia
 

Último

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 

Último (20)

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 

A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje

  • 1. A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA E O DAS ENSINO CIÊNCIAS NATURAIS Alunas: Caroline Martins Evelyn Fernandes
  • 2. INTRODUÇÃO Ensino médio (Física, Química e Biologia).  Não há utilização de estratégias para o ensino.  Faz-se necessário repensar a educação nesse nível.  A aprendizagem significativa tem como precursor David P. Ausubel.  É uma aprendizagem auto-regulada, que privilegia estratégias cognitivas.  Metagonização e Motivação 
  • 3. Aprendizagem Significativa Construção de um novo saber, saber fazer não só para aprender, mas para aprender a aprender.  É explicado pela teoria de assimilação de David P. Ausubel (1989).  A aprendizagem significativa pode ser por recepção e também por descoberta.  A teoria de Ausubel não nega a aprendizagem mecânica, mas reconhece que esse tipo de aprendizagem diferencia-se de sua proposta. 
  • 4.  As principais diferenças entre os tipos de aprendizagens comparadas Aprendizagem Significativa Aprendizagem por recepção mecânica A assimilação na aprendizagem significativa decorre de relações estabelecidas intencionalmente entre o material novo potencialmente significativo e as ideias já existentes na estrutura cognitiva do aluno. A assimilação na aprendizagem mecânica decorre da acumulação de informações de forma arbitrária, O aluno recebe o conhecimento e não relaciona com sua estrutura cognitiva.
  • 5. Tipos de conceitos  A aprendizagem significativa refere-se á aprendizagem de conceitos;  Quando se fala em conceitos é preciso saber qual o tipo referido.  2 tipos:  O primeiro tipo de conceito reflete o conjunto de propriedades necessárias e suficientes, que permitem generalizar uma classe de objetos.
  • 6. O segundo tipo toma como base os aspectos comuns compartilhados entre o protótipo e os exemplares analisados.  O diagnóstico do que sabe o aluno é a base para criar situações de aprendizagem. 
  • 7. Tipos de Aprendizagens >Segundo Ausubel, os seres humanos são capazes de aprender de forma significativa, relacionando conceitos, ideias e proposições a idéias claras e disponíveis na estrutura cognitiva. > Estabelecer relações entre os conceitos que o(a) alunos(a) dispõe na sua estrutura cognitiva e as novas Informações; >Disposição psicológica para relacionar as informações novas aos conhecimentos prévios; >Três condições básicas: 1-Conhecimento novo deve ser potencialmente significativo 2-A estrutura cognitiva prévia deve comportar a existência de inclusores prévios 3-Predisposição, uma atitude ativa a respeito do conteúdo de aprendizagem Encontrar na estrutura cognitiva possibilidade de inclusão para estabelecer uma relação lógica. Aumentam a capacidade cognitiva, porque incorporam a nova informação e ampliam as ideias já existentes O(a) aluno(a) deve apresentar um disposição para estabelecer relações e não memorizações mecânicas
  • 8. Tipos de Aprendizagens - São três tipos de aprendizagem significativa 1º Aprendizagem de representações - Associação simbólica em nível primário Exemplo: Depois de observar várias vezes a relação entre a palavra “copo” e o conteúdo cognitivo (imagem visual do objeto), a apresen-tação apenas da palavra será capaz de provocar na criança a imagem visual do copo. Isto permitirá que ela desenhe o objeto, ou que escreva a palavra que o designa. 2º Aprendizagem de conceitos - Extensão da representação, nível mais abrangente e abstrato Exemplo: Realizada a aprendizagem representacional de copo, a criança vai aprender que este objeto pode ser feito de materiais diversos; que uns são mais resistentes do que outros; que há variações de valor/preço, de acordo com os diferentes materiais. 3º Aprendizagem de proposições – É o inverso da Representacional. Necessita é claro do conhecimento prévio dos conceitos e símbolos mas seu objetivo e promover uma compreensão sobre uma proposição através da soma de conceitos mais ou menos abstratos. Exemplo o entendimento sobre algum aspecto social
  • 9. Mecanismos de aprendizagem significativa- São duas sendo: 1º Diferenciação Progressiva Conceitos mais específicos que progressivamente vão sendo incluidos como extensão do conhecimento mais geral. Os conceitos inclusores(já assimilado por quem aprende), são ampliados num processo hierarquizado
  • 10. 2º Reconciliação Integrativa Neste caso, a partir da definição de ser o triângulo uma figura com três lados, pode-se definir aquele que tem os três lados iguais (equilátero). Daí, apresenta-se um que tem apenas um lado diferente e que, portanto, não é equilátero, mas é um triângulo, o isósceles. Por fim, apresenta-se o triângulo que não tem nenhum lado igual ao outro, e que, portanto, apesar de ser um triângulo, não é o isósceles nem o equilátero, mas o escaleno. Esquematicamente, tem-se:
  • 11.
  • 12. "Se eu tivesse de reduzir toda a psicologia educacional a um único princípio, diria isto: o fator singular mais importante que influencia a aprendizagem é aquilo que o aprendiz já conhece. Descubra o que ele sabe e baseie nisso os seus ensinamentos". (AUSUBEL, 1980) Obrigada!!!