O modelo romano 1314

955 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
955
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O modelo romano 1314

  1. 1. Módulo I – Raízes mediterrânicas da civilização europeia – cidade, cidadania e império na Antiguidade Clássica O modelo romano
  2. 2. Conteúdos • Um mundo de cidades • O poder imperial • A codificação do direito • A progressiva extensão da cidadania • A cultura romana: pragmatismo e influência helénica • A romanização da Península Ibérica
  3. 3. Aprendizagens • Localizar o espaço imperial romano • Reconhecer o carácter urbano da civilização romana • Explicar a importância do imperador como elemento de coesão política • Salientar a riqueza e a utilidade do direito • Interpretar a extensão do direito de cidadania romana como processo de integração • Identificar na romanização da Península Ibérica os instrumentos de aculturação das populações submetidas • Distinguir formas de organização do
  4. 4. Cidades Com os objetivo de melhor administrarem o Império, os Romanos remodelaram ou fundaram cidades. Estas atraíam as populações indígenas, que aí se adaptavam ao modo de vida romano. O Império revestiu a forma de uma federação de cidades que, apesar de submetidas a Roma, dispunham de estruturas administrativas próprias que lhes conferiam autonomia.
  5. 5. O culto a Roma e ao imperador Divinizaram a figura do imperador e, com ela, a autoridade do Estado. Adorado como um deus em todas as regiões do Império, o imperador tornouse o garante da paz e da prosperidade dos povos, detentor de um poder supremo e inconstestado.
  6. 6. Organização política do estado romano no período imperial
  7. 7. Exército e a imigração Os legionários romanos que se estabeleciam nos territórios conquistados eram portadores e, portanto, difusores da cultura romana. Os membros do exército que eram recrutados entre a população indígena, uma vez reformados, regressavam às suas terras com uma nova maneira de pensar. No século I a. C., quando a crise política em Roma, vários dos seus habitantes da classe alta vieram viver para a Hispânia, reforçando, pela sua presença, a romanização da Península Ibérica.
  8. 8. As autoridades provinciais Os governadores e magistrados estabeleceram um clima de paz, confiança e tolerância entre os nativos, o que favoreceu a atracção destes pela civilização romana. Paralelamente, fundaram escolas onde os filhos dos chefes indígenas eram educados à maneira romana para se tornarem, mais tarde, as elites locais.
  9. 9. A língua, a religião e o Direito Todos os habitantes do Império passaram, de forma gradual, a falar o latim; os deuses romanos eram adoptados a par das divindades locais, e todos prestavam culto ao imperador. Todo o Império se regia pelas mesmas leis, as quais reflectiam a mentalidade romana.
  10. 10. O desenvolvimento económico Os Romanos exploraram e desenvolveram as regiões ocupadas: enquanto nas villae (grandes propriedades rústicas) se produzia, numa agricultura intensiva, os cereais, o vinho e o azeite e se praticava a pecuária (bovinos e suínos), nas cidades proliferavam as forjas, olarias, tecelagens e a indústria conserveira.
  11. 11. As estradas As estradas romanas, muitas das quais pavimentadas e pontuadas por marcos miliários, complementadas pelas pontes, foram essenciais para a administração do território e para o desenvolvimento do comércio, criandose, pela primeira vez na História, um espaço económico livre de barreiras à escala europeia.
  12. 12. A progressiva extensão da cidadania A plena cidadania romana implicava um conjunto de direitos civis e políticos. Em 212 a.C. o imperador Caracala concedeu plena cidadania romana a todos os habitantes livres do Império. Participantes dos mesmos direitos e da mesma dignidade dos seus conquistadores, os habitantes do Império deixaram de se sentir súbditos e passaram a olhar-se como verdadeiros romanos.

×