O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Resumo de matéria de História 10º ano

  • Seja o primeiro a comentar

Resumo de matéria de História 10º ano

  1. 1. Historia Grécia (página 14, 19, 24) - Grécia fica na Europa, na Península Balcânica e havia Grécia Continental, Grécia Insular e Grécia Asiática. Onde eles viviam, o solo era árido, era montanhoso, havia poucos rios e o litoral era com bons portos naturais. O clima era quente e seco e era mau para a agricultura e houve problemas porque tinham de cultivar alimentos suficientes para a maioria da Pólis. O mar era muito importante para Atenas. - Os gregos viviam em PÓLIS (cidade-estado, pequenas cidades dentro do país) com uma cultura, história e línguas iguais. A comunicação entre as Pólis era difícil por causa das montanhas. Cada Pólis tinha as suas próprias leis, uma moeda própria, território (cidade + compras envolventes), um governo, corpo civil (grupo de pessoas responsáveis pelo governo). Organização Física da Pólis (página 27) ● Zona Rural ● Zona Urbana - Habitação - Edifícios Públicos (a maioria eram da Ágora) Acrópole – vida religiosa Asty Ágora – praça publica, centro de vida pública e económica Cronologia ● Oligarquia – governo de poucos, ou seja eram poucos os que governavam. ● Tirania – uma pessoa governa, e utiliza a força/exército. ● Democracia – Clistenes – “Pai” desta democracia. 1º Modelo de democracia ateniense
  2. 2. No Mundo Fragmentado dos gregos é a cultura que assegura a Unidade: - A mesma língua - Os mesmos deuses - Os mesmos santuários - A mesma forma de vida Helenos (pan helenismo) Democracia Desafogo Económico Atenas – centro cultural Filosofia, teatro Artistas Grandiosos Espectáculos Democracia: O povo governa O povo elege quem governa Democracia Representativa – Através do voto, o povo elege quem governa. Democracia Directa – Todos os cidadãos tinha acento na assembleia (Éclesia) e todos tinham igualdade no direito à palavra e à sua opinião. Não havia representante. Esta era a democracia de Atenas. Limites da democracia ateniense: - Escravatura - Discriminação das mulheres - Conceitos de cidadão Corpo Cívico Actual – qualquer pessoa que possa votar – cidadão
  3. 3. Grécia Clássica Cidadão – homem com mais de 20 anos, filhos de pai e mãe ateniense, com serviço militar cumprido. Apenas os cidadãos podem pertencer ao corpo cívico. Eram os únicos com direitos políticos. A mãe do cidadão é a família e o pai era cidadão. Todos os cidadãos podem votar, podem dizer o que pensam acerca dos assuntos, têm todos acento na assembleia (Eclésia) = Democracia Directa Famílias dos cidadãos – eram familiares que não eram cidadão ou não eram atenienses. Não tinham directos políticos. As mulheres eram mães, cuidavam dos filhos e tomavam conta da casa. Metecos: estrangeiros que residiam em Atenas, para ser meteco bastava não tinham o pai ou a mãe ou os dois atenienses, vinham doutra cidade, mesmo se fosse a cidade ao lado, era grandes negociadores, dedicavam às actividades (ex: trabalhavam em terras, comércio, etc), eram responsável pela riqueza do país porque tinham de pagar impostos. Escravo – “objecto”, pertencia a alguém e tinha de fazer o que o dono dizia. Serviam para trabalhar, eram obrigados a ir à guerra. (página 38 – definição de escravo e o gráfico) Escravo pedagogo – acompanhava o futuro cidadão à escola Mulher Legitima – mulher casada com um cidadão. Apeniques – local onde reuniam (ao ar livre, anfiteatro ou numa montanha). (Página 31 Doc. 9) A partir de Péricles o grau de riqueza não fazia diferença, antes disso era ao contrário. Péricles introduziu a ideia de pagar a todos os cidadãos para participarem na assembleia, achava que todos os cidadãos tinham de ter igualdade, até aos ricos pagava para não haver limitações que impossibilitassem a ida dos cidadãos à assembleia, o que antes de Péricles acontecia devido ao dinheiro.
  4. 4. Fundamentos da democracia ateniense (Péricles): - ISONOMIA (igualdade dos cidadãos perante a lei) - ISOCRACIA (igualdade dos cidadãos no acesso a cargos políticos) - ISEGORIA (igualdade dos cidadãos no uso da palavra, eram todos ouvidos da mesma forma – retórica e oratória) Mecanismos de garantia de funcionamento de sistema: - OSTRACISMOS - GRAPHÈ PARANOMON - PRESTAÇÃO DE CONTAS Estrategos – governar a cidade – é por eleição porque as pessoas têm de ter certas características adequados. Tinham de seres grandes líderes. Bulé – tratar das leis, faz leis mais específicos – poder legislativo Os buleutas iam para as pritanias para 36 dias. Pritonias – tratavam diariamente das leis. Gineceu – sala destinada a mulheres e filhos. Eclésia – estavam lá os cidadãos - tinha o poder de votar as leis - tinha o poder de fazer as leis – poder legislativo Oratória – arte de bem falar. Escolas Rectórias – preparavam os futuros cidadãos a arte de bem falar, de argumentar. Helieu – julgavam muitos crimes. A religião era sempre a explicação para os acontecimentos do dia-a-dia explica-se através dos deuses.
  5. 5. As pessoas dos arcontes quando eram mais velhos iam para o areópago – porque tinham mais experiência – tratavam de crimes. Nos julgamentos o acusador e o juiz tinham o mesmo tempo – que era medido pelo relógio de água. (página 34) Perigos: Protecção da Democracia (página 36 e 37) Ostracismo – todos os anos, reunidos na Ágora, os membros da Eclésia escreviam numa placa o nome de um cidadão que estava a ser perturbador do bom funcionamento da democracia. Caso se reunissem 6000 votos, esse cidadão era ostracizado, ou seja posto de parte e tinha que sair da cidade-estado durante 10 anos. Isto aconteceu porque podia ser um grande perigo para a democracia a tomada de um poder apenas por um homem (que se estava a achar demasiado importante). Veto – contra Demagogia – fazer uma proposta que embora idealmente seja correcta mas que não tem aplicação prática. A pessoa que faz demagogia mente e não faz o que diz. Escultura Grega: - Não eram muito realistas na escultura. - Matematizaram a arquitectura, era tudo equilibrado, cada coisa tinha uma determinada medida, só assim é que era beleza. - Os gregos davam mais importância aos edifícios públicos do que a sua própria casa. - Cada escultura tinha uma mensagem – a acção (a fazer qualquer coisa). - A maioria dos edifícios eram feitos de Calcário (principal) e Mármore. - Os gregos, ao construírem um edifício não utilizam arcos, não conseguiram fazer edifícios tão altos como os romanos, porque usavam rectas. - Edifícios dos gregos eram feitos com isto.
  6. 6. - Não tinham só uma ordem tinham 3 – JÓNICA, DÓRICA e CURINTIA (não é muito utilizado) - Os edifícios e as estatuas eram pintados para ter um ar mais humano. (página 55, 56 e 57(explicar)) Jónica – associada ao feminino Dórica – associada ao masculino Templo: casa do deus - O Friso parece que tem linha direitas mas na verdade são um pouco curvada. - Frontão tinha escultura também mas agora estão num museu. - Duas pessoas queriam ser protectores da cidade: - Atena ofereceu paz e uma oliveira. - o outro ofereceu uma fonte com água - Haviam 2 tipos de escultura: - Vulvo Redondo - Relevo - A maioria das pinturas e as esculturas perderam-se. - Faziam pinturas nas paredes das casas mais ricas. - Os gregos faziam pinturas nos vasos que eram figuras geométricas. Roma, cidade ordenadora do Império - Latinos e Sabinos estavam em Itália no princípio - Roma passou a uma república - Antes de 27 a.C. já existia o império romano mas só territorial – onde conquistavam várias terras. Depois de 27 a.C. ainda era império territorial mas tinha um poder político. - Octávio César Augusto enquanto imperador ele tinha este nome, só depois de morrer, tornou-se Augusto. - Os romanos usavam os nomes César e Augusto em honra.
  7. 7. Séc. VIII a.C. – fundação de um povoado nas margens do Rio Tibre. - Etruscos (povos mais importantes) conquistam a cidade e fundam uma monarquia. - Crescimento e enriquecimento da cidade. - 509 a.C. fundação da República (até 27 a.C.) Foi nesta altura que foi o inicio da expansão territorial. Página 73 - Foi conquistado em 4 fases. 1- V a.C. e IV a.C. – Foi conquistada a Península Itálica. 2- III a.C. e II a.C. – Península Ibérica, Península Balcânica, territórios no Norte de África, costa adriática da Península Balcânica, Ásia Menor, Sul da Gália, Médio Oriente 3- I a.C. e I d.C. – Alargamento de fronteira: Ásia Menor, Médio Oriente, Norte de África, Sul da Bretanha 4- II d.C. (…) – Alargamento de todas as fronteiras. Mare Nostrum = Lago Romano - Império Romano demorou acerca de 3 séculos a ser conquistada. - A Europa e os seus estados nasceram com a queda do Império Romano. Motivações para a conquista: 1º - Necessidade de DEFESA. 2º - Razões económicas, de poder, de prestígio, RIQUEZA. - Para os romanos os bárbaros eram pessoas com um nível de vida mais baixo que eles e que não falavam latim nem grego. - O Império Romano durou mil anos. - O Império tinha uma variedade de povos (gregos, semi-nomadas, romanos…) - As cidades eram “urbes” porque tinham muralhas à volta, porque eram importantes, as pessoas lá dentro faziam comércio para sobreviver. (página 74)
  8. 8. Elementos de ligação entre os cidadãos do Império romano - Administração – relativa autonomia das cidades centralizada em Roma. - Direito Romano - Rede Viária (estradas) e Mar Mediterrâneo - Exército (importante) – se uma pessoa fosse para o exército tinham mais probabilidade a conquistar mais terras e aprendiam o latim, os direitos humanos, etc… - Imperador - O acesso à cidadania – primeiro só os romanos podiam ser cidadãos, depois alargou para quase todo o Império. (página 75/77) Ancião – pessoas normalmente mais velhas e com famílias perto do rei. Patrícios – pessoas ricas e próximas do rei Plebeus – não pertencem às famílias perto do rei. Os que não são importantes: - Escravos - Libertos - Clientes Libertos – antigos escravos que foram libertos, os seus filhos já vão ser plebeus. Alguns clientes podem ser patrícios ou plebeus. República A coisa de todos/coisa pública
  9. 9. - Os magistrados ficaram com o poder do rei quando foi a implantação da república. EDIS da plebe – representantes do povo romano. (página 75) Cidadãos Romanos – cidadãos que iam para a guerra. POVO ROMANO ≠ CIDADÃO ROMANO SÃO TODO SÓ CIDADÃOS - Senado romano chegou a ter 600 pessoas. - As mulheres tinham a mesma educação que os cidadãos. O Direito Romano Há dois tipos de direitos: - O direito enquanto um conjunto de leis/regras. - O direito enquanto qualquer coisa a aceder (fazer qualquer coisa). (Pág. 81 – descrição do direito romano) O direito romano divide-se em: - Direito Público - Direito Privado Direito Consuetudinário – conjunto de normas. Os plebeus eram os mais prejudicados com esse direito. As leis não indicavam o que acontecia se uma pessoa desrespeitasse as leis, ficava ao critério do juiz e dependia da sociedade desse local – o que acontecia.
  10. 10. Lei das 12 tábuas (séc. X a.C.) – leis mais adequados. Exemplo: uma pessoa roubava uma maçã – metiam uma lei a proibir as pessoas a roubar uma maçã… Quem podia fazer leis: - Senadores - Espretores (magistrados) - Imperador - Jurisconsulto - Províncias Havia repetições, contradições, etc, nas Leis Das 12 Tábuas, havia tantas leis que era muito confuso (milhares de leis para o Império Romano). Resolução O imperador Justiniano vai encarregar um grupo de pessoas para fazer uma reorganização das leis. Isto é reunir todas as leis romanas e eliminar as repetições, as contradições, etc, e conseguir fazer leis de tal maneira abrangente (simples). E isto foi chamado o CÓDIGO JUSTINIANO. (página 82) Exemplo: Em vez de haver uma lei que diz não roubar maçãs e outra que diz não roubar peras – fazer uma só. Qualquer acção que uma pessoa fizesse a desrespeitar as leis tinha o mesmo tratamento em todo o império romano. Direito de cidadania (direito dos habitantes da cidade) Cidade
  11. 11. Não Cidadãos (sem direito de cidadania) Cidadãos (com direitos de cidadania) - Estipendiárias - Feteradas (pagavam impostos nesta cidade) - Colónias (Direito Romano) - Municípios (não tinham D.R. mas tinha quase que era o Direito Latina) Se um cidadão de Roma tiver Direito Romano e for para uma cidade de Estpendiária – ainda mantém o seu D.R., e ao contrário também. Em 212 – Edicto de Caracala Em 212 tirou o D.R. E O D.L. e alargou o direito de cidadania para todo o império romano. (página 85 – resumo) Acrescentar: - o exercito - a administração - o latim (língua oficial do império romano) (página 84)
  12. 12. Arte Grega: Arquitectura
  13. 13. Escultura Grega
  14. 14. Uma cultura aberta há cidade
  15. 15. República Romana
  16. 16. Expansão Romano
  17. 17. Octávio César Augusto - Octávio ficou “primeiro cidadão” = a mesma importâncias que um deus. - Octávio disse: - Não adoram a mim (pessoa) mas sim aquilo que faço. Pontifex Macimus = o cargo do poder da religião Augusto estava à espera que Senado lhe entregasse o poder da religião às suas mãos. Ele depois ficou com o poder todo e tem um controlo muito grande sobre o Império Romano. O Senado mandava mas se o imperador não concordasse com a ideia ele mudava. Sucessão Hereditário – o reino passa de pai para filho… O imperador une os países todos do império romano, mandava um homem para cada país para organizar aquilo. O Governo do Mundo Romano na República e no Império ● As principais instituições de governo da república são o senado, as comícios e as magistraturas. ● As instituições da república adaptavam-se à governação de um território de pequena dimensão. As conquistas, situações de conflito e de guerra civil conduziram os vários períodos de ditadura. ● Ao contrário de Júlio César, Octávio, politico ábil, conseguiu a concentração dos poderes conservando a aparência da manutenção das instituições republicanas. ● Octávio promoveu a divinização das virtudes imperiais (paz augusta, vitória augusta, justiça augusta, liberdade augusta). ● O culto ao imperador e a Roma são factores de coesão e unidade politica no império. ● Octávio consegue criar, mantendo a aparência de uma república, uma monarquia. A questão da sucessão ficou resolvida deixando o cargo do imperador a escolha do
  18. 18. sucessor, o que garantia que o mesmo continuava investido do poder do povo (poder tribunício).

    Seja o primeiro a comentar

    Entre para ver os comentários

  • MarinaEstanislau

    Sep. 14, 2020
  • FernandaSantos743

    Oct. 1, 2020
  • JoanaRitaDuarte

    Oct. 7, 2020
  • AnaCouto49

    Oct. 10, 2020
  • CarolinaFlora

    Oct. 15, 2020
  • NitaRoxo1

    Oct. 21, 2020
  • Renatasilva377

    Oct. 26, 2020
  • PaulaAlexandra12

    Oct. 28, 2020
  • SrgioDias45

    Nov. 3, 2020
  • FernandaGomes178

    Nov. 25, 2020
  • BeatrizTudela

    Nov. 29, 2020
  • VitaliaPslr

    Dec. 24, 2020
  • LetciaLouro

    Dec. 26, 2020
  • Alexandraisabel8

    Jan. 4, 2021
  • AristidesSafeca

    Jan. 31, 2021
  • susanateixeira16

    Mar. 7, 2021
  • goncalomendes7545

    Apr. 19, 2021
  • InesMc1

    May. 18, 2021
  • albertoribeiro1297

    Jun. 6, 2021
  • AnaRegina34

    Jun. 15, 2021

Vistos

Vistos totais

127.562

No Slideshare

0

De incorporações

0

Número de incorporações

141

Ações

Baixados

1.839

Compartilhados

0

Comentários

0

Curtir

128

×