Expansão Urbana
Áreas
Suburbanas
Áreas
Periurbanas
- Desurbanização
- Declínio urbano
Áreas
Metropolitanas
- Lisboa;
- Por...
“As cidades são cada vez mais consumidoras de espaço!”
FASES DO CRESCIMENTO DAS CIDADES
Centrípeta
Densificação, concentra...
A crescente procura das cidades pela
população rural e pelas atividades tem
provocado a passagem de um
movimento convergen...
Ocupação progressiva do espaço rural, que se
vê invadido por construções habitacionais,
indústrias, serviços e comércio
I....
A suburbanização deve-se à conjugação de um
conjunto de fatores, dos quais se destacam:
a) O desenvolvimento dos transport...
A suburbanização deve-se à conjugação de um
conjunto de fatores, dos quais se destacam:
c) A escassez e o elevado custo da...
Isso produz massivos movimentos pendulares diários.
Isso traduz-se num afastamento entre o posto de
trabalho e o local de ...
Os movimentos pendulares efetuados por um
elevado número de pessoas provocam uma série
de transtornos tais como:
I. ÁREAS ...
I. ÁREAS SUBURBANAS
c) O aumento das despesas com os
transportes, quer seja público,
quer seja particular;
d) O surgimento...
I. ÁREAS SUBURBANAS
f) A destruição dos solos agrícolas, que vão dando
lugar a habitações, estradas, indústrias, etc.;
g) ...
CONCEITOS ESSENCIAIS
• Têm uma função residencial e funcional
capaz de satisfazer as necessidades da
população, incluindo ...
Espaço exterior à cintura suburbana, onde os usos e as estruturas urbanas se
misturam com as rurais. Não existe uma distin...
O surgimento das áreas periurbanas está
associado a fatores resultantes da existência:
a) De vias de comunicação, rodoviár...
• Pela implantação dispersa da habitação urbana
em meio rural;
• Pelas baixas densidades médias de ocupação e
alteração co...
III. ÁREAS
METROPOLITANAS
DE LISBOA E PORTO
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano

556 visualizações

Publicada em

A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
556
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano

  1. 1. Expansão Urbana Áreas Suburbanas Áreas Periurbanas - Desurbanização - Declínio urbano Áreas Metropolitanas - Lisboa; - Porto.
  2. 2. “As cidades são cada vez mais consumidoras de espaço!” FASES DO CRESCIMENTO DAS CIDADES Centrípeta Densificação, concentração da população e das atividades económicas. – Período de crescimento da cidade resultante da concentração demográfica e funcional. – As cidades exercem uma atração sobre a população (oriunda dos meios rurais e de outros países) e sobre as atividades económicas dos setores secundário e terciário. Centrífuga Desdensificação, desconcentração da população e das atividades económicas (desconcentração urbana). – Período de desconcentração demográfica e funcional que tem promovido a crescente procura das periferias para a construção de habitações e para a implantação da indústria e de atividades terciárias.
  3. 3. A crescente procura das cidades pela população rural e pelas atividades tem provocado a passagem de um movimento convergente para um movimento divergente. A desconcentração urbana de que resulta o aumento da sua extensão física (a expansão urbana). Em Portugal, a expansão ou aglutinação urbana é um fenómeno recente que remonta à 2.ª metade do século XX.
  4. 4. Ocupação progressiva do espaço rural, que se vê invadido por construções habitacionais, indústrias, serviços e comércio I. ÁREAS SUBURBANAS O fenómeno de Suburbanização consiste em... Devido ao processo de desconcentração e desdensificação urbana.
  5. 5. A suburbanização deve-se à conjugação de um conjunto de fatores, dos quais se destacam: a) O desenvolvimento dos transportes e das vias de comunicação (maior facilidade de deslocações e diminuição das distâncias tempo); b) A intensificação do trânsito automóvel, o congestionamento do tráfego e a poluição atmosférica e sonora no interior da cidade; I. ÁREAS SUBURBANAS FATORES QUE EXPLICAM O FENÓMENO DA SUBURBANIZAÇÃO Ponte D. Luís entre Porto e Vila Nova de Gaia
  6. 6. A suburbanização deve-se à conjugação de um conjunto de fatores, dos quais se destacam: c) A escassez e o elevado custo da habitação nas cidades (as pessoas procuram habitações mais baratas fora das cidades); d) A existência de vastos espaços sem ocupação nas áreas suburbanas, ideais para a instalação de atividades que necessitam de muito espaço. I. ÁREAS SUBURBANAS FATORES QUE EXPLICAM O FENÓMENO DA SUBURBANIZAÇÃO Chiado, Lisboa
  7. 7. Isso produz massivos movimentos pendulares diários. Isso traduz-se num afastamento entre o posto de trabalho e o local de residência para muitas pessoas. I. ÁREAS SUBURBANAS A terciarização dos centros traduziu-se na “expulsão” de boa parte dos residentes do centro, e o seu deslocamento para as periferias. CONSEQUÊNCIAS DA SUBURBANIZAÇÃO
  8. 8. Os movimentos pendulares efetuados por um elevado número de pessoas provocam uma série de transtornos tais como: I. ÁREAS SUBURBANAS CONSEQUÊNCIAS DA SUBURBANIZAÇÃO a) O congestionamento das vias de acesso às cidades sobretudo nas áreas de ponta; b) O stress, o nervosismo, o cansaço e o aumento da distância tempo gerados durante os congestionamentos de trânsito;
  9. 9. I. ÁREAS SUBURBANAS c) O aumento das despesas com os transportes, quer seja público, quer seja particular; d) O surgimento das cidades – satélite; e) O surgimento das cidades – dormitório; Os movimentos pendulares efetuados por um elevado número de pessoas provocam uma série de transtornos tais como: CONSEQUÊNCIAS DA SUBURBANIZAÇÃO
  10. 10. I. ÁREAS SUBURBANAS f) A destruição dos solos agrícolas, que vão dando lugar a habitações, estradas, indústrias, etc.; g) A construção sem nenhum modelo de desenvolvimento, que acaba por conferir à paisagem um aspeto pouco aprazível, caótico e desorganizado; h) O aumento dos bairros clandestinos. Os movimentos pendulares efetuados por um elevado número de pessoas provocam uma série de transtornos tais como: CONSEQUÊNCIAS DA SUBURBANIZAÇÃO
  11. 11. CONCEITOS ESSENCIAIS • Têm uma função residencial e funcional capaz de satisfazer as necessidades da população, incluindo emprego; • Estão dotadas de infraestruturas e equipamentos de apoio que lhes conferem um dinamismo socioeconómico importante; • São de segunda grandeza, pois continuam dependentes, económica e financeiramente, da cidade principal mais próxima (por exemplo, Almada em relação a Lisboa ou Maia em relação ao Porto). Cidades - satélite (características) • Não existem atividades suficientes para empregar a sua população ativa; • Não estão dotadas de equipamentos e infraestruturas que permitam satisfazer as necessidades diárias da população; • São as que mais contribuem para o aumento dos movimentos pendulares. Cidades - dormitório (características)
  12. 12. Espaço exterior à cintura suburbana, onde os usos e as estruturas urbanas se misturam com as rurais. Não existe uma distinção nítida entre o campo e a cidade. Espaço Periurbano II. ÁREAS PERIURBANAS
  13. 13. O surgimento das áreas periurbanas está associado a fatores resultantes da existência: a) De vias de comunicação, rodoviárias e ferroviárias, com uma grande intensidade de tráfego diário, e aumentam a acessibilidade às áreas mais afastadas do centro; b) De vias de comunicação, rodoviárias e ferroviárias, com uma grande intensidade de tráfego diário, e aumentam a acessibilidade às áreas mais afastadas do centro; c) De comércio, de uma qualidade arquitetónica e do seu carácter histórico, que atraem e fixam população e atividades económicas; d) De qualidade ambiental e paisagística, marcada, por exemplo, pela presença de vastos espaços verdes e pelos baixos índices de poluição, que atraem população citadina saturados da cidade; II. ÁREAS PERIURBANAS
  14. 14. • Pela implantação dispersa da habitação urbana em meio rural; • Pelas baixas densidades médias de ocupação e alteração constante da estrutura fundiária; • Pela atividade agrícola, cada vez mais instável, devido à urbanização crescente; • Pelo abandono progressivo da agricultura; • Pela implantação de unidades industriais; • Pelo incremento da atividade comercial. II. ÁREAS PERIURBANAS As áreas periurbanas caracterizam-se:
  15. 15. III. ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

×