Cobef fala mesa_redonda_2015

249 visualizações

Publicada em

Formação profissional e produção do conhecimento na área de Gestão da Assistência Farmacêutica e Cuidado ao Paciente

Publicada em: Saúde
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cobef fala mesa_redonda_2015

  1. 1. Angelita C. Melo Doutora em Saúde Pública Profa. Universidade Federal de São João Del-Rei Consultora Ad Hoc Conselho Federal de Farmácia Presidente da Comissão Assessora de Farmácia Clínica do CRFMG Membro da Comissão Assessora de Ensino do CRFMG _______ ____________ _ ________ __ ____________ __ ____ __ _____ __ __________ ___________ _ ______ __ _______ Formação profissional e produção do conhecimento na área de Gestão da Assistência Farmacêutica e Cuidado ao Paciente
  2. 2. Desafios e caminhos na arte de formar para transformar
  3. 3. Evolução dos Gastos com Medicamentos do Ministério da Saúde R$ Fonte: Fundo Nacional de Saúde – FNS e CGPLAN/SCTIE/MS Atualizado: 10/02/2014 650% crescimento
  4. 4. Hospitalizações por Medicamentos no Brasil em 2013 48 Milhões de Atendimentos de Urgência 11 Milhões de Internações Custo Médio por Internação: R$ 1.135,26 9-24% das internações de urgência* 1,2 e 3,2 Milhões de Internações R$ 1,3 a 3,6 Bilhões 70% dos eventos são considerados evitáveis *Patel P, Zed PJ. Drug-related visits to the emergency department: how big is the problem? Pharmacotherapy. 2002;22(7):915-23.
  5. 5. 1,3-3,6 Bilhões Equivale ao custeio por ano de até duas Equipes de Saúde da Família para cada município do país Gasto com internações por medicamentos por ano IPEA, 2013
  6. 6. Perfil do Egresso • Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN): Resolução CNE/CES nº 02/2002 “formação deve ser generalista, crítica, humanista, reflexiva e articulada com as diretrizes do SUS (BRASIL, 2002).” • Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, para atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com base no rigor científico e intelectual. Capacitado ao exercício de atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas e ao controle, produção e análise de alimentos, pautado em princípios éticos e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, dirigindo sua atuação para a transformação da realidade em benefício da sociedade.
  7. 7. Perfil do Egresso • Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo de saúde- doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano.
  8. 8. Perfil do Egresso • Medicina terá formação geral, humanista, crítica, reflexiva e ética, com capacidade para atuar nos diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, nos âmbitos individual e coletivo, com responsabilidade social e compromisso com a defesa da cidadania, da dignidade humana, da saúde integral do ser humano e tendo como transversalidade em sua prática, sempre, a determinação social do processo de saúde e doença.
  9. 9. Perfil do Egresso • Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado para o exercício de Enfermagem, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos. Capaz de conhecer e intervir sobre os problemas/situações de saúde-doença mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões bio-psicosociais dos seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano
  10. 10. Farmácia ao longo dos tempos na sociedade Adaptação
  11. 11. Farmácia ao longo dos tempos na sociedade Milenar UniversidadesUniversidades, Entidades e organizações profissionais, farmacêuticos e estudantes
  12. 12. O que percebem que muda ao longo do tempo? Perdemos o contato com o paciente
  13. 13. Crise no sistema de saúde e de identidade profissional: definição de percurso
  14. 14. Panorama atual • Postos de Trabalho Farmacêutico - 2012 (CFF, 2012)
  15. 15. Panorama do ensino: atual (Brasil, 2012) (São Paulo, 2012)
  16. 16. Perfil do Egresso Farmacêutico Medicina Enfermeiro Foco de formação Formato da formação
  17. 17. No Mundo: Assistência Farmacêutica P&D, produção medicamentos Logística acesso a medicamentos Cuidado farmacêutico
  18. 18. Assistência Farmacêutica e Análises Clínicas, Toxicológicas e de Alimentos P&D, produção medicamentos Logística acesso a medicamentos Cuidado farmacêutico Análises clínicas, toxicológicas e alimentos
  19. 19. Estamos formando para este momento? Atuação interdisciplinar Autonomia do paciente
  20. 20. Qual profissional da saúde assumirá esta responsabilidade? Epidemia invisível: problemas associados ao uso de medicamentos
  21. 21. Profissões, Serviços Farmacêuticos e Inserção no Sistema de Saúde Equipe multidisciplinar
  22. 22. Atuação Clínica Resolução CFF 585 e 586/2013 Lei 13.021/2014
  23. 23. Resolução CFF 585 – Atribuições Clínicas
  24. 24. Resolução CFF 586 – Prescrição Farmacêutica
  25. 25. Lei 13.021 - Exercício e fiscalização das atividades farmacêuticas
  26. 26. Consulta Pública 02/2014 – Arcabouço conceitual serviços farmacêuticos
  27. 27. Atuação Clínica do Farmacêutico Resultados terapêutica medicamentosa Tecnologia da informação de saúde Ensaios clínicos e assuntos regulatórios Gestão do Sistema de Saúde
  28. 28. Farmácia Clínica • Área da farmácia voltada à ciência e prática do uso responsável de medicamentos, na qual os farmacêuticos prestam cuidado ao paciente, de forma a otimizar a farmacoterapia, promover saúde e bem-estar, e prevenir doenças. (CFF, 2013)
  29. 29. Serviços Farmacêuticos direcionados ao paciente, família e comunidade Rastreamento em saúde Revisão da Farmacoterapia Conciliação Acompanhamento Farmacoterapêutico Dispensação Manejo de uma condição autolimitada
  30. 30. Serviços Farmacêuticos Domicílio do paciente Consultório farmacêuticoFarmácias Atenção Primária à Saúde Atenção Terciária à Saúde Atenção Secundária à Saúde
  31. 31. Renovação de registro Certificação Regras de mudança ou expansão da atuação Padrões de avaliação de performance Relevância Profissional Competências Competência Graduação Certificação Farmacêutico FARMACÊUTICO Prática profissional Descrição trabalho Diretrizes Curriculares
  32. 32. Mudança no Mundo

×