SlideShare uma empresa Scribd logo
Medicamentos potencialmente
perigosos: contaminação de
superfícies, risco ambiental e
guidelines da gestão do seu risco
Dra. Angelita C. Melo
Docente de Farmácia Clínica - UFSJ
G Pesquisa Farmácia Clínica e Assistência Farm.
Grupo de Estudos em Simulação em Saúde
2019
Declaração de conflito de interesses
• Relação de trabalho como professora associada da UFSJ, portanto com compromisso de
defender a saúde coletiva e o SUS.
• Consultora ad hoc para a área clínica do Conselho Federal de Farmácia.
• Militante do empoderamento dos farmacêuticos enquanto profissionais da saúde envolvidos nas
atividades-fim do sistema de saúde, ou seja, cuidado direto ao paciente, à família e à
comunidade, bem como dos educadores em reavaliar o processo de formação e avaliação de
novos profissionais.
• Defensora da atuação profissional e do ensino farmacêutico embasados em evidência científica
e em processos de trabalho definidos.
O que são e porque são importantes?
• “Medicamentos potencialmente perigosos são aqueles que apresentam risco
aumentado de provocar danos significativos aos pacientes em decorrência de
falha no processo de utilização.”
• medicamentos de alto risco
• medicamentos de alta vigilância
Erros com esses medicamentos não são os mais
frequentes
Gravidade: lesões permanentes ou a morte
(Cohen et al., 2006)
Referencial principal
Referencial principal
• National Institute for
Occupational Safety and
Health (NIOSH)
Quais são os
profissionais
sob maior
risco?
Quem está sob risco de exposição?
Enfermeiras e equipe
Farmacêuticos e equipe
Médicos e equipe
Veterinários e equipe
Cuidadores
Enfermeiras e equipe
Farmacêuticos e equipe
Médicos e equipe
Veterinários e equipe
Cuidadores
Envolvidos no transporte e recepção
Servidores de serviços gerais (limpeza,
lavanderia e manutenção)
Servidores envolvidos em descarte e
transporte do lixo
Envolvidos no transporte e recepção
Servidores de serviços gerais (limpeza,
lavanderia e manutenção)
Servidores envolvidos em descarte e
transporte do lixo
Equipe de saúde
Equipe hospitalar
não clínica
Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos
Expostos
USA, 2006
(US Bureau of Labor Statistics 2007)
Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos
35% das
superfícies
hospitalares
contaminadas
(Connor et al, 2010)
47 a 85%
das superfícies
áreas de
preparo de
medicamentos
contaminadas
(Connor et al, 2010)
Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos
Quantidades mensuráveis:
ciclofosfamida,
ifosfamida e
fluorouracil
75% das
amostras
limpas de
manipulação
farmácia
65% da
área de
infusão
relacionado à
quantidade de
medicamentos
preparados e
administrado
O que pode
explicar
isto?
Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos
Locais
especializados
Mesmo com
controles ambiental
Cabine de segurança biológica classe II
• caneta dentro do BSC
• frasco de spray de álcool isopropílico
• bombas
• balcões
• recipientes de resíduos
O que pode
explicar
isto?
Principais situações de contaminação
Gestão de
resíduos
Recepção Limpando resíduos Transportando
Armazenando
Produzindo
Descartando
Dispensando
AdministrandoCuidado direto ao paciente
Secreções
https://www.osha.gov/SLTC/ha
zardousdrugs/controlling_occe
x_hazardousdrugs.html
inalação
absorção
dérmica
injeção
acidental
ingestão de
alimentos
contaminados
contato bucal
com mão
contaminada
Requerimentos de segurança: mudaram
Melhoria na educação dos profissionais e no programas de garantia da qualidade
Cadeia de contaminação
• https://www.osha.gov/SLTC/hazardousdrugs/controlling_occex_hazardousdrugs.html
Pré-hospitalar Hospitalar Pós-hospitalar
Melhoria na educação dos profissionais e no programas de garantia da qualidade
MPP: medicamento de alta vigilância
encurtador.com.br/vyCOT
encurtador.com.br/fizKL
encurtador.com.br/zCRV6
encurtador.com.br/wxMQT
Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos
2. Adotar protocolos, elaborando documentos claros e detalhados para utilização de
medicamentos
potencialmente perigosos
Padronizar medicamentos e doses
Implantar protocolos de tratamentos
quimioterápicos, uso de medicamentos para
procedimentos cirúrgicos, procedimentos complexos
1. Implantar barreiras
Seringas adequadas
para administração
de soluções orais
Conexões NÃO PODEM
ser adaptáveis aos
sistemas de
administração
endovenosa
Identificação
correta de
seringa
Recolher as
ampolas de cloreto
de potássio
concentrado dos
estoques nas
unidades
assistenciais
Bolsas de infusão
com preparações
de vincristina
DEVEM SER
IDENTIFICADAS
COM ETIQUETAS
DE ALERTA
O que são e porque são importantes?
• “Medicamentos potencialmente perigosos são aqueles que apresentam risco
aumentado de provocar danos significativos aos pacientes em decorrência de
falha no processo de utilização.”
• medicamentos de alto risco
• medicamentos de alta vigilância
Erros com esses medicamentos não são os mais
frequentes
Gravidade: lesões permanentes ou a morte
(Cohen et al., 2006)
Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos
9. Estabelecer protocolos com o objetivo de minimizar as consequências dos erros
Elaborar e implantar diretrizes e protocolos de atuação
para reduzir as consequências e danos aos pacientes
atingidos por erros
Implantar protocolos de comunicação da ocorrência de
um evento adverso aos pacientes e familiares
8. Fornecer e melhorar o acesso à informação por profissionais de saúde e pacientes
7. Incorporar alertas automáticos nos sistemas informatizados
Implantar sistema de prescrição eletrônica COM SUPORTE CLÍNICO
6. Usar procedimentos de dupla checagem dos medicamentos
Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos
9. Estabelecer protocolos com o objetivo de minimizar as consequências dos erros
Elaborar e implantar diretrizes e protocolos de atuação
para reduzir as consequências e danos aos pacientes
atingidos por erros
Implantar protocolos de comunicação da ocorrência de
um evento adverso aos pacientes e familiares
8. Fornecer e melhorar o acesso à informação por profissionais de saúde e pacientes
7. Incorporar alertas automáticos nos sistemas informatizados
Implantar sistema de prescrição eletrônica COM SUPORTE CLÍNICO
6. Usar procedimentos de dupla checagem dos medicamentos
10. Monitorar o desempenho das estratégias de prevenção de erros
Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos
9. Estabelecer protocolos com o objetivo de minimizar as consequências dos erros
Elaborar e implantar diretrizes e protocolos de atuação
para reduzir as consequências e danos aos pacientes
atingidos por erros
Implantar protocolos de comunicação da ocorrência de
um evento adverso aos pacientes e familiares
8. Fornecer e melhorar o acesso à informação por profissionais de saúde e pacientes
7. Incorporar alertas automáticos nos sistemas informatizados
Implantar sistema de prescrição eletrônica COM SUPORTE CLÍNICO
6. Usar procedimentos de dupla checagem dos medicamentos
10. Monitorar o desempenho das estratégias de prevenção de erros
OK, já me convenceu....
Afinal quem são eles
(MPP)?
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Que alívio!
Só coisa de
hospital!
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
Para fechar: Lembrar de consultar
Obrigada!
https://pt.slideshare.net/angelitamelo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
Fernando Dias
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 

Mais procurados (20)

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Cálculos para administração de medicamentos
Cálculos para administração de medicamentosCálculos para administração de medicamentos
Cálculos para administração de medicamentos
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
Monitorização UTI
Monitorização UTIMonitorização UTI
Monitorização UTI
 
higiene e conforto do paciente
higiene e conforto do pacientehigiene e conforto do paciente
higiene e conforto do paciente
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfAula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
 
Hist rico uti
Hist rico utiHist rico uti
Hist rico uti
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptxUrgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
Urgencia e emergencia - aula 1 (1).pptx
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
 
Higienização das mãos
Higienização das mãosHigienização das mãos
Higienização das mãos
 
Treinamento de Segurança do Paciente
Treinamento de Segurança do PacienteTreinamento de Segurança do Paciente
Treinamento de Segurança do Paciente
 
Educação Permanente em Enfermagem
Educação Permanente em EnfermagemEducação Permanente em Enfermagem
Educação Permanente em Enfermagem
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
 
Administração de-medicamentos
Administração de-medicamentosAdministração de-medicamentos
Administração de-medicamentos
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 

Mais de angelitamelo

Mais de angelitamelo (20)

Novas Diretrizes Curriculares e a Formação do Farmacêutico Clínico
Novas Diretrizes Curriculares e a Formação do Farmacêutico ClínicoNovas Diretrizes Curriculares e a Formação do Farmacêutico Clínico
Novas Diretrizes Curriculares e a Formação do Farmacêutico Clínico
 
Farmacêutico Clínico: como desenvolver competências clínicas
Farmacêutico Clínico: como desenvolver competências clínicasFarmacêutico Clínico: como desenvolver competências clínicas
Farmacêutico Clínico: como desenvolver competências clínicas
 
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
Como a Farmácia Universitária Pode Contribuir para a Formação nas Atividades ...
 
Desprescrição como estratégia para atendimento a pacientes polimedicados
Desprescrição como estratégia para atendimento a pacientes polimedicadosDesprescrição como estratégia para atendimento a pacientes polimedicados
Desprescrição como estratégia para atendimento a pacientes polimedicados
 
Exame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionais
Exame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionaisExame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionais
Exame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionais
 
Exame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionais
Exame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionaisExame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionais
Exame proficiência para farmacêuticos: experiências internacionais
 
Formação por competências - Encontro DCN's abril de 2018
Formação por competências - Encontro DCN's abril de 2018Formação por competências - Encontro DCN's abril de 2018
Formação por competências - Encontro DCN's abril de 2018
 
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicadosComo melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
Como melhorar o controle clínico de pacientes adultos polimedicados
 
Provisão de serviços farmacêuticos governança, empreendedorismo e oportunid...
Provisão de serviços farmacêuticos   governança, empreendedorismo e oportunid...Provisão de serviços farmacêuticos   governança, empreendedorismo e oportunid...
Provisão de serviços farmacêuticos governança, empreendedorismo e oportunid...
 
Guias de prática clínica como estratégia de ensino em farmácias universitária...
Guias de prática clínica como estratégia de ensino em farmácias universitária...Guias de prática clínica como estratégia de ensino em farmácias universitária...
Guias de prática clínica como estratégia de ensino em farmácias universitária...
 
Formação por competências metodologias ativas de ensino aprendizagem crfmg 2017
Formação por competências metodologias ativas de ensino aprendizagem crfmg 2017Formação por competências metodologias ativas de ensino aprendizagem crfmg 2017
Formação por competências metodologias ativas de ensino aprendizagem crfmg 2017
 
Educação em saúde em situações comuns de pacientes da atenção básica slide
Educação em saúde em situações comuns de pacientes da atenção básica slideEducação em saúde em situações comuns de pacientes da atenção básica slide
Educação em saúde em situações comuns de pacientes da atenção básica slide
 
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitadosSemiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
Semiologia farmacêutica para o manejo de problemas de saúde autolimitados
 
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
As bases do raciocínio clínico para a prescrição farmacêutica e provisão de s...
 
Formação do farmacêutico para a atuação clínica
Formação do farmacêutico para a atuação clínicaFormação do farmacêutico para a atuação clínica
Formação do farmacêutico para a atuação clínica
 
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslidesharePrescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
 
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslidesharePrescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
Prescrição farmacêutica em situações comuns farmácias drogariasslideshare
 
Educação farmacêutica riopharma
Educação farmacêutica riopharmaEducação farmacêutica riopharma
Educação farmacêutica riopharma
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
 
Gestão problemas autolimitados_cbf_comunitária_2015
Gestão problemas autolimitados_cbf_comunitária_2015Gestão problemas autolimitados_cbf_comunitária_2015
Gestão problemas autolimitados_cbf_comunitária_2015
 

Último

Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
AdivaldoSantosRibeir
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
wilkaccb
 

Último (10)

Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdfManual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdfAnticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 

Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco ambiental e guidelines da gestão do seu risco

  • 1. Medicamentos potencialmente perigosos: contaminação de superfícies, risco ambiental e guidelines da gestão do seu risco Dra. Angelita C. Melo Docente de Farmácia Clínica - UFSJ G Pesquisa Farmácia Clínica e Assistência Farm. Grupo de Estudos em Simulação em Saúde 2019
  • 2. Declaração de conflito de interesses • Relação de trabalho como professora associada da UFSJ, portanto com compromisso de defender a saúde coletiva e o SUS. • Consultora ad hoc para a área clínica do Conselho Federal de Farmácia. • Militante do empoderamento dos farmacêuticos enquanto profissionais da saúde envolvidos nas atividades-fim do sistema de saúde, ou seja, cuidado direto ao paciente, à família e à comunidade, bem como dos educadores em reavaliar o processo de formação e avaliação de novos profissionais. • Defensora da atuação profissional e do ensino farmacêutico embasados em evidência científica e em processos de trabalho definidos.
  • 3. O que são e porque são importantes? • “Medicamentos potencialmente perigosos são aqueles que apresentam risco aumentado de provocar danos significativos aos pacientes em decorrência de falha no processo de utilização.” • medicamentos de alto risco • medicamentos de alta vigilância Erros com esses medicamentos não são os mais frequentes Gravidade: lesões permanentes ou a morte (Cohen et al., 2006)
  • 5. Referencial principal • National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH) Quais são os profissionais sob maior risco?
  • 6. Quem está sob risco de exposição? Enfermeiras e equipe Farmacêuticos e equipe Médicos e equipe Veterinários e equipe Cuidadores Enfermeiras e equipe Farmacêuticos e equipe Médicos e equipe Veterinários e equipe Cuidadores Envolvidos no transporte e recepção Servidores de serviços gerais (limpeza, lavanderia e manutenção) Servidores envolvidos em descarte e transporte do lixo Envolvidos no transporte e recepção Servidores de serviços gerais (limpeza, lavanderia e manutenção) Servidores envolvidos em descarte e transporte do lixo Equipe de saúde Equipe hospitalar não clínica
  • 7. Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos Expostos USA, 2006 (US Bureau of Labor Statistics 2007)
  • 8. Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos 35% das superfícies hospitalares contaminadas (Connor et al, 2010) 47 a 85% das superfícies áreas de preparo de medicamentos contaminadas (Connor et al, 2010)
  • 9. Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos Quantidades mensuráveis: ciclofosfamida, ifosfamida e fluorouracil 75% das amostras limpas de manipulação farmácia 65% da área de infusão relacionado à quantidade de medicamentos preparados e administrado O que pode explicar isto?
  • 10. Relevância: Medicamentos potencialmente perigosos Locais especializados Mesmo com controles ambiental Cabine de segurança biológica classe II • caneta dentro do BSC • frasco de spray de álcool isopropílico • bombas • balcões • recipientes de resíduos O que pode explicar isto?
  • 11. Principais situações de contaminação Gestão de resíduos Recepção Limpando resíduos Transportando Armazenando Produzindo Descartando Dispensando AdministrandoCuidado direto ao paciente Secreções https://www.osha.gov/SLTC/ha zardousdrugs/controlling_occe x_hazardousdrugs.html inalação absorção dérmica injeção acidental ingestão de alimentos contaminados contato bucal com mão contaminada
  • 13. Melhoria na educação dos profissionais e no programas de garantia da qualidade
  • 14. Cadeia de contaminação • https://www.osha.gov/SLTC/hazardousdrugs/controlling_occex_hazardousdrugs.html Pré-hospitalar Hospitalar Pós-hospitalar
  • 15. Melhoria na educação dos profissionais e no programas de garantia da qualidade
  • 16. MPP: medicamento de alta vigilância encurtador.com.br/vyCOT encurtador.com.br/fizKL encurtador.com.br/zCRV6 encurtador.com.br/wxMQT
  • 17. Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos 2. Adotar protocolos, elaborando documentos claros e detalhados para utilização de medicamentos potencialmente perigosos Padronizar medicamentos e doses Implantar protocolos de tratamentos quimioterápicos, uso de medicamentos para procedimentos cirúrgicos, procedimentos complexos 1. Implantar barreiras Seringas adequadas para administração de soluções orais Conexões NÃO PODEM ser adaptáveis aos sistemas de administração endovenosa Identificação correta de seringa Recolher as ampolas de cloreto de potássio concentrado dos estoques nas unidades assistenciais Bolsas de infusão com preparações de vincristina DEVEM SER IDENTIFICADAS COM ETIQUETAS DE ALERTA
  • 18. O que são e porque são importantes? • “Medicamentos potencialmente perigosos são aqueles que apresentam risco aumentado de provocar danos significativos aos pacientes em decorrência de falha no processo de utilização.” • medicamentos de alto risco • medicamentos de alta vigilância Erros com esses medicamentos não são os mais frequentes Gravidade: lesões permanentes ou a morte (Cohen et al., 2006)
  • 19. Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos 9. Estabelecer protocolos com o objetivo de minimizar as consequências dos erros Elaborar e implantar diretrizes e protocolos de atuação para reduzir as consequências e danos aos pacientes atingidos por erros Implantar protocolos de comunicação da ocorrência de um evento adverso aos pacientes e familiares 8. Fornecer e melhorar o acesso à informação por profissionais de saúde e pacientes 7. Incorporar alertas automáticos nos sistemas informatizados Implantar sistema de prescrição eletrônica COM SUPORTE CLÍNICO 6. Usar procedimentos de dupla checagem dos medicamentos
  • 20. Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos 9. Estabelecer protocolos com o objetivo de minimizar as consequências dos erros Elaborar e implantar diretrizes e protocolos de atuação para reduzir as consequências e danos aos pacientes atingidos por erros Implantar protocolos de comunicação da ocorrência de um evento adverso aos pacientes e familiares 8. Fornecer e melhorar o acesso à informação por profissionais de saúde e pacientes 7. Incorporar alertas automáticos nos sistemas informatizados Implantar sistema de prescrição eletrônica COM SUPORTE CLÍNICO 6. Usar procedimentos de dupla checagem dos medicamentos 10. Monitorar o desempenho das estratégias de prevenção de erros
  • 21. Estratégias de controle de erros com medicamentos potencialmente perigosos 9. Estabelecer protocolos com o objetivo de minimizar as consequências dos erros Elaborar e implantar diretrizes e protocolos de atuação para reduzir as consequências e danos aos pacientes atingidos por erros Implantar protocolos de comunicação da ocorrência de um evento adverso aos pacientes e familiares 8. Fornecer e melhorar o acesso à informação por profissionais de saúde e pacientes 7. Incorporar alertas automáticos nos sistemas informatizados Implantar sistema de prescrição eletrônica COM SUPORTE CLÍNICO 6. Usar procedimentos de dupla checagem dos medicamentos 10. Monitorar o desempenho das estratégias de prevenção de erros OK, já me convenceu.... Afinal quem são eles (MPP)?
  • 22. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
  • 23. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
  • 24. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
  • 25. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos? Que alívio! Só coisa de hospital!
  • 26. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
  • 27. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
  • 28. Quem são os medicamentos potencialmente perigosos?
  • 29.
  • 30. Para fechar: Lembrar de consultar Obrigada! https://pt.slideshare.net/angelitamelo