SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Universidade Federal do Pará
Instituto de Ciências da Saúde
Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem
Docente: Ana Sofia Resque Gonçalves
SISTEMATIZAÇÃO DAASSISTENCIA DE
ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM
SIDA E TUBERCULOSE PULMONAR: UM
RELATO DE EXPERIÊNCIA
Belém/PA
2015
RELATO DE CASO
 Discentes:
• Francisca Wrisselia
• Heilla Monteiro
• Jonathan Sampaio
Apresentado ao Curso de Bacharelado e Licenciatura em
Enfermagem, do Instituto de Ciências da Saúde, da
Universidade Federal do Pará, como requisito para avaliação
parcial da disciplina Enfermagem em Doenças Transmissíveis,
sob orientação da Profª. Ana Sofia Resque Gonçalves.
INTRODUÇÃO
 A Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) é um
modelo de metodologia utilizado por enfermeiros para facilitar
a aplicação de todo o conhecimento técnico-científico de suas
formações na prática assistencial, melhorando dessa forma o
cuidado e acompanhamento de pacientes.
 É de extrema importância para a obtenção de uma visão geral
sobre o estado clínico do paciente e um melhor conhecimento
sobre a doença, possibilitando um melhor atendimento.
OBJETIVOS
 GERAL:
• Relatar a experiência sobre a elaboração e execução da
Sistematização da Assistência de Enfermagem a um
paciente com SIDA e tuberculose pulmonar.
 ESPECIFICOS:
• Identificar os Diagnósticos de Enfermagem;
• Elaborar um plano de cuidados ao paciente, baseado na
SAE.
METODOLOGIA
 Tipo de Estudo:
• Trata-se de um estudo com enfoque qualitativo
descritivo, do tipo relato de experiência.
 Local do Estudo:
• O local do estudo foi em um hospital universitário,
referência em doenças infectocontagiosas e
parasitárias na capital do Estado do Pará.
 SUJEITO DE ESTUDO:
• A Assistência de Enfermagem neste trabalho foi direcionada
ao paciente J.B.L, do sexo masculino, de 42 anos,
diagnosticado com TUBERCULOSE PULMONAR e SIDA,
internado em Hospital Universitário no período de 23/04/2015
até o presente momento (26/05/2015).
 COLETA DE DADOS:
• A coleta de dados foi realizada através de consulta e análise do
prontuário, entrevista semi-estruturada baseada no roteiro da
consulta de enfermagem e exame físico. Com o objetivo de
identificar quais as principais necessidades afetadas do
paciente. Foi utilizada como parâmetro para definições do
diagnóstico de enfermagem a taxonomia II do NANDA.
TUBERCULOSE PULMONAR
 A tuberculose pulmonar é uma
doença infecciosa causada por
um microrganismo chamado de
Mycobacterium tuberculosis;
 A infecção pelo HIV é
considerada hoje um dos
principais fatores de risco para o
desenvolvimento da TB ativa,
devido ao comprometimento da
resposta imunológica do
paciente.
SINAIS e SINTOMAS
 Tosse persistente;
 Febre baixa;
 Suor noturno;
 Falta de apetite;
 Perda de peso;
 Cansaço fácil;
 Fraqueza;
 Dor no peito.
TRASMISSÃO:
• A TUBERCULOSE é transmitida
pelo ar. O doente, ao tossir e
espirrar, elimina gotículas contendo
no seu interior bacilos, podendo
atingir os alvéolos pulmonares e aí
iniciar a sua multiplicação.
DIAGNÓSTICO
• Baciloscopia;
• Cultura;
• Raio-X;
• Tomografia.
TRATAMENTO
• Rifampicina – R
• Isoniazida – H
• Pirazinamipa – Z
• Etambutol – E
PREVENÇÃO
• Vacina BCG;
• Evitar aglomerações em
locais fechados e sem
iluminação solar.
PRESCRIÇÃO MÉDICA
 BROMOPRIDA: (amp 2ml) 5 mg/ml – Administrar
1AMP, IV, a critério médico, diluir em 18 ml de ÁGUA
DESTILADA (AMP 10ML); Se Necessário.
 DIPIRONA: (amp 2ml) 500 mg/ml – Administrar 1 AMP,
IV, a critério médico, diluir em 8ml de água destilada (AMP
10 ml); Se Necessário.
 BENERVA: 300 MG – Administrar 300 mg, VO, 2 x ao
dia.
 RIFAMPICINA 150mg + ISONIAZIDA 75mg +
PIRAZINAMIDA 400mg + ETAMBUTOL 275 mg,
900mg – Administrar 3 CMP, VO, 1 x ao dia.
HISTÓRICO DE ENFERMAGEM
J.B.L, masculino, 42 anos, natural de Belém do Pará, procedente do Bairro da
Sacramenta. DSE: Ensino Fundamental Incompleto, desempregado (trabalhava como
ajudante de pedreiro), morava com a tia em casa de madeira, com 03 cômodos e boas
condições de saneamento. Não soube informar a renda familiar.
Deu entrada no hospital no dia 23/04/2015, em cadeira de rodas apresentando
febre há um mês, diarréia, perda de peso, fraqueza e tosse. Paciente relatou que em
Fevereiro de 2015 iniciou quadro clínico de diarréia, astenia e “amarelidão”, indo
buscar ajuda com parente (tia) e logo após procurou um médico, no qual realizou
tratamento com Secnidazol e Fluconazol, obtendo melhora. Pouco tempo depois sentiu
febre, fraqueza, “amarelidão” e procurou o posto de saúde. Foi encaminhado para o
HPSM da 14, onde realizou exames e ficou internado por 3 semanas. Foi
diagnosticado com tuberculose pulmonar e supostamente com HIV. Durante o
período de estudo, o paciente referiu sentir dor e cãibra no MIE e afirma ter perdido
peso em torno de 10 kg. AMP: ex-tabagista (usava meia carteira de cigarros por
dia), etilista (fez uso de álcool quase que diariamente), fez uso de pasta de cocaína
por muitos anos. Nega hipertensão arterial e diabetes. Nunca fez uso de medicações e
nega alergia medicamentosa. AMF: sem histórico de Ca, HAS e DM na família.
EXAME FÍSICO
Consciente, orientado, hipocorado, emagrecido, respirando
espontaneamente em ar ambiente. Inapetência. Sono e repouso prejudicado
devido crise de tosse. Hipertérmico (38,5°C), normoesfígmico (88 Bpm),
dispneico (26 Rpm), normotenso (100x60 mmHg). Verbalizando. Ao exame
físico couro cabeludo íntegro com presença de sujidade e cabelo ressecado,
pavilhão auditivo sem alterações, cavidade oral com língua seborreica e
dentição incompleta com presença de caries e lábios ressecados.
Apresentando pitiríase versicolor e descamação da pele da face. Região
cervical sem alterações. Tórax simétrico. AC: BCNF em 2T sem sopro
cardíaco. AP: MV (+) com R.A: sons sibilantes em e ápice e base
pulmonar D e E. Abdome plano, ausência de megalias durante apalpação,
timpânico com ruídos hidroaéreos presentes. Genitália não examinada.
MMSS: hematoma em braço E devido a acesso venoso anterior. MMII: sem
alterações. Queixa atual: refere tosse, dificuldade de locomoção devido dor
nos MMII, fadiga, perda de peso ponderal e diarréia. Diurese presente e
espontânea de coloração avermelhada e evacuação presente de consistência
endurecida.
SISTEMATIZAÇÃO DAASSISTÊNCIA
DE ENFERMAGEM (SAE)
 A SAE é uma ferramenta que favorece a melhora da prática
assistencial com base no conhecimento, no pensamento e na
tomada de decisão clínica com o suporte de evidências
científicas, obtidas a partir da avaliação dos dados subjetivos e
objetivos do indivíduo, da família e da comunidade.” (Bartira
de Aguiar Roza ).
SISTEMATIZAÇÃO DA
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
Problema Diagnóstico Intervenções Resultados
• Febre Hipertermia,
relacionada ao
aumento da
temperatura
corporal.
• Monitorar sinais de
hipertermia;
•Administrar
antitérmicos prescritos.
•Orientar ingestão de
liquidos.
• Termorregulação;
•Nível de conforto;
•Hidratação.
• Perda
ponderal de
peso.
Nutrição
desequilibrada:
menos que as
necessidades
corporais.
• Incentivar a
alimentação;
•Orientar quanto a
necessidade de uma boa
• Correta
alimentação;
•Recuperação da
massa corporal.
Problema Diagnóstico Intervenções Resultados
• Cansaço Fadiga
relacionada a
falta de energia
evidenciada pela
má alimentação.
• Monitorar evidências
de fadiga física;
• Limitar o estimulo
ambiental ( iluminação
e ruído excessivo) para
facilitar relaxamento.
• Controle da nutrição.
• Nível de conforto;
• Equilíbrio do
humor;
• Conservação de
energia;
• Limitação
dos
Movimentos.
Mobilidade física
prejudicada
devido o
desconforto e a
dor.
• Controle da dor;
•Aumenta o nível de
conforto;
• Elevação dos
membros inferiores;
• Promoção do
exercício físico;
•Melhora no
desempenho da
mecânica corporal e
mobilidade.
Problema Diagnóstico Intervenções Resultados
• Paciente
hoapitalizado
com punção
venosa e
Imunodeprimi
do.
Risco de infecção
relacionado a
defesas primárias,
exposição
ambiental
aumentada e
patógenoa e
agentes invasivos.
•Monitorar sinais e
sintomas de
infecção ( edema,
hiperemia,
hipertermia);
•Higienizar as mão
com gel alcóolico
antes e depois de
cada
procedimento;
•Utilizar técnica
asséptica para
punção venosa.
• Reduzir o risco de
infecção do
paciente.
RESULTADOS E DISCUSSÕES
 O nosso trabalho por intermédio da sistematização da
assistência de enfermagem obteve resultados positivos,
pois desenvolvemos com a ajuda do paciente planos para
um atendimento de qualidade e melhoras do quadro
clínico do mesmo, bem como a redução dos episódios de
hipertermia, nível de consciência adequado acerca da
doença, melhora do quadro de tosse e ganho de massa
ponderal.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 Concluiu-se que as etapas do processo de enfermagem
juntamente com outras medidas terapêuticas, levaram a uma
melhora no quadro clínico do paciente com tuberculose
pulmonar associada a SIDA, evidenciado pela melhora no
quadro clínico com a diminuição dos sinais e sintomas
referidos inicialmente pelo paciente.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 AMAL,L. F.; MOHERDAUI, F. Tuberculose e infecção pelo HIV no Brasil:
magnitude do problema e estratégias para o controle. Rev. Saúde Pública
2007;41(Supl. 1):104-110
 NANDA. Diagnóstico de enfermagem NANDA: Definições e
classificações.2012-2014; Porto Alegre; ArtMed Editora, 2012.
 THOMAZ et al. SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DA
ENFERMAGEM: problemas identificados pelos enfermeiros. Encontrado
em:
http://bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&
src=google&base=BDENF&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=355572&i
ndexSearch=ID. Acessado em: 25 de Maio de 2015.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagemresenfe2013
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIAAna Carolina Costa
 
Modelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemModelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemRaíssa Soeiro
 
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com redeSaúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com redeAngelica Reis Angel
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemresenfe2013
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemFernando Dias
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem universitária
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'joselene beatriz
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágioRosane Garcia
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Modelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de HiperdiaModelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de HiperdiaIranildo Ribeiro
 
A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...
A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...
A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...Thamyres Procopio
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005Rodrigo Abreu
 
Exercicios escala Enfermagem
Exercicios escala EnfermagemExercicios escala Enfermagem
Exercicios escala EnfermagemJonatan Ferreira
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoFabricio Marques Moreira
 
Pneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na Comunidade
Pneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na ComunidadePneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na Comunidade
Pneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na Comunidadeblogped1
 

Mais procurados (20)

Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
 
Modelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemModelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagem
 
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com redeSaúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Estudo de Caso: Escabiose
Estudo de Caso: EscabioseEstudo de Caso: Escabiose
Estudo de Caso: Escabiose
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
 
Relatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegemRelatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegem
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEMSAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Modelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de HiperdiaModelo de consulta de Hiperdia
Modelo de consulta de Hiperdia
 
A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...
A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...
A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM MENINGITE CRI...
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
 
Exercicios escala Enfermagem
Exercicios escala EnfermagemExercicios escala Enfermagem
Exercicios escala Enfermagem
 
Atenção Primária à Saúde
Atenção Primária à SaúdeAtenção Primária à Saúde
Atenção Primária à Saúde
 
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impressoAnotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
Anotação de enfermagem, admissão e preencimento de impresso
 
Pneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na Comunidade
Pneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na ComunidadePneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na Comunidade
Pneumonias na infância: Pneumonias Adquiridas na Comunidade
 

Semelhante a SAE para paciente com tuberculose e HIV

A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquiteA sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquiteSarinha Sousa
 
Estudodecaso 140414212836-phpapp01
Estudodecaso 140414212836-phpapp01Estudodecaso 140414212836-phpapp01
Estudodecaso 140414212836-phpapp01Cleber Lima
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemYasmin Casini
 
Protocolos rotinas.pdfpediatria
Protocolos rotinas.pdfpediatriaProtocolos rotinas.pdfpediatria
Protocolos rotinas.pdfpediatriaMarisa Caixeta
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASOCUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASOJonathan Sampaio
 
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemTuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemLuciane Santana
 
Coqueluche
Coqueluche  Coqueluche
Coqueluche blogped1
 
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptxfisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptxRaqueli Viecili
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxenfermeiraelainnechr
 
Estudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaEstudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaCaroline Lopes
 
Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis
Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis
Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis Janaina Barbosa
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoEnfº Ícaro Araújo
 
Mononucleose Infecciosa
Mononucleose InfecciosaMononucleose Infecciosa
Mononucleose Infecciosablogped1
 
Pneumonia associada a ventilação mecanica
Pneumonia associada a ventilação mecanicaPneumonia associada a ventilação mecanica
Pneumonia associada a ventilação mecanicajaninemagalhaes
 
Termologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagemTermologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagemNEELLITON SANTOS
 
Consulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptx
Consulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptxConsulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptx
Consulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptxgabrielpokepass11
 
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptxfisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptxRaqueli Viecili
 
Plano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico
Plano assistencial, prescrições, evolução e prognósticoPlano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico
Plano assistencial, prescrições, evolução e prognósticoSelma Silva
 

Semelhante a SAE para paciente com tuberculose e HIV (20)

A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquiteA sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
 
Estudodecaso 140414212836-phpapp01
Estudodecaso 140414212836-phpapp01Estudodecaso 140414212836-phpapp01
Estudodecaso 140414212836-phpapp01
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
 
Protocolos rotinas.pdfpediatria
Protocolos rotinas.pdfpediatriaProtocolos rotinas.pdfpediatria
Protocolos rotinas.pdfpediatria
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASOCUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
 
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de EnfermagemTuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
Tuberculose, Diagnóstico de Enfermagem
 
Coqueluche
Coqueluche  Coqueluche
Coqueluche
 
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptxfisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress.pptx
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
 
Estudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaEstudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - Histerectomia
 
Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis
Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis
Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis
 
Caso Clinico NR pré-termo
Caso Clinico NR pré-termoCaso Clinico NR pré-termo
Caso Clinico NR pré-termo
 
Capacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RS
Capacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RSCapacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RS
Capacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RS
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
 
Mononucleose Infecciosa
Mononucleose InfecciosaMononucleose Infecciosa
Mononucleose Infecciosa
 
Pneumonia associada a ventilação mecanica
Pneumonia associada a ventilação mecanicaPneumonia associada a ventilação mecanica
Pneumonia associada a ventilação mecanica
 
Termologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagemTermologia da área de enfermagem
Termologia da área de enfermagem
 
Consulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptx
Consulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptxConsulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptx
Consulta de enfermagem aos pacientes com Tuberculose (1).pptx
 
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptxfisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptx
fisioterapia-em-neonatologia-e-pediatria_compress (1).pptx
 
Plano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico
Plano assistencial, prescrições, evolução e prognósticoPlano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico
Plano assistencial, prescrições, evolução e prognóstico
 

Mais de Jonathan Sampaio

Principais infecçoes hospitalares
Principais infecçoes hospitalaresPrincipais infecçoes hospitalares
Principais infecçoes hospitalaresJonathan Sampaio
 
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIAINSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIAJonathan Sampaio
 
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIOPREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIOJonathan Sampaio
 
Educação e saúde: uma relação humana, política e didática
Educação e saúde: uma relação humana, política e didáticaEducação e saúde: uma relação humana, política e didática
Educação e saúde: uma relação humana, política e didáticaJonathan Sampaio
 
Diretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimento
Diretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimentoDiretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimento
Diretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimentoJonathan Sampaio
 
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem Jonathan Sampaio
 
Hernia abdominal: Assistência de Enfermagem
Hernia abdominal: Assistência de EnfermagemHernia abdominal: Assistência de Enfermagem
Hernia abdominal: Assistência de EnfermagemJonathan Sampaio
 
Eliminação urinária-NHB
Eliminação urinária-NHBEliminação urinária-NHB
Eliminação urinária-NHBJonathan Sampaio
 

Mais de Jonathan Sampaio (11)

Principais infecçoes hospitalares
Principais infecçoes hospitalaresPrincipais infecçoes hospitalares
Principais infecçoes hospitalares
 
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIAINSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA  E PNEUMONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E PNEUMONIA
 
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIOPREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
PREVENÇÃO DA INFECÇÃO HOSPITALAR DO TRATO URINÁRIO
 
Educação e saúde: uma relação humana, política e didática
Educação e saúde: uma relação humana, política e didáticaEducação e saúde: uma relação humana, política e didática
Educação e saúde: uma relação humana, política e didática
 
Diretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimento
Diretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimentoDiretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimento
Diretrizes Ressucitação CardioPulmonar sistema de atendimento
 
Toxoplasmose e Rúbeola
Toxoplasmose e RúbeolaToxoplasmose e Rúbeola
Toxoplasmose e Rúbeola
 
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
 
Hernia abdominal: Assistência de Enfermagem
Hernia abdominal: Assistência de EnfermagemHernia abdominal: Assistência de Enfermagem
Hernia abdominal: Assistência de Enfermagem
 
Difteria
DifteriaDifteria
Difteria
 
Ofidismo
OfidismoOfidismo
Ofidismo
 
Eliminação urinária-NHB
Eliminação urinária-NHBEliminação urinária-NHB
Eliminação urinária-NHB
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 

SAE para paciente com tuberculose e HIV

  • 1. Universidade Federal do Pará Instituto de Ciências da Saúde Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem Docente: Ana Sofia Resque Gonçalves SISTEMATIZAÇÃO DAASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCULOSE PULMONAR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Belém/PA 2015
  • 2. RELATO DE CASO  Discentes: • Francisca Wrisselia • Heilla Monteiro • Jonathan Sampaio Apresentado ao Curso de Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem, do Instituto de Ciências da Saúde, da Universidade Federal do Pará, como requisito para avaliação parcial da disciplina Enfermagem em Doenças Transmissíveis, sob orientação da Profª. Ana Sofia Resque Gonçalves.
  • 3. INTRODUÇÃO  A Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) é um modelo de metodologia utilizado por enfermeiros para facilitar a aplicação de todo o conhecimento técnico-científico de suas formações na prática assistencial, melhorando dessa forma o cuidado e acompanhamento de pacientes.  É de extrema importância para a obtenção de uma visão geral sobre o estado clínico do paciente e um melhor conhecimento sobre a doença, possibilitando um melhor atendimento.
  • 4. OBJETIVOS  GERAL: • Relatar a experiência sobre a elaboração e execução da Sistematização da Assistência de Enfermagem a um paciente com SIDA e tuberculose pulmonar.  ESPECIFICOS: • Identificar os Diagnósticos de Enfermagem; • Elaborar um plano de cuidados ao paciente, baseado na SAE.
  • 5. METODOLOGIA  Tipo de Estudo: • Trata-se de um estudo com enfoque qualitativo descritivo, do tipo relato de experiência.  Local do Estudo: • O local do estudo foi em um hospital universitário, referência em doenças infectocontagiosas e parasitárias na capital do Estado do Pará.
  • 6.  SUJEITO DE ESTUDO: • A Assistência de Enfermagem neste trabalho foi direcionada ao paciente J.B.L, do sexo masculino, de 42 anos, diagnosticado com TUBERCULOSE PULMONAR e SIDA, internado em Hospital Universitário no período de 23/04/2015 até o presente momento (26/05/2015).  COLETA DE DADOS: • A coleta de dados foi realizada através de consulta e análise do prontuário, entrevista semi-estruturada baseada no roteiro da consulta de enfermagem e exame físico. Com o objetivo de identificar quais as principais necessidades afetadas do paciente. Foi utilizada como parâmetro para definições do diagnóstico de enfermagem a taxonomia II do NANDA.
  • 7. TUBERCULOSE PULMONAR  A tuberculose pulmonar é uma doença infecciosa causada por um microrganismo chamado de Mycobacterium tuberculosis;  A infecção pelo HIV é considerada hoje um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da TB ativa, devido ao comprometimento da resposta imunológica do paciente.
  • 8. SINAIS e SINTOMAS  Tosse persistente;  Febre baixa;  Suor noturno;  Falta de apetite;  Perda de peso;  Cansaço fácil;  Fraqueza;  Dor no peito.
  • 9. TRASMISSÃO: • A TUBERCULOSE é transmitida pelo ar. O doente, ao tossir e espirrar, elimina gotículas contendo no seu interior bacilos, podendo atingir os alvéolos pulmonares e aí iniciar a sua multiplicação. DIAGNÓSTICO • Baciloscopia; • Cultura; • Raio-X; • Tomografia.
  • 10. TRATAMENTO • Rifampicina – R • Isoniazida – H • Pirazinamipa – Z • Etambutol – E PREVENÇÃO • Vacina BCG; • Evitar aglomerações em locais fechados e sem iluminação solar.
  • 11. PRESCRIÇÃO MÉDICA  BROMOPRIDA: (amp 2ml) 5 mg/ml – Administrar 1AMP, IV, a critério médico, diluir em 18 ml de ÁGUA DESTILADA (AMP 10ML); Se Necessário.  DIPIRONA: (amp 2ml) 500 mg/ml – Administrar 1 AMP, IV, a critério médico, diluir em 8ml de água destilada (AMP 10 ml); Se Necessário.  BENERVA: 300 MG – Administrar 300 mg, VO, 2 x ao dia.  RIFAMPICINA 150mg + ISONIAZIDA 75mg + PIRAZINAMIDA 400mg + ETAMBUTOL 275 mg, 900mg – Administrar 3 CMP, VO, 1 x ao dia.
  • 12. HISTÓRICO DE ENFERMAGEM J.B.L, masculino, 42 anos, natural de Belém do Pará, procedente do Bairro da Sacramenta. DSE: Ensino Fundamental Incompleto, desempregado (trabalhava como ajudante de pedreiro), morava com a tia em casa de madeira, com 03 cômodos e boas condições de saneamento. Não soube informar a renda familiar. Deu entrada no hospital no dia 23/04/2015, em cadeira de rodas apresentando febre há um mês, diarréia, perda de peso, fraqueza e tosse. Paciente relatou que em Fevereiro de 2015 iniciou quadro clínico de diarréia, astenia e “amarelidão”, indo buscar ajuda com parente (tia) e logo após procurou um médico, no qual realizou tratamento com Secnidazol e Fluconazol, obtendo melhora. Pouco tempo depois sentiu febre, fraqueza, “amarelidão” e procurou o posto de saúde. Foi encaminhado para o HPSM da 14, onde realizou exames e ficou internado por 3 semanas. Foi diagnosticado com tuberculose pulmonar e supostamente com HIV. Durante o período de estudo, o paciente referiu sentir dor e cãibra no MIE e afirma ter perdido peso em torno de 10 kg. AMP: ex-tabagista (usava meia carteira de cigarros por dia), etilista (fez uso de álcool quase que diariamente), fez uso de pasta de cocaína por muitos anos. Nega hipertensão arterial e diabetes. Nunca fez uso de medicações e nega alergia medicamentosa. AMF: sem histórico de Ca, HAS e DM na família.
  • 13. EXAME FÍSICO Consciente, orientado, hipocorado, emagrecido, respirando espontaneamente em ar ambiente. Inapetência. Sono e repouso prejudicado devido crise de tosse. Hipertérmico (38,5°C), normoesfígmico (88 Bpm), dispneico (26 Rpm), normotenso (100x60 mmHg). Verbalizando. Ao exame físico couro cabeludo íntegro com presença de sujidade e cabelo ressecado, pavilhão auditivo sem alterações, cavidade oral com língua seborreica e dentição incompleta com presença de caries e lábios ressecados. Apresentando pitiríase versicolor e descamação da pele da face. Região cervical sem alterações. Tórax simétrico. AC: BCNF em 2T sem sopro cardíaco. AP: MV (+) com R.A: sons sibilantes em e ápice e base pulmonar D e E. Abdome plano, ausência de megalias durante apalpação, timpânico com ruídos hidroaéreos presentes. Genitália não examinada. MMSS: hematoma em braço E devido a acesso venoso anterior. MMII: sem alterações. Queixa atual: refere tosse, dificuldade de locomoção devido dor nos MMII, fadiga, perda de peso ponderal e diarréia. Diurese presente e espontânea de coloração avermelhada e evacuação presente de consistência endurecida.
  • 14. SISTEMATIZAÇÃO DAASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM (SAE)  A SAE é uma ferramenta que favorece a melhora da prática assistencial com base no conhecimento, no pensamento e na tomada de decisão clínica com o suporte de evidências científicas, obtidas a partir da avaliação dos dados subjetivos e objetivos do indivíduo, da família e da comunidade.” (Bartira de Aguiar Roza ).
  • 15. SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM Problema Diagnóstico Intervenções Resultados • Febre Hipertermia, relacionada ao aumento da temperatura corporal. • Monitorar sinais de hipertermia; •Administrar antitérmicos prescritos. •Orientar ingestão de liquidos. • Termorregulação; •Nível de conforto; •Hidratação. • Perda ponderal de peso. Nutrição desequilibrada: menos que as necessidades corporais. • Incentivar a alimentação; •Orientar quanto a necessidade de uma boa • Correta alimentação; •Recuperação da massa corporal.
  • 16. Problema Diagnóstico Intervenções Resultados • Cansaço Fadiga relacionada a falta de energia evidenciada pela má alimentação. • Monitorar evidências de fadiga física; • Limitar o estimulo ambiental ( iluminação e ruído excessivo) para facilitar relaxamento. • Controle da nutrição. • Nível de conforto; • Equilíbrio do humor; • Conservação de energia; • Limitação dos Movimentos. Mobilidade física prejudicada devido o desconforto e a dor. • Controle da dor; •Aumenta o nível de conforto; • Elevação dos membros inferiores; • Promoção do exercício físico; •Melhora no desempenho da mecânica corporal e mobilidade.
  • 17. Problema Diagnóstico Intervenções Resultados • Paciente hoapitalizado com punção venosa e Imunodeprimi do. Risco de infecção relacionado a defesas primárias, exposição ambiental aumentada e patógenoa e agentes invasivos. •Monitorar sinais e sintomas de infecção ( edema, hiperemia, hipertermia); •Higienizar as mão com gel alcóolico antes e depois de cada procedimento; •Utilizar técnica asséptica para punção venosa. • Reduzir o risco de infecção do paciente.
  • 18. RESULTADOS E DISCUSSÕES  O nosso trabalho por intermédio da sistematização da assistência de enfermagem obteve resultados positivos, pois desenvolvemos com a ajuda do paciente planos para um atendimento de qualidade e melhoras do quadro clínico do mesmo, bem como a redução dos episódios de hipertermia, nível de consciência adequado acerca da doença, melhora do quadro de tosse e ganho de massa ponderal.
  • 19. CONSIDERAÇÕES FINAIS  Concluiu-se que as etapas do processo de enfermagem juntamente com outras medidas terapêuticas, levaram a uma melhora no quadro clínico do paciente com tuberculose pulmonar associada a SIDA, evidenciado pela melhora no quadro clínico com a diminuição dos sinais e sintomas referidos inicialmente pelo paciente.
  • 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  AMAL,L. F.; MOHERDAUI, F. Tuberculose e infecção pelo HIV no Brasil: magnitude do problema e estratégias para o controle. Rev. Saúde Pública 2007;41(Supl. 1):104-110  NANDA. Diagnóstico de enfermagem NANDA: Definições e classificações.2012-2014; Porto Alegre; ArtMed Editora, 2012.  THOMAZ et al. SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DA ENFERMAGEM: problemas identificados pelos enfermeiros. Encontrado em: http://bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis& src=google&base=BDENF&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=355572&i ndexSearch=ID. Acessado em: 25 de Maio de 2015.