Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis

15.150 visualizações

Publicada em

Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
271
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo de caso de gestante 2º trimestre com sífilis

  1. 1. “Caso clinico – Gestante com sífilis” SALVADOR 2013
  2. 2. • Discentes:Luana Barbosa Brasil Gomes, Izabel Cristina Alves da Cruz, Tamiris de Oliveira Dantas, Janaina Almeida Barbosa, Ailvani Pereira Gonçalves, Anderson Lima, Jonatas da cruz, Ananda Rodrigues. • Docente: • Carina Estrela Moita Meira • Disciplina: • Enfermagem em ginecologia e obstetrícia
  3. 3. Histórico de Enfermagem • Mulher 25 anos de cor parda, casada brasileira natural de Salvador residente no bairro de Sussuarana onde reside a mais de 3 anos com o seu esposo e 1 filhos um com a idade 1 ano e 4 meses. Procurou a UBS do bairro, e na consulta com a Enfermeira, informa gestação de20 semanas e mostra os exames que confirma e o cartão da gestante. Informa que já foramsolicitados os exames de rotina, mas ainda não os realizou, o motivo de sua visita na unidade foi para informar que a mais ou menos duas semanas, começou a aparecer manchas pelo corpo, principalmente nos MMSS e MMII, porém não tinha prurido. Relatou também falta de apetite e salientou que vinha perdendo pesoe também os pelos nas sobrancelhas, negou febre ou outra sintomatologia.
  4. 4. • Ao exame físico eupneica, afebril, mucosas e pele corada, pescoço sem nenhuma alteraçãopalpáveis, mamas simétricas sem alterações palpáveis, abdômen globoso a custa do útero gravídico, genitálias apresentando lesões com bordas endurecidas e profundas com o fundo macio e pouco doloridosem presença de amenorreia, MMII e MMSS com presença de manchasem pruridos. Pele com eritemas não tendo áreas de escoriação, pelos raros em supercílios. Questionada á quantidade de parceiros sexuais já teve, a mesma relata que apenas o marido, sobre a saúde do marido a paciente informa que está bem de saúde, referenciando ao passado do marido a paciente lembra que teve há mais ou menos um ano uma úlcera no Pênis, e que sarou sem fazer nenhum tratamento apenas com remédio caseiro.
  5. 5. Levantamento de Problemas • • • • • • • Não realizou os exames de rotina Perca de peso Perca de pelos nas sobrancelhas Genitálias apresentando lesões Manchas em MMSS e MMII. Falta de apetite Pele com presença de eritemas
  6. 6. Fisiopatologia • Diagnostico: Suspeita de IST (sífilis) • Exames solicitados: VDRL HIV HTLV HEMOGRAMA COMPLETO CULTURA DE URINA, FEZES. GLICEMIA COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES FATOR RH HEPATITE B E HEPATICE C USG
  7. 7. • Tratamento: Antibióticos, preferencialmente penicilina. • Complicações: A doença afeta, sobretudo o estágio terciário da sífilis, com sintomas variáveis tais como: complicações psiquiátricas,neurossífilis, paralisias ou ainda insuficiências aórticas, se a sífilis não for tratada ela pode levar à morte, durante a gravidez pode levar a sérias complicações, desde abortos, sífilis congênita (infecção do feto) e prematuridade. Mas também pode não afetar o feto ou ser assintomática
  8. 8. Evolução de Enfermagem: • Gestante no 2º trimestre de gestação (20semanas e 2 dias), independente de cuidados de enfermagem, compareceu à unidade básica de saúde para realização de acompanhamento pré-natal. Refere sono e repouso contínuo e tranquilo em sua residência, alimentação adequada, porém, ingesta hídrica deficiente. Refere diurese com cor e odor característicos e constipação intestinal.
  9. 9. • S.S.V.V. do momento PA: 130x80 mmHg; FC: 77 bpm; FR: 14 mpm; T: 36,3 ºC. Ao exame físico cliente consciente, orientada, comunicativa; à inspeção tórax plano, pele com eritemas não tendo áreas de escoriação, mamas simétricas, hidratadas, presença de rede de Haller, tubérculos de Montgomery, poucas estrias, mamilos protrusos, ausência de fissuras, sinais flogísticos ou lesões, à palpação expansibilidade torácica simétrica e preservada, frêmito tátil preservado, ausência de colostro à expressão areolar, massas ou nódulos; à percussão som claro pulmonar e à ausculta MVFD s/RA. Ausculta cardíaca 2BCRNF s/sopro com 72 bpm em foco aórtico, 73 bpm em foco pulmonar, 72 bpm em foco tricúspide e 72 em foco mitral.
  10. 10. • Apresenta à inspeção abdome gravídico, simétrico, cicatriz umbilical centralizada, ausência de sujidades, estrias ou lesões e presença de linha nigra; à ausculta RHA presentes normoperistalticos em 16 RPM, BCF em 130 bpm conferidos com sonar Doppler. À palpação: SAP com situação de feto em eixo longitudinal, apresentação pélvica e posição à direita em relação ao eixo materno. Altura uterina de 18,5 cm. Genitália apresentando lesões com bordas endurecidas e profundas com o fundo macio e pouco dolorido sem presença de amenorreia. MMII e MMSS com presença de manchas e pruridos, mas com ausência de edema ou varizes. Segue em observação de enfermagem
  11. 11. Diagnósticos • Risco de infecção relacionada a aumento da exposição ambiental a patógeno, defesas primarias inadequadas, procedimentos invasivo. (00004) • Conhecimento deficiente relacionado falta de exposição, fala de familiares com recursos de informações, falta de interesse em aprender, interpretação errônea de informações caracterizado por comportamento improprio, seguimento inadequado de instruções e verbalização do problema. (00126) • Risco de lesão relacionada a externos: biológico, humanos. Internos: físicos.(00035) • Integridade da pele prejudicada relacionada a externos:medicamentos, pele úmida, substancias químicas. Caracterizado por destruição de camadas da pele, invasão de estruturas do corpo, rompimento da superfície a pele. (00046)
  12. 12. Prescrição de Enfermagem • Dar apoio emocional e psicológico a mãe. • Avaliar dados vitais (pulso, pressão, frequência respiratória, frequência cardíaca, temperatura) • Avaliar pele, turgor, coloração, hidratação. • Manter via de acesso para antibioticoterapia e infusão de soluções endovenosas. • Observar desidratação (mucosa, fontanela, turgor dapele, densidade urinaria) • Administra medicação prescrita • Considerar e avaliar a possibilidade de outras infecções sexualmente transmissíveis.
  13. 13. • Realizar o seguimento laboratorial mensal da gestante tratada, por meio de testes sorológicos não treponemos quantitativos durante a gestação. • Realizar o tratamento da gestante e do parceiro concomitantemente, mesmo que este último não tenha a confirmação do seu diagnóstico por meio de teste sorológico. • Orientar quanto aos cuidados para o sexo seguro, com o uso de preservativo, durante e após tratamento, para evitar reinfecção; • Identificação do contato mais triagem e notificação; • Reduzir a ansiedade, pois o gestante é incentivado a discutir medos quanto ao diagnostico, tratamento e prognostico. • Orientação sobre o curso da doença e o que é a sífilis
  14. 14. Promoção e prevenção da doença: • Evitar a transmissão da doença para o concepto, realizando o pré-natal e o tratamento sem interrupções da gestante e do parceiro.
  15. 15. Prescrição de alta: • Orientar quanto aos cuidados para o sexo seguro, com o uso de preservativo, durante e após tratamento, para evitar reinfecção; • Reduzir a ansiedade, pois o gestante é incentivado a discutir medos quanto ao diagnostico, tratamento e prognostico. • Orientação sobre o curso da doença e o que é a sífilis • Orientar manter consultas de pré-natal periodicamente, conforme marcação. • Manter exames em dia, conforme for solicitado.
  16. 16. Referencias: • Diagnósticos de enfermagem da Nanda: definições e classificações/[NANDA Internacional];tradução: Regina Machado Garcez; revisão técnica Alba Lucia Bottura Leite de Barros ...[et al.]. – Porto alegre: Artmed, 2013. • Semiologia: bases para a pratica assistencial/[Deborah A. Andris...et al.]; tradzido por Carlos Henrique Consedey; revisão Isabel Cristina Fonceca da Cruz.- rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

×