SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
MODELO DE EVOLUÇÃO TÉCNICO DE ENFERMAGEM .
Paciente............................................... Idade ................... Quarto.......... Leito............. Sexo.........
Hora............
Diagnostico.......................................... Data: ......../......./...... folha nº ...............
Consciente, confuso;/ Calmo ou agitado;Hidratado ou desidratado;Hipocorado ou
corado;Orientado no tempo e espaço, apresenta momentos de confusão
Estremidades frias ou aquecidas; Acamado ou em repouso no leito; Deambulando com auxilio,
ou em cadeira de roda; Relacionando-se com o meio, ou comunicando-se através de gestos;
Acianotico ou cianótico
Normotenso, hipotenso ou hipertenso; Eupneico, dispnéico, bradipneico ou taquipneico -
Anotar se paciente mantém cateter ou mascara de oxigênio ou está em nebulização continua,
ou “eupneico em ar ambiente”;
Afebril, pico febril, febril (maior que 37,8 º C); Anotar se houve alguma anormalidade ou se o
pacinte refere. Anotar se mantem venoclise – data do acesso venoso, tipo (scalp ou jelco), se
salinizado. Anotar se paciente mantém acesso em jugular ou subclávia D ou E.
- Anotar se paciente está com Sonda NasogástricA (SNG) ou se estas sondas são para
drenagem ou gavagem. Anotar se paciente aceitou ou recusou a dieta, caso seja dieta via oral.
- Anotar se paciente está com Sonda vesical de demora (SVD) ou diurese espontânea, anotar
aspecto (cor, presença de grumos, quantidade –debito). Anotar presença ou ausência de
evacuações (se ausentes anotar há quantos dias). OBS: se paciente estiver evacuando e com
eliminações vesicais presentes, anotar apenas “eliminações fisiológicas presentes”.
- Anotar se paciente está com curativo, tipo de curativo e secreções presentes (observar se o
ferimento está limpo e seco ou contem secreções serosa, sanguinolenta ou purulenta). -Anotar
se paciente mantem drenos, anotar região, débito e aspecto das secreções.
- Anotar horários e todas as intercorrências do plantão ao longo do dia.
- Medicar segundo prescrição medica e checar a medicação no ato de sua administração.
- Obs: ao final das evoluções diárias é importante colocar as ações realizadas, exemplo:
Realizado banho no leito, mudança de decúbito, curativo, ...etc.
- Colocar no final de tudo: sinais vitais. Não esqueça de identificar-se (carimbo com número do
COREN e nome, assinar e não deixar espaços).
Um modelo:
10/02/2016 – 07h10 – Alerta, orientado em tempo e espaço, calmo, comunica-se
verbalmente, em repouso relativo no leito, em posição de fowler, deambula com auxílio
de bengala. Apresenta hematoma em região orbital D, escoriação em região escapular E,
de aspecto limpo e seco, edema 2+/4+ em perna D. Apresenta cateter venoso central em
subclávia E, salinizado, ocluído com película transparente do dia 15/08, com inserção,
sem sinais flogísticos. Dieta: mantem SNE em narina D, com dieta instalada 30 ml/hora,
com fixação íntegra e limpa. Eliminações: vesical amarelo-clara, 1000 ml em 24h.
Evacuações ausentes, há 1 dia. Nega queixas no momento. Conduta: realizado auxílio
em banho de aspersão, Nome -COREN-SP ....... (após carimbar e assinar não deixe
espaços em branco).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemIvanete Dias
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemYasmin Casini
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMLuziane Costa
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Aline Bandeira
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'joselene beatriz
 
Anotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativosAnotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativosHeberth Macedo
 
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)Proqualis
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalRodrigo Abreu
 
Apresentação organização geladeiras
Apresentação organização geladeirasApresentação organização geladeiras
Apresentação organização geladeirasimunizacao
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagemresenfe2013
 

Mais procurados (20)

Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
 
Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1Clínica Cirúrgica AULA 1
Clínica Cirúrgica AULA 1
 
Anotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagemAnotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagem
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
 
Evolução de UTI
Evolução de UTIEvolução de UTI
Evolução de UTI
 
Anotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativosAnotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativos
 
Wanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar HortaWanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar Horta
 
Evolução pós parto
Evolução pós partoEvolução pós parto
Evolução pós parto
 
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 
SAE aplicada ao DPOC - Enfermagem
SAE aplicada ao DPOC - EnfermagemSAE aplicada ao DPOC - Enfermagem
SAE aplicada ao DPOC - Enfermagem
 
Exame fisico enfermagem
Exame fisico enfermagemExame fisico enfermagem
Exame fisico enfermagem
 
Apresentação organização geladeiras
Apresentação organização geladeirasApresentação organização geladeiras
Apresentação organização geladeiras
 
Sinais Vitais
Sinais VitaisSinais Vitais
Sinais Vitais
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 

Último

aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxLanaMonteiro8
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoPAULOVINICIUSDOSSANT1
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...quelenfermeira
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxnarayaskara215
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01perfilnovo3rich
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfWendelldaLuz
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...wilkaccb
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxsaraferraz09
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxLanaMonteiro8
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Astrid Mühle Moreira Ferreira
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoJose Ribamar
 
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdfSINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdfJorge Filho
 

Último (12)

aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdfSINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf
 

Modelo de evolução técnico de enfermagem

  • 1. MODELO DE EVOLUÇÃO TÉCNICO DE ENFERMAGEM . Paciente............................................... Idade ................... Quarto.......... Leito............. Sexo......... Hora............ Diagnostico.......................................... Data: ......../......./...... folha nº ............... Consciente, confuso;/ Calmo ou agitado;Hidratado ou desidratado;Hipocorado ou corado;Orientado no tempo e espaço, apresenta momentos de confusão Estremidades frias ou aquecidas; Acamado ou em repouso no leito; Deambulando com auxilio, ou em cadeira de roda; Relacionando-se com o meio, ou comunicando-se através de gestos; Acianotico ou cianótico Normotenso, hipotenso ou hipertenso; Eupneico, dispnéico, bradipneico ou taquipneico - Anotar se paciente mantém cateter ou mascara de oxigênio ou está em nebulização continua, ou “eupneico em ar ambiente”; Afebril, pico febril, febril (maior que 37,8 º C); Anotar se houve alguma anormalidade ou se o pacinte refere. Anotar se mantem venoclise – data do acesso venoso, tipo (scalp ou jelco), se salinizado. Anotar se paciente mantém acesso em jugular ou subclávia D ou E. - Anotar se paciente está com Sonda NasogástricA (SNG) ou se estas sondas são para drenagem ou gavagem. Anotar se paciente aceitou ou recusou a dieta, caso seja dieta via oral. - Anotar se paciente está com Sonda vesical de demora (SVD) ou diurese espontânea, anotar aspecto (cor, presença de grumos, quantidade –debito). Anotar presença ou ausência de evacuações (se ausentes anotar há quantos dias). OBS: se paciente estiver evacuando e com eliminações vesicais presentes, anotar apenas “eliminações fisiológicas presentes”. - Anotar se paciente está com curativo, tipo de curativo e secreções presentes (observar se o ferimento está limpo e seco ou contem secreções serosa, sanguinolenta ou purulenta). -Anotar se paciente mantem drenos, anotar região, débito e aspecto das secreções. - Anotar horários e todas as intercorrências do plantão ao longo do dia. - Medicar segundo prescrição medica e checar a medicação no ato de sua administração. - Obs: ao final das evoluções diárias é importante colocar as ações realizadas, exemplo: Realizado banho no leito, mudança de decúbito, curativo, ...etc. - Colocar no final de tudo: sinais vitais. Não esqueça de identificar-se (carimbo com número do COREN e nome, assinar e não deixar espaços). Um modelo: 10/02/2016 – 07h10 – Alerta, orientado em tempo e espaço, calmo, comunica-se verbalmente, em repouso relativo no leito, em posição de fowler, deambula com auxílio de bengala. Apresenta hematoma em região orbital D, escoriação em região escapular E, de aspecto limpo e seco, edema 2+/4+ em perna D. Apresenta cateter venoso central em subclávia E, salinizado, ocluído com película transparente do dia 15/08, com inserção, sem sinais flogísticos. Dieta: mantem SNE em narina D, com dieta instalada 30 ml/hora, com fixação íntegra e limpa. Eliminações: vesical amarelo-clara, 1000 ml em 24h. Evacuações ausentes, há 1 dia. Nega queixas no momento. Conduta: realizado auxílio em banho de aspersão, Nome -COREN-SP ....... (após carimbar e assinar não deixe espaços em branco).