CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO

19.101 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação

CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – ICS FACULDADE DE ENFERMAGEM CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO DISCENTE: Jonathan Sampaio Tamy Morais Naianne Reis Évany Smith Ingrid Cordeiro Márcia Oliveira Maiza Leal BELEM-PA 2014
  2. 2. INTRODUCAO  O problema do câncer no Brasil ganha relevância pelo perfil epidemiológico que essa doença vem apresentando, e, com isso, o tema conquista espaço nas agendas políticas e técnicas de todas as esferas de governo. O conhecimento sobre a situação dessa doença permite estabelecer prioridades e alocar recursos de forma direcionada para a modificação positiva desse cenário na população brasileira.
  3. 3. Referencial Teórico  O que é o câncer? • Uma célula começa a crescer e dividir- se desordenadamente, dando origem a células descendentes que podem desenvolver tumores benignos ou malignos.  Câncer do colorretal • O Câncer Colorretal é uma neoplasia que se origina de qualquer porção do cólon, reto ou canal anal • Se desenvolve a partir de pólipos ou lesões benignas que aparecem na mucosa do intestino grosso. • Na maioria dos casos o CCR é uma patologia tratável e também curável
  4. 4. Manifestações Clinicas As mais comuns são: • Mudanças nos hábitos intestinais; • Diarreia, constipação ou sensação evacuação incompleta; • Sangue vermelho vivo ou escuro nas fezes; • Gases, distensão ou cólicas abdominais; • Perda de peso sem motivo; • Anemia, fraqueza, cansaço constante; • Vômitos.
  5. 5. Diagnóstico e Tratamento  Diagnóstico • Colonoscopia • Exame de fezes  Tratamento • Cirurgia(Colostomia) • Radioterapia • Quimioterapia
  6. 6. Relato de Caso  HISTÓRICO DE ENFERMAGEM M.E.S.M, sexo feminino, 72 anos, natural de BELÉM- PA, ex tabagista, ex-etilista social (Não bebe há 4 anos), aposentada (assistente social), viúva, católica. Nega doenças pré-existentes e alergias. Deu entrada no hospital no dia 12 de junho de 2014. Não apresentando queixas. Nos antecedentes pessoais encontramos negação a Hipertensão sistêmica (HAS) E Diabetes Melitus (DM). Passados cirúrgico de colecistectomia há 3 anos e histerectomia total há 5 anos por tumor de endométrio, que se revelou à histologia como um adenocarcinoma pouco diferenciado. Realizou, além do tratamento cirúrgico, sessões de radioterapia e braquiterapia.
  7. 7. EVOLUÇÕES  Evolução de admissão- 12/06/2014 • Cirurgia oncológica-Admissão • ID. MESM. 72 anos, viúva, residente e procedente de Belém, assistente social aposentada. • H.D: CA de cólon • HDA: Em fev/2013 teve episódio de dor em flanco E, tendo sido encaminhada à emergência recebendo atendimento e sendo orientada a procurar serviço de pneumologia do HUJBB. No referido serviço foi descartada qualquer alteração pulmonar e foi solicitado EDA+ Colonoscopia. Após meses de relutância a paciente foi submetida a colonoscopia + biopsia. Após os resultados foi encaminhada ao serviço de cir. Oncológica do OHL e solicitada internação. • IC: Nega HAS, DM ou alergias, etilista social, tabagista 15 aos 68 anos 1 maço/2 dias (não bebe ou fuma a 4 anos). Atualmente sem queixas. • AMP: nega HAS ou DM. • AMF: HAS da família, sem histórico de câncer.
  8. 8.  Evolução de enfermagem- 14/06/2014 Consciente, orientada em tempo e espaço. Sem queixas no momento. SSVV estáveis. Aceitando dieta oferecida. Funções fisiológicas presentes e espontâneas. Segue sob cuidados de enfermagem.  Evolução médica- Oncocirurgica- 15/06/14 • H.D: Tumor de cólon direito. • Paciente sem queixas no momento. Sono e apetite preservados. Funções de eliminação presentes. Aceitando bem dieta. • Exame físico: BGG, Cote, AAA. Fácies atípica. Sem alterações em demais sistemas. • Conduta: mantendo cuidados. Aguardo programação cirúrgica.
  9. 9.  Evolução acadêmica- 18/06/2014 Paciente no 7° DIH. I.D: Neoplasia de colón. Consciente orientada em tempo e espaço. Contactuante. Sem dores álgicas. Emagrecida. Eupnéica, normotensa, normoesfígmica, normotérmica. Couro cabeludo integro. Pele e mucosas com sinais de desidratação. Mucosa ocular hipocorada. Pavilhão auditivo intacto. Cavidade oral apresentando saburra e halitose. Região cervical sem gânglios palpáveis. Tórax simétrico, intracath na subclávia direita. Mamas sem massa palpáveis. AC: BCNF em 2T presentes, sem sopros cardíacos. AP: Murmúrios vesiculares presentes sem ruídos adventícios. Abdômen flácido, timpânico, indolor a palpação com RHA+. MMSS e II sem alterações. SIC: Aceitando dieta oferecida; Sono e repouso preservado; Diurese presente e evacuação espontânea. T: 36,5 ºC, P: 71 bpm, R: 21 rpm, PA: 120x80 mmHg
  10. 10. Prescrição PRESCRIÇÃO INDICAÇÃO Dieta Branda SND Omefrazol 20mg VO, 1X ao dia. Dipirona 500 mg VO, 6/6 horas se dor. Bromoprida 10 mg VO, 8/8 horas se náuseas ou vômito. Captopril 25mg 02 COM, VO se PA>160x100 Cuidados Gerais • Prescrição Médica:
  11. 11. PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM Em auto cuidado Aferir e registrar os sinais vitais Comunicar alterações clinica Supervisionar ingestão de medicamento oral Observar tolerância alimentar Orientar jejum Realizar rebaixamento de pelos pubianos Encaminhar ao banho Retirar prótese e adornos • Prescrição de Enfermagem do dia 16/06/2014
  12. 12. PROBLEMA DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM RESULTADOS ESPERADOS Domínio 2- Nutrição 1. Paciente emagrecida Nutrição desequilibrada: menos que as necessidades corporais, relacionada a fatores biológicos e psicológicos, caracterizada por falta de interesse na comida, relato de sensação de sabor alterada e saciedade imediatamente após a ingestão. -Incentivo a alimentação -Orientação a necessidade de uma boa alimentação Correta alimentação da paciente e recuperação da massa corporal. Domínio 4- Atividade e repouso 1. Insônia Relacionado à ansiedade e desconforto físico, caracterizado por dificuldade de adormecer e Instruir a paciente quanto à posição de conforto para repouso e incentivar convívio Conforto e tranquilidade a paciente para restabelecer padrão de sono. ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM
  13. 13. Domínio 9- Enfrentamento/ Tolerância ao estresse 1-Ansiedade - Ansiedade relacionada ao tempo de hospitalização - Oferecer apoio emocional - solicitar avaliação de assistente social - Diminuição da ansiedade. Domínio 11 –Segurança e proteção 1- Risco de infecção Relacionado à punção central. - executar assepsia antes de entrar em contato com paciente -Prevenir infecções 2- Integridade da pele prejudicada Relacionada ao estado nutricional alterado (emagrecimento) caracterizado por comprometimento da superfície da pele. - incentivar e/ou realizar hidratação da pele - Avaliar a coloração da pele e mucosa Manter integridade da pele.
  14. 14. Planejamento e Implementação da Assistência da Enfermagem  Intervenções para diminuir incidência e gravidade das complicações do tratamento: • Seleção do local do estoma; • Seleção do tipo de bolsa coletora; • Cuidados do estoma;  Intervenções para monitorizar os efeitos colaterais do tratamento • Monitorizar as complicações PO; • Monitorizar o retorno das função intestinal; • Monitorizar as complicações da quimioterapia  Intervenções para integrar o cliente e a família ao cuidado
  15. 15. CONCLUSÃO  Espera-se que com esse trabalho possa contribuir repassando conhecimentos em relação as características, tratamento, prevenção do câncer de colorretal, dando ênfase nos cuidados de enfermagem; que possa ter contribuído para que a paciente tenha um tratamento humanizado e uma melhor qualidade de vida.
  16. 16. REFERÊNCIAS  BARRETOS, Hospital de Câncer de Barretos. Tipos de Câncer. Disponível em http://www.hcancerbarretos.com.br/tipos-de-cancer/77-paciente/tipos- de-cancer/146-cancer-colorretal-colonreto-e-i. Acesso em 24 de Junho de 2014.  INCA, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Tipos de Câncer. Disponível em http:// www1.inca.gov.br/conteúdo_view.asp?id=322. Acesso em 24 de Junho de 2014.  NANDA Internacional. Diagnóstico de Enfermagem da NANDA. Definições e classificação 2009-2011.

×