SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – ICS
FACULDADE DE ENFERMAGEM
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
DISCENTE: Jonathan Sampaio
Tamy Morais
Naianne Reis
Évany Smith
Ingrid Cordeiro
Márcia Oliveira
Maiza Leal
BELEM-PA
2014
INTRODUCAO
 O problema do câncer no Brasil ganha relevância pelo perfil epidemiológico que
essa doença vem apresentando, e, com isso, o tema conquista espaço nas
agendas políticas e técnicas de todas as esferas de governo. O conhecimento
sobre a situação dessa doença permite estabelecer prioridades e alocar recursos
de forma direcionada para a modificação positiva desse cenário na população
brasileira.
Referencial Teórico
 O que é o câncer?
• Uma célula começa a crescer e dividir- se desordenadamente,
dando origem a células descendentes que podem desenvolver
tumores benignos ou malignos.
 Câncer do colorretal
• O Câncer Colorretal é uma neoplasia que se origina de qualquer
porção do cólon, reto ou canal anal
• Se desenvolve a partir de pólipos ou lesões benignas que aparecem
na mucosa do intestino grosso.
• Na maioria dos casos o CCR é uma patologia tratável e também
curável
Manifestações Clinicas
As mais comuns são:
• Mudanças nos hábitos intestinais;
• Diarreia, constipação ou sensação evacuação incompleta;
• Sangue vermelho vivo ou escuro nas fezes;
• Gases, distensão ou cólicas abdominais;
• Perda de peso sem motivo;
• Anemia, fraqueza, cansaço constante;
• Vômitos.
Diagnóstico e Tratamento
 Diagnóstico
• Colonoscopia
• Exame de fezes
 Tratamento
• Cirurgia(Colostomia)
• Radioterapia
• Quimioterapia
Relato de Caso
 HISTÓRICO DE ENFERMAGEM
M.E.S.M, sexo feminino, 72 anos, natural de BELÉM- PA, ex tabagista,
ex-etilista social (Não bebe há 4 anos), aposentada (assistente social),
viúva, católica. Nega doenças pré-existentes e alergias. Deu entrada no
hospital no dia 12 de junho de 2014. Não apresentando queixas.
Nos antecedentes pessoais encontramos negação a Hipertensão
sistêmica (HAS) E Diabetes Melitus (DM). Passados cirúrgico de
colecistectomia há 3 anos e histerectomia total há 5 anos por tumor de
endométrio, que se revelou à histologia como um adenocarcinoma pouco
diferenciado. Realizou, além do tratamento cirúrgico, sessões de
radioterapia e braquiterapia.
EVOLUÇÕES
 Evolução de admissão- 12/06/2014
• Cirurgia oncológica-Admissão
• ID. MESM. 72 anos, viúva, residente e procedente de Belém, assistente social aposentada.
• H.D: CA de cólon
• HDA: Em fev/2013 teve episódio de dor em flanco E, tendo sido encaminhada à emergência
recebendo atendimento e sendo orientada a procurar serviço de pneumologia do HUJBB. No
referido serviço foi descartada qualquer alteração pulmonar e foi solicitado EDA+ Colonoscopia.
Após meses de relutância a paciente foi submetida a colonoscopia + biopsia. Após os resultados
foi encaminhada ao serviço de cir. Oncológica do OHL e solicitada internação.
• IC: Nega HAS, DM ou alergias, etilista social, tabagista 15 aos 68 anos 1 maço/2 dias (não bebe
ou fuma a 4 anos). Atualmente sem queixas.
• AMP: nega HAS ou DM.
• AMF: HAS da família, sem histórico de câncer.
 Evolução de enfermagem- 14/06/2014
Consciente, orientada em tempo e espaço. Sem queixas no momento. SSVV
estáveis. Aceitando dieta oferecida. Funções fisiológicas presentes e espontâneas. Segue
sob cuidados de enfermagem.
 Evolução médica- Oncocirurgica- 15/06/14
• H.D: Tumor de cólon direito.
• Paciente sem queixas no momento. Sono e apetite preservados. Funções de
eliminação presentes. Aceitando bem dieta.
• Exame físico: BGG, Cote, AAA. Fácies atípica. Sem alterações em demais sistemas.
• Conduta: mantendo cuidados. Aguardo programação cirúrgica.
 Evolução acadêmica- 18/06/2014
Paciente no 7° DIH. I.D: Neoplasia de colón. Consciente orientada em tempo e
espaço. Contactuante. Sem dores álgicas. Emagrecida. Eupnéica, normotensa,
normoesfígmica, normotérmica. Couro cabeludo integro. Pele e mucosas com sinais
de desidratação. Mucosa ocular hipocorada. Pavilhão auditivo intacto. Cavidade oral
apresentando saburra e halitose. Região cervical sem gânglios palpáveis. Tórax
simétrico, intracath na subclávia direita. Mamas sem massa palpáveis. AC: BCNF em
2T presentes, sem sopros cardíacos. AP: Murmúrios vesiculares presentes sem
ruídos adventícios. Abdômen flácido, timpânico, indolor a palpação com RHA+.
MMSS e II sem alterações. SIC: Aceitando dieta oferecida; Sono e repouso
preservado; Diurese presente e evacuação espontânea.
T: 36,5 ºC, P: 71 bpm, R: 21 rpm, PA: 120x80 mmHg
Prescrição
PRESCRIÇÃO INDICAÇÃO
Dieta Branda SND
Omefrazol 20mg VO, 1X ao dia.
Dipirona 500 mg VO, 6/6 horas se dor.
Bromoprida 10 mg VO, 8/8 horas se náuseas ou vômito.
Captopril 25mg 02 COM, VO se PA>160x100
Cuidados Gerais
• Prescrição Médica:
PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM
Em auto cuidado
Aferir e registrar os sinais vitais
Comunicar alterações clinica
Supervisionar ingestão de medicamento oral
Observar tolerância alimentar
Orientar jejum
Realizar rebaixamento de pelos pubianos
Encaminhar ao banho
Retirar prótese e adornos
• Prescrição de Enfermagem do dia 16/06/2014
PROBLEMA DIAGNÓSTICO DE
ENFERMAGEM
PRESCRIÇÃO DE
ENFERMAGEM
RESULTADOS ESPERADOS
Domínio 2- Nutrição
1. Paciente emagrecida Nutrição desequilibrada: menos
que as necessidades corporais,
relacionada a fatores biológicos e
psicológicos, caracterizada por
falta de interesse na comida,
relato de sensação de sabor
alterada e saciedade
imediatamente após a ingestão.
-Incentivo a alimentação
-Orientação a necessidade de
uma boa alimentação
Correta alimentação da
paciente e recuperação da
massa corporal.
Domínio 4- Atividade e repouso
1. Insônia Relacionado à ansiedade e
desconforto físico, caracterizado
por dificuldade de adormecer e
Instruir a paciente quanto à
posição de conforto para
repouso e incentivar convívio
Conforto e tranquilidade a
paciente para restabelecer
padrão de sono.
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM
Domínio 9- Enfrentamento/ Tolerância ao estresse
1-Ansiedade - Ansiedade relacionada ao tempo
de hospitalização
- Oferecer apoio emocional
- solicitar avaliação de
assistente social
- Diminuição da ansiedade.
Domínio 11 –Segurança e proteção
1- Risco de infecção
Relacionado à punção central. - executar assepsia antes de
entrar em contato com
paciente
-Prevenir infecções
2- Integridade da pele
prejudicada
Relacionada ao estado nutricional
alterado (emagrecimento)
caracterizado por
comprometimento da superfície da
pele.
- incentivar e/ou realizar
hidratação da pele
- Avaliar a coloração da pele e
mucosa
Manter integridade da pele.
Planejamento e Implementação da Assistência da Enfermagem
 Intervenções para diminuir incidência e gravidade das complicações do
tratamento:
• Seleção do local do estoma;
• Seleção do tipo de bolsa coletora;
• Cuidados do estoma;
 Intervenções para monitorizar os efeitos colaterais do tratamento
• Monitorizar as complicações PO;
• Monitorizar o retorno das função intestinal;
• Monitorizar as complicações da quimioterapia
 Intervenções para integrar o cliente e a família ao cuidado
CONCLUSÃO
 Espera-se que com esse trabalho possa contribuir repassando conhecimentos em
relação as características, tratamento, prevenção do câncer de colorretal, dando
ênfase nos cuidados de enfermagem; que possa ter contribuído para que a
paciente tenha um tratamento humanizado e uma melhor qualidade de vida.
REFERÊNCIAS
 BARRETOS, Hospital de Câncer de Barretos. Tipos de Câncer. Disponível em
http://www.hcancerbarretos.com.br/tipos-de-cancer/77-paciente/tipos-de-
cancer/146-cancer-colorretal-colonreto-e-i. Acesso em 24 de Junho de 2014.
 INCA, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Tipos de
Câncer. Disponível em http:// www1.inca.gov.br/conteúdo_view.asp?id=322.
Acesso em 24 de Junho de 2014.
 NANDA Internacional. Diagnóstico de Enfermagem da NANDA. Definições e
classificação 2009-2011.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteProqualis
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccihLarissa Paulo
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Will Nunes
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mourao
Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mouraoDimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mourao
Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mouraoToni Magalhaes
 
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...AndressonSimplicio
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoEnfº Ícaro Araújo
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemJardiel7
 
Assistência de Enfermagem nas feridas tumorais
Assistência de Enfermagem nas feridas tumoraisAssistência de Enfermagem nas feridas tumorais
Assistência de Enfermagem nas feridas tumoraisVivi Medeiros
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemMarco Antonio
 
Hemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealHemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealSonara Pereira
 

Mais procurados (20)

QUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICA
QUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICAQUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICA
QUIMIOTERAPIA ANTINEOPLÁSICA
 
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
 
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Oncologia básica
Oncologia básicaOncologia básica
Oncologia básica
 
Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mourao
Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mouraoDimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mourao
Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem - campo mourao
 
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 
Assistência de Enfermagem nas feridas tumorais
Assistência de Enfermagem nas feridas tumoraisAssistência de Enfermagem nas feridas tumorais
Assistência de Enfermagem nas feridas tumorais
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
 
Hemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealHemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritoneal
 
Feridas neoplásicas
Feridas neoplásicasFeridas neoplásicas
Feridas neoplásicas
 

Semelhante a Cuidados de enfermagem ao paciente oncológico

A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquiteA sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquiteSarinha Sousa
 
SLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptx
SLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptxSLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptx
SLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptxFbioMaklouf
 
Estudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaEstudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaCaroline Lopes
 
Onco hematologia
Onco hematologiaOnco hematologia
Onco hematologiagisa_legal
 
Uerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabaritoUerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabaritotatysants
 
ESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptx
ESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptxESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptx
ESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptxVivianLayssa
 
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e PâncreasAssistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e PâncreasBruno Cavalcante Costa
 
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...Jonathan Sampaio
 
abdome agudo texto ler.pdf
abdome agudo texto ler.pdfabdome agudo texto ler.pdf
abdome agudo texto ler.pdfWagnerOseas1
 
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1chirlei ferreira
 
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdfroot,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdffelipecaetano47
 
Cirurgia pediátrica completa
Cirurgia pediátrica   completaCirurgia pediátrica   completa
Cirurgia pediátrica completaJucie Vasconcelos
 
Saúde ginecológica preparatório 2016 c
Saúde ginecológica  preparatório 2016 cSaúde ginecológica  preparatório 2016 c
Saúde ginecológica preparatório 2016 cangelalessadeandrade
 

Semelhante a Cuidados de enfermagem ao paciente oncológico (20)

Cancer colo do utero
Cancer colo do uteroCancer colo do utero
Cancer colo do utero
 
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquiteA sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
A sistematizacao da assitencia de enfermagem em um paciente com bronquite
 
SLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptx
SLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptxSLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptx
SLIDE - FRATURA TÍBIA.pptx.pptx
 
Doença de chagas
Doença de chagas   Doença de chagas
Doença de chagas
 
Estudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaEstudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - Histerectomia
 
Onco hematologia
Onco hematologiaOnco hematologia
Onco hematologia
 
Uerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabaritoUerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabarito
 
ESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptx
ESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptxESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptx
ESTUDO DE CASO - CANCRO CUTÂNEO NÃO MELANOMA SLIDE.pptx
 
Caso Clinico NR pré-termo
Caso Clinico NR pré-termoCaso Clinico NR pré-termo
Caso Clinico NR pré-termo
 
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e PâncreasAssistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
Assistência de Enfermagem em Cirurgias via Biliares e Pâncreas
 
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PACIENTE COM SIDA E TUBERCUL...
 
abdome agudo texto ler.pdf
abdome agudo texto ler.pdfabdome agudo texto ler.pdf
abdome agudo texto ler.pdf
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
Serviço De Propedêutica Do Colo Aula1
 
Capacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RS
Capacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RSCapacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RS
Capacitação dos ACS sobre Tb em Santa Maria - RS
 
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdfroot,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
root,+10.+Adenocarcinoma+de+cólon+apresentando-se+como+hérnia.pdf
 
Cirurgia pediátrica completa
Cirurgia pediátrica   completaCirurgia pediátrica   completa
Cirurgia pediátrica completa
 
V33n5a12
V33n5a12V33n5a12
V33n5a12
 
Saúde ginecológica preparatório 2016 c
Saúde ginecológica  preparatório 2016 cSaúde ginecológica  preparatório 2016 c
Saúde ginecológica preparatório 2016 c
 
Caso clinico e.s.f hiv na gestaçâo.
Caso clinico e.s.f hiv na gestaçâo.Caso clinico e.s.f hiv na gestaçâo.
Caso clinico e.s.f hiv na gestaçâo.
 

Último

O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 

Último (20)

O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 

Cuidados de enfermagem ao paciente oncológico

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – ICS FACULDADE DE ENFERMAGEM CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO DISCENTE: Jonathan Sampaio Tamy Morais Naianne Reis Évany Smith Ingrid Cordeiro Márcia Oliveira Maiza Leal BELEM-PA 2014
  • 2. INTRODUCAO  O problema do câncer no Brasil ganha relevância pelo perfil epidemiológico que essa doença vem apresentando, e, com isso, o tema conquista espaço nas agendas políticas e técnicas de todas as esferas de governo. O conhecimento sobre a situação dessa doença permite estabelecer prioridades e alocar recursos de forma direcionada para a modificação positiva desse cenário na população brasileira.
  • 3. Referencial Teórico  O que é o câncer? • Uma célula começa a crescer e dividir- se desordenadamente, dando origem a células descendentes que podem desenvolver tumores benignos ou malignos.  Câncer do colorretal • O Câncer Colorretal é uma neoplasia que se origina de qualquer porção do cólon, reto ou canal anal • Se desenvolve a partir de pólipos ou lesões benignas que aparecem na mucosa do intestino grosso. • Na maioria dos casos o CCR é uma patologia tratável e também curável
  • 4. Manifestações Clinicas As mais comuns são: • Mudanças nos hábitos intestinais; • Diarreia, constipação ou sensação evacuação incompleta; • Sangue vermelho vivo ou escuro nas fezes; • Gases, distensão ou cólicas abdominais; • Perda de peso sem motivo; • Anemia, fraqueza, cansaço constante; • Vômitos.
  • 5. Diagnóstico e Tratamento  Diagnóstico • Colonoscopia • Exame de fezes  Tratamento • Cirurgia(Colostomia) • Radioterapia • Quimioterapia
  • 6. Relato de Caso  HISTÓRICO DE ENFERMAGEM M.E.S.M, sexo feminino, 72 anos, natural de BELÉM- PA, ex tabagista, ex-etilista social (Não bebe há 4 anos), aposentada (assistente social), viúva, católica. Nega doenças pré-existentes e alergias. Deu entrada no hospital no dia 12 de junho de 2014. Não apresentando queixas. Nos antecedentes pessoais encontramos negação a Hipertensão sistêmica (HAS) E Diabetes Melitus (DM). Passados cirúrgico de colecistectomia há 3 anos e histerectomia total há 5 anos por tumor de endométrio, que se revelou à histologia como um adenocarcinoma pouco diferenciado. Realizou, além do tratamento cirúrgico, sessões de radioterapia e braquiterapia.
  • 7. EVOLUÇÕES  Evolução de admissão- 12/06/2014 • Cirurgia oncológica-Admissão • ID. MESM. 72 anos, viúva, residente e procedente de Belém, assistente social aposentada. • H.D: CA de cólon • HDA: Em fev/2013 teve episódio de dor em flanco E, tendo sido encaminhada à emergência recebendo atendimento e sendo orientada a procurar serviço de pneumologia do HUJBB. No referido serviço foi descartada qualquer alteração pulmonar e foi solicitado EDA+ Colonoscopia. Após meses de relutância a paciente foi submetida a colonoscopia + biopsia. Após os resultados foi encaminhada ao serviço de cir. Oncológica do OHL e solicitada internação. • IC: Nega HAS, DM ou alergias, etilista social, tabagista 15 aos 68 anos 1 maço/2 dias (não bebe ou fuma a 4 anos). Atualmente sem queixas. • AMP: nega HAS ou DM. • AMF: HAS da família, sem histórico de câncer.
  • 8.  Evolução de enfermagem- 14/06/2014 Consciente, orientada em tempo e espaço. Sem queixas no momento. SSVV estáveis. Aceitando dieta oferecida. Funções fisiológicas presentes e espontâneas. Segue sob cuidados de enfermagem.  Evolução médica- Oncocirurgica- 15/06/14 • H.D: Tumor de cólon direito. • Paciente sem queixas no momento. Sono e apetite preservados. Funções de eliminação presentes. Aceitando bem dieta. • Exame físico: BGG, Cote, AAA. Fácies atípica. Sem alterações em demais sistemas. • Conduta: mantendo cuidados. Aguardo programação cirúrgica.
  • 9.  Evolução acadêmica- 18/06/2014 Paciente no 7° DIH. I.D: Neoplasia de colón. Consciente orientada em tempo e espaço. Contactuante. Sem dores álgicas. Emagrecida. Eupnéica, normotensa, normoesfígmica, normotérmica. Couro cabeludo integro. Pele e mucosas com sinais de desidratação. Mucosa ocular hipocorada. Pavilhão auditivo intacto. Cavidade oral apresentando saburra e halitose. Região cervical sem gânglios palpáveis. Tórax simétrico, intracath na subclávia direita. Mamas sem massa palpáveis. AC: BCNF em 2T presentes, sem sopros cardíacos. AP: Murmúrios vesiculares presentes sem ruídos adventícios. Abdômen flácido, timpânico, indolor a palpação com RHA+. MMSS e II sem alterações. SIC: Aceitando dieta oferecida; Sono e repouso preservado; Diurese presente e evacuação espontânea. T: 36,5 ºC, P: 71 bpm, R: 21 rpm, PA: 120x80 mmHg
  • 10. Prescrição PRESCRIÇÃO INDICAÇÃO Dieta Branda SND Omefrazol 20mg VO, 1X ao dia. Dipirona 500 mg VO, 6/6 horas se dor. Bromoprida 10 mg VO, 8/8 horas se náuseas ou vômito. Captopril 25mg 02 COM, VO se PA>160x100 Cuidados Gerais • Prescrição Médica:
  • 11. PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM Em auto cuidado Aferir e registrar os sinais vitais Comunicar alterações clinica Supervisionar ingestão de medicamento oral Observar tolerância alimentar Orientar jejum Realizar rebaixamento de pelos pubianos Encaminhar ao banho Retirar prótese e adornos • Prescrição de Enfermagem do dia 16/06/2014
  • 12. PROBLEMA DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM RESULTADOS ESPERADOS Domínio 2- Nutrição 1. Paciente emagrecida Nutrição desequilibrada: menos que as necessidades corporais, relacionada a fatores biológicos e psicológicos, caracterizada por falta de interesse na comida, relato de sensação de sabor alterada e saciedade imediatamente após a ingestão. -Incentivo a alimentação -Orientação a necessidade de uma boa alimentação Correta alimentação da paciente e recuperação da massa corporal. Domínio 4- Atividade e repouso 1. Insônia Relacionado à ansiedade e desconforto físico, caracterizado por dificuldade de adormecer e Instruir a paciente quanto à posição de conforto para repouso e incentivar convívio Conforto e tranquilidade a paciente para restabelecer padrão de sono. ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM
  • 13. Domínio 9- Enfrentamento/ Tolerância ao estresse 1-Ansiedade - Ansiedade relacionada ao tempo de hospitalização - Oferecer apoio emocional - solicitar avaliação de assistente social - Diminuição da ansiedade. Domínio 11 –Segurança e proteção 1- Risco de infecção Relacionado à punção central. - executar assepsia antes de entrar em contato com paciente -Prevenir infecções 2- Integridade da pele prejudicada Relacionada ao estado nutricional alterado (emagrecimento) caracterizado por comprometimento da superfície da pele. - incentivar e/ou realizar hidratação da pele - Avaliar a coloração da pele e mucosa Manter integridade da pele.
  • 14. Planejamento e Implementação da Assistência da Enfermagem  Intervenções para diminuir incidência e gravidade das complicações do tratamento: • Seleção do local do estoma; • Seleção do tipo de bolsa coletora; • Cuidados do estoma;  Intervenções para monitorizar os efeitos colaterais do tratamento • Monitorizar as complicações PO; • Monitorizar o retorno das função intestinal; • Monitorizar as complicações da quimioterapia  Intervenções para integrar o cliente e a família ao cuidado
  • 15. CONCLUSÃO  Espera-se que com esse trabalho possa contribuir repassando conhecimentos em relação as características, tratamento, prevenção do câncer de colorretal, dando ênfase nos cuidados de enfermagem; que possa ter contribuído para que a paciente tenha um tratamento humanizado e uma melhor qualidade de vida.
  • 16. REFERÊNCIAS  BARRETOS, Hospital de Câncer de Barretos. Tipos de Câncer. Disponível em http://www.hcancerbarretos.com.br/tipos-de-cancer/77-paciente/tipos-de- cancer/146-cancer-colorretal-colonreto-e-i. Acesso em 24 de Junho de 2014.  INCA, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Tipos de Câncer. Disponível em http:// www1.inca.gov.br/conteúdo_view.asp?id=322. Acesso em 24 de Junho de 2014.  NANDA Internacional. Diagnóstico de Enfermagem da NANDA. Definições e classificação 2009-2011.