Náusea e vômito: Assistência de enfermagem

13.082 visualizações

Publicada em

Apresentado ao Curso de Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem, do Instituto de Ciências da Saúde, da Universidade Federal do Pará, como requisito para avaliação parcial da disciplina Médico Cirúrgico.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.082
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Náusea e vômito: Assistência de enfermagem

  1. 1. NÁUSEA / VÔMITO INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE ENFERMAGEM Discentes: Ana Caroline Batista Francisca Noronha Heilla Monteiro Ingrid Cordeiro Isabela Mesquita Jonathan Sampaio Belém/PA 2015
  2. 2. INTRODUÇÃO • Náusea é definida como desconforto abdominal subjetivo associado à vontade de vomitar, podendo ser causada pela estimulação de receptores mecânicos do trato gastrointestinal e do sistema vestibular. • O vômito consiste na expulsão forçada do conteúdo gástrico por complexo neuromuscular, com componentes voluntários ou involuntários.
  3. 3. ANATOMIA
  4. 4. FISIOPATOLOGIA
  5. 5. PRINCIPAIS OCORRÊNCIAS E CAUSAS • Cinetose • Gestação (Hiperêmese Gravídica) • NVIQ • NVPO
  6. 6. NÁUSEAS E VÔMITOS NO PÓS OPERATÓRIO (NVPO). • Náuseas e vômitos no Pós-operatório são definidos como um episódio de náusea ou vômito que ocorre 24 horas após o recebimento de anestesia.
  7. 7. FATORES QUE AUMENTAM O RISCO DA OCORRÊNCIA DE NVPO: • RELACIONADO AO PACIENTE • RELACIONADO À CIRURGIA • RELACIONADO À ANESTESIA • SEXO • IDADE • OBESIDADE • HISTORICO DE NVPO • LOCAL DA CIRURGIA • DURAÇÃO DA CIRURGIA • POCIONAMENTO DO PACIENTE • DROGAS ANESTESICAS • TÉCNICAS ANESTESICAS
  8. 8. CONSEQUÊNCIAS DO NVPO • DESIDRATAÇÃO • DISTÚRBIO ELETROLÍTICO • DEISCÊNCIA DA SUTURA • SANGRAMENTO • BRONCOASPIRAÇÃO • RUPTURA DO ESÔFAGO • AUMENTO DA PRESSÃO INTRA-CRÂNIANA • RETARDAMENTO DE ALTAS HOSPITALARES • AUMENTO DOS CUSTOS HOSPITALARES
  9. 9. INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM • A assistência de enfermagem à pacientes no período pós operatório – anestésico deve ter como objetivo garantir uma recuperação segura, prevenindo, detectando e atenuando às complicações que possam advir do ato anestésico cirúrgico. Embora o alcance desse objetivo esteja relacionado às situações que envolvem o paciente no período perioperatório como um todo.
  10. 10. INTERVENÇÕES GERAIS • Ensinar a usar antieméticos antes e após a quimioterapia. • Promover conforto durante episódios de náuseas e vômitos. • Diminuir a estimulação do centro do vômito. • Orientar a gestante quanto a alimentação para controlar a náusea durante a gestação.
  11. 11. RESULTADOS INTERVENÇÕES PRINCIPAIS INTERVENÇÕES SUGERIDAS APETITE DEFINIÇÃO: Desejo de comer quando doente ou em tratamento. • Controle da náusea. • Monitoração nutricional. • Controle de medicamentos. • Controle do vômito. • Monitoração Hídrica. ESTADO NUTRICIONAL: Ingestão de alimentos e líquidos DEFINIÇÃO: Quantidade de alimentos e líquidos consumidos durante 24hs. • Monitoração Hídrica e nutricional. • Controle de náusea, êmese e nutrição. • Planejamento da dieta. Gravidade da Náusea e dos Vômitos DEFINIÇÃO: Gravidade dos sintomas de náusea, espasmos e vômitos. • Controle de náusea e vômito. • Administração e controle de medicamento. • Controle Hídrico e Hidroeltrolítico. • Precauções contra Broncoaspiração. Diagnóstico de enfermagem: Náusea
  12. 12. RESULTADOS INTERVENÇÕES PRINCIPAIS INTERVENÇÕES SUGERIDAS HIDRATAÇÃO DEFINIÇÃO: Quantidade de água nos compartimentos intra e extracelular do organismo. Controle Hidroeletrolítico Controle de eletrólitos, vômito e hídrico. Monitoração de heletrólitos EFEITOS NOCIVOS DEFINIÇÃO: Gravidade dos efeitos nocivos relatados ou percebidos de náusea e vômitos no funcionamento diário. Controle da Náusea e do vômito Administração de Medicamentos, controle hidroeletrolítico e monitoração hídrica.
  13. 13. CONCLUSÃO • Acreditamos que seja necessário o enfermeiro estar alicerçado em conhecimento científico para implementar intervenções eficazes contra o NVPO e fornecer um cuidado individualizado e de qualidade ao paciente.
  14. 14. REFERÊNCIAS • POMPEO, Daniele Alcalá et al . Intervenções de enfermagem para náusea e vômito no período pós-operatório imediato. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 20, n. 2, June 2007 . Available from<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 21002007000200013&lng=en&nrm=iso>.accesson 19 Mar. 2015. http://dx.doi.org/10.15 90/S0103-21002007000200013. • GONDIM, Carlos Roberto Naegeli et al . Prevenção e tratamento de náuseas e vômitos no período pós-operatório. Rev. bras. ter. intensiva, São Paulo , v. 21, n. 1, Mar. 2009 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103- 507X2009000100013&lng=en&nrm=iso>.access on 19 Mar. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2009000100013
  15. 15. G2/Obrigado

×