SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 56
ROTEIRO 3: TRÍPLICE ASPECTO DA DOUTRINA ESPÍRITA
ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA
PROGRAMA FUNDAMENTAL - TOMO I – MÓDULO I
1
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO ESPIRITISMO
RAFAEL SANZIO
A Escola de Atenas (Scuola di
Atene no original) é uma das mais
famosas pinturas do renascentista
italiano Rafael e representa
a Academia de Atenas.
Foi pintada entre 1509 e 1511
na Stanza della Segnatura sob
encomenda do Vaticano.
A pintura já foi descrita como
"a obra-prima de Rafael e a
personificação perfeita do
espírito clássico
da Renascença“
A importância da obra também
está em demonstrar como a
filosofia e a vida intelectual da
Grécia
2
INTRODUÇÃOAOESTUDODOESPIRITISMO
3
1. O contexto
histórico do
Século XIX na
Europa
2. Espiritismo ou
Doutrina
Espírita: conceito
e objeto
3. Tríplice Aspecto
da Doutrina
Espírita
4. Pontos Principais
da Doutrina
Espírita
OBJETIVO ESPECÍFICO:
• Identificar os
aspectos
científico,
filosófico e
religioso do
Espiritismo.
4
1. O TRÍPLICE ASPECTO DA
DOUTRINA ESPÍRITA
5
CIENTÍFICO FILOSÓFICO RELIGIOSO
O Espiritismo é,
ao mesmo tempo,
uma ciência de observação e
uma doutrina filosófica.
Como ciência prática,
ele consiste nas relações que se
estabelecem entre nós e os
Espíritos;
como filosofia, ele compreende
todas as consequências morais
que dimanam (nascem) dessas
mesmas relações.
(5) KARDEC. Obras póstumas.
6
O ESPIRITISMO SE APRESENTA SOB
TRÊS ASPECTOS DIFERENTES:
• O das manifestações, o dos
princípios e da filosofia que
delas decorrem e o da
aplicação desses princípios. (1)
7
TRÊS GRAUS DE ADEPTOS
• 1º. Os que creem nas
manifestações e se limitam
a comprová-las;
para esses, o Espiritismo é
uma ciência experimental;
8
TRÊS GRAUS DE ADEPTOS
• 2º. Os que lhe
percebem as
consequências
morais;
9
TRÊS GRAUS DE ADEPTOS
• 3º. Os que
praticam ou
se esforçam
por praticar
essa moral.
10
O TRÍPLICE ASPECTO
consoante as palavras de Kardec
CIENTÍFICO
concernente às
manifestações
dos Espíritos.
11
FILOSÓFICO
respeitante aos
princípios,
inclusive
morais, em que
se assenta a sua
doutrina.
RELIGIOSO
relativo à
aplicação
desses
princípios.
(1)
GLOSSÁRIO
CONSOANTE
• Que tem
consonância.
• Conforme, segundo,
afim , análogo ,
como , concorde.
12
CONCERNENTE
• Relativo, referente.
• Atinente,
pertencente,
pertinente,
respeitante, tocante,
próprio, relevante,
alusivo.
13
2. O ASPECTO CIENTÍFICO
GLOSSÁRIO
• Conhecimento atento e
aprofundado de algo.
• Corpo de conhecimentos
sistematizados adquiridos via
observação, identificação, pesquisa e
explicação de determinadas
categorias de fenômenos e fatos, e
formulados metódica e
racionalmente. (2)
14
CIÊNCIA
CIÊNCIA
Nenhuma ciência existe
que haja saído prontinha
do cérebro de um homem
(...) são fruto de
observações
sucessivas, apoiadas
em observações
precedentes, como em
um ponto conhecido,
para chegar ao
desconhecido. (1)
15
CIÊNCIA ESPÍRITA
Os fatos ou
fenômenos espíritas,
isto é, produzidos por
espíritos
desencarnados, são a
substância mesma da
Ciência Espírita,
cujo objeto é o estudo
e conhecimento
desses fenômenos,
para fixação das leis
que os regem. (1)
16
“O Espiritismo, pois, não
estabelece com o princípio
absoluto senão o que se
acha evidentemente
demonstrado, ou o que
ressalta logicamente da
observação.” [continua]
17
CARÁTER CIENTÍFICO
CARÁTER CIENTÍFICO
[continuação]
Caminhando de par com o
progresso, o Espiritismo jamais será
ultrapassado, porque, se novas
descobertas lhe demonstrassem
estar em erro acerca de um ponto
qualquer, ele se modificaria nesse
ponto. Se uma verdade nova se
revelar, ele a aceitará. “ (1 e 6)
18
O PAPEL
CIENTÍFICO DO ESPIRITISMO
O Espiritismo é uma ciência
cujo fim é a demonstração
experimental da existência da
alma e sua imortalidade, por
meio de comunicações com
aqueles aos quais
impropriamente têm sido
chamados morto.
(1 e 7) O Fenômeno Espírita, Gabriel Delanne
19
CIÊNCIA ESPÍRITA
• se classifica [...] entre as ciências
positivas ou experimentais e se
utiliza do método analítico ou
indutivo, porque observa e
examina os fenômenos
mediúnicos, faz experiências,
comprova-os.
(1 e 8) BARBOSA, Pedro Franco. Espiritismo básico.
20
POSITIVISMO
Sistema filosófico formulado
por Comte, a Sociedade, a
Cultura passa por três
etapas: a TEOLÓGICA, a
METAFÍSICA e a POSITIVA.
Surge quando a humanidade
atinge a terceira etapa, sua
maioridade rompendo com
as anteriores. (9)
CIÊNCIAS POSITIVAS OU
EXPERIMENTAIS
Consiste na observação dos
fenômenos, opondo-se ao
racionalismo e ao idealismo,
por meio da promoção do
primado da experiência
sensível, única capaz de
produzir a partir dos dados
concretos (positivos) a
verdadeira ciência (na
concepção positivista), sem
qualquer atributo ... (10)
21
GLOSSÁRIO
METAFÍSICA
(...) "a ciência do mundo para
além da física" e encontraram
razões intrínsecas para
justificar o uso do termo
"metafísica" para referir-se a
este tipo de trabalho, de
forma que o termo se
instaurou e sobreviveu até os
dias atuais. (11)
TEOLOGIA
É o estudo da existência de
Deus, das questões
referentes ao conhecimento
da divindade, assim como de
sua relação com o mundo e
com os homens. (12)
22
GLOSSÁRIO
MÉTODO INDUTIVO
Método empirista, o qual
considera o
conhecimento como
baseado na experiência; a
generalização deriva de
observações de casos da
realidade concreta e são
elaboradas a partir de
constatações particulares.
EXEMPLO:
Pedro é moral
João é mortal
Carlos é mortal. …
Ora,
Pedro, João, … e Carlos são
homens.
Logo,
(todos) os homens são
mortais (13)
23
GLOSSÁRIO
3. O ASPECTO FILOSÓFICO
24
ESPIRITISMO E FILOSOFIA
• O Espiritismo é uma
DOUTRINA FILOSÓFICA
de efeitos religiosos,
como qualquer filosofia
espiritualista, pelo que
forçosamente vai ter às
bases fundamentais de
todas as religiões: Deus,
a alma e a vida futura.
[CONTINUA]
25
ESPIRITISMO E FILOSOFIA
[CONTINUAÇÃO]
• Mas, não é uma religião
constituída, visto que não tem
culto, nem rito, nem templos e
que, entre seus adeptos,
nenhum tomou, nem recebeu o
título de sacerdote ou de sumo-
sacerdote. (1)
Allan Kardec: Obras póstumas – Ligeira resposta aos
detratores do espiritismo.
26
GLOSSÁRIO
FILOSOFIA
Formada pela junção de dois
vocábulos:
SOPHIA significa “sabedoria”
PHILOS, que deriva de philia,
que dizer “amor fraternal”,
“amor entre pessoas que se
querem bem” e “se
respeitam mutuamente”, “é
o amor entre amigos ou a
amizade”.
DO GREGO PHILOSOPHÍA
Logo, Filosofia significa “amor
pelo saber”, “respeito pela
sabedoria”. E o filósofo é
aquele que ama, respeita e
tem apreço pela sabedoria.(8)
Difícil dar uma definição genérica, já
que varia não só quanto a cada
filósofo ou corrente filosófica, mas
também a cada período histórico. (3)
27
Estudo que se caracteriza pela intenção de
ampliar incessantemente a compreensão da
realidade, no sentido de apreendê-la na sua
totalidade, quer pela busca da realidade capaz
de abranger todas as outras, o Ser, quer pela
definição do instrumento capaz de apreender a
realidade, o pensamento, as respostas às
perguntas:[continua]
28
GLOSSÁRIO
FILOSOFIA
GLOSSÁRIO
que é a razão?
o conhecimento?
a consciência?
a reflexão?
que é explicar?
provar?
que é uma causa?
um fundamento?
uma lei?
um princípio?...
tornando-se o homem
tema inevitável de
consideração. (4)
29
... AS RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS:
CONHECIMENTO
• PLATÃO
Conhecimentos são crenças
verdadeiras e justificadas
que tem que seguir um
método racional, lógico, ter
sentido.
• ARISTÓTELES
Para algo ser conhecimento
não basta ser crenças
verdadeiras e justificadas
tem que comprovar. (4)
30
PLATÃO
(427-347 a.C.),
segurando sua
obra Timaeus, e
apontando sua
mão direita para
cima.
Platão era o líder
da Academia de
Atenas, que
congregava os
maiores filósofos
e matemáticos
de seu tempo.
ARISTÓTELES
No centro
da Escola de
Atenas, ao lado
esquerdo de
Platão e portando
sua obra Ética,
está Aristóteles,
seu discípulo, e
que viveu até 322
a.C.
31
Detalhe da obra
Escola de Atenas
Rafael Sanzio
é objeto
central da
reflexão
filosófica
32
AMOR AO SABER
FILOSOFIA
CONHECIMENTO
É A BUSCA DA VERDADE
ESPIRITISMO É FILOSOFIA
•O espiritismo
é uma filosofia de
Bases Científicas.
BASES
CIENTÍFICAS:
Fatos
mediúnicos
(podem ser
medidos e
analisados por
qualquer
ciência)(4)
33
FILOSOFIA ESPIRITUALISTA
• O aspecto filosófico do
Espiritismo vem
destacado na folha de
rosto de O Livro dos
Espíritos, a primeira obra
do Espiritismo, quando
Allan Kardec classifica a
nova doutrina de
Filosofia Espiritualista. (1)
34
ESPIRITISMO é uma doutrina
essencialmente filosófica,
embora seus princípios sejam
comprovados
experimentalmente, o que lhe
confere também o caráter
científico.
Quando o Homem pergunta,
interroga, cogita, quer saber o
«como» e o «porquê» das
coisas, dos fatos, dos
acontecimentos, nasce a
FILOSOFIA, que mostra o que
são as coisas e porque são as
coisas o que são. (1)
35
36
QUEM SOMOS? DE ONDE VIMOS? PARA ONDE VAMOS?
PAUL GAUGUIN (1848-1903)
Carregada de símbolos – homem, animal, totem, natureza -
tudo nesta obra se conjuga harmonicamente para chamar a
atenção para as grandes questões sobre o sentido da vida.
Pintura de 1897.
O caráter filosófico do Espiritismo está (...)
no estudo que faz do Homem, sobretudo
Espírito, de seus problemas, de sua
origem, de sua destinação.
37
• (...) o conhecimento do
mecanismo das relações dos
Homens que vivem na Terra com
aqueles que já se despediram
dela, temporariamente, pela
morte, estabelecendo as bases
desse permanente
relacionamento, e demonstra a
existência, inquestionável, de
algo que tudo cria e tudo
comanda, inteligentemente –
DEUS.
38
• Definindo as
responsabilidades do
Espírito – quando
encarnado (alma) e
também do
desencarnado, o
Espiritismo é Filosofia,
uma regra moral de
vida e comportamento
para os seres da
Criação, dotados de
sentimento, razão e
consciência. (8)
39
40
3. O ASPECTO RELIGIOSO
EFEITOS RELIGIOSOS
• O Espiritismo [diz Allan Kardec] é uma
doutrina filosófica de
EFEITOS RELIGIOSOS,
como qualquer filosofia espiritualista,
pelo que forçosamente vai ter às bases
fundamentais de todas as religiões:
Deus, a alma e a vida futura.
O laço estabelecido por
uma religião, seja qual
for o seu objetivo é [...]
essencialmente moral,
que liga os corações, que
identifica os
pensamentos, as
aspirações, [...].
42
[...]Como consequência da
comunhão de vistas e de
sentimentos, a fraternidade
e a solidariedade, a
indulgência e a
benevolência mútuas.
É nesse sentido que
também se diz: a religião da
amizade, a religião da
família.
43
• Ora, sim, sem dúvida, senhores!
• No sentido filosófico, o
Espiritismo é uma religião, e nós
nos vangloriamos por isto, porque
é a Doutrina que funda os
vínculos da fraternidade e da
comunhão de pensamentos, não
sobre uma simples convenção,
mas sobre bases mais sólidas: as
próprias leis da Natureza.(14)
44
ESPIRITISMO É RELIGIÃO
ESPIRITISMO É RELIGIÃO
Não tendo o Espiritismo nenhum dos
caracteres de uma religião, na acepção
usual da palavra, não podia nem devia
enfeitar-se com um título sobre cujo valor
inevitavelmente se teria equivocado.
Eis por que simplesmente se diz:
DOUTRINA FILOSÓFICA E MORAL
45
O [...] Espiritismo repousa
sobre as bases fundamentais
da religião e respeita todas
as crenças; [...] um de seus
efeitos é incutir sentimentos
religiosos nos que os não
possuem, fortalecê-los nos
que os tenham vacilantes.
Allan Kardec: O livro dos médiuns –Primeira parte. Cap. 3, item 24.
46
LIVRO: O CONSOLADOR
• Francisco Cândido Xavier
Ditado Pelo Espírito
Emmanuel
Editado Pela FEB (1941)
47
LIVRO: O CONSOLADOR
• Apresentando o Espiritismo, na sua
feição de Consolador prometido pelo
Cristo, três aspectos diferentes:
científico, filosófico e religioso, qual
desses aspectos é o maior?
Introdução da obra, Definição: O Consolador. Francisco Cândido Xavier. Ditado Pelo Espírito
Emmanuel. Editado Pela FEB (1941).
48
RELIGIÃO
FILOSOFIACIÊNCIA
Podemos tomar o Espiritismo, simbolizado desse
modo, como um triângulo de forças espirituais.
49
LIVRO: O CONSOLADOR
“A Ciência e a Filosofia
vinculam à Terra essa
figura simbólica,
porém, a Religião é o
ângulo divino que a
liga ao céu.
No seu aspecto científico
e filosófico, a doutrina
será sempre um campo
nobre de investigações
humanas, como outros
movimentos coletivos, de
natureza intelectual, que
visam o aperfeiçoamento
da Humanidade.
50
No aspecto religioso,
todavia, repousa a sua
grandeza divina, por
constituir a
restauração do
Evangelho de Jesus
Cristo, ...
... estabelecendo a
renovação definitiva
do homem, para a
grandeza do seu
imenso futuro
espiritual.” (15)
51
LIVRO: O CONSOLADOR
52
INDAGAEXPLICA
ELEVA
RELIGIÃO
FILOSOFIACIÊNCIA
53
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita
Programa Fundamental – Tomo I, FEB, 2010.
2. Disponível em: https://www.google.com.br/#q=ci%C3%AAncia+defini%C3%A7%C3%A3o,
28/08/2016, 18:08
3. Seminário "O que é Espiritismo?" com Anete Guimarães - 1ª parte, realizado na cidade de
Aparecida D´Oeste/SP em 17 julho de 2010 .
4. Novo Dicionário Eletrônico Aurélio versão 7.0, 5ª. Edição do Dicionário Aurélio da Língua
Portuguesa, by Regis Ltda, 2010.
5. KARDEC. Obras póstumas. Tradução de Guillon Ribeiro. 38. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005.
(Ligeira resposta aos detratores do espiritismo). Primeira parte, p. 260-261.
6. KARDEC, Allan. A gênese. Tradução de Guillon Ribeiro. 55. ed. RJ: FEB, 2005. Cap. 1, item 55,
p. 42.
7. DELANNE, Gabriel. O fenômeno espírita. Tradução de Francisco. Raymundo Ewerton
Quadros. 8. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Prefácio, p. 13.
8.BARBOSA, Pedro Franco. Espiritismo básico. 5. ed. Rio de Janeiro:FEB, 2002. (O espiritismo
filosófico)
9. JAPIASSÚ, Hilton. Dicionário Básico de Filosofia.
54
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
10.
https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=CI%C3%8ANCIAS+POSITIVAS+++defini%C3%A7%
C3%A3o. 02/09/2016, 10:39
11.http://www.infoescola.com/filosofia/metafisica/. 02/09/2016, 10:45
12.https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=teol%C3%B3gica++defini%C3%A7%C3%A3o.
02/09/2016, 10:50
13. http://mba.eci.ufmg.br/downloads/metodologia.pdf. 02/09/2016, 11:00
14. Revista espírita. Jornal de estudos psicológicos. Ano 1868. Tradução de Evandro Noleto
Bezerra. Poesias traduzidas por Inaldo Lacerda Lima. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Ano 11.
Dezembro de 1868. Nº 12. Item: Discurso de abertura pelo senhor Allan Kardec: O
espiritismo é uma religião?, p. 490- 491.
15 . Introdução da obra, Definição: O Consolador. Francisco Cândido Xavier. Ditado Pelo Espírito
Emmanuel. Editado Pela FEB (1941).
55
56
IEDC
Instituto Espírita Dias da Cruz
DAE
Departamento De Assistência Espiritual
Facilitadores:
Denise Maria de Aguiar da Silva
Deise Cristina Maciel de Aguiar
2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
Graça Maciel
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
duadv
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
O triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismoO triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismo
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina EspiritaApostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
De graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça daiDe graça recebeste de graça dai
De graça recebeste de graça dai
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
 
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5hO que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
 
O Centro Espírita - ESDE
O Centro Espírita - ESDEO Centro Espírita - ESDE
O Centro Espírita - ESDE
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
Roteiro 1 fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação
Roteiro 1   fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificaçãoRoteiro 1   fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação
Roteiro 1 fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação
 
Apresentação do Esde
Apresentação do Esde Apresentação do Esde
Apresentação do Esde
 
O triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismoO triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismo
 

Destaque

Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europaPalestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Jose Ferreira Almeida
 
Etapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da TerraEtapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da Terra
Tânia Reis
 

Destaque (20)

Esdei 01.01 parte ii_2016
Esdei 01.01 parte ii_2016Esdei 01.01 parte ii_2016
Esdei 01.01 parte ii_2016
 
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objetoIntrodução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
 
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europaPalestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
 
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismoAula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
 
Roteiro 2 origem e natureza do espírito
Roteiro  2   origem e natureza do espíritoRoteiro  2   origem e natureza do espírito
Roteiro 2 origem e natureza do espírito
 
Etapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da TerraEtapas Da História Da Terra
Etapas Da História Da Terra
 
Progressão dos Espíritos 2ª Parte
Progressão dos Espíritos 2ª ParteProgressão dos Espíritos 2ª Parte
Progressão dos Espíritos 2ª Parte
 
02.01 fenominos parte 2_mesas girantes
02.01 fenominos parte 2_mesas girantes02.01 fenominos parte 2_mesas girantes
02.01 fenominos parte 2_mesas girantes
 
02.01 fenominos parte 1_hydesville
02.01 fenominos parte 1_hydesville02.01 fenominos parte 1_hydesville
02.01 fenominos parte 1_hydesville
 
ESDE I - PROGRAMA DE ESTUDO
ESDE I - PROGRAMA DE ESTUDOESDE I - PROGRAMA DE ESTUDO
ESDE I - PROGRAMA DE ESTUDO
 
Origem e natureza do Espirito parte 3
Origem e natureza do Espirito parte 3Origem e natureza do Espirito parte 3
Origem e natureza do Espirito parte 3
 
Reflexões espiritas e espiritualistas
Reflexões espiritas e espiritualistasReflexões espiritas e espiritualistas
Reflexões espiritas e espiritualistas
 
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espíritaEsdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
Esdei 01.04 pontos principais da doutrina espírita
 
Esdei 01.01 parte i_2016
Esdei 01.01 parte i_2016Esdei 01.01 parte i_2016
Esdei 01.01 parte i_2016
 
Contexto histórico da Doutrina Espírita. Filósofos
Contexto histórico da Doutrina Espírita. FilósofosContexto histórico da Doutrina Espírita. Filósofos
Contexto histórico da Doutrina Espírita. Filósofos
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistas
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistasIntrodução ao estudo do espiritismo - cientistas
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistas
 
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
 
Contexto histórico - Espiritismo - Governantes
Contexto histórico - Espiritismo - GovernantesContexto histórico - Espiritismo - Governantes
Contexto histórico - Espiritismo - Governantes
 

Semelhante a Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita

Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...
Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...
Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...
Wagner Stefani
 
Filosofia 2º bimestre -1ª série - o conhecimento
Filosofia   2º bimestre -1ª série - o conhecimentoFilosofia   2º bimestre -1ª série - o conhecimento
Filosofia 2º bimestre -1ª série - o conhecimento
mtolentino1507
 
O empirismo de David Hume (Doc. 2)
O empirismo de David Hume (Doc. 2)O empirismo de David Hume (Doc. 2)
O empirismo de David Hume (Doc. 2)
Joaquim Melro
 
O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)
O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)
O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)
Joaquim Melro
 
Slides Antropologia
Slides AntropologiaSlides Antropologia
Slides Antropologia
Misterios10
 
Racionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - FilosofiaRacionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - Filosofia
Carson Souza
 
perspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionaisperspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionais
themis dovera
 

Semelhante a Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita (20)

Fil1
Fil1Fil1
Fil1
 
Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...
Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...
Introdução a Filosofia. Aula Introdutória sobre a origem da Filosofia e seus ...
 
Filosofia 2
Filosofia 2Filosofia 2
Filosofia 2
 
1.Filosofia e Filosofar
1.Filosofia e Filosofar1.Filosofia e Filosofar
1.Filosofia e Filosofar
 
Slide filosofia
Slide filosofiaSlide filosofia
Slide filosofia
 
Filosofia 2º bimestre -1ª série - o conhecimento
Filosofia   2º bimestre -1ª série - o conhecimentoFilosofia   2º bimestre -1ª série - o conhecimento
Filosofia 2º bimestre -1ª série - o conhecimento
 
Aula 01 - Origens da Filosofia
Aula 01 - Origens da FilosofiaAula 01 - Origens da Filosofia
Aula 01 - Origens da Filosofia
 
O empirismo de David Hume (Doc. 2)
O empirismo de David Hume (Doc. 2)O empirismo de David Hume (Doc. 2)
O empirismo de David Hume (Doc. 2)
 
O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)
O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)
O empirismo e o racionalismo (Doc. 2)
 
O empirismo e o racionalismo (Doc.2)
O empirismo e o racionalismo (Doc.2)O empirismo e o racionalismo (Doc.2)
O empirismo e o racionalismo (Doc.2)
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
FILOSOFIA 1°ANO.ppt
FILOSOFIA 1°ANO.pptFILOSOFIA 1°ANO.ppt
FILOSOFIA 1°ANO.ppt
 
Aula 01 mitologia e filosofia
Aula 01   mitologia e filosofiaAula 01   mitologia e filosofia
Aula 01 mitologia e filosofia
 
Slides Antropologia
Slides AntropologiaSlides Antropologia
Slides Antropologia
 
2º anos (Filosofia) Consciência
2º anos (Filosofia) Consciência2º anos (Filosofia) Consciência
2º anos (Filosofia) Consciência
 
Racionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - FilosofiaRacionalismo x Empirismo - Filosofia
Racionalismo x Empirismo - Filosofia
 
perspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionaisperspectivas epidemiologicas tradicionais
perspectivas epidemiologicas tradicionais
 
Consciencia (1)
Consciencia (1)Consciencia (1)
Consciencia (1)
 
Concepções filosoficas-s
Concepções filosoficas-sConcepções filosoficas-s
Concepções filosoficas-s
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 

Mais de Denise Aguiar

Mais de Denise Aguiar (18)

CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃOCAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
 
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
 
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
 
Cientistas estudo da evolução quadro TEORIAS EVOLUCIONISTAS
Cientistas   estudo da evolução   quadro TEORIAS EVOLUCIONISTASCientistas   estudo da evolução   quadro TEORIAS EVOLUCIONISTAS
Cientistas estudo da evolução quadro TEORIAS EVOLUCIONISTAS
 
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
 
Poesia o mal e o sofrimento
Poesia o mal e o sofrimentoPoesia o mal e o sofrimento
Poesia o mal e o sofrimento
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
 
Provas da existência Deus
Provas da existência DeusProvas da existência Deus
Provas da existência Deus
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
 
Terminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásia
Terminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásiaTerminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásia
Terminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásia
 
Tipos de Psicografia
Tipos de PsicografiaTipos de Psicografia
Tipos de Psicografia
 
02.02 allan kardec 1_parte
02.02 allan kardec 1_parte02.02 allan kardec 1_parte
02.02 allan kardec 1_parte
 
Esdei 01.02 conceito e objeto
Esdei 01.02 conceito e objetoEsdei 01.02 conceito e objeto
Esdei 01.02 conceito e objeto
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 

Último (14)

Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 

Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita

  • 1. ROTEIRO 3: TRÍPLICE ASPECTO DA DOUTRINA ESPÍRITA ESTUDO SISTEMATIZADO DA DOUTRINA ESPÍRITA PROGRAMA FUNDAMENTAL - TOMO I – MÓDULO I 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO ESPIRITISMO
  • 2. RAFAEL SANZIO A Escola de Atenas (Scuola di Atene no original) é uma das mais famosas pinturas do renascentista italiano Rafael e representa a Academia de Atenas. Foi pintada entre 1509 e 1511 na Stanza della Segnatura sob encomenda do Vaticano. A pintura já foi descrita como "a obra-prima de Rafael e a personificação perfeita do espírito clássico da Renascença“ A importância da obra também está em demonstrar como a filosofia e a vida intelectual da Grécia 2
  • 3. INTRODUÇÃOAOESTUDODOESPIRITISMO 3 1. O contexto histórico do Século XIX na Europa 2. Espiritismo ou Doutrina Espírita: conceito e objeto 3. Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita 4. Pontos Principais da Doutrina Espírita
  • 4. OBJETIVO ESPECÍFICO: • Identificar os aspectos científico, filosófico e religioso do Espiritismo. 4
  • 5. 1. O TRÍPLICE ASPECTO DA DOUTRINA ESPÍRITA 5 CIENTÍFICO FILOSÓFICO RELIGIOSO
  • 6. O Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os Espíritos; como filosofia, ele compreende todas as consequências morais que dimanam (nascem) dessas mesmas relações. (5) KARDEC. Obras póstumas. 6
  • 7. O ESPIRITISMO SE APRESENTA SOB TRÊS ASPECTOS DIFERENTES: • O das manifestações, o dos princípios e da filosofia que delas decorrem e o da aplicação desses princípios. (1) 7
  • 8. TRÊS GRAUS DE ADEPTOS • 1º. Os que creem nas manifestações e se limitam a comprová-las; para esses, o Espiritismo é uma ciência experimental; 8
  • 9. TRÊS GRAUS DE ADEPTOS • 2º. Os que lhe percebem as consequências morais; 9
  • 10. TRÊS GRAUS DE ADEPTOS • 3º. Os que praticam ou se esforçam por praticar essa moral. 10
  • 11. O TRÍPLICE ASPECTO consoante as palavras de Kardec CIENTÍFICO concernente às manifestações dos Espíritos. 11 FILOSÓFICO respeitante aos princípios, inclusive morais, em que se assenta a sua doutrina. RELIGIOSO relativo à aplicação desses princípios. (1)
  • 12. GLOSSÁRIO CONSOANTE • Que tem consonância. • Conforme, segundo, afim , análogo , como , concorde. 12 CONCERNENTE • Relativo, referente. • Atinente, pertencente, pertinente, respeitante, tocante, próprio, relevante, alusivo.
  • 13. 13 2. O ASPECTO CIENTÍFICO
  • 14. GLOSSÁRIO • Conhecimento atento e aprofundado de algo. • Corpo de conhecimentos sistematizados adquiridos via observação, identificação, pesquisa e explicação de determinadas categorias de fenômenos e fatos, e formulados metódica e racionalmente. (2) 14 CIÊNCIA
  • 15. CIÊNCIA Nenhuma ciência existe que haja saído prontinha do cérebro de um homem (...) são fruto de observações sucessivas, apoiadas em observações precedentes, como em um ponto conhecido, para chegar ao desconhecido. (1) 15
  • 16. CIÊNCIA ESPÍRITA Os fatos ou fenômenos espíritas, isto é, produzidos por espíritos desencarnados, são a substância mesma da Ciência Espírita, cujo objeto é o estudo e conhecimento desses fenômenos, para fixação das leis que os regem. (1) 16
  • 17. “O Espiritismo, pois, não estabelece com o princípio absoluto senão o que se acha evidentemente demonstrado, ou o que ressalta logicamente da observação.” [continua] 17 CARÁTER CIENTÍFICO
  • 18. CARÁTER CIENTÍFICO [continuação] Caminhando de par com o progresso, o Espiritismo jamais será ultrapassado, porque, se novas descobertas lhe demonstrassem estar em erro acerca de um ponto qualquer, ele se modificaria nesse ponto. Se uma verdade nova se revelar, ele a aceitará. “ (1 e 6) 18
  • 19. O PAPEL CIENTÍFICO DO ESPIRITISMO O Espiritismo é uma ciência cujo fim é a demonstração experimental da existência da alma e sua imortalidade, por meio de comunicações com aqueles aos quais impropriamente têm sido chamados morto. (1 e 7) O Fenômeno Espírita, Gabriel Delanne 19
  • 20. CIÊNCIA ESPÍRITA • se classifica [...] entre as ciências positivas ou experimentais e se utiliza do método analítico ou indutivo, porque observa e examina os fenômenos mediúnicos, faz experiências, comprova-os. (1 e 8) BARBOSA, Pedro Franco. Espiritismo básico. 20
  • 21. POSITIVISMO Sistema filosófico formulado por Comte, a Sociedade, a Cultura passa por três etapas: a TEOLÓGICA, a METAFÍSICA e a POSITIVA. Surge quando a humanidade atinge a terceira etapa, sua maioridade rompendo com as anteriores. (9) CIÊNCIAS POSITIVAS OU EXPERIMENTAIS Consiste na observação dos fenômenos, opondo-se ao racionalismo e ao idealismo, por meio da promoção do primado da experiência sensível, única capaz de produzir a partir dos dados concretos (positivos) a verdadeira ciência (na concepção positivista), sem qualquer atributo ... (10) 21 GLOSSÁRIO
  • 22. METAFÍSICA (...) "a ciência do mundo para além da física" e encontraram razões intrínsecas para justificar o uso do termo "metafísica" para referir-se a este tipo de trabalho, de forma que o termo se instaurou e sobreviveu até os dias atuais. (11) TEOLOGIA É o estudo da existência de Deus, das questões referentes ao conhecimento da divindade, assim como de sua relação com o mundo e com os homens. (12) 22 GLOSSÁRIO
  • 23. MÉTODO INDUTIVO Método empirista, o qual considera o conhecimento como baseado na experiência; a generalização deriva de observações de casos da realidade concreta e são elaboradas a partir de constatações particulares. EXEMPLO: Pedro é moral João é mortal Carlos é mortal. … Ora, Pedro, João, … e Carlos são homens. Logo, (todos) os homens são mortais (13) 23 GLOSSÁRIO
  • 24. 3. O ASPECTO FILOSÓFICO 24
  • 25. ESPIRITISMO E FILOSOFIA • O Espiritismo é uma DOUTRINA FILOSÓFICA de efeitos religiosos, como qualquer filosofia espiritualista, pelo que forçosamente vai ter às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura. [CONTINUA] 25
  • 26. ESPIRITISMO E FILOSOFIA [CONTINUAÇÃO] • Mas, não é uma religião constituída, visto que não tem culto, nem rito, nem templos e que, entre seus adeptos, nenhum tomou, nem recebeu o título de sacerdote ou de sumo- sacerdote. (1) Allan Kardec: Obras póstumas – Ligeira resposta aos detratores do espiritismo. 26
  • 27. GLOSSÁRIO FILOSOFIA Formada pela junção de dois vocábulos: SOPHIA significa “sabedoria” PHILOS, que deriva de philia, que dizer “amor fraternal”, “amor entre pessoas que se querem bem” e “se respeitam mutuamente”, “é o amor entre amigos ou a amizade”. DO GREGO PHILOSOPHÍA Logo, Filosofia significa “amor pelo saber”, “respeito pela sabedoria”. E o filósofo é aquele que ama, respeita e tem apreço pela sabedoria.(8) Difícil dar uma definição genérica, já que varia não só quanto a cada filósofo ou corrente filosófica, mas também a cada período histórico. (3) 27
  • 28. Estudo que se caracteriza pela intenção de ampliar incessantemente a compreensão da realidade, no sentido de apreendê-la na sua totalidade, quer pela busca da realidade capaz de abranger todas as outras, o Ser, quer pela definição do instrumento capaz de apreender a realidade, o pensamento, as respostas às perguntas:[continua] 28 GLOSSÁRIO FILOSOFIA
  • 29. GLOSSÁRIO que é a razão? o conhecimento? a consciência? a reflexão? que é explicar? provar? que é uma causa? um fundamento? uma lei? um princípio?... tornando-se o homem tema inevitável de consideração. (4) 29 ... AS RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS:
  • 30. CONHECIMENTO • PLATÃO Conhecimentos são crenças verdadeiras e justificadas que tem que seguir um método racional, lógico, ter sentido. • ARISTÓTELES Para algo ser conhecimento não basta ser crenças verdadeiras e justificadas tem que comprovar. (4) 30
  • 31. PLATÃO (427-347 a.C.), segurando sua obra Timaeus, e apontando sua mão direita para cima. Platão era o líder da Academia de Atenas, que congregava os maiores filósofos e matemáticos de seu tempo. ARISTÓTELES No centro da Escola de Atenas, ao lado esquerdo de Platão e portando sua obra Ética, está Aristóteles, seu discípulo, e que viveu até 322 a.C. 31 Detalhe da obra Escola de Atenas Rafael Sanzio
  • 32. é objeto central da reflexão filosófica 32 AMOR AO SABER FILOSOFIA CONHECIMENTO É A BUSCA DA VERDADE
  • 33. ESPIRITISMO É FILOSOFIA •O espiritismo é uma filosofia de Bases Científicas. BASES CIENTÍFICAS: Fatos mediúnicos (podem ser medidos e analisados por qualquer ciência)(4) 33
  • 34. FILOSOFIA ESPIRITUALISTA • O aspecto filosófico do Espiritismo vem destacado na folha de rosto de O Livro dos Espíritos, a primeira obra do Espiritismo, quando Allan Kardec classifica a nova doutrina de Filosofia Espiritualista. (1) 34
  • 35. ESPIRITISMO é uma doutrina essencialmente filosófica, embora seus princípios sejam comprovados experimentalmente, o que lhe confere também o caráter científico. Quando o Homem pergunta, interroga, cogita, quer saber o «como» e o «porquê» das coisas, dos fatos, dos acontecimentos, nasce a FILOSOFIA, que mostra o que são as coisas e porque são as coisas o que são. (1) 35
  • 36. 36 QUEM SOMOS? DE ONDE VIMOS? PARA ONDE VAMOS? PAUL GAUGUIN (1848-1903) Carregada de símbolos – homem, animal, totem, natureza - tudo nesta obra se conjuga harmonicamente para chamar a atenção para as grandes questões sobre o sentido da vida. Pintura de 1897.
  • 37. O caráter filosófico do Espiritismo está (...) no estudo que faz do Homem, sobretudo Espírito, de seus problemas, de sua origem, de sua destinação. 37
  • 38. • (...) o conhecimento do mecanismo das relações dos Homens que vivem na Terra com aqueles que já se despediram dela, temporariamente, pela morte, estabelecendo as bases desse permanente relacionamento, e demonstra a existência, inquestionável, de algo que tudo cria e tudo comanda, inteligentemente – DEUS. 38
  • 39. • Definindo as responsabilidades do Espírito – quando encarnado (alma) e também do desencarnado, o Espiritismo é Filosofia, uma regra moral de vida e comportamento para os seres da Criação, dotados de sentimento, razão e consciência. (8) 39
  • 40. 40 3. O ASPECTO RELIGIOSO
  • 41. EFEITOS RELIGIOSOS • O Espiritismo [diz Allan Kardec] é uma doutrina filosófica de EFEITOS RELIGIOSOS, como qualquer filosofia espiritualista, pelo que forçosamente vai ter às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura.
  • 42. O laço estabelecido por uma religião, seja qual for o seu objetivo é [...] essencialmente moral, que liga os corações, que identifica os pensamentos, as aspirações, [...]. 42
  • 43. [...]Como consequência da comunhão de vistas e de sentimentos, a fraternidade e a solidariedade, a indulgência e a benevolência mútuas. É nesse sentido que também se diz: a religião da amizade, a religião da família. 43
  • 44. • Ora, sim, sem dúvida, senhores! • No sentido filosófico, o Espiritismo é uma religião, e nós nos vangloriamos por isto, porque é a Doutrina que funda os vínculos da fraternidade e da comunhão de pensamentos, não sobre uma simples convenção, mas sobre bases mais sólidas: as próprias leis da Natureza.(14) 44 ESPIRITISMO É RELIGIÃO
  • 45. ESPIRITISMO É RELIGIÃO Não tendo o Espiritismo nenhum dos caracteres de uma religião, na acepção usual da palavra, não podia nem devia enfeitar-se com um título sobre cujo valor inevitavelmente se teria equivocado. Eis por que simplesmente se diz: DOUTRINA FILOSÓFICA E MORAL 45
  • 46. O [...] Espiritismo repousa sobre as bases fundamentais da religião e respeita todas as crenças; [...] um de seus efeitos é incutir sentimentos religiosos nos que os não possuem, fortalecê-los nos que os tenham vacilantes. Allan Kardec: O livro dos médiuns –Primeira parte. Cap. 3, item 24. 46
  • 47. LIVRO: O CONSOLADOR • Francisco Cândido Xavier Ditado Pelo Espírito Emmanuel Editado Pela FEB (1941) 47
  • 48. LIVRO: O CONSOLADOR • Apresentando o Espiritismo, na sua feição de Consolador prometido pelo Cristo, três aspectos diferentes: científico, filosófico e religioso, qual desses aspectos é o maior? Introdução da obra, Definição: O Consolador. Francisco Cândido Xavier. Ditado Pelo Espírito Emmanuel. Editado Pela FEB (1941). 48
  • 49. RELIGIÃO FILOSOFIACIÊNCIA Podemos tomar o Espiritismo, simbolizado desse modo, como um triângulo de forças espirituais. 49
  • 50. LIVRO: O CONSOLADOR “A Ciência e a Filosofia vinculam à Terra essa figura simbólica, porém, a Religião é o ângulo divino que a liga ao céu. No seu aspecto científico e filosófico, a doutrina será sempre um campo nobre de investigações humanas, como outros movimentos coletivos, de natureza intelectual, que visam o aperfeiçoamento da Humanidade. 50
  • 51. No aspecto religioso, todavia, repousa a sua grandeza divina, por constituir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo, ... ... estabelecendo a renovação definitiva do homem, para a grandeza do seu imenso futuro espiritual.” (15) 51 LIVRO: O CONSOLADOR
  • 53. 53
  • 54. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita Programa Fundamental – Tomo I, FEB, 2010. 2. Disponível em: https://www.google.com.br/#q=ci%C3%AAncia+defini%C3%A7%C3%A3o, 28/08/2016, 18:08 3. Seminário "O que é Espiritismo?" com Anete Guimarães - 1ª parte, realizado na cidade de Aparecida D´Oeste/SP em 17 julho de 2010 . 4. Novo Dicionário Eletrônico Aurélio versão 7.0, 5ª. Edição do Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, by Regis Ltda, 2010. 5. KARDEC. Obras póstumas. Tradução de Guillon Ribeiro. 38. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. (Ligeira resposta aos detratores do espiritismo). Primeira parte, p. 260-261. 6. KARDEC, Allan. A gênese. Tradução de Guillon Ribeiro. 55. ed. RJ: FEB, 2005. Cap. 1, item 55, p. 42. 7. DELANNE, Gabriel. O fenômeno espírita. Tradução de Francisco. Raymundo Ewerton Quadros. 8. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Prefácio, p. 13. 8.BARBOSA, Pedro Franco. Espiritismo básico. 5. ed. Rio de Janeiro:FEB, 2002. (O espiritismo filosófico) 9. JAPIASSÚ, Hilton. Dicionário Básico de Filosofia. 54
  • 55. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 10. https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=CI%C3%8ANCIAS+POSITIVAS+++defini%C3%A7% C3%A3o. 02/09/2016, 10:39 11.http://www.infoescola.com/filosofia/metafisica/. 02/09/2016, 10:45 12.https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=teol%C3%B3gica++defini%C3%A7%C3%A3o. 02/09/2016, 10:50 13. http://mba.eci.ufmg.br/downloads/metodologia.pdf. 02/09/2016, 11:00 14. Revista espírita. Jornal de estudos psicológicos. Ano 1868. Tradução de Evandro Noleto Bezerra. Poesias traduzidas por Inaldo Lacerda Lima. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Ano 11. Dezembro de 1868. Nº 12. Item: Discurso de abertura pelo senhor Allan Kardec: O espiritismo é uma religião?, p. 490- 491. 15 . Introdução da obra, Definição: O Consolador. Francisco Cândido Xavier. Ditado Pelo Espírito Emmanuel. Editado Pela FEB (1941). 55
  • 56. 56 IEDC Instituto Espírita Dias da Cruz DAE Departamento De Assistência Espiritual Facilitadores: Denise Maria de Aguiar da Silva Deise Cristina Maciel de Aguiar 2016

Notas do Editor

  1. Le 2 décembre 1805 : La bataille d'Austerlitz, par François Gérard.