SlideShare uma empresa Scribd logo
TEORIAS
EVOLUCIONISTAS 01
CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE
HERÁCLITO DE
ÉFESO
(550-480 a.C.) Teoria pré-socrática sistema previa que, na Natureza, TUDO SE TRANSFORMA.
“Tudo flui e nada permanece como é”.
Éfeso
Atual Turquia
PARMÊNIDES DE
ELÉIA
(515 a.C. - ?) Os seres e as coisas seriam imutáveis (origem da teoria do FIXISMO) Eléia – Magna
Grécia
Atual Itália
ARISTÓTELES (384 - 322 a.C.) Afirmava que as espécies surgiam por GERAÇÃO ESPONTÂNEA.
Precursor da tese da imutabilidade – FIXISTA.
Grécia
CARL VON LINNÉ
(LINEU)
(1707-1778) FIXISTA. Criador da nomenclatura binominal (Dois nomes, por exemplo: homo
sapiens).
Pai da Taxonomia moderna.
"As espécies são tantas quantas o Ser Infinito criou no princípio"
Suécia
GEORGES CUVIER (1769-1831) FIXISTA. Defensor do catastrofismo, opositor das ideias transformistas.
Iniciador dos estudos de anatomia comparativa e de paleontologia.
França
GOTTFRIED
WILHELM LEIBNIZ
(1646-1717) Matemático desenvolveu o cálculo diferencial simultaneamente com ISAAC
NEWTON. Precursor na análise combinatória, geologia, relatividade do espaço e
movimento. Inventou a primeira máquina de calcular. Foi um gênio universal,
fundador da ciência moderna.
Autor dois conceitos que repercutiram na construção da biologia evolutiva:
o CONCEITO DE CONTINUIDADE E GRADUALISMO (a natureza não dá saltos;
tudo avança gradual e continuamente) e o CONCEITO DE QUE EM TUDO HÁ
UMA ORIENTAÇÃO PARA O PROGRESSO, PARA A PERFEIÇÃO.
“Amar é encontrar na felicidade de outrem a própria felicidade”
Alemanha
Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
TEORIAS
EVOLUCIONISTAS 02
CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE
GEORGES LOUIS
LECLERC
CONDE DE
BUFFON
(1707-1788) PRECURSOR DAS TEORIAS EVOLUCIONISTAS. Estabeleceu a existência de um
princípio de continuidade e de afinidade entre as espécies, um organismo se
distinguiria de outro por gradações minúsculas e contínuas. Suas ideias
influenciaram LAMARCK e DARWIN.
Entretanto, considerava os seres vivos eram degenerações de um tipo original
perfeito. Ex.: O macaco seria o descendente do homem e o burro do cavalo.
Acreditava no EUROCENTRISMO (quanto mais afastados da Europa, mais
degenerados eram os animais).
França
JEAN BAPTISTE
PIERRE ANTOINE
DE MONET,
CHEVALIER DE
LAMARCK
(1744-1829) Primeiro a formular uma hipótese a respeito da evolução.
Propôs duas leis:
LEI DO USO E DESUSO: Quanto mais uma parte do corpo é usado mais se
desenvolve.
LEI DA HERANÇA DOS CARACTERES ADQUIRIDOS: As mudanças surgidas pela Lei
do uso e desuso seriam passadas para os descendentes.
França
CHARLES ROBERT
DARWIN
(1809- 1882) TEORIA DA SELEÇÃO NATURAL. Toda a espécie que não se adapta é eliminada.
Os sobreviventes deixam descendentes com a característica positiva. Não é o
mais forte que sobrevive, é o individuo com maior capacidade de adaptação.
Livro: A origem das espécies.
Inglaterra
ALFRED RUSSEL
WALLACE
(1823-1903) Autor independente junto com Darwin da Seleção Natural. Livros:
"Contribuições para a Teoria da Seleção Natural" e "Distribuição Geográfica de
Animais" , etc. Teve contato com as manifestações espíritas e manteve-se
espiritualista por toda sua vida. Para explicar a natureza espiritual e moral do
homem, propôs a existência de uma essência espiritual capaz de se desenvolver
progressivamente. Entre suas valiosas contribuições para a DOUTRINA ESPÍRITA,
destaca-se a obra "SOBRE MILAGRES E O ESPIRITUALISMO MODERNO" (1874).
Inglaterra
Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
TEORIAS
EVOLUCIONISTAS 03
CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE
AUGUST
WEISMANN
(1834-1914) Estabeleceu distinção fundamental entre CÉLULAS GERMINATIVAS E CÉLULAS
SOMÁTICAS. Somente as células germinativas contém informações que passam
para as gerações seguintes
Alemanha
WILHELM LUDVIG
JOHANSSEN
(1857 - 1927) Demonstra que A VARIABILIDADE DOS INDIVÍDUOS DENTRO DE UMA ESPÉCIE é
o resultado, em parte, das diferenças nos genes que o indivíduo possui e, em
parte, por influência do meio.
Dinamarca
HERBERT
SPENCER
(1820-1903) APLICOU AS LEIS EVOLUCIONISTAS À FILOSOFIA E À SOCIEDADE, explicando os
problemas sociais e econômicos de acordo com os princípios da Seleção Natural.
A nota fundamental é que a evolução significa essencialmente progresso. A
progressão leva a um nível sempre superior e de maior complexidade. Definiu a
evolução como sendo a passagem do simples para o complexo, do homogêneo
para o heterogêneo. “Há entre um organismo social e um organismo individual
uma analogia perfeita”.
Inglaterra
ROBERTO FELICE
ARDIGÓ
(1824 - 1920) Retoma o evolucionismo de Spencer, mas se distingue porque propôs uma
definição de evolução em termos psíquicos, do indistinto para o distinto. Definiu
a EVOLUÇÃO EM TERMOS PSICOLÓGICOS OU DE CONSCIÊNCIA.
“Fora da natureza não há nada, a realidade é natureza e está sujeita à Lei de
Evolução”.
Itália
ERNST HEINRICH
PHILIPP AUGUST
HAECKEL
(1834-1919) Criou o sistema de classificação dos seres vivos, representado como uma árvore.
Sua teoria se chamava LEI DA BIOGENÉTICA, segundo a qual os estágios
embrionários em um animal, recapitulam a história de sua evolução, ou seja, a
ontogenia recapitula a filogenia. Buscou aplicar o evolucionismo de DARWIN à
religião e à Filosofia.
Alemanha
Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
TEORIAS
EVOLUCIONISTAS 04
CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE
WILHELM WUNDT (1832 - 1920) Criou o primeiro laboratório de psicologia experimental, separando a
PSICOLOGIA da filosofia e da biologia. Foi a primeira pessoa a ser chamada de
psicóloga. Ideia principal: A vida psíquica desenvolve-se de forma gradual e
contínua, do simples para o complexo, através de nossas experiência psicológicas
na vida cotidiana. SISTEMA DE ESTUDO: VOLUNTARISMO– poder que a vontade
tem de organizar os conteúdos mentais.
Alemanha
ALFRED JULES
ÉMILE FOUILLÉE
(1838 - 1912) Teoriza o CONCEITO DE IDEIA FORÇA, assinalando que toda ideia comporta uma
energia. Em toda emoção, em todo sentimento afetivo existe um aspecto
energético. Com WUNDT e FOUILLÉE percebemos surgir as PRIMEIRAS
CONCEPÇÕES ESPIRITUALISTAS A RESPEITO DA EVOLUÇÃO.
França
HUGO DE VRIES (1848 - 1935) TEORIA DOS SALTOS OU SALTACIONISMO. Desenvolveu a teoria das mutações
(1901), estabelecendo que, os genes podem sofrer modificações espontâneas,
passando a determinar novos caracteres hereditários, que apareciam em um
único salto. O MUTACIONISMO de Vries introduziu o estudo experimental dos
seres vivos e lançou os critérios para pesquisa genética.
Holanda
HERMANN
JOSEPH MULLER
(1890 - 1967) Demonstrou que as MUTAÇÕES – mudança brusca no material genético – podem
ser causadas por RAIO X quando aplicado com frequência e em grande
quantidade. Verificou que os raios ultravioletas, raios gamas e certos produtos
químicos também podem provocar mutações e causar doenças (ex.: câncer).
Premio Nobel de fisiologia ou medicina em 1946. Foi o primeiro a promover a
conscientização pública sobre os perigos da radiação para as gerações futuras.
Estados Unidos da
América
Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
TEORIAS
EVOLUCIONISTAS 05
CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE
GODFREY HARDY (1877-1947) EQUILÍBRIO GÊNICO.
Em suas pesquisas concluíram que se nenhum fator evolutivo ocorrer, a
população permanecerá em equilíbrio gênico, isto é a frequência dos genes não
sofrerá alterações ao longo das gerações.
Inglaterra
WILHELM
WEIMBERG
(1862 – 1937) Alemanha
HAROLD UREY (1893-1981) A experiência dos dois cientistas foi concebida para testar a origem da vida.
Demonstraram, em laboratório, como moléculas orgânicas complexas poderiam
surgir espontaneamente a partir de moléculas mais simples. Esta experiência
tornou-se a EXPERIÊNCIA CLÁSSICA SOBRE A ORIGEM DA VIDA.
Estados Unidos da
América
STANLEY MILLER (1930-2007)
GEORGE ERNST
STAHL
(1660-1734) VITALISMO – estabeleceu a diferença irredutível entre os vivos e os não vivos.
Mente e Matéria são distintas. Somente as criaturas vivas tem uma ÂNIMA –
principio vital imaterial, agente conservante, que preserva o corpo da
decomposição.
Alemanha
HANS DRIESCH (1867 - 1941) NEOVITALISTA – VITALISMO MODERNO. Concebeu a evolução como a atuação
do princípio da vida nos seres animados: um fator espiritual, irredutível aos
agentes físico-químicos. Na base dos fenômenos vitais existe uma peculiar força
vital imaterial que chamou de ENTELÉQUIA.
Alemanha
HENRI BERGSON (1859-1941) NEOVITALISTA – apresentou o conceito de ÉLAN VITAL (princípio vital), que
designava um impulso original de criação, de onde a vida provinha e que, no
decorrer do processo evolutivo, inventaria formas de complexidade crescente até
chegar ao instinto no animal e à intuição no homem. Prêmio Nobel de Literatura
em 1927.
França
Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
TEORIAS
EVOLUCIONISTAS 06
CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE
PIERRE TEILHARD
DE CHARDIN
(1881-1955) Tese TELEOLÓGICA ou FINALISTA decorrente do vitalismo. Sustenta que a
evolução tem uma finalidade. Chegou a classificar sua doutrina como
NEOCRISTIANISMO. O Universo se orienta em uma grande série claramente
orientada desde o átomo até os seres vivos elevados. A evolução visa realizar a
passagem da Matéria ao Espírito. O fenômeno humano aparece como resultado
de uma imensa história orientada. A matéria mineral, depois vegetal, depois
animal, tomou, sucessivamente, formas cada vez mais complexas. Concebeu a
ideia do PONTO ÔMEGA que é a realidade absoluta, divina, o grau máximo de
aperfeiçoamento. Acrescentou novas camadas às esferas da Terra: Noosfera ou
ESFERA DO PENSAMENTO ou Espírito Humano e CRISTOSFERA ou âmbito de
Cristo
França
ERNST MAYR (1904-2005) Considerado o maior evolucionista do século 20 – escreveu:
“Biologia - Ciência Única”. Um dos responsáveis pela chamada MODERNA
SÍNTESE EVOLUCIONISTA, movimento acadêmico que juntou a Teoria da Seleção
Natural de Darwin e Wallace com a Genética e a Ecologia, dando origem à Teoria
da Evolução de hoje.
Estados Unidos da
América
Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturaisteste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
Andrea Japoneza
 
Booklet Inglês 7º ano
Booklet Inglês 7º anoBooklet Inglês 7º ano
Booklet Inglês 7º ano
Joana
 
Fq9 teste 1
Fq9 teste 1Fq9 teste 1
Fq9 teste 1
João Maltez
 
Uma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da CélulaUma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da Célula
Nilderlânia Paulino Sampaio
 
Nutrientes
NutrientesNutrientes
Nutrientes
cn2012
 
Atividades do corpo humano ciências 7° ano
Atividades do corpo humano   ciências 7° anoAtividades do corpo humano   ciências 7° ano
Atividades do corpo humano ciências 7° ano
ADÃO Graciano
 
Testes
TestesTestes
Teste digestivo 9º b
Teste digestivo 9º bTeste digestivo 9º b
Teste digestivo 9º b
MINEDU
 
Teste noções basicas_hereditariedade
Teste noções basicas_hereditariedadeTeste noções basicas_hereditariedade
Teste noções basicas_hereditariedade
Sofia Ribeiro
 
Fav1 alimentação
Fav1 alimentaçãoFav1 alimentação
Fav1 alimentação
Cristina Jesus
 
Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)
Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)
Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)
Francisca Santos
 
Ficha formativa_ Chez le docteur
Ficha formativa_ Chez le docteurFicha formativa_ Chez le docteur
Ficha formativa_ Chez le docteur
Raquel Antunes
 
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animaisA diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
David_Costa_30
 
Aula 1 propriedades da matéria
Aula 1   propriedades da matéria Aula 1   propriedades da matéria
Aula 1 propriedades da matéria
profNICODEMOS
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
Carla Carneiro
 
Atividade adaptada para amanda músculos e ossos
Atividade adaptada para amanda músculos e ossosAtividade adaptada para amanda músculos e ossos
Atividade adaptada para amanda músculos e ossos
Isa ...
 
Informação sobre as funções do nosso corpo
Informação sobre as funções do nosso corpoInformação sobre as funções do nosso corpo
Informação sobre as funções do nosso corpo
Joel Ferreira
 
Aulas nº 3 e 4 Ficha Trabalho
Aulas nº 3 e 4 Ficha TrabalhoAulas nº 3 e 4 Ficha Trabalho
Aulas nº 3 e 4 Ficha Trabalho
Patrícia Morais
 
As regras do debate.
As regras do debate.As regras do debate.
As regras do debate.
tecnicasaccaoeducativa
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
Gabriela de Lima
 

Mais procurados (20)

teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturaisteste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
 
Booklet Inglês 7º ano
Booklet Inglês 7º anoBooklet Inglês 7º ano
Booklet Inglês 7º ano
 
Fq9 teste 1
Fq9 teste 1Fq9 teste 1
Fq9 teste 1
 
Uma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da CélulaUma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da Célula
 
Nutrientes
NutrientesNutrientes
Nutrientes
 
Atividades do corpo humano ciências 7° ano
Atividades do corpo humano   ciências 7° anoAtividades do corpo humano   ciências 7° ano
Atividades do corpo humano ciências 7° ano
 
Testes
TestesTestes
Testes
 
Teste digestivo 9º b
Teste digestivo 9º bTeste digestivo 9º b
Teste digestivo 9º b
 
Teste noções basicas_hereditariedade
Teste noções basicas_hereditariedadeTeste noções basicas_hereditariedade
Teste noções basicas_hereditariedade
 
Fav1 alimentação
Fav1 alimentaçãoFav1 alimentação
Fav1 alimentação
 
Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)
Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)
Ficha de avaliação (Deriva continental, tectónica de placas e fundos oceânicos)
 
Ficha formativa_ Chez le docteur
Ficha formativa_ Chez le docteurFicha formativa_ Chez le docteur
Ficha formativa_ Chez le docteur
 
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animaisA diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
 
Aula 1 propriedades da matéria
Aula 1   propriedades da matéria Aula 1   propriedades da matéria
Aula 1 propriedades da matéria
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
 
Atividade adaptada para amanda músculos e ossos
Atividade adaptada para amanda músculos e ossosAtividade adaptada para amanda músculos e ossos
Atividade adaptada para amanda músculos e ossos
 
Informação sobre as funções do nosso corpo
Informação sobre as funções do nosso corpoInformação sobre as funções do nosso corpo
Informação sobre as funções do nosso corpo
 
Aulas nº 3 e 4 Ficha Trabalho
Aulas nº 3 e 4 Ficha TrabalhoAulas nº 3 e 4 Ficha Trabalho
Aulas nº 3 e 4 Ficha Trabalho
 
As regras do debate.
As regras do debate.As regras do debate.
As regras do debate.
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
 

Semelhante a Cientistas estudo da evolução quadro TEORIAS EVOLUCIONISTAS

O Impacto Da Evolução...
O Impacto Da Evolução...O Impacto Da Evolução...
O Impacto Da Evolução...
Wanessa Santos
 
Historiade la biologia
Historiade la biologiaHistoriade la biologia
Historiade la biologia
Cristhiam Montalvan Coronel
 
Histórico da Evolução até Darwin
Histórico da Evolução até DarwinHistórico da Evolução até Darwin
Histórico da Evolução até Darwin
Guellity Marcel
 
Aula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdf
Aula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdfAula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdf
Aula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdf
JooNeto756931
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
3a-manha
 
História da Evolução
História da EvoluçãoHistória da Evolução
História da Evolução
Kiko Paroli
 
004
004004
Evolução: Darwin vs Lamarck
Evolução: Darwin vs LamarckEvolução: Darwin vs Lamarck
Evolução: Darwin vs Lamarck
Ricardo Sousa
 
Evolução-versão final darwinismo e lamarckismo
Evolução-versão final darwinismo e lamarckismoEvolução-versão final darwinismo e lamarckismo
Evolução-versão final darwinismo e lamarckismo
ewerthongomesciencia
 
Evolução biológica das espécies
Evolução biológica das espéciesEvolução biológica das espécies
Evolução biológica das espécies
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Teoria da evolução.pdf
Teoria da evolução.pdfTeoria da evolução.pdf
Teoria da evolução.pdf
Daniel Ferreira
 
Teorias_da_Evolucao.ppt
Teorias_da_Evolucao.pptTeorias_da_Evolucao.ppt
Teorias_da_Evolucao.ppt
Mariane Patricio Costa
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
unesp
 
Evolução das espécies.
Evolução das espécies.Evolução das espécies.
Evolução das espécies.
Brenno Miranda
 
Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905
ElizabethFreire
 
Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905
ElizabethFreire
 
Origens da Psicologia (parte 1)
Origens da Psicologia (parte 1)Origens da Psicologia (parte 1)
Origens da Psicologia (parte 1)
Rafael Wanderley
 
Fixismo / Evolucionismo
Fixismo / EvolucionismoFixismo / Evolucionismo
fixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdf
fixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdffixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdf
fixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdf
edilenevitoria621
 
Teorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdf
Teorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdfTeorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdf
Teorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdf
JooNeto756931
 

Semelhante a Cientistas estudo da evolução quadro TEORIAS EVOLUCIONISTAS (20)

O Impacto Da Evolução...
O Impacto Da Evolução...O Impacto Da Evolução...
O Impacto Da Evolução...
 
Historiade la biologia
Historiade la biologiaHistoriade la biologia
Historiade la biologia
 
Histórico da Evolução até Darwin
Histórico da Evolução até DarwinHistórico da Evolução até Darwin
Histórico da Evolução até Darwin
 
Aula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdf
Aula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdfAula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdf
Aula2 _Historia_das_Teorias_Evolutivas_USP.pdf
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
História da Evolução
História da EvoluçãoHistória da Evolução
História da Evolução
 
004
004004
004
 
Evolução: Darwin vs Lamarck
Evolução: Darwin vs LamarckEvolução: Darwin vs Lamarck
Evolução: Darwin vs Lamarck
 
Evolução-versão final darwinismo e lamarckismo
Evolução-versão final darwinismo e lamarckismoEvolução-versão final darwinismo e lamarckismo
Evolução-versão final darwinismo e lamarckismo
 
Evolução biológica das espécies
Evolução biológica das espéciesEvolução biológica das espécies
Evolução biológica das espécies
 
Teoria da evolução.pdf
Teoria da evolução.pdfTeoria da evolução.pdf
Teoria da evolução.pdf
 
Teorias_da_Evolucao.ppt
Teorias_da_Evolucao.pptTeorias_da_Evolucao.ppt
Teorias_da_Evolucao.ppt
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução das espécies.
Evolução das espécies.Evolução das espécies.
Evolução das espécies.
 
Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905
 
Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905Mill mach-pearson-0905
Mill mach-pearson-0905
 
Origens da Psicologia (parte 1)
Origens da Psicologia (parte 1)Origens da Psicologia (parte 1)
Origens da Psicologia (parte 1)
 
Fixismo / Evolucionismo
Fixismo / EvolucionismoFixismo / Evolucionismo
Fixismo / Evolucionismo
 
fixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdf
fixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdffixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdf
fixismoeevolucionismo1-2001271602449.pdf
 
Teorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdf
Teorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdfTeorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdf
Teorias_evolutivas_comecam_no_slide49.pdf
 

Mais de Denise Aguiar

CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃOCAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
Denise Aguiar
 
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
Denise Aguiar
 
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
Denise Aguiar
 
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
Denise Aguiar
 
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
Denise Aguiar
 
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
Denise Aguiar
 
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
Denise Aguiar
 
Origem e natureza do Espirito parte 3
Origem e natureza do Espirito parte 3Origem e natureza do Espirito parte 3
Origem e natureza do Espirito parte 3
Denise Aguiar
 
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Denise Aguiar
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
Denise Aguiar
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
Denise Aguiar
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
Denise Aguiar
 
Progressão dos Espíritos 2ª Parte
Progressão dos Espíritos 2ª ParteProgressão dos Espíritos 2ª Parte
Progressão dos Espíritos 2ª Parte
Denise Aguiar
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Denise Aguiar
 
Poesia o mal e o sofrimento
Poesia o mal e o sofrimentoPoesia o mal e o sofrimento
Poesia o mal e o sofrimento
Denise Aguiar
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
Denise Aguiar
 
Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
Denise Aguiar
 
Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
Denise Aguiar
 
Provas da existência Deus
Provas da existência DeusProvas da existência Deus
Provas da existência Deus
Denise Aguiar
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
Denise Aguiar
 

Mais de Denise Aguiar (20)

CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃOCAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 - A FAMÍLIA SOARES - LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO
 
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
EXAMINANDO A OBSESSÃO - PARTE 2 DO LIVRO ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OB...
 
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
ESTUDO DO LIVRO NOS BASTIDORES DA OBSESSÃO REALIZADA - GRUPO FRATERNIDADE - I...
 
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 4 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 3 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 2 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene NobrePARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
PARTE 1 - O PASSE COMO CURA MAGNÉTICA de Marlene Nobre
 
Origem e natureza do Espirito parte 3
Origem e natureza do Espirito parte 3Origem e natureza do Espirito parte 3
Origem e natureza do Espirito parte 3
 
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
Origem e natureza do Espirito. Origem do espírito Parte 2
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
 
Progressão dos Espíritos 2ª Parte
Progressão dos Espíritos 2ª ParteProgressão dos Espíritos 2ª Parte
Progressão dos Espíritos 2ª Parte
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Poesia o mal e o sofrimento
Poesia o mal e o sofrimentoPoesia o mal e o sofrimento
Poesia o mal e o sofrimento
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
 
Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
 
Provas da existência Deus
Provas da existência DeusProvas da existência Deus
Provas da existência Deus
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
 

Último

PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 

Último (18)

PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 

Cientistas estudo da evolução quadro TEORIAS EVOLUCIONISTAS

  • 1. TEORIAS EVOLUCIONISTAS 01 CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE HERÁCLITO DE ÉFESO (550-480 a.C.) Teoria pré-socrática sistema previa que, na Natureza, TUDO SE TRANSFORMA. “Tudo flui e nada permanece como é”. Éfeso Atual Turquia PARMÊNIDES DE ELÉIA (515 a.C. - ?) Os seres e as coisas seriam imutáveis (origem da teoria do FIXISMO) Eléia – Magna Grécia Atual Itália ARISTÓTELES (384 - 322 a.C.) Afirmava que as espécies surgiam por GERAÇÃO ESPONTÂNEA. Precursor da tese da imutabilidade – FIXISTA. Grécia CARL VON LINNÉ (LINEU) (1707-1778) FIXISTA. Criador da nomenclatura binominal (Dois nomes, por exemplo: homo sapiens). Pai da Taxonomia moderna. "As espécies são tantas quantas o Ser Infinito criou no princípio" Suécia GEORGES CUVIER (1769-1831) FIXISTA. Defensor do catastrofismo, opositor das ideias transformistas. Iniciador dos estudos de anatomia comparativa e de paleontologia. França GOTTFRIED WILHELM LEIBNIZ (1646-1717) Matemático desenvolveu o cálculo diferencial simultaneamente com ISAAC NEWTON. Precursor na análise combinatória, geologia, relatividade do espaço e movimento. Inventou a primeira máquina de calcular. Foi um gênio universal, fundador da ciência moderna. Autor dois conceitos que repercutiram na construção da biologia evolutiva: o CONCEITO DE CONTINUIDADE E GRADUALISMO (a natureza não dá saltos; tudo avança gradual e continuamente) e o CONCEITO DE QUE EM TUDO HÁ UMA ORIENTAÇÃO PARA O PROGRESSO, PARA A PERFEIÇÃO. “Amar é encontrar na felicidade de outrem a própria felicidade” Alemanha Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
  • 2. TEORIAS EVOLUCIONISTAS 02 CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE GEORGES LOUIS LECLERC CONDE DE BUFFON (1707-1788) PRECURSOR DAS TEORIAS EVOLUCIONISTAS. Estabeleceu a existência de um princípio de continuidade e de afinidade entre as espécies, um organismo se distinguiria de outro por gradações minúsculas e contínuas. Suas ideias influenciaram LAMARCK e DARWIN. Entretanto, considerava os seres vivos eram degenerações de um tipo original perfeito. Ex.: O macaco seria o descendente do homem e o burro do cavalo. Acreditava no EUROCENTRISMO (quanto mais afastados da Europa, mais degenerados eram os animais). França JEAN BAPTISTE PIERRE ANTOINE DE MONET, CHEVALIER DE LAMARCK (1744-1829) Primeiro a formular uma hipótese a respeito da evolução. Propôs duas leis: LEI DO USO E DESUSO: Quanto mais uma parte do corpo é usado mais se desenvolve. LEI DA HERANÇA DOS CARACTERES ADQUIRIDOS: As mudanças surgidas pela Lei do uso e desuso seriam passadas para os descendentes. França CHARLES ROBERT DARWIN (1809- 1882) TEORIA DA SELEÇÃO NATURAL. Toda a espécie que não se adapta é eliminada. Os sobreviventes deixam descendentes com a característica positiva. Não é o mais forte que sobrevive, é o individuo com maior capacidade de adaptação. Livro: A origem das espécies. Inglaterra ALFRED RUSSEL WALLACE (1823-1903) Autor independente junto com Darwin da Seleção Natural. Livros: "Contribuições para a Teoria da Seleção Natural" e "Distribuição Geográfica de Animais" , etc. Teve contato com as manifestações espíritas e manteve-se espiritualista por toda sua vida. Para explicar a natureza espiritual e moral do homem, propôs a existência de uma essência espiritual capaz de se desenvolver progressivamente. Entre suas valiosas contribuições para a DOUTRINA ESPÍRITA, destaca-se a obra "SOBRE MILAGRES E O ESPIRITUALISMO MODERNO" (1874). Inglaterra Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
  • 3. TEORIAS EVOLUCIONISTAS 03 CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE AUGUST WEISMANN (1834-1914) Estabeleceu distinção fundamental entre CÉLULAS GERMINATIVAS E CÉLULAS SOMÁTICAS. Somente as células germinativas contém informações que passam para as gerações seguintes Alemanha WILHELM LUDVIG JOHANSSEN (1857 - 1927) Demonstra que A VARIABILIDADE DOS INDIVÍDUOS DENTRO DE UMA ESPÉCIE é o resultado, em parte, das diferenças nos genes que o indivíduo possui e, em parte, por influência do meio. Dinamarca HERBERT SPENCER (1820-1903) APLICOU AS LEIS EVOLUCIONISTAS À FILOSOFIA E À SOCIEDADE, explicando os problemas sociais e econômicos de acordo com os princípios da Seleção Natural. A nota fundamental é que a evolução significa essencialmente progresso. A progressão leva a um nível sempre superior e de maior complexidade. Definiu a evolução como sendo a passagem do simples para o complexo, do homogêneo para o heterogêneo. “Há entre um organismo social e um organismo individual uma analogia perfeita”. Inglaterra ROBERTO FELICE ARDIGÓ (1824 - 1920) Retoma o evolucionismo de Spencer, mas se distingue porque propôs uma definição de evolução em termos psíquicos, do indistinto para o distinto. Definiu a EVOLUÇÃO EM TERMOS PSICOLÓGICOS OU DE CONSCIÊNCIA. “Fora da natureza não há nada, a realidade é natureza e está sujeita à Lei de Evolução”. Itália ERNST HEINRICH PHILIPP AUGUST HAECKEL (1834-1919) Criou o sistema de classificação dos seres vivos, representado como uma árvore. Sua teoria se chamava LEI DA BIOGENÉTICA, segundo a qual os estágios embrionários em um animal, recapitulam a história de sua evolução, ou seja, a ontogenia recapitula a filogenia. Buscou aplicar o evolucionismo de DARWIN à religião e à Filosofia. Alemanha Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
  • 4. TEORIAS EVOLUCIONISTAS 04 CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE WILHELM WUNDT (1832 - 1920) Criou o primeiro laboratório de psicologia experimental, separando a PSICOLOGIA da filosofia e da biologia. Foi a primeira pessoa a ser chamada de psicóloga. Ideia principal: A vida psíquica desenvolve-se de forma gradual e contínua, do simples para o complexo, através de nossas experiência psicológicas na vida cotidiana. SISTEMA DE ESTUDO: VOLUNTARISMO– poder que a vontade tem de organizar os conteúdos mentais. Alemanha ALFRED JULES ÉMILE FOUILLÉE (1838 - 1912) Teoriza o CONCEITO DE IDEIA FORÇA, assinalando que toda ideia comporta uma energia. Em toda emoção, em todo sentimento afetivo existe um aspecto energético. Com WUNDT e FOUILLÉE percebemos surgir as PRIMEIRAS CONCEPÇÕES ESPIRITUALISTAS A RESPEITO DA EVOLUÇÃO. França HUGO DE VRIES (1848 - 1935) TEORIA DOS SALTOS OU SALTACIONISMO. Desenvolveu a teoria das mutações (1901), estabelecendo que, os genes podem sofrer modificações espontâneas, passando a determinar novos caracteres hereditários, que apareciam em um único salto. O MUTACIONISMO de Vries introduziu o estudo experimental dos seres vivos e lançou os critérios para pesquisa genética. Holanda HERMANN JOSEPH MULLER (1890 - 1967) Demonstrou que as MUTAÇÕES – mudança brusca no material genético – podem ser causadas por RAIO X quando aplicado com frequência e em grande quantidade. Verificou que os raios ultravioletas, raios gamas e certos produtos químicos também podem provocar mutações e causar doenças (ex.: câncer). Premio Nobel de fisiologia ou medicina em 1946. Foi o primeiro a promover a conscientização pública sobre os perigos da radiação para as gerações futuras. Estados Unidos da América Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
  • 5. TEORIAS EVOLUCIONISTAS 05 CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE GODFREY HARDY (1877-1947) EQUILÍBRIO GÊNICO. Em suas pesquisas concluíram que se nenhum fator evolutivo ocorrer, a população permanecerá em equilíbrio gênico, isto é a frequência dos genes não sofrerá alterações ao longo das gerações. Inglaterra WILHELM WEIMBERG (1862 – 1937) Alemanha HAROLD UREY (1893-1981) A experiência dos dois cientistas foi concebida para testar a origem da vida. Demonstraram, em laboratório, como moléculas orgânicas complexas poderiam surgir espontaneamente a partir de moléculas mais simples. Esta experiência tornou-se a EXPERIÊNCIA CLÁSSICA SOBRE A ORIGEM DA VIDA. Estados Unidos da América STANLEY MILLER (1930-2007) GEORGE ERNST STAHL (1660-1734) VITALISMO – estabeleceu a diferença irredutível entre os vivos e os não vivos. Mente e Matéria são distintas. Somente as criaturas vivas tem uma ÂNIMA – principio vital imaterial, agente conservante, que preserva o corpo da decomposição. Alemanha HANS DRIESCH (1867 - 1941) NEOVITALISTA – VITALISMO MODERNO. Concebeu a evolução como a atuação do princípio da vida nos seres animados: um fator espiritual, irredutível aos agentes físico-químicos. Na base dos fenômenos vitais existe uma peculiar força vital imaterial que chamou de ENTELÉQUIA. Alemanha HENRI BERGSON (1859-1941) NEOVITALISTA – apresentou o conceito de ÉLAN VITAL (princípio vital), que designava um impulso original de criação, de onde a vida provinha e que, no decorrer do processo evolutivo, inventaria formas de complexidade crescente até chegar ao instinto no animal e à intuição no homem. Prêmio Nobel de Literatura em 1927. França Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020
  • 6. TEORIAS EVOLUCIONISTAS 06 CIENTISTA PERÍODO(N/M) TEORIA NACIONALIDADE PIERRE TEILHARD DE CHARDIN (1881-1955) Tese TELEOLÓGICA ou FINALISTA decorrente do vitalismo. Sustenta que a evolução tem uma finalidade. Chegou a classificar sua doutrina como NEOCRISTIANISMO. O Universo se orienta em uma grande série claramente orientada desde o átomo até os seres vivos elevados. A evolução visa realizar a passagem da Matéria ao Espírito. O fenômeno humano aparece como resultado de uma imensa história orientada. A matéria mineral, depois vegetal, depois animal, tomou, sucessivamente, formas cada vez mais complexas. Concebeu a ideia do PONTO ÔMEGA que é a realidade absoluta, divina, o grau máximo de aperfeiçoamento. Acrescentou novas camadas às esferas da Terra: Noosfera ou ESFERA DO PENSAMENTO ou Espírito Humano e CRISTOSFERA ou âmbito de Cristo França ERNST MAYR (1904-2005) Considerado o maior evolucionista do século 20 – escreveu: “Biologia - Ciência Única”. Um dos responsáveis pela chamada MODERNA SÍNTESE EVOLUCIONISTA, movimento acadêmico que juntou a Teoria da Seleção Natural de Darwin e Wallace com a Genética e a Ecologia, dando origem à Teoria da Evolução de hoje. Estados Unidos da América Grupo de Estudo Fraternidade - Facilitadoras: Dioni Aguiar Machado e Vera Saucedo - Arte: Denise Aguiar - 2020