SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 55
CENTRO DE TRABALHOS
ESPÍRITA ANA LUZ
RETORNO À VIDA CORPORAL:
União da Alma ao Corpo
1804-1869
1. Fundamentos e Finalidade da
Rematerialização
2. Provas da Rematerialização2. Provas da Rematerialização
3. Retorno à Vida Corporal: Planejamento da
Rematerialização
4. Retorno à Vida Corporal: União da Alma4. Retorno à Vida Corporal: União da Alma
ao Corpoao Corpo
5. Retorno à Vida Corporal: A Infância
6. Esquecimento do Passado: Justificativas6. Esquecimento do Passado: Justificativas
da Sua Necessidadeda Sua Necessidade
FIQUE TRANQUILO. EU TAMBÉM
NÃO CREDIATAVA NA
REMATERIALIZAÇÃO QUANDO
TINHA A SUA IDADE.
““Estou certo de queEstou certo de que
estive aqui, como estouestive aqui, como estou
agora, mil vezes antes eagora, mil vezes antes e
espero retornar milespero retornar mil
vezes...vezes...
A alma do homem éA alma do homem é
como a água...;como a água...;
Vem do Céu e sobeVem do Céu e sobe
para o Céu, para depoispara o Céu, para depois
voltar à Terra, em umvoltar à Terra, em um
eterno ir e vir.”eterno ir e vir.”
GoetheGoethe
(1749-1832 d.C.)(1749-1832 d.C.)
VV
II
DD
AA
ontADeontADe
nteressenteresse
eDIcAçãoeDIcAção
mormor
SubsídiosSubsídios
1. UNIÃO DA ALMA AO CORPO
344 – Em que momento a alma se une ao corpo?
A união começa na concepção, mas só é
completa por ocasião do nascimento.
Desde o momento da concepção, o Espírito
designado para tomar determinado corpo a ele se
liga por um laço fluídico que vai encurtando cada
vez mais, até o instante em que a criança vem a
luz (5).
[...] Este laço se estreita cada vez mais, à
medida que o corpo se vai desenvolvendo.
Desde esse momento, o Espírito sente uma
perturbação que cresce sempre; ao aproximar-se
do nascimento, ocasião em que ela se torna
completa, o Espírito perde a consciência de si e
não recobra as ideias senão gradualmente, a
partir do momento em que a criança começa a
respirar; a união então é completa e definitiva (9).
O choro anunciaO choro anuncia
sua entrada para osua entrada para o
número dos vivos enúmero dos vivos e
dos servos de Deus.dos servos de Deus.
345 – A união entre o Espírito e o corpo é
definitiva desde o momento da concepção?
Durante esse primeiro período o Espírito
poderia renunciar a tomar o corpo que lhe foi
designado?
- A união é definitiva no sentido de que outro
Espírito não poderia substituir o que foi designado
para o corpo; mas, como os laços que o prendem
são muito frágeis, fáceis de romper, podem ser
rompidos pela vontade do Espírito que recua ante a
prova escolhida.
Nesse caso, a criança não vinga (6).
351 – No intervalo da concepção ao
nascimento, o Espírito goza de todas as suas
faculdades?
Mais ou menos, segundo a fase, porque não
está ainda encarnado, mas ligado ao corpo.
Desde o instante da concepção, a
perturbação começa a envolver o Espírito,
advertindo-o assim de que chegou o momento de
tomar uma nova existência; essa perturbação vai
crescendo até o nascimento.
Nesse intervalo, seu estado é mais ou
menos o de um Espírito encarnado, durante o
sono do corpo.
À medida que o momento do nascimento
se aproxima, suas ideias se apagam, assim
como a lembrança do passado se apaga desde
que entrou na vida.
Mas essa lembrança lhe volta pouco a
pouco à memória, no seu estado de Espírito (7).
20 – [...] essa perturbação cresce, à
medida que o laço se firma e, nos últimos
momentos, o Espírito perde toda a consciência
de si mesmo de modo que ele nunca é
testemunha consciente de seu nascimento.
No momento que a criança respira, o Espírito
começa a recuperar suas faculdades, as quais se
desenvolvem à medida que se formam e
consolidam os órgãos que devem servir para sua
manifestação (3).
21 – Porém, ao mesmo tempo que o Espírito
recupera a consciência de si mesmo, perde a
recordação (lembrança) do seu passado, sem
perder as faculdades, as qualidades e as aptidões
adquiridas anteriormente, aptidões que estavam
temporariamente colocadas em estado latente, e
que, ao retornar sua atividade, vão ajudá-lo a fazer
mais, ou melhor, o que anteriormente não fez.
Renasce a partir do ponto em que deixou seu
progresso anterior; isto é para ele um novo ponto de
partida, um novo degrau a subir (4).
17 – O Espiritismo dos ensina [...] que o
Espíritos, por sua essência espiritual, é um ser
indefinido, abstrato, que não pode ter uma ação
direta sobre a matéria;
Era-lhe necessário um intermediário;
Este intermediário é o envoltório fluídico que
de certa forma faz parte integrante do Espírito,
envoltório semimaterial, isto é, participante da
matéria, por sua origem, e da espiritualidade, por
sua natureza astral (etérea);
Como toda matéria, ele é originado do fluído
cósmico universal, o qual nesta circunstância
sofre uma modificação especial.
Este envoltório, designado sob o nome de
períspirito (psicossoma – corpo fluídico –
organizador biológico – corpo astral etc.), de um
ser abstrato faz do Espírito um ser concreto,
definido, apreensível (captar) pelo pensamento;
Ele o torna apto a agir sobre a matéria
tangível, da forma que todos os fluídos
imponderáveis (que não podem ser apreciados),
que são, conforme se sabe, os mais possantes
motores.
O fluído perispiritual é, pois, o traço de
união entre o Espírito e matéria.
Durante sua união com o corpo, é o
veículo de seu pensamento para transmitir o
movimento às diversas partes do organismo, as
quais sob o impulso de sua vontade, e para
repercutir no Espírito as sensações produzidas
pelos agentes exteriores.
Tem por fios condutores os nervos, como
no telégrafo no fluído elétrico tem por condutor
o fio metálico (1).
O homem é umO homem é um
EspíritoEspírito
materializado emmaterializado em
um corpo material.um corpo material.
O perispírito éO perispírito é
o corpoo corpo
semimaterial quesemimaterial que
une o Espirito aoune o Espirito ao
corpo material.corpo material.
ALLAN KARDECALLAN KARDEC
18 – Dessa forma, quando [...][...] o Espírito
tem de materializar-se num corpo humano em
vias de formação, um laço fluídico, que mais não
é do que uma expansão do seu perispírito, o liga
ao gérmen¹ que o atraí por uma força irresistível,
desde o momento da concepção.
A medida que o gérmen se desenvolve, o
laço se encurta.
Sob a influência do princípio vital-material
do gérmen (princípio da vida material e orgânica),
o perispírito, que possui certas propriedades da
matéria, se une, molécula a molécula, ao corpo
que se forma.
¹(germe, gérmen)¹(germe, gérmen)
1 Biol. Começo do desenvolvimento de1 Biol. Começo do desenvolvimento de
um organismoum organismo
2 O princípio de alguma coisa; CAUSA;2 O princípio de alguma coisa; CAUSA;
ORIGEMORIGEM
3 Estado primitivo, rudimentar, de3 Estado primitivo, rudimentar, de
qualquer coisaqualquer coisa
4 Bot. Organismo rudimentar formado4 Bot. Organismo rudimentar formado
no interior de uma semente; EMBRIÃO;no interior de uma semente; EMBRIÃO;
GÊMULAGÊMULA
5 P.ext. Microrganismo que pode5 P.ext. Microrganismo que pode
provocar uma doençaprovocar uma doença
Donde o poder dizer-se que o Espírito, por
intermédio do seu perispírito, se enraíza, de certa
maneira, nesse gérmen, como uma planta na terra.
Quando o gérmen chega ao seu pleno
desenvolvimento, completa é a união; nasce então
o ser para a vida exterior (2).
ESDE – As elucidativas informações sobre a
rematerialização de Segismundo e a de Mancini,
relatadas pelo Espírito André Luiz, respectivamente,
nos capítulos XIII (13) e XIV (14) do livro
Missionários da Luz, e a partir do capítulo XVI (16)
de E a Vida Continua..., representam fontes de
conhecimento sobre o assunto.
Resumidamente, André Luiz nos informa o
seguinte:
a) Os processos de rematerialização estão
subordinados à evolução do Espírito.
Há companheiros de grande elevação que,
ao voltarem à esfera mais densa em apostolado
(missão de apóstolo) de serviço e iluminação,
quase dispensam o nosso concurso
(participação).
Outros irmãos nossos, contudo, procedentes
de zonas inferiores, necessitam de cooperação
muito mais complexa que a exercida no caso de
Segismundo.
[...] A rematerialização de Segismundo
obedece às diretrizes mais comuns.
Traduz expressão simbólica da maioria dos
fatos dessa natureza, porquanto o nosso irmão
pertence à enorme classe média dos Espíritos
que habitam a Crosta, nem altamente bons, nem
conscientemente maus (17).
b) O processo de redução, miniaturização
ou restringimento do perispírito, ocorrido no [...]
Plano Espiritual, significa estágio preparatório
para nova rematerialização (10).
A tarefa de redução perispiritual, executada
por Espíritos Construtores, tem como base os
processos de magnetização e mentalização.
Processo de redução, miniaturização ou restringimento
do perispírito.
Estágio preparatório para nova rematerialização.
Ocorre no Plano Espiritual.
O Espírito submetido a esses processos
desenvolve uma palidez característica no perispírito
e significativa diminuição da lucidez mental.
Ao mesmo tempo, o Espírito em vias de
materialização é induzido a mentalizar a forma pré-
infantil e o retorno ao útero materno, como também
a lembrar-se da organização fetal, imaginando a
necessidade de tornar-se criança.
Essa tarefa não é curta, nem simples,
requisitando esforço geral dos colaboradores para a
redução necessária (16).
c) Um colaborador espiritual é designado para
acompanhar a rematerialização do Espírito [...] até
que ele atinja os sete anos, após o renascimento,
ocasião em que o processo da rematerialização
estará consolidado.
Depois desse período, a sua tarefa de
amigo e orientador será amenizada, visto que
seguirá o nosso irmão em sentido distante.
[...] Tomará todas as providências
indispensáveis à harmoniosa organização fetal,
seja auxiliando o rematerializado, seja defendendo o
templo maternal contra o assédio de forças menos
dignas [...] (18).
d)d) Em relação à herança genética, o [...]
organismo dos nascituros (que está prestes a
nascer), em sua expressão mais densa, provém
do corpo dos pais, que lhes entretêm (conservam
- mantêm) a vida e lhes criam os caracteres com
o próprio sangue;
Todavia, em semelhante imperativo das leis
divinas para o serviço de reprodução e formas, não
devemos ver a subversão (Revolta) dos princípios
de liberdade espiritual, imanente (Que está contido
de maneira inseparável na natureza de um ser) na
ordem da Criação Infinita.
Por isso mesmo, a criatura terrena herda
tendências e não qualidades.
As primeiras cercam o homem que renasce,
desde os primeiros dias de luta, não só em seu
corpo transitório, mas também no ambiente geral a
que foi chamado a viver, aprimorando-se; as
segundas resultam do labor individual da alma, na
defesa, na educação e aperfeiçoamento de si
mesmo nos círculos benditos da experiência (18).
Em relação à influência genética no corpo de
Segismundo, encontramos os seguintes
esclarecimentos do benfeitor Alexandre a André
Luiz:
A forma física futura de nosso amigo
Segismundo dependerá dos cromossomos paternos
e maternos; porém, adicione, a esse fator primordial,
a influência dos moldes mentais de Raquel [genitora
de Segismundo], a atuação do próprio interessado,
o concurso (participação) dos Espíritos
Construtores, que agirão como funcionários da
natureza divina, invisíveis ao olhar terrestre, o
auxilio afetuoso das entidades amigas que o
visitarão constantemente, nos meses de formação
do novo corpo, e poderá fazer uma ideia do que vem
a ser o templo físico que ele possuirá (18).
1.1 - O PROCESSO DA CONCEPÇÃO OU
FECUNDAÇÃO.
Nos [...] milhares de renascimentos, na Terra,
os princípios embriogênicos (Formação e
desenvolvimento do embrião;) funcionam,
automáticos, cada dia.
A lei de causa e efeito executa-se sem
necessidade de fiscalização da nossa parte.
Homens fracos acreditam naHomens fracos acreditam na
sorte.sorte.
Homens fortes acreditam emHomens fortes acreditam em
causa e efeito.causa e efeito.
Ralph Waldo EmersonRalph Waldo Emerson
Na rematerialização, basta o magnetismo dos
pais, aliado ao forte desejo daquele que regressa ao
campo das formas físicas.
[...] De modo geral, a maioria das almas
satisfazem sua fome inquietante do recomeço.
A miséria deA miséria de
qualquer espécie,qualquer espécie,
não é a causa...,não é a causa...,
...é o efeito da...é o efeito da
imoralidade.imoralidade.
Thomas CarlyliThomas Carlyli
[...] Milhões de destinos se reestruturam
dessa forma, qual se refaz uma grande floresta.
A sementeira cresce, estimulada pelo
magnetismo do solo;
A existência corpórea germina de novo,
incentivada pelo magnetismo da carne (11).
Nesse sentido, o útero funciona como [...] um
vaso anímico de elevado poder magnético ou um
molde vivo destinado à fecundação e refundição
das formas, ao sopro criador da Bondade Divina,
que, em toda parte, nos oferece recursos ao
desenvolvimento para a Sabedoria e para o Amor.
Esse vaso atrai a alma sequiosa (desejosa) de
renascimento e que lhe é afim, tempo e no
espaço, como a terra engole a semente para doar-
lhe nova germinação, consoante os princípios que
encerra (traz em si – contem em si).
Maternidade é sagrado serviço espiritual em
que a alma se demora séculos, na maioria das
vezes aperfeiçoando qualidades do sentimento
(12).
É oportuno considerar que, em atendimento
a certas imposições do planejamento, o processo
de fecundação pode ser conduzido por
orientadores espirituais qualificados.
Na rematerialização de Segismundo temos a
informação de que o benfeitor Alexandre,
[...] em vista de ser o missionário mais
elevado do grupo em operação de auxílio, dirigia
os serviços graves da ligação primordial
[concepção].
Segundo depreendi (concluir por
interferência) – esclarece André Luiz -, ele podia
ver as disposições cromossômicas (longa
sequência de DNA, que contém vários genes), o
futuro óvulo materno, presidindo ao trabalho
prévio de determinação do sexo do corpo a
organizar-se..
Após acompanhar profundamente absorto no
serviço, a marcha dos minúsculos competidores
que constituíam a substância fecundante,
identificou o mais apto, fixando nele o seu
potencial magnético, dando-me a ideia de que o
ajudava a desembaraçar-se dos companheiros
para que fosse o primeiro a penetrar a pequenina
bolsa maternal.
O elemento focalizado por ele ganhou nova
energia sobre os demais e avançou rapidamente
na direção do alvo.
A célula feminina que, em face do
microscópico projétil espermático, se assemelhava
a um pequeno mundo arredondado de açúcar,
amido e proteínas, aguardando o raio vitalizante,
sofreu a dilaceração da cutícula, à maneira de
pequenina embarcação torpedeada, e enrijeceu-
se, de modo singular, cerrando (juntando) os poros
tenuíssimos [...], e impedindo a intromissão de
qualquer outro dos competidores, que haviam
perdido a primeira posição na grande prova. (12).
Sempre sob o influxo luminoso-magnético
de Alexandre, o elemento vitorioso prosseguiu a
marcha, depois de atravessar a periferia do
óvulo, rompe a cutícula e penetra no óvulo,
gastando pouco mais de quatro minutos alcançar
seu núcleo.
Ambas as forças, masculina e feminina,
formavam agora uma só, convertendo-se ao meu
olhar em tenuíssimo foco de luz.
O meu orientador, absolutamente entregue ao
seu trabalho, tocou a pequenina forma com a destra
(mão direita), mantendo-se no serviço de divisão da
cromatina,*
*Cromatina: Substância constituinte do cromossomo deSubstância constituinte do cromossomo de
todas as células evolutivamente superiores (célulastodas as células evolutivamente superiores (células
eucarióticas), composta de DNA, RNA e proteínaseucarióticas), composta de DNA, RNA e proteínas.. (ADN:(ADN:
ácido desoxirribonucleico)ácido desoxirribonucleico)
A cromatina sexual ou corpúsculo de Barr é umaA cromatina sexual ou corpúsculo de Barr é uma
estrutura formada de cromossomos X, condensado e inativo,estrutura formada de cromossomos X, condensado e inativo,
encontrada apenas no sexo femininoencontrada apenas no sexo feminino (mulheres e mamíferos).(mulheres e mamíferos).
Em seguida, Alexandre ajustou a forma
reduzida de Segismundo, que se interpenetrava
com o organismo perispiritual de Raquel, sobre
aquele microscópico globo de luz, impregnado de
vida, o observei que essa vida latente começou a
movimentar-se (21).
[...] conservando a atitude do cirurgião
seguro de si, na técnica operatória.
1.2 - A GRAVIDEZ OU
GESTAÇÃO.
354 – Como se explica a vida intrauterina?
- É a da planta que vegeta.
A criança vive vida animal.
O homem possui em si a vida animal e a
vegetal, que completa, ao nascer, com a vida
espiritual (8).(8).
O organismo maternal fornecerá todo o
alimento para a organização básica do aparelho
físico, enquanto forma reduzida [do Espírito
rematerializado] [...], atuará como imã entre
limalhas de ferro, dando forma consistente à sua
futura manifestação no cenário da Crosta (22).(22).
Fui mineral, morri e me tornei planta,
Como planta morri e depois fui animal,
Como animal morri e depois fui homem.
Por que teria eu medo?
Acaso fui rebaixado pela morte?
Vi dois mil homens que eu fui; mas nenhum era
tão bom quanto sou hoje.
Morrerei ainda como homem, para elevar-me e
estar entre os bem-aventurados anjos.
Entretanto, mesmo esse estado de anjo terei de
deixar.
Al Rumi Poeta Islâmico - (1210-1273 d.C.).Al Rumi Poeta Islâmico - (1210-1273 d.C.).
Retornemos ao exemplo da rematerializaçãoRetornemos ao exemplo da rematerialização
de Segismundo.de Segismundo.
Neste caso, André Luiz reconhece que, após aNeste caso, André Luiz reconhece que, após a
fecundação ocorrida sob a direção de Alexandre,fecundação ocorrida sob a direção de Alexandre, [...]
o serviço de segmentação (fracionamento) celular e
ajustamento dos corpúsculos divididos ao molde do
corpo perispirítico, em redução, era francamente
mecânico, obedecendo a disposições naturais do
campo orgânico, mas toda a entidade microscópica
do desenvolvimento da estrutura celular recebia o
toque magnético das generosas entidades em
serviço, dando-me a ideia de que toda a célula-filha
era convenientemente preparada para sustentar a
tarefa da iniciação do aparelho futuro (23).(23).
[...] A mulher grávida, além da prestação de
serviço orgânico à entidade que se rematerializa, é
igualmente constrangida (forçada) a suportar-lhe o
contato espiritual, que sempre constitui um sacrifício
quando se trata de alguém com escuros débitos de
consciência.
A organização feminina, durante a gestação,
sofre verdadeira enxertia mental (Fazer alguém ou a
si próprio ser aceito – fazer conhecer ou aceitar –
indução).
Os pensamentos do ser que se acolhe ao
santuário íntimo, envolvem-na totalmente,
determinando significativas alterações em seu
cosmo biológico.
Se o filho é senhor de larga evolução e dono de
elogiáveis morais consegue auxiliar o campo materno,
prodigalizando-lhe [dar (algo) (a alguém) com generosidade
excessiva] sublimadas [elevadas, nobres] emoções e
convertendo a maternidade, habitualmente dolorosa, em
estado de esperança e alegrias intraduzíveis [...] (13).(13).
A corrente de troca entre mãe e filho não se
circunscreve [não se determina, não se limita] à alimentação
de natureza material; estende-se ao intercâmbio constante
das sensações diversas.
[...] As mentes de um e de outro como que se
justapõem [Pôr(-se) junto ou em contiguidade], mantendo-se
em permanente comunhão, até que a natureza complete o
serviço que lhe cabe no tempo.
De semelhante associação, procedem os
chamados <<sinais de nascença>>>.
Certos estados íntimos da mulher alcançam,
de algum modo, o princípio fetal, marcando-o para a
existência inteira..
É que o trabalho da maternidade assemelha-
se a delicado processo de modelagem, requisitando
[exigindo], por isso mesmo, muita cautela e
harmonia para que a tarefa seja perfeita (14).
É comum a verificação de exagerada
sensibilidade na mulher que engravida.
A transformação do sistema nervoso, nessas
circunstâncias, é indiscutível.
[...] A explicação é muito clara.
A gestante é uma criatura hipnotizada a longo
prazo.
Tem o campo psíquico invadido pelas
impressões e vibrações do Espírito que lhe ocupa
as possibilidades para o serviço de reincorporação
no mundo.
Quando o futuro filho não se encontra
suficientemente equilibrado diante da Lei, e isso
acontece quase sempre, a mente maternal é
suscetível de registrar os mais estranhos
desequilíbrios, porque, à maneira de um médium,
estará transmitindo opiniões e sensações da
entidade que a empolga [anima] (15).(15).
ReferênciaReferência
BibliográficaBibliográfica
1. KARDEC, Allan. A Gênese. Tradução de J.
Herculano Pires. 23ª ed. Brás - São Paulo: LAKE,
Março de 2010 - Cap. XI – GÊNESE ESPIRITUAL –
Item: Materialização dos Espíritos - Qst. 17 - Pág.
181.
2. _______.Questão 18 - Págs. 181-182.
3. _______.Questão 20 - Pág. 182.
4. _______.Questão 21 - Págs. 182-183.
5. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos.
Tradução de J. Herculano Pires. 68ª ed. Brás - São
Paulo: LAKE, 2009. Livro Segundo - Cap. VII –
RETORNO À VIDA CORPORAL - Item II – União ad
Alma ao Corpo. Aborto - Questão 344 - Pág. 154.
6. ______. Questão 345 - Pág. 154.
7. ______. Questão 351 - Pág. 155.
8. ______. Questão 354 - Pág. 155.
9. _______. O que é o Espiritismo. 53ª ed. Rio
de Janeiro: FEB 2005 - Cap. III (O Homem Durante
a Vida Terrena) - Questão 116 - Pág. 197.
10. XAVIER, Francisco Cândido. E A Vida
Continua... Pelo Espírito André Luiz - 30ª ed. Rio de
Janeiro: FEB 2004 – Cap. XVI - Pág. 162 – (Nota de
Rodapé).
11. XAVIER, Francisco Cândido. Entre a Terra
e o Céu. Pelo Espírito André Luiz - 22ª ed. Rio de
Janeiro: FEB 2005 – Cap. XXVIII - Págs. 228-229.
12. _______. Pág. 229.
13. _______. Cap. 30 - Pág. 241.
14. _______. Pág. 242.
15. _______. Pág. 187.
16. XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da Luz. Pelo
Espírito André Luiz - 39ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2004 – Cap. XIII
– (Rematerialização) - Págs. 269-271.
17. _______. Pág. 272.
18. _______. Pág. 276.
19. _______. Pág. 277.
20. _______. Pág. 285.
21. _______. Págs. 292-294.
22. _______. Pág. 294.
23. _______. Cap. 14 - Pág. 298.
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Espírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEM
Espírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEMEspírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEM
Espírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEMWilma Badan C.G.
 
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provasReencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provasEduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusEduardo Ottonelli Pithan
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesGraça Maciel
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infânciaBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 origem e natureza do espírito
Roteiro  2   origem e natureza do espíritoRoteiro  2   origem e natureza do espírito
Roteiro 2 origem e natureza do espíritoBruno Cechinel Filho
 
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASAULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASDaniel de Melo
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoAnderson Zilli
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hhome
 
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosAntonino Silva
 

Mais procurados (20)

A prece
A prece A prece
A prece
 
Espírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEM
Espírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEMEspírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEM
Espírito, perispírito e corpo físico - IEE - CEM
 
Aula espiritos errantes
Aula espiritos errantesAula espiritos errantes
Aula espiritos errantes
 
Os tres reinos
Os tres reinosOs tres reinos
Os tres reinos
 
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provasReencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
Reencarnação, objetivo, justiça e escolha das provas
 
Fluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico UniversalFluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico Universal
 
Fluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico UniversalFluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico Universal
 
Roteiro 1 perispírito - conceito
Roteiro  1   perispírito - conceitoRoteiro  1   perispírito - conceito
Roteiro 1 perispírito - conceito
 
Elementos gerais do universo
Elementos gerais do universoElementos gerais do universo
Elementos gerais do universo
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
 
Espírito E Matéria
Espírito E MatériaEspírito E Matéria
Espírito E Matéria
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Roteiro 2 origem e natureza do espírito
Roteiro  2   origem e natureza do espíritoRoteiro  2   origem e natureza do espírito
Roteiro 2 origem e natureza do espírito
 
JustiçA da Reencarnação
JustiçA  da  ReencarnaçãoJustiçA  da  Reencarnação
JustiçA da Reencarnação
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
 
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASAULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
 
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
 

Semelhante a Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo

Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15Patricia Farias
 
Corpo e perisp+ìrito
Corpo e perisp+ìritoCorpo e perisp+ìrito
Corpo e perisp+ìritoosmabel
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispíritoEHMANA
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispiritoduadv
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. contiSilvio Figueirôa
 
A reencarnação fortalece os laços de familia
A reencarnação fortalece os laços de familiaA reencarnação fortalece os laços de familia
A reencarnação fortalece os laços de familiaHenrique Vieira
 
Curso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapiaCurso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapiaSergioMello
 
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispiritoTerceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispiritoCeiClarencio
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 

Semelhante a Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo (20)

GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30
 
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
Livro dos Espirtos Q.353 ESE cap 28 item 15
 
Apostila 3 a
Apostila 3 aApostila 3 a
Apostila 3 a
 
Apostila 3 a
Apostila 3 aApostila 3 a
Apostila 3 a
 
A evolução do ser humano na visão apométrica
A evolução do ser humano na visão apométricaA evolução do ser humano na visão apométrica
A evolução do ser humano na visão apométrica
 
A evoluo do homem na viso apomtrica
A evoluo do homem na viso apomtricaA evoluo do homem na viso apomtrica
A evoluo do homem na viso apomtrica
 
Corpo e perisp+ìrito
Corpo e perisp+ìritoCorpo e perisp+ìrito
Corpo e perisp+ìrito
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispírito
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
 
A reencarnação fortalece os laços de familia
A reencarnação fortalece os laços de familiaA reencarnação fortalece os laços de familia
A reencarnação fortalece os laços de familia
 
10 espiritos
10 espiritos10 espiritos
10 espiritos
 
10 espiritos
10 espiritos10 espiritos
10 espiritos
 
10 espiritos
10 espiritos10 espiritos
10 espiritos
 
Parte 1 cláudia campos
Parte 1   cláudia camposParte 1   cláudia campos
Parte 1 cláudia campos
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - da acao dos espiritos sobre a materia
( Espiritismo)   # - amag ramgis - da acao dos espiritos sobre a materia( Espiritismo)   # - amag ramgis - da acao dos espiritos sobre a materia
( Espiritismo) # - amag ramgis - da acao dos espiritos sobre a materia
 
Curso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapiaCurso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapia
 
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispiritoTerceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
Terceiro Módulo - 10ª aula - Espirito, corpo e perispirito
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Mais de Bruno Cechinel Filho

Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e açãoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o malBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteresBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provasBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundosBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitadosBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espíritoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universalBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatórioBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stellaBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerializaçãoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1   fundamento e finalidade da rematerializaçãoRoteiro 1   fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerializaçãoBruno Cechinel Filho
 

Mais de Bruno Cechinel Filho (20)

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
 
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1   fundamento e finalidade da rematerializaçãoRoteiro 1   fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerialização
 
Roteiro 3 mediunidade com jesus
Roteiro 3   mediunidade com jesusRoteiro 3   mediunidade com jesus
Roteiro 3 mediunidade com jesus
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...edsonjsmarques
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfFrancisco Baptista
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2emprego2
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024thandreola
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 

Último (11)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 

Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo

  • 1. CENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZ RETORNO À VIDA CORPORAL: União da Alma ao Corpo
  • 3.
  • 4. 1. Fundamentos e Finalidade da Rematerialização 2. Provas da Rematerialização2. Provas da Rematerialização 3. Retorno à Vida Corporal: Planejamento da Rematerialização 4. Retorno à Vida Corporal: União da Alma4. Retorno à Vida Corporal: União da Alma ao Corpoao Corpo 5. Retorno à Vida Corporal: A Infância 6. Esquecimento do Passado: Justificativas6. Esquecimento do Passado: Justificativas da Sua Necessidadeda Sua Necessidade
  • 5.
  • 6. FIQUE TRANQUILO. EU TAMBÉM NÃO CREDIATAVA NA REMATERIALIZAÇÃO QUANDO TINHA A SUA IDADE.
  • 7. ““Estou certo de queEstou certo de que estive aqui, como estouestive aqui, como estou agora, mil vezes antes eagora, mil vezes antes e espero retornar milespero retornar mil vezes...vezes... A alma do homem éA alma do homem é como a água...;como a água...; Vem do Céu e sobeVem do Céu e sobe para o Céu, para depoispara o Céu, para depois voltar à Terra, em umvoltar à Terra, em um eterno ir e vir.”eterno ir e vir.” GoetheGoethe (1749-1832 d.C.)(1749-1832 d.C.)
  • 10.
  • 11. 1. UNIÃO DA ALMA AO CORPO 344 – Em que momento a alma se une ao corpo?
  • 12. A união começa na concepção, mas só é completa por ocasião do nascimento. Desde o momento da concepção, o Espírito designado para tomar determinado corpo a ele se liga por um laço fluídico que vai encurtando cada vez mais, até o instante em que a criança vem a luz (5).
  • 13. [...] Este laço se estreita cada vez mais, à medida que o corpo se vai desenvolvendo. Desde esse momento, o Espírito sente uma perturbação que cresce sempre; ao aproximar-se do nascimento, ocasião em que ela se torna completa, o Espírito perde a consciência de si e não recobra as ideias senão gradualmente, a partir do momento em que a criança começa a respirar; a união então é completa e definitiva (9). O choro anunciaO choro anuncia sua entrada para osua entrada para o número dos vivos enúmero dos vivos e dos servos de Deus.dos servos de Deus.
  • 14. 345 – A união entre o Espírito e o corpo é definitiva desde o momento da concepção? Durante esse primeiro período o Espírito poderia renunciar a tomar o corpo que lhe foi designado? - A união é definitiva no sentido de que outro Espírito não poderia substituir o que foi designado para o corpo; mas, como os laços que o prendem são muito frágeis, fáceis de romper, podem ser rompidos pela vontade do Espírito que recua ante a prova escolhida. Nesse caso, a criança não vinga (6).
  • 15. 351 – No intervalo da concepção ao nascimento, o Espírito goza de todas as suas faculdades? Mais ou menos, segundo a fase, porque não está ainda encarnado, mas ligado ao corpo. Desde o instante da concepção, a perturbação começa a envolver o Espírito, advertindo-o assim de que chegou o momento de tomar uma nova existência; essa perturbação vai crescendo até o nascimento. Nesse intervalo, seu estado é mais ou menos o de um Espírito encarnado, durante o sono do corpo.
  • 16. À medida que o momento do nascimento se aproxima, suas ideias se apagam, assim como a lembrança do passado se apaga desde que entrou na vida. Mas essa lembrança lhe volta pouco a pouco à memória, no seu estado de Espírito (7). 20 – [...] essa perturbação cresce, à medida que o laço se firma e, nos últimos momentos, o Espírito perde toda a consciência de si mesmo de modo que ele nunca é testemunha consciente de seu nascimento.
  • 17. No momento que a criança respira, o Espírito começa a recuperar suas faculdades, as quais se desenvolvem à medida que se formam e consolidam os órgãos que devem servir para sua manifestação (3). 21 – Porém, ao mesmo tempo que o Espírito recupera a consciência de si mesmo, perde a recordação (lembrança) do seu passado, sem perder as faculdades, as qualidades e as aptidões adquiridas anteriormente, aptidões que estavam temporariamente colocadas em estado latente, e que, ao retornar sua atividade, vão ajudá-lo a fazer mais, ou melhor, o que anteriormente não fez.
  • 18. Renasce a partir do ponto em que deixou seu progresso anterior; isto é para ele um novo ponto de partida, um novo degrau a subir (4). 17 – O Espiritismo dos ensina [...] que o Espíritos, por sua essência espiritual, é um ser indefinido, abstrato, que não pode ter uma ação direta sobre a matéria; Era-lhe necessário um intermediário; Este intermediário é o envoltório fluídico que de certa forma faz parte integrante do Espírito, envoltório semimaterial, isto é, participante da matéria, por sua origem, e da espiritualidade, por sua natureza astral (etérea);
  • 19. Como toda matéria, ele é originado do fluído cósmico universal, o qual nesta circunstância sofre uma modificação especial. Este envoltório, designado sob o nome de períspirito (psicossoma – corpo fluídico – organizador biológico – corpo astral etc.), de um ser abstrato faz do Espírito um ser concreto, definido, apreensível (captar) pelo pensamento; Ele o torna apto a agir sobre a matéria tangível, da forma que todos os fluídos imponderáveis (que não podem ser apreciados), que são, conforme se sabe, os mais possantes motores.
  • 20. O fluído perispiritual é, pois, o traço de união entre o Espírito e matéria. Durante sua união com o corpo, é o veículo de seu pensamento para transmitir o movimento às diversas partes do organismo, as quais sob o impulso de sua vontade, e para repercutir no Espírito as sensações produzidas pelos agentes exteriores. Tem por fios condutores os nervos, como no telégrafo no fluído elétrico tem por condutor o fio metálico (1).
  • 21. O homem é umO homem é um EspíritoEspírito materializado emmaterializado em um corpo material.um corpo material. O perispírito éO perispírito é o corpoo corpo semimaterial quesemimaterial que une o Espirito aoune o Espirito ao corpo material.corpo material. ALLAN KARDECALLAN KARDEC
  • 22. 18 – Dessa forma, quando [...][...] o Espírito tem de materializar-se num corpo humano em vias de formação, um laço fluídico, que mais não é do que uma expansão do seu perispírito, o liga ao gérmen¹ que o atraí por uma força irresistível, desde o momento da concepção. A medida que o gérmen se desenvolve, o laço se encurta. Sob a influência do princípio vital-material do gérmen (princípio da vida material e orgânica), o perispírito, que possui certas propriedades da matéria, se une, molécula a molécula, ao corpo que se forma.
  • 23. ¹(germe, gérmen)¹(germe, gérmen) 1 Biol. Começo do desenvolvimento de1 Biol. Começo do desenvolvimento de um organismoum organismo 2 O princípio de alguma coisa; CAUSA;2 O princípio de alguma coisa; CAUSA; ORIGEMORIGEM 3 Estado primitivo, rudimentar, de3 Estado primitivo, rudimentar, de qualquer coisaqualquer coisa 4 Bot. Organismo rudimentar formado4 Bot. Organismo rudimentar formado no interior de uma semente; EMBRIÃO;no interior de uma semente; EMBRIÃO; GÊMULAGÊMULA 5 P.ext. Microrganismo que pode5 P.ext. Microrganismo que pode provocar uma doençaprovocar uma doença
  • 24. Donde o poder dizer-se que o Espírito, por intermédio do seu perispírito, se enraíza, de certa maneira, nesse gérmen, como uma planta na terra. Quando o gérmen chega ao seu pleno desenvolvimento, completa é a união; nasce então o ser para a vida exterior (2). ESDE – As elucidativas informações sobre a rematerialização de Segismundo e a de Mancini, relatadas pelo Espírito André Luiz, respectivamente, nos capítulos XIII (13) e XIV (14) do livro Missionários da Luz, e a partir do capítulo XVI (16) de E a Vida Continua..., representam fontes de conhecimento sobre o assunto. Resumidamente, André Luiz nos informa o seguinte:
  • 25. a) Os processos de rematerialização estão subordinados à evolução do Espírito. Há companheiros de grande elevação que, ao voltarem à esfera mais densa em apostolado (missão de apóstolo) de serviço e iluminação, quase dispensam o nosso concurso (participação). Outros irmãos nossos, contudo, procedentes de zonas inferiores, necessitam de cooperação muito mais complexa que a exercida no caso de Segismundo. [...] A rematerialização de Segismundo obedece às diretrizes mais comuns.
  • 26. Traduz expressão simbólica da maioria dos fatos dessa natureza, porquanto o nosso irmão pertence à enorme classe média dos Espíritos que habitam a Crosta, nem altamente bons, nem conscientemente maus (17). b) O processo de redução, miniaturização ou restringimento do perispírito, ocorrido no [...] Plano Espiritual, significa estágio preparatório para nova rematerialização (10). A tarefa de redução perispiritual, executada por Espíritos Construtores, tem como base os processos de magnetização e mentalização.
  • 27. Processo de redução, miniaturização ou restringimento do perispírito. Estágio preparatório para nova rematerialização. Ocorre no Plano Espiritual.
  • 28. O Espírito submetido a esses processos desenvolve uma palidez característica no perispírito e significativa diminuição da lucidez mental. Ao mesmo tempo, o Espírito em vias de materialização é induzido a mentalizar a forma pré- infantil e o retorno ao útero materno, como também a lembrar-se da organização fetal, imaginando a necessidade de tornar-se criança. Essa tarefa não é curta, nem simples, requisitando esforço geral dos colaboradores para a redução necessária (16). c) Um colaborador espiritual é designado para acompanhar a rematerialização do Espírito [...] até que ele atinja os sete anos, após o renascimento, ocasião em que o processo da rematerialização estará consolidado.
  • 29. Depois desse período, a sua tarefa de amigo e orientador será amenizada, visto que seguirá o nosso irmão em sentido distante. [...] Tomará todas as providências indispensáveis à harmoniosa organização fetal, seja auxiliando o rematerializado, seja defendendo o templo maternal contra o assédio de forças menos dignas [...] (18). d)d) Em relação à herança genética, o [...] organismo dos nascituros (que está prestes a nascer), em sua expressão mais densa, provém do corpo dos pais, que lhes entretêm (conservam - mantêm) a vida e lhes criam os caracteres com o próprio sangue;
  • 30. Todavia, em semelhante imperativo das leis divinas para o serviço de reprodução e formas, não devemos ver a subversão (Revolta) dos princípios de liberdade espiritual, imanente (Que está contido de maneira inseparável na natureza de um ser) na ordem da Criação Infinita. Por isso mesmo, a criatura terrena herda tendências e não qualidades. As primeiras cercam o homem que renasce, desde os primeiros dias de luta, não só em seu corpo transitório, mas também no ambiente geral a que foi chamado a viver, aprimorando-se; as segundas resultam do labor individual da alma, na defesa, na educação e aperfeiçoamento de si mesmo nos círculos benditos da experiência (18).
  • 31. Em relação à influência genética no corpo de Segismundo, encontramos os seguintes esclarecimentos do benfeitor Alexandre a André Luiz: A forma física futura de nosso amigo Segismundo dependerá dos cromossomos paternos e maternos; porém, adicione, a esse fator primordial, a influência dos moldes mentais de Raquel [genitora de Segismundo], a atuação do próprio interessado, o concurso (participação) dos Espíritos Construtores, que agirão como funcionários da natureza divina, invisíveis ao olhar terrestre, o auxilio afetuoso das entidades amigas que o visitarão constantemente, nos meses de formação do novo corpo, e poderá fazer uma ideia do que vem a ser o templo físico que ele possuirá (18).
  • 32. 1.1 - O PROCESSO DA CONCEPÇÃO OU FECUNDAÇÃO.
  • 33. Nos [...] milhares de renascimentos, na Terra, os princípios embriogênicos (Formação e desenvolvimento do embrião;) funcionam, automáticos, cada dia. A lei de causa e efeito executa-se sem necessidade de fiscalização da nossa parte. Homens fracos acreditam naHomens fracos acreditam na sorte.sorte. Homens fortes acreditam emHomens fortes acreditam em causa e efeito.causa e efeito. Ralph Waldo EmersonRalph Waldo Emerson
  • 34. Na rematerialização, basta o magnetismo dos pais, aliado ao forte desejo daquele que regressa ao campo das formas físicas. [...] De modo geral, a maioria das almas satisfazem sua fome inquietante do recomeço. A miséria deA miséria de qualquer espécie,qualquer espécie, não é a causa...,não é a causa..., ...é o efeito da...é o efeito da imoralidade.imoralidade. Thomas CarlyliThomas Carlyli
  • 35. [...] Milhões de destinos se reestruturam dessa forma, qual se refaz uma grande floresta. A sementeira cresce, estimulada pelo magnetismo do solo; A existência corpórea germina de novo, incentivada pelo magnetismo da carne (11). Nesse sentido, o útero funciona como [...] um vaso anímico de elevado poder magnético ou um molde vivo destinado à fecundação e refundição das formas, ao sopro criador da Bondade Divina, que, em toda parte, nos oferece recursos ao desenvolvimento para a Sabedoria e para o Amor.
  • 36. Esse vaso atrai a alma sequiosa (desejosa) de renascimento e que lhe é afim, tempo e no espaço, como a terra engole a semente para doar- lhe nova germinação, consoante os princípios que encerra (traz em si – contem em si). Maternidade é sagrado serviço espiritual em que a alma se demora séculos, na maioria das vezes aperfeiçoando qualidades do sentimento (12). É oportuno considerar que, em atendimento a certas imposições do planejamento, o processo de fecundação pode ser conduzido por orientadores espirituais qualificados.
  • 37. Na rematerialização de Segismundo temos a informação de que o benfeitor Alexandre, [...] em vista de ser o missionário mais elevado do grupo em operação de auxílio, dirigia os serviços graves da ligação primordial [concepção]. Segundo depreendi (concluir por interferência) – esclarece André Luiz -, ele podia ver as disposições cromossômicas (longa sequência de DNA, que contém vários genes), o futuro óvulo materno, presidindo ao trabalho prévio de determinação do sexo do corpo a organizar-se..
  • 38. Após acompanhar profundamente absorto no serviço, a marcha dos minúsculos competidores que constituíam a substância fecundante, identificou o mais apto, fixando nele o seu potencial magnético, dando-me a ideia de que o ajudava a desembaraçar-se dos companheiros para que fosse o primeiro a penetrar a pequenina bolsa maternal.
  • 39. O elemento focalizado por ele ganhou nova energia sobre os demais e avançou rapidamente na direção do alvo. A célula feminina que, em face do microscópico projétil espermático, se assemelhava a um pequeno mundo arredondado de açúcar, amido e proteínas, aguardando o raio vitalizante, sofreu a dilaceração da cutícula, à maneira de pequenina embarcação torpedeada, e enrijeceu- se, de modo singular, cerrando (juntando) os poros tenuíssimos [...], e impedindo a intromissão de qualquer outro dos competidores, que haviam perdido a primeira posição na grande prova. (12).
  • 40. Sempre sob o influxo luminoso-magnético de Alexandre, o elemento vitorioso prosseguiu a marcha, depois de atravessar a periferia do óvulo, rompe a cutícula e penetra no óvulo, gastando pouco mais de quatro minutos alcançar seu núcleo.
  • 41. Ambas as forças, masculina e feminina, formavam agora uma só, convertendo-se ao meu olhar em tenuíssimo foco de luz. O meu orientador, absolutamente entregue ao seu trabalho, tocou a pequenina forma com a destra (mão direita), mantendo-se no serviço de divisão da cromatina,* *Cromatina: Substância constituinte do cromossomo deSubstância constituinte do cromossomo de todas as células evolutivamente superiores (célulastodas as células evolutivamente superiores (células eucarióticas), composta de DNA, RNA e proteínaseucarióticas), composta de DNA, RNA e proteínas.. (ADN:(ADN: ácido desoxirribonucleico)ácido desoxirribonucleico) A cromatina sexual ou corpúsculo de Barr é umaA cromatina sexual ou corpúsculo de Barr é uma estrutura formada de cromossomos X, condensado e inativo,estrutura formada de cromossomos X, condensado e inativo, encontrada apenas no sexo femininoencontrada apenas no sexo feminino (mulheres e mamíferos).(mulheres e mamíferos).
  • 42. Em seguida, Alexandre ajustou a forma reduzida de Segismundo, que se interpenetrava com o organismo perispiritual de Raquel, sobre aquele microscópico globo de luz, impregnado de vida, o observei que essa vida latente começou a movimentar-se (21). [...] conservando a atitude do cirurgião seguro de si, na técnica operatória.
  • 43. 1.2 - A GRAVIDEZ OU GESTAÇÃO.
  • 44. 354 – Como se explica a vida intrauterina? - É a da planta que vegeta. A criança vive vida animal. O homem possui em si a vida animal e a vegetal, que completa, ao nascer, com a vida espiritual (8).(8). O organismo maternal fornecerá todo o alimento para a organização básica do aparelho físico, enquanto forma reduzida [do Espírito rematerializado] [...], atuará como imã entre limalhas de ferro, dando forma consistente à sua futura manifestação no cenário da Crosta (22).(22).
  • 45. Fui mineral, morri e me tornei planta, Como planta morri e depois fui animal, Como animal morri e depois fui homem. Por que teria eu medo? Acaso fui rebaixado pela morte? Vi dois mil homens que eu fui; mas nenhum era tão bom quanto sou hoje. Morrerei ainda como homem, para elevar-me e estar entre os bem-aventurados anjos. Entretanto, mesmo esse estado de anjo terei de deixar. Al Rumi Poeta Islâmico - (1210-1273 d.C.).Al Rumi Poeta Islâmico - (1210-1273 d.C.).
  • 46. Retornemos ao exemplo da rematerializaçãoRetornemos ao exemplo da rematerialização de Segismundo.de Segismundo. Neste caso, André Luiz reconhece que, após aNeste caso, André Luiz reconhece que, após a fecundação ocorrida sob a direção de Alexandre,fecundação ocorrida sob a direção de Alexandre, [...] o serviço de segmentação (fracionamento) celular e ajustamento dos corpúsculos divididos ao molde do corpo perispirítico, em redução, era francamente mecânico, obedecendo a disposições naturais do campo orgânico, mas toda a entidade microscópica do desenvolvimento da estrutura celular recebia o toque magnético das generosas entidades em serviço, dando-me a ideia de que toda a célula-filha era convenientemente preparada para sustentar a tarefa da iniciação do aparelho futuro (23).(23).
  • 47. [...] A mulher grávida, além da prestação de serviço orgânico à entidade que se rematerializa, é igualmente constrangida (forçada) a suportar-lhe o contato espiritual, que sempre constitui um sacrifício quando se trata de alguém com escuros débitos de consciência. A organização feminina, durante a gestação, sofre verdadeira enxertia mental (Fazer alguém ou a si próprio ser aceito – fazer conhecer ou aceitar – indução). Os pensamentos do ser que se acolhe ao santuário íntimo, envolvem-na totalmente, determinando significativas alterações em seu cosmo biológico.
  • 48. Se o filho é senhor de larga evolução e dono de elogiáveis morais consegue auxiliar o campo materno, prodigalizando-lhe [dar (algo) (a alguém) com generosidade excessiva] sublimadas [elevadas, nobres] emoções e convertendo a maternidade, habitualmente dolorosa, em estado de esperança e alegrias intraduzíveis [...] (13).(13). A corrente de troca entre mãe e filho não se circunscreve [não se determina, não se limita] à alimentação de natureza material; estende-se ao intercâmbio constante das sensações diversas. [...] As mentes de um e de outro como que se justapõem [Pôr(-se) junto ou em contiguidade], mantendo-se em permanente comunhão, até que a natureza complete o serviço que lhe cabe no tempo.
  • 49. De semelhante associação, procedem os chamados <<sinais de nascença>>>. Certos estados íntimos da mulher alcançam, de algum modo, o princípio fetal, marcando-o para a existência inteira.. É que o trabalho da maternidade assemelha- se a delicado processo de modelagem, requisitando [exigindo], por isso mesmo, muita cautela e harmonia para que a tarefa seja perfeita (14). É comum a verificação de exagerada sensibilidade na mulher que engravida. A transformação do sistema nervoso, nessas circunstâncias, é indiscutível.
  • 50. [...] A explicação é muito clara. A gestante é uma criatura hipnotizada a longo prazo. Tem o campo psíquico invadido pelas impressões e vibrações do Espírito que lhe ocupa as possibilidades para o serviço de reincorporação no mundo. Quando o futuro filho não se encontra suficientemente equilibrado diante da Lei, e isso acontece quase sempre, a mente maternal é suscetível de registrar os mais estranhos desequilíbrios, porque, à maneira de um médium, estará transmitindo opiniões e sensações da entidade que a empolga [anima] (15).(15).
  • 52. 1. KARDEC, Allan. A Gênese. Tradução de J. Herculano Pires. 23ª ed. Brás - São Paulo: LAKE, Março de 2010 - Cap. XI – GÊNESE ESPIRITUAL – Item: Materialização dos Espíritos - Qst. 17 - Pág. 181. 2. _______.Questão 18 - Págs. 181-182. 3. _______.Questão 20 - Pág. 182. 4. _______.Questão 21 - Págs. 182-183. 5. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução de J. Herculano Pires. 68ª ed. Brás - São Paulo: LAKE, 2009. Livro Segundo - Cap. VII – RETORNO À VIDA CORPORAL - Item II – União ad Alma ao Corpo. Aborto - Questão 344 - Pág. 154. 6. ______. Questão 345 - Pág. 154.
  • 53. 7. ______. Questão 351 - Pág. 155. 8. ______. Questão 354 - Pág. 155. 9. _______. O que é o Espiritismo. 53ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 - Cap. III (O Homem Durante a Vida Terrena) - Questão 116 - Pág. 197. 10. XAVIER, Francisco Cândido. E A Vida Continua... Pelo Espírito André Luiz - 30ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2004 – Cap. XVI - Pág. 162 – (Nota de Rodapé). 11. XAVIER, Francisco Cândido. Entre a Terra e o Céu. Pelo Espírito André Luiz - 22ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 – Cap. XXVIII - Págs. 228-229. 12. _______. Pág. 229.
  • 54. 13. _______. Cap. 30 - Pág. 241. 14. _______. Pág. 242. 15. _______. Pág. 187. 16. XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da Luz. Pelo Espírito André Luiz - 39ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2004 – Cap. XIII – (Rematerialização) - Págs. 269-271. 17. _______. Pág. 272. 18. _______. Pág. 276. 19. _______. Pág. 277. 20. _______. Pág. 285. 21. _______. Págs. 292-294. 22. _______. Pág. 294. 23. _______. Cap. 14 - Pág. 298.