• Compartilhar
  • Email
  • Incorporado
  • Curtir
  • Salvar
  • Conteúdo privado
Não Diretivismo
 

Não Diretivismo

on

  • 3,853 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
3,853
Visualizações no SlideShare
3,853
Visualizações incorporadas
0

Actions

Curtidas
0
Downloads
39
Comentários
0

0 Incorporações 0

No embeds

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

    Não Diretivismo Não Diretivismo Presentation Transcript

    • Carl Ransom Rogers - (Psicólogo americano) 1902-1987 No Brasil suas ideias tiveram difusão na década de 70, em confronto direto com as ideias do Comportamentalismo (Behaviorismo), que teve em Skinner um de seus principais representantes. Rogers é considerado um representante da psicologia humanista e da corrente humanista em educação.Rogers pressupõe que o professor dirija o estudante às suas própriasexperiências, para que, a partir delas, o aluno se autodirija.Propõe a sensibilização, a afetividade e a motivação como fatoresatuantes na construção do conhecimento. Uma das ideias maisimportantes na obra de Rogers é a de que a pessoa é capaz de controlarseu próprio desenvolvimento e isso ninguém pode fazer para ela.
    • NÃO DIRETIVISMONão-diretivismo é uma linha de pensamento pedagógico emque os próprios alunos escolhem os assuntos a seremestudados, e estudam se quiserem, diferente de outras linhasem que esta escolha é feita por professores ou por umaequipe diretiva.O não-diretivismo defende que a constante intervenção dosadultos limita a capacidade de escolha das crianças, atrasa oamadurecimento, e pode causar outros problemaspsicológicos.
    • Psicologia humanistaOs psicólogos humanistas estão unidos para proliferar os seus conceitosno estudo da Psicologia e torná-la, assim, mais voltada para o homem,objetivando questões a respeito da pessoa integral.•O homem é autor da sua própria existência, da sua própriahistoricidade e também preso a essa historicidade;•Diferente de outras visões atuais da psicologia, o Humanismo entendeque o homem não deve ser compreendido como um mero estudo doscomportamentos de ratos, porcos, chimpanzés ou outro animalqualquer.•Percebem que a essência do homem não está contida nesses animais esim nele mesmo.
    •  Um dos conceitos elaborado pelos humanistas foi a alteração daideia de “paciente” para “cliente”. Mudança de denominação: Relação serviçal com o seupaciente, enriquecendo a vida desse cliente primeiramente esecundariamente buscando métodos para atingir o seuautoconhecimento. Para os humanistas, o homem não deve ser compreendido,estudado e reduzido por categorias (ex. percepção, aprendizagem,personalidade). A busca por decifrá-lo está no próprio homem. É necessárioentender que tudo está relacionado com seu “existir”. O “Eu”. A escola se posiciona em respeitar a criança tal qual ela é,possibilitando a autonomia dos aluno
    • Papel do sujeito como principal elaborador do conhecimentohumano. Dá ênfase a relações interpessoais e ao crescimento que delasresultam, centrado no desenvolvimento da personalidade doindividuo, em seus processos de construção e organização pessoalda realidade e em sua capacidade de atuar, como pessoa integrada Ênfase à vida psicológica e emocional do individuo e apreocupação com a orientação interna, com o auto conceito, como desenvolvimento de uma visão autêntica de si mesmo, orientadapara a realidade individual e grupal.
    • Segundo Carl Rogers“Todos os jovens são intrinsecamente motivados. São curiosos,tem ânsia de conhecer o novo. Mas depois de anos passados naescola, isso acaba diminuindo, ele acabam acomodando-se e essamotivação intrínseca acaba amortecendo. E é o papel dosfacilitadores de aprendizagem fazer com que essa motivação volte,eles precisam descobrir quais os desafios reais para esses jovens,para transformá-los em algo que os mesmos tenham anseio deconhecer”. (Rogers, 1972, p.131). O ser humano tem a capacidade, latente ou manifesta, de compreender-se a si mesmo e de resolver seus problemas de modo suficiente para alcançar a satisfação e a eficácia necessária ao funcionamento adequado. O exercício desta capacidade requer um contexto de relações humanas positivas, favoráveis à conservação e à valorização do "eu", isto é, requer relações desprovidas de ameaça ou de desafio à concepção que o sujeito faz de si mesmo.(ROGERS, Carl, 1975, p. 39-40).
    • RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO Facilitador da aprendizagem onde ele tem que buscar sempreser autentico e congruente, o que facilita muito para a pessoa ou alunoque recebe esse auxilio. Sempre compreender o aluno criando um vínculo que favorecepara o aprendizado de ambos. Tem que, acima de tudo, ser autentico, tem que tercompreensão empática e conduta do outro, não deixando para traz aconfiança e a consideração com o aluno. O conhecimento advém das próprias experiências dos alunos eas atividades são consideradas um processo natural que se realizaatravés da interação com o meio
    • RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO O conteúdo da educação deveria consistir em experiênciasque o aluno reconstrói. O professor não ensina: apenas cria condições para que osalunos aprendam. O professor é um facilitador da aprendizagem, que auxilia odesenvolvimento espontâneo da criança. Ele não deve ensinar, mascriar situações para que os alunos aprendam. O Professor é amigo, e não o conhecedor de tudo.O aluno é ocentro do processo de ensino-aprendizagem, um ser ativo.
    • O método não diretivo consiste em formar pessoas únicas,na base da confiança e do respeito. Podemos citar os conceitos básicos da teoria daaprendizagem, realizadas por Mahoney (1976): Potencialidade para aprender Tendência à realização (desta potencialidade) Capacidade organísmica de valorização Aprendizagem significativa Resistência Abertura a experiência Auto-avaliação Criatividade Autoconfiança Independência.