SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Psicologia
Humanista
ENTREVISTA COM A PSICÓLOGA KELLIN MELLO
OFICINA II - CIÊNCIA E PROFISSÃO
Arthur, Cesar, Djulie, Hanna, Miguel e Vitor
Universidade do Vale do Rio dos Sinos
(UNISINOS-2017/2);
Certificado de treinamento reconhecido pelo
CNVC (Centro de Treinamento em
Comunicação Não-Violenta);
Atua em consultório particular com psicoterapia
individual de jovens, adultos e idosos;
Facilita grupos de Comunicação Não-Violenta
(grupoterapia).
Kellin Mello
PSICÓLOGA HUMANISTA
Formação, grupo de
estudos e interesses
Participou de grupo de estudo sobre comunicação não-violenta
A partir desse estudo ela entrou em contato com a Psicologia
Humanista
O interesse surgiu por sua visão de mundo ser muito parecida
com a da Psicologia Humanista
Questionamentos e exercícios práticos sobre a EMPATIA, que
trouxeram mais identificação com a linha
Abordagem &
setting terapêutico
Não existe neutralidade na sua terapia → cria-se uma relação com a pessoa
Terapeuta mais humano → maior aproximação do cliente → sente-se mais
a vontade para conversar
Pode vir a trazer algum exemplo da vida pessoal → mas o foco mantem-se sempre no cliente
Abordagem humanista → focada na pessoa, na sua visão de mundo, o que acontece com o
indivíduo no momento presente
Não direcionamento do que o psicólogo quer saber → quem direciona a consulta é o cliente
Empatia → busca compreender o cliente pela sua experiência única
Psicólogo precisa entender-se como pessoa e ter o aprendizado e
o respeito pela vida da outra pessoa
Surgiu como uma reação ao determinismo dominante
nas outras práticas psicoterapêuticas
O ser humano possui em si uma força de autorrealização,
que conduz o indivíduo ao desenvolvimento de
uma personalidade criativa e saudável.
Abraham Maslow → pirâmide das necessidades
Carl Rogers → terapia centrada no cliente
"O indivíduo possui possibilidades inimagináveis de compreender-se, de modificar os
conceitos que tem de si-mesmo, suas posturas e seu comportamento; esse potencial
pode ser liberado se a pessoa puder ser trazida a uma situação caracterizada por um
clima favorável para o desenvolvimento psíquico"
CORRENTES>
Gestalt-terapia
Psicoterapia centrada na pessoa
Psicodrama
Psicologia fenomenológico-existencial
Psicologia Humanista
Não julgar;
Empatia;
Não patologizar;
Ênfase no "eu";
Dimensões existencialistas.
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
Psicologia Humanista
Pensar, perceber, recordar, sentir é fundamental.
Experiência subjetiva → indicador do seu comportamento.
Livre-arbítrio → aceitar sua responsabilidade para seu autocrescimento e autorrealização.
Nenhum comportamento está pré-determinado.
Autorrealização → necessidade pessoal em buscar seu potencial máximo →
natural
As pessoas são inatamente boas → crescerão deste modo se as condições
adequadas forem dadas → principalmente durante a infância.
Cada pessoa e cada experiência é única → os psicólogos devem tratar cada
caso de forma individual
Psicologia Humanista
Herança do termo paciente → coloca a pessoa que busca ajuda em posição
de "precisar ser curado" → o psicólogo é quem sabe o que ela precisa
Cliente → coloca o indivíduo no mesmo plano, não inferiorizando
O psicólogo é um facilitador para o processo pessoal → confia na sabedoria
do indivíduo (sua experiência) → auxilia no entendimento da auto
responsabilidade pela sua felicidade
Cliente → indivíduo ativo, que constrói, que é responsável, que age
PACIENTE x CLIENTE
Psicologia Humanista → refuta abordagens comportamentais e psicanalíticas
Psicologia Comportamental → criticada por se centrar na consciência humana e
na personalidade e também por seu caráter determinista, mecânico e muito
dependente a testes em animais → A Psicologia Humanista acredita que uma
compreensão precisa do comportamento humano não se pode conseguir através
de testes em animais
Psicanálise → refutada pela sua ênfase excessiva no inconsciente e nas forças
instintivas, além do seu caráter também determinista
A psicologia humanista tem um lugar de não direcionamento do que o psicólogo
quer saber → quem direciona a consulta é o cliente
Psicologia Humanista x Outras abordagens
CAMPO DE PESQUISA
Não há muita produção de material acadêmico → Existem estudos antigos
Estudo do humanismo → ligado ao estudo de si mesmo
Esse estudo de si mesmo (torna-se pessoa → Rogers) não aborda a área cientifica
→ trazem uma visão pessoal da experiência deles nessa relação com o cliente
Escassez de pesquisas → o humanismo não é muito inserido na academia
Demanda atual pela humanidade do ser humano → novos estudos
Carl Rogers
Rogers pedia permissão para gravar as sessões de terapia e
depois disso, levava a um grupo para estudarem o ser humano
que estava ali.
Analisavam, no grupo, a maneira que a intervenção foi feita para
concluir se ela acabou sendo benéfica para o processo
terapêutico.
Processo Científico
A relação terapêutica é o foco → considera todos os
diagnósticos, mas sempre de forma individual
Exemplo: como é a depressão DO FULANO, como
acontece COM ELE, como ELE se sente → não generaliza
Como a Piscologia Humanista
caracteriza as psicopatologias?
Atendimento
Infantil
Processo é orientado pela maneira como o profissional estabelece a relação
com a criança → qual é o papel que ele está ocupando nessa relação
Humanismo → busca-se olhar a criança no sentido horizontal
Outras abordagens da área pedagógica → Emmi Pikler, Montessori, Ludoterapia
A criança não fala tanto → se expressa mais pelo brincar
Kellin → não atende crianças
Perspectiva humanista → trabalha a
potência da criança → entende-se que já
há uma sabedoria para realizar as coisas
Intervenções → baseiam-se na empatia
que o psicólogo precisa ter
Principais
desafios na
clínica
Colocar-se numa posição de horizontalidade → não pontuar o que a pessoa deve ser ou fazer
Intervir de uma maneira com que o cliente procure entender-se → ele mesmo encontra
respostas próprias para suas questões particulares → orientar o cliente a assumir uma
postura responsável frente a sua própria vida
Dica para
futuros psicólogos
Se trabalhar como pessoa → não só em psicoterapia
Buscar espaços onde conseguimos nos perceber, sentir, usar nosso potencial
O que é importante para nós?
Desenvolver-se como pessoa integral
Obrigada!
Arthur, Cesar, Djulie, Hanna, Miguel e Vitor

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesBruno Carrasco
 
Aula III A psicologia hospitalar e a
Aula III    A psicologia hospitalar e aAula III    A psicologia hospitalar e a
Aula III A psicologia hospitalar e aArtur Mamed
 
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Viviane Pasqualeto
 
Desenvolvimento Humano
Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano
Desenvolvimento Humanoandressa bonn
 
Psicodiagnóstico infantil
Psicodiagnóstico infantilPsicodiagnóstico infantil
Psicodiagnóstico infantilJorge Bombeiro
 
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund FreudPsicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund FreudIsabella Ruas
 
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de gruposIntrodução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de gruposClaudson Cerqueira Santana
 
Aula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia social
Aula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia socialAula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia social
Aula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia socialFranjone De Lima Souza
 

Mais procurados (20)

Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Psicologia humanista
Psicologia humanistaPsicologia humanista
Psicologia humanista
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Aula 2 psicologia apostila
Aula 2   psicologia apostilaAula 2   psicologia apostila
Aula 2 psicologia apostila
 
Slide apresentação carl rogers
Slide apresentação carl rogersSlide apresentação carl rogers
Slide apresentação carl rogers
 
Gestalt-Terapia
Gestalt-TerapiaGestalt-Terapia
Gestalt-Terapia
 
Personalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e TestesPersonalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e Testes
 
Origem da Psicologia
Origem da Psicologia Origem da Psicologia
Origem da Psicologia
 
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slidesExistencialismo e Psicologia - minicurso slides
Existencialismo e Psicologia - minicurso slides
 
Carl Ransom Rogers
Carl Ransom RogersCarl Ransom Rogers
Carl Ransom Rogers
 
Aula III A psicologia hospitalar e a
Aula III    A psicologia hospitalar e aAula III    A psicologia hospitalar e a
Aula III A psicologia hospitalar e a
 
Teoria e técnica de dinâmica de grupo
Teoria e técnica de dinâmica de grupoTeoria e técnica de dinâmica de grupo
Teoria e técnica de dinâmica de grupo
 
Teoria Humanista
Teoria HumanistaTeoria Humanista
Teoria Humanista
 
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –Desenvolvimento humano e ciclo vital –
Desenvolvimento humano e ciclo vital –
 
Desenvolvimento Humano
Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano
Desenvolvimento Humano
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Psicodiagnóstico infantil
Psicodiagnóstico infantilPsicodiagnóstico infantil
Psicodiagnóstico infantil
 
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund FreudPsicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
Psicanálise - Estudo da Teoria de Sigmund Freud
 
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de gruposIntrodução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
 
Aula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia social
Aula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia socialAula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia social
Aula 1 e 2 rumos e percursos em psicologia social
 

Semelhante a Psicologia Humanista - Apresentação.pdf

AULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptx
AULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptxAULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptx
AULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptxAndraRibeiroSouza
 
Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...
Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...
Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...leonardosmorais
 
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)Filipe Leal
 
Mutuar – núcleo de psicologia gestáltica
Mutuar – núcleo de psicologia gestálticaMutuar – núcleo de psicologia gestáltica
Mutuar – núcleo de psicologia gestálticaSilvana Eloisa
 
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor carl rogers.docxAlineMelo123
 

Semelhante a Psicologia Humanista - Apresentação.pdf (20)

Humanismo Carl Rogers
Humanismo Carl RogersHumanismo Carl Rogers
Humanismo Carl Rogers
 
carl rogers.pptx
carl rogers.pptxcarl rogers.pptx
carl rogers.pptx
 
AULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptx
AULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptxAULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptx
AULA INTRODUTORIA T.DA PERSONALIDADE 2022 .pptx
 
Curso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalhoCurso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalho
 
Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...
Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...
Capacitação EAD - Elaboração de material para educação on-line - Teoria Human...
 
Não Diretivismo
Não DiretivismoNão Diretivismo
Não Diretivismo
 
Teoria humanista
Teoria humanistaTeoria humanista
Teoria humanista
 
Comportamento Humano
Comportamento HumanoComportamento Humano
Comportamento Humano
 
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)A psicologia e a sua importância no mundo (1)
A psicologia e a sua importância no mundo (1)
 
psicologia pastoral
psicologia pastoralpsicologia pastoral
psicologia pastoral
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
 
Organograma slid1
Organograma slid1Organograma slid1
Organograma slid1
 
Organograma slid1
Organograma slid1Organograma slid1
Organograma slid1
 
Organograma slid1
Organograma slid1Organograma slid1
Organograma slid1
 
Psic doc5 m1
Psic doc5 m1Psic doc5 m1
Psic doc5 m1
 
CARL ROGERS.pptx
CARL ROGERS.pptxCARL ROGERS.pptx
CARL ROGERS.pptx
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
 
Mutuar – núcleo de psicologia gestáltica
Mutuar – núcleo de psicologia gestálticaMutuar – núcleo de psicologia gestáltica
Mutuar – núcleo de psicologia gestáltica
 
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
 

Último

Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadJordanPrazeresFreita1
 
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfGiza Carla Nitz
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoDjalmadeAndrade2
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdfThiagoAlmeida458596
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfmarrudo64
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfRodrigoSimonato2
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfGiza Carla Nitz
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIAArtthurPereira2
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 

Último (17)

Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
 
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalho
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 

Psicologia Humanista - Apresentação.pdf

  • 1. Psicologia Humanista ENTREVISTA COM A PSICÓLOGA KELLIN MELLO OFICINA II - CIÊNCIA E PROFISSÃO Arthur, Cesar, Djulie, Hanna, Miguel e Vitor
  • 2. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS-2017/2); Certificado de treinamento reconhecido pelo CNVC (Centro de Treinamento em Comunicação Não-Violenta); Atua em consultório particular com psicoterapia individual de jovens, adultos e idosos; Facilita grupos de Comunicação Não-Violenta (grupoterapia). Kellin Mello PSICÓLOGA HUMANISTA
  • 3. Formação, grupo de estudos e interesses Participou de grupo de estudo sobre comunicação não-violenta A partir desse estudo ela entrou em contato com a Psicologia Humanista O interesse surgiu por sua visão de mundo ser muito parecida com a da Psicologia Humanista Questionamentos e exercícios práticos sobre a EMPATIA, que trouxeram mais identificação com a linha
  • 4. Abordagem & setting terapêutico Não existe neutralidade na sua terapia → cria-se uma relação com a pessoa Terapeuta mais humano → maior aproximação do cliente → sente-se mais a vontade para conversar Pode vir a trazer algum exemplo da vida pessoal → mas o foco mantem-se sempre no cliente Abordagem humanista → focada na pessoa, na sua visão de mundo, o que acontece com o indivíduo no momento presente Não direcionamento do que o psicólogo quer saber → quem direciona a consulta é o cliente Empatia → busca compreender o cliente pela sua experiência única Psicólogo precisa entender-se como pessoa e ter o aprendizado e o respeito pela vida da outra pessoa
  • 5. Surgiu como uma reação ao determinismo dominante nas outras práticas psicoterapêuticas O ser humano possui em si uma força de autorrealização, que conduz o indivíduo ao desenvolvimento de uma personalidade criativa e saudável. Abraham Maslow → pirâmide das necessidades Carl Rogers → terapia centrada no cliente "O indivíduo possui possibilidades inimagináveis de compreender-se, de modificar os conceitos que tem de si-mesmo, suas posturas e seu comportamento; esse potencial pode ser liberado se a pessoa puder ser trazida a uma situação caracterizada por um clima favorável para o desenvolvimento psíquico" CORRENTES> Gestalt-terapia Psicoterapia centrada na pessoa Psicodrama Psicologia fenomenológico-existencial Psicologia Humanista
  • 6. Não julgar; Empatia; Não patologizar; Ênfase no "eu"; Dimensões existencialistas. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Psicologia Humanista
  • 7. Pensar, perceber, recordar, sentir é fundamental. Experiência subjetiva → indicador do seu comportamento. Livre-arbítrio → aceitar sua responsabilidade para seu autocrescimento e autorrealização. Nenhum comportamento está pré-determinado. Autorrealização → necessidade pessoal em buscar seu potencial máximo → natural As pessoas são inatamente boas → crescerão deste modo se as condições adequadas forem dadas → principalmente durante a infância. Cada pessoa e cada experiência é única → os psicólogos devem tratar cada caso de forma individual Psicologia Humanista
  • 8. Herança do termo paciente → coloca a pessoa que busca ajuda em posição de "precisar ser curado" → o psicólogo é quem sabe o que ela precisa Cliente → coloca o indivíduo no mesmo plano, não inferiorizando O psicólogo é um facilitador para o processo pessoal → confia na sabedoria do indivíduo (sua experiência) → auxilia no entendimento da auto responsabilidade pela sua felicidade Cliente → indivíduo ativo, que constrói, que é responsável, que age PACIENTE x CLIENTE
  • 9. Psicologia Humanista → refuta abordagens comportamentais e psicanalíticas Psicologia Comportamental → criticada por se centrar na consciência humana e na personalidade e também por seu caráter determinista, mecânico e muito dependente a testes em animais → A Psicologia Humanista acredita que uma compreensão precisa do comportamento humano não se pode conseguir através de testes em animais Psicanálise → refutada pela sua ênfase excessiva no inconsciente e nas forças instintivas, além do seu caráter também determinista A psicologia humanista tem um lugar de não direcionamento do que o psicólogo quer saber → quem direciona a consulta é o cliente Psicologia Humanista x Outras abordagens
  • 10. CAMPO DE PESQUISA Não há muita produção de material acadêmico → Existem estudos antigos Estudo do humanismo → ligado ao estudo de si mesmo Esse estudo de si mesmo (torna-se pessoa → Rogers) não aborda a área cientifica → trazem uma visão pessoal da experiência deles nessa relação com o cliente Escassez de pesquisas → o humanismo não é muito inserido na academia Demanda atual pela humanidade do ser humano → novos estudos
  • 11. Carl Rogers Rogers pedia permissão para gravar as sessões de terapia e depois disso, levava a um grupo para estudarem o ser humano que estava ali. Analisavam, no grupo, a maneira que a intervenção foi feita para concluir se ela acabou sendo benéfica para o processo terapêutico. Processo Científico
  • 12. A relação terapêutica é o foco → considera todos os diagnósticos, mas sempre de forma individual Exemplo: como é a depressão DO FULANO, como acontece COM ELE, como ELE se sente → não generaliza Como a Piscologia Humanista caracteriza as psicopatologias?
  • 13. Atendimento Infantil Processo é orientado pela maneira como o profissional estabelece a relação com a criança → qual é o papel que ele está ocupando nessa relação Humanismo → busca-se olhar a criança no sentido horizontal Outras abordagens da área pedagógica → Emmi Pikler, Montessori, Ludoterapia A criança não fala tanto → se expressa mais pelo brincar Kellin → não atende crianças Perspectiva humanista → trabalha a potência da criança → entende-se que já há uma sabedoria para realizar as coisas Intervenções → baseiam-se na empatia que o psicólogo precisa ter
  • 14. Principais desafios na clínica Colocar-se numa posição de horizontalidade → não pontuar o que a pessoa deve ser ou fazer Intervir de uma maneira com que o cliente procure entender-se → ele mesmo encontra respostas próprias para suas questões particulares → orientar o cliente a assumir uma postura responsável frente a sua própria vida
  • 15. Dica para futuros psicólogos Se trabalhar como pessoa → não só em psicoterapia Buscar espaços onde conseguimos nos perceber, sentir, usar nosso potencial O que é importante para nós? Desenvolver-se como pessoa integral
  • 16. Obrigada! Arthur, Cesar, Djulie, Hanna, Miguel e Vitor