SlideShare uma empresa Scribd logo
COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO SER 
VIVO 
Compostos orgânicos e inorgânicos
COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS 
 COMPONENTES INORGÂNICOS: Água e sais 
minerais 
 COMPONENTES ORGÂNICOS: Carboidratos, 
lipídios, proteínas, vitaminas e ácidos nucléicos
COMPONENTES INORGÂNICOS DA 
CÉLULA 
ÁGUA 
Componente mais abundante da matéria viva 
solvente de líquidos corpóreos 
Transporta íons e moléculas 
Regula a temperatura 
Ação lubrificante 
Atua na reação de hidrólise 
Matéria prima para a fotossíntese.
ÁGUA 
 O ser humano elimina água por meio do suor, fezes, 
respiração, urina. 
 O ser humano obtém água por meio da ingestão direta ou 
por alimentos. 
 A taxa de água nos seres vivos varia de acordo com a 
atividade metabólica do tecido ou órgãos considerados, 
com a idade do organismo e também de espécie para 
espécie.
TAXA DE ÁGUA NO CORPO HUMANO
SAIS MINERAIS 
 Encontram-se nos organismos sobre duas formas: 
Insolúveis e Solúveis 
 Insolúveis - participam , por exemplo, na 
estrutura esquelética. 
 Solúveis – dissolvidos na água em forma de íons.
SAIS MINERAIS NECESSÁRIOS AO 
CORPO HUMANO 
Sais de Cálcio (Ca++) 
Os fosfatos de cálcio constituem um dos principais 
componentes químicos dos ossos. 
Contribui para a rigidez dos ossos e 
fortalecimento dos dentes. 
Coagulação do sangue. 
Contração muscular.
Sais de Ferro (Fe ++) 
Participam da constituição da hemoglobina. 
Sais de Fósforo (PO4---) 
Participam da formação do esqueleto e da molécula de ATP. 
Sais de Iodo(I-) 
Necessários para a constituição dos hormônios da Glândula 
Tireoide. 
Sais de Potássio (K+), Sódio (Na+) 
Regulação osmótica das células , condução dos impulsos 
nervosos nos neurônios. 
Sais de Flúor (F-) 
Processo de mineralização do esmalte do dente, inibe ação 
de bactérias.
COMPONENTES ORGÂNICOS DA 
CÉLULA 
 Carboidratos 
 Lipídios 
 Proteínas 
 Vitaminas 
 Ácidos Nucléicos
CARBOIDRATOS 
 Conhecidos como Hidratos de Carbono ou 
Glicídios. 
GRUPOS DOS CARBOIDRATOS 
 Monossacarídeos 
 Oligossacarídeos 
 Polissacarídeos
MONOSSACARÍDEOS 
 Ocorrência e papel 
livro
OLIGOSSACARÍDEOS 
 Formados pela união de dois a dez 
monossacarídeos, que se separam por hidrólise. 
 Ocorrência e papel 
livro
POLISSACARÍDEOS 
 São formados pela junção de muitos 
monossacarídeos 
 Apresentam átomos de nitrogênio, fósforo ou enxofre 
 Quando ingerimos dissacarídeos e polissacarídeos, 
esses são digeridos e originam monossacarídeos. 
 Ocorrência e papel 
livro
LIPÍDIOS 
 São insolúveis em água, mas solúveis em solvente 
orgânicos como benzina, éter e o álcool 
 Desempenham diversos papéis biológicos, conforme o 
tipo considerado 
 São os glicerídeos, cerídeos e os esteróides.
GLICERÍDEOS 
 Mostram-se sólidos ou líquidos em temperatura ambiente, 
sendo conhecidos respectivamente por gorduras e óleos 
 As gorduras são frequentemente encontradas nos animais 
 Os óleos soa frequentemente encontrados nos vegetais
Cerídeos 
Compreende as ceras que ocorrem na superfície de folhas e frutos, 
evitando a perda de água para o meio externo. 
São encontrados em secreções de certos insetos, como as abelhas. 
Esteróides 
Colesterol Participa da composição química da membrana 
plasmática das células, atua como substância precursora de 
hormônios sexuais, como a testosterona e a progesterona. 
Permite a formação de vitamina D3 (absorção de cálcio) e dos sais 
biliares (absorção de ácidos graxos).
PROTEINAS 
 Aminoácidos naturais: aqueles que são produzidos pelo 
organismo. 
 Aminoácidos essenciais: aqueles que o organismo não 
fabrica, são obtidos por meio de alimentos. 
 A quantidade diária de proteína a ser ingerida por pessoas 
sedentárias é em torno de 0,8 g prot./kg/dia.
PROTEÍNAS - FUNÇÕES 
 Função de construção 
 Função de regulação de metabolismo: enzimas 
 Função de defesa: anticorpos 
 Queratina – unhas, pelos, pele 
 Hemoglobina – pigmento sangue 
 Insulina – metabolismo do açúcar
VITAMINAS 
Falta de vitaminas pode ser provocada por: 
redução de ingestão. 
pela diminuição da absorção. 
pelas alterações da flora intestinal. 
pelas alterações do metabolismo. 
pelo aumento de consumo. 
O excesso de vitaminas - hipervitaminose - pode ser a consequência da 
ingestão, ou da administração exagerada de vitaminas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de bioquímica celular
Aula de bioquímica celularAula de bioquímica celular
Aula de bioquímica celular
luam1969
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
emanuel
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
César Milani
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 

Mais procurados (20)

Células
CélulasCélulas
Células
 
Aula de bioquímica celular
Aula de bioquímica celularAula de bioquímica celular
Aula de bioquímica celular
 
A química da vida
A química da vidaA química da vida
A química da vida
 
Proteinas
ProteinasProteinas
Proteinas
 
Slides fungos
Slides  fungosSlides  fungos
Slides fungos
 
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicasFluxo de energia e pirâmides ecológicas
Fluxo de energia e pirâmides ecológicas
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Aula Proteinas
Aula ProteinasAula Proteinas
Aula Proteinas
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
 
Tecidos do corpo humano
Tecidos do corpo humanoTecidos do corpo humano
Tecidos do corpo humano
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínasII. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
 

Destaque

A composição química dos seres vivos[1]
A composição química dos seres vivos[1]A composição química dos seres vivos[1]
A composição química dos seres vivos[1]
Roberto Bagatini
 
Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
Péricles Penuel
 
Vida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivosVida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivos
Jolealpp
 
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica   componentes inorgânicos e orgânicosBioquímica   componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
carreiralopes
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
letyap
 
A base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosA base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivos
César Milani
 
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
César Milani
 
Introdução à biologia 1º ano
Introdução à biologia   1º anoIntrodução à biologia   1º ano
Introdução à biologia 1º ano
Luciana Mendes
 
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º anoAula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
camaceio
 

Destaque (20)

Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
 
A composição química dos seres vivos[1]
A composição química dos seres vivos[1]A composição química dos seres vivos[1]
A composição química dos seres vivos[1]
 
As bases químicas da vida
As bases químicas da vidaAs bases químicas da vida
As bases químicas da vida
 
A base quimica da vida
A base quimica da vidaA base quimica da vida
A base quimica da vida
 
Composição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte IComposição química dos seres - Parte I
Composição química dos seres - Parte I
 
Biologia – 1º Ano(Química da Vida)
Biologia – 1º Ano(Química da Vida)Biologia – 1º Ano(Química da Vida)
Biologia – 1º Ano(Química da Vida)
 
Capitulo 1 vida e composição química dos seres vivos
Capitulo 1 vida e composição química dos seres vivosCapitulo 1 vida e composição química dos seres vivos
Capitulo 1 vida e composição química dos seres vivos
 
Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
 
A química da vida água e sais minerais
A química da vida  água e sais mineraisA química da vida  água e sais minerais
A química da vida água e sais minerais
 
Vida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivosVida e composição dos seres vivos
Vida e composição dos seres vivos
 
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica   componentes inorgânicos e orgânicosBioquímica   componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
 
A base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosA base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivos
 
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Aula 04   Bases Moleculares da VidaAula 04   Bases Moleculares da Vida
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
 
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
 
Introdução à biologia 1º ano
Introdução à biologia   1º anoIntrodução à biologia   1º ano
Introdução à biologia 1º ano
 
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º anoAula 2 introdução a biologia - 1º ano
Aula 2 introdução a biologia - 1º ano
 
A composição química do corpo humano.
A composição química do corpo humano.A composição química do corpo humano.
A composição química do corpo humano.
 
Base da vida
Base da vidaBase da vida
Base da vida
 
Bases moleculares da vida
Bases moleculares da vidaBases moleculares da vida
Bases moleculares da vida
 

Semelhante a Composição Química do Ser Vivo

Composição química da célula.
Composição química da célula.Composição química da célula.
Composição química da célula.
Anauhe Gabriel
 
Slides sobre alimentação
Slides sobre alimentaçãoSlides sobre alimentação
Slides sobre alimentação
thayscler
 
Biologia molecular 1
Biologia molecular 1Biologia molecular 1
Biologia molecular 1
César Milani
 

Semelhante a Composição Química do Ser Vivo (20)

3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular3ª aula - bioquimica celular
3ª aula - bioquimica celular
 
3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
 
A quimica dos seres vivos
A quimica dos seres vivosA quimica dos seres vivos
A quimica dos seres vivos
 
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.pptAULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
 
Composição química da célula.
Composição química da célula.Composição química da célula.
Composição química da célula.
 
Química celular completo
Química celular completoQuímica celular completo
Química celular completo
 
Aula1bioquíMica
Aula1bioquíMicaAula1bioquíMica
Aula1bioquíMica
 
Aula1bioquíMica
Aula1bioquíMicaAula1bioquíMica
Aula1bioquíMica
 
Bioquimica-Composicao Quimica da Celula.pdf
Bioquimica-Composicao Quimica  da Celula.pdfBioquimica-Composicao Quimica  da Celula.pdf
Bioquimica-Composicao Quimica da Celula.pdf
 
Biquímica celular
Biquímica celularBiquímica celular
Biquímica celular
 
Bioquímica 1
Bioquímica 1Bioquímica 1
Bioquímica 1
 
Composição química da célula - Biologia
Composição química da célula - BiologiaComposição química da célula - Biologia
Composição química da célula - Biologia
 
Composicao Quimica
Composicao QuimicaComposicao Quimica
Composicao Quimica
 
Bioquimica
BioquimicaBioquimica
Bioquimica
 
Bioquimica celular
Bioquimica celularBioquimica celular
Bioquimica celular
 
A química da célula - Agua e sais minerais
A química da célula - Agua e sais mineraisA química da célula - Agua e sais minerais
A química da célula - Agua e sais minerais
 
Slides sobre alimentação
Slides sobre alimentaçãoSlides sobre alimentação
Slides sobre alimentação
 
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxpppppppppppppppBIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
BIOQUIMIA - Introdução.pptxppppppppppppppp
 
Nutrientes
NutrientesNutrientes
Nutrientes
 
Biologia molecular 1
Biologia molecular 1Biologia molecular 1
Biologia molecular 1
 

Mais de Killer Max

Projeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsProjeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no Tocantins
Killer Max
 

Mais de Killer Max (20)

Canola, uma cultura promissora
Canola, uma cultura promissoraCanola, uma cultura promissora
Canola, uma cultura promissora
 
Introdução à técnicas experimentais
Introdução à técnicas experimentaisIntrodução à técnicas experimentais
Introdução à técnicas experimentais
 
Manejo reprodutivo de bovinos
Manejo reprodutivo de bovinosManejo reprodutivo de bovinos
Manejo reprodutivo de bovinos
 
Vacinação aftosa e brucelose
Vacinação aftosa e bruceloseVacinação aftosa e brucelose
Vacinação aftosa e brucelose
 
A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)
 
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejoIrrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
Irrigação de pastagem: atualidade e recomendações para uso e manejo
 
Moscas das-frutas
Moscas das-frutasMoscas das-frutas
Moscas das-frutas
 
Defesa de Estágio
Defesa de EstágioDefesa de Estágio
Defesa de Estágio
 
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da OlericulturaLéxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
 
Fruticultura Do Tocantins
Fruticultura Do TocantinsFruticultura Do Tocantins
Fruticultura Do Tocantins
 
Projeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsProjeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no Tocantins
 
Força Eletromagnética
Força EletromagnéticaForça Eletromagnética
Força Eletromagnética
 
Cultura do arroz
Cultura do arrozCultura do arroz
Cultura do arroz
 
Raças de gado de leite
Raças de gado de leiteRaças de gado de leite
Raças de gado de leite
 
Guia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinosGuia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinos
 
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinosManejo sanitário para caprinos e ovinos
Manejo sanitário para caprinos e ovinos
 
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinosManejo reprodutivo de caprinos e ovinos
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
 
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
 
Democracia
DemocraciaDemocracia
Democracia
 

Último

CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Composição Química do Ser Vivo

  • 1. COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO SER VIVO Compostos orgânicos e inorgânicos
  • 2. COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS  COMPONENTES INORGÂNICOS: Água e sais minerais  COMPONENTES ORGÂNICOS: Carboidratos, lipídios, proteínas, vitaminas e ácidos nucléicos
  • 3. COMPONENTES INORGÂNICOS DA CÉLULA ÁGUA Componente mais abundante da matéria viva solvente de líquidos corpóreos Transporta íons e moléculas Regula a temperatura Ação lubrificante Atua na reação de hidrólise Matéria prima para a fotossíntese.
  • 4. ÁGUA  O ser humano elimina água por meio do suor, fezes, respiração, urina.  O ser humano obtém água por meio da ingestão direta ou por alimentos.  A taxa de água nos seres vivos varia de acordo com a atividade metabólica do tecido ou órgãos considerados, com a idade do organismo e também de espécie para espécie.
  • 5. TAXA DE ÁGUA NO CORPO HUMANO
  • 6. SAIS MINERAIS  Encontram-se nos organismos sobre duas formas: Insolúveis e Solúveis  Insolúveis - participam , por exemplo, na estrutura esquelética.  Solúveis – dissolvidos na água em forma de íons.
  • 7. SAIS MINERAIS NECESSÁRIOS AO CORPO HUMANO Sais de Cálcio (Ca++) Os fosfatos de cálcio constituem um dos principais componentes químicos dos ossos. Contribui para a rigidez dos ossos e fortalecimento dos dentes. Coagulação do sangue. Contração muscular.
  • 8. Sais de Ferro (Fe ++) Participam da constituição da hemoglobina. Sais de Fósforo (PO4---) Participam da formação do esqueleto e da molécula de ATP. Sais de Iodo(I-) Necessários para a constituição dos hormônios da Glândula Tireoide. Sais de Potássio (K+), Sódio (Na+) Regulação osmótica das células , condução dos impulsos nervosos nos neurônios. Sais de Flúor (F-) Processo de mineralização do esmalte do dente, inibe ação de bactérias.
  • 9. COMPONENTES ORGÂNICOS DA CÉLULA  Carboidratos  Lipídios  Proteínas  Vitaminas  Ácidos Nucléicos
  • 10. CARBOIDRATOS  Conhecidos como Hidratos de Carbono ou Glicídios. GRUPOS DOS CARBOIDRATOS  Monossacarídeos  Oligossacarídeos  Polissacarídeos
  • 12. OLIGOSSACARÍDEOS  Formados pela união de dois a dez monossacarídeos, que se separam por hidrólise.  Ocorrência e papel livro
  • 13. POLISSACARÍDEOS  São formados pela junção de muitos monossacarídeos  Apresentam átomos de nitrogênio, fósforo ou enxofre  Quando ingerimos dissacarídeos e polissacarídeos, esses são digeridos e originam monossacarídeos.  Ocorrência e papel livro
  • 14. LIPÍDIOS  São insolúveis em água, mas solúveis em solvente orgânicos como benzina, éter e o álcool  Desempenham diversos papéis biológicos, conforme o tipo considerado  São os glicerídeos, cerídeos e os esteróides.
  • 15. GLICERÍDEOS  Mostram-se sólidos ou líquidos em temperatura ambiente, sendo conhecidos respectivamente por gorduras e óleos  As gorduras são frequentemente encontradas nos animais  Os óleos soa frequentemente encontrados nos vegetais
  • 16. Cerídeos Compreende as ceras que ocorrem na superfície de folhas e frutos, evitando a perda de água para o meio externo. São encontrados em secreções de certos insetos, como as abelhas. Esteróides Colesterol Participa da composição química da membrana plasmática das células, atua como substância precursora de hormônios sexuais, como a testosterona e a progesterona. Permite a formação de vitamina D3 (absorção de cálcio) e dos sais biliares (absorção de ácidos graxos).
  • 17. PROTEINAS  Aminoácidos naturais: aqueles que são produzidos pelo organismo.  Aminoácidos essenciais: aqueles que o organismo não fabrica, são obtidos por meio de alimentos.  A quantidade diária de proteína a ser ingerida por pessoas sedentárias é em torno de 0,8 g prot./kg/dia.
  • 18. PROTEÍNAS - FUNÇÕES  Função de construção  Função de regulação de metabolismo: enzimas  Função de defesa: anticorpos  Queratina – unhas, pelos, pele  Hemoglobina – pigmento sangue  Insulina – metabolismo do açúcar
  • 19. VITAMINAS Falta de vitaminas pode ser provocada por: redução de ingestão. pela diminuição da absorção. pelas alterações da flora intestinal. pelas alterações do metabolismo. pelo aumento de consumo. O excesso de vitaminas - hipervitaminose - pode ser a consequência da ingestão, ou da administração exagerada de vitaminas.