Introdução a citologia

5.987 visualizações

Publicada em

0 comentários
23 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.987
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
23
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução a citologia

  1. 1. CITOLOGIA Introdução Prof. Emanuel
  2. 2. História da citologia Prof. Emanuel Robert Hooke realiza Criação da Teoria Celular Criação do primeirouma observação ao MO por Schleiden e Schwann microscópio eletrônico Koch utiliza pigmentos para estudar bactérias 1655 1838 1882 1931 1683 1858 1898 Descoberta do complexo golgiense Leewenhoek visualiza as Virchow ratifica a bactérias teoria celular Omnis cellula ed cellula
  3. 3. Unidades microscópicas Prof. Emanuel MILÍMETRO (mm) = METRODIVIDIDO POR MIL (10-3m) MICRÔMETRO (µm) = METRODIVIDO POR MILHÃO (10-6m) NANÔMETRO (nm) = METRODIVIDIDO POR BILHÃO (10-9m)
  4. 4. Unidades microscópicas Prof. Emanuel mm = 10-3 m µm = 10-6 m nm = 10-9 m Å = 10-10 m
  5. 5. Teoria celular ( Sec. XIX )Prof. Emanuel 1º As células são as unidades formadoras de todos os seres vivos 2º Os fluidos celulares são produtos derivados da atividade metabólica das células 3º Tanto nos tecidos normais como nos doentes, toda a célula nasce de outra célula. A teoria celular foi um conceito unificador da biologia
  6. 6. Classificação celular Prof. Emanuel Quanto ao tempo de vidaClassificação Tempo de Reprodução Exemplos vida Lábeis Curto Alta epiderme
  7. 7. Classificação celular Prof. Emanuel Quanto ao tempo de vidaClassificação Tempo de Reprodução Exemplos vidaEstáveis Médio Média Hepatócito
  8. 8. Classificação celular Prof. Emanuel Quanto ao tempo de vidaClassificação Tempo de Reprodução Exemplos vida Perenes Alto Baixa Neurônio
  9. 9. Classificação celular Prof. Emanuel Quanto ao grau de organizaçãoA) Células procarióticas • Organização celular simples e sem compartimentalização • Material genético imerso no Nucleóide Ribossomo citoplasma (Sem carioteca) • DNA não se associa com Cápsula proteínas – possuem material Membrana plasmática genético único e circular Parede celular • Não possuem citoesqueleto Pílis • Realizam normalmente divisão Flagelo direta (cissiparidade) Ex. Bactérias e cianobactérias
  10. 10. Do procarionte ao eucarionte Prof. EmanuelTEORIA AUTOGÊNICA (invaginações) A célula eucariótica teria surgido através da especialização de membranas internas, derivadas de invaginações da membrana plasmática. Maior superfície celular Especialização, divisão de trabalho e eficiênciametabólica Aumento quantitativo e qualitativo do genoma Maior proteção do material hereditário Novos processos celulares (Mitoses)
  11. 11. Classificação celular Prof. EmanuelB) Células eucarióticas • São compartimentalizadas • Possuem sistema de endomembrana e citoesqueleto • Possuem núcleo definido com carioteca • DNA associado com proteínas formando cromossomos múltiplos • Realizam divisão direta ou indireta Ex. Animais,vegetais,fungos e protozoários
  12. 12. Classificação celular Prof. Emanuel Ribossomos Flagelo Citoplasma Material genético (nucleóide) Membrana plasmáticaParede celular
  13. 13. Do procarionte ao eucarionte Prof. EmanuelTeoria da Endossimbiose Sequencial (SET)"Os seres vivos não ocuparam o mundo pela força, maspor cooperação“ Lynn Margulis
  14. 14. Do procarionte ao eucarionte Prof. Emanuel
  15. 15. Do unicelular ao multicelular Prof. Emanuel A união de células para formarem colônias e comisso os primeiros seres multicelulares trouxecomo vantagens: Expressão diferenciada dos genes (diferenciação) comconseqüente economia energética Diversidade de funções celulares Formação de tecidos e orgãos possibilitando maiordesenvolvimento corporal Surgimento de novos padrões de comunicação entre ascélulas (sistemas de regulação)
  16. 16. Sinalização celular Prof. Emanuela) Autócrinos: a secreção se liga a receptores de superfície da própria célula que a liberou. HORMÔNIOb) Parácrina: a secreção é liberada no espaço extracelular e se difunde para células vizinhas
  17. 17. Sinalização celular Prof. Emanuelc) Endócrina: o hormônio é liberado no sangue e se atinge células a distância
  18. 18. Sinalização celular Prof. Emanuel
  19. 19. Do unicelular ao pluricelular Prof. Emanuel
  20. 20. Diferenciação celular Prof. Emanuel • É um conjunto de reações Zigoto genéticas ocorridas para que a célula possa desempenhar funções específicas. • Durante a embriogênese ocorre a ativação diferencial Ativação do gene Ativação dos genes A do gene B
  21. 21. Diferenciação celular Prof. Emanuel Um organismo pluricelular apresenta células com diferentes níveis de especialização
  22. 22. Diferenciação celular Prof. EmanuelQuanto ao grau de diferenciação as células podemser: a) Diferenciadas - Células especializadas como os neurônios, hepatócitos, células epiteliais. b) Indiferenciadas - Células que ainda não se especializaram. Ex. Zigoto, Células-tronco c) Desdiferenciadas - Células que perderam a especialização Ex. Células neoplásicas (câncer)
  23. 23. Zigoto MórulaCélulas CTE Blastocistotronco Hemácias Nerônios Fibras muscularesProf. Emanuel
  24. 24. Células Tronco – Características Emanuel Prof. Não são especializadas Alta capacidade mitótica Possibilidade terapêutica elevada Problemas legais, éticos e religiosos
  25. 25. Células Tronco – Características Emanuel Prof.
  26. 26. Células Tronco - Classificação Prof. Emanuel Quanto a potencialidadeTotipotente Origina os 216 tecidos humanos Origina quase todos tecidos Pluri/Multi humanos menos placenta e anexos embrionários Oligo Origina apenas alguns tipos de tecidos Uni Origina apenas um tipo de tecido Dra. Mayana Zatz
  27. 27. Células Tronco - classificação Prof. Emanuel Quanto a origema) Embrionárias - São obtidas no máximo até oestágio de blástula (blastocisto). Podem ser totiou pluripotentes.Zigoto Mórula Blastocisto
  28. 28. Células tronco - classificação Prof. Emanuelb) Não embrionárias (Adultas)- São obtidas apóso estágio de blástula. São pluri, oligo ouunipotentes.Ex. Medula óssea e cordão umbilical
  29. 29. Célula tronco pluripotente induzidaEmanuel Prof.
  30. 30. O que é câncer? Câncer é o nome dado a um conjunto demais de 100 doenças que têm em comum ocrescimento desordenado (maligno) de célulasque invadem os tecidos e órgãos.
  31. 31. Causas do câncer• Causas Externas – meio ambiente, hábitos oucostumes.• Causas Internas – geneticamente pré-determinadas.*Ambiente: ambiente ocupacional; ambiente deconsumo; ambiente social e cultural. Epigenética
  32. 32. Neoplasia benigna X maligna Critério Benigno Maligno Cápsula Frequente ausenteCrescimento Lento e Rápido e expansivo infiltrativoCiclo celular Típico AtípicoMetástase Ausente Presente
  33. 33. Neoplasia benigna X maligna
  34. 34. Neoplasia benigna X malignaBenigno MalignoAdenoma CarcinomaPapiloma Sarcoma Lipoma Linfoma Mioma Leucemia
  35. 35. Neoplasias malignasCarcinoma Tecido epitelial
  36. 36. Neoplasias malignasSarcoma Tecidos “moles” (conjuntivo)
  37. 37. Neoplasias malignasLinfomas Sistema linfático
  38. 38. Neoplasias malignas TecidoLeucemia hematopoiético
  39. 39. CRESCIMENTO MESMO NA AUSÊNCIA DE SINAIS REGULADORES DA DIVISÃO CELULAR
  40. 40. ALTERAÇÃO NO CICLOCELULAR (supressão de G1)
  41. 41. COMPROMETIMENTO DAINIBIÇÃO POR CONTATO
  42. 42. BLOQUEIO DOSe MECANISMOS DE MORTE CELULAR PROGRAMADA (Apoptose)
  43. 43. IMORTALIDADE EFETIVA (Telômeros)
  44. 44. CAPACIDADE DE ESTIMULAR A ANGIOGÊNESE
  45. 45. PODER PARA INVADIR TECIDOS E SE ESPALHAR POR OUTROS ÓRGÃOS Metástase
  46. 46. PODER PARA INVADIR TECIDOS E SE ESPALHAR POR OUTROS ÓRGÃOS

×