SlideShare uma empresa Scribd logo
Teorias de Ensino COMPORTAMENTALISMO Diz que é possível modelar o indivíduo, condicionando seus comportamentos. Para tanto, deve-se utilizar os estímulos e reforços adequados. Segundo Skinner, todo comportamento é determinado pelo ambiente, mesmo que a relação do indivíduo com esse ambiente não seja passiva, e sim de interação. Ou seja, um professor pode definir que resultados pretende alcançar com seus alunos e oferecer-lhes os estímulos e recompensas adequados à medida que os alunos avançam, para levá-los ao resultado previsto. Palavra-chave : estímulo-reposta Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino COMPORTAMENTALISMO Modelos Teóricos de Aprendizagem: CONDICIONAMENTO CLÁSSICO -  PAVLOV (1849/1936) e WATSON (1878/1958). Processo de aprendizagem - associação entre um estímulo e uma resposta, envolvendo alguma espécie de conexão no sistema nervoso central. CONDICIONAMENTO OPERANTE -  THORNDIKE (1874/1949) e  SKINNER (1904/1990). Processo de aprendizagem -  conexão entre uma resposta e a produção de situação agradável. A repetição de um ato que causa um resultado agradável (reforço positivo), aumenta a probabilidade de ocorrência deste ato. A resposta é fortalecida pelo reforço ou enfraquecida pela sua extinção.  Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino COMPORTAMENTALISMO Papel do professor:  o professor, ou até o livro, em alguns casos, é a autoridade máxima, detentora de todo o conhecimento. O aluno é o aprendiz que deve absorver esse conhecimento – quanto mais, melhor. Como se aprende : por memorização e repetição. Onde está o foco : nos conteúdos e no professor. Que tipo de indivíduo espera-se formar:  pessoas com um vasto saber enciclopédico. Indivíduos focados no trabalho, que correspondem às demandas e se ajustam bem aos ambientes. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino COGNITIVISMO Teoria da aprendizagem significativa  -  DAVID PAUL AUSUBEL   (1918) : procura explicar os mecanismos internos que ocorrem na mente humana com relação ao aprendizado e à estruturação do conhecimento. Dá ênfase à aquisição, armazenamento e organização das idéias no cérebro do indivíduo.  Técnicas e reflexões acerca da aula do tipo “tradicional”, em sala de aula. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino COGNITIVISMO CONCEITOS BÁSICOS : Estrutura cognitiva:  é extremamente organizada e hierarquizada, no sentido de que as várias idéias se encadeiam de acordo com a relação que se estabelece entre elas. Aprendizagem:  consiste na “ampliação” da estrutura cognitiva, através da incorporação de novas idéias a ela. Aprendizagem significativa  tem lugar quando as novas idéias vão se relacionando de forma  não-arbitrária  (relação lógica)   e  substantiva  (tem sentido)   com as idéias já existentes. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino COGNITIVISMO Fatores internos para a aprendizagem significativa Fatores cognitivos:   idéias âncoras às quais pode se conectar a idéia nova; diferentes estratégias de ensino relacionando as idéias novas com as já aprendidas; clareza e a firmeza das idéias que servirão como âncoras. Fatores afetivo-sociais:  disposição do aluno para aprendizagem significativa. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino COGNITIVISMO Fatores externos para a aprendizagem significativa:  fatores sobre os quais os professores têm acesso e podem manipular “livremente” de modo a propiciar as melhores condições possíveis para que os alunos possam aprender significativamente (aula, material instrucional,...). Para essa teoria, a aprendizagem é um processo individual e depende exclusivamente da pessoa. Para a aprendizagem, não são consideradas diferenças sociais, biológicas, físicas, oportunidade econômica, etc. Se o aluno não aprendeu é porque ele não quis, pois o professor se esforçou. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino CONSTRUTIVISMO EPISTEMOLOGIA GENÉTICA  ou  TEORIA PSICOGENÉTICA – PIAGET (1896-1980) :  Explica como o indivíduo, desde o seu nascimento, constrói o conhecimento.  Piaget acredita que a capacidade de raciocínio não depende nem do ambiente nem de um fator hereditário. Segundo ele, o pensamento infantil passa por quatro estágios, desde o nascimento até o início da adolescência, quando a capacidade plena de raciocínio é atingida. Assim, o conhecimento vai sendo construído pela criança a partir de suas descobertas, quando em contato com o mundo e com os objetos. O trabalho de ensinar não deve se limitar a transmitir conteúdos, mas a favorecer a atividade mental do aluno. Para Piaget, educar é provocar a atividade – isto é, estimular a procura do conhecimento. Palavra-chave : estágios do desenvolvimento cognitivo. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino CONSTRUTIVISMO Estágios de desenvolvimento genético-cognitivo: Sensório-motor  (0 – 2 anos):  etapa básica manipulativa (percepções e ações) Pré-operatório  (2 – 7 anos):  etapa intuitiva (linguagem, desenho, imitação, dramatização) Operatório-concreto  (7 – 12 anos):  construção das operações, manipulação concreta de objetos e de relações entre objetos.  Operatório Lógico-Formal  (12 – 16 anos):  é o ápice do desenvolvimento da inteligência e corresponde ao nível de pensamento hipotético-dedutivo ou lógico-matemático.  Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino CONSTRUTIVISMO Papel do professor:  observar o aluno, investigar quais são os seus conhecimentos prévios, seus interesses e, a partir daí, procurar apresentar diversos elementos para que o aluno construa o conhecimento. O professor cria situações para que o aluno chegue ao conhecimento. Como se aprende : experimentando, vivenciando. Onde está o foco : no aluno e em suas operações mentais. Que tipo de indivíduo espera-se formar:  pessoas com autonomia, que contam consigo mesmas e com sua capacidade de construir saber. Gente que interage com o meio, que tem idéias próprias e é capaz de criar, com uma visão particular do mundo. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino SÓCIO-INTERACIONISMO Lev Vygotsky (1896 – 1934) Para Vygotsky a formação se dá numa relação dialética entre o sujeito e a sociedade – o homem modifica o ambiente e o ambiente modifica o homem. Por exemplo, uma criança pode nascer com condições fisiológicas de falar, mas para desenvolver a fala precisa aprender com os outros. Portanto, o que ele foca é a interação. Segundo Vygotsky, todo aprendizado é necessariamente mediado – e isso torna o papel do ensino e do professor mais ativo do que o previsto por Piaget. O aprendizado não se subordina ao desenvolvimento das estruturas intelectuais, mas um se alimenta do outro, provocando saltos qualitativos de conhecimento. Palavra-chave : mediação Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino SÓCIO-INTERACIONISMO Conceitos básicos: MEDIAÇÃO:   Nenhum conhecimento é construído pela pessoa sozinha, mas sim em parceria com as outras. ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL (ZDP):   distância entre o nível de desenvolvimento real e o nível de desenvolvimento potencial, ou entre “o ser e o tornar-se”. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino SÓCIO-INTERACIONISMO Papel do professor:  atua como mediador entre o aluno, os conhecimentos que este possui e o mundo. Como se aprende : observando o meio, entrando em contato com o que já foi descoberto e organizando o conhecimento junto com os outros (professor e turma). Onde está o foco : na interação. É na relação aluno-professor e aluno-aluno que se produz conhecimento. Que tipo de indivíduo espera-se formar:  pessoas cooperativas, que tenham compromisso com o mundo e com o outro, que saibam tanto expor suas idéias quanto ouvir. Gente que não necessariamente terá um conhecimento enciclopédico, mas que saberá como procurar as informações que lhe fazem falta. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino DIFERENÇAS ENTRE VYGOTSKY E PIAGET: Influência da cultura: O fator cultural , básico para Vygotsky, e pouco enfatizado por Piaget, é a diferença central entre os dois teóricos. Aprendizagem X desenvolvimento mental: Para Vygotsky, a aprendizagem acontece antes do desenvolvimento mental (incentiva a conquista de novas aquisições sem esperar a maturação “mecânica”).   São as relações sociais que dão ao indivíduo instrumentos para ativar os processos internos que favorecem o desenvolvimento e  constituem a psicologia da criança desde o começo. Piaget, ao contrário, defende que é o desenvolvimento progressivo das estruturas intelectuais que nos torna capazes de aprender. As  relações sociais são secundárias à natureza biológica. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
Teorias de Ensino Profª Drª Adriana Clementino - 2007 Aulas expositivas;  Desenvolvimento de mapas conceituais. “ Ampliação” da estrutura cognitiva, através da incorporação de novas idéias a ela. Determina a estrutura conceitual e proposicional do conteúdo.  Autônomo; Filtra os mate-riais que têm significado para si. Cognitivismo Referencial histórico-social; Trabalho com projetos. Interiorização gradual de atos externos e suas transformações em ações mentais . Mediador; Parceiro; Realiza o elo entre a ZDR e ZDP do aluno. Interativo; Responsável pelo aprendizado Socio-interacio-nismo   Experiências, pesquisas e solução de problemas.   Interação sujeito/objeto; Construtivismo seqüencial (níveis); Relação direta com o desenvolvimento. Mentor; Favorecedor dos processos de descobrimento autônomo de conceitos. Ativo Construtivismo   Entrega de conteúdos; Instrução programada. Influenciada por fatores biológicos de conduta (estímulo-resposta) Repassador do conhecimento (verdades absolutas). Passivo Comporta-mentalismo   Método Aprendizagem Professor Aluno

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
Claudinéia da Silva de Oliveira
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da Aprendizagem
Cassia Dias
 
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Nilson Dias Castelano
 
Piaget completo
Piaget completoPiaget completo
Piaget completo
Camila Munari
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
Greicy Kely
 
14 piaget vygotsky e wallon ...
14 piaget vygotsky e wallon ...14 piaget vygotsky e wallon ...
14 piaget vygotsky e wallon ...
Karina Reimberg
 
Teoria de David Ausubel
Teoria de David AusubelTeoria de David Ausubel
Teoria de David Ausubel
Fernando Augusto
 
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteEpistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Anaí Peña
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
Soares Junior
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Jorge Barbosa
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis
 
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagemTeorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Lucas Vinícius
 
Professor reflexivo
Professor reflexivoProfessor reflexivo
Professor reflexivo
Ana Zélia Belo
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
zearalenona
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
pibidsociais
 
Cognitivismo
CognitivismoCognitivismo
Cognitivismo
Paulo Marquêz
 
Jean Piaget
Jean PiagetJean Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
Elisms88
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 

Mais procurados (20)

1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
 
Psicologia da Aprendizagem
Psicologia da AprendizagemPsicologia da Aprendizagem
Psicologia da Aprendizagem
 
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1
 
Piaget completo
Piaget completoPiaget completo
Piaget completo
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
14 piaget vygotsky e wallon ...
14 piaget vygotsky e wallon ...14 piaget vygotsky e wallon ...
14 piaget vygotsky e wallon ...
 
Teoria de David Ausubel
Teoria de David AusubelTeoria de David Ausubel
Teoria de David Ausubel
 
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteEpistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagemTeorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
 
Professor reflexivo
Professor reflexivoProfessor reflexivo
Professor reflexivo
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
 
Cognitivismo
CognitivismoCognitivismo
Cognitivismo
 
Jean Piaget
Jean PiagetJean Piaget
Jean Piaget
 
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 

Semelhante a Teorias de Ensino

Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
neliane frança
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Márcio Emílio
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Ana Medeiros
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Márcio Emílio
 
Teorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseTeorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sintese
Eduardo Lopes
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Vânia Oliveira
 
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na EducaçãoConcepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
cleusamoreira
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Sergio Sergio Gaspar
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
O Blog do Pedagogo
 
CONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.ppt
CONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.pptCONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.ppt
CONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.ppt
MarceloInacio18
 
Teorias Construtivistas
Teorias ConstrutivistasTeorias Construtivistas
Teorias Construtivistas
Daurivan Nobre
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
Quelen Fogaça
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Instituto Consciência GO
 
SemináRio VersãO Final Tc
SemináRio VersãO Final TcSemináRio VersãO Final Tc
SemináRio VersãO Final Tc
Amorim Albert
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
marcaocampos
 
Epistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean PiagetEpistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean Piaget
Lucila Pesce
 
Gean Piaget o gênio Henrique A. G.
Gean Piaget o gênio Henrique A. G.    Gean Piaget o gênio Henrique A. G.
Gean Piaget o gênio Henrique A. G.
raimundoxexe
 
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na EducaçãoConcepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
cleusamoreira
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
Glaucia Correa Peres
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
psicologiainside
 

Semelhante a Teorias de Ensino (20)

Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para AlunosTeorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
Teorias Da Aprendizagem Material Para Alunos
 
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rsAtividade 1  - teorias de aprendizagem - puc-rs
Atividade 1 - teorias de aprendizagem - puc-rs
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPointAtividade 1   teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
Atividade 1 teorias de aprendizagem - puc-rs - PowerPoint
 
Teorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sinteseTeorias de aprendizagem.sintese
Teorias de aprendizagem.sintese
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na EducaçãoConcepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
A Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da AprendizagemA Psicologia da Aprendizagem
A Psicologia da Aprendizagem
 
CONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.ppt
CONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.pptCONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.ppt
CONTRIBUIÇÕES E IMPACTOS NA EDUCAÇÃO.ppt
 
Teorias Construtivistas
Teorias ConstrutivistasTeorias Construtivistas
Teorias Construtivistas
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
 
SemináRio VersãO Final Tc
SemináRio VersãO Final TcSemináRio VersãO Final Tc
SemináRio VersãO Final Tc
 
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando   educaçao e construcao do conhecimentoBecker, fernando   educaçao e construcao do conhecimento
Becker, fernando educaçao e construcao do conhecimento
 
Epistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean PiagetEpistemologia Genética de Jean Piaget
Epistemologia Genética de Jean Piaget
 
Gean Piaget o gênio Henrique A. G.
Gean Piaget o gênio Henrique A. G.    Gean Piaget o gênio Henrique A. G.
Gean Piaget o gênio Henrique A. G.
 
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na EducaçãoConcepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
Concepções de Conhecimento e Uso de Tecnologias na Educação
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
 

Último

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 

Último (20)

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 

Teorias de Ensino

  • 1. Teorias de Ensino COMPORTAMENTALISMO Diz que é possível modelar o indivíduo, condicionando seus comportamentos. Para tanto, deve-se utilizar os estímulos e reforços adequados. Segundo Skinner, todo comportamento é determinado pelo ambiente, mesmo que a relação do indivíduo com esse ambiente não seja passiva, e sim de interação. Ou seja, um professor pode definir que resultados pretende alcançar com seus alunos e oferecer-lhes os estímulos e recompensas adequados à medida que os alunos avançam, para levá-los ao resultado previsto. Palavra-chave : estímulo-reposta Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 2. Teorias de Ensino COMPORTAMENTALISMO Modelos Teóricos de Aprendizagem: CONDICIONAMENTO CLÁSSICO - PAVLOV (1849/1936) e WATSON (1878/1958). Processo de aprendizagem - associação entre um estímulo e uma resposta, envolvendo alguma espécie de conexão no sistema nervoso central. CONDICIONAMENTO OPERANTE - THORNDIKE (1874/1949) e SKINNER (1904/1990). Processo de aprendizagem - conexão entre uma resposta e a produção de situação agradável. A repetição de um ato que causa um resultado agradável (reforço positivo), aumenta a probabilidade de ocorrência deste ato. A resposta é fortalecida pelo reforço ou enfraquecida pela sua extinção. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 3. Teorias de Ensino COMPORTAMENTALISMO Papel do professor: o professor, ou até o livro, em alguns casos, é a autoridade máxima, detentora de todo o conhecimento. O aluno é o aprendiz que deve absorver esse conhecimento – quanto mais, melhor. Como se aprende : por memorização e repetição. Onde está o foco : nos conteúdos e no professor. Que tipo de indivíduo espera-se formar: pessoas com um vasto saber enciclopédico. Indivíduos focados no trabalho, que correspondem às demandas e se ajustam bem aos ambientes. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 4. Teorias de Ensino COGNITIVISMO Teoria da aprendizagem significativa - DAVID PAUL AUSUBEL (1918) : procura explicar os mecanismos internos que ocorrem na mente humana com relação ao aprendizado e à estruturação do conhecimento. Dá ênfase à aquisição, armazenamento e organização das idéias no cérebro do indivíduo. Técnicas e reflexões acerca da aula do tipo “tradicional”, em sala de aula. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 5. Teorias de Ensino COGNITIVISMO CONCEITOS BÁSICOS : Estrutura cognitiva: é extremamente organizada e hierarquizada, no sentido de que as várias idéias se encadeiam de acordo com a relação que se estabelece entre elas. Aprendizagem: consiste na “ampliação” da estrutura cognitiva, através da incorporação de novas idéias a ela. Aprendizagem significativa tem lugar quando as novas idéias vão se relacionando de forma não-arbitrária (relação lógica) e substantiva (tem sentido) com as idéias já existentes. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 6. Teorias de Ensino COGNITIVISMO Fatores internos para a aprendizagem significativa Fatores cognitivos: idéias âncoras às quais pode se conectar a idéia nova; diferentes estratégias de ensino relacionando as idéias novas com as já aprendidas; clareza e a firmeza das idéias que servirão como âncoras. Fatores afetivo-sociais: disposição do aluno para aprendizagem significativa. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 7. Teorias de Ensino COGNITIVISMO Fatores externos para a aprendizagem significativa: fatores sobre os quais os professores têm acesso e podem manipular “livremente” de modo a propiciar as melhores condições possíveis para que os alunos possam aprender significativamente (aula, material instrucional,...). Para essa teoria, a aprendizagem é um processo individual e depende exclusivamente da pessoa. Para a aprendizagem, não são consideradas diferenças sociais, biológicas, físicas, oportunidade econômica, etc. Se o aluno não aprendeu é porque ele não quis, pois o professor se esforçou. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 8. Teorias de Ensino CONSTRUTIVISMO EPISTEMOLOGIA GENÉTICA ou TEORIA PSICOGENÉTICA – PIAGET (1896-1980) : Explica como o indivíduo, desde o seu nascimento, constrói o conhecimento. Piaget acredita que a capacidade de raciocínio não depende nem do ambiente nem de um fator hereditário. Segundo ele, o pensamento infantil passa por quatro estágios, desde o nascimento até o início da adolescência, quando a capacidade plena de raciocínio é atingida. Assim, o conhecimento vai sendo construído pela criança a partir de suas descobertas, quando em contato com o mundo e com os objetos. O trabalho de ensinar não deve se limitar a transmitir conteúdos, mas a favorecer a atividade mental do aluno. Para Piaget, educar é provocar a atividade – isto é, estimular a procura do conhecimento. Palavra-chave : estágios do desenvolvimento cognitivo. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 9. Teorias de Ensino CONSTRUTIVISMO Estágios de desenvolvimento genético-cognitivo: Sensório-motor (0 – 2 anos): etapa básica manipulativa (percepções e ações) Pré-operatório (2 – 7 anos): etapa intuitiva (linguagem, desenho, imitação, dramatização) Operatório-concreto (7 – 12 anos): construção das operações, manipulação concreta de objetos e de relações entre objetos. Operatório Lógico-Formal (12 – 16 anos): é o ápice do desenvolvimento da inteligência e corresponde ao nível de pensamento hipotético-dedutivo ou lógico-matemático. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 10. Teorias de Ensino CONSTRUTIVISMO Papel do professor: observar o aluno, investigar quais são os seus conhecimentos prévios, seus interesses e, a partir daí, procurar apresentar diversos elementos para que o aluno construa o conhecimento. O professor cria situações para que o aluno chegue ao conhecimento. Como se aprende : experimentando, vivenciando. Onde está o foco : no aluno e em suas operações mentais. Que tipo de indivíduo espera-se formar: pessoas com autonomia, que contam consigo mesmas e com sua capacidade de construir saber. Gente que interage com o meio, que tem idéias próprias e é capaz de criar, com uma visão particular do mundo. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 11. Teorias de Ensino SÓCIO-INTERACIONISMO Lev Vygotsky (1896 – 1934) Para Vygotsky a formação se dá numa relação dialética entre o sujeito e a sociedade – o homem modifica o ambiente e o ambiente modifica o homem. Por exemplo, uma criança pode nascer com condições fisiológicas de falar, mas para desenvolver a fala precisa aprender com os outros. Portanto, o que ele foca é a interação. Segundo Vygotsky, todo aprendizado é necessariamente mediado – e isso torna o papel do ensino e do professor mais ativo do que o previsto por Piaget. O aprendizado não se subordina ao desenvolvimento das estruturas intelectuais, mas um se alimenta do outro, provocando saltos qualitativos de conhecimento. Palavra-chave : mediação Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 12. Teorias de Ensino SÓCIO-INTERACIONISMO Conceitos básicos: MEDIAÇÃO: Nenhum conhecimento é construído pela pessoa sozinha, mas sim em parceria com as outras. ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL (ZDP): distância entre o nível de desenvolvimento real e o nível de desenvolvimento potencial, ou entre “o ser e o tornar-se”. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 13. Teorias de Ensino SÓCIO-INTERACIONISMO Papel do professor: atua como mediador entre o aluno, os conhecimentos que este possui e o mundo. Como se aprende : observando o meio, entrando em contato com o que já foi descoberto e organizando o conhecimento junto com os outros (professor e turma). Onde está o foco : na interação. É na relação aluno-professor e aluno-aluno que se produz conhecimento. Que tipo de indivíduo espera-se formar: pessoas cooperativas, que tenham compromisso com o mundo e com o outro, que saibam tanto expor suas idéias quanto ouvir. Gente que não necessariamente terá um conhecimento enciclopédico, mas que saberá como procurar as informações que lhe fazem falta. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 14. Teorias de Ensino DIFERENÇAS ENTRE VYGOTSKY E PIAGET: Influência da cultura: O fator cultural , básico para Vygotsky, e pouco enfatizado por Piaget, é a diferença central entre os dois teóricos. Aprendizagem X desenvolvimento mental: Para Vygotsky, a aprendizagem acontece antes do desenvolvimento mental (incentiva a conquista de novas aquisições sem esperar a maturação “mecânica”). São as relações sociais que dão ao indivíduo instrumentos para ativar os processos internos que favorecem o desenvolvimento e constituem a psicologia da criança desde o começo. Piaget, ao contrário, defende que é o desenvolvimento progressivo das estruturas intelectuais que nos torna capazes de aprender. As relações sociais são secundárias à natureza biológica. Profª Drª Adriana Clementino - 2007
  • 15. Teorias de Ensino Profª Drª Adriana Clementino - 2007 Aulas expositivas; Desenvolvimento de mapas conceituais. “ Ampliação” da estrutura cognitiva, através da incorporação de novas idéias a ela. Determina a estrutura conceitual e proposicional do conteúdo. Autônomo; Filtra os mate-riais que têm significado para si. Cognitivismo Referencial histórico-social; Trabalho com projetos. Interiorização gradual de atos externos e suas transformações em ações mentais . Mediador; Parceiro; Realiza o elo entre a ZDR e ZDP do aluno. Interativo; Responsável pelo aprendizado Socio-interacio-nismo Experiências, pesquisas e solução de problemas. Interação sujeito/objeto; Construtivismo seqüencial (níveis); Relação direta com o desenvolvimento. Mentor; Favorecedor dos processos de descobrimento autônomo de conceitos. Ativo Construtivismo Entrega de conteúdos; Instrução programada. Influenciada por fatores biológicos de conduta (estímulo-resposta) Repassador do conhecimento (verdades absolutas). Passivo Comporta-mentalismo Método Aprendizagem Professor Aluno