SlideShare uma empresa Scribd logo
Idade Moderna
Immanuel Kant
(22/04/1724 – 12/02/1804)
Konigsberg (antiga Prússia,
hoje parte da Rússia)
Prof. João Paulo Rodrigues

RAZÃO EXPERIÊNCIA
PLATÃO ARISTÓTELES
SANTO AGOSTINHO TOMÁS DE AQUINO
DESCARTES
RACIONALISMO
LOCKE/BACON/HUME
EMPIRISMO
Bipolarização da Epistemologia
 Assim como Copérnico tirou a Terra do centro do universo,
Kant vai fazer uma revolução na maneira de pensar.
 Quebra da bipolarização entre racionalismo e empirismo.
Immanuel Kant
COPÉRNICO KANT HUME

“Sustenta que a origem do conhecimento humano está na
sensibilidade e no entendimento. A primeira intui os objetos,
dando-os ao segundo, mediante o qual são efetivamente
pensados” (GARCIA; VELOSO, 2007, p. 96).
Kant supera o racionalismo (sujeito fonte do conhecimento)
e o empirismo (objeto fonte do conhecimento).
 CONHECIMENTO = síntese entre experiência sensível
(empirismo) e entendimento racional (racionalismo).
CRITICISMO

 Síntese (fruto/relação) entre sujeito e objeto.
Sujeito Pensante  Objeto Pensado
João Calor
Constrói as razões Sensibilidade (aquece)
Atribui juízo ao objeto Não atribui juízo ao sujeito
CONHECIMENTO:

 “A capacidade de receber representações
(receptividade), graças à maneira como somos
afetados pelos objetos, denomina-se sensibilidade.
Por intermédio, pois, da sensibilidade são-nos dados
objetos e só ela nos fornece intuições; mas é o
entendimento que pensa esses objetos e é dele que
provêm os conceitos” (KANT, 2001, p. 87).
CONHECIMENTO

 Através da capacidade de situar o objeto no tempo e
no espaço.
 “Há duas formas puras da intuição sensível, como
princípios do conhecimento a priori, a saber: o
espaço e o tempo” (KANT, 2001, p. 89).
 TEMPO e ESPAÇO são condições necessárias de
possibilidade do conhecimento.
Como é possível
conhecer?

 Sem o tempo, você não poderia dizer se está
vendo-o ontem, hoje ou amanhã e não pode dizer
em qual momento o João existe.
 Sem o espaço, você veria o João em todos os
lugares, ele seria deformado, não teria tamanho
exato, nem forma.
Como você vê o João
sem o tempo e o
espaço?
 Tempo: organiza interiormente o objeto.
 Espaço: organiza exteriormente o objeto.
 Tudo que sentimos (sensações) é organizado por
estas duas condições.
Tempo e Espaço

 Podemos conhecer o fenômeno do objeto, ou seja,
aquilo que aparece, e não o noumeno (do grego:
aquilo que é de fato).
 Exemplo: dentro de um carro com insufilme, vemos
o exterior escuro, opaco. É o objeto que nossos
sentidos conseguem construir. Porém, obviamente lá
fora é mais claro.
Tempo e Espaço

 “O efeito de um objeto sobre a capacidade
representativa, na medida em que por ele somos
afetados, é a sensação. A intuição que se relaciona
com o objeto, por meio de sensação, chama-se
empírica. O objeto indeterminado de uma intuição
empírica chama-se fenômeno” (KANT, 2001, p. 87).
Fenômeno e Noumeno

Porque o conhecimento pode ser extraído a partir dos:
 Juízos analíticos a priori (antes da experiência).
 Juízos sintéticos a posteriori (depois da experiência).
 Juízos sintéticos a priori.
Mas isso é um conteúdo para a próxima aula.
Por quê?

MUITO OBRIGADO!
Referências Bibliográficas:
GARCIA, José Roberto; VELOSO, Valdecir da Conceição. Eureka:
construindo cidadãos reflexivos. 3ª edição. Florianópolis: Sophos, 2011.
KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. Tradução de Manuela Pinto dos
Santos e Alexandre Fradique Morujão. 5ª edição. Lisboa: Fundação Calouste
Gulbenkian, 2001.
Prof. João Paulo Rodrigues
E-mail: j.p_rodrigues@hotmail.com

 Com base no conteúdo aqui apresentado, responda:
1) Explique como Kant superou o empirismo e o racionalismo.
2) Qual é a relação entre sujeito e objeto, segundo Kant?
3) Como Kant entende o tempo e o espaço e qual é a
importância de tais conceitos para se alcançar o
conhecimento?
Avaliação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
Portal do Vestibulando
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesAula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Leandro Nazareth Souto
 
Sartre
SartreSartre
Filosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia ModernaFilosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia Moderna
Diego Bian Filo Moreira
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Leandro Nazareth Souto
 
Aula 21 filosofia da ciência
Aula 21   filosofia da ciênciaAula 21   filosofia da ciência
Aula 21 filosofia da ciência
professorleo1989
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
Juliana Corvino de Araújo
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
Erica Frau
 
Filosofia e Mito
Filosofia e MitoFilosofia e Mito
Filosofia e Mito
BandeiradeMello
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
Erica Frau
 
Alienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoAlienação e-trabalho
Alienação e-trabalho
Edirlene Fraga
 
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoA Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
Abraão Carvalho
 
Filosofia analitica
Filosofia analiticaFilosofia analitica
Filosofia analitica
Vanessa Nogueira
 
A atitude filosófica
A atitude filosóficaA atitude filosófica
A atitude filosófica
Raquel Reino
 
Aulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platãoAulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platão
Péricles Penuel
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
Munis Pedro
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
Italo Colares
 
Empirismo
EmpirismoEmpirismo
Empirismo
Joel Nóbrega
 
Patristica e escolastica
Patristica e escolasticaPatristica e escolastica
Patristica e escolastica
Over Lane
 
Ética Aristóteles
Ética AristótelesÉtica Aristóteles
Ética Aristóteles
João Paulo Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesAula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
 
Sartre
SartreSartre
Sartre
 
Filosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia ModernaFilosofia 05- Filosofia Moderna
Filosofia 05- Filosofia Moderna
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
 
Aula 21 filosofia da ciência
Aula 21   filosofia da ciênciaAula 21   filosofia da ciência
Aula 21 filosofia da ciência
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
 
Filosofia e Mito
Filosofia e MitoFilosofia e Mito
Filosofia e Mito
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
 
Alienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoAlienação e-trabalho
Alienação e-trabalho
 
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoA Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
 
Filosofia analitica
Filosofia analiticaFilosofia analitica
Filosofia analitica
 
A atitude filosófica
A atitude filosóficaA atitude filosófica
A atitude filosófica
 
Aulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platãoAulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platão
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
Empirismo
EmpirismoEmpirismo
Empirismo
 
Patristica e escolastica
Patristica e escolasticaPatristica e escolastica
Patristica e escolastica
 
Ética Aristóteles
Ética AristótelesÉtica Aristóteles
Ética Aristóteles
 

Semelhante a Teoria do conhecimento kant

Apriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mpApriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mp
Alexandre Misturini
 
Apriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mpApriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mp
Alexandre Misturini
 
O Universo Autoconsciente - palestra sobre o livro
O Universo Autoconsciente - palestra sobre o livroO Universo Autoconsciente - palestra sobre o livro
O Universo Autoconsciente - palestra sobre o livro
Julio Machado
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Resumofilo4
Resumofilo4Resumofilo4
Resumofilo4
Natan Camacho
 
Kant (1) copia
Kant (1)   copiaKant (1)   copia
Kant (1) copia
ssusere732c3
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
William Ananias
 
Fenomenologia de Husserl
Fenomenologia de HusserlFenomenologia de Husserl
Fenomenologia de Husserl
profadnilson
 
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICAFILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
AurelianoFerreirades2
 
Ficha 3 ano filosofia
Ficha 3 ano filosofiaFicha 3 ano filosofia
Ficha 3 ano filosofia
Ricardo Caponi
 
Epistemologia kant pdf
Epistemologia kant   pdfEpistemologia kant   pdf
Epistemologia kant pdf
firminomaissociologiafilosofia2019
 
Do mito a ciência verônica 11 mp
Do mito a ciência verônica 11 mpDo mito a ciência verônica 11 mp
Do mito a ciência verônica 11 mp
alemisturini
 
Ontologias1 2014
Ontologias1 2014Ontologias1 2014
Ontologias1 2014
Caio Cesar
 
Francis bacon
Francis baconFrancis bacon
1 ano razao empirismo
1 ano razao empirismo1 ano razao empirismo
1 ano razao empirismo
Sandra Wirthmann
 
Slide Filosofia 1º ano.pdf
Slide Filosofia 1º ano.pdfSlide Filosofia 1º ano.pdf
Slide Filosofia 1º ano.pdf
Paulo Ricardo
 
Slides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdf
Slides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdfSlides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdf
Slides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdf
Natan Baptista
 
5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide
Erica Frau
 
Hume descartes e_locke
Hume descartes e_lockeHume descartes e_locke
Hume descartes e_locke
Colégio Talles de Mileto
 
Kant_introducao_e_epistemologia.ppt
Kant_introducao_e_epistemologia.pptKant_introducao_e_epistemologia.ppt
Kant_introducao_e_epistemologia.ppt
ELIANAPEREIRA93
 

Semelhante a Teoria do conhecimento kant (20)

Apriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mpApriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mp
 
Apriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mpApriorismo kantiano 1 23 mp
Apriorismo kantiano 1 23 mp
 
O Universo Autoconsciente - palestra sobre o livro
O Universo Autoconsciente - palestra sobre o livroO Universo Autoconsciente - palestra sobre o livro
O Universo Autoconsciente - palestra sobre o livro
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
 
Resumofilo4
Resumofilo4Resumofilo4
Resumofilo4
 
Kant (1) copia
Kant (1)   copiaKant (1)   copia
Kant (1) copia
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
 
Fenomenologia de Husserl
Fenomenologia de HusserlFenomenologia de Husserl
Fenomenologia de Husserl
 
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICAFILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
FILOSOFIA EMPIRISMO MÉTODO DE ANÁLISE FILOSÓFICA
 
Ficha 3 ano filosofia
Ficha 3 ano filosofiaFicha 3 ano filosofia
Ficha 3 ano filosofia
 
Epistemologia kant pdf
Epistemologia kant   pdfEpistemologia kant   pdf
Epistemologia kant pdf
 
Do mito a ciência verônica 11 mp
Do mito a ciência verônica 11 mpDo mito a ciência verônica 11 mp
Do mito a ciência verônica 11 mp
 
Ontologias1 2014
Ontologias1 2014Ontologias1 2014
Ontologias1 2014
 
Francis bacon
Francis baconFrancis bacon
Francis bacon
 
1 ano razao empirismo
1 ano razao empirismo1 ano razao empirismo
1 ano razao empirismo
 
Slide Filosofia 1º ano.pdf
Slide Filosofia 1º ano.pdfSlide Filosofia 1º ano.pdf
Slide Filosofia 1º ano.pdf
 
Slides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdf
Slides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdfSlides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdf
Slides - Aula 04 - Síntese Kantiana.pdf
 
5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide5 criticismo kantiano slide
5 criticismo kantiano slide
 
Hume descartes e_locke
Hume descartes e_lockeHume descartes e_locke
Hume descartes e_locke
 
Kant_introducao_e_epistemologia.ppt
Kant_introducao_e_epistemologia.pptKant_introducao_e_epistemologia.ppt
Kant_introducao_e_epistemologia.ppt
 

Mais de João Paulo Rodrigues

Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
João Paulo Rodrigues
 
Introduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglêsIntroduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglês
João Paulo Rodrigues
 
Liberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de EspinosaLiberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de Espinosa
João Paulo Rodrigues
 
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadoraOlimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
João Paulo Rodrigues
 
Heráclito e Parmênides
Heráclito e ParmênidesHeráclito e Parmênides
Heráclito e Parmênides
João Paulo Rodrigues
 
Métodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind labMétodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind lab
João Paulo Rodrigues
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
João Paulo Rodrigues
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
João Paulo Rodrigues
 
ética e moral introdução
ética e moral introdução ética e moral introdução
ética e moral introdução
João Paulo Rodrigues
 
Epistemologia introdução
Epistemologia   introduçãoEpistemologia   introdução
Epistemologia introdução
João Paulo Rodrigues
 
Do mito ao logos
Do mito ao logosDo mito ao logos
Do mito ao logos
João Paulo Rodrigues
 
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e EstoicismoAs escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
João Paulo Rodrigues
 

Mais de João Paulo Rodrigues (12)

Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
 
Introduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglêsIntroduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglês
 
Liberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de EspinosaLiberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de Espinosa
 
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadoraOlimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
 
Heráclito e Parmênides
Heráclito e ParmênidesHeráclito e Parmênides
Heráclito e Parmênides
 
Métodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind labMétodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind lab
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
 
ética e moral introdução
ética e moral introdução ética e moral introdução
ética e moral introdução
 
Epistemologia introdução
Epistemologia   introduçãoEpistemologia   introdução
Epistemologia introdução
 
Do mito ao logos
Do mito ao logosDo mito ao logos
Do mito ao logos
 
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e EstoicismoAs escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
 

Último

Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 

Último (20)

Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 

Teoria do conhecimento kant

  • 1. Idade Moderna Immanuel Kant (22/04/1724 – 12/02/1804) Konigsberg (antiga Prússia, hoje parte da Rússia) Prof. João Paulo Rodrigues
  • 2.  RAZÃO EXPERIÊNCIA PLATÃO ARISTÓTELES SANTO AGOSTINHO TOMÁS DE AQUINO DESCARTES RACIONALISMO LOCKE/BACON/HUME EMPIRISMO Bipolarização da Epistemologia
  • 3.  Assim como Copérnico tirou a Terra do centro do universo, Kant vai fazer uma revolução na maneira de pensar.  Quebra da bipolarização entre racionalismo e empirismo. Immanuel Kant COPÉRNICO KANT HUME
  • 4.  “Sustenta que a origem do conhecimento humano está na sensibilidade e no entendimento. A primeira intui os objetos, dando-os ao segundo, mediante o qual são efetivamente pensados” (GARCIA; VELOSO, 2007, p. 96). Kant supera o racionalismo (sujeito fonte do conhecimento) e o empirismo (objeto fonte do conhecimento).  CONHECIMENTO = síntese entre experiência sensível (empirismo) e entendimento racional (racionalismo). CRITICISMO
  • 5.   Síntese (fruto/relação) entre sujeito e objeto. Sujeito Pensante  Objeto Pensado João Calor Constrói as razões Sensibilidade (aquece) Atribui juízo ao objeto Não atribui juízo ao sujeito CONHECIMENTO:
  • 6.   “A capacidade de receber representações (receptividade), graças à maneira como somos afetados pelos objetos, denomina-se sensibilidade. Por intermédio, pois, da sensibilidade são-nos dados objetos e só ela nos fornece intuições; mas é o entendimento que pensa esses objetos e é dele que provêm os conceitos” (KANT, 2001, p. 87). CONHECIMENTO
  • 7.   Através da capacidade de situar o objeto no tempo e no espaço.  “Há duas formas puras da intuição sensível, como princípios do conhecimento a priori, a saber: o espaço e o tempo” (KANT, 2001, p. 89).  TEMPO e ESPAÇO são condições necessárias de possibilidade do conhecimento. Como é possível conhecer?
  • 8.   Sem o tempo, você não poderia dizer se está vendo-o ontem, hoje ou amanhã e não pode dizer em qual momento o João existe.  Sem o espaço, você veria o João em todos os lugares, ele seria deformado, não teria tamanho exato, nem forma. Como você vê o João sem o tempo e o espaço?
  • 9.  Tempo: organiza interiormente o objeto.  Espaço: organiza exteriormente o objeto.  Tudo que sentimos (sensações) é organizado por estas duas condições. Tempo e Espaço
  • 10.   Podemos conhecer o fenômeno do objeto, ou seja, aquilo que aparece, e não o noumeno (do grego: aquilo que é de fato).  Exemplo: dentro de um carro com insufilme, vemos o exterior escuro, opaco. É o objeto que nossos sentidos conseguem construir. Porém, obviamente lá fora é mais claro. Tempo e Espaço
  • 11.   “O efeito de um objeto sobre a capacidade representativa, na medida em que por ele somos afetados, é a sensação. A intuição que se relaciona com o objeto, por meio de sensação, chama-se empírica. O objeto indeterminado de uma intuição empírica chama-se fenômeno” (KANT, 2001, p. 87). Fenômeno e Noumeno
  • 12.  Porque o conhecimento pode ser extraído a partir dos:  Juízos analíticos a priori (antes da experiência).  Juízos sintéticos a posteriori (depois da experiência).  Juízos sintéticos a priori. Mas isso é um conteúdo para a próxima aula. Por quê?
  • 13.  MUITO OBRIGADO! Referências Bibliográficas: GARCIA, José Roberto; VELOSO, Valdecir da Conceição. Eureka: construindo cidadãos reflexivos. 3ª edição. Florianópolis: Sophos, 2011. KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. Tradução de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. 5ª edição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001. Prof. João Paulo Rodrigues E-mail: j.p_rodrigues@hotmail.com
  • 14.   Com base no conteúdo aqui apresentado, responda: 1) Explique como Kant superou o empirismo e o racionalismo. 2) Qual é a relação entre sujeito e objeto, segundo Kant? 3) Como Kant entende o tempo e o espaço e qual é a importância de tais conceitos para se alcançar o conhecimento? Avaliação