SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Ética Aristotélica
A finalidade (telos) última que todo ser humano
busca é a felicidade (eudaimonia). - Aristóteles
Assim, para um sapateiro, fazer os melhores
sapatos é a sua finalidade. Isso seria uma
finalidade particular, pois existe uma finalidade
última que buscamos com essas ações.
A Felicidade.
A ética de Aristóteles é:
Eudemonista (eudaimonia = felicidade)
Teleológica (porque tende a um fim = telos)
Para uns, são bens terrenos, honras, fama,
prazer, etc.
Para Aristóteles, a felicidade é a vida
contemplativa e intelectual que desenvolve no
homem um desejo permanente de fazer o bem
a si mesmo e aos que o cercam.
A felicidade é racional.
Assim o homem será sábio e feliz.
A busca por outras coisas pode nos aproximar
da felicidade, mas não é garantia alguma de
que isso acontecerá de fato.
É a vida racional que dá a garantia de ser feliz.
VIRTUDE
Diferente de Platão, Aristóteles não acredita
que a virtude seja algo inato no ser humano,
pois assim todos seriam virtuosos.
Não é porque sabemos o que é certo que o
fazemos sempre, e mesmo sabendo a
importância de sermos equilibrados em tudo,
em boa parte de nossas ações não o somos.
Virtude: disposição da alma, uma vontade
que temos de ser virtuosos.
O homem pode adquirir a virtude através da
prática da vida contemplativa e intelectual e da
educação.
Para Aristóteles, a virtude é uma mediania, isto
é, um nível intermediário entre a falta e o
excesso.
Ser virtuoso é ser equilibrado em todas as
situações.
VÍCIO=
COVARDIA
EXCESSO=
TEMERIDADE
VIRTUDE=
CORAGEM
JUSTIÇA DISTRIBUTIVA – ARISTÓTELES
Para saber se um ato é justo ou não, é necessário
saber da intenção do sujeito que o praticou.
Se houve um querer ou não
Devemos censurar mais os atos voluntários que os
involuntários.
JUSTIÇA DISTRIBUTIVA –
ARISTÓTELES
Exemplo (direito atual):
Ação culposa = aquela que o sujeito tem culpa,
mas não o fez por querer.
Ação dolosa = aquela que foi planejada, ou que
o sujeito sabia antecipadamente da
possibilidade de ocorrência.
Esses são princípios aristotélicos.
JUSTIÇA DISTRIBUTIVA –
ARISTÓTELES
Justiça como equidade distributiva
Tratar os iguais como iguais e os desiguais
como desiguais.
Dar a cada particular aquilo que lhe é devido.
Não se deve tratar a todos como iguais se as
pessoas são diferentes, umas tem mais
méritos, outras menos, umas tem mais
capacidades e esforços, outras menos.
JUSTIÇA COMO ATO VOLUNTÁRIO
Uma pessoa só pode ser considerada justa ou
injusta se cometer atos de forma voluntária e
consciente.
Ex: meu carro atropela alguém acidentalmente.
Não pode ser considerado justo nem injusto
pois não houve “vontade” de realizar o ato.
Ato de forma voluntária, então a pessoa e o ato
serão injustos e devem ser censurados.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Aulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platãoAulas de filosofia platão
Aulas de filosofia platão
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
O surgimento da filosofia
O surgimento da filosofiaO surgimento da filosofia
O surgimento da filosofia
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 
Mito e filosofia
Mito e filosofiaMito e filosofia
Mito e filosofia
 
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul SartreFilosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
 
Metafísica em aristóteles
Metafísica em aristótelesMetafísica em aristóteles
Metafísica em aristóteles
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Pré socráticos
Pré socráticosPré socráticos
Pré socráticos
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesAula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
 
Os Sofistas
Os SofistasOs Sofistas
Os Sofistas
 
1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica
 
O QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELES
O QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELESO QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELES
O QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELES
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
 
Felicidade 2018
Felicidade 2018Felicidade 2018
Felicidade 2018
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 

Destaque

Filosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesFilosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesMarcos Goulart
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasItalo Colares
 
Filosofia aristóteles
Filosofia   aristótelesFilosofia   aristóteles
Filosofia aristótelesFelipe Rocha
 
A teoria platónica das ideias
A teoria platónica das ideiasA teoria platónica das ideias
A teoria platónica das ideiasJorge Barbosa
 
Seminário sobre Aristóteles
Seminário sobre Aristóteles Seminário sobre Aristóteles
Seminário sobre Aristóteles Wesley Freitas
 
Direitos Dos Professores
Direitos Dos ProfessoresDireitos Dos Professores
Direitos Dos ProfessoresMira Carvalh
 
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNOFUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNOCursos Profissionalizantes
 
A política na filosofia de aristóteles
A política na filosofia de aristótelesA política na filosofia de aristóteles
A política na filosofia de aristótelesGabriel Juc Dias
 
Platão
PlatãoPlatão
Platãorafael
 
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : éticaIntrodução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : éticaEugenio Hansen, OFS
 
Introdução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - AristótelesIntrodução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - AristótelesDiego Sampaio
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1manoeel
 
Dinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicas
Dinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicasDinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicas
Dinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicasVinicius O Resiliente
 

Destaque (20)

Apresentação aristóteles
Apresentação aristótelesApresentação aristóteles
Apresentação aristóteles
 
Filosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesFilosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e Aristóteles
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
éTica aristotélica
éTica  aristotélicaéTica  aristotélica
éTica aristotélica
 
Filosofia aristóteles
Filosofia   aristótelesFilosofia   aristóteles
Filosofia aristóteles
 
A teoria platónica das ideias
A teoria platónica das ideiasA teoria platónica das ideias
A teoria platónica das ideias
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 
Seminário sobre Aristóteles
Seminário sobre Aristóteles Seminário sobre Aristóteles
Seminário sobre Aristóteles
 
Direitos Dos Professores
Direitos Dos ProfessoresDireitos Dos Professores
Direitos Dos Professores
 
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNOFUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
 
A política na filosofia de aristóteles
A política na filosofia de aristótelesA política na filosofia de aristóteles
A política na filosofia de aristóteles
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 
Platão e Aristóteles
Platão e AristótelesPlatão e Aristóteles
Platão e Aristóteles
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Etica aristotélica
Etica aristotélicaEtica aristotélica
Etica aristotélica
 
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : éticaIntrodução ao pensamento de Aristóteles : ética
Introdução ao pensamento de Aristóteles : ética
 
Introdução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - AristótelesIntrodução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - Aristóteles
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Dinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicas
Dinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicasDinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicas
Dinamicas para oi nicio das aulas atividades ludicas
 

Semelhante a Ética Aristóteles (20)

ética da felicidade em Aristoteles.pdf
ética da felicidade em Aristoteles.pdfética da felicidade em Aristoteles.pdf
ética da felicidade em Aristoteles.pdf
 
Filosofia, comunicação e ética unip
Filosofia, comunicação e ética unipFilosofia, comunicação e ética unip
Filosofia, comunicação e ética unip
 
Etica aula 3
Etica aula 3Etica aula 3
Etica aula 3
 
Eudaimonia segundo aristóteles
Eudaimonia segundo aristótelesEudaimonia segundo aristóteles
Eudaimonia segundo aristóteles
 
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
 
Ética e moral 2020
Ética e moral 2020Ética e moral 2020
Ética e moral 2020
 
Ética e Moral
Ética e MoralÉtica e Moral
Ética e Moral
 
Como viver para ser feliz
Como viver para ser felizComo viver para ser feliz
Como viver para ser feliz
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof ClóvisResumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
 
Fil kant
Fil kantFil kant
Fil kant
 
Platão Sociedade Grega
Platão Sociedade GregaPlatão Sociedade Grega
Platão Sociedade Grega
 
Etica em aristotteles
Etica em aristottelesEtica em aristotteles
Etica em aristotteles
 
Ética a Nicômaco
Ética a NicômacoÉtica a Nicômaco
Ética a Nicômaco
 
A ética em aristóteles
A ética em aristótelesA ética em aristóteles
A ética em aristóteles
 
Ptgv 04
Ptgv 04Ptgv 04
Ptgv 04
 
PeríOdo SistemáTico AristóTeles
PeríOdo SistemáTico AristóTelesPeríOdo SistemáTico AristóTeles
PeríOdo SistemáTico AristóTeles
 
Ética
Ética Ética
Ética
 
CONCEITOS DE ÉTICA
CONCEITOS DE ÉTICACONCEITOS DE ÉTICA
CONCEITOS DE ÉTICA
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 

Mais de João Paulo Rodrigues

Mais de João Paulo Rodrigues (12)

Teoria do conhecimento kant
Teoria do conhecimento   kantTeoria do conhecimento   kant
Teoria do conhecimento kant
 
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
 
Introduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglêsIntroduction to philosophy português-inglês
Introduction to philosophy português-inglês
 
Liberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de EspinosaLiberdade em Baruch de Espinosa
Liberdade em Baruch de Espinosa
 
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadoraOlimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
Olimpíadas de raciocínio Mind Lab MenteInovadora
 
Heráclito e Parmênides
Heráclito e ParmênidesHeráclito e Parmênides
Heráclito e Parmênides
 
Métodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind labMétodos metacognitivos mind lab
Métodos metacognitivos mind lab
 
Ética Platão
Ética PlatãoÉtica Platão
Ética Platão
 
ética e moral introdução
ética e moral introdução ética e moral introdução
ética e moral introdução
 
Epistemologia introdução
Epistemologia   introduçãoEpistemologia   introdução
Epistemologia introdução
 
Do mito ao logos
Do mito ao logosDo mito ao logos
Do mito ao logos
 
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e EstoicismoAs escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
As escolas helenistas - Epicurismo e Estoicismo
 

Último

Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Aula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaAula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaJulianeNassaralla1
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxOrações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxKtiaOliveira68
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do séculoSistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do séculoBiblioteca UCS
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 

Último (20)

Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Aula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaAula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemática
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
 
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxOrações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do séculoSistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do século
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 

Ética Aristóteles

  • 1. Ética Aristotélica A finalidade (telos) última que todo ser humano busca é a felicidade (eudaimonia). - Aristóteles
  • 2. Assim, para um sapateiro, fazer os melhores sapatos é a sua finalidade. Isso seria uma finalidade particular, pois existe uma finalidade última que buscamos com essas ações.
  • 4. A ética de Aristóteles é: Eudemonista (eudaimonia = felicidade) Teleológica (porque tende a um fim = telos)
  • 5.
  • 6. Para uns, são bens terrenos, honras, fama, prazer, etc.
  • 7. Para Aristóteles, a felicidade é a vida contemplativa e intelectual que desenvolve no homem um desejo permanente de fazer o bem a si mesmo e aos que o cercam. A felicidade é racional.
  • 8. Assim o homem será sábio e feliz. A busca por outras coisas pode nos aproximar da felicidade, mas não é garantia alguma de que isso acontecerá de fato. É a vida racional que dá a garantia de ser feliz.
  • 9. VIRTUDE Diferente de Platão, Aristóteles não acredita que a virtude seja algo inato no ser humano, pois assim todos seriam virtuosos.
  • 10. Não é porque sabemos o que é certo que o fazemos sempre, e mesmo sabendo a importância de sermos equilibrados em tudo, em boa parte de nossas ações não o somos. Virtude: disposição da alma, uma vontade que temos de ser virtuosos.
  • 11. O homem pode adquirir a virtude através da prática da vida contemplativa e intelectual e da educação. Para Aristóteles, a virtude é uma mediania, isto é, um nível intermediário entre a falta e o excesso. Ser virtuoso é ser equilibrado em todas as situações.
  • 15. JUSTIÇA DISTRIBUTIVA – ARISTÓTELES Para saber se um ato é justo ou não, é necessário saber da intenção do sujeito que o praticou. Se houve um querer ou não Devemos censurar mais os atos voluntários que os involuntários.
  • 16. JUSTIÇA DISTRIBUTIVA – ARISTÓTELES Exemplo (direito atual): Ação culposa = aquela que o sujeito tem culpa, mas não o fez por querer. Ação dolosa = aquela que foi planejada, ou que o sujeito sabia antecipadamente da possibilidade de ocorrência. Esses são princípios aristotélicos.
  • 17. JUSTIÇA DISTRIBUTIVA – ARISTÓTELES Justiça como equidade distributiva Tratar os iguais como iguais e os desiguais como desiguais. Dar a cada particular aquilo que lhe é devido. Não se deve tratar a todos como iguais se as pessoas são diferentes, umas tem mais méritos, outras menos, umas tem mais capacidades e esforços, outras menos.
  • 18. JUSTIÇA COMO ATO VOLUNTÁRIO Uma pessoa só pode ser considerada justa ou injusta se cometer atos de forma voluntária e consciente. Ex: meu carro atropela alguém acidentalmente. Não pode ser considerado justo nem injusto pois não houve “vontade” de realizar o ato. Ato de forma voluntária, então a pessoa e o ato serão injustos e devem ser censurados.