SlideShare uma empresa Scribd logo
Os Lusíadas
Narrativaépicaque faz umaleituramíticada Históriade Portugal.Emestiloelevado,cantaumaação heróica
passadae analisaosacontecimentosfuturos,cujavisãoosdeusessãocapazesde antecipar.
 Herói coletivo- o povo português, osseusfeitosgloriosose acontecimentos históricosmais
significativos;
 Epopeiado iníciodo Império(séculosXVI,1572) - narrativa emverso,com característicasclássicasa
nível da estruturae do estilo,que narraos feitosgrandiososde umherói com interesse paratodaa
Humanidade;
1) Proposição: poeta propõe-se a exaltar os feitos dos portugueses;
2) Invocação: poeta pede ajuda às ninfas;
3) Dedicatória: poeta dedica a sua obra a D. Sebastião;
4) Narração: poeta relata a descoberta do caminho marítimo para a Índia pelos navegadores
portugueses liderados por Vasco da Gama
 Fontesliterárias:“Odisseia”de Homeroe “Eneida”de Virgílio
 Sebastianismoinicial - exaltaçãode D.Sebastião,paraquemse anunciaum destinoglorioso;
 A recompensa- os heróistêmacessoàIlha dosAmores,prémiosimbólicodaheroicidade
conquistada;
 o tom didáticodopoemapresente nasreflexõesdoPoeta:
1) a efemeridade davidae os limitesdacondiçãohumana
2) a crítica ao menosprezodasArtese dasLetras
3) o valorda virtude e da honra conseguidasporméritopróprio
4) a ingratidãoda Pátriaque,nãoreconhecendooméritodoPoeta,inviabilizaoaparecimentode
futurosescritores
5) a denúnciadoefeitocorruptordodinheiro
6) a confiançanas capacidadeshumanasparaatingira verdadeiravirtude
Traduz as façanhase o espíritodopovoportuguês(capazde trazer ao conhecimentodaEuropae da
Humanidade povosdesconhecidos,lugaresignoradose inóspitose oscaminhosmarítimosparaligaros cinco
continentes). OsLusíadasnãocontam apenasa viagemmarítimae a Históriaportuguesa,masrevelam
também,oespíritodo homemdaRenascençaque acreditana experiênciae narazão.A Ilhados Amoresé,
no fimda obra,o símboloda capacidade dosPortuguesesnaexploraçãodosmares,graçasàs experiências
marítimase ao seuespíritode aventura,masigualmente,àsuavontade indómitade conhecere estabelecer
harmoniano planeta,aproximandooOriente e oOcidente.
O poetapretende conceder,atravésdestaobra,odireitoà imortalidadedosnautasportuguesespelosseus
feitoshistóricos.
Estrutura externa:
 10 cantos; Oitavas; Versos decassilábicos; Esquema rimático: ABABABCC
 4 Planos: do poeta; da viagem; da mitologia; da história de Portugal
Estrutura interna
Introdução
 Proposição
 Invocaçãoàs Tágides,a Calíope,àsninfasdoTejoe do Mondego e de novoa Calíope
 DedicatóriaaD. Sebastião
Desenvolvimento
 A viagem;Osdeuses/Omitológico - açãocentral (narrada pelopoetaemalternância)
 A Históriade Portugal - ação secundária(encaixadanaViageme narradapor Vascoda Gama/Paulo
Gama) - Discursosque relatamepisódiospassadosrelativamente ao cursoda viagem
 Consideraçõesdopoeta- (normalmente nofinal de cadacanto)
Plano da viagem: constitui aação central relacionadacoma descobertadocaminhomarítimopara a Índia,
chefiadaporVascoda Gama.
Plano mitológico:intervençõesdosdeusesdoOlimponaviagem, emalternânciacoma ação principal.
O destinoprofético:
 Profeciasde Júpiter(cantosIe II)
 ProfeciasnoConsíliodosDeusesmarítimos (c.VI)
 ProfeciasnaIlhados Amores (c.X)
O destinoprofético (entre ovividoe oimaginário):
 SonhoProféticode D.Manuel (c. IV)
 Maldiçãodo Adamastor(c. V)
Génerolírico:
 a fragilidade davidahumana(c.I)
 as lamentaçõesdopoeta- face aos que desprezamapoesia(c.V)
 o valorda glória(c. VI) e o poderdo ouro (c.VIII)
 a exortaçãoaos que aspiramà imortalidade (c.IX),aorei e às futurasglórias(c. X)
 a crítica à sociedade doseutempo - materialismo,corrupção,injustiça...
Plano da História de Portugal: encaixadonoplanodaviagem.
Plano das reflexõesdopoeta: consideraçõesde Camões,normalmentenofinal de cadacanto,fazendo
váriascríticas (nomeadamenteàignorância,desprezopelacultura,ambiçãodesmensurada,podertirânico,
hipocrisia,exploraçãodospobres,podercorruptodoouro),e defendendoummodelode homemideal que
ganhará o direitoaser recebidonaIlhade Vénus.
Episódios
Episódio- é uma pequenanarrativa,comintrodução,desenvolvimentoe conclusão,que se relaciona
diretamente comatrama principal,contribuindoparaenriquecê-laouaté mesmoexplicá-la.
Surgeminseridosnanarrativacentral comoformade embelezarotexto,quebraramonotonia,dar
dinamismoe enriqueceraobra.
1) EpisódiosMitológicos
 ConsíliodosDeusesno Olimpo – os deusesreúnem-senoOlimpoparadecidirodestinodos
portugueses.
 Pedidode Vénusa Júpiter– Vénusintercede juntode Júpiter,a favordosportugueses.
 ConsíliodosDeusesmarinhos – Baco consegue convencerosdeusesmarinhosaprovocaremuma
tempestade paraafundara armada portuguesa.
 Váriasintervençõesde Vénuse Baco
2) EpisódiosBélicos
 Batalha de Ourique – relatohistóricodaBatalha de Ourique,travadacontraos mouros,durante o
reinadode D. AfonsoHenriques.
 Batalha do Salado – D. AfonsoIV intercedeafavorde Castela,que haviasidoinvadidapelosMouros.
 Batalha de Aljubarrota – Batalha travadacontra o Rei de Castela, que pretendiatomaroreino
português.Portugal sai vencedorgraçasà bravurade D. João,Mestre de Avise de D. NunoÁlvares
Pereira.
3) EpisódiosLíricos
 FormosíssimaMaria – filhade D. AfonsoIV e rainhade Castela,apelaa seupai que auxilie Castela,
na lutacontra os Mouros.
 Inêsde Castro – relatoda morte de D. Inêsde Castro, amante de D. Pedro,que é condenadaà morte
por D. AfonsoIV.
4) EpisódiosNaturalistas/Descritivo-pictóricos
 Fogo de Santelmo – relatode um fenómenometeorológiconatural, que ocorre durante aviagem.
Consiste numadescargaelétricaluminosa.
 Tromba Marítima – relatode umfenómenometeorológicosemelhanteaumtornado,mas de
menordimensão.
 O escorbuto – relatoda doençaque assolaa tripulação,matandoumnúmeromuitoelevadode
marinheiros.
 A Tempestade – relatoda tempestade que se abate sobre aarmada de Vasco da Gama, durante o
ConsíliodosDeusesMarinhos.A tempestade terminagraçasà intervençãode Vénus,que solicitaa
ajudadas "ninfasamorosas".
5) Episódios Simbólicos
 Sonho proféticode D. Manuel – D. Manuel temum sonhoproféticocomossucessose perigosdos
portuguesesnoOriente.Este sonhoincentivaD.Manuel a enviarVascoda Gama e a sua armada em
busca docaminhomarítimo para a Índia.
 Velhodo Restelo– No diada partidada armada, um velhosurge nocaise falasobre os
Descobrimentos.Éa voz dobom senso,que adverte parao perigode tal empreendimento.
 O Gigante Adamastor – na passagempeloCabodas Tormentas(posteriormente apelidadode Cabo
da Boa Esperança),osportuguesessãoconfrontadoscomo Gigante Adamastor,que ameaçaa
continuaçãoda viagem.OGigante simbolizaomedododesconhecido.
 A Ilha dos Amores – noregressoa Portugal,Vascoda Gama e a sua armada são conduzidosàIlha
dos Amores.Estaé uma ilhade deleitese consideradaarecompensapeloesforçoe coragemde um
povo.Aqui,Tétismostraa Gama a Grande Máquinado Mundo e o futurodopovoportuguês.
Simbolizaosonho,arecompensa,aimortalidade (oHomemascende aolugardosdeuses).
As personagens:
 do planoda viagem:VascodaGama
 do planomitológico:Júpiter,Vénus,Baco
 do planoda História:D.AfonsoHenriques,D.AfonsoIV,Inêsde Castro,D.Manuel,Adamastor,
VelhodoRestelo
A Mensagem
FernandoPessoa,no poemaépico-lírico,canta,de formafragmentáriae numaatitude introspetiva,o
impérioterritorial,masretratao Portugal que "faltacumprir-se",que se encontraemdeclínioanecessitar
de uma força anímica. Projeta-nosnumadimensãocíclicacentradana esperançade um novorecomeço.
Características:
 Nas duasprimeiraspartesdaMensagem é possível umdiálogocom OsLusíadas;emO Encoberto,
Pessoasitua-se nomomentoemque oImpérioPortuguêsparece desmoronar-seporcompletoe,
assume,então,ocargo de anunciadorde umnovociclo que se anuncia,o QuintoImpério,que não
precisade ser material,mascivilizacional.
 Procura anunciarum novoimpériocivilizacional.O“intensosofrimentopatriótico”leva-oaantever
um impérioque se encontraparaalémdo material.
Estrutura tripartida da Mensagem:
 Nascimento
 Vida
 Morte/renascimento
Os 44 poemasque constituema Mensagem encontram-se agrupadosemtrêspartes:
1ª Parte – Brasão (construtoresdo Império) - Corresponde aonascimento,comreferência aosmitose
figurashistóricasaté D. Sebastião,identificadasnoselementosdosbrasões.Dá-noscontadoPortugal
erguidopeloesforçodosheróise destinadoagrandesfeitos.
2ª Parte – Mar Português(o sonho marítimo e a obra das descobertas) - Surge a realizaçãoe a vida;refere
personalidadese acontecimentosdosDescobrimentosque exigiramumalutacontrao desconhecidoe os
elementosnaturais.Expansãode Portugal nomundo,passandopelosDescobrimentose terminandocomo
declínio.
3ª Parte – O Encoberto (encobrimentoresultante damorte e ligação ao messianismo) - Representaa
esperançanumfuturoassociadoa um messiase aomitosebastianista,atravésdaressurreição,que nos
impulsionaparaum QuintoImpérionumdomínioespiritual - antecipaçãoproféticade umacontecimento
grandiosoque estáescritonodestinoportuguês.
Os Lusíadas e a Mensagem
 Cantam de perspetivasdiferentesagrandezade Portugal e o sentimentoportuguês;
 Camõesprocura perpetuaramemóriade todosos heróisque construíramo ImpérioPortuguês;
FernandoPessoadescobre apredestinaçãodessesheróis,paraencontrarumnovo heroísmoque
exige grandezade almae capacidade de sonhar,quandoo mesmoImpériose mostramoribundo.;
 Em Lusíadas,Camõesconsegui fazerasíntese entre omundopagãoe o mundocristão;na
Mensagem,Pessoaprocuraaharmoniaentre o mundopagão,o mundocristãoe o mundo
esotérico.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Pedro Oliveira
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
Helena Coutinho
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
Helena Coutinho
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Inesa M
 
Analise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosaAnalise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosa
cnlx
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
sin3stesia
 
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa OrtónimoResumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Raffaella Ergün
 
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Maria João Lima
 
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Maria Gomes
 
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
Sara Guerra
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Lurdes Augusto
 
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de CamposOde Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
guest3fc89a1
 
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralOs Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 
Canto v 92_100
Canto v 92_100Canto v 92_100
Canto v 92_100
Maria Teresa Soveral
 
Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
António Fernandes
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem   Fernando PessoaMensagem   Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoa
guest0f0d8
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
António Fernandes
 
O Mostrengo mensagem Fernando Pessoa
O Mostrengo mensagem Fernando PessoaO Mostrengo mensagem Fernando Pessoa
O Mostrengo mensagem Fernando Pessoa
Bruno Freitas
 
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de SousaSebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
António Aragão
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 

Mais procurados (20)

Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
 
Analise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosaAnalise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosa
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
 
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa OrtónimoResumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
 
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]Os lusíadas   adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
Os lusíadas adamastor - resumo (por estrofe) e análise global[1]
 
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
 
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
 
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de CamposOde Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
 
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralOs Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel Central
 
Canto v 92_100
Canto v 92_100Canto v 92_100
Canto v 92_100
 
Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem   Fernando PessoaMensagem   Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoa
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
O Mostrengo mensagem Fernando Pessoa
O Mostrengo mensagem Fernando PessoaO Mostrengo mensagem Fernando Pessoa
O Mostrengo mensagem Fernando Pessoa
 
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de SousaSebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 

Destaque

U.E em 12 lições
U.E em 12 liçõesU.E em 12 lições
U.E em 12 lições
Raffaella Ergün
 
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Raffaella Ergün
 
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Raffaella Ergün
 
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Raffaella Ergün
 
Central Business District
Central Business DistrictCentral Business District
Central Business District
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos PeixesResumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do conventoResumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do convento
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando PessoaResumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Raffaella Ergün
 
Camões lírico teoria
Camões lírico teoriaCamões lírico teoria
Camões lírico teoria
quintaldasletras
 
Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!
Raffaella Ergün
 
Geografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União EuropeiaGeografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União Europeia
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
Raffaella Ergün
 
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Raffaella Ergün
 
resumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º períodoresumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º período
Lia Treacy
 
Como funciona a União Europeia
Como funciona a União EuropeiaComo funciona a União Europeia
Como funciona a União Europeia
Raffaella Ergün
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Raffaella Ergün
 
Material introdução a economia 11º ano ii ciclo ensino geral angola
Material introdução a economia 11º ano   ii ciclo ensino geral angolaMaterial introdução a economia 11º ano   ii ciclo ensino geral angola
Material introdução a economia 11º ano ii ciclo ensino geral angola
Janísio Salomao
 
Economia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União EuropeiaEconomia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União Europeia
Raffaella Ergün
 

Destaque (20)

U.E em 12 lições
U.E em 12 liçõesU.E em 12 lições
U.E em 12 lições
 
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
 
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
 
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
 
Central Business District
Central Business DistrictCentral Business District
Central Business District
 
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos PeixesResumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes
 
Resumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do conventoResumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do convento
 
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando PessoaResumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
 
Camões lírico teoria
Camões lírico teoriaCamões lírico teoria
Camões lírico teoria
 
Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!
 
Geografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União EuropeiaGeografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União Europeia
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
 
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
 
resumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º períodoresumo 12º ano economia c 1º período
resumo 12º ano economia c 1º período
 
Como funciona a União Europeia
Como funciona a União EuropeiaComo funciona a União Europeia
Como funciona a União Europeia
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
 
Material introdução a economia 11º ano ii ciclo ensino geral angola
Material introdução a economia 11º ano   ii ciclo ensino geral angolaMaterial introdução a economia 11º ano   ii ciclo ensino geral angola
Material introdução a economia 11º ano ii ciclo ensino geral angola
 
Economia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União EuropeiaEconomia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União Europeia
 

Semelhante a Resumos de Português: Os Lusíadas

Estrutura d'Os Lusíadas
Estrutura d'Os LusíadasEstrutura d'Os Lusíadas
Estrutura d'Os Lusíadas
complementoindirecto
 
Lusiadas pontosessenciais
Lusiadas pontosessenciaisLusiadas pontosessenciais
Lusiadas pontosessenciais
MariaGuida
 
Lusiadas 10º ano
Lusiadas 10º anoLusiadas 10º ano
Lusiadas 10º ano
DanielaMoreira84
 
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_LusíadasNarrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Carla Ribeiro
 
Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2
Inês Barão
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A
Lurdes Augusto
 
Os Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de CamõesOs Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de Camões
Gijasilvelitz 2
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
Maria Gois
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
olga nunes
 
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
José Ricardo Lima
 
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos IntrodutoriosFt21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
Fernanda Soares
 
A estrutura d` os lusíadas
A estrutura d` os lusíadasA estrutura d` os lusíadas
A estrutura d` os lusíadas
quintaldasletras
 
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdfOs Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Paula Vieira
 
Prova 2 bim - ENSINO MÉDIO
Prova 2  bim - ENSINO MÉDIOProva 2  bim - ENSINO MÉDIO
Prova 2 bim - ENSINO MÉDIO
Jomari
 
OS Lusíadas
OS LusíadasOS Lusíadas
OS Lusíadas
Samuel Rosa
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
António Teixeira
 
Apresentação em powerpoint Lusíadas 10 ano
Apresentação em powerpoint Lusíadas 10 anoApresentação em powerpoint Lusíadas 10 ano
Apresentação em powerpoint Lusíadas 10 ano
mako851
 
Os lusiadas resumo
Os lusiadas resumoOs lusiadas resumo
Os lusiadas resumo
Jonatham Siqueira
 
Os lusiadas
Os lusiadasOs lusiadas
Os lusiadas
Ronald Simoes
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
NunoNelasOliveira
 

Semelhante a Resumos de Português: Os Lusíadas (20)

Estrutura d'Os Lusíadas
Estrutura d'Os LusíadasEstrutura d'Os Lusíadas
Estrutura d'Os Lusíadas
 
Lusiadas pontosessenciais
Lusiadas pontosessenciaisLusiadas pontosessenciais
Lusiadas pontosessenciais
 
Lusiadas 10º ano
Lusiadas 10º anoLusiadas 10º ano
Lusiadas 10º ano
 
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_LusíadasNarrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
 
Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2
 
10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A10ºano Luís de Camões - parte A
10ºano Luís de Camões - parte A
 
Os Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de CamõesOs Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de Camões
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
 
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos IntrodutoriosFt21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
 
A estrutura d` os lusíadas
A estrutura d` os lusíadasA estrutura d` os lusíadas
A estrutura d` os lusíadas
 
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdfOs Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
 
Prova 2 bim - ENSINO MÉDIO
Prova 2  bim - ENSINO MÉDIOProva 2  bim - ENSINO MÉDIO
Prova 2 bim - ENSINO MÉDIO
 
OS Lusíadas
OS LusíadasOS Lusíadas
OS Lusíadas
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
 
Apresentação em powerpoint Lusíadas 10 ano
Apresentação em powerpoint Lusíadas 10 anoApresentação em powerpoint Lusíadas 10 ano
Apresentação em powerpoint Lusíadas 10 ano
 
Os lusiadas resumo
Os lusiadas resumoOs lusiadas resumo
Os lusiadas resumo
 
Os lusiadas
Os lusiadasOs lusiadas
Os lusiadas
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
 

Mais de Raffaella Ergün

Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Raffaella Ergün
 
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Raffaella Ergün
 
Geografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - TransportesGeografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - Transportes
Raffaella Ergün
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos HídricosGeografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação SolarGeografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
Raffaella Ergün
 

Mais de Raffaella Ergün (8)

Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
 
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
 
Geografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - TransportesGeografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - Transportes
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
 
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos HídricosGeografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação SolarGeografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
 

Último

Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 

Último (20)

Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 

Resumos de Português: Os Lusíadas

  • 1. Os Lusíadas Narrativaépicaque faz umaleituramíticada Históriade Portugal.Emestiloelevado,cantaumaação heróica passadae analisaosacontecimentosfuturos,cujavisãoosdeusessãocapazesde antecipar.  Herói coletivo- o povo português, osseusfeitosgloriosose acontecimentos históricosmais significativos;  Epopeiado iníciodo Império(séculosXVI,1572) - narrativa emverso,com característicasclássicasa nível da estruturae do estilo,que narraos feitosgrandiososde umherói com interesse paratodaa Humanidade; 1) Proposição: poeta propõe-se a exaltar os feitos dos portugueses; 2) Invocação: poeta pede ajuda às ninfas; 3) Dedicatória: poeta dedica a sua obra a D. Sebastião; 4) Narração: poeta relata a descoberta do caminho marítimo para a Índia pelos navegadores portugueses liderados por Vasco da Gama  Fontesliterárias:“Odisseia”de Homeroe “Eneida”de Virgílio  Sebastianismoinicial - exaltaçãode D.Sebastião,paraquemse anunciaum destinoglorioso;  A recompensa- os heróistêmacessoàIlha dosAmores,prémiosimbólicodaheroicidade conquistada;  o tom didáticodopoemapresente nasreflexõesdoPoeta: 1) a efemeridade davidae os limitesdacondiçãohumana 2) a crítica ao menosprezodasArtese dasLetras 3) o valorda virtude e da honra conseguidasporméritopróprio 4) a ingratidãoda Pátriaque,nãoreconhecendooméritodoPoeta,inviabilizaoaparecimentode futurosescritores 5) a denúnciadoefeitocorruptordodinheiro 6) a confiançanas capacidadeshumanasparaatingira verdadeiravirtude Traduz as façanhase o espíritodopovoportuguês(capazde trazer ao conhecimentodaEuropae da Humanidade povosdesconhecidos,lugaresignoradose inóspitose oscaminhosmarítimosparaligaros cinco continentes). OsLusíadasnãocontam apenasa viagemmarítimae a Históriaportuguesa,masrevelam também,oespíritodo homemdaRenascençaque acreditana experiênciae narazão.A Ilhados Amoresé, no fimda obra,o símboloda capacidade dosPortuguesesnaexploraçãodosmares,graçasàs experiências marítimase ao seuespíritode aventura,masigualmente,àsuavontade indómitade conhecere estabelecer harmoniano planeta,aproximandooOriente e oOcidente. O poetapretende conceder,atravésdestaobra,odireitoà imortalidadedosnautasportuguesespelosseus feitoshistóricos.
  • 2. Estrutura externa:  10 cantos; Oitavas; Versos decassilábicos; Esquema rimático: ABABABCC  4 Planos: do poeta; da viagem; da mitologia; da história de Portugal Estrutura interna Introdução  Proposição  Invocaçãoàs Tágides,a Calíope,àsninfasdoTejoe do Mondego e de novoa Calíope  DedicatóriaaD. Sebastião Desenvolvimento  A viagem;Osdeuses/Omitológico - açãocentral (narrada pelopoetaemalternância)  A Históriade Portugal - ação secundária(encaixadanaViageme narradapor Vascoda Gama/Paulo Gama) - Discursosque relatamepisódiospassadosrelativamente ao cursoda viagem  Consideraçõesdopoeta- (normalmente nofinal de cadacanto) Plano da viagem: constitui aação central relacionadacoma descobertadocaminhomarítimopara a Índia, chefiadaporVascoda Gama. Plano mitológico:intervençõesdosdeusesdoOlimponaviagem, emalternânciacoma ação principal. O destinoprofético:  Profeciasde Júpiter(cantosIe II)  ProfeciasnoConsíliodosDeusesmarítimos (c.VI)  ProfeciasnaIlhados Amores (c.X) O destinoprofético (entre ovividoe oimaginário):  SonhoProféticode D.Manuel (c. IV)  Maldiçãodo Adamastor(c. V) Génerolírico:  a fragilidade davidahumana(c.I)  as lamentaçõesdopoeta- face aos que desprezamapoesia(c.V)  o valorda glória(c. VI) e o poderdo ouro (c.VIII)  a exortaçãoaos que aspiramà imortalidade (c.IX),aorei e às futurasglórias(c. X)  a crítica à sociedade doseutempo - materialismo,corrupção,injustiça...
  • 3. Plano da História de Portugal: encaixadonoplanodaviagem. Plano das reflexõesdopoeta: consideraçõesde Camões,normalmentenofinal de cadacanto,fazendo váriascríticas (nomeadamenteàignorância,desprezopelacultura,ambiçãodesmensurada,podertirânico, hipocrisia,exploraçãodospobres,podercorruptodoouro),e defendendoummodelode homemideal que ganhará o direitoaser recebidonaIlhade Vénus. Episódios Episódio- é uma pequenanarrativa,comintrodução,desenvolvimentoe conclusão,que se relaciona diretamente comatrama principal,contribuindoparaenriquecê-laouaté mesmoexplicá-la. Surgeminseridosnanarrativacentral comoformade embelezarotexto,quebraramonotonia,dar dinamismoe enriqueceraobra. 1) EpisódiosMitológicos  ConsíliodosDeusesno Olimpo – os deusesreúnem-senoOlimpoparadecidirodestinodos portugueses.  Pedidode Vénusa Júpiter– Vénusintercede juntode Júpiter,a favordosportugueses.  ConsíliodosDeusesmarinhos – Baco consegue convencerosdeusesmarinhosaprovocaremuma tempestade paraafundara armada portuguesa.  Váriasintervençõesde Vénuse Baco 2) EpisódiosBélicos  Batalha de Ourique – relatohistóricodaBatalha de Ourique,travadacontraos mouros,durante o reinadode D. AfonsoHenriques.  Batalha do Salado – D. AfonsoIV intercedeafavorde Castela,que haviasidoinvadidapelosMouros.  Batalha de Aljubarrota – Batalha travadacontra o Rei de Castela, que pretendiatomaroreino português.Portugal sai vencedorgraçasà bravurade D. João,Mestre de Avise de D. NunoÁlvares Pereira. 3) EpisódiosLíricos  FormosíssimaMaria – filhade D. AfonsoIV e rainhade Castela,apelaa seupai que auxilie Castela, na lutacontra os Mouros.  Inêsde Castro – relatoda morte de D. Inêsde Castro, amante de D. Pedro,que é condenadaà morte por D. AfonsoIV. 4) EpisódiosNaturalistas/Descritivo-pictóricos  Fogo de Santelmo – relatode um fenómenometeorológiconatural, que ocorre durante aviagem. Consiste numadescargaelétricaluminosa.  Tromba Marítima – relatode umfenómenometeorológicosemelhanteaumtornado,mas de menordimensão.  O escorbuto – relatoda doençaque assolaa tripulação,matandoumnúmeromuitoelevadode marinheiros.  A Tempestade – relatoda tempestade que se abate sobre aarmada de Vasco da Gama, durante o ConsíliodosDeusesMarinhos.A tempestade terminagraçasà intervençãode Vénus,que solicitaa ajudadas "ninfasamorosas".
  • 4. 5) Episódios Simbólicos  Sonho proféticode D. Manuel – D. Manuel temum sonhoproféticocomossucessose perigosdos portuguesesnoOriente.Este sonhoincentivaD.Manuel a enviarVascoda Gama e a sua armada em busca docaminhomarítimo para a Índia.  Velhodo Restelo– No diada partidada armada, um velhosurge nocaise falasobre os Descobrimentos.Éa voz dobom senso,que adverte parao perigode tal empreendimento.  O Gigante Adamastor – na passagempeloCabodas Tormentas(posteriormente apelidadode Cabo da Boa Esperança),osportuguesessãoconfrontadoscomo Gigante Adamastor,que ameaçaa continuaçãoda viagem.OGigante simbolizaomedododesconhecido.  A Ilha dos Amores – noregressoa Portugal,Vascoda Gama e a sua armada são conduzidosàIlha dos Amores.Estaé uma ilhade deleitese consideradaarecompensapeloesforçoe coragemde um povo.Aqui,Tétismostraa Gama a Grande Máquinado Mundo e o futurodopovoportuguês. Simbolizaosonho,arecompensa,aimortalidade (oHomemascende aolugardosdeuses). As personagens:  do planoda viagem:VascodaGama  do planomitológico:Júpiter,Vénus,Baco  do planoda História:D.AfonsoHenriques,D.AfonsoIV,Inêsde Castro,D.Manuel,Adamastor, VelhodoRestelo
  • 5. A Mensagem FernandoPessoa,no poemaépico-lírico,canta,de formafragmentáriae numaatitude introspetiva,o impérioterritorial,masretratao Portugal que "faltacumprir-se",que se encontraemdeclínioanecessitar de uma força anímica. Projeta-nosnumadimensãocíclicacentradana esperançade um novorecomeço. Características:  Nas duasprimeiraspartesdaMensagem é possível umdiálogocom OsLusíadas;emO Encoberto, Pessoasitua-se nomomentoemque oImpérioPortuguêsparece desmoronar-seporcompletoe, assume,então,ocargo de anunciadorde umnovociclo que se anuncia,o QuintoImpério,que não precisade ser material,mascivilizacional.  Procura anunciarum novoimpériocivilizacional.O“intensosofrimentopatriótico”leva-oaantever um impérioque se encontraparaalémdo material. Estrutura tripartida da Mensagem:  Nascimento  Vida  Morte/renascimento Os 44 poemasque constituema Mensagem encontram-se agrupadosemtrêspartes: 1ª Parte – Brasão (construtoresdo Império) - Corresponde aonascimento,comreferência aosmitose figurashistóricasaté D. Sebastião,identificadasnoselementosdosbrasões.Dá-noscontadoPortugal erguidopeloesforçodosheróise destinadoagrandesfeitos. 2ª Parte – Mar Português(o sonho marítimo e a obra das descobertas) - Surge a realizaçãoe a vida;refere personalidadese acontecimentosdosDescobrimentosque exigiramumalutacontrao desconhecidoe os elementosnaturais.Expansãode Portugal nomundo,passandopelosDescobrimentose terminandocomo declínio. 3ª Parte – O Encoberto (encobrimentoresultante damorte e ligação ao messianismo) - Representaa esperançanumfuturoassociadoa um messiase aomitosebastianista,atravésdaressurreição,que nos impulsionaparaum QuintoImpérionumdomínioespiritual - antecipaçãoproféticade umacontecimento grandiosoque estáescritonodestinoportuguês.
  • 6. Os Lusíadas e a Mensagem  Cantam de perspetivasdiferentesagrandezade Portugal e o sentimentoportuguês;  Camõesprocura perpetuaramemóriade todosos heróisque construíramo ImpérioPortuguês; FernandoPessoadescobre apredestinaçãodessesheróis,paraencontrarumnovo heroísmoque exige grandezade almae capacidade de sonhar,quandoo mesmoImpériose mostramoribundo.;  Em Lusíadas,Camõesconsegui fazerasíntese entre omundopagãoe o mundocristão;na Mensagem,Pessoaprocuraaharmoniaentre o mundopagão,o mundocristãoe o mundo esotérico.