SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTRUTURA EXTERNA E
INTERNA
D E
“O S L U S Í A D A S”
LUÍS VAZ DE CAMÕES
Classicismo em Portugal – Século XVI
“OS LUSÍADAS”
1. CLASSIFICAÇÃO
Poema épico ou epopeia: Texto narrativo
escrito em verso, que narra os feitos
gloriosos de um herói individual ou
coletivo, com interesse nacional ou
universal
Características da epopeia:
• Caráter excecional do assunto;
• Herói individual ou coletivo/ real ou
imaginário;
• Estilo elevado da escrita;
• Presença da mitologia pagã;
• Respeito da estrutura das epopeias
antigas.
2. ESTRUTURA EXTERNA
O poema compõe-se de:
• 10 cantos (= conjuntos de estrofes)
• 1102 estrofes em oitava-rima: ABABABCC
• 8816 versos decassílabos
3. COMPOSIÇÃO DOS CANTOS
1.º Canto : 106 estrofes
2.º Canto : 113 estrofes
3.º Canto : 143 estrofes
4.º Canto : 104 estrofes
5.º Canto : 100 estrofes
6.º Canto : 99 estrofes
7.º Canto : 87 estrofes
8.º Canto : 99 estrofes
9.º Canto : 95 estrofes
10.º Canto : 156 estrofes
TOTAL : 1.102 estrofes
4. ESTROFES DE OITO VERSOS
DECASSÍLABOS
ABABABCC
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
As/ar/mas/e os/ba/rões /a/ssi/na/la/dos A
Que,/da O/ci /den/tal/ prai/a/ Lu/si/ta/na, B
Por/ ma/res/ nun/ca/ de an/tes/ na/ve/ga/dos A
Pa/ssa/ram/ ain/da a/lém/ da/ Ta/pro/ba/na, B
Em/ pe/ri/gos/ e/ gue/rras/ es/for/ça/dos, A
Mais/ do/ que/ pro/me/ti/a a/ for/ça hu/ma/na, B
E en/tre/ gen/te/ re/mo/ta e/di/fi/ca/ram C
No/vo/ rei/no,/ que/ tan/to/ su/bli/ma/ram; C
5. ESTRUTURA INTERNA
1.ª Proposição (estrofes 1 a 3 do Canto I)
2.ª Invocação (estrofes 4 e 5 do Canto I)
3.ª Dedicatória (estrofes 6 a 18 do Canto I)
4.ª Narração (da estrofe 19 do Canto I a 156
do Canto X)
6. ASSUNTOS DAS PARTES DA
ESTRUTURA INTERNA
1.ª - PROPOSIÇÃO
(Canto I, estrofes 1 a 3)
O poeta propõe-se a cantar os feitos
heroicos dos portugueses.
2.ª - INVOCAÇÃO
(Canto I, estrofes 4 e 5)
O poeta invoca as ninfas (divindades)
do rio Tejo, conhecidas por Tágides, para
que lhe deem inspiração, a fim de concretizar
o que se propõe a fazer.
3.ª - DEDICATÓRIA
(Canto I, estrofes 6 a 18)
O poeta dedica o poema a D. Sebastião,
rei da época. Enaltece-o a ponto de considerá-
-lo de origem divina.
4.ª - NARRAÇÃO
(Canto I, estrofe 19 - Canto X, 156)
É a parte mais longa e a mais importante
do poema. Nela, Camões aborda três assuntos:
• A História de Portugal
• A viagem de Vasco da Gama à Índia
• A Mitologia: Baco vs. Vénus
(Canto X, estrofes 145 a 156)
É a parte final do poema. Nela, o poeta
mostra-se desencantado e pessimista com o
futuro de Portugal. Já previa a decadência
do império português que, anos depois,
passaria para o domínio espanhol.
7. EPISÓDIOS LÍRICOS
Apesar de ser um poema épico, há n’OS
LUSÍADAS episódios líricos:
• A Morte de Inês de Castro (Canto III)
• O Velho do Restelo (Canto IV)
• O Gigante Adamastor (Canto V)
• A Ilha dos Amores (Canto IX)
8. MODELO SEGUIDO POR CAMÕES
Para a elaboração d’OS LUSÍADAS,
Camões seguiu o modelo da epopeia “A
ENEIDA”, de Virgílio, poeta latino do século I
a.C., cujo primeiro verso é:
“Arma virumque cano” (Eu canto os feitos
heroicos e o homem ilustre), que corresponde
a “As armas e os barões assinalados” d’OS
LUSÍADAS.
9. DATAS E MAPAS DA VIAGEM DE
VASCO DA GAMA
Saída de Lisboa : julho de 1497
Chegada a Calecute : maio de 1498
Retorno a Lisboa : setembro de 1499
Estrutura externa e interna d'os lusíadas
Estrutura externa e interna d'os lusíadas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Episódio de inês de castro
Episódio de inês de castroEpisódio de inês de castro
Episódio de inês de castro
Quezia Neves
 
Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97
Maria Teresa Soveral
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
nando_reis
 
Resumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasResumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os Lusíadas
Raffaella Ergün
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
domplex123
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Marisa Ferreira
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
Raffaella Ergün
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
Gijasilvelitz 2
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
Helena Coutinho
 
"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise
Maria João Oliveira
 
Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"
Iga Almeida
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Joana Azevedo
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
Cristina Martins
 
Lírica camoniana
Lírica camoniana Lírica camoniana
Lírica camoniana
Sara Afonso
 
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
Sara Guerra
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
Helena Coutinho
 
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Maria Gomes
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
Paula Angelo
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Ilha dos Amores
Ilha dos AmoresIlha dos Amores
Ilha dos Amores
Vanda Marques
 

Mais procurados (20)

Episódio de inês de castro
Episódio de inês de castroEpisódio de inês de castro
Episódio de inês de castro
 
Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
Resumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasResumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os Lusíadas
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
 
"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise
 
Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Lírica camoniana
Lírica camoniana Lírica camoniana
Lírica camoniana
 
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Ilha dos Amores
Ilha dos AmoresIlha dos Amores
Ilha dos Amores
 

Destaque

Os Lusíadas - a estrutura
Os Lusíadas - a estruturaOs Lusíadas - a estrutura
Os Lusíadas - a estrutura
Rosalina Simão Nunes
 
Os Lusíadas: sistematização dos Cantos
Os Lusíadas: sistematização dos CantosOs Lusíadas: sistematização dos Cantos
Os Lusíadas: sistematização dos Cantos
sin3stesia
 
Episodios lusiadas
Episodios lusiadasEpisodios lusiadas
Episodios lusiadas
Elsa Maximiano
 
Contextualização d'Os Lusíadas
Contextualização d'Os LusíadasContextualização d'Os Lusíadas
Contextualização d'Os Lusíadas
Dina Baptista
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
Lurdes
 
Os Lusíadas Canto 8
Os Lusíadas Canto 8Os Lusíadas Canto 8
Os Lusíadas Canto 8
Gabriel Barbosa Doria
 
Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deuses
pauloprofport
 
Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deuses
Lurdes
 
Recursos EstilíSticos
Recursos EstilíSticosRecursos EstilíSticos
Recursos EstilíSticos
Sandra Gonçalves
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
Helena Coutinho
 
Lusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas FigurasdeestiloLusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas Figurasdeestilo
André Cerqueira
 
Tudo sobre "Os lusíadas"
Tudo sobre "Os lusíadas"Tudo sobre "Os lusíadas"
Tudo sobre "Os lusíadas"
Inês Santos
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
António Cunha
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Dina Baptista
 

Destaque (14)

Os Lusíadas - a estrutura
Os Lusíadas - a estruturaOs Lusíadas - a estrutura
Os Lusíadas - a estrutura
 
Os Lusíadas: sistematização dos Cantos
Os Lusíadas: sistematização dos CantosOs Lusíadas: sistematização dos Cantos
Os Lusíadas: sistematização dos Cantos
 
Episodios lusiadas
Episodios lusiadasEpisodios lusiadas
Episodios lusiadas
 
Contextualização d'Os Lusíadas
Contextualização d'Os LusíadasContextualização d'Os Lusíadas
Contextualização d'Os Lusíadas
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
Os Lusíadas Canto 8
Os Lusíadas Canto 8Os Lusíadas Canto 8
Os Lusíadas Canto 8
 
Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deuses
 
Consílio dos deuses
Consílio dos deusesConsílio dos deuses
Consílio dos deuses
 
Recursos EstilíSticos
Recursos EstilíSticosRecursos EstilíSticos
Recursos EstilíSticos
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
 
Lusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas FigurasdeestiloLusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas Figurasdeestilo
 
Tudo sobre "Os lusíadas"
Tudo sobre "Os lusíadas"Tudo sobre "Os lusíadas"
Tudo sobre "Os lusíadas"
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 

Semelhante a Estrutura externa e interna d'os lusíadas

Estrutura lusíadas
Estrutura lusíadasEstrutura lusíadas
Estrutura lusíadas
Ana Ribeiro
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
Joao Bernardo Santos
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
Joao Bernardo Santos
 
Os lusiadas - camões
Os lusiadas - camõesOs lusiadas - camões
Os lusiadas - camões
julykathy
 
Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2
Inês Barão
 
Reflexos de Camões em Pessoa
Reflexos de Camões em PessoaReflexos de Camões em Pessoa
Reflexos de Camões em Pessoa
complementoindirecto
 
OS Lusíadas
OS LusíadasOS Lusíadas
OS Lusíadas
Samuel Rosa
 
Visão geral d´Os Lusíadas.ppttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt
Visão geral d´Os Lusíadas.pptttttttttttttttttttttttttttttttttttttttVisão geral d´Os Lusíadas.ppttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt
Visão geral d´Os Lusíadas.ppttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt
MatildeSilva37
 
Os lusíadas
Os lusíadasOs lusíadas
Os lusíadas
Caroliny Santos
 
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdfOs Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Paula Vieira
 
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_LusíadasNarrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Carla Ribeiro
 
Os lusiadas
Os lusiadasOs lusiadas
Os lusiadas
Ronald Simoes
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 51
Apresentação para décimo segundo ano, aula 51Apresentação para décimo segundo ano, aula 51
Apresentação para décimo segundo ano, aula 51
luisprista
 
Os Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de CamõesOs Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de Camões
Gijasilvelitz 2
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
olga nunes
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
Maria Gois
 
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
lurdesmartins
 
Epopeia.pptx
Epopeia.pptxEpopeia.pptx
Epopeia.pptx
GabrielaLares2
 
Aula 04 camões épico - os lusíadas
Aula 04   camões épico - os lusíadasAula 04   camões épico - os lusíadas
Aula 04 camões épico - os lusíadas
Jonatas Carlos
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
NunoNelasOliveira
 

Semelhante a Estrutura externa e interna d'os lusíadas (20)

Estrutura lusíadas
Estrutura lusíadasEstrutura lusíadas
Estrutura lusíadas
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
 
Os lusiadas - camões
Os lusiadas - camõesOs lusiadas - camões
Os lusiadas - camões
 
Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2Lusiadas resumo2
Lusiadas resumo2
 
Reflexos de Camões em Pessoa
Reflexos de Camões em PessoaReflexos de Camões em Pessoa
Reflexos de Camões em Pessoa
 
OS Lusíadas
OS LusíadasOS Lusíadas
OS Lusíadas
 
Visão geral d´Os Lusíadas.ppttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt
Visão geral d´Os Lusíadas.pptttttttttttttttttttttttttttttttttttttttVisão geral d´Os Lusíadas.ppttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt
Visão geral d´Os Lusíadas.ppttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt
 
Os lusíadas
Os lusíadasOs lusíadas
Os lusíadas
 
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdfOs Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
Os Lusíadas - Estrutura e resumo.pdf
 
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_LusíadasNarrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
 
Os lusiadas
Os lusiadasOs lusiadas
Os lusiadas
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 51
Apresentação para décimo segundo ano, aula 51Apresentação para décimo segundo ano, aula 51
Apresentação para décimo segundo ano, aula 51
 
Os Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de CamõesOs Lusíadas de Luís de Camões
Os Lusíadas de Luís de Camões
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
 
Epopeia.pptx
Epopeia.pptxEpopeia.pptx
Epopeia.pptx
 
Aula 04 camões épico - os lusíadas
Aula 04   camões épico - os lusíadasAula 04   camões épico - os lusíadas
Aula 04 camões épico - os lusíadas
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
 

Último

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 

Último (20)

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 

Estrutura externa e interna d'os lusíadas

  • 1. ESTRUTURA EXTERNA E INTERNA D E “O S L U S Í A D A S”
  • 2. LUÍS VAZ DE CAMÕES Classicismo em Portugal – Século XVI
  • 4. 1. CLASSIFICAÇÃO Poema épico ou epopeia: Texto narrativo escrito em verso, que narra os feitos gloriosos de um herói individual ou coletivo, com interesse nacional ou universal
  • 5. Características da epopeia: • Caráter excecional do assunto; • Herói individual ou coletivo/ real ou imaginário; • Estilo elevado da escrita; • Presença da mitologia pagã; • Respeito da estrutura das epopeias antigas.
  • 6. 2. ESTRUTURA EXTERNA O poema compõe-se de: • 10 cantos (= conjuntos de estrofes) • 1102 estrofes em oitava-rima: ABABABCC • 8816 versos decassílabos
  • 7. 3. COMPOSIÇÃO DOS CANTOS 1.º Canto : 106 estrofes 2.º Canto : 113 estrofes 3.º Canto : 143 estrofes 4.º Canto : 104 estrofes 5.º Canto : 100 estrofes 6.º Canto : 99 estrofes 7.º Canto : 87 estrofes 8.º Canto : 99 estrofes 9.º Canto : 95 estrofes 10.º Canto : 156 estrofes TOTAL : 1.102 estrofes
  • 8. 4. ESTROFES DE OITO VERSOS DECASSÍLABOS ABABABCC 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 As/ar/mas/e os/ba/rões /a/ssi/na/la/dos A Que,/da O/ci /den/tal/ prai/a/ Lu/si/ta/na, B Por/ ma/res/ nun/ca/ de an/tes/ na/ve/ga/dos A Pa/ssa/ram/ ain/da a/lém/ da/ Ta/pro/ba/na, B Em/ pe/ri/gos/ e/ gue/rras/ es/for/ça/dos, A Mais/ do/ que/ pro/me/ti/a a/ for/ça hu/ma/na, B E en/tre/ gen/te/ re/mo/ta e/di/fi/ca/ram C No/vo/ rei/no,/ que/ tan/to/ su/bli/ma/ram; C
  • 9. 5. ESTRUTURA INTERNA 1.ª Proposição (estrofes 1 a 3 do Canto I) 2.ª Invocação (estrofes 4 e 5 do Canto I) 3.ª Dedicatória (estrofes 6 a 18 do Canto I) 4.ª Narração (da estrofe 19 do Canto I a 156 do Canto X)
  • 10. 6. ASSUNTOS DAS PARTES DA ESTRUTURA INTERNA 1.ª - PROPOSIÇÃO (Canto I, estrofes 1 a 3) O poeta propõe-se a cantar os feitos heroicos dos portugueses.
  • 11. 2.ª - INVOCAÇÃO (Canto I, estrofes 4 e 5) O poeta invoca as ninfas (divindades) do rio Tejo, conhecidas por Tágides, para que lhe deem inspiração, a fim de concretizar o que se propõe a fazer.
  • 12. 3.ª - DEDICATÓRIA (Canto I, estrofes 6 a 18) O poeta dedica o poema a D. Sebastião, rei da época. Enaltece-o a ponto de considerá- -lo de origem divina.
  • 13. 4.ª - NARRAÇÃO (Canto I, estrofe 19 - Canto X, 156) É a parte mais longa e a mais importante do poema. Nela, Camões aborda três assuntos: • A História de Portugal • A viagem de Vasco da Gama à Índia • A Mitologia: Baco vs. Vénus
  • 14. (Canto X, estrofes 145 a 156) É a parte final do poema. Nela, o poeta mostra-se desencantado e pessimista com o futuro de Portugal. Já previa a decadência do império português que, anos depois, passaria para o domínio espanhol.
  • 15. 7. EPISÓDIOS LÍRICOS Apesar de ser um poema épico, há n’OS LUSÍADAS episódios líricos: • A Morte de Inês de Castro (Canto III) • O Velho do Restelo (Canto IV) • O Gigante Adamastor (Canto V) • A Ilha dos Amores (Canto IX)
  • 16. 8. MODELO SEGUIDO POR CAMÕES Para a elaboração d’OS LUSÍADAS, Camões seguiu o modelo da epopeia “A ENEIDA”, de Virgílio, poeta latino do século I a.C., cujo primeiro verso é: “Arma virumque cano” (Eu canto os feitos heroicos e o homem ilustre), que corresponde a “As armas e os barões assinalados” d’OS LUSÍADAS.
  • 17. 9. DATAS E MAPAS DA VIAGEM DE VASCO DA GAMA Saída de Lisboa : julho de 1497 Chegada a Calecute : maio de 1498 Retorno a Lisboa : setembro de 1499