SlideShare uma empresa Scribd logo
Padre António Vieira"Sermão de Santo António aos Peixes"
sermão:http://portuguesonline2.no.sapo.pt/sermaointegral.htm
Objetivosdo Sermão:
Esta obra foi proferidanacidade de São Luís do Maranhão, noano de 1654, no decorrerde uma disputacom
os colonosportuguesesnoBrasil.Osermãoconstitui umdocumentoimaginação,habilidadeoratóriae
poderde satirizaçãodo Padre AntónioVieira.
O sermãotemcomo objetivolouvaralgumasvirtudesdohomem, masprincipalmentecensurar osvíciosdos
colonos (“peixesgrandesque comemospequenos”).Paraisto,opadre toma váriospeixescomosímbolos:
roncador (oorgulhoso), voador(oambicioso), pegador(oparasita) e o polvo(otraidor,maistraidorque o
próprioJudas).
Este sermão, foi pregado no dia13 de Junho(Dia de SantoAntónio) trêsdiasantesde Padre AntónioVieira
embarcar ocultamente (afurto) paraPortugal,paraobteruma legislaçãojustaparaosíndios.
É todo ele compostoporalegorias(metáforas,comparações,utilizadasparaconcretizarumpensamentoou
uma realidade abstrata), poisospeixessãoapersonificaçãodoshomens.
Estilo:
O estilode Padre AntónioVieiraremete paraumavertente medieval que assentana alegoria,mastambém
para o barroco.
Barroco: o sermãoinsere-se noBarroco,que se caracterizapelautilizaçãode contrastes,pelopessimismo,
pelapresençade impressões sensoriais,pelapreocupaçãocoma duração da vida,pelalinguagemeruditae
trabalhadae pelatentativadaconciliaçãoentre areligiãoe oracional.É associadoa exagerosquerna
linguagem,quernatransmissãode ideiase pensamentose quertambémnaarte.
Destaforma,nos seussermõesconvivemoconcetismoe ocultismodaarte barroca, na técnicado docere,
do delectare e do movere.
Para esse desempenhousou: polissíndetos,assíndetos, sinédoques,comparações, anástrofes,exclamações,
trocadilhos, paralelismosanafóricos,antíteses, anáforas.
Estrutura:
Introdução (Exórdio ou Intróito - ideiasumária da matéria que vai sertratada)
CAPÍTULOI
Apresentaçãodotema,a partirdo versículode São Mateus,“Vóssoiso sal da terra”,referente aos
pregadores,cujafunçãoé “salgar”, ouseja,pregara boa doutrina,e verificandoque aterra “não se deixa
salgar”,porque se encontradominadapelacorrupção. Vieiravai pregaraospeixes,àmaneirade Santo
António,que aelespregou,pornãoter sidoatendidopeloshomens.
 Apresentaçãodotema,partindodoconceito: Vosestissol terrae (vóssoiso sal da terra);
 Exploraçãodo tema;
pregadores- o sal impede a corrupçãodos
alimentos;os pregadores impedema corrupção
da sociedade, pregandoa palavra de Deus.
 Panegíricoa SantoAntónio;
 Invocaçãoà VirgemMaria
O capítulocomeça com um conceitopredicável(Vóssoisosal daterra),seguindo-seadescriçãoda
corrupção que se faz viverna Terra. É nosexplicadaafunção do sal (impedira corrupção) e é feitauma
referênciaclaraaos padrese pregadores(aquelesque têmoofíciodosal).É nosentão colocadaa questão
“qual a causa da corrupção?”. Segue-sepoisumtrocadilhode questões,taiscomo: “Seráa terra que não se
deixasalgar (osouvintesnão queremouvir), ou será que os pregadoresnão pregam a verdadeira
doutrina? Ou porque os ouvintesa ouvem,mas não praticam o que lhesé ensinado,ouporque o pregador
prega a si e não a Cristo. Ou ainda, que os ouvintesouvem,mas não servema Cristo, antes simaos seus
apetites.”
É entãoexplicadoque, se osal não salga a terra, é porque o pregador não prega a verdadeiradoutrina e
por issodeve serlançadoforacomo um inútil e serpisadoportodos.E à terra que nãose deixasalgar,deve -
se seguiro exemplode SantoAntónioquandopregoucontraosheregesemItália:mudarde auditório.Eé
istoque faz o padre António,àsemelhançade SantoAntónio,mudandode auditório,escolhendocomo
ouvintesospeixesaoinvésdoshomens,que se recusamaouvi-lo.Opregadorinvocanofinal NossaSenhora
porque erahabitual fazê-lonestaépoca,aindamaisporque MariaquerdizerSenhoradoMar.
PROPRIEDADES
Sal Pregadores
 Conservar
 Evitar a corrupção
 Louvar o bem
 Impediromal
A TERRA ESTÁ CORROMPIDA
Porque o sal não salga Porque a terra não se deixa salgar
Motivo:
 Os pregadoresnãopregama verdadeira
doutrina;
 Os pregadoresdizemumacoisae fazem
outra;
 Os pregadoresprega-se asi mesmose nãoa
Cristo.
Motivo:
 Os ouvintesnãoqueremrecebera
verdadeiradoutrina;
 Os ouvintesqueremimitaroque os
pregadoresfazeme nãoo que dizem;
 Os ouvintesqueremservirosseusapetitese
não a Cristo.
O que se há-se fazer quando não cumprem as suas funções
Aos pregadores
Respostade Cristo:
 desprezarosmauspregadores
Aos ouvintes
Respostade SantoAntónio:
 muda-se oauditório
Desenvolvimento(Exposiçãoe Confirmação - apresentação circunstanciada de uma matéria didática e
desenvolvimento/apresentaçãode provas dosfactos)
CAPÍTULOII
 Proposição - apresentaçãodoassuntodo sermão
 Inícioda alegoria
 Divisão
CAPÍTULOIII
 Louvoresemgeral e em particular.
 Louvoresemgeral:“Aomenostêmos peixesduasqualidadesde ouvintes:ouveme nãofalam(…).”
 No entantosãoos únicosanimaisque nãose deixamdomesticar- não se deixamconverter.
 Inícioda confirmação
 Louvoresemparticular:peixe Tobias,rémora,torpedo,quatro-olhos.
Virtudesem geral:
 São obedientes,ouveme nãofalam;
 Foram osprimeirosanimaisaseremcriados;
 São os maisnumerosos e volumosos;
 Não sãodomesticáveis,presos,virgens.
Virtudesem particular:
Peixe Virtudes Efeitos Comparação Razões
Tobias Tira as entranhas
de uma peixe que o
queriatragar.
O fel sara a
cegueira;
O coração afasta os
demónios
Sarou a cegueira
do pai;
Lançou fora os
demóniosde sua
casa
SantoAntónio Abriaa boca contra
os hereges;
Aluminavae curava
a cegueira;Lançava
os demónios
Rémora Pequenanocorpo;
Grande na força e
no poder
Pega-se aoleme de
uma nau;
Impede que ela
avance
SantoAntónio A línguade Santo
Antóniodomouas
paixõeshumanas
Torpedo Produzenergia Faz tremero braço
do pescador;
Impede que o
pesquem
SantoAntónio A línguade Santo
Antóniodomouas
paixõeshumanas
Quatro-Olhos Doisolhosolham
para cima;
Doisolhampara
baixo
Defende-se dos
peixes;
Defende-se das
aves
Pregador O peixe ensinouo
pregadora olhar
para cima (céu) e
para baixo
(inferno)
CAPÍTULOIV
 1ª repreensãodospeixesemgeral:
1) A ictiofagia(ospeixescomem-se unsaosoutros)
2) Amplificaçãodarepreensão(osmaiorescomemos mais pequenos)
3) Estessão comparáveisaoHomem: "Aomorto,come o herdeiro,comootestamenteiro,come o
legatário,omédico,osangrador,a viúva,o coveiro,oque tange os sinos,oque lhe canta e o que
o enterra.Enfim,aindaopodre defuntoonão comeua terra e portoda a terrajá foi comido"
 2ª repreensãodospeixesemgeral:aignorânciae a cegueiradospeixes
CAPÍTULOV
 Repreensõesemparticular:roncadores(vício/vaidade);pegadores(críticaoparasitismo-
escravizaçãodosíndios);voadores(osambiciosos - esquecem-seque sãopeixese queremvoarmais
alto);polvo(atraição,a falsidade,ahipocrisia)
Peixes Simbolizam Característicasde SantoAntónio
Roncadores Arrogânciae orgulho Era detentordosabere do podere nãose
vangloriavaporisso
Pegadores Parasitismoe adulação Pegou-se somente aCristo
Voadores Ambiçãoe presunção Tinhaasas (sabedoria) e nãoas usoupara
exibiçãodoseuvalor
Polvos Traição Esteve sempre afastadodatraição, sempre
houve verdade e sinceridade
Conclusão(Peroração ou Epílogo - parte final do discurso)
CAPÍTULOVI
 Apelo,incitamento,elevação:
1) os peixesestãoacimadosoutrosanimais
2) os peixesestãoacimadopregador
 As últimaspalavrassãoas que a memória dosouvintesmaisretêm.Assim, opadre sintetizaos
argumentosfundamentaisreafirmandoaimportânciadatese.Ooradorrecapitulaoseudiscursoe
usa um desfechovibranteparaimpressionaroauditórioe parao exortara pôr em práticaos seus
ensinamentos.
Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Análise do cap iv
Análise do cap ivAnálise do cap iv
Análise do cap iv
Vera Pereira
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Daniel Sousa
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
Helena Coutinho
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
EuniceCarmo
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
António Fernandes
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
Helena Coutinho
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Catarina Castro
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
CatarinaNeivas
 
Corrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os MaiasCorrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os Maias
mauro dinis
 
Frei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei Jorge
Frei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei JorgeFrei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei Jorge
Frei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei Jorge
Patricia Martins
 
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Marisa Ferreira
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Alexandre R
 
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de SousaMaria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
nanasimao
 
Louvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixesLouvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixes
Dina Baptista
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
Aparecida Mallagoli
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
AnaGomes40
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Inesa M
 

Mais procurados (20)

Análise do cap iv
Análise do cap ivAnálise do cap iv
Análise do cap iv
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Corrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os MaiasCorrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os Maias
 
Frei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei Jorge
Frei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei JorgeFrei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei Jorge
Frei Luis de Sousa - Manuel de Sousa Coutinho e Frei Jorge
 
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
 
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de SousaMaria de Noronha-Frei Luis de Sousa
Maria de Noronha-Frei Luis de Sousa
 
Louvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixesLouvor das virtudes aos peixes
Louvor das virtudes aos peixes
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
 

Destaque

Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa OrtónimoResumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do conventoResumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do convento
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando PessoaResumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasResumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os Lusíadas
Raffaella Ergün
 
Geografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União EuropeiaGeografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União Europeia
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
Raffaella Ergün
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
Raffaella Ergün
 
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Raffaella Ergün
 
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Raffaella Ergün
 
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Raffaella Ergün
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos HídricosGeografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação SolarGeografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Raffaella Ergün
 
Geografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - TransportesGeografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - Transportes
Raffaella Ergün
 
Central Business District
Central Business DistrictCentral Business District
Central Business District
Raffaella Ergün
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental
010693
 

Destaque (20)

Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa OrtónimoResumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
 
Resumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do conventoResumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do convento
 
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando PessoaResumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
Resumos de Português: Heterónimos De Fernando Pessoa
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
 
Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!Resumos de Português: Felizmente há luar!
Resumos de Português: Felizmente há luar!
 
Resumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os LusíadasResumos de Português: Os Lusíadas
Resumos de Português: Os Lusíadas
 
Geografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União EuropeiaGeografia A 11 ano - União Europeia
Geografia A 11 ano - União Europeia
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
 
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
Resumos 10º ano - Economia A (3ªa parte)
 
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (2ª parte)
 
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
Resumos 10ºano - Economia A (1ª parte)
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
 
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos HídricosGeografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
 
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação SolarGeografia A 10 ano - Radiação Solar
Geografia A 10 ano - Radiação Solar
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
Geografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - TransportesGeografia A 11 ano - Transportes
Geografia A 11 ano - Transportes
 
Central Business District
Central Business DistrictCentral Business District
Central Business District
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental
 

Semelhante a Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes

Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
Raquel Tavares
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
camoespirata
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
Mónica Alexandra
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudoSermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Margarida Tomaz
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
P.antónio v.
P.antónio v.P.antónio v.
P.antónio v.
ameliapadrao
 
Sermão
SermãoSermão
Sermão
Susana Taio
 
Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
Rafael Nadal
 

Semelhante a Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes (20)

Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudoSermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
Sermão de Santo António aos Peixes - Tópicos para estudo
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
P.antónio v.
P.antónio v.P.antónio v.
P.antónio v.
 
Sermão
SermãoSermão
Sermão
 
Sermodesantoantnioaospeixes
SermodesantoantnioaospeixesSermodesantoantnioaospeixes
Sermodesantoantnioaospeixes
 

Mais de Raffaella Ergün

U.E em 12 lições
U.E em 12 liçõesU.E em 12 lições
U.E em 12 lições
Raffaella Ergün
 
Como funciona a União Europeia
Como funciona a União EuropeiaComo funciona a União Europeia
Como funciona a União Europeia
Raffaella Ergün
 
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Raffaella Ergün
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Raffaella Ergün
 
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Raffaella Ergün
 
Economia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União EuropeiaEconomia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União Europeia
Raffaella Ergün
 
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Raffaella Ergün
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
Raffaella Ergün
 

Mais de Raffaella Ergün (8)

U.E em 12 lições
U.E em 12 liçõesU.E em 12 lições
U.E em 12 lições
 
Como funciona a União Europeia
Como funciona a União EuropeiaComo funciona a União Europeia
Como funciona a União Europeia
 
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesaSaldo da balança de pagamentos portuguesa
Saldo da balança de pagamentos portuguesa
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
 
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (2ª parte)
 
Economia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União EuropeiaEconomia A 11º ano - União Europeia
Economia A 11º ano - União Europeia
 
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
Resumos Economia A 11º ano (1ª parte)
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
 

Último

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 

Último (20)

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 

Resumos de Português: Sermão de Santo António aos Peixes

  • 1. Padre António Vieira"Sermão de Santo António aos Peixes" sermão:http://portuguesonline2.no.sapo.pt/sermaointegral.htm Objetivosdo Sermão: Esta obra foi proferidanacidade de São Luís do Maranhão, noano de 1654, no decorrerde uma disputacom os colonosportuguesesnoBrasil.Osermãoconstitui umdocumentoimaginação,habilidadeoratóriae poderde satirizaçãodo Padre AntónioVieira. O sermãotemcomo objetivolouvaralgumasvirtudesdohomem, masprincipalmentecensurar osvíciosdos colonos (“peixesgrandesque comemospequenos”).Paraisto,opadre toma váriospeixescomosímbolos: roncador (oorgulhoso), voador(oambicioso), pegador(oparasita) e o polvo(otraidor,maistraidorque o próprioJudas). Este sermão, foi pregado no dia13 de Junho(Dia de SantoAntónio) trêsdiasantesde Padre AntónioVieira embarcar ocultamente (afurto) paraPortugal,paraobteruma legislaçãojustaparaosíndios. É todo ele compostoporalegorias(metáforas,comparações,utilizadasparaconcretizarumpensamentoou uma realidade abstrata), poisospeixessãoapersonificaçãodoshomens. Estilo: O estilode Padre AntónioVieiraremete paraumavertente medieval que assentana alegoria,mastambém para o barroco. Barroco: o sermãoinsere-se noBarroco,que se caracterizapelautilizaçãode contrastes,pelopessimismo, pelapresençade impressões sensoriais,pelapreocupaçãocoma duração da vida,pelalinguagemeruditae trabalhadae pelatentativadaconciliaçãoentre areligiãoe oracional.É associadoa exagerosquerna linguagem,quernatransmissãode ideiase pensamentose quertambémnaarte. Destaforma,nos seussermõesconvivemoconcetismoe ocultismodaarte barroca, na técnicado docere, do delectare e do movere. Para esse desempenhousou: polissíndetos,assíndetos, sinédoques,comparações, anástrofes,exclamações, trocadilhos, paralelismosanafóricos,antíteses, anáforas. Estrutura: Introdução (Exórdio ou Intróito - ideiasumária da matéria que vai sertratada) CAPÍTULOI Apresentaçãodotema,a partirdo versículode São Mateus,“Vóssoiso sal da terra”,referente aos pregadores,cujafunçãoé “salgar”, ouseja,pregara boa doutrina,e verificandoque aterra “não se deixa salgar”,porque se encontradominadapelacorrupção. Vieiravai pregaraospeixes,àmaneirade Santo António,que aelespregou,pornãoter sidoatendidopeloshomens.  Apresentaçãodotema,partindodoconceito: Vosestissol terrae (vóssoiso sal da terra);  Exploraçãodo tema; pregadores- o sal impede a corrupçãodos alimentos;os pregadores impedema corrupção da sociedade, pregandoa palavra de Deus.
  • 2.  Panegíricoa SantoAntónio;  Invocaçãoà VirgemMaria O capítulocomeça com um conceitopredicável(Vóssoisosal daterra),seguindo-seadescriçãoda corrupção que se faz viverna Terra. É nosexplicadaafunção do sal (impedira corrupção) e é feitauma referênciaclaraaos padrese pregadores(aquelesque têmoofíciodosal).É nosentão colocadaa questão “qual a causa da corrupção?”. Segue-sepoisumtrocadilhode questões,taiscomo: “Seráa terra que não se deixasalgar (osouvintesnão queremouvir), ou será que os pregadoresnão pregam a verdadeira doutrina? Ou porque os ouvintesa ouvem,mas não praticam o que lhesé ensinado,ouporque o pregador prega a si e não a Cristo. Ou ainda, que os ouvintesouvem,mas não servema Cristo, antes simaos seus apetites.” É entãoexplicadoque, se osal não salga a terra, é porque o pregador não prega a verdadeiradoutrina e por issodeve serlançadoforacomo um inútil e serpisadoportodos.E à terra que nãose deixasalgar,deve - se seguiro exemplode SantoAntónioquandopregoucontraosheregesemItália:mudarde auditório.Eé istoque faz o padre António,àsemelhançade SantoAntónio,mudandode auditório,escolhendocomo ouvintesospeixesaoinvésdoshomens,que se recusamaouvi-lo.Opregadorinvocanofinal NossaSenhora porque erahabitual fazê-lonestaépoca,aindamaisporque MariaquerdizerSenhoradoMar. PROPRIEDADES Sal Pregadores  Conservar  Evitar a corrupção  Louvar o bem  Impediromal A TERRA ESTÁ CORROMPIDA Porque o sal não salga Porque a terra não se deixa salgar Motivo:  Os pregadoresnãopregama verdadeira doutrina;  Os pregadoresdizemumacoisae fazem outra;  Os pregadoresprega-se asi mesmose nãoa Cristo. Motivo:  Os ouvintesnãoqueremrecebera verdadeiradoutrina;  Os ouvintesqueremimitaroque os pregadoresfazeme nãoo que dizem;  Os ouvintesqueremservirosseusapetitese não a Cristo. O que se há-se fazer quando não cumprem as suas funções Aos pregadores Respostade Cristo:  desprezarosmauspregadores Aos ouvintes Respostade SantoAntónio:  muda-se oauditório
  • 3. Desenvolvimento(Exposiçãoe Confirmação - apresentação circunstanciada de uma matéria didática e desenvolvimento/apresentaçãode provas dosfactos) CAPÍTULOII  Proposição - apresentaçãodoassuntodo sermão  Inícioda alegoria  Divisão CAPÍTULOIII  Louvoresemgeral e em particular.  Louvoresemgeral:“Aomenostêmos peixesduasqualidadesde ouvintes:ouveme nãofalam(…).”  No entantosãoos únicosanimaisque nãose deixamdomesticar- não se deixamconverter.  Inícioda confirmação  Louvoresemparticular:peixe Tobias,rémora,torpedo,quatro-olhos. Virtudesem geral:  São obedientes,ouveme nãofalam;  Foram osprimeirosanimaisaseremcriados;  São os maisnumerosos e volumosos;  Não sãodomesticáveis,presos,virgens. Virtudesem particular: Peixe Virtudes Efeitos Comparação Razões Tobias Tira as entranhas de uma peixe que o queriatragar. O fel sara a cegueira; O coração afasta os demónios Sarou a cegueira do pai; Lançou fora os demóniosde sua casa SantoAntónio Abriaa boca contra os hereges; Aluminavae curava a cegueira;Lançava os demónios Rémora Pequenanocorpo; Grande na força e no poder Pega-se aoleme de uma nau; Impede que ela avance SantoAntónio A línguade Santo Antóniodomouas paixõeshumanas Torpedo Produzenergia Faz tremero braço do pescador; Impede que o pesquem SantoAntónio A línguade Santo Antóniodomouas paixõeshumanas Quatro-Olhos Doisolhosolham para cima; Doisolhampara baixo Defende-se dos peixes; Defende-se das aves Pregador O peixe ensinouo pregadora olhar para cima (céu) e para baixo (inferno)
  • 4. CAPÍTULOIV  1ª repreensãodospeixesemgeral: 1) A ictiofagia(ospeixescomem-se unsaosoutros) 2) Amplificaçãodarepreensão(osmaiorescomemos mais pequenos) 3) Estessão comparáveisaoHomem: "Aomorto,come o herdeiro,comootestamenteiro,come o legatário,omédico,osangrador,a viúva,o coveiro,oque tange os sinos,oque lhe canta e o que o enterra.Enfim,aindaopodre defuntoonão comeua terra e portoda a terrajá foi comido"  2ª repreensãodospeixesemgeral:aignorânciae a cegueiradospeixes CAPÍTULOV  Repreensõesemparticular:roncadores(vício/vaidade);pegadores(críticaoparasitismo- escravizaçãodosíndios);voadores(osambiciosos - esquecem-seque sãopeixese queremvoarmais alto);polvo(atraição,a falsidade,ahipocrisia) Peixes Simbolizam Característicasde SantoAntónio Roncadores Arrogânciae orgulho Era detentordosabere do podere nãose vangloriavaporisso Pegadores Parasitismoe adulação Pegou-se somente aCristo Voadores Ambiçãoe presunção Tinhaasas (sabedoria) e nãoas usoupara exibiçãodoseuvalor Polvos Traição Esteve sempre afastadodatraição, sempre houve verdade e sinceridade Conclusão(Peroração ou Epílogo - parte final do discurso) CAPÍTULOVI  Apelo,incitamento,elevação: 1) os peixesestãoacimadosoutrosanimais 2) os peixesestãoacimadopregador  As últimaspalavrassãoas que a memória dosouvintesmaisretêm.Assim, opadre sintetizaos argumentosfundamentaisreafirmandoaimportânciadatese.Ooradorrecapitulaoseudiscursoe usa um desfechovibranteparaimpressionaroauditórioe parao exortara pôr em práticaos seus ensinamentos.