SlideShare uma empresa Scribd logo
Modelos de Competição em Oligopólio: Modelos de Cournot e Bertrand
Objetivo Geral Desenvolver os fundamentos e compreender o funcionamento de dois modelos de estrutura em oligopólio que tem foco na decisão simultânea de estratégias. Objetivos Específicos ,[object Object]
Apresentar e desenvolver o modelo de Cournot focando em suas principais características e resultados.
Apresentar e desenvolver o modelo de Bertrand focando nas principais características e resultados.,[object Object]
Modelo de Monopólio - Revisão Pressupostos Gerais: Só existe uma empresa incontestável no mercado (não existem concorrentes), a empresa tem poder de mercado (ela influência preços). Condição de equilíbrio do  Monopolista: P P* Oferta de mercado = Curva de Cmg Demanda de mercado Curva de Rmg Y* Y
Contexto e Origens – Modelo de Cournot Problema original publicado em 1838 envolvendo situação de competição por quantidades de duas firmas fornecedoras de água (sem consideração de estoques). Formalizou um jogo teórico fundamentalmente matemático de característica estática onde as firmas competiriam por quantidades. Posteriormente, no final da década de 1950, o equilíbrio gerado pelo modelo clássico de Cournot foi reconhecido como um caso particular do famoso equilíbrio de Nash.
Pressupostos do Modelo de Cournot Os produtos são homogêneos; A estratégia das firmas é mandatoriamente sobre a quantidade a ser produzida (não há possibilidade de existir estoque); A competição ocorrerá em rodada única; Os competidores de Cournot decidem sua estratégia simultaneamente; Não há a possibilidade de existirem novas firmas entrantes; A informação é perfeita entre os agentes.
O modelo de Cournot Função objetivo da Firma 1 Função objetivo da Firma 2 Curva de Reação da Firma 1 Curva de Reação da Firma 2 Oferta Total do Mercado  Condição de  Equilíbrio
Equilíbrio ou solução de Cournot Fonte: Varian, 2006. y1 Curva de Reação (y1*,y2*) y1* (y1t+4,y2t+4) (y1t+3,y2t+3) (y1t+2,y2t+2) (y1t,y2t) (y1t+1,y2t+1) Curva de Reação y2 y2*
Exemplo - Cournot Preço de Mercado Dados da Firma 1 Dados da Firma 2
Exemplo - Cournot Função de Reação da Firma 1 Função de Reação da Firma 2 Ao substituir um função de reação na outra podemos obter: Preço do mercado: Quantidade Produzida por Firma: Lucro por Firma:
Contexto e Origens – Modelo de Bertrand 45 anos depois do modelo de anterior, surge a crítica de Bertrand; Crítica com foco no fato de os resultados obtidos por Cournot depender da irreal suposição de competição por quantidades; Com isso, Bertrand propõe que as evidências empíricas indicam que as empresas na realidade competiriam via preços. Assim, ele formula um modelo de competição via preços com pressupostos similares ao do modelo de Courntot.
Pressupostos do Modelo de Bertrand (Modelo Original) Os produtos são homogêneos; As empresas apresentam o mesmo custo unitário de produção; Não existem restrições à produção; A estratégia das firmas é exclusivamente sobre seus preços; A competição ocorrerá em rodada única; Os competidores de Bertrand decidem sua estratégia simultaneamente; Não há a possibilidade de existirem novas firmas entrantes; A informação é perfeita entre os agentes.
O modelo de Bertrand Decisão da Firma 1 e Decisão da Firma 2 e
Solução ou Equilíbrio de Bertrand Condição de  Equilíbrio Não é um equilíbrio. Qualquer uma das firmas pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 1 pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 2 pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 1 pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 2 pode melhorar sua situação. É o ponto de equilíbrio de Bertrand.
Paradoxo de Bertrand O principal resultado do modelo de Bertrand se estabelece como contraditório em relação ao que se espera em relação ao resultado de equilíbrio de uma estrutura de oligopólio. De forma geral teremos, que apenas duas firmas são suficientes para eliminar o poder de mercado e a competição entre estas resulta na dissipação dos lucros sobre normais. Entretanto, o resultado obtido pelo modelo de Bertrand só se mantém se os pressupostos inicialmente expostos forem satisfeitos.
Exemplo - Bertrand Curva de Demanda inversa: Dados da Firma 1 Dados da Firma 2 Situação de equilíbrio
Comparação entre os modelos Fonte: Carreira-Fernandez, 2001.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Decisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaDecisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolista
Luciano Pires
 
Fundamentos de economia
Fundamentos de economiaFundamentos de economia
Fundamentos de economia
Luciano Pires
 
Microeconomia
MicroeconomiaMicroeconomia
Microeconomia
José Cruz
 
Cap10 - PODER DE MERCADO
Cap10 - PODER DE MERCADOCap10 - PODER DE MERCADO
Cap10 - PODER DE MERCADO
Dágina Cristina
 
Produção e custos - Macroeconomia e Microeconomia
Produção e custos -   Macroeconomia e Microeconomia Produção e custos -   Macroeconomia e Microeconomia
Produção e custos - Macroeconomia e Microeconomia
Na Silva
 
Economia aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadas
Economia   aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadasEconomia   aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadas
Economia aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadas
Felipe Leo
 
Aula 4 produção e custos
Aula 4   produção e custosAula 4   produção e custos
Aula 4 produção e custos
Mitsubishi Motors Brasil
 
Aula 3 elasticidade
Aula 3   elasticidadeAula 3   elasticidade
Aula 3 elasticidade
Mitsubishi Motors Brasil
 
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Luciano Pires
 
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
Luciano Pires
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
Kelly Ariane Buás Bráz
 
Respostas mankiw - capítulo 6 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 6 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 6 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 6 (superior)
Luciano Pires
 
Economia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisãoEconomia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisão
Felipe Leo
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Felipe Leo
 
Mercados e políticas do governo
Mercados e políticas do governoMercados e políticas do governo
Mercados e políticas do governo
Luciano Pires
 
Aula inicial economia
Aula inicial economiaAula inicial economia
Aula inicial economia
COTIDIANO CIVIL
 
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Luciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Luciano Pires
 
Rendimentos à escala
Rendimentos à escalaRendimentos à escala
Rendimentos à escala
Micaela Jardim
 
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
Luciano Pires
 

Mais procurados (20)

Decisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaDecisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolista
 
Fundamentos de economia
Fundamentos de economiaFundamentos de economia
Fundamentos de economia
 
Microeconomia
MicroeconomiaMicroeconomia
Microeconomia
 
Cap10 - PODER DE MERCADO
Cap10 - PODER DE MERCADOCap10 - PODER DE MERCADO
Cap10 - PODER DE MERCADO
 
Produção e custos - Macroeconomia e Microeconomia
Produção e custos -   Macroeconomia e Microeconomia Produção e custos -   Macroeconomia e Microeconomia
Produção e custos - Macroeconomia e Microeconomia
 
Economia aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadas
Economia   aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadasEconomia   aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadas
Economia aula 10 - o modelo de oferta e demanda agregadas
 
Aula 4 produção e custos
Aula 4   produção e custosAula 4   produção e custos
Aula 4 produção e custos
 
Aula 3 elasticidade
Aula 3   elasticidadeAula 3   elasticidade
Aula 3 elasticidade
 
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
 
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
 
Respostas mankiw - capítulo 6 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 6 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 6 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 6 (superior)
 
Economia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisãoEconomia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisão
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
 
Mercados e políticas do governo
Mercados e políticas do governoMercados e políticas do governo
Mercados e políticas do governo
 
Aula inicial economia
Aula inicial economiaAula inicial economia
Aula inicial economia
 
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
 
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
 
Rendimentos à escala
Rendimentos à escalaRendimentos à escala
Rendimentos à escala
 
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
As forças de oferta e demanda dos mercados (superior)
 

Destaque

Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança NacionaisSistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Luciano Pires
 
Introdução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativasIntrodução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativas
Luciano Pires
 
Desemprego
DesempregoDesemprego
Desemprego
Luciano Pires
 
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Luciano Pires
 
As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)
As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)
As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)
Luciano Pires
 
Elasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicaçõesElasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicações
Luciano Pires
 
Produção e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoProdução e crescimento econômico
Produção e crescimento econômico
Luciano Pires
 
Custo de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preçosCusto de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preços
Luciano Pires
 
Economia Como Ciência
Economia Como CiênciaEconomia Como Ciência
Economia Como Ciência
Luciano Pires
 
Bens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comunsBens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comuns
Luciano Pires
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Luciano Pires
 
Externalidades
ExternalidadesExternalidades
Externalidades
Luciano Pires
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
Luciano Pires
 

Destaque (13)

Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança NacionaisSistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
 
Introdução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativasIntrodução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativas
 
Desemprego
DesempregoDesemprego
Desemprego
 
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
 
As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)
As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)
As forças de oferta e demanda dos mercados (técnico)
 
Elasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicaçõesElasticidade e suas aplicações
Elasticidade e suas aplicações
 
Produção e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoProdução e crescimento econômico
Produção e crescimento econômico
 
Custo de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preçosCusto de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preços
 
Economia Como Ciência
Economia Como CiênciaEconomia Como Ciência
Economia Como Ciência
 
Bens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comunsBens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comuns
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
 
Externalidades
ExternalidadesExternalidades
Externalidades
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
 

Semelhante a Modelos de Cournot e Bertrand

Estruturas de mercado
Estruturas de mercadoEstruturas de mercado
Estruturas de mercado
Universidade Pedagogica
 
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
Na Silva
 
28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia
28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia
28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia
Vitor Carvalho
 
Eco5
Eco5Eco5
Estrutura de mercado, monopolio, oligopolio
Estrutura de mercado, monopolio, oligopolioEstrutura de mercado, monopolio, oligopolio
Estrutura de mercado, monopolio, oligopolio
SidneySilva523387
 
9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx
9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx
9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx
henriquefgcgamer
 
Porter e a Nova Era
Porter e a Nova EraPorter e a Nova Era
Porter e a Nova Era
Renan Miranda
 
Monopólio descriminador de preço
Monopólio descriminador de preçoMonopólio descriminador de preço
Monopólio descriminador de preço
Universidade Pedagogica
 
Resumo p1 economia mariusa
Resumo p1  economia   mariusaResumo p1  economia   mariusa
Resumo p1 economia mariusa
Naiara Costa
 
Elasticidade-Preço-20015
Elasticidade-Preço-20015Elasticidade-Preço-20015
Elasticidade-Preço-20015
Jaime Maeda
 
13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz
13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz
13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz
Guilherme Loponte
 
Aula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismoAula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismo
Homero Alves de Lima
 
Artigo 1 estratégias competitivas
Artigo 1 estratégias competitivasArtigo 1 estratégias competitivas
Artigo 1 estratégias competitivas
Paula Rodrigues
 
modelo de porter e plano de neocio
modelo de porter e plano de neociomodelo de porter e plano de neocio
modelo de porter e plano de neocio
kelllyne
 
Estudo sobre pe
Estudo sobre peEstudo sobre pe
Estudo sobre pe
Joao Carlos Januário
 
Port. 02 tj
Port. 02   tjPort. 02   tj
Mercado e Concorrência
Mercado e ConcorrênciaMercado e Concorrência
Mercado e Concorrência
Doisnovemeia Publicidade
 
EstruturaS de Mercado
EstruturaS de MercadoEstruturaS de Mercado
EstruturaS de Mercado
AllanSrgio1
 
Monopólio - Mankiw
Monopólio - MankiwMonopólio - Mankiw
Monopólio - Mankiw
Saiane Nascimento
 
Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)
Sandrarossato2
 

Semelhante a Modelos de Cournot e Bertrand (20)

Estruturas de mercado
Estruturas de mercadoEstruturas de mercado
Estruturas de mercado
 
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
 
28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia
28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia
28106966 aulas-de-fundamentos-de-economia
 
Eco5
Eco5Eco5
Eco5
 
Estrutura de mercado, monopolio, oligopolio
Estrutura de mercado, monopolio, oligopolioEstrutura de mercado, monopolio, oligopolio
Estrutura de mercado, monopolio, oligopolio
 
9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx
9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx
9-administrac3a7c3a3o-de-custos42442.pptx
 
Porter e a Nova Era
Porter e a Nova EraPorter e a Nova Era
Porter e a Nova Era
 
Monopólio descriminador de preço
Monopólio descriminador de preçoMonopólio descriminador de preço
Monopólio descriminador de preço
 
Resumo p1 economia mariusa
Resumo p1  economia   mariusaResumo p1  economia   mariusa
Resumo p1 economia mariusa
 
Elasticidade-Preço-20015
Elasticidade-Preço-20015Elasticidade-Preço-20015
Elasticidade-Preço-20015
 
13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz
13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz
13° Maratona de Supply Chain (2017) - Procurement Souza Cruz
 
Aula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismoAula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismo
 
Artigo 1 estratégias competitivas
Artigo 1 estratégias competitivasArtigo 1 estratégias competitivas
Artigo 1 estratégias competitivas
 
modelo de porter e plano de neocio
modelo de porter e plano de neociomodelo de porter e plano de neocio
modelo de porter e plano de neocio
 
Estudo sobre pe
Estudo sobre peEstudo sobre pe
Estudo sobre pe
 
Port. 02 tj
Port. 02   tjPort. 02   tj
Port. 02 tj
 
Mercado e Concorrência
Mercado e ConcorrênciaMercado e Concorrência
Mercado e Concorrência
 
EstruturaS de Mercado
EstruturaS de MercadoEstruturaS de Mercado
EstruturaS de Mercado
 
Monopólio - Mankiw
Monopólio - MankiwMonopólio - Mankiw
Monopólio - Mankiw
 
Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)Sde estacio-manual do participante (2)
Sde estacio-manual do participante (2)
 

Mais de Luciano Pires

Produção acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administração
Produção acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administraçãoProdução acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administração
Produção acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administração
Luciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)
Luciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Luciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)
Luciano Pires
 
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
Luciano Pires
 
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
Luciano Pires
 
Inovação e Porte das Empresas
Inovação e Porte das EmpresasInovação e Porte das Empresas
Inovação e Porte das Empresas
Luciano Pires
 

Mais de Luciano Pires (7)

Produção acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administração
Produção acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administraçãoProdução acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administração
Produção acadêmica sobre pesquisas de orçamentos familiares na administração
 
Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 26 (Superior)
 
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
 
Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 13 (Superior)
 
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
 
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
 
Inovação e Porte das Empresas
Inovação e Porte das EmpresasInovação e Porte das Empresas
Inovação e Porte das Empresas
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 

Modelos de Cournot e Bertrand

  • 1. Modelos de Competição em Oligopólio: Modelos de Cournot e Bertrand
  • 2.
  • 3. Apresentar e desenvolver o modelo de Cournot focando em suas principais características e resultados.
  • 4.
  • 5. Modelo de Monopólio - Revisão Pressupostos Gerais: Só existe uma empresa incontestável no mercado (não existem concorrentes), a empresa tem poder de mercado (ela influência preços). Condição de equilíbrio do Monopolista: P P* Oferta de mercado = Curva de Cmg Demanda de mercado Curva de Rmg Y* Y
  • 6. Contexto e Origens – Modelo de Cournot Problema original publicado em 1838 envolvendo situação de competição por quantidades de duas firmas fornecedoras de água (sem consideração de estoques). Formalizou um jogo teórico fundamentalmente matemático de característica estática onde as firmas competiriam por quantidades. Posteriormente, no final da década de 1950, o equilíbrio gerado pelo modelo clássico de Cournot foi reconhecido como um caso particular do famoso equilíbrio de Nash.
  • 7. Pressupostos do Modelo de Cournot Os produtos são homogêneos; A estratégia das firmas é mandatoriamente sobre a quantidade a ser produzida (não há possibilidade de existir estoque); A competição ocorrerá em rodada única; Os competidores de Cournot decidem sua estratégia simultaneamente; Não há a possibilidade de existirem novas firmas entrantes; A informação é perfeita entre os agentes.
  • 8. O modelo de Cournot Função objetivo da Firma 1 Função objetivo da Firma 2 Curva de Reação da Firma 1 Curva de Reação da Firma 2 Oferta Total do Mercado Condição de Equilíbrio
  • 9. Equilíbrio ou solução de Cournot Fonte: Varian, 2006. y1 Curva de Reação (y1*,y2*) y1* (y1t+4,y2t+4) (y1t+3,y2t+3) (y1t+2,y2t+2) (y1t,y2t) (y1t+1,y2t+1) Curva de Reação y2 y2*
  • 10. Exemplo - Cournot Preço de Mercado Dados da Firma 1 Dados da Firma 2
  • 11. Exemplo - Cournot Função de Reação da Firma 1 Função de Reação da Firma 2 Ao substituir um função de reação na outra podemos obter: Preço do mercado: Quantidade Produzida por Firma: Lucro por Firma:
  • 12. Contexto e Origens – Modelo de Bertrand 45 anos depois do modelo de anterior, surge a crítica de Bertrand; Crítica com foco no fato de os resultados obtidos por Cournot depender da irreal suposição de competição por quantidades; Com isso, Bertrand propõe que as evidências empíricas indicam que as empresas na realidade competiriam via preços. Assim, ele formula um modelo de competição via preços com pressupostos similares ao do modelo de Courntot.
  • 13. Pressupostos do Modelo de Bertrand (Modelo Original) Os produtos são homogêneos; As empresas apresentam o mesmo custo unitário de produção; Não existem restrições à produção; A estratégia das firmas é exclusivamente sobre seus preços; A competição ocorrerá em rodada única; Os competidores de Bertrand decidem sua estratégia simultaneamente; Não há a possibilidade de existirem novas firmas entrantes; A informação é perfeita entre os agentes.
  • 14. O modelo de Bertrand Decisão da Firma 1 e Decisão da Firma 2 e
  • 15. Solução ou Equilíbrio de Bertrand Condição de Equilíbrio Não é um equilíbrio. Qualquer uma das firmas pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 1 pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 2 pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 1 pode melhorar sua situação. Não é um equilíbrio. A firma 2 pode melhorar sua situação. É o ponto de equilíbrio de Bertrand.
  • 16. Paradoxo de Bertrand O principal resultado do modelo de Bertrand se estabelece como contraditório em relação ao que se espera em relação ao resultado de equilíbrio de uma estrutura de oligopólio. De forma geral teremos, que apenas duas firmas são suficientes para eliminar o poder de mercado e a competição entre estas resulta na dissipação dos lucros sobre normais. Entretanto, o resultado obtido pelo modelo de Bertrand só se mantém se os pressupostos inicialmente expostos forem satisfeitos.
  • 17. Exemplo - Bertrand Curva de Demanda inversa: Dados da Firma 1 Dados da Firma 2 Situação de equilíbrio
  • 18. Comparação entre os modelos Fonte: Carreira-Fernandez, 2001.
  • 19. Referências Bibliográficas Carreira-Fernandez, J. Curso básico de microeconomia. Salvador:EDUFBA, 2001. Church, J.; Ware, R. Industrial organization: a strategic approach. Boston:McGraw-Hill, 2000. Pindyck, R.S.; Rubinfeld, D.L.Microeconomia. São Paulo:Prentice Hall, 2002. Varian, H. Microeconomia: princípios básicos . Uma Abordagem Moderna. Rio de Janeiro: Elsevier,2006. Varian, H. Microeconomicanalysis. New York: Norton, 1992.