SlideShare uma empresa Scribd logo
Medindo o potencial
  Hidrogeniônico



 Prof. Carlos Frederico Rodrigues
Entendendo as bases
• A manutenção da concentração de íons hidrogênio
  nos fluidos biológicos é de fundamental
  importância para o funcionamento dos processos
  bioquímicos que ocorrem nas células dos
  diferentes tecidos animais.

• Uma maneira simples de medir a concentração
  hidrogeniônica foi proposta pelo bioquímico
  Sorensen, quando criou a escala de pH.

• Representa a concentração hidrogeniônica da
  solução.
Entendendo as bases
•   Os fluidos biológicos podem ser classificados através
    desta escala em fluidos: neutros quando seu pH for igual
    a 7; ácidos quando seu pH for menor que 7 e alcalinos
    para valores de pH superiores a 7.

•   Uma substância é ácida quando é capaz de doar prótons
    e alcalina quando recebe prótons (conceito de Bronsted-
    Lowry).

•   Os ácidos podem ser fracos e fortes. Os ácidos são
    fracos quando apresentam uma fraca tendência a ceder
    prótons para água e os ácidos são fortes quando
    transferem facilmente seus prótons.
Entendendo as bases
•   A absorção de um medicamento está bastante associada ao
    seu caráter eletrolítico. Em geral, os medicamentos são mais
    bem absorvidos através do trato gastrointestinal quando se
    apresentam na forma não-ionizada. Assim, medicamentos
    fracamente ácidos serão mantidos, na forma não-ionizada, no
    estômago, fracas ao seu pH ácido, facilitando sua absorção.

•   Já um medicamento fracamente básico será bastante ionizado
    no estômago e, portanto, pouco absorvido.

•   Um exemplo seria a aspirina (ácido acetilsalicílico). Quando em
    solução ácida, como no estômago, ela se apresenta mais de
    90% na forma não ionizada; enquanto que em solução neutra,
    apenas 1%. Assim, podemos concluir que ela seria facilmente
    absorvida no estômago (pH próximo de 2) e mais lentamente no
    intestino delgado, onde o pH é superior a 7.
Entendendo as bases
• O que são tampões?

• Algumas substâncias ao serem
  misturadas são capazes de impedir
  acentuadas variações de pH de
  uma solução, mesmo quando a ela
  se adiciona de um ácido ou uma
  base a solução. Tais soluções são
  conhecidas como tampões.
Entendendo as bases
• Determinados medicamentos são
  tamponados com o objetivo de melhorar a
  sua atuação o atenuar os efeitos
  colaterais. Um exemplo de medicamento
  tamponado é o Buferin, que atua como
  analgésico e antiinflamatório. Este
  medicamento é constituído por ácido acetil
  salicílico (AAS ou aspirina) tamponado
  com carbonato de magnésio e
  aminoacetato de alumínio.
Entendo as bases
• Um importante tampão biológico é o
  sistema constituído por ácido
  carbônico / bicarbonato, principal
  responsável pela manutenção do pH
  plasmático.

• A reação do sistema tampão ácido
  carbônico / bicarbonato é a seguinte:

• H+ + HCO-3      H2CO3       CO2 + H2O
Entendo as bases
•   Na reação acima pode ser observado que um aumento na
    concentração de CO2 resultará na formação de maior
    quantidade de H2CO3 tornando o meio ácido. Uma redução
    de CO2 tornará a solução alcalina. No sangue essas
    variações de pH são chamadas de acidose ( redução de pH-
    acúmulo de ácido) e alcalose (perda de ácido- aumento de
    pH).

•   Vários quadros clínicos estão associados a acidose
    respiratória, exemplos são parada cardíaca, edema agudo
    de pulmão, pneumonias graves, etc. Alcalose respiratória
    são encontradas na ansiedade, histeria, tumor cerebral.
    Acidose metabólica encontra-se na desnutrição, febre alta,
    insuficiência renal, diabetes mellitus e outras doenças.
    Alcalose metabólica está associada a perdas urinárias de
    ácidos (diuréticos), administração de bases, etc.
Como medir o pH.
• O pH de uma solução pode ser medido pelo
  método potenciométrico ou colorimétrico.

• No método potenciométrico a determinação do
  pH é realizada com o uso de um aparelho
  chamado pHmetro ou potenciômetro.

• Este método baseia-se na formação de um
  potencial de elétrico através da parede de um
  eletrodo de vidro seletivo ao íon hidrogênio.
Como medir o pH
• Desta forma, o eletrodo mede a ddp
  decorrente de um potencial de difusão
  do íon hidrogênio.

• Este potencial de difusão ocorre devido
  ao fato de existir uma diferença na
  concentração hidrogeniônica entre o
  interior do eletrodo e a solução
  banhante ( onde o pH está sendo
  medido).
Como medir o pH
• No método colorimétrico a
  determinação do pH baseia-se no uso
  de indicadores.

• Indicadores são substâncias que
  variam de cor em função do pH.

• Dependendo do grau de dissociação
  uma gradação de cores pode ser
  observada e associada a um
  determinado valor de pH.
Como medir o pH
• pH metria para refluxo gastro-esofágico.

• Indicativo de cores para glicemia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gasometria Arterial.pptx
Gasometria Arterial.pptxGasometria Arterial.pptx
Gasometria Arterial.pptx
Geovana654578
 
Clorador embrapa
Clorador embrapaClorador embrapa
Clorador embrapa
João Siqueira da Mata
 
Métodos de doseamento
Métodos de doseamentoMétodos de doseamento
Métodos de doseamento
Arianne Lopes
 
Validation of analytical method for Diabetes Mellitus
 Validation of analytical method  for Diabetes Mellitus  Validation of analytical method  for Diabetes Mellitus
Validation of analytical method for Diabetes Mellitus
DhruvkumarPatel25
 
Identificando pensamentos automáticos
Identificando pensamentos automáticosIdentificando pensamentos automáticos
Identificando pensamentos automáticos
Samir Oliveira
 
Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability
Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability
Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability
labgo
 
Basics impurity profiling and degradent characterization[134]
Basics impurity profiling and degradent characterization[134]Basics impurity profiling and degradent characterization[134]
Basics impurity profiling and degradent characterization[134]
University Institute of Pharmaceutical Sciences
 
Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...
Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...
Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...
Shiva sai kiran
 
Vivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
Vivenciando a A.C.P. de Carl RogersVivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
Vivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
profº espª consultor Póvoas
 
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
MendesAanjossMeendes
 
Controle de qualidade de matérias primas – insumos
Controle de qualidade de matérias primas – insumosControle de qualidade de matérias primas – insumos
Controle de qualidade de matérias primas – insumos
Vanessa Rodrigues
 
Curso completo de psicanálise gratis sem diploma
Curso completo de psicanálise gratis sem diplomaCurso completo de psicanálise gratis sem diploma
Curso completo de psicanálise gratis sem diploma
Andre Silva
 
Fundamentos de diluição
Fundamentos de diluiçãoFundamentos de diluição
Fundamentos de diluição
Welvis Furtado
 
Optical Immunoassay.pptx
Optical Immunoassay.pptxOptical Immunoassay.pptx
Optical Immunoassay.pptx
KamalMisra6
 
QUANTIFICATION METHODS OF HPLC
QUANTIFICATION METHODS OF HPLCQUANTIFICATION METHODS OF HPLC
Ppt CPOB Bangunan dan Fasilitas
Ppt CPOB Bangunan dan FasilitasPpt CPOB Bangunan dan Fasilitas
Ppt CPOB Bangunan dan Fasilitas
Herlinasari Herlinasari
 
Agulhas, seringas e suas indicações.pptx
Agulhas, seringas e suas indicações.pptxAgulhas, seringas e suas indicações.pptx
Agulhas, seringas e suas indicações.pptx
bianca375788
 
Aula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptx
Aula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptxAula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptx
Aula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptx
CamilaFerreira457057
 
Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.
Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.
Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.
Dr D Y Patil College of Pharmacy Akurdi Pune.
 
Materi Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdf
Materi Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdfMateri Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdf
Materi Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdf
PAHTMAPURNAMASARIDEW
 

Mais procurados (20)

Gasometria Arterial.pptx
Gasometria Arterial.pptxGasometria Arterial.pptx
Gasometria Arterial.pptx
 
Clorador embrapa
Clorador embrapaClorador embrapa
Clorador embrapa
 
Métodos de doseamento
Métodos de doseamentoMétodos de doseamento
Métodos de doseamento
 
Validation of analytical method for Diabetes Mellitus
 Validation of analytical method  for Diabetes Mellitus  Validation of analytical method  for Diabetes Mellitus
Validation of analytical method for Diabetes Mellitus
 
Identificando pensamentos automáticos
Identificando pensamentos automáticosIdentificando pensamentos automáticos
Identificando pensamentos automáticos
 
Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability
Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability
Method Validation - ICH /USP Validation, Linearity and Repeatability
 
Basics impurity profiling and degradent characterization[134]
Basics impurity profiling and degradent characterization[134]Basics impurity profiling and degradent characterization[134]
Basics impurity profiling and degradent characterization[134]
 
Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...
Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...
Simultaneous estimation of uv spectroscopy and method development and validat...
 
Vivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
Vivenciando a A.C.P. de Carl RogersVivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
Vivenciando a A.C.P. de Carl Rogers
 
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
 
Controle de qualidade de matérias primas – insumos
Controle de qualidade de matérias primas – insumosControle de qualidade de matérias primas – insumos
Controle de qualidade de matérias primas – insumos
 
Curso completo de psicanálise gratis sem diploma
Curso completo de psicanálise gratis sem diplomaCurso completo de psicanálise gratis sem diploma
Curso completo de psicanálise gratis sem diploma
 
Fundamentos de diluição
Fundamentos de diluiçãoFundamentos de diluição
Fundamentos de diluição
 
Optical Immunoassay.pptx
Optical Immunoassay.pptxOptical Immunoassay.pptx
Optical Immunoassay.pptx
 
QUANTIFICATION METHODS OF HPLC
QUANTIFICATION METHODS OF HPLCQUANTIFICATION METHODS OF HPLC
QUANTIFICATION METHODS OF HPLC
 
Ppt CPOB Bangunan dan Fasilitas
Ppt CPOB Bangunan dan FasilitasPpt CPOB Bangunan dan Fasilitas
Ppt CPOB Bangunan dan Fasilitas
 
Agulhas, seringas e suas indicações.pptx
Agulhas, seringas e suas indicações.pptxAgulhas, seringas e suas indicações.pptx
Agulhas, seringas e suas indicações.pptx
 
Aula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptx
Aula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptxAula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptx
Aula 1. Requerimentos de Energia - Nutrição e Dietética.pptx
 
Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.
Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.
Devlopment and validation of rp hplc method for simultaneous ex.
 
Materi Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdf
Materi Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdfMateri Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdf
Materi Pertemuan 1 Biofarmasetika 2022.pdf
 

Semelhante a Medindo o potencial hidrogeniônico

áGua tampões
áGua tampõesáGua tampões
áGua tampões
Rondinelly Rodrigues
 
O produto iônico da água e o p h das soluções aquosas
O produto iônico da água e o p h das soluções aquosasO produto iônico da água e o p h das soluções aquosas
O produto iônico da água e o p h das soluções aquosas
Robson Ricards
 
Controle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renalControle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renal
Universidade de Brasília
 
Distúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Distúrbios do Equílibrio Ácido-BaseDistúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Distúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Hugo Fialho
 
Ph e solução do tampão
Ph e solução do tampãoPh e solução do tampão
Ph e solução do tampão
Gabi Campos
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
Léo Morais
 
3º+aula+p..
3º+aula+p..3º+aula+p..
3º+aula+p..
Bruno Nogueira
 
tampoes_biologicos.pdf
tampoes_biologicos.pdftampoes_biologicos.pdf
tampoes_biologicos.pdf
InciaLeal2
 
AULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃO
AULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃOAULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃO
AULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃO
GabyMaceirasRinaldy
 
Solução tampão
Solução tampãoSolução tampão
Solução tampão
Wendell Moura
 
aula teste - gasometria. prof. Lourdes.ppt
aula teste - gasometria. prof. Lourdes.pptaula teste - gasometria. prof. Lourdes.ppt
aula teste - gasometria. prof. Lourdes.ppt
MariadeLourdesSilvad5
 
Ácidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmica
Ácidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmicaÁcidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmica
Ácidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmica
antoniohenriquedesou2
 
Ave farmaco
Ave farmacoAve farmaco
Ave farmaco
jeniferamo
 
Gasometria
GasometriaGasometria
Gasometria
Shirley Moraes
 
Eab e fluidoterapia
Eab e fluidoterapiaEab e fluidoterapia
aula teorica_20_5 (1).pptx
aula teorica_20_5 (1).pptxaula teorica_20_5 (1).pptx
aula teorica_20_5 (1).pptx
sintiasousa3
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
Hugo Fialho
 
cepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptx
cepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptxcepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptx
cepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptx
LucasBorges826495
 
EqbEquilibrio acido base
EqbEquilibrio acido baseEqbEquilibrio acido base
EqbEquilibrio acido base
alexandrefigdo
 
Simp 6 equilibrio_acido_base
Simp 6 equilibrio_acido_baseSimp 6 equilibrio_acido_base
Simp 6 equilibrio_acido_base
rasg75
 

Semelhante a Medindo o potencial hidrogeniônico (20)

áGua tampões
áGua tampõesáGua tampões
áGua tampões
 
O produto iônico da água e o p h das soluções aquosas
O produto iônico da água e o p h das soluções aquosasO produto iônico da água e o p h das soluções aquosas
O produto iônico da água e o p h das soluções aquosas
 
Controle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renalControle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renal
 
Distúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Distúrbios do Equílibrio Ácido-BaseDistúrbios do Equílibrio Ácido-Base
Distúrbios do Equílibrio Ácido-Base
 
Ph e solução do tampão
Ph e solução do tampãoPh e solução do tampão
Ph e solução do tampão
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
 
3º+aula+p..
3º+aula+p..3º+aula+p..
3º+aula+p..
 
tampoes_biologicos.pdf
tampoes_biologicos.pdftampoes_biologicos.pdf
tampoes_biologicos.pdf
 
AULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃO
AULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃOAULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃO
AULA 03 ÁCIDOS E BASES, PH E EFEITO TAMPÃO
 
Solução tampão
Solução tampãoSolução tampão
Solução tampão
 
aula teste - gasometria. prof. Lourdes.ppt
aula teste - gasometria. prof. Lourdes.pptaula teste - gasometria. prof. Lourdes.ppt
aula teste - gasometria. prof. Lourdes.ppt
 
Ácidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmica
Ácidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmicaÁcidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmica
Ácidos, Bases e Tampões: uma descrição bioquímica sistêmica
 
Ave farmaco
Ave farmacoAve farmaco
Ave farmaco
 
Gasometria
GasometriaGasometria
Gasometria
 
Eab e fluidoterapia
Eab e fluidoterapiaEab e fluidoterapia
Eab e fluidoterapia
 
aula teorica_20_5 (1).pptx
aula teorica_20_5 (1).pptxaula teorica_20_5 (1).pptx
aula teorica_20_5 (1).pptx
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
cepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptx
cepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptxcepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptx
cepeti-equilibrio-acido-base-e-seus-disturbios-770b0368.pptx
 
EqbEquilibrio acido base
EqbEquilibrio acido baseEqbEquilibrio acido base
EqbEquilibrio acido base
 
Simp 6 equilibrio_acido_base
Simp 6 equilibrio_acido_baseSimp 6 equilibrio_acido_base
Simp 6 equilibrio_acido_base
 

Mais de Carlos Frederico Almeida Rodrigues

Hemorragia periventricular
Hemorragia periventricularHemorragia periventricular
Hemorragia periventricular
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Cefaleia na emergência
Cefaleia na emergênciaCefaleia na emergência
Cefaleia na emergência
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Transtornos do aprendizado
Transtornos do aprendizadoTranstornos do aprendizado
Transtornos do aprendizado
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Disrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefaliasDisrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefalias
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Neurofisiologia
NeurofisiologiaNeurofisiologia
Líquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidianoLíquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidiano
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Diagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMADiagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMA
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Neurocirurgia
NeurocirurgiaNeurocirurgia
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriaisPrincípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Quando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologistaQuando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologista
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Acidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálicoAcidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálico
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalTraumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Ataxia e ..
Ataxia e ..Ataxia e ..
Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica patoAnálise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Toc
TocToc
Uno cc febril
Uno   cc febrilUno   cc febril
Lesões+do..
Lesões+do..Lesões+do..

Mais de Carlos Frederico Almeida Rodrigues (20)

Hemorragia periventricular
Hemorragia periventricularHemorragia periventricular
Hemorragia periventricular
 
Cefaleia na emergência
Cefaleia na emergênciaCefaleia na emergência
Cefaleia na emergência
 
Transtornos do aprendizado
Transtornos do aprendizadoTranstornos do aprendizado
Transtornos do aprendizado
 
Disrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefaliasDisrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefalias
 
Neurofisiologia
NeurofisiologiaNeurofisiologia
Neurofisiologia
 
Líquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidianoLíquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidiano
 
Diagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMADiagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMA
 
Neurocirurgia
NeurocirurgiaNeurocirurgia
Neurocirurgia
 
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriaisPrincípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
 
Quando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologistaQuando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologista
 
Acidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálicoAcidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálico
 
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalTraumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
 
A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)
 
Ataxia e ..
Ataxia e ..Ataxia e ..
Ataxia e ..
 
Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)
 
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
 
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica patoAnálise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
 
Toc
TocToc
Toc
 
Uno cc febril
Uno   cc febrilUno   cc febril
Uno cc febril
 
Lesões+do..
Lesões+do..Lesões+do..
Lesões+do..
 

Medindo o potencial hidrogeniônico

  • 1. Medindo o potencial Hidrogeniônico Prof. Carlos Frederico Rodrigues
  • 2. Entendendo as bases • A manutenção da concentração de íons hidrogênio nos fluidos biológicos é de fundamental importância para o funcionamento dos processos bioquímicos que ocorrem nas células dos diferentes tecidos animais. • Uma maneira simples de medir a concentração hidrogeniônica foi proposta pelo bioquímico Sorensen, quando criou a escala de pH. • Representa a concentração hidrogeniônica da solução.
  • 3. Entendendo as bases • Os fluidos biológicos podem ser classificados através desta escala em fluidos: neutros quando seu pH for igual a 7; ácidos quando seu pH for menor que 7 e alcalinos para valores de pH superiores a 7. • Uma substância é ácida quando é capaz de doar prótons e alcalina quando recebe prótons (conceito de Bronsted- Lowry). • Os ácidos podem ser fracos e fortes. Os ácidos são fracos quando apresentam uma fraca tendência a ceder prótons para água e os ácidos são fortes quando transferem facilmente seus prótons.
  • 4. Entendendo as bases • A absorção de um medicamento está bastante associada ao seu caráter eletrolítico. Em geral, os medicamentos são mais bem absorvidos através do trato gastrointestinal quando se apresentam na forma não-ionizada. Assim, medicamentos fracamente ácidos serão mantidos, na forma não-ionizada, no estômago, fracas ao seu pH ácido, facilitando sua absorção. • Já um medicamento fracamente básico será bastante ionizado no estômago e, portanto, pouco absorvido. • Um exemplo seria a aspirina (ácido acetilsalicílico). Quando em solução ácida, como no estômago, ela se apresenta mais de 90% na forma não ionizada; enquanto que em solução neutra, apenas 1%. Assim, podemos concluir que ela seria facilmente absorvida no estômago (pH próximo de 2) e mais lentamente no intestino delgado, onde o pH é superior a 7.
  • 5. Entendendo as bases • O que são tampões? • Algumas substâncias ao serem misturadas são capazes de impedir acentuadas variações de pH de uma solução, mesmo quando a ela se adiciona de um ácido ou uma base a solução. Tais soluções são conhecidas como tampões.
  • 6. Entendendo as bases • Determinados medicamentos são tamponados com o objetivo de melhorar a sua atuação o atenuar os efeitos colaterais. Um exemplo de medicamento tamponado é o Buferin, que atua como analgésico e antiinflamatório. Este medicamento é constituído por ácido acetil salicílico (AAS ou aspirina) tamponado com carbonato de magnésio e aminoacetato de alumínio.
  • 7. Entendo as bases • Um importante tampão biológico é o sistema constituído por ácido carbônico / bicarbonato, principal responsável pela manutenção do pH plasmático. • A reação do sistema tampão ácido carbônico / bicarbonato é a seguinte: • H+ + HCO-3 H2CO3 CO2 + H2O
  • 8. Entendo as bases • Na reação acima pode ser observado que um aumento na concentração de CO2 resultará na formação de maior quantidade de H2CO3 tornando o meio ácido. Uma redução de CO2 tornará a solução alcalina. No sangue essas variações de pH são chamadas de acidose ( redução de pH- acúmulo de ácido) e alcalose (perda de ácido- aumento de pH). • Vários quadros clínicos estão associados a acidose respiratória, exemplos são parada cardíaca, edema agudo de pulmão, pneumonias graves, etc. Alcalose respiratória são encontradas na ansiedade, histeria, tumor cerebral. Acidose metabólica encontra-se na desnutrição, febre alta, insuficiência renal, diabetes mellitus e outras doenças. Alcalose metabólica está associada a perdas urinárias de ácidos (diuréticos), administração de bases, etc.
  • 9. Como medir o pH. • O pH de uma solução pode ser medido pelo método potenciométrico ou colorimétrico. • No método potenciométrico a determinação do pH é realizada com o uso de um aparelho chamado pHmetro ou potenciômetro. • Este método baseia-se na formação de um potencial de elétrico através da parede de um eletrodo de vidro seletivo ao íon hidrogênio.
  • 10. Como medir o pH • Desta forma, o eletrodo mede a ddp decorrente de um potencial de difusão do íon hidrogênio. • Este potencial de difusão ocorre devido ao fato de existir uma diferença na concentração hidrogeniônica entre o interior do eletrodo e a solução banhante ( onde o pH está sendo medido).
  • 11. Como medir o pH • No método colorimétrico a determinação do pH baseia-se no uso de indicadores. • Indicadores são substâncias que variam de cor em função do pH. • Dependendo do grau de dissociação uma gradação de cores pode ser observada e associada a um determinado valor de pH.
  • 12. Como medir o pH • pH metria para refluxo gastro-esofágico. • Indicativo de cores para glicemia.