SlideShare uma empresa Scribd logo
NEUROCIRURGIA:
Passado, presente e futuro
Carlos Frederico A. Rodrigues
Médico Neurocirurgião
NEUROCIRURGIA
• A Neurocirurgia é uma ciência cirúrgica
que se encarrega das afecções do SNC e
Periférico, bem como, dos seus
envoltórios.
• Sua área de atuação envolve patologias
traumáticas, tumorias, vasculares,
malformativas e degenerativas.
O PASSADO
• Neurocirurgia é talvez a mais antiga
prática da arte médica no sentido mais
amplo.
• Desde a pré-história os homens
compreenderam o cérebro como um órgão
central para a sobrevivência da espécie.
O PASSADO
• Durante o Mesolítico (por volta de 12.000
anos), o homem praticou sobre o crânio
dos seus semelhantes operações
cirúrgicas com objetos de silex: as
trepanações.

Recomendado para você

Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana

O documento discute os cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais, incluindo insuficiência respiratória, métodos disponíveis como cânulas e tubos, cuidados como cufometria e fixação do tubo, e diagnósticos e intervenções de enfermagem como risco de aspiração e manutenção da permeabilidade das vias aéreas.

Power point anestesia (1) (1)
Power point anestesia (1) (1)Power point anestesia (1) (1)
Power point anestesia (1) (1)

A anestesia geral é a depressão do sistema nervoso central através da administração de fármacos ou agentes inalantes, levando a pacientes que não reagem a estímulos e com funções cardiovasculares e respiratórias comprometidas, requerendo frequentemente assistência ventilatória. Existem diferentes tipos de anestesia geral que envolvem vários agentes anestésicos administrados por via intravenosa ou inalatória para induzir hipnose, analgesia e relaxamento muscular de forma segura durante as distintas fases de indução

Cirurgia toracica
Cirurgia toracicaCirurgia toracica
Cirurgia toracica

A cirurgia torácica trata afecções dos pulmões, brônquios, traquéia e outras estruturas torácicas. Pode ser realizada através de grandes incisões (toracotomia) ou pequenas incisões (videotoracoscopia). Algumas doenças tratadas incluem câncer de pulmão, pneumotórax e derrame pleural.

O PASSADO
• Essa prática ocorreu em toda a Europa,
sendo os casos mais famosos
encontrados no sul da França.
• Um dos único povos que não realizavam
trepanações eram os chineses, mas por
uma enorme reverência ao conteúdo
craniano: a caixa dos espíritos.
• Entretanto, essa prática se desenvolveu
ao redo do mundo.
O PASSADO
• A civilização pré-Inca utilizava métodos
elaborados de trepanação 2000 anos
antes de Cristo. Mastoidite, cefaléias, etc.
O PASSADO
• Na África, os Egípcios deixaram inúmeros
vestígios de exploração do encéfalo que
datam de mais de 3000 anos antes de
Cristo.
O PASSADO
• Quais os objetivos dessas trepanações?
• Não apenas rituais.
• Diversos trabalhos demonstram o objetivo
de tratar TCEs. Sobretudo os Incas (1/2
das trepanações)
• Outra hipótese é a de tratamento de
cefaléias, infecções, distúrbios
psiquiátricos etc.

Recomendado para você

instrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgicainstrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgica

O documento discute a paramentação cirúrgica e instrumentação, classificando os instrumentos de acordo com sua função no cirurgia. É descrito os tipos de luvas, máscaras, gorros e outros equipamentos de proteção usados na paramentação, assim como instrumentos comuns como bisturis, tesouras, pinças de preensão e hemostasia.

Sae
SaeSae
Sae

O documento discute a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) e sua importância para a qualidade dos cuidados, segurança do paciente e autonomia dos profissionais. A SAE deve ser guiada por teorias de enfermagem e seguir o Processo de Enfermagem, que inclui coleta de dados, diagnóstico, planejamento, implementação e avaliação. O documento também apresenta a história do desenvolvimento das teorias de enfermagem.

Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2

O documento discute a importância da segurança do paciente em procedimentos e cirurgias. Ele destaca que a OMS lançou a Aliança Mundial para a Segurança do Paciente em 2005 para promover normas e práticas seguras, e que cerca de 7 milhões de pacientes sofrem complicações cirúrgicas evitáveis a cada ano. O documento também descreve a lista de verificação cirúrgica da OMS, desenvolvida para controlar os riscos antes, durante e após a cirurgia e garantir a comunicação entre as equipes.

O PASSADO
• A trepanação era realizada em todos os
ossos do crânio.
• O osso parietal era o mais comumente
implicado em todas as craniotomias
realizadas por todas as civilizações.
DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE MÉDIA
Médicos e estudiosos de diversas áreas
se debruçam sobre o cérebro, já com o
intuito de entender seu funcionamento
biológico.
DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA
• Hipócrates (460-379 a.C.) pensava que o
cérebro era o centro das sensações e da
inteligência.
• Entretanto, Aristóteles (384 – 322 a.C)
considerava o coração como centro do
intelecto e o cérebro servia para resfriar o
sangue , aquecido pelo calor das
emoções.
A DÚVIDA É O PREÇO
DA SABEDORIA.
Aristóteles.
DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA
• Hipócrates praticava a trepanação e
conhecia o conceito de controle cruzado
da atividade motora pelo encéfalo. Por
isso, preconizava a trepanação do lado
oposto aos sintomas.
• Além de ´pai da medicina´ , foi um grande
ancestral da Neurocirurgia.

Recomendado para você

AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdfAULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf

1) A assistência de enfermagem se baseia em conhecimentos científicos e métodos planejados para prestar cuidados aos pacientes. 2) A sistematização da assistência de enfermagem é uma forma planejada de prestar cuidados que vem sendo implantada em diversos serviços de saúde. 3) A anamnese e o exame físico são etapas essenciais da assistência de enfermagem para coletar informações sobre o paciente e avaliar seu estado de saúde.

sinais vitaisexame físicoenfermagem
Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)

O documento discute as condutas de enfermagem para a administração de medicamentos, incluindo conceitos, tipos, formas de apresentação e vias de administração como oral, sublingual, parenteral, retal e outras. Detalha os procedimentos para a preparação e administração segura de medicamentos por diferentes vias.

Posicionamento cirurgico pdf
Posicionamento cirurgico pdfPosicionamento cirurgico pdf
Posicionamento cirurgico pdf

O documento discute o posicionamento cirúrgico do paciente, identificando diversas posições e fatores importantes como conforto, visibilidade, acesso vascular e proteção de nervos e tecidos. É essencial posicionar o paciente de forma segura e eficiente para permitir um procedimento cirúrgico bem-sucedido.

posição de pacientes no leitoposições em cirurgiasposicionamento cirúrgico
DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA
• Galeno – (120-300 d.C.) – Descreve
perfeitamente o influxo nervoso desde o
cérebro até o músculo.
DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA
• Ambroise Paré (século XVI , médico dos
Reis da França) – Excelentes descrições
de trepanações e de redução de fraturas
da coluna vertebral por tração.
IDADE MODERNA
• Século XIX.
• Inglaterra – Mc Ewen e Horsley
• Nascimento da nova disciplina – A
Neurocirurgia.
IDADE MODERNA
• 1879 – Mc Ewen opera um tumor frontal –
um meningioma – retirando-o através de
uma craniotomia.

Recomendado para você

Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva

Este documento descreve os procedimentos de monitorização hemodinâmica não invasiva, incluindo os parâmetros vitais monitorizados, equipamentos utilizados e papel da enfermagem. A monitorização não invasiva mede sinais vitais como temperatura, frequência respiratória, saturação de oxigênio, frequência cardíaca e pressão arterial para avaliar o estado do paciente de forma segura e com menor custo em comparação com métodos invasivos.

Uti
UtiUti
Uti

A UTI é uma área hospitalar para pacientes críticos que precisam de cuidados complexos constantes. Seu objetivo é fornecer atendimento especializado 24 horas com equipamentos e profissionais qualificados. Uma UTI ideal tem estrutura física própria com quartos, equipamentos médicos avançados e uma equipe multidisciplinar.

Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado

O documento discute o atendimento inicial ao politraumatizado. Aborda a definição de trauma, a epidemiologia de acidentes no Brasil, a história do atendimento a traumatizados e a introdução do curso ATLS. Detalha as etapas do exame primário no ATLS, incluindo avaliação das vias aéreas, respiração, circulação e estado neurológico do paciente.

atlspolitrauma
IDADE MODERNA
• 1886 – Fundação da disciplina
oficialmente. – Horsley é nomeado para o
Hospital Nacional de Londres para operar
os ´paralíticos e epilépticos´ .
ATUALIDADE
• A mortalidade continuava alta.
• Em 1906 – Starr, estadunidense, notava
que apenas 5% dos tumores cerebrais
eram operados com sucesso.
ATUALIDADE
• Para a instalação de uma verdadeira neurocirurgia,
duas coisas eram necessárias:
• A edificação de uma medicina do Sistema
Nervoso, com conhecimento anatômico, fisiológico
e clínico.
• E o conhecimento de drogas que pudessem vencer
a barreira hematoencefálica ou que protegessem o
encéfalo após a abertura da meninge contra o risco
de infecção.
ATUALIDADE
• Séc. XX – a medicina e, por conseguinte,
a neurocirurgia absorvem o enorme
avanço técnico da humanidade.
• Numerosos neurocirurgiões (e médicos de
outras especialidades) contribuem para
isso.

Recomendado para você

Morte encefálica enfermagem farec
Morte encefálica   enfermagem farecMorte encefálica   enfermagem farec
Morte encefálica enfermagem farec

Este documento discute a morte encefálica, definindo-a como a perda definitiva e irreversível das funções cerebrais. Ele explica os critérios para diagnosticar a morte encefálica, incluindo exames clínicos, de apneia e complementares. Também aborda os cuidados de enfermagem necessários e o papel do doador de órgãos após a constatação da morte encefálica.

morte encefalicamortecuidados de enfermgem
Registros de Enfermagem
Registros de EnfermagemRegistros de Enfermagem
Registros de Enfermagem

Proposta de estudo sobre os aspectos legais e éticos dos registros de enfermagem no exercício da profissão. Ao final do conteúdo, há propostas de registros para orientar o leitor na construção de uma evolução dos cuidados prestados. A proposta de estudo tem um aspecto voltado a segurança do paciente com o fim de tornar a assistência igualmente segura e de qualidade.

segurança do pacienteregistrosenfermagem
Instrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficialInstrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficial

O documento descreve os tipos de instrumentais cirúrgicos utilizados em diferentes etapas de uma cirurgia. Apresenta os instrumentais para diérese, como bisturis e tesouras, para hemostasia, como pinças, e para síntese, como agulhas e fios. Também explica instrumentais auxiliares, de campo, afastadores e instrumentos especiais para cada tipo de cirurgia.

ATUALIDADE
• Harvey Cushing – (1869 – 1939) – Torna-
se o verdadeiro pioneiro da neurocirurgia
atual.
• Após seus estudos em Harvard, ele vai
até Halsted (um famoso cirurgião) e em
1904 publica na academia médica de
Cleveland a obra: The special field of
neurological surgery. Um dos primeiros
livros textos da nova especialidade.
• Em 1931 – ele já tinha operado mais de
2000 pacientes com tumor cerebral.
Neurocirurgia
ATUALIDADE
• W. Dandy – inventa em 1918 um dos
primeiros exames de imagem do SNC –
ventriculografia.
• O primero a obter sucesso na remoção de
lobos cerebrais acometidos por tumores
infiltrativos.
Neurocirurgia

Recomendado para você

Anamnese
AnamneseAnamnese
Anamnese

A anamnese é a história clínica do paciente obtida através de entrevista e fornece informações essenciais para a hipótese diagnóstica. Ela deve ser realizada em ambiente tranquilo e com boa relação médico-paciente, coletando dados sobre queixa, história da doença, exame de aparelhos, antecedentes pessoais e familiares. O objetivo é entender os sintomas do paciente e fatores associados para orientar o raciocínio diagnóstico.

Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais

Este documento fornece informações sobre como verificar os sinais vitais de um paciente, incluindo temperatura, pulso, respiração e pressão arterial. Detalha os procedimentos corretos, locais de verificação, valores normais e equipamentos necessários como termômetro, esfigmomanômetro e estetoscópio.

sinais vitais; aula sinais vitais; pulso; temperat
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.pptAula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt

O documento fornece um resumo sobre o conceito de cirurgia e seu histórico. A cirurgia envolve alterações anatômicas planejadas para tratar processos patológicos por meio de técnicas manuais e instrumentais. Ao longo da história, houve avanços na tecnologia cirúrgica e compreensão da anatomia que melhoraram os resultados dos procedimentos.

ATUALIDADE
• William Penfield – graças aos estímulos
corticais em pacientes despertos,
consegue montar um excelente mapa dos
centros cerebrais.
• Homúnculo de Penfield.
Neurocirurgia
CONTEMPORÂNEO
• Para compreender o atual momento da
neurocirurgia, precisamos lembrar de 3
pontos principais:
• A neurorradiologia;
• O microscópio operatório;
• A neuroanestesia.
NEURORRADIOLOGIA
• Até a década de 70 do século passado os
exames neurológicos de investigação
eram: semiologia e exames
complementares eletrofisiológicos e de
imagem (ventriculografia, EEG e
angiografia) extremamente grosseiros.
• No início dos anos 70 é inventada, na
Inglaterra, uma nova aplicação
revolucionária para o Raio-x: a tomografia.

Recomendado para você

Bases biologicasdocomportamento2013ii
Bases biologicasdocomportamento2013iiBases biologicasdocomportamento2013ii
Bases biologicasdocomportamento2013ii

Este documento resume a história da neurociência e do estudo do sistema nervoso, desde as antigas filosofias sobre a relação entre mente e corpo até os métodos modernos de neuroimagem. Aborda figuras importantes como Gall, Flourens e Penfield e descreve a evolução dos métodos, desde observações clínicas até técnicas invasivas e não invasivas de imagem cerebral. Também discute brevemente a escala e complexidade do sistema nervoso em diferentes grupos animais.

Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebralEgas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral

Este documento descreve as principais contribuições de Egas Moniz para a medicina, incluindo o desenvolvimento da angiografia cerebral e da leucotomia pré-frontal. A angiografia cerebral envolve a injeção de contraste nos vasos sanguíneos do cérebro para visualizar tumores, e a leucotomia pré-frontal envolve cortes nas fibras pré-frontais para tratar doenças mentais. Embora controversa, a leucotomia pré-frontal rendeu a Moniz o Prêmio Nobel de Medicina em 1949.

TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015

Resumos das principais técnicas utilizadas em Neuro RM, voltada exclusivamente para os técnicos e tecnólogos. Palestra proferida na JPR'2015.

ressonância magnéticaneuro rmressonância funcional.
NEURORRADIOLOGIA
• Pela primeira vez podíamos visualizar, de
maneira direta e não invasiva, o conteúdo
intracraniano.
• Mas, a duração do exame era longa, mais
de 5 minutos para um corte do encéfalo.
• Com o desenvolvimento da informática e
na aquisição de imagens, os exames hoje
duram segundos.
NEURORRADIOLOGIA
• No início da década de 80 outra revolução
se procede: a Ressonância Magnética
Nuclear.
• Ela utiliza campos magnéticos, sem
radiação ionizante e permite através de
sofisticados programas de aquisição de
imagens cortes anatômicos extremamente
detalhados.
NEURORRADIOLOGIA
• Além dos métodos de imagem
morfológicos, vamos ver o
desenvolvimento dos métodos funcionais.
• Permitem a localização anatômica e
também das principais funções cerebrais.
• PET SCAN
• Neuronavegação – localização trans-
operatória.
Neurocirurgia

Recomendado para você

História das neurociências
História das neurociênciasHistória das neurociências
História das neurociências

O documento resume a história das neurociências, desde os primeiros registros no Egito Antigo até descobertas modernas no Brasil. Algumas ideias importantes incluem: (1) Hipócrates associou o cérebro à mente e às emoções; (2) Herófilo e Erasístrato fizeram as primeiras descrições anatômicas do cérebro; (3) Galeno popularizou a neuroanatomia comparada; (4) Descartes propôs a teoria do dualismo mente-corpo.

histórianeurociênciasbases conceituais da neurociência
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015

Resumo das principais Técnicas de Neuro RM, voltadas exclusivamente para técnicos e tecnólogos com atuação em RM. Palestra proferida na JPR 2015.

ressonãncia magnétinaneuro rm.
Experimentos científicos com animais
Experimentos científicos com animaisExperimentos científicos com animais
Experimentos científicos com animais

Delineia o uso de animais em experimentações científicas, as implicações na transferência de conhecimento para anatomia e fisiologia humana, além de fenômenos neurológicos.

experimentos científicos; Ética; fisiologia huma
Neurocirurgia
MICROSCÓPIO OPERATÓRIO
• Para neurocirurgia, lupas cirúrgicas são
insuficientes.
• Nos meados da década de 60 o notável
desenvolvimento dos microscópios
operatórios propiciou um salto para a
cirurgia neurológica.
MICROSCÓPIO OPERATÓRIO
• Permite acoplar sistemas de vídeo.
• Hoje está acoplado aos sistemas de
neuronavegação.
• O planejamento e execução de um acesso
a qualquer parte do encéfalo, tornou-se
possível.
Neurocirurgia

Recomendado para você

Renascimento cientifico 723.pptx
Renascimento cientifico 723.pptxRenascimento cientifico 723.pptx
Renascimento cientifico 723.pptx

O Renascimento Científico ocorreu entre os séculos XV e XVI e levou as pessoas a questionarem o modelo medieval teocêntrico, onde Deus era o centro de tudo. Isso deu origem ao antropocentrismo, com o homem no centro, e permitiu avanços em diversos campos do conhecimento através do racionalismo e dos estudos da Antiguidade Clássica.

adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptxadescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx

educação

estudo da anatomia
estudo da anatomiaestudo da anatomia
estudo da anatomia

O documento fornece uma introdução sobre a anatomia, definindo o conceito da ciência, suas divisões principais (macroscópica, microscópica e do desenvolvimento) e breve histórico desde a antiguidade até os dias atuais, quando houve avanços significativos graças à aquisição de novas tecnologias.

anatomical terms of location
NEUROANAESTESIA
• Mais do que a analgesia peri-operatória, a
função do anestesista é a neuroproteção.
• O cérebro é um ávido consumidor de
glicose – recebe 20% do débito cardíaco e
corresponde apenas a 1,5% do peso
corporal.
• Colocar o cérebro em repouso,
preservando suas funções e permitindo o
trabalho do neurocirurgião.
NEUROANESTESIA
• Esse é o mesmo objetivo do
neurointensivismo.
• Proteção cerebral – inúmeras moléculas
estão sendo testadas, nenhuma com
grande efetividade.
O FUTURO
• A Neurocirurgia, como outras especialidades
cirúrgicas, tende a desaparecer?
• A ´palavra chave´ hoje é minimamente invasivo.
• Pesquisa de terapia gênicas e biologia molecular.
• Claro que sempre teremos o trauma e tratamentos
para doenças crônicas.
OBRIGADO
rodriguescfa@hotmail.com

Recomendado para você

Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptxAula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx

O documento resume a história da neuropsicologia desde a Antiguidade até o século XXI, destacando importantes contribuições de figuras como Hipócrates, Galeno, Descartes, Luria e Hebb. A neuropsicologia moderna começou a se desenvolver no século XX com ênfase no estudo dos sistemas cerebrais e suas funções mentais complexas.

neuropsicologia
Ciclo iii 01
Ciclo iii 01Ciclo iii 01
Ciclo iii 01

O documento descreve a história da cirurgia desde os povos antigos até os dias atuais, incluindo importantes contribuições de civilizações como a indiana e egípcia. Também aborda a evolução dos cuidados de enfermagem no período pré-operatório ao longo do tempo, assim como a classificação das cirurgias de acordo com seu potencial de contaminação.

B2 a base celular da vida
B2 a base celular da vida B2 a base celular da vida
B2 a base celular da vida

O documento discute a história da microscopia e da descoberta das células. Apresenta os principais contribuidores como Anton van Leeuwenhoek, que foi o primeiro a observar bactérias e espermatozóides, e Robert Hooke, que cunhou o termo "célula" e ajudou a estabelecer o uso de imagens na comunicação científica. Também discute a teoria celular e as diferenças entre células procarióticas e eucarióticas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Posicionamento paciente
Posicionamento pacientePosicionamento paciente
Posicionamento paciente
Fernando de Oliveira Dutra
 
Hist rico uti
Hist rico utiHist rico uti
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
resenfe2013
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
SMS - Petrópolis
 
Power point anestesia (1) (1)
Power point anestesia (1) (1)Power point anestesia (1) (1)
Power point anestesia (1) (1)
Cláudia Sofia
 
Cirurgia toracica
Cirurgia toracicaCirurgia toracica
Cirurgia toracica
Thiago Bueno
 
instrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgicainstrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgica
Guilherme Sicuto
 
Sae
SaeSae
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Aline Bandeira
 
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdfAULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
CASA
 
Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)
ANDRESSA POUBEL
 
Posicionamento cirurgico pdf
Posicionamento cirurgico pdfPosicionamento cirurgico pdf
Posicionamento cirurgico pdf
Cintia da Cruz Silva
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
resenfe2013
 
Uti
UtiUti
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
Fagner Athayde
 
Morte encefálica enfermagem farec
Morte encefálica   enfermagem farecMorte encefálica   enfermagem farec
Morte encefálica enfermagem farec
Estephane ingrid Souza Pessoa
 
Registros de Enfermagem
Registros de EnfermagemRegistros de Enfermagem
Registros de Enfermagem
Andréa Dantas
 
Instrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficialInstrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficial
Eliete Santos
 
Anamnese
AnamneseAnamnese
Anamnese
lacmuam
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
Viviane da Silva
 

Mais procurados (20)

Posicionamento paciente
Posicionamento pacientePosicionamento paciente
Posicionamento paciente
 
Hist rico uti
Hist rico utiHist rico uti
Hist rico uti
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
 
Power point anestesia (1) (1)
Power point anestesia (1) (1)Power point anestesia (1) (1)
Power point anestesia (1) (1)
 
Cirurgia toracica
Cirurgia toracicaCirurgia toracica
Cirurgia toracica
 
instrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgicainstrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgica
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdfAULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
AULA 2 - SINAIS VITAIS E EXAME FISICO.pdf
 
Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)
 
Posicionamento cirurgico pdf
Posicionamento cirurgico pdfPosicionamento cirurgico pdf
Posicionamento cirurgico pdf
 
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasivaMonitorização Hemodinâmica não invasiva
Monitorização Hemodinâmica não invasiva
 
Uti
UtiUti
Uti
 
Atendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizadoAtendimento inicial ao politraumatizado
Atendimento inicial ao politraumatizado
 
Morte encefálica enfermagem farec
Morte encefálica   enfermagem farecMorte encefálica   enfermagem farec
Morte encefálica enfermagem farec
 
Registros de Enfermagem
Registros de EnfermagemRegistros de Enfermagem
Registros de Enfermagem
 
Instrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficialInstrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficial
 
Anamnese
AnamneseAnamnese
Anamnese
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 

Semelhante a Neurocirurgia

Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.pptAula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Nilson Reis
 
Bases biologicasdocomportamento2013ii
Bases biologicasdocomportamento2013iiBases biologicasdocomportamento2013ii
Bases biologicasdocomportamento2013ii
Fahardine Madina Chale
 
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebralEgas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
librarian
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
Fabiano Ladislau
 
História das neurociências
História das neurociênciasHistória das neurociências
História das neurociências
Caio Maximino
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
Fabiano Ladislau
 
Experimentos científicos com animais
Experimentos científicos com animaisExperimentos científicos com animais
Experimentos científicos com animais
Rita Almeida
 
Renascimento cientifico 723.pptx
Renascimento cientifico 723.pptxRenascimento cientifico 723.pptx
Renascimento cientifico 723.pptx
DocinhosdaLui
 
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptxadescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
AssisTeixeira2
 
estudo da anatomia
estudo da anatomiaestudo da anatomia
estudo da anatomia
Cleiton Felipe
 
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptxAula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Rafael Iglesias
 
Ciclo iii 01
Ciclo iii 01Ciclo iii 01
Ciclo iii 01
Rodrigo Abreu
 
B2 a base celular da vida
B2 a base celular da vida B2 a base celular da vida
B2 a base celular da vida
Vanessa Jorge
 
C:\Users\Usuario\Desktop\Vinicius
C:\Users\Usuario\Desktop\ViniciusC:\Users\Usuario\Desktop\Vinicius
C:\Users\Usuario\Desktop\Vinicius
Vanessa Crecci
 
Mielografia
MielografiaMielografia
Mielografia
Priscila Ferro
 
Estereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicamp
Estereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicampEstereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicamp
Estereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicamp
Armando Alaminos Bouza
 
RADIOLOGIA FORENSE
RADIOLOGIA FORENSERADIOLOGIA FORENSE
História da epilepsia.ppt
História da epilepsia.pptHistória da epilepsia.ppt
História da epilepsia.ppt
Ricardo Diniz campos
 
Auriculopuntura
AuriculopunturaAuriculopuntura
Auriculopuntura
Luciano Francisco
 
Fundamentos de Neurociências
Fundamentos de Neurociências Fundamentos de Neurociências
Fundamentos de Neurociências
ronnymm
 

Semelhante a Neurocirurgia (20)

Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.pptAula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
Aula I - Introdução ao centro Cirurgico.ppt
 
Bases biologicasdocomportamento2013ii
Bases biologicasdocomportamento2013iiBases biologicasdocomportamento2013ii
Bases biologicasdocomportamento2013ii
 
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebralEgas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
Egas Moniz e a leucotomia pré frontal e a angiografia cerebral
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
 
História das neurociências
História das neurociênciasHistória das neurociências
História das neurociências
 
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
TÉCNICAS AVANÇADAS EM NEURO RM - JPR 2015
 
Experimentos científicos com animais
Experimentos científicos com animaisExperimentos científicos com animais
Experimentos científicos com animais
 
Renascimento cientifico 723.pptx
Renascimento cientifico 723.pptxRenascimento cientifico 723.pptx
Renascimento cientifico 723.pptx
 
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptxadescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
adescobertadaclulanovo-130424083511-phpapp02.pptx
 
estudo da anatomia
estudo da anatomiaestudo da anatomia
estudo da anatomia
 
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptxAula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
Aula 05 - História da NeuroPsicologia.pptx
 
Ciclo iii 01
Ciclo iii 01Ciclo iii 01
Ciclo iii 01
 
B2 a base celular da vida
B2 a base celular da vida B2 a base celular da vida
B2 a base celular da vida
 
C:\Users\Usuario\Desktop\Vinicius
C:\Users\Usuario\Desktop\ViniciusC:\Users\Usuario\Desktop\Vinicius
C:\Users\Usuario\Desktop\Vinicius
 
Mielografia
MielografiaMielografia
Mielografia
 
Estereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicamp
Estereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicampEstereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicamp
Estereotaxia e radiocirurgia_oficinas_de_fisica_2014_unicamp
 
RADIOLOGIA FORENSE
RADIOLOGIA FORENSERADIOLOGIA FORENSE
RADIOLOGIA FORENSE
 
História da epilepsia.ppt
História da epilepsia.pptHistória da epilepsia.ppt
História da epilepsia.ppt
 
Auriculopuntura
AuriculopunturaAuriculopuntura
Auriculopuntura
 
Fundamentos de Neurociências
Fundamentos de Neurociências Fundamentos de Neurociências
Fundamentos de Neurociências
 

Mais de Carlos Frederico Almeida Rodrigues

Hemorragia periventricular
Hemorragia periventricularHemorragia periventricular
Hemorragia periventricular
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Cefaleia na emergência
Cefaleia na emergênciaCefaleia na emergência
Cefaleia na emergência
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Transtornos do aprendizado
Transtornos do aprendizadoTranstornos do aprendizado
Transtornos do aprendizado
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Disrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefaliasDisrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefalias
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Neurofisiologia
NeurofisiologiaNeurofisiologia
Líquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidianoLíquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidiano
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Diagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMADiagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMA
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriaisPrincípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Quando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologistaQuando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologista
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Acidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálicoAcidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálico
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalTraumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Ataxia e ..
Ataxia e ..Ataxia e ..
Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica patoAnálise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Toc
TocToc
Uno cc febril
Uno   cc febrilUno   cc febril
Lesões+do..
Lesões+do..Lesões+do..
Vias motoras
Vias motorasVias motoras

Mais de Carlos Frederico Almeida Rodrigues (20)

Hemorragia periventricular
Hemorragia periventricularHemorragia periventricular
Hemorragia periventricular
 
Cefaleia na emergência
Cefaleia na emergênciaCefaleia na emergência
Cefaleia na emergência
 
Transtornos do aprendizado
Transtornos do aprendizadoTranstornos do aprendizado
Transtornos do aprendizado
 
Disrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefaliasDisrafismos e hidrocefalias
Disrafismos e hidrocefalias
 
Neurofisiologia
NeurofisiologiaNeurofisiologia
Neurofisiologia
 
Líquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidianoLíquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidiano
 
Diagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMADiagnósticos desafiadores - COMA
Diagnósticos desafiadores - COMA
 
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriaisPrincípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
Princípios das cirurgias dos tumores supratentoriais
 
Quando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologistaQuando encaminhar para um neurologista
Quando encaminhar para um neurologista
 
Acidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálicoAcidente vascular encefálico
Acidente vascular encefálico
 
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalTraumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
 
A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)A relação médico paciente na era da informatização (1)
A relação médico paciente na era da informatização (1)
 
Ataxia e ..
Ataxia e ..Ataxia e ..
Ataxia e ..
 
Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)Apresentação sist. límbico (1)
Apresentação sist. límbico (1)
 
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
Sistema Límbico: uma abordagem neuroanatômica e funcional.
 
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica patoAnálise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
 
Toc
TocToc
Toc
 
Uno cc febril
Uno   cc febrilUno   cc febril
Uno cc febril
 
Lesões+do..
Lesões+do..Lesões+do..
Lesões+do..
 
Vias motoras
Vias motorasVias motoras
Vias motoras
 

Neurocirurgia

  • 1. NEUROCIRURGIA: Passado, presente e futuro Carlos Frederico A. Rodrigues Médico Neurocirurgião
  • 2. NEUROCIRURGIA • A Neurocirurgia é uma ciência cirúrgica que se encarrega das afecções do SNC e Periférico, bem como, dos seus envoltórios. • Sua área de atuação envolve patologias traumáticas, tumorias, vasculares, malformativas e degenerativas.
  • 3. O PASSADO • Neurocirurgia é talvez a mais antiga prática da arte médica no sentido mais amplo. • Desde a pré-história os homens compreenderam o cérebro como um órgão central para a sobrevivência da espécie.
  • 4. O PASSADO • Durante o Mesolítico (por volta de 12.000 anos), o homem praticou sobre o crânio dos seus semelhantes operações cirúrgicas com objetos de silex: as trepanações.
  • 5. O PASSADO • Essa prática ocorreu em toda a Europa, sendo os casos mais famosos encontrados no sul da França. • Um dos único povos que não realizavam trepanações eram os chineses, mas por uma enorme reverência ao conteúdo craniano: a caixa dos espíritos. • Entretanto, essa prática se desenvolveu ao redo do mundo.
  • 6. O PASSADO • A civilização pré-Inca utilizava métodos elaborados de trepanação 2000 anos antes de Cristo. Mastoidite, cefaléias, etc.
  • 7. O PASSADO • Na África, os Egípcios deixaram inúmeros vestígios de exploração do encéfalo que datam de mais de 3000 anos antes de Cristo.
  • 8. O PASSADO • Quais os objetivos dessas trepanações? • Não apenas rituais. • Diversos trabalhos demonstram o objetivo de tratar TCEs. Sobretudo os Incas (1/2 das trepanações) • Outra hipótese é a de tratamento de cefaléias, infecções, distúrbios psiquiátricos etc.
  • 9. O PASSADO • A trepanação era realizada em todos os ossos do crânio. • O osso parietal era o mais comumente implicado em todas as craniotomias realizadas por todas as civilizações.
  • 10. DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE MÉDIA Médicos e estudiosos de diversas áreas se debruçam sobre o cérebro, já com o intuito de entender seu funcionamento biológico.
  • 11. DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA • Hipócrates (460-379 a.C.) pensava que o cérebro era o centro das sensações e da inteligência. • Entretanto, Aristóteles (384 – 322 a.C) considerava o coração como centro do intelecto e o cérebro servia para resfriar o sangue , aquecido pelo calor das emoções. A DÚVIDA É O PREÇO DA SABEDORIA. Aristóteles.
  • 12. DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA • Hipócrates praticava a trepanação e conhecia o conceito de controle cruzado da atividade motora pelo encéfalo. Por isso, preconizava a trepanação do lado oposto aos sintomas. • Além de ´pai da medicina´ , foi um grande ancestral da Neurocirurgia.
  • 13. DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA • Galeno – (120-300 d.C.) – Descreve perfeitamente o influxo nervoso desde o cérebro até o músculo.
  • 14. DA ANTIGUIDADE A IDADE MÉDIA • Ambroise Paré (século XVI , médico dos Reis da França) – Excelentes descrições de trepanações e de redução de fraturas da coluna vertebral por tração.
  • 15. IDADE MODERNA • Século XIX. • Inglaterra – Mc Ewen e Horsley • Nascimento da nova disciplina – A Neurocirurgia.
  • 16. IDADE MODERNA • 1879 – Mc Ewen opera um tumor frontal – um meningioma – retirando-o através de uma craniotomia.
  • 17. IDADE MODERNA • 1886 – Fundação da disciplina oficialmente. – Horsley é nomeado para o Hospital Nacional de Londres para operar os ´paralíticos e epilépticos´ .
  • 18. ATUALIDADE • A mortalidade continuava alta. • Em 1906 – Starr, estadunidense, notava que apenas 5% dos tumores cerebrais eram operados com sucesso.
  • 19. ATUALIDADE • Para a instalação de uma verdadeira neurocirurgia, duas coisas eram necessárias: • A edificação de uma medicina do Sistema Nervoso, com conhecimento anatômico, fisiológico e clínico. • E o conhecimento de drogas que pudessem vencer a barreira hematoencefálica ou que protegessem o encéfalo após a abertura da meninge contra o risco de infecção.
  • 20. ATUALIDADE • Séc. XX – a medicina e, por conseguinte, a neurocirurgia absorvem o enorme avanço técnico da humanidade. • Numerosos neurocirurgiões (e médicos de outras especialidades) contribuem para isso.
  • 21. ATUALIDADE • Harvey Cushing – (1869 – 1939) – Torna- se o verdadeiro pioneiro da neurocirurgia atual. • Após seus estudos em Harvard, ele vai até Halsted (um famoso cirurgião) e em 1904 publica na academia médica de Cleveland a obra: The special field of neurological surgery. Um dos primeiros livros textos da nova especialidade. • Em 1931 – ele já tinha operado mais de 2000 pacientes com tumor cerebral.
  • 23. ATUALIDADE • W. Dandy – inventa em 1918 um dos primeiros exames de imagem do SNC – ventriculografia. • O primero a obter sucesso na remoção de lobos cerebrais acometidos por tumores infiltrativos.
  • 25. ATUALIDADE • William Penfield – graças aos estímulos corticais em pacientes despertos, consegue montar um excelente mapa dos centros cerebrais. • Homúnculo de Penfield.
  • 27. CONTEMPORÂNEO • Para compreender o atual momento da neurocirurgia, precisamos lembrar de 3 pontos principais: • A neurorradiologia; • O microscópio operatório; • A neuroanestesia.
  • 28. NEURORRADIOLOGIA • Até a década de 70 do século passado os exames neurológicos de investigação eram: semiologia e exames complementares eletrofisiológicos e de imagem (ventriculografia, EEG e angiografia) extremamente grosseiros. • No início dos anos 70 é inventada, na Inglaterra, uma nova aplicação revolucionária para o Raio-x: a tomografia.
  • 29. NEURORRADIOLOGIA • Pela primeira vez podíamos visualizar, de maneira direta e não invasiva, o conteúdo intracraniano. • Mas, a duração do exame era longa, mais de 5 minutos para um corte do encéfalo. • Com o desenvolvimento da informática e na aquisição de imagens, os exames hoje duram segundos.
  • 30. NEURORRADIOLOGIA • No início da década de 80 outra revolução se procede: a Ressonância Magnética Nuclear. • Ela utiliza campos magnéticos, sem radiação ionizante e permite através de sofisticados programas de aquisição de imagens cortes anatômicos extremamente detalhados.
  • 31. NEURORRADIOLOGIA • Além dos métodos de imagem morfológicos, vamos ver o desenvolvimento dos métodos funcionais. • Permitem a localização anatômica e também das principais funções cerebrais. • PET SCAN • Neuronavegação – localização trans- operatória.
  • 34. MICROSCÓPIO OPERATÓRIO • Para neurocirurgia, lupas cirúrgicas são insuficientes. • Nos meados da década de 60 o notável desenvolvimento dos microscópios operatórios propiciou um salto para a cirurgia neurológica.
  • 35. MICROSCÓPIO OPERATÓRIO • Permite acoplar sistemas de vídeo. • Hoje está acoplado aos sistemas de neuronavegação. • O planejamento e execução de um acesso a qualquer parte do encéfalo, tornou-se possível.
  • 37. NEUROANAESTESIA • Mais do que a analgesia peri-operatória, a função do anestesista é a neuroproteção. • O cérebro é um ávido consumidor de glicose – recebe 20% do débito cardíaco e corresponde apenas a 1,5% do peso corporal. • Colocar o cérebro em repouso, preservando suas funções e permitindo o trabalho do neurocirurgião.
  • 38. NEUROANESTESIA • Esse é o mesmo objetivo do neurointensivismo. • Proteção cerebral – inúmeras moléculas estão sendo testadas, nenhuma com grande efetividade.
  • 39. O FUTURO • A Neurocirurgia, como outras especialidades cirúrgicas, tende a desaparecer? • A ´palavra chave´ hoje é minimamente invasivo. • Pesquisa de terapia gênicas e biologia molecular. • Claro que sempre teremos o trauma e tratamentos para doenças crônicas.