SlideShare uma empresa Scribd logo
TEXTOS ARGUMENTATIVOS
Habilidades de argumentação
Prof. Fernanda Braga
Observe as charges abaixo
Leia o texto abaixo
Paz social
Está comprovado que a violência só gera violência. A rua serve para a criança como uma
escola preparatória. Do menino marginal, esculpe-se o adulto marginal, talhado diariamente por
uma sociedade violenta que lhe nega condições básicas de vida.
Por trás de um garoto abandonado existe um adulto abandonado. E o garoto abandonado de
hoje é o adulto abandonado de amanhã. É um círculo vicioso, em que todos são vítimas, em
maior ou menor escala. Vítimas de uma sociedade que não consegue garantir um mínimo de
paz social.
Paz social significa poder andar na rua sem ser incomodado por pivetes. Isso porque, num país
civilizado, não existem pivetes. Existem crianças desenvolvendo suas potencialidades. Paz é
não ter medo de sequestradores. É nunca desejar comprar uma arma para se defender ou
querer se refugiar em Miami. É não considerar normal a ideia de que o extermínio de crianças
ou adultos garanta a segurança
Entender a infância marginal significa entender por que um menino vai para a rua e não para a
escola. Essa é, em essência, a diferença entre o garoto que está dentro do carro, de vidros
fechados, e aquele que se aproxima do carro para vender chiclete ou pedir esmola. E essa é a
diferença entre desenvolvido e um país de Terceiro Mundo.
É também entender a história do Brasil, marcada pelo descaso das elites em relação aos
menos privilegiados. Esse descaso é simbolizado por uma frase que fez muito sucesso na
política brasileira: caso social é caso de polícia.
A frase surgiu como uma justificativa para o tratamento dado ao trabalhador no começo do
século XX. Em outras palavras, é a mesma postura que as pessoas assumem hoje em relação
à infância carente e aos meninos de rua.
    Fonte: DIMENSTEIN, Gilberto. O cidadão de papel: a infância, a adolescência e os direitos humanos no Brasil. 20. ed. São Paulo: Ática,
     1993.
COMO ESTRUTURAR O TEXTO ARGUMENTATIVO


                Comunicar: informar, argumentar,
 COMUNICAR
                 convencer, persuadir, contra-
                 argumentar.

                “fazer saber” e “fazer crer”

                    Escrever é também argumentar e não
                     só informar.
Texto argumentativo
   Tese
     Ideia que se defende

   Argumentos
     A palavra ARGUMENTO tem uma origem curiosa: vem do
      latim ARGUMENTUM, que tem o tema ARGU , cujo sentido
      primeiro é "fazer brilhar", "iluminar", a mesma raiz de
      "argênteo", "argúcia", "arguto".
   Estratégias argumentativas
     Recursos utilizados para envolver o leitor/ouvinte

     Credibilidade
Esquema de texto
   Introdução:
       Enunciação clara da ideia a ser defendida
   Desenvolvimento
       Escolha dos argumentos e das estratégias
        argumentativas
   Conclusão
       Ratificação dos argumentos
Relendo...
Paz Social
Está comprovado que a violência só gera
violência. (afirmativa da tese a ser defendida de
forma explícita) A rua serve para a criança
como uma escola preparatória. Do menino
marginal, esculpe-se o adulto marginal, talhado
diariamente por uma sociedade violenta que lhe
nega condições básicas de vida.
Por trás de um garoto abandonado existe um
adulto abandonado. (primeira estratégia
argumentativa: relação de causa)
E o garoto abandonado de hoje é o adulto
abandonado de amanhã. (afirmativa
baseada no óbvio, senso comum) É um
círculo vicioso, em que todos são
vítimas, em maior ou menor escala. Vítimas
de uma sociedade que não consegue
garantir um mínimo de paz social. (segunda
estratégia argumentativa: culpar a sociedade
e mencionar o que o autor acredita ser a
solução = paz social)
Paz social significa poder andar na rua sem
ser incomodado por pivetes. Isso porque, num
país civilizado, não existem pivetes. Existem
crianças desenvolvendo suas potencialidades.
Paz é não ter medo de sequestradores. É
nunca desejar comprar uma arma para se
defender ou querer se refugiar em Miami. É
não considerar normal a ideia de que o
extermínio de crianças ou adultos garanta a
segurança. (terceira estratégia argumentativa:
definição do que o autor considera ser paz
social)
Entender a infância marginal significa
entender por que um menino vai para a rua e
não para a escola. Essa é, em essência, a
diferença entre o garoto que está dentro do
carro, de vidros fechados, e aquele que se
aproxima do carro para vender chiclete ou
pedir esmola. E essa é a diferença entre
desenvolvido e um país de Terceiro Mundo.
(quarta estratégia argumentativa:
comparação)
É também entender a história do Brasil,
marcada pelo descaso das elites em relação
aos menos privilegiados. Esse descaso é
simbolizado por uma frase que fez muito
sucesso na política brasileira: caso social é
caso de polícia. (quarta estratégia
argumentativa: alusão histórica, citação
popular)
A frase surgiu como uma justificativa para o
tratamento dado ao trabalhador no começo do
século XX. Em outras palavras, é a mesma
postura que as pessoas assumem hoje em
relação à infância carente e aos meninos de
rua. (confirmação da tese proposta baseada
na alusão histórica: a sociedade desde
antigamente não consegue garantir a paz
social)
Fonte: DIMENSTEIN, Gilberto. O cidadão de
papel: a infância, a adolescência e os direitos
humanos no Brasil. 20. ed. São Paulo: Ática,
1993.
Outro exemplo:
   Tempos de falsa liberdade
O toque de recolher não protege a juventude nem a sociedade. Embora venha sendo
sucessivamente adotado em várias grandes cidades brasileiras, mostra-
se como uma medida de eficiência duvidosa que mais esconde que soluciona o
problema dos jovens e as noites urbanas do Brasil.
Os primeiros anos do século XXI vêm sendo de dura repressão. Não mais como
aquela da década de sessenta [1960], tempos de ditadura, mas é uma repressão
velada, o que é pior. Fingindo pôr um fim aos problemas de drogas, alcoolismo e
violência relacionados especialmente à juventude, governantes adotam essa lei que
apenas tira de alguns o seu principal direito: a liberdade.
E tudo isso é feito para tentar esconder a incapacidade das autoridades de resolver
essa questão. É evidente que não é necessária apenas uma esquina escura para o
uso de drogas e a prostituição juvenil. A violência continua a ocorrer em qualquer
hora do dia, mesmo nos locais em que o toque de recolher foi imposto. Assim, os
índices de criminalidade entre os menores de dezoito [18] anos permanecem altos, e
as cidades continuam inseguras.
Esse é um problema que precisa ser resolvido, mas de forma mais séria. O que é
necessário é a inserção da segurança nas ruas brasileiras em todos os momentos do
dia, além da tomada de medidas que realmente impeçam o consumo de drogas e
prostituição dos jovens, sem que seus direitos sejam feridos. Destas, a principal é a
educação.
Proposta de redação ENEM 2003




         (Época, 02.06.03)
Entender a violência, entre outras coisas, como fruto de nossa horrenda
desigualdade social, não nos leva a desculpar os criminosos, mas poderia
ajudar a decidir que tipo de investimentos o Estado deve fazer para
enfrentar o problema: incrementar violência por meio da repressão ou
tomar medidas para sanear alguns problemas sociais gravíssimos?
(Maria Rita Kehl. Folha de S. Paulo)
Ao expor as pessoas a constantes ataques à sua integridade física e
moral, a violência começa a gerar expectativas, a fornecer padrões de
respostas. Episódios truculentos e situações-limite passam a ser
imaginados e repetidos com o fim de legitimar a idéia de que só a força
resolve conflitos. A violência torna-se um item obrigatório na visão de
mundo que nos é transmitida. O problema, então, é entender como
chegamos a esse ponto.
Penso que a questão crucial, no momento, não é a de saber o que deu
origem ao jogo da violência, mas a de saber como parar um jogo que a
maioria, coagida ou não, começa a querer continuar jogando.
(Adaptado de Jurandir Costa. O medo social.)
Considerando a leitura do quadro e dos textos, redija um texto dissertativo-
argumentativo sobre o tema: A violência na sociedade brasileira: como mudar
as regras desse jogo?
Instruções:
• Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar os conhecimentos adquiridos e
as reflexões feitas ao longo de sua formação. Selecione, organize e relacione
argumentos, fatos e opiniões para defender seu ponto de vista, elaborando
propostas para a solução do problema discutido em seu texto. Suas propostas
devem demonstrar respeito aos direitos humanos.
• Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da
modalidade escrita culta da língua portuguesa.
• O texto não deve ser escrito em forma de poema (versos) ou de narrativa.
• O texto deverá ter no mínimo 15 (quinze) linhas escritas.
• A redação deverá ser apresentada a tinta e desenvolvida na folha própria.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resumo
ResumoResumo
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
Portal do Vestibulando
 
Debate regrado
Debate regradoDebate regrado
Resumo
ResumoResumo
Modelo de plano de aula
Modelo de plano de aulaModelo de plano de aula
Modelo de plano de aula
Denise
 
Planejamento de ensino, plano de aula
Planejamento de ensino, plano de aulaPlanejamento de ensino, plano de aula
Planejamento de ensino, plano de aula
Juliana Fontoura
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
taise_paz
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
Vinícius Oliveira da Costa
 
Notícia e reportagem
Notícia e reportagemNotícia e reportagem
Notícia e reportagem
Laércio Góes
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
Wellington Alves
 
Alusões históricas-e-citações
Alusões históricas-e-citaçõesAlusões históricas-e-citações
Alusões históricas-e-citações
Josi Motta
 
Textos expositivos explicativos
Textos expositivos explicativosTextos expositivos explicativos
Textos expositivos explicativos
Patricio Armando Sando
 
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNTModelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Rosineia Oliveira dos Santos
 
Didatica geral
Didatica geralDidatica geral
Didatica geral
Alberto Nhatirre
 
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Ricardo Silva
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
Sérgio Lagoa
 
Redação: Artigo de Opinião
Redação: Artigo de OpiniãoRedação: Artigo de Opinião
Redação: Artigo de Opinião
7 de Setembro
 
Como problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisaComo problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisa
Antenor Casagrande
 
Relato de experiência de estágio
Relato de experiência de estágioRelato de experiência de estágio
Relato de experiência de estágio
Ana P López
 
Objetivos didáticos slides de didática
Objetivos didáticos  slides de didáticaObjetivos didáticos  slides de didática
Objetivos didáticos slides de didática
Wellinton Prestes
 

Mais procurados (20)

Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
 
Debate regrado
Debate regradoDebate regrado
Debate regrado
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Modelo de plano de aula
Modelo de plano de aulaModelo de plano de aula
Modelo de plano de aula
 
Planejamento de ensino, plano de aula
Planejamento de ensino, plano de aulaPlanejamento de ensino, plano de aula
Planejamento de ensino, plano de aula
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 
Notícia e reportagem
Notícia e reportagemNotícia e reportagem
Notícia e reportagem
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
 
Alusões históricas-e-citações
Alusões históricas-e-citaçõesAlusões históricas-e-citações
Alusões históricas-e-citações
 
Textos expositivos explicativos
Textos expositivos explicativosTextos expositivos explicativos
Textos expositivos explicativos
 
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNTModelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
 
Didatica geral
Didatica geralDidatica geral
Didatica geral
 
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
 
Redação: Artigo de Opinião
Redação: Artigo de OpiniãoRedação: Artigo de Opinião
Redação: Artigo de Opinião
 
Como problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisaComo problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisa
 
Relato de experiência de estágio
Relato de experiência de estágioRelato de experiência de estágio
Relato de experiência de estágio
 
Objetivos didáticos slides de didática
Objetivos didáticos  slides de didáticaObjetivos didáticos  slides de didática
Objetivos didáticos slides de didática
 

Destaque

RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOSRETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
Helia Coelho Mello
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
mundograduado
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Seduc/AM
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Operadores argumentativos na produção de textos infantis
Operadores argumentativos na produção de textos infantisOperadores argumentativos na produção de textos infantis
Operadores argumentativos na produção de textos infantis
Marta Melo de Oliveira
 
Modalizadores Linguísticos para alunos de Direito
Modalizadores Linguísticos para alunos de DireitoModalizadores Linguísticos para alunos de Direito
Modalizadores Linguísticos para alunos de Direito
Marcelo Spalding
 
Texto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativoTexto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativo
quintaldasletras
 
Operadores argumentativos
Operadores argumentativosOperadores argumentativos
Operadores argumentativos
Miquéias Vitorino
 
Presentación Día de la Paz Ana Gómez
Presentación Día de la Paz Ana GómezPresentación Día de la Paz Ana Gómez
Presentación Día de la Paz Ana Gómez
noelunacubero
 
As praticas amorosas na contemporaneidade jurandir freire
As praticas amorosas na contemporaneidade   jurandir  freireAs praticas amorosas na contemporaneidade   jurandir  freire
As praticas amorosas na contemporaneidade jurandir freire
Marcos Silvabh
 
Textos argumentativos
Textos argumentativosTextos argumentativos
Textos argumentativos
Laura Clavijo
 
Tipologia Argumentativa
Tipologia ArgumentativaTipologia Argumentativa
Tipologia Argumentativa
Ricardo Mota
 
Enemem100dias apostila-redacao
Enemem100dias apostila-redacaoEnemem100dias apostila-redacao
Enemem100dias apostila-redacao
José De Oliveira
 
Procedimentos argumentativos
Procedimentos argumentativosProcedimentos argumentativos
Procedimentos argumentativos
Gedalias .
 
Resumo textos idp
Resumo textos idpResumo textos idp
Resumo textos idp
anainesbg
 
Argumentação
ArgumentaçãoArgumentação
Argumentação
Marianna Ribeiro
 
Redação
RedaçãoRedação
Redação
janekenia
 
Construindo a argumentação aula 3
Construindo a argumentação aula 3Construindo a argumentação aula 3
Construindo a argumentação aula 3
ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL RUI BARBOSA
 
Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)
olilucia
 
Violencia Domestica Marina Ana Filipa
Violencia Domestica Marina Ana FilipaViolencia Domestica Marina Ana Filipa
Violencia Domestica Marina Ana Filipa
aritovi
 

Destaque (20)

RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOSRETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
 
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativosExemplos de textos dissertativo argumentativos
Exemplos de textos dissertativo argumentativos
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Operadores argumentativos na produção de textos infantis
Operadores argumentativos na produção de textos infantisOperadores argumentativos na produção de textos infantis
Operadores argumentativos na produção de textos infantis
 
Modalizadores Linguísticos para alunos de Direito
Modalizadores Linguísticos para alunos de DireitoModalizadores Linguísticos para alunos de Direito
Modalizadores Linguísticos para alunos de Direito
 
Texto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativoTexto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativo
 
Operadores argumentativos
Operadores argumentativosOperadores argumentativos
Operadores argumentativos
 
Presentación Día de la Paz Ana Gómez
Presentación Día de la Paz Ana GómezPresentación Día de la Paz Ana Gómez
Presentación Día de la Paz Ana Gómez
 
As praticas amorosas na contemporaneidade jurandir freire
As praticas amorosas na contemporaneidade   jurandir  freireAs praticas amorosas na contemporaneidade   jurandir  freire
As praticas amorosas na contemporaneidade jurandir freire
 
Textos argumentativos
Textos argumentativosTextos argumentativos
Textos argumentativos
 
Tipologia Argumentativa
Tipologia ArgumentativaTipologia Argumentativa
Tipologia Argumentativa
 
Enemem100dias apostila-redacao
Enemem100dias apostila-redacaoEnemem100dias apostila-redacao
Enemem100dias apostila-redacao
 
Procedimentos argumentativos
Procedimentos argumentativosProcedimentos argumentativos
Procedimentos argumentativos
 
Resumo textos idp
Resumo textos idpResumo textos idp
Resumo textos idp
 
Argumentação
ArgumentaçãoArgumentação
Argumentação
 
Redação
RedaçãoRedação
Redação
 
Construindo a argumentação aula 3
Construindo a argumentação aula 3Construindo a argumentação aula 3
Construindo a argumentação aula 3
 
Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)
 
Violencia Domestica Marina Ana Filipa
Violencia Domestica Marina Ana FilipaViolencia Domestica Marina Ana Filipa
Violencia Domestica Marina Ana Filipa
 

Semelhante a Textos argumentativos

100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
ProfMario De Mori
 
Amo su
Amo suAmo su
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opiniãoUnicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Katcavenum
 
Roda de conversa redução da maioridade penal
Roda de conversa   redução da maioridade penal Roda de conversa   redução da maioridade penal
Roda de conversa redução da maioridade penal
Caritas Mexicana IAP
 
Sessao e a36_pp333-348
Sessao e a36_pp333-348Sessao e a36_pp333-348
Sessao e a36_pp333-348
Edylson Ribeiro Edylsonribeiro
 
Criminalidade heróica
Criminalidade heróicaCriminalidade heróica
Criminalidade heróica
Pastor Paulo Francisco
 
Como iniciar um texto
Como iniciar um textoComo iniciar um texto
Como iniciar um texto
Aninha Terçariol
 
Modulo 16
Modulo 16Modulo 16
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoAULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
Cynthia Funchal
 
Introducao.pptx
Introducao.pptxIntroducao.pptx
Introducao.pptx
AliceGeric
 
Trabalho de psicologia_social_e_servico_social
Trabalho de psicologia_social_e_servico_socialTrabalho de psicologia_social_e_servico_social
Trabalho de psicologia_social_e_servico_social
Adelmo Ribeiro
 
Juventude e cidadania
Juventude e cidadaniaJuventude e cidadania
Juventude e cidadania
Maxmiliano Melo
 
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda BragaCurso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
ProfFernandaBraga
 
Portal Prof. Jorge - Redação: Introdução
Portal Prof. Jorge - Redação: IntroduçãoPortal Prof. Jorge - Redação: Introdução
Portal Prof. Jorge - Redação: Introdução
Jonathan Azevedo
 
Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...
Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...
Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...
Jovandir Botelho de Andrade
 
Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001
mattoso1970
 
Redação Enem - 2011
Redação Enem - 2011Redação Enem - 2011
eixos temáticos [Salvo automaticamente].pptx
eixos temáticos [Salvo automaticamente].pptxeixos temáticos [Salvo automaticamente].pptx
eixos temáticos [Salvo automaticamente].pptx
Sagitta Ramos
 
ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2
Mariangela Santos
 

Semelhante a Textos argumentativos (20)

100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
 
Amo su
Amo suAmo su
Amo su
 
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opiniãoUnicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
 
Roda de conversa redução da maioridade penal
Roda de conversa   redução da maioridade penal Roda de conversa   redução da maioridade penal
Roda de conversa redução da maioridade penal
 
Sessao e a36_pp333-348
Sessao e a36_pp333-348Sessao e a36_pp333-348
Sessao e a36_pp333-348
 
Criminalidade heróica
Criminalidade heróicaCriminalidade heróica
Criminalidade heróica
 
Como iniciar um texto
Como iniciar um textoComo iniciar um texto
Como iniciar um texto
 
Modulo 16
Modulo 16Modulo 16
Modulo 16
 
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe AssunçãoAULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
AULA CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO - Prof. Noe Assunção
 
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
ARGUMENTAÇÃO - Enem (Competência 3)
 
Introducao.pptx
Introducao.pptxIntroducao.pptx
Introducao.pptx
 
Trabalho de psicologia_social_e_servico_social
Trabalho de psicologia_social_e_servico_socialTrabalho de psicologia_social_e_servico_social
Trabalho de psicologia_social_e_servico_social
 
Juventude e cidadania
Juventude e cidadaniaJuventude e cidadania
Juventude e cidadania
 
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda BragaCurso Básico de Redação - Fernanda Braga
Curso Básico de Redação - Fernanda Braga
 
Portal Prof. Jorge - Redação: Introdução
Portal Prof. Jorge - Redação: IntroduçãoPortal Prof. Jorge - Redação: Introdução
Portal Prof. Jorge - Redação: Introdução
 
Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...
Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...
Trabalho de grupo de curso de pós graduação Mestrado em Ciências da Educação ...
 
Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001Vanessaalves redacao-2016-001
Vanessaalves redacao-2016-001
 
Redação Enem - 2011
Redação Enem - 2011Redação Enem - 2011
Redação Enem - 2011
 
eixos temáticos [Salvo automaticamente].pptx
eixos temáticos [Salvo automaticamente].pptxeixos temáticos [Salvo automaticamente].pptx
eixos temáticos [Salvo automaticamente].pptx
 
ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2
 

Mais de ProfFernandaBraga

Estudo dos verbos Volume 1
Estudo dos verbos Volume 1Estudo dos verbos Volume 1
Estudo dos verbos Volume 1
ProfFernandaBraga
 
Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1
ProfFernandaBraga
 
Propostas de redação 2016 Volume 2
Propostas de redação 2016 Volume 2Propostas de redação 2016 Volume 2
Propostas de redação 2016 Volume 2
ProfFernandaBraga
 
Prova ANPAD Português Resolvida
Prova ANPAD Português Resolvida Prova ANPAD Português Resolvida
Prova ANPAD Português Resolvida
ProfFernandaBraga
 
Revista de Redação - Propostas Volume 1
Revista de Redação - Propostas Volume 1Revista de Redação - Propostas Volume 1
Revista de Redação - Propostas Volume 1
ProfFernandaBraga
 
Redação trote universitário exemplo
Redação trote universitário   exemploRedação trote universitário   exemplo
Redação trote universitário exemplo
ProfFernandaBraga
 
Redação gravidez na adolescência: textos exemplo
Redação gravidez na adolescência: textos exemploRedação gravidez na adolescência: textos exemplo
Redação gravidez na adolescência: textos exemplo
ProfFernandaBraga
 
Redação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da nação
Redação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da naçãoRedação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da nação
Redação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da nação
ProfFernandaBraga
 
Redação: O papel e o limite do humor no Brasil
Redação: O papel e o limite do humor no BrasilRedação: O papel e o limite do humor no Brasil
Redação: O papel e o limite do humor no Brasil
ProfFernandaBraga
 
Atividade notícia
Atividade notíciaAtividade notícia
Atividade notícia
ProfFernandaBraga
 
Dois exemplos de redações sobre Bioética
Dois exemplos de redações sobre BioéticaDois exemplos de redações sobre Bioética
Dois exemplos de redações sobre Bioética
ProfFernandaBraga
 
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: ConsumismoExemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
ProfFernandaBraga
 
Temas ENEM 2015
Temas ENEM 2015 Temas ENEM 2015
Temas ENEM 2015
ProfFernandaBraga
 
15 temas ENEM 2015
15 temas ENEM 201515 temas ENEM 2015
15 temas ENEM 2015
ProfFernandaBraga
 
Temas para ENEM - Drogas
Temas para ENEM - DrogasTemas para ENEM - Drogas
Temas para ENEM - Drogas
ProfFernandaBraga
 
Atividades sobre figuras de linguagem
Atividades sobre figuras de linguagemAtividades sobre figuras de linguagem
Atividades sobre figuras de linguagem
ProfFernandaBraga
 
Proposta de redação seminário Biodiversidade ecologia
Proposta de redação seminário Biodiversidade ecologiaProposta de redação seminário Biodiversidade ecologia
Proposta de redação seminário Biodiversidade ecologia
ProfFernandaBraga
 
Trabalhos dos alunos Ecologia
Trabalhos dos alunos  EcologiaTrabalhos dos alunos  Ecologia
Trabalhos dos alunos Ecologia
ProfFernandaBraga
 
Trabalhos dos alunos Biodiversidade
Trabalhos dos alunos  BiodiversidadeTrabalhos dos alunos  Biodiversidade
Trabalhos dos alunos Biodiversidade
ProfFernandaBraga
 
Trabalhos dos alunos Gêneros Discursivos
Trabalhos dos alunos Gêneros DiscursivosTrabalhos dos alunos Gêneros Discursivos
Trabalhos dos alunos Gêneros Discursivos
ProfFernandaBraga
 

Mais de ProfFernandaBraga (20)

Estudo dos verbos Volume 1
Estudo dos verbos Volume 1Estudo dos verbos Volume 1
Estudo dos verbos Volume 1
 
Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1
 
Propostas de redação 2016 Volume 2
Propostas de redação 2016 Volume 2Propostas de redação 2016 Volume 2
Propostas de redação 2016 Volume 2
 
Prova ANPAD Português Resolvida
Prova ANPAD Português Resolvida Prova ANPAD Português Resolvida
Prova ANPAD Português Resolvida
 
Revista de Redação - Propostas Volume 1
Revista de Redação - Propostas Volume 1Revista de Redação - Propostas Volume 1
Revista de Redação - Propostas Volume 1
 
Redação trote universitário exemplo
Redação trote universitário   exemploRedação trote universitário   exemplo
Redação trote universitário exemplo
 
Redação gravidez na adolescência: textos exemplo
Redação gravidez na adolescência: textos exemploRedação gravidez na adolescência: textos exemplo
Redação gravidez na adolescência: textos exemplo
 
Redação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da nação
Redação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da naçãoRedação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da nação
Redação Exemplo: Energia nuclear para o desenvolvimento da nação
 
Redação: O papel e o limite do humor no Brasil
Redação: O papel e o limite do humor no BrasilRedação: O papel e o limite do humor no Brasil
Redação: O papel e o limite do humor no Brasil
 
Atividade notícia
Atividade notíciaAtividade notícia
Atividade notícia
 
Dois exemplos de redações sobre Bioética
Dois exemplos de redações sobre BioéticaDois exemplos de redações sobre Bioética
Dois exemplos de redações sobre Bioética
 
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: ConsumismoExemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
 
Temas ENEM 2015
Temas ENEM 2015 Temas ENEM 2015
Temas ENEM 2015
 
15 temas ENEM 2015
15 temas ENEM 201515 temas ENEM 2015
15 temas ENEM 2015
 
Temas para ENEM - Drogas
Temas para ENEM - DrogasTemas para ENEM - Drogas
Temas para ENEM - Drogas
 
Atividades sobre figuras de linguagem
Atividades sobre figuras de linguagemAtividades sobre figuras de linguagem
Atividades sobre figuras de linguagem
 
Proposta de redação seminário Biodiversidade ecologia
Proposta de redação seminário Biodiversidade ecologiaProposta de redação seminário Biodiversidade ecologia
Proposta de redação seminário Biodiversidade ecologia
 
Trabalhos dos alunos Ecologia
Trabalhos dos alunos  EcologiaTrabalhos dos alunos  Ecologia
Trabalhos dos alunos Ecologia
 
Trabalhos dos alunos Biodiversidade
Trabalhos dos alunos  BiodiversidadeTrabalhos dos alunos  Biodiversidade
Trabalhos dos alunos Biodiversidade
 
Trabalhos dos alunos Gêneros Discursivos
Trabalhos dos alunos Gêneros DiscursivosTrabalhos dos alunos Gêneros Discursivos
Trabalhos dos alunos Gêneros Discursivos
 

Último

JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 

Último (20)

JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 

Textos argumentativos

  • 1. TEXTOS ARGUMENTATIVOS Habilidades de argumentação Prof. Fernanda Braga
  • 3. Leia o texto abaixo Paz social Está comprovado que a violência só gera violência. A rua serve para a criança como uma escola preparatória. Do menino marginal, esculpe-se o adulto marginal, talhado diariamente por uma sociedade violenta que lhe nega condições básicas de vida. Por trás de um garoto abandonado existe um adulto abandonado. E o garoto abandonado de hoje é o adulto abandonado de amanhã. É um círculo vicioso, em que todos são vítimas, em maior ou menor escala. Vítimas de uma sociedade que não consegue garantir um mínimo de paz social. Paz social significa poder andar na rua sem ser incomodado por pivetes. Isso porque, num país civilizado, não existem pivetes. Existem crianças desenvolvendo suas potencialidades. Paz é não ter medo de sequestradores. É nunca desejar comprar uma arma para se defender ou querer se refugiar em Miami. É não considerar normal a ideia de que o extermínio de crianças ou adultos garanta a segurança Entender a infância marginal significa entender por que um menino vai para a rua e não para a escola. Essa é, em essência, a diferença entre o garoto que está dentro do carro, de vidros fechados, e aquele que se aproxima do carro para vender chiclete ou pedir esmola. E essa é a diferença entre desenvolvido e um país de Terceiro Mundo. É também entender a história do Brasil, marcada pelo descaso das elites em relação aos menos privilegiados. Esse descaso é simbolizado por uma frase que fez muito sucesso na política brasileira: caso social é caso de polícia. A frase surgiu como uma justificativa para o tratamento dado ao trabalhador no começo do século XX. Em outras palavras, é a mesma postura que as pessoas assumem hoje em relação à infância carente e aos meninos de rua.  Fonte: DIMENSTEIN, Gilberto. O cidadão de papel: a infância, a adolescência e os direitos humanos no Brasil. 20. ed. São Paulo: Ática, 1993.
  • 4. COMO ESTRUTURAR O TEXTO ARGUMENTATIVO  Comunicar: informar, argumentar, COMUNICAR convencer, persuadir, contra- argumentar.  “fazer saber” e “fazer crer”  Escrever é também argumentar e não só informar.
  • 5. Texto argumentativo  Tese  Ideia que se defende  Argumentos  A palavra ARGUMENTO tem uma origem curiosa: vem do latim ARGUMENTUM, que tem o tema ARGU , cujo sentido primeiro é "fazer brilhar", "iluminar", a mesma raiz de "argênteo", "argúcia", "arguto".  Estratégias argumentativas  Recursos utilizados para envolver o leitor/ouvinte  Credibilidade
  • 6. Esquema de texto  Introdução:  Enunciação clara da ideia a ser defendida  Desenvolvimento  Escolha dos argumentos e das estratégias argumentativas  Conclusão  Ratificação dos argumentos
  • 7. Relendo... Paz Social Está comprovado que a violência só gera violência. (afirmativa da tese a ser defendida de forma explícita) A rua serve para a criança como uma escola preparatória. Do menino marginal, esculpe-se o adulto marginal, talhado diariamente por uma sociedade violenta que lhe nega condições básicas de vida. Por trás de um garoto abandonado existe um adulto abandonado. (primeira estratégia argumentativa: relação de causa)
  • 8. E o garoto abandonado de hoje é o adulto abandonado de amanhã. (afirmativa baseada no óbvio, senso comum) É um círculo vicioso, em que todos são vítimas, em maior ou menor escala. Vítimas de uma sociedade que não consegue garantir um mínimo de paz social. (segunda estratégia argumentativa: culpar a sociedade e mencionar o que o autor acredita ser a solução = paz social)
  • 9. Paz social significa poder andar na rua sem ser incomodado por pivetes. Isso porque, num país civilizado, não existem pivetes. Existem crianças desenvolvendo suas potencialidades. Paz é não ter medo de sequestradores. É nunca desejar comprar uma arma para se defender ou querer se refugiar em Miami. É não considerar normal a ideia de que o extermínio de crianças ou adultos garanta a segurança. (terceira estratégia argumentativa: definição do que o autor considera ser paz social)
  • 10. Entender a infância marginal significa entender por que um menino vai para a rua e não para a escola. Essa é, em essência, a diferença entre o garoto que está dentro do carro, de vidros fechados, e aquele que se aproxima do carro para vender chiclete ou pedir esmola. E essa é a diferença entre desenvolvido e um país de Terceiro Mundo. (quarta estratégia argumentativa: comparação)
  • 11. É também entender a história do Brasil, marcada pelo descaso das elites em relação aos menos privilegiados. Esse descaso é simbolizado por uma frase que fez muito sucesso na política brasileira: caso social é caso de polícia. (quarta estratégia argumentativa: alusão histórica, citação popular)
  • 12. A frase surgiu como uma justificativa para o tratamento dado ao trabalhador no começo do século XX. Em outras palavras, é a mesma postura que as pessoas assumem hoje em relação à infância carente e aos meninos de rua. (confirmação da tese proposta baseada na alusão histórica: a sociedade desde antigamente não consegue garantir a paz social) Fonte: DIMENSTEIN, Gilberto. O cidadão de papel: a infância, a adolescência e os direitos humanos no Brasil. 20. ed. São Paulo: Ática, 1993.
  • 13. Outro exemplo:  Tempos de falsa liberdade O toque de recolher não protege a juventude nem a sociedade. Embora venha sendo sucessivamente adotado em várias grandes cidades brasileiras, mostra- se como uma medida de eficiência duvidosa que mais esconde que soluciona o problema dos jovens e as noites urbanas do Brasil. Os primeiros anos do século XXI vêm sendo de dura repressão. Não mais como aquela da década de sessenta [1960], tempos de ditadura, mas é uma repressão velada, o que é pior. Fingindo pôr um fim aos problemas de drogas, alcoolismo e violência relacionados especialmente à juventude, governantes adotam essa lei que apenas tira de alguns o seu principal direito: a liberdade. E tudo isso é feito para tentar esconder a incapacidade das autoridades de resolver essa questão. É evidente que não é necessária apenas uma esquina escura para o uso de drogas e a prostituição juvenil. A violência continua a ocorrer em qualquer hora do dia, mesmo nos locais em que o toque de recolher foi imposto. Assim, os índices de criminalidade entre os menores de dezoito [18] anos permanecem altos, e as cidades continuam inseguras. Esse é um problema que precisa ser resolvido, mas de forma mais séria. O que é necessário é a inserção da segurança nas ruas brasileiras em todos os momentos do dia, além da tomada de medidas que realmente impeçam o consumo de drogas e prostituição dos jovens, sem que seus direitos sejam feridos. Destas, a principal é a educação.
  • 14.
  • 15. Proposta de redação ENEM 2003 (Época, 02.06.03)
  • 16. Entender a violência, entre outras coisas, como fruto de nossa horrenda desigualdade social, não nos leva a desculpar os criminosos, mas poderia ajudar a decidir que tipo de investimentos o Estado deve fazer para enfrentar o problema: incrementar violência por meio da repressão ou tomar medidas para sanear alguns problemas sociais gravíssimos? (Maria Rita Kehl. Folha de S. Paulo) Ao expor as pessoas a constantes ataques à sua integridade física e moral, a violência começa a gerar expectativas, a fornecer padrões de respostas. Episódios truculentos e situações-limite passam a ser imaginados e repetidos com o fim de legitimar a idéia de que só a força resolve conflitos. A violência torna-se um item obrigatório na visão de mundo que nos é transmitida. O problema, então, é entender como chegamos a esse ponto. Penso que a questão crucial, no momento, não é a de saber o que deu origem ao jogo da violência, mas a de saber como parar um jogo que a maioria, coagida ou não, começa a querer continuar jogando. (Adaptado de Jurandir Costa. O medo social.)
  • 17. Considerando a leitura do quadro e dos textos, redija um texto dissertativo- argumentativo sobre o tema: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo? Instruções: • Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar os conhecimentos adquiridos e as reflexões feitas ao longo de sua formação. Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender seu ponto de vista, elaborando propostas para a solução do problema discutido em seu texto. Suas propostas devem demonstrar respeito aos direitos humanos. • Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da modalidade escrita culta da língua portuguesa. • O texto não deve ser escrito em forma de poema (versos) ou de narrativa. • O texto deverá ter no mínimo 15 (quinze) linhas escritas. • A redação deverá ser apresentada a tinta e desenvolvida na folha própria.

Notas do Editor

  1. No começo, detalhes do curso e/ou livros/materiais necessários para uma aula/projeto.
  2. Um design de programação para períodos/objetivos opcionais.
  3. Notas introdutórias.
  4. Objetivos da instrução e resultados esperados e/ou habilidades desenvolvidas com o aprendizado.
  5. Lista de vocabulário relacionado.
  6. Conclusão do curso, palestra etc.